Página 1 dos resultados de 7218 itens digitais encontrados em 0.011 segundos

Vinculação e estratégias de coping em mães de crianças prematuras

Bernardo, Marina Alexandra Rodrigues
Fonte: [s.n.] Publicador: [s.n.]
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
37.02%
Dissertação apresentada à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para a obtenção do grau de Mestre em Psicologia, especialização em Psicologia Clínica e da Saúde; O presente estudo teve como objetivos caracterizar sócio-demograficamente a amostra de mães de crianças prematuras e obter dados clínicos em relação ao nascimento das crianças, explorar os estilos de vinculação e as estratégias de coping em mães de crianças prematuras em comparação com mães de crianças de termo, e ainda, verificar, dentro das estratégias de coping, quais as mais usadas para cada estilo de vinculação para das duas amostras. Para tal desenvolveu-se um estudo de carácter transversal com duas amostras, uma de 45 mães de crianças prematuras e outra de 45 mães de crianças de termo, ou seja, o grupo de controlo. Os dados relativos à amostra de crianças prematuras foram recolhidos no Departamento de Pedopsiquiatria e Saúde Mental da Infância e da Adolescência do Centro Hospitalar do Porto enquanto que os dados das mães de crianças de termo foram recolhidos no Agrupamento de Escolas de S. João da Madeira. Todas as participantes responderam a um Questionário sócio-demográfico e clínico desenvolvido para o efeito...

Escola de Mães

Bernardo, Ana Carolina Couto
Fonte: [s.n.] Publicador: [s.n.]
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
36.99%
Dissertação apresentada à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para obtenção do grau de Mestre em Ciências da Educação: Educação Especial, área de especialização em Domínio da Intervenção Precoce na Infância; Este estudo centra-se na implementação de uma Escola de Mães, programa de educação parental realizado em seis sessões na freguesia de Calhetas, ilha de S. Miguel, e na avaliação comparativa, anterior e posterior ao programa, das três mães participantes no que se refere ao aumento de competências parentais vigentes na relação com os filhos e no aumento da sua autoestima, além da pertinência desta Escola de Mães como uma mais-valia para as mesmas. As participantes são mães de crianças consideradas em risco grave no desenvolvimento, apoiadas ou não pela Intervenção Precoce, com idades inferiores a seis anos, de um meio sociocultural carenciado. Foi possível verificar que a participação na Escola de Mães foi uma mais-valia, sendo notória a necessidade que as mães manifestaram em aprender e atualizar os seus conhecimentos e nas alterações de comportamento e atitudes perante as interações, comunicação e na promoção emocional dos filhos, competências parentais estas que surgem como consequência da reflexividade promovida durante as sessões do programa. Assim...

Insatisfação corporal, prática de dietas e comportamentos de risco para transtornos alimentares em mães residentes em Santos; Body dissatisfaction, dieting and risk behaviors for eating disorders among mothers living in Santos

Scagliusi, Fernanda Baeza; Pereira, Patrícia da Rocha; Stelmo, Isis de Carvalho; Unsain, Ramiro Fernandez; Martins, Paula Andrea; Sato, Priscila de Morais
Fonte: Instituto de Psiquiatria da Universidade Federal do Rio de Janeiro Publicador: Instituto de Psiquiatria da Universidade Federal do Rio de Janeiro
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
36.97%
OBJETIVO: Avaliar a insatisfação corporal, a prática de dietas e os comportamentos de risco para transtornos alimentares em uma amostra de mães residentes no município de Santos. MÉTODOS: Foi realizado um estudo transversal, de base populacional, com 453 mães de filhos com até 10 anos de idade. As mães responderam ao Teste de Atitudes Alimentares (EAT-26), à Escala de Figuras de Stunkard e a uma questão sobre a prática atual de dietas. RESULTADOS: Das mães, 29,9% apresentaram escore positivo para os comportamentos de risco para transtornos alimentares e 21,8% estavam fazendo dieta para emagrecer no momento da entrevista. No tocante à imagem corporal, 17,5% das mães estavam satisfeitas com o seu tamanho corporal, 71,5% gostariam de diminuir seu tamanho corporal e 11,0% gostariam de aumentá-lo. Os comportamentos de risco para transtornos alimentares foram mais frequentes nas mães insatisfeitas com seus tamanhos corporais (p < 0,0001). CONCLUSÃO: A maioria das mães investigadas estava insatisfeita com os seus tamanhos corporais. A frequência de mães que praticavam dietas ou tinham comportamentos de risco para transtornos alimentares foi similar ou superior aos demais estudos nacionais, conduzidos, em sua maioria, com populações consideradas de risco...

Aprendendo e ensinando sobre os cuidados com o filho prematuro: a vivência de mães em um programa de educação em saúde; Learning and teaching about the care to your preterm baby: the experience of mothers in a health educational program

Ferecini, Geovana Magalhães
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 25/01/2008 PT
Relevância na Pesquisa
37.02%
As práticas educativas dirigidas às mães de prematuros ainda ocorrem, em alguns hospitais, de maneira tradicional, ministradas por profissionais sem a participação ativa da clientela nesse processo. Num esforço para o preparo mais adequado de mães para a alta hospitalar de bebês prematuros, vislumbrando a possibilidade de construir com mães conhecimentos acerca dos cuidados com o filho, motivou-se realizar o presente estudo tendo como objetivos específicos: descrever o processo de desenvolvimento de um Programa de Educação em Saúde mediado pelo uso de uma cartilha educativa dirigida às mães de prematuros, utilizando a metodologia participativa; analisar a percepção destas mães sobre a vivência no Programa e avaliar a aquisição de conhecimentos cognitivos destas sobre os cuidados com seus filhos, proporcionados pela participação no Programa. Trata-se de pesquisa de intervenção educacional fundamentado no referencial da problematização de Paulo Freire e que utiliza as abordagens quantitativa e qualitativa. Participaram do estudo 38 mães de prematuros internados na unidade de cuidados intermediários neonatal de um hospital público universitário de Ribeirão Preto - SP. O Programa de Educação em Saúde consistiu em atividades educativas grupais mediadas pelo uso da cartilha educativa "Cuidados com o bebê prematuro: orientações para a família". As participantes receberam a cartilha educativa para leitura e...

Câncer infantil: fé e enfrentamento de mães; Childhood Cancer: Faith and coping of mothers.

Barros, Michel Arantes
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 11/08/2009 PT
Relevância na Pesquisa
37%
Nos últimos anos, tem sido crescente a atenção dada à temática da fé e do enfrentamento diante da busca da conservação da vida frente a doenças que a ameaçam. Este estudo volta seu olhar para mães, cujos filhos passaram pelo tratamento do câncer, com o objetivo de compreender como enfrentaram a doença do filho e como se deu a manifestação da fé em seu discurso. O trabalho foi desenvolvido no Ambulatório de Curados do Serviço de Oncologia Pediátrica do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto USP e contou com a participação de sete mães, cujos filhos têm idade entre 3 e 10 anos e estão em fase final de tratamento de câncer. A estas foi feito um convite, com apresentação do Termo de Compromisso Livre e Esclarecido, e após sua concordância, iniciava-se uma entrevista a partir da seguinte questão norteadora: Gostaria que a senhora me contasse como foi estar passando por esta experiência com a doença de seu filho(a). Este estudo teve como base o método fenomenológico, e sua análise, a partir das entrevistas, foi construída seguindo os passos propostos por Martins e Bicudo (1989) revelando, através de convergências do discurso das mães, dez categorias temáticas. A compreensão das vivências das mães foi feita sob forma de diálogo com a literatura específica e...

Determinantes da anemia em mães e filhos no Brasil; Determinants of anemia in mothers and children in Brazil

Araújo, Claudia Regina Marchiori Antunes
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 22/06/2012 PT
Relevância na Pesquisa
37.07%
Introdução: Anemia por carência alimentar de ferro é a deficiência nutricional mais freqüente e preocupante do ponto de vista da saúde coletiva. Afeta principalmente crianças, gestantes e mulheres em idade fértil. Apesar das medidas de intervenção para prevenção e controle da anemia no Brasil, estudos mostram que as prevalências ainda continuam elevadas. Objetivo: Investigar a situação da anemia e seus determinantes em mães e filhos no Brasil, considerando o contexto familiar. Método: Pesquisa transversal de abordagem quantitativa, que utilizou o banco de dados da Pesquisa Nacional de Demografia e Saúde da Mulher e da Criança (PNDS) 2006. Foram utilizados dois questionários com informações básicas sobre o domicílio e seus moradores e informações detalhadas sobre o público-alvo, mulheres de 15 a 49 anos e seus filhos menores de 5 anos. Aproximadamente 40% dos domicílios foram selecionados para coleta de sangue das mulheres, porém todas as crianças nascidas a partir de janeiro de 2001 tiveram o sangue colhido, desde que filhos biológicos da entrevistada. Análise de hemoglobina foi realizada em 5.915 mulheres e 4.558 crianças. Este estudo analisou 1.476 pares, considerando a mãe e apenas uma criança. O programa Statistical Package for Social Science (SPSS versão 18.0) foi utilizado para análise dos dados...

Análise das curvaturas da coluna vertebral de mães em função do transporte de seus filhos; Analysis of spinal curvatures of mothers according to the transportation of their children

Junqueira, Lúcia Desideri
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 04/09/2012 PT
Relevância na Pesquisa
37.04%
O transporte de cargas pode causar lesões e dores na coluna. Entre as mães é frequente a existência de lombalgia, sendo o carregamento de bebês no colo uma tarefa comum e relevante. Apesar disso não há trabalhos reportando os efeitos biomecânicos do transporte de bebês. Objetivo: O objetivo deste estudo foi investigar o impacto do transporte de bebês sobre as curvaturas da coluna vertebral e sobre o deslocamento do centro de gravidade (CG) do corpo de mães. Secundariamente, foi verificada a possibilidade dos efeitos serem diferentes dos decorrentes do transporte de cargas inanimadas, bem como do transporte por mulheres que nunca tiveram filhos. Método: 20 mães com seus filhos de aproximadamente 10 kg (grupo Mães) e 44 mulheres que nunca tiveram filhos (grupo Não-Mães) participaram deste estudo. Todas as participantes foram avaliadas usando um sistema de captura de movimento em 3D, durante a realização das seguintes tarefas: (1) caminhar em linha reta em uma superfície plana com velocidade confortável auto-selecionada por cerca de 7 m e (2) manter-se na postura ereta quieta por trinta segundos, em cima de uma plataforma de força. Para ambas as tarefas, havia três condições para o grupo Mães: (A) carregando nada (sem carga)...

Comportamentos de mães de meio rural em relação a cuidados com seus filhos como características da organização familiar

Wilhelm, Fernanda Ax
Fonte: Florianópolis, SC Publicador: Florianópolis, SC
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 189 f.| il., grafs., tabs.
POR
Relevância na Pesquisa
37.04%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em Psicologia.; Estudos sobre comportamentos de mães em relação a cuidados com seus filhos são importantes para o entendimento de como se configuram as relações familiares, em especial a relação entre mães e filhos. Considerando que diferentes contextos acarretam configurações familiares distintas, quais são as características dos comportamentos de mães inseridas em meio rural? Ao longo da história é perceptível que, de maneira geral, tem cabido a mulher, na dinâmica familiar, zelar pelo bem estar dos filhos e do marido. É ela que detém a responsabilidade e o saber sobre o cuidado. O estudo teve como objetivo caracterizar os comportamentos de mães rurais em relação a seus filhos. Foram entrevistadas 8 mães com idades entre 21 e 44 anos, residentes em meio rural, com filhos de 0 a 6 anos de idade. Os dados coletados possibilitaram examinar as características sobre alguns comportamentos de mães rurais em relação aos filhos no que diz respeito a: o que elas consideram ser cuidar, obrigações das mães e dos filhos, tipos de restrições feitas e o que as mães consideram ser suas atribuições e dos pais. Como resultados constatou-se que todas as mães consideram o cuidar relacionado diretamente ao atendimento de necessidades básicas...

Viver com um filho especial: Estudo descritivo acerca das vivências de mães de jovens adultos com paralisia cerebral

Nunes, Ana Carolina; Morgado, José
Fonte: ISPA - Instituto Universitário Publicador: ISPA - Instituto Universitário
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
36.99%
Este estudo, de natureza qualitativa, teve como principal objetivo caracterizar as dificuldades e as vivências diárias de mães com filhos portadores de Paralisia Cerebral. Assim, verificámos como é que as vivências e as dificuldades das mães foram mudando ao longo dos ciclos de vida dos filhos (e.g. do nascimento à primeira infância, idade escolar, adolescência e adultez), e se ao longo dos ciclos de vida os apoios que as mães tiveram foram ao encontro das dificuldades sentidas, compreendendo quais as perceções das mães acerca dos apoios e/ou falta deles, ao longo dos ciclos de vida dos filhos. Participaram 8 mães de jovens adultos com Paralisia Cerebral, com filhos com idades compreendidas entre os 30 e os 40 anos. Foi utilizada a metodologia histórias de vida apoiada em entrevistas semi-estruturadas e longas. De acordo com os resultados, constatou-se que face ao diagnóstico de deficiência, quer as mães, quer os pais, experienciam reações emocionais e afetivas negativas. Verificámos também que os filhos com Paralisia Cerebral exigem mais disponibilidade de tempo por parte das mães, o que as leva a sentir uma elevada sobrecarga sento também referida uma participação passiva dos pais em relação ao dia-a-dia dos filhos. Quanto às necessidades sentidas pelas mães ao longo dos ciclos de vida dos filhos...

Insatisfação corporal, prática de dietas e comportamentos de risco para transtornos alimentares em mães residentes em Santos

Scagliusi,Fernanda Baeza; Pereira,Patrícia da Rocha; Stelmo,Isis de Carvalho; Unsain,Ramiro Fernandez; Martins,Paula Andrea; Sato,Priscila de Morais
Fonte: Instituto de Psiquiatria da Universidade Federal do Rio de Janeiro Publicador: Instituto de Psiquiatria da Universidade Federal do Rio de Janeiro
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2012 PT
Relevância na Pesquisa
36.97%
OBJETIVO: Avaliar a insatisfação corporal, a prática de dietas e os comportamentos de risco para transtornos alimentares em uma amostra de mães residentes no município de Santos. MÉTODOS: Foi realizado um estudo transversal, de base populacional, com 453 mães de filhos com até 10 anos de idade. As mães responderam ao Teste de Atitudes Alimentares (EAT-26), à Escala de Figuras de Stunkard e a uma questão sobre a prática atual de dietas. RESULTADOS: Das mães, 29,9% apresentaram escore positivo para os comportamentos de risco para transtornos alimentares e 21,8% estavam fazendo dieta para emagrecer no momento da entrevista. No tocante à imagem corporal, 17,5% das mães estavam satisfeitas com o seu tamanho corporal, 71,5% gostariam de diminuir seu tamanho corporal e 11,0% gostariam de aumentá-lo. Os comportamentos de risco para transtornos alimentares foram mais frequentes nas mães insatisfeitas com seus tamanhos corporais (p < 0,0001). CONCLUSÃO: A maioria das mães investigadas estava insatisfeita com os seus tamanhos corporais. A frequência de mães que praticavam dietas ou tinham comportamentos de risco para transtornos alimentares foi similar ou superior aos demais estudos nacionais, conduzidos, em sua maioria, com populações consideradas de risco...

Relação de escolaridade, faixa etária e profissão de mães com a oferta de chupeta e mamadeira a seus filhos

Silvério,Kelly Cristina Alves; Ferreira,Ana Paula Silva; Johanns,Cinthia Mara; Wolf,Aline; Furkim,Ana Maria; Marques,Jair Mendes
Fonte: CEFAC Saúde e Educação Publicador: CEFAC Saúde e Educação
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2012 PT
Relevância na Pesquisa
36.97%
OBJETIVO: avaliar a relação do grau de escolaridade, faixa etária e a profissão das mães com a oferta de chupeta e mamadeira a seus filhos MÉTODO: participaram deste estudo 190 mães de crianças entre 0 e 10 anos de idade, com idades de 20 a 45 anos que responderam a um questionário com questões fechadas a respeito de profissão, nível de escolaridade e uso de chupeta e mamadeira de seus filhos RESULTADOS: não foi observada diferença significante entre o grau de escolaridade quanto ao uso de chupeta (p= 0,915). O uso de mamadeira foi significantemente maior nos filhos de mães com ensino superior (p= 0,0124). Não houve diferença significante quanto à faixa etária das mães e a presença desses hábitos nos filhos (chupeta: p=0,427; mamadeira: p=0,427); e, entre mães que trabalham em casa e que trabalham fora de casa (chupeta: p=0,061; mamadeira: p=0,798). Não houve diferença entre mães que trabalham na área da saúde e em outras áreas (chupeta: p=0,339; mamadeira: p=0,455) CONCLUSÃO: as mães com nível superior de escolaridade oferecem significantemente mais mamadeira aos seus filhos, o que não ocorreu quanto ao uso de chupeta. Não foi observada diferença significante quanto ao uso de chupeta e mamadeira em relação à faixa etária e profissão de mães.

Estado nutricional de crianças e suas mães moradoras de assentamentos subnormais de Maceió- AL

de Azevedo Dias, Celina; Israel Cabral de Lira, Pedro (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
36.99%
Estudos têm apontado correlação intra-familiar positiva quanto ao estado nutricional de mães e seus filhos, por compartilharem tanto informações genéticas, quanto condições socioeconômicas e ambientais. Assim, objetivou-se avaliar a associação entre o estado nutricional de crianças e suas mães moradoras de assentamentos subnormais de Maceió-AL, caracterizando a população de estudo segundo variáveis demográficas e socioeconômicas. Trata-se de um estudo transversal envolvendo amostra probabilística de 1137 mães e 1365 crianças (0 a 10 anos). Os dados socioeconômicos, demográficos e antropométricos foram coletados através de inquérito domiciliar. Na avaliação nutricional das mães, foi utilizado o índice de massa corporal (IMC) e das crianças os índices altura/idade (A/I) e IMC/Idade (IMC/I) em Escores-z. A idade média das mães foi de 38,5 anos (DP=14,27) e das crianças de 4,85 anos (DP=2,86). Na análise das variáveis socioeconômicas e do domicílio, constatou que a população era de muito baixa renda. Contudo, 46,8% das mães e 18,0% das crianças apresentaram excesso de peso. Encontrou-se déficit estatural em mães e suas crianças de 20,8% e 7%, respectivamente. Não houve associação entre o excesso de peso materno e o estado nutricional das crianças menores de 10 anos (p>0...

Crianças vítimas de abuso sexual intrafamiliar e suas respectivas mães: autopercepção, relações interpessoais e representação de objeto

Wassermann, Virginia Graciela
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Dissertação de Mestrado
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
36.97%
No Brasil, assim como no mundo, a violência que vitima a criança é considerada um grave problema de saúde pública. Dentre as formas de expressão hediondas da violência, insurge o abuso sexual contra o menor praticado no âmago familiar. As repercussões desta violência perpassam os papéis de agressor-vítima, alastrando-se por toda a estrutura familiar. Este tipo de violência gera na criança problemas sociais, psicológicos e cognitivos por toda a sua vida. O objetivo geral deste estudo é compreender e identificar a qualidade da autopercepção, das relações interpessoais e da representação de objeto nas crianças vítimas de abuso sexual intrafamiliar, assim como, nas suas respectivas mães. Para isso, foram elaboradas duas seções de estudo: uma teórica e uma empírica. A seção teórica refere-se a uma revisão que objetiva discutir a relevância e a importância do papel das relações interpessoais e das relações de objeto no desenvolvimento do individuo por meio do diálogo entre diferentes aportes teóricos: como a dinâmica do apego, o desenvolvimento cognitivo e a abordagem das relações objetais. Na seção empírica, é retratado um estudo quantitativo de tipo transversal, que enfoca a investigação das respostas ao Rorschach das crianças vítimas de abuso e de suas mães...

Qualidade de vida das mães de crianças com paralisia cerebral em reabilitação; Quality of life of mothers of children with cerebral palsy rehabilitation

PRUDENTE, Cejane Oliveira Martins
Fonte: Universidade Federal de Goiás; BR; UFG; Doutorado em Ciencias da Saude; Ciencias da Saude Publicador: Universidade Federal de Goiás; BR; UFG; Doutorado em Ciencias da Saude; Ciencias da Saude
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.03%
This thesis follows the scientific article model. The first article, Quality of life of primary caregivers of children with Cerebral Palsy: integrative review of the literature was submitted to the Revista Eletrônica de Enfermagem . In this article, which used the descriptors Quality of Life , Mothers , Parents , Caregivers and Cerebral Palsy , a integrative review of the literature was undertaken which included scientific articles published between 1997 and 2008. Of the 28 articles found, 5 formed part of this sample, which despite their considerable methodological limitations, made it clear that certain aspects of the quality of life of caregivers of children with Cerebral Palsy are lower than those of caregivers of healthy children. In some of these studies, the possibility of a correlation between the level of the children s motor disability and the quality of life of the caregivers was investigated. However, the authors did not agree on this correlation, which showed the need for further investigation. So to answer this need, a second article, entitled The quality of life of mothers of children with Cerebral Palsy: the impact of motor disability , was forwarded to the periodical Disability & Rehabilitation . This was a crosssectional study...

Qualidade de vida de mães de crianças e adolescentes com doenças neurológicas crônicas incapacitantes

Rodrigues, Ana Karine Mendes
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
37.08%
Doenças neurológicas crônicas incapacitantes como paralisia cerebral (PC), mielomeningocele (MM), síndrome de Down (SD) e transtorno autista (TA) ainda são prevalentes na infância e ocasionam limitações em diferentes aspectos do desenvolvimento infantil. Embora haja um importante impacto negativo na qualidade de vida relacionada à saúde (QVRS) das mães dessas crianças e adolescentes afetados, ainda não foram realizados estudos comparativos para verificar se essas doenças comprometem de maneira diferenciada a QVRS das mães e se há associação das características demográficas com a QVRS. O presente estudo tem como objetivo avaliar a QVRS de mães de crianças e adolescentes com PC, MM, SD e TA, comparando-as entre si e com o grupo de mães de crianças e adolescentes saudáveis e verificar as características demográficas das mães de crianças e adolescentes com doenças neurológicas incapacitantes e sua associação com a QVRS. Participaram deste estudo transversal 137 mães de crianças e adolescentes com SD, TA, PC e MM e 208 mães com filhos saudáveis. Todas responderam o questionário Medical Outcomes Study 36- Item Short Form Health Survey (SF-36) e protocolo com informações demográficas, por meio de entrevista. O coeficiente de alpha Cronbach foi calculado para determinar a confiabilidade do SF-36. As variáveis demográficas e os escores do SF-36 das mães de crianças e adolescentes com doenças neurológicas incapacitantes foram comparados com o grupo saudável em conjunto ou separadamente de acordo com o diagnóstico do filho (testes de Mann- Whitney...

Qualidade de vida relacionada à saúde em mães de crianças e adolescentes com mielomeningocele; Health-related quality of life of mothers of children and adolescents with myelomeningocele

Morais, Danielle Moretti
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
37.06%
A Mielomeningocele (MM) ocasiona dificuldades motoras e sensitivas. Os diversos problemas de saúde associados a essa condição podem gerar na mãe, principal cuidador, estresse, ansiedade, preocupação excessiva, depressão e impactar sua qualidade de vida relacionada à saúde (QVRS). Diante disso, este estudo teve como objetivo avaliar a QVRS de mães de crianças/adolescentes com MM em relação às mães de crianças/adolescentes saudáveis, e verificar a sua associação com variáveis clínicas e demográficas dos pacientes e das mães. Participaram do estudo 50 mães de crianças e adolescentes até 18 anos de idade e diagnóstico de MM, em acompanhamento na Associação de Assistência à Criança Deficiente (AACD-MG) e mães de crianças e adolescentes saudáveis, pareadas por sexo e idade dos pacientes na proporção de 2:1. Os pacientes foram classificados em grupos segundo o nível de lesão neurológica e padrão de deambulação. Os dados demográficos e clínicos foram obtidos por entrevista e completados com informações contidas no prontuário médico. A QVRS das mães foi avaliada por meio de entrevista pelo Medical Outcomes Study 36-Item Short Form Health Survey (SF-36) e a confiabilidade foi verificada pelo coeficiente de alfa Cronbach. O Inventário de Depressão de Beck (IDB) foi respondido de maneira auto-aplicada para verificar os sintomas depressivos. Os escores do SF-36 foram comparados entre os grupos de mães de pacientes com MM e controle (teste de Mann-Whitney)...

Qualidade de vida relacionada à saúde de mães de crianças e adolescentes com paralisia cerebral

Guimarães, Ludmilla Rabelo
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
37.07%
A paralisia cerebral (PC) caracteriza um grupo heterogêneo de distúrbios da postura e do movimento, de natureza não-progressiva, que ocorre no cérebro em desenvolvimento e ocasiona limitação motora em graus variados. A incapacidade proporcionada pela doença gera repercussões na vida e no bem-estar do indivíduo e de sua família. As mães, que, em geral, são as cuidadoras principais, podem apresentar impacto negativo na sua saúde e qualidade de vida, mas ainda não é possível afirmar se os fatores clínicos e demográficos são determinantes para esse prejuízo. Este estudo teve como objetivos avaliar a qualidade de vida relacionada à saúde (QVRS) de mães de crianças e adolescentes com paralisia cerebral (PC) em comparação com mães com filhos saudáveis; verificar associação entre variáveis clínicas/demográficas e QVRS materna; avaliar associação entre QVRS das mães e dos seus filhos. Participaram desse estudo transversal 100 mães de crianças e adolescentes com PC e 100 mães de crianças e adolescentes saudáveis. Todas as mães responderam ao questionário genérico de QVRS SF-36 pela técnica de entrevista e o inventário de depressão de Beck (BDI) por autoaplicação. O CHQ-PF50 e CHAQ foram respondidos por autoaplicação pelas mães dos pacientes com idade entre 5 e 20 anos e utilizados para correlação entre a QVRS dos pacientes e de suas mães. Mães do grupo com PC apresentaram escores menores que o saudável em todos domínios do SF-36 (p≤0...

Qualidade de vida relacionada à saúde em mães de crianças e adolescentes portadores de síndrome de Down; Health Related Quality of Life of mothers of children and adolescents affected by Down Syndrome

Rocha Júnior, Luiz Duarte de Ulhôa
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
37.05%
O presente estudo tem como objetivo avaliar a qualidade de vida relacionada à saúde (QVRS) de mães de crianças e adolescentes portadores de Síndrome de Down (SD) em comparação com mães de crianças e adolescentes saudáveis e verificar a sua associação com variáveis clínicas e demográficas e com a QVRS do portador, percebida pela própria mãe. Participaram do estudo mães de portadores de SD e de indivíduos saudáveis de até 21 anos de idade, pareados pelo sexo e idade dos portadores na razão de 2:1. Após a assinatura do consentimento livre e esclarecido, as mães responderam a um questionário com suas informações demográficas (idade, situação conjugal, escolaridade, atividade remunerada, renda familiar) e de seus filhos (idade, sexo, número de irmãos, escolaridade); além de dados clínicos sobre a mãe (presença de doença crônica), o filho com SD (uso de medicação, presença de outras doenças crônicas ou comorbidades) e a família (outro portador de doença crônica no domicílio). A QVRS das mães foi avaliada por meio do Medical Outcomes Survey Short-Form36(SF-36) e a intensidade de sintomas depressivos foi verificada pro meio do Inventario de Depressão de Beck (IDB). As mães de portadores de SD a partir de cinco anos de idade também responderam ao Child Health Questionnaire – Parental Form 50 (CHQ-PF50)...

Qualidade de vida de mães de recém-nascidos pré-termos de muito baixo peso

Moura, Magda Regina Silva
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
37.06%
O nascimento prematuro é um problema de saúde pública mundial por apresentar uma taxa global crescente, elevado índice de morbimortalidade e alta probabilidade de seqüelas nos recém-nascidos, além de gerar sobrecarga para a família e a sociedade. As mães de recém-nascidos pré-termos (RNPT) podem desenvolver estresse psicológico, ansiedade e depressão, além de possível prejuízo na qualidade de vida (QV). Este estudo tem como objetivo comparar a QV de mães de recém-nascidos pré-termos de muito baixo peso com mães de recém-nascidos a termos saudáveis e avaliar o impacto da presença de sintomas de depressão materna e comorbidades crônicas desses recém-nascidos na QV destas mães. Este é um estudo transversal realizado no Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), de novembro de 2009 a novembro de 2010, após a aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa da UFU. Participaram do grupo de estudo 152 mães de recém-nascidos pré-termos com idade gestacional < 34sem e peso ao nascer < 1,500g. O grupo controle foi constituído por 152 mães de recém-nascidos a termo (RNT) saudáveis com peso > 2,500g. O WHOQOL-bref e o Inventário de Depressão de Beck (IDB) foram respondidos em quatro momentos após o parto: na alta...

Percepções das mães sobre educação infantil: contribuições da creche municipal de Cocal do Sul

Vedova, Estela de Oliveira Dalla
Fonte: Universidade do Extremo Sul Catarinense Publicador: Universidade do Extremo Sul Catarinense
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso - TCC
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37%
Trabalho de Conclusão de Curso, apresentado para obtenção do grau de licenciado no curso de Pedagogia da Universidade do Extremo Sul Catarinense, UNESC.; Esta pesquisa tem como tema Percepções das mães sobre a educação infantil: contribuições da creche municipal de Cocal do Sul. Apresenta como objetivo geral compreender a concepção de educação infantil presentes nas falas das mães das crianças que frequentam a creche de Cocal do Sul e como objetivos específicos: compreender a função da educação infantil na visão das mães das crianças que frequentam a creche de Cocal do Sul; observar se as mães comparecem a creche com frequência; perceber se as mães participam das reuniões pedagógicas na creche; investigar a contribuição da creche para o entendimento das mães sobre as concepções de educação infantil. O problema que justifica a pesquisa é: Quais as concepções das mães sobre a educação infantil na creche de Cocal do Sul? Optou-se pela realização de uma pesquisa qualitativa, bibliográfica e campo, com caráter descritivo, cujo instrumento de coleta de dados foi um questionário realizado com seis mães com filhos na educação infantil de 0 a 3 anos, em uma instituição de educação infantil da rede pública do município de Cocal do Sul. As mães pesquisadas demonstram ainda pouco conhecimento em relação às funções sociais da creche. Torna-se necessária uma participação mais efetiva das mães na instituição...