Página 1 dos resultados de 343 itens digitais encontrados em 0.002 segundos

"Análise eletromiográfica dos músculos temporal e masseter, em portadores de maloclusão classe II de Angle, durante terapia ortopédica funcional com reabilitação dinâmica e funcional dos maxilares" ; ELECTROMYOGRAPHIC ANALYSIS OF TEMPORAL AND MASSETER MUSCLES IN INDIVIDUALS WITH ANGLE CLASS II MALOCCLUSION, DURING TREATMENT WITH DYNAMICS AND FUNCTIONAL REHABILITATION OF JAW

Santos, Glaura Trevisan Mattos dos
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 07/08/2002 PT
Relevância na Pesquisa
37.26%
Este estudo foi realizado com o objetivo de investigar a atividade eletromiográfica (EMG) dos músculos temporal (porção anterior) e masseter em portadores de maloclusão Classe II de Angle, durante tratamento ortopédico funcional com a técnica “Reabilitação Dinâmica e Funcional dos Maxilares” (RDFM). Foram analisados dez pacientes com dentição mista, na faixa etária de seis a doze anos (média 8,6). Os registros EMG foram executados no ato da instalação da aparatologia (T1), após seis meses (T2) e um ano de tratamento (T3). Eletrodos bipolares de superfície eram posicionados bilateralmente na porção anterior do músculo temporal e na região média do músculo masseter. Um eletromiógrafo acoplado a um programa de computador (K6-I EMG Eight Channel Surface Electromyography da Myo-tronics), registrou a atividade muscular nas condições experimentais: 1 - Posição de Repouso (PR); 2 - Apertamento em Máxima Intercuspidação Habitual (AMIH); 3 - Apertamento Molar Bilateral com Rolete de Algodão (AMBA); 4 - Apertamento Máximo com o uso de Aparelho (AAPA) e 5 - Mastigação Habitual com Hiperbolóide (MH). As atividades médias dos músculos estudados foram analisadas estatisticamente pela Análise de Variância e teste complementar de Tukey. Pelos resultados conclui-se que: 1) na posição de repouso...

Estudo eletromiográfico simultâneo das regiões superior, média e inferior do músculo masseter em indivíduos portadores de maloclusão classe III de Angle. ; Electromyographic study of superior, middle and inferior regions of masseter muscle in ANGLE’s class III malocclusion.

Gomes, Antonio Carlos Pereira
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 04/12/2001 PT
Relevância na Pesquisa
37.26%
A parte superficial do músculo masseter, subdividido em três regiões - superior, média e inferior - foi estudado por meio da eletromiografia de superfície em pacientes com maloclusão dental classe III de Angle. Participaram deste estudo 14 pacientes (4 do sexo masculino, 10 do sexo feminino, com idade de 7 a 12 anos). Utilizou-se o “scan” nº. 9 do eletromiógrafo modelo K6-I/EMG Eight Channel Surface Electromyograph (Myo-tronics Co., Seatle, WA, EUA). Empregou-se na análise estatística não-paramétrica o teste de Wilcoxon para a comparação entre os lados, e o teste de Friedman para a comparação entre as regiões. Concluiu-se que: (1) nos movimentos de Abertura e Fechamento, Deglutição de Saliva, Oclusão Cêntrica Forçada e Mordida Molar Bilateral com Algodão, houve diferença estatística significante de atividade entre os lados, e o músculo masseter esquerdo apresentou maior atividade eletromiográfica que o músculo masseter direito; (2) a atividade da região superior predominou nas posições de Repouso e Repouso Pós-Exercícios, com diferença estatística significante, seguida pelas atividades das regiões média e inferior, respectivamente; (3) a atividade da região inferior predominou nos movimentos de Propulsão Livre...

Eletromiografia do músculo masseter relacionada a medidas cefalométricas em indivíduos com maloclusão dental classe III de Angle; Masseter muscle electromyography correlated with cefalometric mesures in Angle's classe III dental malocclusion.

Gomes, Antonio Carlos Pereira
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 17/05/2006 PT
Relevância na Pesquisa
37.43%
Embriologicamente, o tecido ósseo surge posteriormente aos músculos. A musculatura temporomandibular e facial apresentam-se definidas quando da ossificação da face e crânio, com os ossos se desenvolvendo dentro de um envelope de músculo e fascia. Quando contrações ativas se iniciam em um músculo, ele passa a exercer contínuo efeito sobre os ossos aos quais pertencem sua origem e inserção. O tecido ósseo é tido como um dos mais plásticos e responde prontamente às forças e tensões geradas pelos músculos. Evidenciase que os músculos, desde a fase pré-natal, desempenham papel na conformação dos ossos, e continuam a direcionar o crescimento pelo efeito de suas funções. Oito pacientes (4? e 4?) com idade entre 7 e 12 anos, com maloclusão dental classe III de Angle, foram submetidos a registros eletromiográficos do músculo masseter, subdividido em três regiões: superior, média e inferior, empregando-se o eletromiógrafo K6-I/EMG Eight Channel Surface Electromyograph (Myo-tronics Co., Seatle, WA, EUA), em 17 condições clínicas, e à análise cefalométrica através do programa Radiocef (RadioMemory, Floresta, BH, Brasil), de 15 medidas angulares e lineares. Os dados obtidos foram submetidos ao teste de correlação de Spearman...

Estudo do número de contatos oclusais na posição de máxima intercuspidação, ao início do tratamento ortodôntico em pacientes com maloclusão classe I e classe II divisão 1 de Angle; Study of oclusal contacts in maximum intercuspidation before orthodontic treatment in subjects with Angle malocclusion Class I and Class II Division 1

Kanno, Gustavo Adolfo Watanabe
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 18/03/2009 PT
Relevância na Pesquisa
37.79%
O objetivo deste estudo foi definir e comparar os números e tipos de contatos oclusais em máxima intercuspidação. A pesquisa consistiu na análise clínica e fotográfica dos contatos oclusais em máxima intercuspidação, de 26 pacientes brasileiros, 20 do gênero masculino e 6 do gênero feminino, leucodermas, com idade média entre 12 e 18 anos, ao início do tratamento ortodôntico. Os pacientes foram diagnosticados e agrupados em 13 com maloclusão Classe I e 13 com maloclusão Classe II divisão 1ª, obedecendo aos seguintes critérios: Dentadura permanente de segundo molar esquerdo a segundo molar direito, tanto na maxila quanto na mandíbula, sem extrações dentárias, sem perda de material dentário por restaurações extensas, lesão cariosa, fraturas ou desgaste interproximal, sem tratamento ortodôntico prévio e desordem têmporo-mandibular. Após análise, os contatos oclusais foram classificados segundo os critérios estabelecidos como: tripodismo, bipodismo, monopodismo, cúspide a uma crista marginal, cúspide a duas cristas marginais, ponta de cúspide a plano inclinado oposto, superfície a superfície e topo a topo. O teste de Kolmogorov-Smirnov Z foi utilizado pra determinar normalidade e homogeneidade das variáveis e o teste t pareado para comparar as diferenças estatísticas das médias aritméticas dos contatos oclusais entre as maloclusões estudadas (p<.05). Os resultados obtidos permitiram concluir que o número médio de contatos oclusais por paciente na maloclusão Classe I foi de 43...

Interrelação entre o tempo de amamentação, introdução de hábitos bucais deletérios, cárie precoce e a ocorrência de maloclusão em crianças com deficiência e de crianças fenotipicamente normais: estudo comparativo

Frota, Fabíola Diogo de Siqueira
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 89 f. : il. + 1 CD-ROM
POR
Relevância na Pesquisa
37.43%
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Pós-graduação em Ciência Odontólogica - FOA; A criança portadora de necessidades especiais é aquela que apresenta desvios da normalidade de ordem física, mental, sensorial, comportamental ou de crescimento. A odontologia para o bebê se fundamentou em três princípios: educação, atenção precoce e determinação, reversão e controle dos fatores de risco, de forma a promover a saúde bucal. A atenção odontológica precoce para bebês portadores de necessidades especiais, se funde com a odontologia para bebês “normais”, pois não é o indivíduo e sim a condição de ser bebê é que deve ser considerada especial. O leite materno é considerado o melhor alimento para o recém-nascido, pois possui elementos essenciais ao crescimento físico, funcionamento imunológico e desenvolvimento psicológico das crianças, especialmente, ao longo do primeiro ano de vida, propiciando o desenvolvimento normal de todo o complexo craniofacial. O objetivo do presente estudo foi avaliar e relacionar o tempo de aleitamento materno com a introdução de hábitos bucais, cárie precoce e ocorrência de maloclusão em crianças de 1 a 4 anos de idade, de ambos os gêneros...

Alterações esqueleticas, dentarias e esteticas : estudo cefalometrico de maloclusão classe I de Angle com extraçõesde pre-molares

Mario Jorge SolanoMendoza
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 20/02/1998 PT
Relevância na Pesquisa
37.26%
No presente trabalho foi realizado um estudo cefalométrico, objetivando verificar eventuais alterações esqueléticas, dentárias e estéticas, utilizando medidas da análise cefalométrica de TweedMerrifield. Obtiveram-se as medidas das telerradiografias antes e após do tratamento ortodôntico, realizado com exodontia dos quatro primeiros prémolares, de 21 indivíduos brasileiros, leucodermas, na faixa etária entre 11 e 15 anos, sendo IOdo sexo feminino e 11 do sexo masculino, portadores de maloclusão Classe I de Angle. Os dados foram comparados e analisados estatisticamente mediante o teste t para dados pareados. Com base nos resultados obtidos observou-se que ocorreram alterações esqueléticas na maxila , mand~bula , altura facial posterior e altura facial anterior para ambos os sexos, contudo os valores médios obtidos foram maiores para o sexo masculino. Concluiu-se uma correlação positiva entre: altura facial posterior, altura facial anterior e comprimento da maxila e mandíbula, por outro lado a correlação do ângulo interincisivo com o ângulo IMP A foi altamente significativo, e os valores do ângulo Z aumentaram após o tratamento ortodôntico sem distinção de sexo.; In the present paper a cephalometric study was conducted morder to verify possible skeleton...

Avaliação cefalometrica do controle vertical em pacientes dolicofaciais com maloclusão de classes II : divisão 1 tratados segundo a terapia bioprogressiva; Cephalometric assessment of vertical control in dolicofacial patients with Class II : division 1 malocclusion, treated according to bioprogressive therapy

Viviane Santini Tamburus
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 02/04/2007 PT
Relevância na Pesquisa
37.43%
O presente estudo teve o objetivo de investigar o controle vertical do tratamento ortodôntico com AEB cervical, por meio de avaliação cefalométrica, em 26 pacientes dolicofaciais (13 do sexo feminino e 13 do masculino), com maloclusão de Classe II, divisão 1, idade média de 114 meses. O tratamento ortodôntico envolveu a utilização do AEB cervical no arco superior, com 350g de força, por 12-14 horas diárias e arco base no arco inferior até a obtenção da chave de oclusão normal dos molares, e depois foi complementado até a finalização dos casos, segundo a terapia bioprogressiva, com duração média de 56 meses. A avaliação consistiu na análise das seguintes grandezas, em dois momentos, inicial e final do tratamento ortodôntico, as quais foram submetidas à análise estatística pelo teste ?t? de Student: FMA, SN.GoGn, ANB, Fg-S, S-FPm, comprimento maxilar, comprimento mandibular, AFP, AFA, IAF,IMPA, ângulo do plano oclusal, ângulo do plano palatino, QT, LS e ângulo Z. Osresultados mostraram que o tratamento não modificou o padrão de crescimento,ocorrendo estabilidade do plano mandibular (alteração de -1,62º), plano oclusal (alteração de -0,008) e plano palatino (alteração de -0,59º). Ocorreu a correção ânteroposterior das bases apicais verificadas pela redução significativa da grandeza ANB (alteração de -2...

Analise eletromiografica dos musculos orbicularis oris superior e inferior em individuos portadores de maloclusão classe I submetidos a tratamento ortodontico

Roberto Duncan Sales
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em //1977 PT
Relevância na Pesquisa
37.43%
Foram estudados eletromiográficamente o comportamento dos músculos Orbicularis Oris superior e inferior em um grupo de dez indivíduos portadores de maloclusão classe I, apresentando apinhamento de incisivos em ambos: os arcos dentários e submetidos a tratamento ortodôntico. Dois registros eletromiográficos foram obtidos: o primeiro antes de iniciado o tratamento ortodôntico, e o segundo após o alinhamento dos incisivos. Para o exame eletromiográfico foram utilizados eletrodos de superfície do tipo beckman, inicialmente colocados sobre as regiões lateral superior e inferior e, posteriormente sobre as regiões medial superior e inferior. Solicitou-se a cada indivíduo examinado que executasse uma serie de nove movimentos alem da, posição de repouso. De posse dos dois registros eletromiográficos, e discutido os resultados, fomos conduzidos às seguintes conclusões: Existe diferença comportamental de atividade dos músculos Orbicularis Oris superior e inferior entre os indivíduos portadores de oclusão normal e aqueles portadores de maloclusão classe I; a atividade dos músculos Orbicularis Oris superior e inferior, para as regiões lateral e medial, diminui após o alinhamento dos incisivos superiores e inferiores, em repouso e nos demais movimentos estudados...

Estudo do espaço presente no segmento posterior do arco dentario inferior em individuos dotados de "oclusão normal" e portadores de maloclusão classe II divisão I de Angle

Roni Roland Belisario Modiano
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 11/03/1992 PT
Relevância na Pesquisa
37.63%
O autor analisou telerradiografias laterais de 80 indivíduos dotados de "oclusão normal" e 80 individuos portadores de maloclusão classe II divisão 1 Angle, Caucasóides, brasileiros, de ambos os sexos, com idade variando de 11 a 16 anos. Propôs estabelecer valores para o espaço presente no segmento posterior do arco dentário inferior, determinar os incrementos médios anuais para a "oclusão normal" e maloclusão classe II divisão 1, bem como comparar valores médios obtidos entre as duas amostras estudadas. Baseado nos resultados concluiu: 1) os indivíduos dotados de "oclusão normal" e portadores de maloclusão classe II divisão 1 evidenciaram crescimento no segmento posterior do arco dentário inferior no período de 11 a 16 anos; 2) a quantidade de crescimento que ocorreu no segmento posterior do arco dentário inferior foi 2,97mm para os indivíduos dotados de "oclusão normal" e 1,81mm para os portadores de maloclusão classe II divisão 1 de Angle, no período estudado ...Observação: O resumo, na íntegra poderá ser visualizado no texto completo da tese digital; The author analized lateral telerradiographies from 80 people with "normal occlusion" and 80 carriers of class II malocclusion division 1 of Angle, caucasians...

Prevalência de cárie, fratura dentária e maloclusão em crianças de 0 a 36 meses de idade de creches municipais da cidade de Joinville-SC

Schein, Patrícia Alessandra Limas
Fonte: Florianópolis, SC Publicador: Florianópolis, SC
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 76 f.| grafs., tabs., mapas
POR
Relevância na Pesquisa
37.43%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde. Programa de Pós-Graduação em Odontologia.; Neste estudo, foi avaliado a prevalência de cárie, fratura dentária e maloclusão em 357 crianças de 0 a 36 meses de idade, de ambos os sexos de creches municipais da cidade de Joinville-SC. A prevalência de cárie foi de 59,6% quando foi considerada lesão de mancha branca e 9,8% quando apenas lesões cavitadas foram consideradas, havendo diferença estatisticamente significante (p<0,05). O índices ceo-d e ceo-s foram de 2,5 e 2,8, respectivamente, quando todos os estágios da lesão estavam presentes. A prevalência de fratura dentária foi de 9,8% nas crianças de 0 a 36 meses, a fratura de esmalte foi o tipo de fratura mais observada. A prevalência de maloclusão foi de 49,5% e a mordida aberta anterior foi a mais prevalente, 38,6%.

Maloclusão Classe III de Angle: características e tratamentos, uma revisão de literatura

Freitas Kühlkamp, Lucas de
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: 178 f.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.43%
TCC (graduação) - Universidade Federal de Santa Catarina. Centro de Ciências da Saúde. Odontologia.; As más oclusões de Classe III são caracterizadas pelo posicionamento mais anterior da mandíbula em relação à maxila, sendo que a discrepância pode ser causada pela deficiência anterior da maxila, prognatismo mandibular excessivo ou a combinação de ambos. A maloclusão de Classe III, de origem essencialmente esquelética, produz uma acentuada deformidade facial. A Classe III pode ser interceptada durante a fase de crescimento e desenvolvimento craniofacial mediante o uso de aparelhos ortopédicos. O crescimento mandibular, predominantemente endocondral na cartilagem condilar, obedece essencialmente ao controle genético. Portanto, os efeitos dos aparelhos ortopédicos que visam restringir o crescimento da mandíbula mostram-se limitados, o que conduz ao pobre prognóstico de tratamento precoce da Classe III determinada pelo prognatismo mandibular. Felizmente, o componente esquelético maxilar responde melhor à aplicação de forças ortopédicas, já que o crescimento ósseo intramembranoso mostra-se mais susceptível a influências extrínsecas ou ambientais. Deste modo, a Classe III morfologicamente definida pelo retrognatismo maxilar...

Revisão dos protocolos de tratamento para a maloclusão de Classe II de Angle

Iannuzzi, Carla Caroline Pauletto
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: 80 f.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.7%
TCC (graduação) - Universidade Federal de Santa Catarina. Centro de Ciências da Saúde. Odontologia.; O objetivo desta revisão de literatura foi de apresentar os protocolos de tratamento para a maloclusão Classe II de Angle nas diferentes fases de crescimento. As maloclusões nas quais há uma relação posterior, da mandíbula em relação à maxila se enquadram na Classe II. A maloclusão classe II de Angle ocorre quando a cúspide mesial do primeiro molar superior permanente oclui mesialmente ao sulco mésio-vestibular do primeiro molar permanente inferior. Ela pode ser dentária, esquelética ou uma combinação de ambas. Na maioria dos casos encontra-se associada à retrusão mandibular. O momento ideal para o tratamento de crianças com Classe II permanece controverso. O protocolo de tratamento em uma fase consiste na realização do tratamento ortodôntico com aparelhagem fixa quando o paciente apresenta todos os dentes permanentes irrompidos na cavidade bucal. Quando o tratamento é realizado em duas fases, o início do tratamento ocorre durante a pré-adolescência e período intertransitório da dentadura mista com a utilização de aparelhos ortopédicos funcionais ou mecânicos e uma segunda fase na adolescência, após a erupção dos dentes permanentes...

Maloclusão Classe III de Angle: características e tratamentos, uma revisão de literatura

Kühlkamp, Lucas de Freitas
Fonte: Florianópolis Publicador: Florianópolis
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Relevância na Pesquisa
37.43%
TCC (graduação) - Universidade Federal de Santa Catarina, Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde, Curso de Odontologia.; As más oclusões de Classe III são caracterizadas pelo posicionamento mais anterior da mandíbula em relação à maxila, sendo que a discrepância pode ser causada pela deficiência anterior da maxila, prognatismo mandibular excessivo ou a combinação de ambos. A maloclusão de Classe III, de origem essencialmente esquelética, produz uma acentuada deformidade facial. A Classe III pode ser interceptada durante a fase de crescimento e desenvolvimento craniofacial mediante o uso de aparelhos ortopédicos. O crescimento mandibular, predominantemente endocondral na cartilagem condilar, obedece essencialmente ao controle genético. Portanto, os efeitos dos aparelhos ortopédicos que visam restringir o crescimento da mandíbula mostram-se limitados, o que conduz ao pobre prognóstico de tratamento precoce da Classe III determinada pelo prognatismo mandibular. Felizmente, o componente esquelético maxilar responde melhor à aplicação de forças ortopédicas, já que o crescimento ósseo intramembranoso mostra-se mais susceptível a influências extrínsecas ou ambientais. Deste modo...

Prevalência da maloclusão e necessidade de tratamento ortodôntico em escolares de 10 a 14 anos de idade em Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil: enfoque psicossocial

Marques,Leandro Silva; Barbosa,Cristiane Carvalho; Ramos-Jorge,Maria Letícia; Pordeus,Isabela Almeida; Paiva,Saul Martins
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2005 PT
Relevância na Pesquisa
37.26%
Os objetivos deste estudo transversal foram determinar a prevalência da maloclusão e verificar a associação entre necessidade normativa de tratamento ortodôntico e determinados aspectos psicossociais. A amostra (n = 333) foi representativa de todos os adolescentes de 10 a 14 anos de idade, residentes em Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil. A variável dependente "necessidade normativa de tratamento ortodôntico" foi avaliada por intermédio do Dental Aesthetic Index (DAI), e as variáveis independentes (gênero, idade, escolaridade da mãe, nível econômico, percepção dos pais quanto à estética bucal e necessidade de tratamento dos filhos e desejo de tratamento pelos adolescentes), mediante questionários. Foram realizadas análises descritiva, univariada e de regressão logística múltipla (Stepwise Forward Procedure), adotando-se o nível de significância p < 0,05. A prevalência de má-oclusão foi de 62,0% e a necessidade normativa de tratamento ortodôntico de 52,2%. Desejo de tratamento ortodôntico relatado pelo adolescente e percepção dos pais quanto à estética bucal do filho foram variáveis que apresentaram associação estatisticamente significativa com a necessidade normativa de tratamento ortodôntico. Os resultados sugerem que fatores psicossociais devem ser incorporados aos critérios clínicos considerando a decisão para o tratamento ortodôntico.

Prevalência de maloclusão e sua associação com alterações funcionais do sistema estomatognático entre escolares

Suliano,André Alencar; Rodrigues,Maria José; Caldas Júnior,Arnaldo de França; Fonte,Priscila Prosini da; Porto-Carreiro,Carolina da Fonte
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2007 PT
Relevância na Pesquisa
37.26%
Esta pesquisa objetivou estimar a prevalência de maloclusões entre escolares com 12 anos de idade do Município de Camaragibe, Pernambuco, Brasil. As maloclusões foram estratificadas em função do grau de severidade, analisando-se, ainda, a sua associação com as alterações das seguintes funções: fonoarticulação, respiração e deglutição. A oclusão foi avaliada por intermédio do Treatment Priotiy Index (TPI) e as referidas funções por meio de critérios utilizados na rotina clínica fonoaudiológica por um único examinador calibrado (valores de kappa variáveis entre 0,64 e 1,00). Os escolares foram selecionados randomicamente em 11 escolas públicas. Dos 173 sorteados, 82,1% apresentaram maloclusão (IC95%: 76,4-87,8), sendo 38,2% consideradas manifestações menores de maloclusões; 20,8% maloclusões definidas; 13,3% maloclusões severas; e 9,8% maloclusões muito severas. Conclui-se que há uma alta demanda reprimida por tratamentos ortodônticos e que quanto maior a severidade das maloclusões maior é a possibilidade de associação com alterações funcionais, fato que deve ser levado em consideração no planejamento de serviços públicos destinados aos referidos agravos.

Comparação da protração maxilar em pacientes portadores de maloclusão classe III após dois protocolos de expansão rápida da maxila

Vecchi, Ariadna
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Dissertação de Mestrado
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
37.26%
O propósito deste trabalho foi avaliar e comparar dois grupos de pacientes portadores de maloclusão Classe III submetidos a diferentes protocolos de expansão rápida da maxila seguidos de protração maxilar, utilizando aparelho Hyrax e máscara facial tipo Petit e elásticos calibrados em 500g de força para cada lado e orientados em 30° abaixo do plano oclusal, com uso diário de 14 horas. Dezoito indivíduos, entre 7 e 14 anos de idade, foram divididos em dois grupos. O Grupo 1 foi submetido ao protocolo de expansões e constrições alternadas da maxila, sugerido por Liou e Tsai (2005) por 7 semanas, seguido por 17 semanas de protração maxilar. O Grupo 2 foi submetido a ativação diária de 4/4 de volta durante 7 dias, seguido por 23 semanas de protração maxilar, totalizando assim, para ambos os grupos, 24 semanas de tratamento.Foram realizadas telerradiografias de perfil nos tempos: T1 (imediatamente antes do início do tratamento), T2 (após as 7 semanas de expansões e constrições alternadas da maxila para o Grupo 1 e após os sete dias de expansão rápida da maxila para o Grupo 2) e T3 (24 semanas após o início do tratamento). Para comparação entre os Grupos 1 e 2 foi utilizado o teste t-student. Para comparação dos tempos T1...

Comportamento da mandíbula decorrente do tratamento da maloclusão de classe II com aparelho extrabucal de tração cervical e tração combinada

Cardoso, Mauro Rogério Monteiro
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Dissertação de Mestrado
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
37.43%
O objetivo deste estudo foi avaliar e comparar os efeitos dos aparelhos extrabucais (AEB) de tração cervical e tração combinada sobre a mandíbula e a relação maxilo-mandibular. Para tanto, foram selecionados 62 pacientes tratados na Clínica de Ortodontia da Faculdade de Odontologia da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). Os pacientes foram, então, divididos em três grupos: o Grupo 1 foi formado por 22 pacientes portadores de maloclusão de Classe II, tratados com AEB de tração cervical; o Grupo 2 foi formado por 20 pacientes portadores da maloclusão de Classe II e tratados com AEB de tração combinada, sendo que ambos os grupos experimentais foram tratados até a obtenção de relação molar de Classe I; o Grupo 3 (controle) foi formado por 20 pacientes com relação molar de Classe I e tratados somente com pequenos procedimentos preventivos no arco inferior. Utilizaram-se as telerradiografias inicial (T1) e de reestudo (T2) de cada paciente, as quais foram traçadas e os pontos foram digitalizados para as análises. Para a análise estatística, foi utilizada análise de variância (ANOVA) complementada pelo teste de Tukey para a comparação inicial entre os grupos e para a comparação das diferenças médias entre T1 e T2 de todos os grupos. Para a comparação entre T1 e T2 de cada grupo...

Alterações dento-maxilares, em jovens com maloclusão de classe II, 1ª divisão dentaria, apos uso do AEB; Cephalometric evaluation of treatment effect in dental-maxillary changes by AEB use on class II, division 1, malocclusion

Ana Zilda Nazar Bergamo de Carvalho
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 09/05/2007 PT
Relevância na Pesquisa
37.43%
O presente estudo objetivou analisar a efetividade do aparelho extrabucal (AEB), por meio de avaliação cefalométrica, em 40 telerradiografias, obtidas em norma lateral, de jovens do sexo feminino, com média de idade 9,15 anos, em fase de dentição mista, com maloclusão de Classe II, 1ª divisão dentária, subdivididas em 20 ao início do tratamento e 20 ao final. Anteriormente ao tratamento, as jovens apresentaram um padrão dolicofacial de crescimento, equilíbrio entre a altura facial superior e inferior, com índice de altura facial suavemente aumentado. A maxila mostrava-se bem posicionada em relação à porção média da base do crânio, com sua dimensão ântero-posterior próximo à normalidade, apenas com leve desarmonia entre as bases apicais. O tratamento ortodôntico envolveu a utilização do AEB, tração alta, com 350g de força, de cada lado, de 14-18 horas diárias, durante 22,35 meses. Avaliaram-se os valores de: SN.GoGn, FMA, N-ENA, ENAMe, IAF, Fg-S, S-Fpm,, Fpm-ENA, SNA, SNB, ANB, Fpm-6, 1.NA, 1-NA, 1.PP. As radiografias, em sua totalidade, foram traçadas duas vezes pelo mesmo pesquisador, e empregou-se a fórmula de Dalhberg para verificar a ocorrência ou não de erro do método. Os resultados revelaram um erro casual menor que 1...

Estudo eletromiografico das regiões superior, media e inferior do musculo masseter em individuos portadores de maloclusão classe II de Angle

Evanisi Teresa Palomari-Tobo
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 22/11/1996 PT
Relevância na Pesquisa
37.26%
A ação do músculo masseter, em suas regiões superior, média e inferior, foi estudada através da Eletromiografia, sendo analisadas as diferenças de potencial gerados em diversos movimentos mandibulares pré-estabelecidos, em portadores de maloclusão Classe II de ANGLE. Para tal estudo, foram utilizados nove indivíduos jovens de ambos os sexos, com idades variando entre 17 e 35 anos, sem histórico de tratamento ortodôntico e/ou portadores de algum tipo de alteração da articulação temporomandibular (A. T .M.). Para a captação dos sinais eletromiográficos, foram utilizados eletrodos de superfície do tipo Beckman, e um eletromiógrafo TECA TE4 de duplo canal. Os dados obtidos foram submetidos à análise estatística não-paramétrica, empregando-se o teste de Friedman, sendo retirados, a partir de então, os resultados mais expressivos, considerando-se as atividades geradas pelo músculo massetei de ambos os lados. Observou-se uma expressiva atividade nos movimentos de lateralidade com contato oclusal esquerdo, propulsão livre, propulsão com contato oclusal, mastigação incisiva, mastigação molar direita e oclusão cêntrica forçada. Concluiu-se, portanto, que à medida que o balanço oclusal vai sendo alterado...

Estudo eletromiografico dos musculos orbicularis da boca, segmentos superior e inferior (região medial), em jovens com maloclusão classe I de Angle

Angela Sorgi Zilli
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 18/08/1994 PT
Relevância na Pesquisa
37.55%
A atividade dos músculos orbiculares superior e inferior da boca (região medial), foi estudada eletromiograficamente em jovens portadores de maloclusão Classe I de Angle, durante uma série de movimentos lábio-mandibulares. Utilizou-se eletrodos de superfície, onde os potenciais elétricos foram registrados em um eletromiógrafo TECA, modelo TE-4 de duplo canal e em outro eletromiógrafo NICOLET VIKING II de oito canais. Os resultados mostraram que:l) existe diferença no funcionamento dos músculos orbiculares superior e inferior da boca entre indivíduos com maloclusão Classe I e aqueles com oclusão clinicamente normal; 2) os indivíduos com maloclusão Classe I apresentaram contração mais acentuada do músculo orbicular inferior em relação ao superior; 3) os movimentos de abertura-máxima da boca e sorrir espontaneamente foram os que apresentaram diferença altamente significativa quando comparados à posição de repouso;4) os músculos orbiculares suçerior e inferior da boca funcionam independentemente durante os movimentos lábio-mandibulares; The muscular activity of orbicularis oris muscles (middle region) was studied electromyographically in normal occlusion; 2- the activity of inferior oris muscle was more accentuated than the superior in Class I malocclusion; 3- maximum mouth opening and smile youngsters with Class I malocclusion during mandibular movements. Action potentials were recorded and analysed with a TECA electromyograph TE-4 and another NICOLET VIKING II...