Página 1 dos resultados de 631 itens digitais encontrados em 0.002 segundos

Dimensões da loucura nas obras de Miguel de Cervantes e Lima Barreto: Don Quijote de la Mancha e Triste fim de Policarpo Quaresma; Dimensions of madness in the works of Miguel de Cervantes and Lima Barreto: Don Quijote de la Mancha and Triste fim de Policarpo Quaresma

Cruz, Ana Aparecida Teixeira da
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 18/12/2009 PT
Relevância na Pesquisa
37.28%
Este trabalho tem como ponto de partida as relações entre os protagonistas do Quixote, do escritor espanhol Miguel de Cervantes, e Triste fim de Policarpo Quaresma do romancista carioca Lima Barreto observadas pela fortuna crítica barretiana. De acordo com esses estudos, Policarpo Quaresma seria um Dom Quixote brasileiro, por apresentar uma série de traços quixotescos. A partir dessa consideração, o objetivo desta dissertação é o de realizar um estudo comparativo entre o Cavaleiro da Triste Figura e o Major Quaresma, de modo a buscar, mais do que as semelhanças, as diferenças que delineiam suas singularidades. Para efetuar tal comparação, escolheu-se como parâmetro de análise a temática da loucura. Sendo assim, o exame das duas obras tem como preocupação central o modo como Cervantes e Lima Barreto se apropriam do referido tema na construção de suas respectivas personagens.; This work presents as its starting point the relations between the main characters of Don Quijote de la Mancha (Don Quixote), by the Spanish writer Miguel de Cervantes, and of Triste Fim de Policarpo Quaresma (Tragic Death of Policarpo Quaresma), by the Brazilian writer Lima Barreto, noted by the critics of Barreto´s book. According to them...

22 Dezembro 1938 - Arthur Bispo do Rosário: um estudo antropológico sobre arte e loucura; December 22, 1938: arthur Bispo do Rosário: an anthropological study of art and madness

Franco, Stéfanie Gil
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 05/09/2011 PT
Relevância na Pesquisa
37.47%
Esta pesquisa busca, a partir de uma série de controvérsias, descrever como se constitui a relação entre arte e loucura tendo o caso de Arthur Bispo do Rosário como meio reflexivo. Em suma, trata-se de uma série de enunciados que vão se constituindo no entendimento da expressão artística dos loucos; e de como certas variâncias possibilitam pensar Arthur Bispo do Rosário como um artista contemporâneo. Considerando que só temos arte na loucura a partir das preocupações da psicologia em desvendar a universalidade da mente humana, vemos surgir um movimento que busca diferenciar a arte dos normais da expressão dos primitivos e insanos. Com a ascendência da arte contemporânea e das novas fronteiras entre o saber artístico e o saber psicológico, um novo debate se abre pensando a arte não mais como uma expressão universal e inerente ao homem, mas como uma linguagem possível em todos os homens e não intrínseco a ele. Com isso, as obras de Bispo do Rosário por sua linguagem se tornam um dos principais objetos de dissociação da estreita relação entre arte moderna, psicanálise e loucura no Brasil. Propus pensar na Missão de Bispo do Rosário como um discurso potente, que culminou em três caminhos paralelos: o primeiro...

Encontro com o povo Sateré-Mawé para um diálogo intercultural sobre a loucura; The meeting with the Sateré-Mawé for Intercultural dialogue about madness

José, Ermelinda do Nascimento Salem
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 20/12/2010 PT
Relevância na Pesquisa
37.58%
Esta pesquisa originou-se do encontro com o Povo Sateré-Mawé da Área Indígena do Marau e de um diálogo que iniciamos com os professores dessa etnia, que visitaram as pessoas internas no Centro Psiquiátrico Eduardo Ribeiro (CPER), em Manaus/AM, junto às quais desenvolvemos um trabalho de extensão da Universidade Federal do Amazonas. Indagados sobre a loucura no contexto em que vivem, eles negaram sua existência. Decidimos registrar e ampliar, para outros Sateré-Mawé, o diálogo que havíamos iniciado com os professores. Tendo em vista os múltiplos sentidos com que a loucura é evocada na tradição cultural ocidental, definimos a mesma como a manifestação de experiências nomeadas, em um ponto de vista da prática clínica médico-psicológica, como alucinações, delírios, quadros de agitação psicomotora (muitas vezes acompanhados de atitudes agressivas sem um sentido aparente), e/ou outras, em que a pessoa parece ter perdido o contato com a realidade consensual - como se a sua mente estivesse sofrendo um mau funcionamento massivo. A definição proposta não foi atrelada à noção de doença ou anormalidade, mas delimitada à noção mais geral de sofrimento, infortúnio, aflição, mal-estar. Embora os professores Sateré- Mawé tenham negado a loucura em sua sociedade...

A recusa da experiencia da loucura como razão de duvidar no projeto cartesiano de critica do conhecimento; The refusal of the experience of madness as reason to doubt in the cartesian project of critical of the knowledge

Regis Cardoso
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 23/09/2009 PT
Relevância na Pesquisa
37.62%
Este trabalho tem por objetivos: A) tentar entender os motivos da recusa cartesiana da experiência da loucura, no plano de sua crítica ao conhecimento na Primeira Meditação. B) verificar se não inserida numa perspectiva cartesiana, a adesão à loucura como experiência cética, poderia ser sustentada. C) analisar criticamente as interpretações que Foucault e Derrida realizam sobre a recusa cartesiana da loucura por um lado, e a admissão da experiência dos sonhos por outro. Quanto ao primeiro objetivo, foi verificado que a adesão à experiência da loucura travaria todo o empenho filosófico cartesiano. Quanto ao segundo objetivo, a partir da análise de um recente artigo intitulado "O argumento da loucura", verificou-se que a loucura pode sim ser sustentada como artifício cético. Finalmente, concluímos que há, tanto em Foucault, quanto em Derrida inexatidões interpretativas no tocante às suas análises sobre a recusa da loucura por Descartes; This work has for objectives: A) try understand the reasons of the Cartesian refusal of the experience of madness in the plan of its critical one to the knowledge in the First Meditation. B) verify if not inserted in a cartesian perspective, the adhesion to madness as skeptical experience...

A representação do louco e da loucura nas imagens de quatro fotógrafos brasileiros do Sec. XX : Alice Brill, Leonid Streliaev, Cláudio Edinger, Cláudia Martins; The representation of the insane and madness in the images of four twentieth century brazilian photographers : Alice Brill, Leonid Streliaev, Cláudio Edinger, Cláudia Martins

Tatiana Fecchio da Cunha Gonçalves
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 26/01/2010 PT
Relevância na Pesquisa
37.47%
Esta tese discute a forma com a qual a representação do “louco” e da loucura foi construída nas imagens de quatro fotógrafos que realizaram ensaios fotográficos em Hospitais Psiquiátricos brasileiros no século XX – Alice Brill (1950), Leonid Streliaev (1971), Claudio Edinger (1989-90) e Claudia Martins (1997) – com o objetivo de explicitar a concepção de loucura subjacente às imagens, bem como pontuar elementos naturalizados nestas construções. Partindo da análise de conteúdo e iconográfica, da pesquisa sobre a tradição de representação do “louco” e da loucura na produção cultural imagética do ocidente, do estudo das implicações que a técnica fotográfica por si suscita, da análise história de veiculação e recepção das imagens, bem como de seus contextos culturais de produção; foi possível pontuar conceitos e pressupostos subjacentes à construção formal da representação do “louco” e da loucura nas imagens de cada um dos fotógrafos estudados. Este estudo permitiu identificar que elementos tradicionais de representação foram acessados pelos fotógrafos estudados, num movimento de perpetuação de formas tipificadas de compreender o diverso. Por outro lado, foi possível verificar que novos elementos compositivos surgiram relacionados com contextos específicos. Assim...

A referência à loucura na primeira meditação cartesiana à luz da polêmica entre Foucault e Derrida; The madness reference in the first cartesian meditation, in the light of the controversy between Foucault and Derrida

Dante Andrade Santos
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 10/06/2015 PT
Relevância na Pesquisa
37.68%
Na Primeira Meditação, antes de introduzir o argumento do sonho, Descartes faz alusão à loucura. Ele evoca a hipótese da loucura, mas parece rejeitá-la logo em seguida. Por que Descartes introduziria uma hipótese para rejeitá-la de imediato? Antes de evocar a experiência onírica, Descartes poderia ou deveria ter desenvolvido um argumento da loucura para colocar em dúvida o estatuto da realidade? Considerando que a experiência da loucura, tanto quanto a do sonho, é capaz de sugerir a possibilidade do sujeito fabricar dados sensíveis, ela não seria um bom argumento para problematizar o estatuto da realidade exterior? Por que, afinal, Descartes opta apenas pelo argumento do sonho? Entre os intérpretes essa passagem gera controvérsias: Michel Foucault e Jacques Derrida protagonizam uma importante discussão sobre o assunto. O primeiro, em História da Loucura, critica o tratamento concedido à loucura na Primeira Meditação por considerar que Descartes a exclui da ordem do saber. O segundo, por sua vez, em A escritura e a Diferença, argumenta que o texto cartesiano fora mal interpretado por Foucault, pois a relação que a hipótese da loucura mantém com o sonho não implicaria exclusão alguma. À luz desse debate...

Os sons do silêncio: o louco e a loucura em Goiás; The sounds of silence: the mad and the madness In Goiás

PAULA, Eder Mendes de
Fonte: Universidade Federal de Goiás; BR; UFG; Mestrado em História; Ciências Humanas Publicador: Universidade Federal de Goiás; BR; UFG; Mestrado em História; Ciências Humanas
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.28%
The Teacher Adauto Botelho, Psychiatric hospital, was constructed in Goiânia in 1954. After its opening a new category becomes part of Goiás society and help in identifying the normal behavior. The mad in Goiás were used during the process of modernization experienced from 1930, consolidated after two decades. However, the connexion between the madman, the madness and normality happens in a conflictual and violent form in different historical contexts, in this dissertation, the focus will be in the period of military dictatorship. It is through the footprints of a Polish, Pawel Gutko and your involvements with the ex- governator Mauro Borges, that we trying analysing the representations about the madman and madness in Goiás through the micro-history. After his prison, torture and hospitalization during 1964, when the servicemen get the power in Brazil, conjecture about the several contexts that are formed with the past, the construction of patterns of behaviors considered normal and abnormal.; O Hospital Psiquiátrico Profº. Adauto Botelho foi construído em Goiânia no ano de 1954. Após a sua inauguração uma categoria passa a fazer parte da sociedade goiana e auxiliar no processo de definição do comportamento normal. Os loucos em Goiás foram utilizados durante o processo de modernização vivenciado a partir dos anos de 1930 e consolidados duas décadas depois. No entanto...

Disciplining Madness, Disciplining Yoga

Eaton, Mark
Fonte: Quens University Publicador: Quens University
Tipo: Project
EN
Relevância na Pesquisa
37.47%
This paper will examine contemporary North American yoga, specifically the Sivananda Yoga Vedanta Center in Toronto, using theoretical frameworks taken from the work of Michel Foucault. Drawing on his work in Discipline and Punish, it will look at yoga as a modern “carceral” institution. Using Foucault’s analysis in Madness and Civilizaition, this paper will explore how yoga intersects, is some ways, with madness. The underlying argument is that yoga and madness, as discourses, are both based upon institutional disciplining of pre-discursive experiences. This paper contends that the pre-discursive “sources” of experience should not be seen as unified points of origin, but as an underlying “difference”, or capacity to be otherwise. This “difference” points to multiple, undifferentiated, mutual sources of yoga and madness.

Unchained Minds: Self-Accounts of Madness

Alcock, Jessica
Fonte: Brock University Publicador: Brock University
Tipo: Electronic Thesis or Dissertation
ENG
Relevância na Pesquisa
37.58%
This thesis explores the connection between the historical and social construction of madness in relation to how society currently views madness and schizophrenia. The anti-psychiatry movement has been outlined using the work of anti-psychiatrists David Cooper, R. D. Laing and Franco Basaglia. Foucault’s work regarding madness and the asylum is also reviewed to give an overarching analysis of madness, including analysis of its creation. With the help of Basaglia, madness as class warfare and social disease are explored. By connecting this analysis to the medicalization of schizophrenia and the use of counter-narratives, this thesis uses the work of Deleuze and Guattari to illustrate how mental illness can be redefined through deterritorialization, reterritorialization and lines of flight. Specifically, this thesis uses a Foucauldian textual analysis to examine self-narratives of schizophrenia including, the films A Beautiful Mind and The Best of Youth, and the books Two Accounts of a Journey Through Madness, The Center Cannot Hold and Living With Voices. These self-narratives illustrate the importance of considering an individual’s voice when determining treatment options for mental illness. Overall, a shift in thinking is needed. The findings suggest self-help groups are not enough on their own and should be combined with medical intervention. Self-narratives are an important step in the recovery process as it allows one to come to terms with their voice hearing experiences. As well...

A produção e a recepção dos escritos de Qorpo-Santo: apontando transformações nas relações entre arte e loucura; Production and reception of Qorpo-Santo's writings: indicating changes in the relationships between art and madness; La producción y la recepción en los escritos de Qorpo-Santo: apuntando transformaciones de las relaciones entre arte y locura

LIMA, Elizabeth Maria Freire de Araújo
Fonte: Revista Interface - Comunicação, Saúde, Educação Publicador: Revista Interface - Comunicação, Saúde, Educação
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
37.12%
José Joaquim de Campos Leão de Qorpo-Santo escreveu e imprimiu sua Ensiqlopédia ou Seis mezes de huma enfermidade entre as décadas de 1860 e 1870 e foi redescoberto nos anos sessenta do século XX. A recepção de seus escritos nos meios artísticos e intelectuais e a crítica a eles dedicada se transformou no decorrer de mais de um século. A cada vez que Qorpo-Santo fez aparições no universo cultural brasileiro, podemos perceber novas configurações nas relações entre arte, clínica, loucura, precariedade, inacabamento. Acompanharemos neste artigo a luta de Qorpo-Santo para inscrever sua criação nos circuitos da cultura, publicá-la, enviá-la à posteridade e buscar seus interlocutores, bem como a trajetória de sua obra, do momento de sua produção até chegar ao seu destino, o leitor.; José Joaquim de Campos Leão de Qorpo-Santo wrote and printed his Ensiqlopédia or Seis mezes de huma enfermidade (Encyclopedia or Six months of a disease) between the 1860s and 1870s and was rediscovered in the 1960s. The reception of his writings in artistic and intellectual circles and the critique they received was transformed over the course of more than a century. Every time that Qorpo-Santo makes an appearance in Brazil's cultural world...

Literatura e loucura : a transcendência pela palavra; Literature and madness, the transcendence by word

Celia Musilli
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 26/02/2014 PT
Relevância na Pesquisa
37.39%
O objetivo da dissertação é analisar os livros Hospício é Deus - Diário I e O Sofredor do Ver de Maura Lopes Cançado, escritora considerada esquizofrênica, fazendo uma relação entre literatura e loucura, com ênfase na linguagem utilizada. Em Hospício é Deus, ela utiliza a escrita como forma de organizar sua experiência no manicômio, dando voz à sua angústia não só como indivíduo, mas também como testemunha dos dramas coletivos. O livro é um relato realista, considerado um documento importante sobre a vida manicomial no Brasil nos 1950, período em que Maura passou por vários internamentos. Seu maior mérito é a dar voz aos loucos, legitimando um discurso de pessoas quase sempre excluídas do processo social e cultural. Na análise deste livro são abordados alguns eixos temáticos como Deus, loucura, culpa, sexo e afetividade, além da relação entre "olho e o olhar" bastante recorrente na obra de Maura, sob o ponto de vista da vigilância no hospício e sua observação atenta da realidade transformada em literatura. O Sofredor do Ver é uma obra ficcional pouco estudada. Traz doze contos nos quais a loucura e o delírio são temas que aparecem de forma objetiva ou subjetiva, demandando uma análise da linguagem a partir...

Acerca de la experiencia del sinsentido en la locura y la normalidad; About the nonsense experience in madness and normality

Briones, José Cortés
Fonte: UNIV LOS LAGOS, DEPT HUMANIDADES ARTE Publicador: UNIV LOS LAGOS, DEPT HUMANIDADES ARTE
Tipo: Artículo de revista
ES
Relevância na Pesquisa
37.28%
Psychosis is a disconcerting disorder that gathers a variety of different symptoms. Despite its strange manifestations, in many important aspects such as language and religion, madness seems to be deeply related to normality. From this point of view, the philosophical study of this condition Could be useful to clarify some dark zones of normal human experience. The following article is a reflection about madness, language and nonsense, using some of Wittgenstein's concepts as a focal point for the discussion.

Alguns conceitos de loucura entre a psiquiatria e a saúde mental: diálogos entre os opostos; Some concepts of madness between traditional Psychiatry and Mental Health: dialogues among the opposites?; Certains concepts de folie entre la Psychiatrie e la Santé Mentale: dialogues entre les opposés?

Costa Júnior, Francisco da; Medeiros, Marcelo
Fonte: Universidade de São Paulo. Instituto de Psicologia Publicador: Universidade de São Paulo. Instituto de Psicologia
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/03/2007 POR
Relevância na Pesquisa
37.65%
This article presents part of the results of a bibliographical research on conceptions of madness in Psychiatry and in Mental Health. Publications in the LILACS database between 1999 and 2004 have been analyzed. The amplest research was conducted by thematic areas and, in the present article we have concentrated on two of them: publications that confi rm conceptions of madness as medical illnesses; and publications that defi ne madness by explicitly rejecting the psychiatric conception of madness, discussing madness with other conceptions which maintain a dialogue with the percipient objects (diagnostic descriptions) which Psychiatry has conceived throughout its history. These more recent conceptualizations, which are sometimes called alternative, but are in fact previous to the current conceptions of madness in Psychiatry (by considering it a genetic disorder, for instance), pointing to theoretical constructs that confirm a conception of mind, of the psychological, from a more individualized perspective to something resulting from social inter-relations. Finally, we discuss how these conceptions of madness are related to world conceptions (and, consequently, conceptions of the human being) that are distinct and even exclude each other...

MADNESS AND METHOD: THE SYSTEM OF DOCTOR TARR AND PROFESSOR FETHER; Loucura e método: O Sistema do Doutor Pixe e do Professor Penna

Santos, Luciane Alves; Gabriel, Maria Alice Ribeiro
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Avaliado pelos pares Formato: application/pdf
Publicado em 12/12/2014 POR
Relevância na Pesquisa
37.28%
The present study aims to discuss the theme of madness, comparing the narrator’s perspective in “The System of Doctor Tarr and Professor Fether” (1845) and another short stories by Edgar Allan Poe. The analysis illustrates that science in the 19th century aims to remove the fear of the unknown, dominating the natural world and its laws; and that fiction, the presumptive opposite, represents an extension of the same logic under another name. Some writers denied any obligation of loyalty to scientific rationalism and tried to decipher this problem through the dream and the supernatural. Fantastic works of Gothic fiction – Hoffmann’s novels and some of Poe’s stories – illuminate these points. Poe reinterprets the Gothic in the Victorian Age, with an unnamed and often unreliable narrator that insists on his rationality. The comic and grotesque horror result of the psychology of his characters often descended into madness. ; O presente estudo pretende discutir o tema da loucura, comparando a perspectiva do narrador em “O Sistema do Doutor Pixe e do Professor Penna” (1845) e outros contos de Edgar Allan Poe. A análise ilustra que a ciência, no século XIX, pretende remover o medo do desconhecido, dominando o mundo natural e suas leis; e que a ficção...

A concepção de loucura e do seu tratamento entre os trabalhadores de saúde mental de uma instituição prestadora de serviço em nível secundário de atenção;;; La concepción de locura y de su tratamiento, en los trabajadores de salud mental de una institución; The conception of madness and its treatment to mental health workers from a second level service institution

Pugin, Valéria Mastrange; Barbério, Yolanda C.; Filizola, Carmem Lúcia Alves
Fonte: Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto Publicador: Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 01/05/1997 POR
Relevância na Pesquisa
37.39%
O presente trabalho tem como objetivo analisar as concepções de loucura e do seu tratamento entre os trabalhadores de saúde mental de uma instituição prestadora de serviço em nível secundário de atenção e a visão destes sobre o tratamento oferecido pela instituição. A pesquisa empírica foi realizada através de entrevistas semi-estruturadas com trabalhadores da equipe de saúde mental. Através da análise dos discursos foram observadas diversas formas de conceber a loucura sendo divididas em dois grupos: um que reproduz o saber científico (ligadas as diversas correntes de pensamento da área) e outro que reproduz o saber advindo da prática. Este último apresenta uma visão social da loucura uma vez que ela é vista como produto das desigualdades sociais. Encontramos também a visão de periculosidade do doente mental em três categorias entrevistadas.; El presente trabajo tuvo por objetivo analizar las concepciones de la locura y su tratamiento, considerando los trabajadores de la salud mental que se desempeñan en una institución prestadora de servicios a nivel secundario, y la visión de éstos sobre el tratamiento que les es dado por la propia institución. La investigación empírica fue realizada a través de entrevistas semi-estructuradas...

O alienista: loucura, poder e ciência; The Alienist: madness, power and science

Gomes, Roberto
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/12/1993 POR
Relevância na Pesquisa
37.47%
Este artigo analisa o conto de Machado de Assis, O Alienista. Ficção centrada nos delírios de Simão Bacamarte, médico-psiquiatra, nela estão referidas as pretensões e impasses das concepções científicas do século XIX, em particular do Positivismo, que tem vínculos profundos com o nascimento das Ciências Humanas. De um lado, a sede de explicação rigorosa do seu objeto, no caso, a Loucura e, de outro, o direito que se arroga de dizer a verdade a respeito da Loucura e do Louco e de agir sobre ele com plenos e legítimos direitos. A obra de Machado denuncia o vínculo entre ciência e poder bem como a ursurpação, pelo homem de ciência, do direito que cada um tem de dizer a sua própria verdade. O que conduz à ironia final: parece haver mais loucura na pretensão de estabelecer com nitidez a linha divisória entre Razão e Loucura do que em perder-se entre seus supostos limites.; This article analyzes Machado de Assis short story The Alienist. Centered on the delusions of Simão Bacamarte, a psysician and psychiatrist, in this fiction are reflected the impasses and intentions of the scientific conceptions of the nineteenth century, particularly of the Positivism which has profound links with the birth of the Humanities. On the on hand...

Exploring the forces of writing in madness event; Explorando as forças da escrita no acontecimento loucura

Jaeger, Regina Longaray; Universidade Federal do Rio Grande do Sul; Fonseca, Tania Galli; Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Fonte: Eduff Publicador: Eduff
Tipo: ; ; ; Avaliado por pares; Formato: application/pdf
Publicado em 30/04/2013 PT
Relevância na Pesquisa
37.28%
This paper we present the analysis of the researcher’s encounters with the writings of a woman hospitalized in the psychiatric hospital. We set a cut of the cartographic agencement madness to see the bodies that express the event writing. Writing, in the perspective of the multiplicity, expressed events, the remaining states of things that constitute the body of the writer. We understand that writing is incarnated in some streams that make up your body, is the effect of encounters with the elements of the world, which constitute the agencement where madness / mental illness. We explore the forces that operate in the words, and the ways that the writer minor language, dodging the ruling stated. In some writings highlight the three conditions for the minor literature and language change: collective, deterritorialized, politics.; Neste estudo, apresentamos as análises dos encontros da pesquisadora com os escritos de uma mulher internada em um hospital psiquiátrico.  Traçamos um recorte cartográfico do agenciamento loucura para perceber os corpos nos quais se expressa o acontecimento escrever. Entendemos que a escrita se encarna em certos fluxos que compõem seu corpo; é efeito dos encontros com os elementos do mundo, que constituem o agenciamento loucura/doença mental. Exploramos as forças que se operam nas palavras e os modos que a escritora minora a língua Em alguns escritos destacamos as três condições relativas à literatura menor e da variação da língua: coletiva...

Loucura e cidade: cenas biopolíticas e incursões (des) institucionalizantes; Madness and city: bipolitics scenes and (dis) institutionalizing incursions

Amorim, Ana Karenina Arraes; Universidade Federal do Rio Grande do Norte; Dimenstein, Magda; Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Fonte: Eduff Publicador: Eduff
Tipo: Avaliado por Pares; ; Formato: application/pdf; application/pdf
Publicado em 16/09/2009 PT
Relevância na Pesquisa
37.28%
Neste artigo, partimos do pressuposto de que a relação loucura-cidade serve como analisador do processo de desinstitucionalização em saúde mental e procuramos indicar os eixos disciplinares e biopolíticos em operação nesse campo. Para tanto, analisamos algumas cenas urbanas e certos acontecimentos que acompanhamos numa pesquisa acerca das práticas de cuidado no âmbito de um Serviço Residencial Terapêutico (SRT). E, com base no reconhecimento dos modos de operação do biopoder na relação loucura-cidade, procuramos argumentar que as formas de resistência aos manicômios biopoliticamente configurados na contemporaneidade devem operar macro e micropoliticamente por meio de "lutas em rede".; On this article, we start from the assumption that the relation town-madness serves as an analyzer of the deinstitutionalization process in mental health and we seek to indicate the disciplinary and biopolitical borders in operation in this field. For such, we analyze some urban scenes and certain events which we follow in a research about the care practices within a Therapeutic Residential Services (TRS). And, based on the recognition of biopower operation modes in the relation town-madness, we are willing to argue that the resistance forms of biopolitically configured asylums in contemporary should operate macro and micro politically through "struggles in network".

The “secret foundation” of Psychiatry: considerations on the Foucauldian analysis of the history of madness; A "secreta fundação" da Psiquiatria: considerações sobre a análise foucaultiana da história da loucura

B. Calomeni, Tereza Cristina; Universidade Federal Fluminense - Departamento de Filosofia
Fonte: Eduff Publicador: Eduff
Tipo: ; ; ; Avaliado por pares; Formato: application/pdf
Publicado em 01/05/2010 PT
Relevância na Pesquisa
37.47%
The article that is now presented reflects upon the History of madness, text that begins from Michel Foucault's historical-archaeological analyses. Starting from a temporal writing which includes the period comprised between the Renaissance and Modernity, Foucault scrutinizes the distinct forms of the social perception of the mad person up to the institution of madness as a mental disease. An "archaeology of silence" to which madness is submitted, not a history of psychiatry, Foucault's text questions about the historical conditions that favour the occurrence of psychiatry as a scientific discours about madness and the institution of the asylum as a place for the treatment of mad person.; O artigo que ora se apresenta reflete sobre a História da loucura, texto que dá início às análises histórico-arqueológicas de Michel Foucault. A partir de um recorte temporal, que abrange o período compreendido entre a Renascença e a Modernidade, Foucault examina as distintas formas de percepção do louco até a instituição da loucura como doença mental. Uma "arqueologia do silêncio" à que se submete a loucura, não uma história da psquiatria, o texto foucaultiano indaga sobre as condições históricas que favorecem o surgimento da psiquiatria como discurso científico sobre a loucura e a instituição do asilo como lugar de tratamento do louco.

Fora de cena: a loucura, o obsceno e o senso comum; Offstage: madness, the obscene, and common sense; Fuera de escena: la locura, lo obsceno y el sentido común

Martínez-Hernáez, Angel; Universitat Rovira i Virgili, Tarragona
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 12/12/2012 POR
Relevância na Pesquisa
37.47%
http://dx.doi.org/10.5007/1807-1384.2012v9n2p01Na história europeia, a loucura está associada com dois estados: o movimento e o confinamento. Estes estados aparentemente contraditórios convergem em um estado obsceno, no sentido etimológico da palavra: fora de cena. Neste artigo, baseado em dados etnográficos na rede de saúde mental de Barcelona, argumenta-se que o "estar obs-ceno" se produz quando a loucura desafia os processos sociais hegemônicos de persuasão que induzem a aceitar padrões de comportamento considerados adequados e a identificação dos pacientes com os interesses dos terapeutas. A loucura não desafia a razão, como normalmente se diz, senão o senso comum entendido como um sistema cultural. A natureza refratária da loucura conduz a uma gestão estigmatizante nos sistemas especialistas que procuram incorporar a experiência dos sujeitos afligidos em categorias nosológicas previsíveis.; Throughout European history, madness has been associated with two states: movement and confinement. These apparently contradictory states converge in an obscene state, in the etymological sense of the word: offstage. In this article, based on data from ethnographic work in the Barcelona mental health care network, it is argued that "being ob-scene" results when madness challenges hegemonic social processes of inculcation and persuasion that induce acceptance of behavioral patterns considered appropriate...