Página 1 dos resultados de 7722 itens digitais encontrados em 0.011 segundos

O impacto da separação mãe/bebé no período pós-parto - Perspectiva materna

Barros, Isabel Chaves
Fonte: [s.n.] Publicador: [s.n.]
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Publicado em //2010 POR
Relevância na Pesquisa
36.98%
Monografia apresentada à Universidade Fernando Pessoa para obtenção do grau Licenciada em Enfermagem.; A separação do bebé de sua mãe, logo após o nascimento, é uma situação que tem uma carga emocional muito forte nos pais, principalmente na mãe, que vivencia todos os acontecimentos na sua plenitude. Neste sentido, surge o trabalho de graduação intitulado: “O Impacto da Separação Mãe/Bebé no Período Pós-Parto, Perspectiva Materna”. Este estudo reportou-se a uma abordagem qualitativa, do tipo fenomenológico, sendo que a colheita de dados, foi efectuada através de uma entrevista semi-estruturada, em que o investigador teve o auxílio de um guião de entrevista e do gravador áudio. O processo de amostragem utilizado foi o não acidental e intencional, sendo que a amostra respeitou os critérios de exclusão (qualquer mãe que por motivos pessoais rejeita-se o uso do gravador áudio como instrumento de registo magnético de dados) e inclusão (o bebé estar internado numa UCINP e ter sido separado da sua mãe imediatamente após o nascimento). Deste modo, a população, foi constituída por nove mães que corresponde à amostra em estudo. A colheita de dados foi realizada no serviço de Obstetrícia de um Hospital da Região Norte...

Escola Mãe Hilda: um estudo sobre a pedagogia da (re)construção da identidade negra

Moreira, Ana Patrícia Lima
Fonte: Repositório Científico Lusófona Publicador: Repositório Científico Lusófona
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
36.95%
RESUMO: Objetivo - apresentar o contributo da Escola Mãe Hilda para a afirmação da identidade afro-brasileira na população estudantil da Cidade do Salvador. Especificamente: a) conhecer os fundamentos pedagógicos-curricular da Escola Mãe Hilda; b) analisar os materiais didáticos utilizados pela Escola Mãe Hilda; c) apresentar as metodologias de trabalho da Escola Mãe Hilda. Metodologia - quanto ao percurso metodológico, em razão da questão básica desta dissertação, optou-se por realizar pesquisa qualitativa de natureza etnográfica, envolvendo uma abordagem empírica voltada para a abordagem de distúrbios identitários, em suas diversas dimensões na auto-estima de afro-descendentes. Foram estudados aspectos que envolvem o currículo, a sala de aula e atividades a que estão expostas as crianças da Escola Mãe Hilda. Resultados - examinando- se os conteúdos dos Cadernos de Educação do Ilê Aiyê como proposta pedagógica da Escola Mãe Hilda, observou- se que seus fudamentos dão ressignificação aos alunos, em termos de superação de distúrbios identitários, isto é , proporcionar o desenvolvimento e construção da identidade negra naqueles afro-descendentes, devido à valorização estética do universo cultural africano e afro-brasileiro...

Separações mãe-bebê: diversos sentidos na construção de uma relação.

Ferreira, Marisa Vasconcelos
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 08/12/2000 PT
Relevância na Pesquisa
37.01%
Os estudos sobre as separações mãe-bebê são fortemente influenciados pela Teoria do Apego de John Bowlby e Mary Ainsworth, que considera as separações entre figura de apego e bebê como fatores de risco para o desenvolvimento e enfatiza que, por natureza, o cuidado do bebê deve ser realizado por uma só pessoa, preferencialmente a mãe. Dessa teoria decorrem críticas aos cuidados de bebês e crianças pequenas em creche, que influenciam o imaginário social sobre as possíveis desvantagens do cuidado coletivo de bebês. Contrapõe-se à Teoria do Apego, uma perspectiva sócio-histórica de desenvolvimento que concebe a pessoa constituindo-se em relações sociais mais amplas, inseridas em contextos sócio-culturais, onde diversos parceiros significativos são possíveis ao bebê. Nessa perspectiva, a separação entre o bebê e seus parceiros significativos não constitui necessariamente fator de risco para o seu desenvolvimento. O objetivo deste trabalho é identificar, a partir de elementos do discurso de uma mãe, possíveis sentidos relacionados a eventos de separação, que permeiam sua relação com o bebê. Busca-se compreender como estes vão constituindo o papel dessa mãe que, contrariamente à visão naturalizada da Teoria do Apego...

Tornar-se mãe de criança com câncer: construindo a parentalidade; Becoming a mother of a child with cancer: building the motherhood

Moreira, Patrícia Luciana
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 27/04/2007 PT
Relevância na Pesquisa
36.95%
Este estudo teve como objetivo compreender a experiência de tornar-se mãe de uma criança com câncer. Foi utilizado como referencial teórico o Interacionismo Simbólico e como referencial metodológico o Interacionismo Interpretativo. Participaram do estudo sete mães de crianças que estavam em tratamento de câncer. As narrativas biográficas revelaram que o papel de mãe é construído num processo articulado, que conjuga a interação entre dois temas: VIVER O TEMPO DA DOENÇA, que representa um olhar da mãe direcionado para si, vivendo agora uma situação nova como mãe, continuamente permeada pelas incertezas inerentes à doença e à necessidade de afastar a ameaça de morte criança e VIVER O TEMPO DE LUTA PELA VIDA DA CRIANÇA, que representa a dimensão dos comportamentos da mãe, que se expressam nas interações consigo mesma, com o filho e com todos os elementos envolvidos na experiência, evidenciando a construção do seu papel de mãe. A descrição dos temas proporcionou a compreensão da experiência de tornar-se mãe de uma criança com câncer através das epifanias: Perceber que seu tempo com a criança está ameaçado, Decidir que este é o tempo da criança e Lutar pela criança movida por amor. Foi possível perceber através desses momentos reveladores que existe uma relação entre a parentalidade e a temporalidade...

A mãe-preta na literatura brasileira: a ambigüidade como construção social (1880-1950); The "Black-mom" in the Brazilian literature: the ambiguity as social construction (1880-1950)

Deiab, Rafaela de Andrade
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 15/09/2006 PT
Relevância na Pesquisa
36.97%
Esta pesquisa tem como objetivo estudar a memória coletiva que se consolida em torno da figura da mãe-preta. Para a realização dessa empreitada, tomei como objeto de estudo as representações literárias da mãe-preta no período de 1880 a 1950. É nesse intervalo de tempo que se estabiliza uma interpretação mais alentada sobre a escravidão. Nessa medida, as representações da mãe-preta são tomadas como vias de acesso a interpretações paradoxais sobre a escravidão brasileira e seu legado. Tenho como hipótese que, se essa instituição violenta e arbitrária não podia ser esquecida; ela, ao menos, poderia ser lembrada em sua faceta mais íntima, afetiva e "produtora de uma cultura mestiça". Contudo, ainda assim, afeto e intimidade parecem não conseguir romper com a diferença e a hierarquia social: é justamente nessa tensão que se constroem representações ambíguas da mãe-preta na literatura brasileira.; The main purpose of this research is to study the collective memory formed around the figure of "mãe-preta" (Black-Mom). For this purpose, I have taken as object of study the literary representations of "mãe-preta" (black-mom) between 1880 and 1950. This is the main period in which an interpretation of slavery was established. Therefore...

Modelos de assistência neonatal: comparação entre o método mãe-canguru e o método tradicional; Neonatal care models: comparison between Kangaroo Mother care and traditional care

Brito, Maria Haydée Augusto
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 04/08/2008 PT
Relevância na Pesquisa
36.95%
Os recém-nascidos de muito baixo peso ao nascer alcançam taxas de sobrevivência cada vez maiores. No entanto, eles ainda apresentam problemas como déficit de crescimento, atrasos do desenvolvimento, baixa prevalência de aleitamento materno exclusivo e dificuldades de vinculação afetiva com a família. Essa problemática resulta da condição de nascimento dessas crianças, das conseqüências do tratamento intensivo necessário à sua sobrevivência, e das peculiaridades da assistência neonatal tradicional cujos procedimentos impõem a separação entre a mãe e o bebê. A observação de aspectos relativos aos problemas citados sinaliza que algumas dessas dificuldades poderiam ser atenuadas, quando não resolvidas, por um modelo de assistência neonatal que privilegiasse a interação entre a mãe e o bebê. Visando a elucidar tal questão, compararam-se os resultados obtidos com setenta bebês, divididos em dois grupos, um assistido pelo método Mãe-canguru e outro pelo método Tradicional de assistência neonatal. Foi realizado um estudo de coorte prospectivo que contemplou duas abordagens: uma análise epidemiológica dos dados objetivos referentes às características comparáveis entre os dois grupos, ou seja, atributos maternos...

Análise do efeito da depressão pós-parto na interação mãe-bebê via categorias comportamentais e estilos interativos maternos; Analysis of postpartum depression effect on mother-infant interaction via behavioral categories and maternal interaction styles

Felipe, Renata Pereira de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 05/11/2009 PT
Relevância na Pesquisa
36.98%
Introdução: Este estudo faz parte de uma pesquisa longitudinal sobre depressão pós-parto (DPP), suas possíveis causas e conseqüências para a interação mãe-bebê e para o desenvolvimento infantil (Projeto Temático da FAPESP). As participantes foram entrevistadas no terceiro trimestre de gestação e as díades mãe-bebê foram avaliadas dois dias após o parto, no terceiro e no quarto mês de idade da criança. No quarto mês da criança, certas categorias comportamentais (olhar, sorriso, toque, verbalização/vocalização e choro), vigentes na interação mãe-bebê, foram analisadas em função da presença de indicadores de DPP. Foram analisados também os estilos interativos maternos (intrusivo, retraído e boa interação) a partir do protocolo de Field (FIELD et al., 2003). Métodos: Aplicando a EPDE (Escala Pós-parto de Edimburgo) no terceiro mês, as participantes foram separadas em dois grupos: potencialmente deprimidas (N = 25) e não-deprimidas (N = 50). As 75 díades foram filmadas aos quatro meses durante, aproximadamente, três minutos. Resultados: (1) Mães com menor escolaridade, maior número de filhos e histórico de depressão anterior à gravidez tinham maiores probabilidades de apresentar DPP. (2) Foram encontradas as seguintes relações significativas: a. Independentemente da DPP: Bebês de mães que haviam planejado a gravidez...

O bebê pré-termo : intervenção precoce visando à melhoria da interação mãe-bebê

Feijo, Larissa
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37%
Entre os fatores que afetam a interação precoce destaca-se a prematuridade do bebê, que traz dificuldades específicas para a interação mãe-bebê pelas particularidades inerentes a condição do recém-nascido pré-termo. A mãe tende a se sentir desemparada frente a um bebê frágil que precisa permanecer dentro de uma incubadora, necessitando de cuidados especiais. O presente estudo teve por objetivo investigar os efeitos de dois tipos de intervenção, tanto na qualidade de interação mãe-bebê, como para evolução fisiológica do bebê. Participaram do estudo 12 díades mãe-bebê pré-termo de baixo peso, todos clinicamente estáveis. As díades foram disignadas a um de dois grupos: Grupo 1, submetido a intervenção envolvendo estimulação tátil realizada pela mãe; ou Grupo 2, que foi submetido a intervenção que enfatizou a fala afetiva da mãe com o bebê. Um grupo controle de 12 díades emparelhadas por sexo e peso do pré-termo foram também recrutados, mas não foram submetidos a intervenções. As intervenções foram realizadas durante 15 minutos por dia, estendendo-se por 2 semanas, num total de quinze sessões. A segunda, oitava e última sessões foram filmadas. As mães foram entrevistadas antes, durante e após o período de intervenção...

Tornar-se mãe de um segundo filho : da gestação ao segundo ano de vida da criança

Vivian, Aline Groff
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
36.95%
O presente estudo investigou o processo de tornar-se mãe de um segundo filho, da gestação ao segundo ano de vida da criança. Especificamente, buscou-se compreender o impacto do “complexo fraterno” nesse processo. Participaram do estudo quatro mães, com idades entre 33 e 34 anos, contatadas no terceiro trimestre de gestação. Todas residiam com o marido, pai dos dois filhos, na região metropolitana de Porto Alegre e o nível socioeconômico das famílias variou de médio a alto. A pesquisa teve um delineamento de estudo de casos coletivo, em que cada caso foi investigado longitudinalmente, em quatro períodos: na gestação, aos 6, aos 12 e aos 24 meses do segundo filho. Os dados foram obtidos através de entrevistas individuais, estruturadas, aplicadas de forma semi-dirigida. Os relatos das mães foram submetidos à análise de conteúdo qualitativa. As categorias que guiaram a análise foram: as impressões sobre o tornar-se mãe de um segundo filho, expectativas e relação com o segundo filho, relação com a própria mãe e relação com o marido. Foram apresentadas as particularidades e semelhanças entre os casos. Os resultados foram discutidos a partir do referencial psicanalítico e de teorizações derivadas do campo da psicologia do desenvolvimento. Notaramse mudanças ao longo do processo de tornar-se mãe de um segundo filho...

Preferência e habituação pela face/voz da mãe vs. estranha em recém-nascidos

Pacheco, Alexandra; Figueiredo, Bárbara
Fonte: Sociedade Portuguesa de Psicologia da Saúde Publicador: Sociedade Portuguesa de Psicologia da Saúde
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2010 POR
Relevância na Pesquisa
36.95%
O bebé humano, quando nasce, trás consigo uma diversidade de competências que lhe garantem uma pré-adaptação e a sua sobrevivência no meio extrauterino. Este estudo tem como objectivo avaliar a preferência e a habituação do recém-nascido pela face/voz da mãe vs. uma pessoa estranha, bem como a identificação de variáveis que possam influenciar estas competências. A amostra, constituída por 50 bebés (com 1 a 5 dias de vida), foi avaliada através do paradigma da “preferência e habituação pela face/voz da mãe vs estranha” - uma situação experimental que envolve a participação da mãe e de duas figuras estranhas ao bebé, com o objectivo de avaliar o tempo que o bebé olha para cada pessoa, em três fases diferentes: 1) preferência, 2) habituação e 3) pós-habituação. Os resultados mostram a preferência pela face/voz da mãe, em detrimento da pessoa estranha. Porém, observa-se que, da fase de preferência para a fase de pós-habituação, o tempo que o bebé olha para a mãe diminui e aumenta o tempo que olha para a figura estranha.Algumas características dos bebés (e.g., índice ponderal > 2.50) e das mães (e.g., coabitação, emprego) surgem relacionadas com resultados mais favoráveis (e.g....

Voz cantada e a constituição da relação mãe-bebê

Mello,Enio Lopes; Maia,Suzana Magalhães; Andrada e Silva,Marta Assumpção de
Fonte: CEFAC Saúde e Educação Publicador: CEFAC Saúde e Educação
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2009 PT
Relevância na Pesquisa
36.95%
TEMA: refletir sobre uma faceta da constituição da relação mãe-bebê, que se fez presente no uso criativo da voz cantada da mãe, na comunicação com o seu bebê. PROCEDIMENTOS: o único sujeito desse estudo é uma mãe, que se submeteu a oito sessões de terapias corporais associadas à emissão da voz cantada, sempre dirigidas ao bebê; as sessões transcorreram com a possibilidade de expressão livre pela fala e gesto da mãe e a escuta do terapeuta. RESULTADOS: o quadro que a mãe apresentava em relação ao seu bebê, no início do tratamento, se encaixa na descrição de depressão pós-parto. Após as sessões, a mãe conseguiu estabelecer contato com seu bebê, de modo prazeroso; por meio da emissão da voz cantada, ela estabeleceu a primeira forma de comunicação e não mais apresentou o quadro de dor e perda da voz. CONCLUSÃO: a possibilidade de reconhecimento, do bebê por sua mãe, teve a corporeidade como aliada, na conjunção dos corpos da mãe e do bebê, o que favoreceu o estabelecimento de uma comunicação com sintonia de ritmos, por meio da entoação de música cantada, que levou à constituição do bebê enquanto pessoa integrada.

A Fala da Mãe no Processo de Diferenciação dos Sujeitos

Scorsi, Letícia; da Conceição Diniz Pereira de Lyra, Maria (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
36.95%
O objetivo deste trabalho foi investigar o papel da fala da mãe no processo de diferenciação dos sujeitos. Investigamos este processo a partir da comunicação mãe-bebê ao longo dos meses iniciais de vida do bebê. A perspectiva dos Sistemas Dinâmicos (Fogel & Thelen, 1987; Lewis, 2000; Lyra, 2000; Thelen & Smith, 1994; van Geert, 2002, 2003) nos permitiu conceber a díade mãe-bebê como compondo um sistema que exibe um caráter interativo, que se conserva aberto e sempre em transformação, admitindo novas formas ou padrões anteriormente não existentes. A perspectiva dialógica, especialmente referida a Bakhtin (1992; 1997; 1999; 2003) nos permitiu encarar como estes novos padrões fazem emergir um sujeito psicológico único, que é também relacional (Lyra, 2006a). Ambos os referenciais teóricos propõem uma visão em direção à díade mãe-bebê que coloca os parceiros em condição de interdependência. A primeira perspectiva citada propõe que sistemas abertos estão em constante transformação e que o desenvolvimento ocorre através do mecanismo de auto-organização do sistema. A perspectiva dialógica propõe que o diálogo é essencial para o desenvolvimento do sujeito e que nas relações dialógicas reside a possibilidade de mudança. A fala da mãe foi analisada segundo dois aspectos: as transformações nas posições que ela assume ao longo deste processo comunicativo (fala por si...

A vivência materna do processo de separação-individuação mãe-bebê no primeiro ano de vida até a entrada na educação infantil

Bellini, Lenora
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
36.95%
A entrada na escola nos dois primeiros anos de vida tem sido cada vez mais freqüente, justamente no período em que a dupla mãe-bebê está vivenciando o processo de separação-individuação. Parece haver um processo de separação semelhante de toda mãe em relação ao seu bebê e sabe-se que tanto a mãe quanto o bebê devem estar preparados para a separação que a entrada na escola implica. Este trabalho teve como objetivo investigar a vivência materna do processo de separação-individuação no primeiro ano de vida até a entrada na escola, no segundo ano de vida. Foi utilizado delineamento de estudo de caso coletivo, de caráter longitudinal. Quatro mães com idades entre 23 e 37 anos e seus companheiros entre 25 e 50 anos responderam a entrevistas semi-estruturadas durante o último trimestre de gestação, no terceiro, oitavo e décimo segundo mês de vida do bebê. Todas eram primigestas, mantinham relacionamento conjugal estável e seus bebês haviam ingressado na escola no segundo ano de vida. A partir da análise dos dados, foi possível visualizar o quanto as mães estavam devotadas ao bebê e em estado dependente e vulnerável. Ao mesmo tempo, pôde-se perceber que até o final do primeiro ano de vida as mães iam manifestando com mais clareza o desejo de retomar seu espaço e mostrando-se mais independentes...

Malformação do bebê e maternidade : impacto de uma psicoterapia breve pais-bebê para as representações da mãe

Gomes, Aline Grill
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
36.95%
O presente estudo buscou investigar o impacto da psicoterapia breve pais-bebê nas representações maternas a respeito de si mesma, sobre o bebê, sobre a relação mãe-bebê, quando o bebê apresenta uma malformação. Participou deste estudo uma família cujo bebê de 11 meses apresentava malformação cardíaca grave, compatível com a vida. Foi utilizado um delineamento de estudo de caso único, sendo que as representações maternas foram examinadas ao longo dos cinco encontros de avaliação inicial, durante as 17 sessões de psicoterapia e num encontro pós-psicoterapia. Todas as verbalizações e interações da mãe com o bebê e com os familiares foram registradas em áudio e vídeo e, posteriormente, analisadas a partir dos quatro temas da constelação da maternidade (Stern, 1997): vida e crescimento, relacionar-se primário, matriz de apoio e reorganização da identidade, que precisaram ser ampliados para atender as particularidades do contexto de malformação. Os resultados apontaram para uma evolução das representações maternas ao longo da psicoterapia, que permitiu à mãe expressar seus sentimentos frente à malformação e reviver alguns de seus conflitos mais primitivos. A visão sobre o bebê passou de mais parcial e idealizada para mais integrada...

O papel da mãe na construção do fenômeno transacional na criança : primórdios da construção do sujeito

Aguiar, Marjorie Loh
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
36.95%
O presente estudo tem por objetivo investigar o papel da mãe na consttução dos fenômenos/espaço transicional. Estes fenômenos foram considerados, a partir da concepção de Winnicon (1971/1975), e o papel da mãe foi investigado a partir do conceito de mãe suficientemente boa de Winnicott e também através das teorizações de Dolto acerca das trocaS simbólicas que se estabelecem na relação entre mãe e bebê. Foi realizado um estudo de caso coletivo com cinco casais e seus respectivos bebês. Os casais residiam junto e as mães eram primíparas. Os participantes pertenciam a um projeto longitudinal maior (GIDEP, 1999). As mães foram entrevistadas nos seguintes períodos: terceiro mês, oitavo mês, décimo segundo mês e vigésimo quarto mês de vida do bebê. Os bebês/crianças foram filmados em laboratório nos períodos do décimo segundo mês e do vigésimo quarto mês. As entrevistas foram analisadas através da Analise de Conteúdo (Laville e Dione, 1999), com o objetivo de identificar os fenômenos e objetos transicionais aos quais os bebês/crianças recorriam e com o intuito de examinar as falas da mãe que faziam referência aos momentos de separação do filho, assim como de que modo elas estabeleciam as trocas simbólicas com ele. Em relação à análise das filmagens...

Relação mãe-bebê no contexto do HIV : investigando as representações maternas da gestação ao segundo ano de vida da criança

Faria, Evelise Rigoni de
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
36.95%
O objetivo do presente estudo foi investigar a relação mãe-bebê no contexto do HIV, da gestação ao segundo ano de vida da criança, a partir do conceito de representações maternas de Stern (1991, 1997). Participaram do estudo quatro mães que viviam com HIV, com idades entre 19 e 39 anos. Na ocasião da gestação, todas eram casadas, duas eram primíparas e duas multíparas, sendo que duas souberam do diagnóstico na gestação e duas já sabiam antes de engravidarem. Elas realizavam acompanhamento pré-natal especializado na rede pública de saúde de Porto Alegre. A pesquisa teve um delineamento de estudo de caso coletivo, longitudinal, sendo cada caso investigado no final da gestação e aos três, 12 e 24 meses de vida da criança. Análise de conteúdo qualitativa foi utilizada para se examinar os relatos maternos durante as entrevistas com base em quatro categorias de representações maternas: sobre si mesma, o bebê, o pai do bebê, e a própria mãe. Os resultados indicaram que a relação mãe-bebê no contexto do HIV, ao longo dos dois anos de vida da criança, foi acompanhada de diversas satisfações e alegrias, mas também desafios associados ao desempenho da maternidade, ao desenvolvimento infantil e à convivência com o HIV. Inicialmente...

A percepção da mãe sobre o método mãe-canguru: uma revisão bibliográfica

Sousa, Débora Nunes
Fonte: Centro Universitário de Brasília Publicador: Centro Universitário de Brasília
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
PT_BR
Relevância na Pesquisa
36.95%
O objetivo do presente estudo foi apresentar uma revisão de literatura acerca da percepção da mãe sobre o método mãe-canguru. Em síntese, as características dos recém-nascidos pré-termos, o vínculo mãe-filho, o método mãe-canguru, as vantagens e desvantagens do método, orientações da equipe de Enfermagem e a percepção da mãe. Foi utilizado o banco de dados da Scielo (Scientific Electronic Library Online), Bireme (Biblioteca Virtual em Saúde) e LILACS (Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde). Concluiu-se com essa revisão a importância do método mãe-canguru na saúde física e emocional do recém-nascido, assim como a saúde psicológica da mãe, contando com o apoio intenso da equipe de Enfermagem para uma realização correta do mesmo.

Análise semiótica da marca mãe terra: o potencial comunicativo de suas embalagens; Semiotic analysis of the brand mãe terra: communication potential of its packaging; Análisis de semiótica marca la madre tierra: el potencial de su embalaje comunicativa

Lima, Francine Cruz de Cerqueira; Miklasevicius, Bárbara
Fonte: Universidade de São Paulo. Escola de Comunicações e Artes Publicador: Universidade de São Paulo. Escola de Comunicações e Artes
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo não avaliado pelos pares Formato: application/pdf
Publicado em 04/02/2013 POR
Relevância na Pesquisa
36.97%
O objetivo desse trabalho é avaliar o potencial de significado das embalagens da marca Mãe Terra. A embalagem de um produto tem função dupla: é uma forma de publicidade e fonte de informação. No caso de alimentos com apelo saudável, como é o caso dos comercializados pela marca analisada, essas duas funções muitas vezes se misturam. Pelo método semiótico, apresenta-se o potencial de significado comunicado pela Mãe Terra aos consumidores em busca de alimentos mais saudáveis.; El objetivo de este estudio es evaluar el potencial de significación de los embalajes de la marca Mãe Terra. El envase de un producto tiene doble función: es una forma de publicidad y fuente de información. En el caso de los alimentos con llamadas saludables, tales como los comercializados por la marca analizada, estos dos a menudo se mezclan. Utiliza-se el método semiótico para estudiar el potencial de la comunicación de los embalajes de Mãe Terra para los consumidores que buscan alimentos más saludables.; The objective of this paper is to analyze the potential of meanings in the packaging of the brand Mãe Terra. The packaging of a product has a double function: it is both a type of advertising and a source of information. Considering food products with health and nutrition claims...

Community journalism and citizenship: the production conditions of Fala Mãe Luiza journal; Jornalismo comunitário e cidadania: as condições de produção do Jornal Fala Mãe Luiza

LACERDA, Juciano de Sousa; ANJOS, Louzianne Neves dos; MEDEIROS, João Aureliano de Almeida; FREITAS, Ricardo Douglas Santos de; TINDOU, Jacinta dos Santos; JÚNIOR, Luiz Marinho; DANTAS, Susana Maria Miranda
Fonte: ÂNCORA - Revista Latino-americana de Jornalismo Publicador: ÂNCORA - Revista Latino-americana de Jornalismo
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 02/10/2015 POR
Relevância na Pesquisa
36.98%
The newspaper Speaks Mae Luiza (FML) is maintained by the Socio- Pastoral Nossa Senhora da Conceição, on Mãe Luiza neighborhood, in Natal-RN. This article aims to reflect on the FML production conditions from the perspective of community journalism practice. The project Community Journalism and Prevention in Health in the journal Fala Mae Luiza was developed by the Viva Mae Luiza Program (PROEXT2014-MEC /SESU).; O jornal Fala Mãe Luiza (FML) é mantido pelo Centro Sócio-Pastoral N. Sra. da Conceição, no Bairro de Mãe Luiza, em Natal-RN. O presente artigo se propõe a refletir sobre as condições de produção do FML na perspectiva da práxis do jornalismo comunitário. O projeto Jornalismo Comunitário e Prevenção em Saúde no Jornal Fala Mãe Luiza foi desenvolvido junto ao Programa Viva Mãe Luiza (PROEXT2014-MEC/SESU).

Preferência e habituação pela face/voz da mãe vs. estranha em recém-nascidos

Pacheco,Alexandra; Figueiredo,Bárbara
Fonte: Sociedade Portuguesa de Psicologia da Saúde Publicador: Sociedade Portuguesa de Psicologia da Saúde
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2010 PT
Relevância na Pesquisa
36.95%
O bebé humano, quando nasce, trás consigo uma diversidade de competências que lhe garantem uma pré-adaptação e a sua sobrevivência no meio extra-uterino. Este estudo tem como objectivo avaliar a preferência e a habituação do recém-nascido pela face/voz da mãe vs. uma pessoa estranha, bem como a identificação de variáveis que possam influenciar estas competências. A amostra, constituída por 50 bebés (com 1 a 5 dias de vida), foi avaliada através do paradigma da “preferência e habituação pela face/voz da mãe vs estranha” - uma situação experimental que envolve a participação da mãe e de duas figuras estranhas ao bebé, com o objectivo de avaliar o tempo que o bebé olha para cada pessoa, em três fases diferentes: 1) preferência, 2) habituação e 3) pós-habituação. Os resultados mostram a preferência pela face/voz da mãe, em detrimento da pessoa estranha. Porém, observa-se que, da fase de preferência para a fase de pós-habituação, o tempo que o bebé olha para a mãe diminui e aumenta o tempo que olha para a figura estranha. Algumas características dos bebés (e.g., índice ponderal > 2.50) e das mães (e.g., coabitação, emprego) surgem relacionadas com resultados mais favoráveis (e.g., maior preferência pela face/voz da mãe na fase de preferência do que de pós-habituação e uma mais rápida resposta de habituação ao estímulo materno). Concluímos que...