Página 1 dos resultados de 111 itens digitais encontrados em 0.003 segundos

Mia Couto e Luandino Vieira: a ficção de fronteira nas obras editadas para o público infantojuvenil

Andrade, Júlia Parreira Zuza
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
36.62%
A presente pesquisa se debruça sobre a literatura infantojuvenil e questiona os rígidos limites entre literatura editada para crianças e jovens e literatura editada para adultos, discutindo se os dois tipos de escrita pertencem a universos distintos e se apresentam características específicas. A questão das faixas etárias se torna interessante no debate quando vista à luz de componentes textuais e imagéticas, assumindo dessa forma uma posição menos cartesiana. Como corpus da dissertação, foram escolhidas A chuva pasmada, do moçambicano Mia Couto e A guerra dos fazedores de chuva com os caçadores de nuvens: guerra para crianças, do angolano Luandino Vieira, obras editadas para a infância e adolescência. Os dois autores são conhecidos por escrever livros editados para ambos os públicos e, na atual investigação, podem ser vistos pontos em comum entre os dois tipos de texto, além de trazer para o primeiro plano alguns tópicos fulcrais ao se estudar as literaturas moçambicana a angolana de língua portuguesa. Para realizar a análise sob o prisma escolhido, primeiramente foi discutido o conceito de literatura infantojuvenil e suas especificidades históricas. Após uma breve contextualização, foi estudada a maneira como os textos se relacionam com a tradição e ancestralidade...

De armas e de palavras: um estudo comparado da temática da guerra em Terra Sonâmbula, de Mia Couto, e Ventos do Apocalipse, de Paulina Chiziane; About weapons and words: a comparative study of the theme of war in Terra Sonâmbula, by Mia Couto, e Ventos do Apocalipse, by Paulina Chiziane

Peruzzo, Lisângela Daniele
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 16/03/2011 PT
Relevância na Pesquisa
46.51%
Esta tese de doutoramento tem por finalidade o estudo comparado das obras de dois escritores do macrossistema de literaturas de língua portuguesa, os moçambicanos, Mia Couto e Paulina Chiziane. Trabalhamos a temática da guerra sob a perspectiva do fantástico clássico (Todorov, 2008) e do fantástico contemporâneo (Sartre, 2006; Bessière, 1974) em dois romances, Terra sonâmbula (Couto,1992) e Ventos do apocalipse (Chiziane, 1999), tomando os mesmos como espaços dialógicos e em transformação, marcados pela História. ( Bakhtin, 1988; Lukács, 2006). O nosso enfoque comparatista buscou atar as questões do alheio ao próprio de forma a propiciar um melhor entendimento da literatura moçambicana e seu contexto, assim como, através dessa possibilidade de maior compreensão, facilitar sua divulgação.; This doctoral thesis aims at the comparative study of the works of two mozambicans writers inserted on the macrosystem of literatures in Portuguese, Mia Couto and Paulina Chiziane. We worked on the theme of war from the perspective of the classic fantastic (Todorov, 2008), and the contemporary fantastic (Sartre, 2006; Bessière, 1974) in two novels, Terra sonâmbula (Couto, 1992) and Ventos do apocalipse (Chiziane, 1999) considering them as spaces for dialogic discussion...

A ponte entre a palavra da alma e a palavra do papel : epistolário ficcional miacoutiano

Santos, Cristina Mielczarski
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
46.84%
Este trabalho propõe uma análise de cinco romances do autor moçambicano Mia Couto, publicados no período de 2000 a 2009. Fazem parte do corpus os seguintes títulos: Mar me quer (2000), O último voo do flamingo (2000), A varanda do Frangipani (1996), O outro pé da Sereia (2006) e Antes de nascer o mundo (2009). A proposta consiste em verificar a representação da escrita – a palavra no papel – constituída pelo gênero epistolar – a carta, assim como o diário, o bilhete e o caderno de anotações, elementos constantes nos romances que constituem o corpus do trabalho. A representação da escrita por intermédio dessas formas é recorrente na maioria dos romances de Mia Couto e também elemento partícipe em inúmeros contos, seja como motivo, seja como tema, seja como elemento de constituição. Observou-se a singularidade do autor que, mesmo quando dá ênfase para a escrita, mostra como essa sofre um processo de imbricamento com a oralidade. Tentou-se ficar atento a questões que envolvem as personagens que empregam a escrita. Faz-se necessário destacar a importância do autor e sua obra para a literatura moçambicana, assim como seu ativismo na constituição e divulgação da cultura de seu país, quebrando arquétipos criados sobre o continente africano. Dialogou-se com críticos literários e estudiosos da literatura africana de língua portuguesa...

A autointertextualidade na obra ficcional de Mia Couto: história, crítica e análise

Silva, Ana Claudia da
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 272 f. : il.
POR
Relevância na Pesquisa
46.74%
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Pós-graduação em Estudos Literários - FCLAR; O presente estudo tem como objetivo principal a análise da autointertextualidade presente na obra de Mia Couto, por meio dos motivos composicionais do tempo, especialmente os cronotopos do rio e da casa. Para isso, temos como objetos privilegiados de análise o conto “Nas margens do tempo” (COUTO, 1996) e o romance Um rio chamado tempo, uma casa chamada terra (COUTO, 2003). A análise literária está baseada nas concepções de Gerárd Genette e outros autores sobre a autointertextualidade; para a análise dos cronotopos, utilizamos as reflexões de Mikhail Bakhtin e Benedito Nunes. De posse destes e de outros estudos da teoria da narrativa, analisamos os textos literários, procurando identificar elementos do conto que são retomados no romance. Além da análise, procedemos, também, à reflexão sobre a história da literatura moçambicana, procurando compreender, por meio dela, o lugar que Mia Couto ocupa nesse sistema literário. Procuramos, também, reunir a fortuna crítica acadêmica monográfica do autor produzida no Brasil e fazer um rápido balanço sobre ela...

Ecos feministas na literatura moçambicana contemporânea

Teixeira, Izabel Cristina dos Santos
Fonte: Florianópolis, SC Publicador: Florianópolis, SC
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
46.27%
Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Comunicação e Expressão, Programa de Pós-Graduação em Literatura, Florianópolis, 2011; Este trabalho desenvolve uma abordagem das narrativas Terra sonâmbula (Mia Couto, 1992) e Ventos do apocalipse (Paulina Chiziane, 1999), à luz da teoria ecofeminista. A partir dos dois textos citados, que têm em comum a guerra civil em Moçambique (1976-1992), analisamos os romances à luz da teoria acima citada, ressaltando interações interpessoais e dessas com o meio ambiente, levando em conta os níveis de destruição a que o país se viu mergulhado, desde a luta por sua independência política. Neste sentido, observando que relações de gênero e meio ambiente se entrecruzam, temos, representado nas duas ficções, o colonialismo português, gerando ambientes destruídos e destruidores para o ser humano, uma vez que o imperialismo das metrópoles se apropriou de bens necessários (tais como os recursos naturais da então colônia) para o seu próprio abastecimento. Além disso, também gerou, após o fim do sistema opressor, lutas armadas e propagação de violência entre grupos tnicoraciais. Em vista do exposto, o ecofeminismo tem se afirmado pela discussão que amplia os estudos feministas...

Traduzindo mundos : os mortos na narrativa de Mia Couto

Ferreira, Ana Maria Teixeira Soares
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
46.78%
O presente trabalho propõe-se fazer uma reflexão sobre o maravilhoso na narrativa de Mia Couto, em especial sobre o papel central dos mortos e a forma como estes interagem com os vivos, revelando-se os tradutores, junto destes, das palavras dos antepassados. Para tal, estruturou-se o texto em três partes. Na primeira parte, pretendemos apontar as diferentes fases da literatura moçambicana e as suas principais linhas, nela inserindo a obra de Mia Couto. Na segunda parte, procurámos integrar a literatura moçambicana em geral e a narrativa de Mia Couto em particular na corrente do Realismo Mágico, marcado pela co-ocorrência do real e do maravilhoso, conceito que abordamos criticamente, pondo em evidência o seu carácter de sobrenatural aceite. Ainda na segunda parte, propusemo-nos analisar as manifestações do maravilhoso na obra narrativa de Mia Couto, relacionando-as com a sua intenção de construção de uma identidade moçambicana assente no questionamento de modelos de pensamento racionalistas e na tematização de um imaginário tradicional que privilegia o mito como forma de representação do real. Na terceira parte, começámos por fazer uma reflexão sobre as concepções da morte na África negra, realçando as suas principais linhas de força. Pusemos em destaque o carácter fluido da barreira entre a vida e a morte...

O universo do fantástico na produção contista de Mia Couto: potencialidade de leitura em alunos do ensino básico

Martins, António José Marques
Fonte: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Publicador: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
46.51%
Dissertação de Mestrado em Ensino da Língua e da Literatura Portuguesas; Em O universo do fantástico na produção contista de Mia Couto: potencialidades de leitura em alunos do Ensino Básico, efectuamos uma revisão dos pressupostos teóricos do conto, género narrativo privilegiado pelos escritores actuais da América Latina e África lusófona; apontamos as linhas de força da poética do fantástico, com especial relevo para as suas funções sociais; apresentamos os eixos históricos e temáticos da literatura moçambicana inserida no contexto das literaturas africanas de/em Língua Portuguesa. Neste estudo, identificamos também os vectores estruturantes presentes na produção contista de Mia Couto: a recuperação da ancestralidade, a afirmação da moçambicanidade e a procura da universalidade. Ao mesmo tempo, procuramos justificar a nítida opção do autor pela narrativa breve de índole fantástica. Estamos, assim, perante um fantástico que procura a subversão e a transgressão como forma de destituir um sistema social rígido e implementar uma nova ordem política, social e moral. A este propósito, problematizamos a dimensão da modalidade fantástica em Mia Couto (dimensão escatológica), bem como os procedimentos retóricos mais significativos...

O legado tradicional africano e as influências ocidentais: a formação da identidade e da moçambicanidade na literatura pós-colonial de Moçambique

Díaz-Szmidt, Renata
Fonte: Instituto Universitário de Lisboa Publicador: Instituto Universitário de Lisboa
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em 17/02/2011 POR
Relevância na Pesquisa
56.55%
O presente artigo apresenta os problemas dos quais trata a literatura moçambicana pós-colonial. Os escritores como Mia Couto, Suleiman Cassamo, Ungulani Ba Ka Khosa e Paulina Chiziane tecem os seus discursos artísticos debatendo o tema da identidade nacional e enunciando uma hermenêutica da hibridez. Os escritores contemporâneos configuram um campo literário próprio que se constrói no entrecruzar das linhas entre o mundo dos valores tradicionais africanos e o mundo ocidental. A reflexão centrada na construção da moçambicanidade literária caracteriza a mais recente literatura de Moçambique.

Caminhos minados – uma poética da terra no romance O último voo do flamingo de Mia Couto

Borges, Gecilmar Pereira
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
36.69%
Em O Último Voo do Flamingo, quinto romance do autor moçambicano Mia Couto, o narrador recria em suas memórias as explosões que vitimaram alguns soldados da ONU em solo africano, em Tizangara, uma pequena vila perdida ao norte de Moçambique. Mas, realmente explodiram esses soldados desaparecidos? Algo estranho acontece, pois, dos corpos explodidos nada resta, senão um pênis “avulso e avultado”, indicando que se tratava de um ato sexual no momento das explosões. O mistério é investigado por um funcionário da ONU encarregado de desvendar os estranhos acontecimentos de Tizangara. Ao recriar a cosmogonia tradicional moçambicana, Mia Couto reescreve a história e a sociedade, através da experiência poética, recuperando os elementos simbólicos do patrimônio cultural tradicional, ele os (re) atualiza em sua escritura mitopoética. Em sua obra, o autor retorna sobre os modelos de composição dos antigos contadores de estórias, acarretando em sua escritura um grande encantamento poético, na forma lembrada por Amadou Koné, em sua reflexão, sobre a gênese de uma parte da literatura negro-africana nos gêneros da oralidade. Amparado nas teorias de Édouard Glissant sobre a identidade rizoma e a Poética da Relação...

O tema do exílio nas escritas poéticas de António Jacinto, Agostinho Neto, José Craveirinha e Rui Knopfli; The theme of the exile in the poetic writings of António Jacinto, Agostinho Neto, José Craveirinha and Rui Knopfli

Oliveira, Natália Medeiros
Fonte: Universidade Federal de Pelotas; Centro de Letras e Comunicação; Programa de Pós-Graduação em Letras; UFPel; Brasil Publicador: Universidade Federal de Pelotas; Centro de Letras e Comunicação; Programa de Pós-Graduação em Letras; UFPel; Brasil
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
46.61%
Experiences such as the exile, experienced by Portuguese-speaking African poets, besides the intrinsic bond with politics and, by extension, with the History, are also constitutive parts of the literature of these countries, that is, of their literary systems. In this formative construct they also reveal a deep awareness of the Africanness. With an anti-colonial language, this literature, produced in the space of the exile/prison, as well as outside of it, constituted an indictment of the colonial system and expressed hope in the creation of a socialist model. The existential reflection that occurs in parallel to the happening shows a sort of commitment or mission, reflecting the political component that these experiences have. The productions of the Portuguese-speaking African poets did not neglect the aesthetic component and have not seen it dissociated from worldly matters. Considered like this, such experiments constitute object of investigation, as they conform aspects of the literary systems of African countries that were former colonies of Portugal. The research, presented here, methodology has as one of the branches the subject of Comparative Literature. Thus, an intraliterary (angolan literature and mozambican literature) and thematologic study is performed...

Construção da memória nos contos de João Paulo Borges Coelho

Santos, Ana Patrícia Peixinho Vicente
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2010 POR
Relevância na Pesquisa
46.51%
Tese de mestrado, Estudos Românicos, Universidade de Lisboa, Faculdade de Letras, 2010; João Paulo Borges Coelho é um escritor que ganhou o seu próprio espaço na Literatura Africana, mais concretamente na Literatura Moçambicana. Esta dissertação incide sobre os dois volumes de contos, Índicos Indícios – Setentrião e Meridião, e toma a memória como chave para a construção da identidade de um país independente. A organização interna da dissertação obedece ao tratamento dos diversos elementos caracterizadores da memória que se encontram inscritos no enunciado. O evocar e o resgatar do passado, através das personagens e do espaço, assume na narrativa um papel preponderante na restituição do imaginário moçambicano. A memória, num primeiro momento, é fragmentada, esquecida e ignorada pelas personagens, pela qual cada uma delas ganha projecções diversas no que toca à construção da memória colectiva. O pano de fundo espácio-temporal da acção permitiu abordar a memória histórica, desde o tempo colonial até à Independência de Moçambique. A rememoração dos diversos factos históricos remete o leitor para um tempo conturbado, de grandes diferenças sociais, económicas e culturais deste país. É de notar que elementos como o espaço...

Ventos do apocalipse : ventos de mudança em tempos de pós

Costa, Rosilene Silva da
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
46.83%
Este trabalho tem como intuito analisar a obra Ventos do Apocalipse de Paulina Chiziane, escritora moçambicana. A leitura está baseada nos estudos Pós-coloniais, propostos por Homi Bhabha, Stuart Hall e Edward Said (respeitando os desencontros teóricos entre eles, e considerando apenas aqueles que são aplicáveis para esta leitura, que não é teorização pós-colonial). Alinhando-se ainda, nesta pesquisa, ao grupo de pesquisadores que têm estudado aspectos da oralidade: Paul Zumthor e Ana Mafalda Leite, a última estuda especificamente as Literaturas Luso-Africanas. Críticos, como Laura Padilha, Carmem Lúcia Tindó, Inocência Mata e Pires Laranjeira, deram o aporte teórico para a construção crítica desta leitura e para a compreensão dos aspectos que distinguem e historicizam as Literaturas Africanas. A escolha por este romance está no fato de ele ser um dos romances contemporâneos da Literatura Moçambicana que expõe todo o horror da guerra civil (social, religioso e político), todas as dificuldades enfrentadas pelo sujeito feminino neste universo patriarcal, e o engajamento da escritora na reconstrução do país. Chiziane, em seu romance, dá importância a aspectos como História, papel da mulher, oralidade e corpo...

A experiência histórica e sua narratividade na literatura de Mia Couto e Paulina Chiziane; The historical experience and its turnover in Mia Couto literature and Paulina Chiziane

Munhoz, Renata Ribeiro
Fonte: Universidade Federal de Pelotas; Centro de Letras e Comunicação; Programa de Pós-Graduação em Letras; UFPel; Brasil Publicador: Universidade Federal de Pelotas; Centro de Letras e Comunicação; Programa de Pós-Graduação em Letras; UFPel; Brasil
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
46.58%
Analyze the experience and its narrativity elucidating the relation between them is the goal of this work. The aim is to discuss how faint are the boundaries between the real and the fictional in the literature, focusing the intersection between factual anchorage and literary narrative.Based upon the traumatic experience, the Mozambican CIvil war, the novels "Sleepwalking Land" (2007), by Mia Couto, and Apocalypse Winds (2006), by Pauline Chiziane, resume the historical fact by way of fiction, including the voice of subalterns, characters in general that not gained prominence in writing the official history of the country .Therefore, it seeks to understand how to process the historical experience and how it could house other experience classes.; Sem bolsa; Analisar a experiência e sua narratividade, elucidando as relações entre ambas, é o objetivo deste trabalho. Pretende-se problematizar o quão tênues são as fronteiras entre o real e o fictício na literatura, tendo como enfoque a intersecção entre a ancoragem factual e a narrativa literária. Embasados na experiência traumática, a guerra civil moçambicana, os romances Terra Sonâmbula (2007), de Mia Couto, e Ventos do Apocalipse (2006), de Paulina Chiziane retomam o fato histórico pela via da ficção...

A PRESENÇA DA LITERATURA BRASILEIRA NA FORMAÇÃO DOS SISTEMAS LITERÁRIOS DOS PAÍSES AFRICANOS DE LÍNGUA PORTUGUESA

Macêdo, Tania Celestino de
Fonte: Universidade de São Paulo, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 01/06/2009 POR
Relevância na Pesquisa
46.32%
O ENSAIO TRAÇA UM PANORAMA DOS DIÁLOGOS REALIZADOS ENTRE AS LITERATURAS AFRICANAS DE LÍNGUA PORTUGUESA E A LITERATURA BRASILEIRA, TRAZENDO À DISCUSSÃO TEXTOS LITERÁRIOS DE DIFERENTES MOMENTOS HISTÓRICOS (DOS SÉCULOS XVIII, XIX E XX). ESPECIAL ATENÇÃO É DADA À LITERATURA PRODUZIDA EM ANGOLA, CABO VERDE E MOÇAMBIQUE.

UNGULANI BA KA KHOSA: LITERATURA E EFICÁCIA

Dutra, Robson
Fonte: Universidade de São Paulo, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 26/01/2011 POR
Relevância na Pesquisa
46.51%
RESULTADO DE UMA HETEROGENEIDADE QUE CONTA COM A EFETIVA CONTRIBUIÇÃO DE ÁRABES, INDIANOS, PORTUGUESES, ALÉM DE DIVERSAS ETNIAS AFRICANAS, A SOCIEDADE MOÇAMBICANA TEM SIDO REFLETIDA PELA LITERATURA POR DIVERSAS ESTRATÉGIAS QUE TENTAM DAR CONTA DOS DESVÃOS DE SUA HISTÓRIA. ESTE TEXTO TEM COMO BASE O DISCURSO LITERÁRIO DE UNGULANI BA KA KHOSA, QUE ABRE MARGENS AO MULTIPERSPECTIVISMO QUE AMPLIA OS LIMITES ENTRE SOCIEDADE E ARTE, QUESTIONANDO O CONCEITO DE VERDADE, DO PRESENTE E DO PASSADO PARA FAZER DA INTERROGAÇÃO DO OUTRORA UMA NOVA CATEGORIA EPISTEMOLÓGICA.

MAMA-AFRICA REPRESENTATIONS IN THE MOZAMBICAN AND AFRO-BRAZILIAN POETRIES; REPRESENTAÇÕES DA MÃE-ÁFRICA NAS POESIAS MOÇAMBICANA E AFRO-BRASILEIRA

Santos, Donizeth; USP
Fonte: NEPA/UFF Publicador: NEPA/UFF
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Peer-reviewed Article; Artigo avaliado por pares Formato: application/pdf
Publicado em 19/11/2012 POR
Relevância na Pesquisa
36.68%
Through the analysis of poems, “Sangue negro”, by the Mozambican poet Noémia de Sousa, “Regressão” and “Elo”, by the Afro-Brazilian poet Oliveira Silveira, the article shows that Mother-Africa is represented in a Mozambican poetry as the biological black mother, the nation and the African continent, while in the Afro-Brazilian, besides being the progenitor of the black mankind, the African continent, is also the promised land, the lost paradise.; Através da análise dos poemas “Sangue negro”, da poeta moçambicana Noémia de Sousa, “Regressão” e “Elo”, do poeta afro-brasileiro Oliveira Silveira, o artigo mostra que a Mãe-África é representada na poesia moçambicana como a mãe negra biológica, a nação, e o continente africano, enquanto que na afro-brasileira, além de ser a progenitora da raça negra, o continente africano é também a terra prometida, o paraíso perdido.

"THE GREEN SNAKE EYES": LÍLIA MOMPLÉ REVISITS THE PAST OF COLONIALIST MOZAMBIQUE; “OS OLHOS DA COBRA VERDE”: LÍLIA MOMPLÉ REVISITA O PASSADO COLONIALISTA DE MOÇAMBIQUE

Alós, Anselmo Peres; Universidade Federal de Santa Maria
Fonte: NEPA/UFF Publicador: NEPA/UFF
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Peer-reviewed Article; Artigo avaliado por pares Formato: application/pdf
Publicado em 30/04/2013 POR
Relevância na Pesquisa
36.65%
Lília Momplé has a special place into the Mozambican literature, especially when we think about her three published books: Ninguém matou Suhura [Nobody has killed Suhura] (short-stories, 1988), Neighbours (novel, 1996) and Os olhos da cobra verde [The eyes of the green snake] (short-stories, 1997). Lília Momplé rescues the dilemmas of nationality when it comes to the subaltern characters’ experience. This fact restructures the comprehen­sion that we have of Mozambican postcolonial condition. Despite the im­portance of her name, Lília Momplé is rarely mentioned in the Lusophone African Literatures’ Studies written by Brazilian critics. To understand this absence is to understand the obstacles in the pathway that separates Brazilian readers from Lusophone African Literatures and especially from the Mozambican literature: the circulation of books and the editorial market’s logic in times marked by resides of colonialist cultural politics.; Lília Momplé destaca-se no cenário da literatura moçambicana por seus três livros: Ninguém matou Suhura (contos, 1988), Neighbours (roman­ce, 1996) e Os olhos da cobra verde (contos, 1997). Lília Momplé, através de suas narrativas, resgata os dilemas da constituição da nacionalidade através das experiências de personagens relegados à margem. Este fato redimensiona a compreensão da realidade pós-colonial moçambicana. Apesar de sua importância...

Memória cultural e imaginário pós-colonial: o lugar de Lília Momplé na literatura moçambicana

Alós, Anselmo Peres; Instituto Superior de Ciências e Tecnologia de Moçambique
Fonte: Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais Publicador: Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 13/10/2011 POR
Relevância na Pesquisa
46.81%
Resumo: Na primeira parte deste trabalho, realiza-se uma reflexão sobre a questão da memória e do imaginário pós-colonial no campo dos estudos literários que se dedicam à compreensão das literaturas lusófonas. Busca-se compreender de que maneira tais investigações podem colaborar para uma descolonização do imaginário nas literaturas das ex-colônias portuguesas, dando particular atenção ao caso da literatura moçambicana. Na segunda parte, realiza-se uma leitura interpretativa do livro Ninguém matou Suhura (1988), de autoria da escritora moçambicana Lília Momplé, na tentativa de rastrear as maneiras e os mecanismos discursivos mobilizados pela autora no sentido de transformar as sofridas memórias colonialistas em material para sua composição literária.Palavras-chave: Memória e história; imaginário póscolonial; literatura moçambicana; Lília Momplé; Ninguém matou Suhura. Resumen: En la primera parte del presente artículo, se hace una investigación acerca de la cuestión de la memoria y del imaginario postcolonial en el campo de los estudios literarios dedicados a la comprensión de las literaturas lusófonas. Lo que se busca es la comprensión del modo por que esas investigaciones puedan colaborar para una descolonización del imaginario en las literaturas de las ex-colonias portuguesas...

“Para fazer um mar”: Literatura moçambicana e oceano Índico

Falconi,Jessica
Fonte: Centro de Estudos Humanísticos da Universidade do Minho Publicador: Centro de Estudos Humanísticos da Universidade do Minho
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2013 PT
Relevância na Pesquisa
66.69%
Neste ensaio propõe-se um itinerário crítico e conceptual em torno da relação entre o mar e a literatura moçambicana, a partir da análise de um corpus poético que se tem debruçado sobre a representação e o significado de um lugar emblemático como a Ilha de Moçambique. A representação do Índico e da Ilha parecem adquirir os contornos de um processo de revisão da versão da história construída pelo discurso oficial da moçambicanidade. Para além disso, o Oceano Índico encontra na representação literária um contraponto que o configura como paradigma epistemológico de alcance mais amplo, suscetível de possibilitar uma equação alternativa das relações entre espaço e identidade, bem como dos conceitos de nação, identidade e, inclusive, de literatura nacional, proporcionando um itinerário crítico e conceptual que aponta para o vem sendo definido como cultura material.

Índico e(m) Moçambique: notas sobre o outro

Can,Nazir Ahmed
Fonte: Centro de Estudos Humanísticos da Universidade do Minho Publicador: Centro de Estudos Humanísticos da Universidade do Minho
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2013 PT
Relevância na Pesquisa
46.45%
Salientando contextos, imaginários e tensões que configuram a região do Oceano Índico, este ensaio pretende focar as representações do indiano na literatura moçambicana e mais especificamentena prosa de João Paulo Borges Coelho. Através da análise da personagem Valgy, o louco comerciante monhé do romance Crónica da Rua 513.2 (Coelho, 2006), procurar-se-á evidenciar os diversos regimes de alteridade vivenciados por esta personagem. A partir desta personagem e da sua geografia afetiva - que parece confundir-se ora com a história nacionalora com o mito da história - observaremos como Valgy revaloriza a fronteira ambígua das coordenadas de existência espaço / tempo, resgatando a virtualidade poética do Oceano Índico, e sinalizando, numa geografia comum, a particular complexidade da história.