Página 1 dos resultados de 146 itens digitais encontrados em 0.000 segundos

Aspectos funcionais e fenot??picos de Linf??citos T CD4+ de pacientes portadores da forma cr??nica intestinal da esquistossomose mansoni na aus??ncia ou presen??a de co-infec????es por geo-helmintos

Oliveira, Luciana Maria de
Fonte: Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Dissertação
PT_BR
Relevância na Pesquisa
47.29%
Infec????es helm??nticas representam uma das mais prevalentes doen??as parasit??riasdo mundo, sendo as co-infec????es freq??entemente observadas em ??reas end??micas.T??m-se postulado que as infec????es helm??nticas podem aumentar a susceptibilidadea outras infec????es ou agir de maneira sin??rgica na ativa????o dos mecanismos imunesprotetores. Neste contexto, a resposta imune celular espec??fica e o perfil deexpress??o de citocinas, fatores importantes na ativa????o de mecanismos protetores j??foram avaliados. Entretanto, pouco se sabe sobre os fatores e mecanismos quelevam ?? imunidade protetora ou que contribuem para a persist??ncia dos parasitosem humanos co-infectados por Schistosoma mansoni e geo-helmintos. Neste estudon??s avaliamos a resposta imune celular de linf??citos T (LT) CD4+ de pacientes comesquistossomose intestinal na aus??ncia (XTO) ou presen??a (CO) de co-infec????espor geo-helmintos. C??lulas mononucleadas do sangue perif??rico (PBMC) foramestimuladas por ant??genos brutos de ovos (SEA) ou de vermes adultos (SWAP) deS. mansoni. An??lises da incorpora????o de BrdU (fase S do ciclo celular) e do fen??tipocelular (tais como CD4 e marcadores de ativa????o) foram realizadas por citometria defluxo. Nossos resultados demonstram maior envolvimento de LT CD3+ comparadosaos linf??citos B (LB) CD19+. Ap??s estimula????o in vitro com SWAP...

Avalia????o do papel das c??lulas T CD8+ na infec????o experimental por Leishmania braziliensis

Novais, Fernanda Oliveira
Fonte: Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Tese de Doutorado
PT_BR
Relevância na Pesquisa
28.03%
Linf??citos T CD8+ s??o c??lulas do sistema imune adaptativo capazes de induzir a morte de c??lulas infectadas atrav??s de mecanismos citot??xicos. No modelo de infec????o intrad??rmica por Leishmania revelou-se que os linf??citos T CD8+ s??o respons??veis tanto pela indu????o de patog??nese bem como pela imunidade contra a infec????o prim??ria por L. major. At?? o momento, o papel dos linf??citos T CD8+ n??o foi estudado na infec????o experimental por L. braziliensis. Neste estudo, investigamos o recrutamento dos linf??citos T CD8+ para o s??tio de infec????o e determinamos a sua fun????o. Cinco semanas ap??s a infec????o intrad??rmica por L. braziliensis, camundongos BALB/c apresentaram um aumento na porcentagem de linf??citos T CD8+ presentes na orelha infectada e estes produziram, principalmente, IFN-g e Granzima B. J?? no linfonodo de drenagem, estas c??lulas n??o produzem granzima mas, sim, IFN-g e TNF-a. Utilizando o mesmo modelo de infec????o, camundongos BALB/c ou C57BL/6 depletados de linf??citos T CD8+ ou camundongos deficientes em b2-microglobulina ou em CD8 apresentaram redu????o no tamanho da les??o ao longo da infec????o e menor carga parasit??ria cinco semanas ap??s a infec????o. A deple????o de linf??citos T CD8+ n??o induziu qualquer altera????o no recrutamento e produ????o de IFN-g...

Reatividade de linf??citos T de indiv??duos infectados pelo HIV-1 contra epitopos GAG e NEF de diferentes subtipos HIV-1

Coutinho Junior, Raimundo
Fonte: Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Dissertação
PT_BR
Relevância na Pesquisa
47%
O V??rus da imunodefici??ncia humana ?? o agente causador da AIDS. Apesar de existir tratamento para a infec????o do HIV-1, este n??o leva a cura dos pacientes. A identifica????o de epitopos de prote??nas virais do HIV-1 reconhecidos por linf??citos T pode ser eficiente para o desenvolvimento de uma vacina. Neste trabalho foi avaliado o padr??o da resposta imune de indiv??duos infectados pelo HIV -1 frente ??s prote??nas GAG e NEF de diferentes subtipos do HIV-1. Foi utilizado PBMC de pacientes infectados pelo HIV-1 sob o uso de terapia antiretroviral. Foram utilizados 23 pools de pept??deos do HIV-1 na concentra????o de 2??g/mL derivados dos subtipos brasileiros BBR, C, F e do isolado de referencia B (HXB2), em ensaio de ELISPOT. Todos os pacientes responderam a pelo menos um dos pools de pept??deos. Destes, 41% responderam para os pools de prote??nas do isolado HXB2 e 49% para os pools de prote??nas do subtipo brasileiro BBR, C e F. Isoladamente, as maiores freq????ncias de respondedores foram para os pools de prote??nas do isolado HXB2 NEF 3 (68%) e HXB2 NEF 2 (63%). Da mesma forma, os pools de pept??deos das seq????ncias brasileiras BBR, C e F que apresentaram as maiores freq????ncias de respondedores foram NEF F (87%), NEF C (62%)...

Mol??culas associadas com migra????o, mem??ria imunol??gica e ativa????o celular em linf??citos T de les??es de leishmaniose cut??nea

Aguiar, Carolina de Oliveira Mendes
Fonte: Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Tese de Doutorado
PT_BR
Relevância na Pesquisa
47.85%
A leishmaniose tegumentar americana ?? uma doen??a infecciosa causada, no Brasil, principalmente pela Leishmania (Viannia) braziliensis, onde ocorre o acometimento de pele e mucosas. A resposta imune protetora na leishmaniose ?? mediada por c??lulas T ant??genos espec??ficos. A freq????ncia destas c??lulas ?? muito mais elevada nas les??es do que no sangue perif??rico, o que demonstra que os eventos imunopatog??nicos mais importantes devem estar ocorrendo no s??tio infeccioso. O infiltrado inflamat??rio ?? do tipo granulomatoso, composto predominantemente por linf??citos, macr??fagos e plasm??citos, com padr??o de distribui????o heterog??neo, o que n??o tem possibilitado uma boa correla????o com o progn??stico da doen??a. As an??lises in situ tamb??m v??m mostrando resultados controversos em rela????o ?? distribui????o das subpopula????es CD4+ e CD8+. Entretanto, pouco se sabe sobre os mecanismos que determinam a forma????o do infiltrado inflamat??rio das les??es e como a fun????o efetora influencia a patog??nese ou a cura da leishmaniose. Assim, o presente trabalho teve como objetivo estudar o perfil fenot??pico dos linf??citos das les??es cut??neas de leishmaniose em termos de migra????o, mem??ria e ativa????o celular. Os resultados apresentados neste trabalho mostram que h?? um menor percentual de linf??citos T CLA+ no sangue perif??rico de pacientes de leishmaniose do que indiv??duos sadios. A estimula????o com ant??genos de Leishmania aumenta o percentual de c??lulas T CLA+ nos pacientes de leishmaniose...

Influ??ncia do ant??geno sol??vel de ovos de Schistosoma mansoni sobre a ativa????o e progress??o do ciclo celular de linf??citos T de indiv??duos infectados e n??o infectados por Schistosoma mansoni e/ou Necator americanus

Azevedo, Ana Carolina Campi
Fonte: Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Fundação Oswaldo Cruz
PT_BR
Relevância na Pesquisa
47.59%
A infec????o pelo S. mansoni ?? muito freq??ente em regi??es com condi????es prec??rias de saneamento b??sico, resultando em elevadas preval??ncias de esquistossomose nas popula????es entre 10 e 20 anos de idade. A patologia desta infec????o ?? caracterizada pela forma????o de granulomas em torno dos ovos liberados pelos vermes adultos, no interior do sistema portahep??tico. Sabe-se que, os pacientes portadores da infec????o cr??nica apresentam uma modula????o da capacidade proliferativa em resposta ao ant??geno sol??vel de ovos de S. mansoni (SEA) e, este estado parece ser ben??fico para o hospedeiro e tem sido considerada fundamental para o equil??brio hospedeiro-parasito. Em contrapartida, indiv??duos n??o infectados residentes em ??rea end??mica para esquistossomose apresentam uma elevada reatividade celular em resposta a estes ant??genos. Neste trabalho, comparamos a influ??ncia do SEA na progress??o do ciclo celular de linf??citos T do sangue perif??rico de pacientes portadores de infec????o cr??nica pelo S. mansoni (XTO), de indiv??duos n??o infectados residentes em ??rea end??mica (NEG) e de indiv??duos n??o infectados, por??m n??o residentes em ??rea end??mica, denominados por DS. Nossos resultados mostraram que pacientes XTO apresentam uma modula????o da resposta ao SEA e...

Imunopatologia de casos fatais de dengue e correla????es com um modelo experimental murino para estudos da doen??a

P??voa, Tiago Fajardo
Fonte: Instituto Oswaldo Cruz. Publicador: Instituto Oswaldo Cruz.
Tipo: Dissertação
PT_BR
Relevância na Pesquisa
27.88%
A dengue representa um s??rio problema de sa??de p??blica mundial entre as doen??as causadas por arbov??rus. Seu agente etiol??gico, o v??rus da dengue, compreende 4 sorotipos antigenicamente distintos (DENV1-4). Os sintomas da dengue variam desde a febre da dengue (FD) at?? a febre hemorr??gica da dengue (FHD) e a s??ndrome do choque da dengue (SCD). No presente trabalho, iniciamos um estudo com o material obtido de diferentes ??rg??os (f??gado, ba??o, pulm??o, cora????o e rim) de quatro casos fatais de dengue. An??lises histopatol??gicas revelaram, em todos os casos, ??reas com edema e hemorragia; presen??a de esteatose (micro e macrovesicular) e necrose no f??gado; degenera????o de fibras card??acas; necrose tubular aguda dos t??bulos contorcidos proximais renais; destrui????o dos centros germinativos e atrofia de fol??culos linf??ides do ba??o; espessamento dos septos alveolares e hipertrofia de macr??fagos alveolares nos pulm??es dos quatro pacientes e tamb??m a forma????o de membrana hialina nos casos 1 e 2. Detectamos ant??genos virais em todos os ??rg??os e tamb??m um aumento de infiltrado inflamat??rio mononuclear, com aumento da popula????o de macr??fagos ativados e linf??citos B no rim; predom??nio somente de linf??citos B no cora????o; aumento do n??mero de macr??fagos ativados e linf??citos T CD4+ no f??gado e pulm??o...

Estudo cin??tico ex vivo dos linf??citos T e B em camundongos BALB/c durante a infec????o por Leishmania (Leishmania) amazonensis

Silveira J??nior, Lenilton Silva da
Fonte: Instituto Oswaldo Cruz Publicador: Instituto Oswaldo Cruz
Tipo: Dissertação
PT_BR
Relevância na Pesquisa
47.86%
Neste estudo n??s realizamos um monitoramento cin??tico, ex vivo, da resposta imune do hospedeiro, induzida durante infec????o murina por L. (L.) amazonensis. F??meas de camundongos BALB/c foram inoculadas subcutaneamente no coxim plantar esquerdo com 106 promastigotas de fase estacion??ria e o progresso da infec????o foi monitorado por medi????o da ??rea de les??o. Os linf??citos dos linfonodos popl??teos drenantes da les??o (LNs) foram analisados por citometria de fluxo (FACS - fluorescence-activated cell sorting) e por resson??ncia plasm??nica de superf??cie (SPR - surface plasmon resonance). Os resultados de FACS indicaram que o perfil de linf??citos ?? definido na primeira semana de infec????o e caracterizado por elevados n??veis de linf??citos B e por uma diminui????o de linf??citos T. O percentual de linf??citos B foi tr??s vezes maior quando comparado com o dos camundongos n??o infectados e os linf??citos T eram 1,5 vezes mais baixo. Estes valores permaneceram constantes ao longo da infec????o at?? o ultimo ponto analisado. Foi observado um discreto aumento (0.3 a 0.5) na rela????o CD8+/CD4+ nos animais infectados, enquanto nos n??o infectados esta rela????o permaneceu em torno de 0.35, at?? o ??ltimo dia do estudo. Adicionalmente...

Participa????o de leucotrieno B4 na migra????o e na ativa????o de linf??citos T ????

Martins, Raquel de Souza
Fonte: Instituto Oswaldo Cruz Publicador: Instituto Oswaldo Cruz
Tipo: Dissertação
PT_BR
Relevância na Pesquisa
48.04%
Os linf??citos T ???? desempenham fun????es importantes na resposta imune contra infec????es, na resposta al??rgica e na imunidade anti-tumoral. Durante processos inflamat??rios, ?? observado um ac??mulo destas c??lulas nos tecidos, um fen??meno que acontece em fun????o da migra????o induzida pela libera????o de mediadores quimiot??ticos, incluindo a quimiocina CCL2. O leucotrieno (LT) B4 ?? um mediador lip??dico capaz de recrutar linf??citos T ???? e de modular positivamente a produ????o de CCL2 in vivo e in vitro. Por??m, o envolvimento de LTB4 na migra????o de linf??citos T ???? ainda n??o havia sido descrito. Desta forma, o objetivo deste trabalho foi investigar o papel do LTB4 na migra????o e na ativa????o de linf??citos T ?? de forma direta, ou de forma indireta, via produ????o de CCL2. Nossos resultados demonstraram que o LTB4 induziu a migra????o de linf??citos T ???? in vivo e in vitro. Demonstramos que linf??citos T ?? expressam o receptor de alta afinidade para o LTB4, o BLT1, e que o LTB4 induziu reorganiza????o no citoesqueleto de linf??citos T ???? isolados. Demonstramos ainda que a resposta inflamat??ria pleural induzida por LPS levou ao aumento na produ????o de LTB4 (e de CCL2), o que ocorreu em paralelo ao ac??mulo de linf??citos T ????. A inibi????o da s??ntese de LTB4...

Participa????o das c??lulas T de mem??ria e linf??citos CD4.CD25+Foxp3 (reguladores) nos mecanismos de resist??ncia ?? infec????o experimental pelo trypanosoma cruzi

Nihei, Jorhe Sadao
Fonte: Universidade Federal da Bahia Publicador: Universidade Federal da Bahia
Tipo: Tese de Doutorado
PT_BR
Relevância na Pesquisa
47.29%
A infec????o pelo Trypanosoma cruzi (T. cruzi) resulta em uma resposta imune que controla a predomin??ncia do parasito, mas ?? incapaz de elimin??-lo completamente, levando a persist??ncia do parasito. A gravidade da doen??a de Chagas est?? correlacionada com a persist??ncia do parasito nos tecidos musculares, neurais e intestinais. A fun????o imunorregulat??ria das c??lulas T reguladoras em limitar a resposta imune poderia ser explorada no sentido de erificar a sua quantidade e qualidade no modelo experimental de infec????o por T. cruzi. O principal objetivo deste projeto foi estudar a participa????o e influ??ncia dos linf??citos Treg sobre os mecanismos de resist??ncia a infec????o por T. cruzi, principalmente sobre a gera????o/manuten????o de c??lulas T CD4+ e CD8+ mem??ria efetora e central. Para tal, foi realizado um estudo comparativo da import??ncia dos linf??citos T, e altera????es das c??lulas Treg na infec????o experimental por T. cruzi, de animais suscept??veis (C57Bl/6) e resistentes (BALB/c) nos dias 10, 20 e 30 apos a infec????o. Adicionalmente, com o objetivo de investigar o papel das c??lulas T reguladoras, foi realizada a neutraliza????o da citocina IL-2, com o tratamento in vivo com anti-IL-2 monoclonal (clone JES6-1A12)...

Perfil de ativa????o dos linf??citos T de pacientes com mielopatia associada ao v??rus linfotr??pico das c??lulas T humanas do tipo 1 (HTLV-1) / paraparesia tropical esp??stica (HAM/TSP) poss??vel, prov??vel e definido

Coutinho Junior, Raimundo
Fonte: Centro de Pesquisas Gon??alo Moniz Publicador: Centro de Pesquisas Gon??alo Moniz
Tipo: Tese de Doutorado
PT_BR
Relevância na Pesquisa
47.79%
O v??rus linfotr??pico das c??lulas T humanas do tipo 1 (HTLV-1) ?? o agente etiol??gico da mielopatia associada ao HTLV / paraparesia esp??stica tropical (HAM / TSP ), que ocorre em menos de 5 % dos indiv??duos infectados. A resposta imune controla parcialmente a infec????o, por??m pode estar ligada a patog??nese da doen??a. O objetivo deste estudo foi caracterizar fenotipicamente as subpopula????es de linf??citos T, em pacientes assintom??ticos e com diagn??stico de HAM/TSP. Foram avaliados 103 pacientes acompanhados no Centro de HTLV da Escola Bahiana de Medicina e Sa??de P??blica (EBMSP) e 19 controles n??o infectados. Os pacientes foram categorizados de acordo com o grau de certeza do diagn??stico de HAM/TSP: poss??vel (Ps), prov??vel (Pb) e definido (D), al??m de pacientes assintom??ticos (ASS). O perfil fenot??pico (CD25, CD45RA, CD45RO, HLA-DR, CD25, CCR-7, CD62L) das subpopula????es de linf??citos T CD4+ e T CD8+ e a express??o da prote??na Tax de FoxP3 na subpopula????o T CD4+ foram avaliados por citometria de fluxo. A carga proviral do HTLV foi quantificada por rea????o em cadeia da polimerase (PCR) em tempo real. As propor????es dos linf??citos TCD4+HLA-DR+ e TCD8+HLA-DR foram significativamente maiores nos pacientes com HAM/TSP Ps...

O papel das intera????es qu??micas entre t??rio, c??rio e lant??nio sobre a toxicidade em modelos de linf??citos T e osteoblastos humanos

Oliveira, Monica Stuck de
Fonte: Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Tese de Doutorado
PT_BR
Relevância na Pesquisa
36.74%
A exposi????o de trabalhadores a t??rio (Th), c??rio (Ce) e lant??nio (La), nas ??reas de minera????o e extra????o, ?? tratada apenas sob o ponto de vista da exposi????o e incorpora????o do Th por se tratar de elemento radioativo. No caso espec??fico da exposi????o humana aos elementos encontrados em min??rios, donde se extraem estes metais, as informa????es dispon??veis na literatura sobre a toxicologia qu??mica n??o nos permitem antever, com seguran??a, o potencial dos mesmos em provocar danos ?? sa??de. A quest??o do efeito das misturas de Th, Ce e La ?? um aspecto ainda menos explorado, mas de extrema import??ncia. O tema desta tese foi a pesquisa in vitro dos efeitos de Th, Ce e La sobre modelos de linf??cito T (linhagem Jurkat) e osteoblastos (linhagem MG63) humanos, testados sob a forma simples e em combina????es. Como indicadores de efeito foram utilizados medidas de viabilidade e prolifera????o, ades??o celular, s??ntese de fosfatase alcalina e osteocalcina. Foram utilizados m??todos colorim??tricos e leituras em hematocit??metro, microscopia de fluoresc??ncia e espectrofot??metro. Na avalia????o da exposi????o ??s misturas foi testada a hip??tese de n??o intera????o entre os metais atrav??s da abordagem de Loewe e do modelo matem??tico de Chou (Compusyn). Observou-se que c??lulas Jurkat em presen??a de Th e Ce...

Desenvolvimento ontog??nico do rim, timo e ba??o e express??o fenot??pica dos receptores CD3 e CD4 em linf??citos do bijupir?? Rachycentron canadum

Klosterhoff, Marta da Costa
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande Publicador: Universidade Federal do Rio Grande
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
57.73%
Disserta????o(mestrado)- Universidade Federal do Rio Grande, Programa de P??s-Gradua????o em Aq??icultura, Instituto de Oceanografia, 2012.; O bijupir?? Rachycentron canadum, apresenta v??rias caracter??sticas favor??veis para a aquicultura, como alta taxa de crescimento, bons coeficientes de efici??ncia alimentar e carne de excelente qualidade, entre outras. No presente estudo foi realizada uma an??lise do sistema imune do bijupir?? atrav??s de t??cnicas de histologia e imunohistoqu??mica. A ontogenia dos ??rg??os imunocompetentes (rim anterior, timo e ba??o) em larvas e juvenis de bijupir??, desde a eclos??o at?? 53 dias ap??s a eclos??o (dae), foi realizada atrav??s da an??lise histol??gica. O rim foi o primeiro ??rg??o linfohematopoi??tico a aparecer, presente no 1?? dia ap??s eclos??o (dae) (3,8 ?? 0,04mm), o surgimento do ba??o foi no 5?? dae (4,8 ?? 0,2mm) e no 7?? dae (5,4 ?? 0,2 mm) o timo; conforme an??lise os ??rg??os linf??ides tornaram-se evidente com o avan??o da idade do peixe. Foi poss??vel tamb??m estabelecer a presen??a de receptores espec??ficos de linf??citos atrav??s da imunomarca????o com anticorpo monoclonal anti-CD3 e anti-CD4. Foi encontrado no timo os primeiros receptores linfocit??rios CD3 ao 7?? dae com 27% mm?? e 99% mm?? de tecido t??mico aos 53 dae (154 ?? 4...

Efeitos de uma sess?o de exerc?cio f?sico aer?bico em componentes celulares e moleculares relacionados ? resist?ncia a insulina em indiv?duos obesos

Matos, Mariana Aguiar de
Fonte: UFVJM Publicador: UFVJM
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.53%
A maior quantidade de ?cidos graxos livres e de citocinas pr?-inflamat?rias plasm?tica presentes na obesidade, podem desencadear a resist?ncia a insulina, dentre outros fatores, pela fosforila??o inibit?ria do substrato do receptor de insulina 1 (IRS-1), via ativa??o de quinases relacionadas ao estresse, como a quinase C-jun N-terminal (JNK). Em obesos, a resist?ncia a insulina correlaciona-se com altera??es do sistema imune, e com a baixa express?o da prote?na de choque t?rmico de 72kDa (Hsp72) e aumento da ativa??o da JNK no m?sculo esquel?tico. Considerando que o exerc?cio f?sico aer?bico promove melhora da sensibilidade a insulina e tem um efeito anti-inflamat?rio. O objetivo desse estudo foi avaliar os efeitos de uma sess?o de exerc?cio f?sico aer?bico na express?o da HSP70, ativa??o da JNK e fosforila??o do IRS-1 no res?duo de serina 612 (IRS-1 ser612) no m?sculo esquel?tico de obesos. Al?m disso, foi avaliada a frequ?ncia dos linf?citos T auxiliares (CD4+) e citol?ticos (CD8+) e das subpopula??es de mon?citos cl?ssicos (CD14++CD16-), intermedi?rios (CD14++CD16+) e n?o cl?ssicos (CD14+CD16++). Os participantes do estudo (n=27) foram alocados em tr?s grupos experimentais (eutr?ficos sens?veis a insulina, obesos sens?veis a insulina...

Detec??o in vitro de citocinas intracitoplasm?ticas (interferon gama, fator de necrose tumoral, interleucina 4 e interleucina 10) em leuc?citos humanos tratados com extrato bruto dilu?do de euphorbia tirucalli

Avelar, Beth?nia Alves de
Fonte: UFVJM Publicador: UFVJM
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.48%
O uso de plantas da fam?lia Euphorbiaceae, principalmente do g?nero Euphorbia, tem sido popularmente difundido para o tratamento de uma variedade de doen?as de natureza infecciosa, tumoral e inflamat?ria. Entre as esp?cies desse g?nero, a Euphorbia tirucalli ? uma planta de uso difundido no Brasil e em algumas regi?es, tal como a do Vale do Jequitinhonha. H? ind?cios de que o l?tex de E. tirucalli tenha atividade antitumoral e antiviral, por?m, pouco se sabe sobre os mecanismos envolvidos nessa a??o. ? prov?vel que o mecanismo de a??o para tais atividades envolva a ativa??o de leuc?citos e a produ??o de citocinas para o direcionamento de uma resposta antiviral e antitumoral efetivas. Diante disso, o presente trabalho avaliou a produ??o de citocinas TNF-?, IFN-?, IL-4 e IL-10 nas popula??es e subpopula??es leuc?cit?rias do sangue perif?rico estimulados com o l?tex bruto da referida planta. Para tal, leuc?citos do sangue perif?rico de vinte indiv?duos h?gidos foram incubados por 4 horas com o l?tex bruto de E. tirucalli dilu?do em Dimetilsulfoxido (DMSO) e constituiu o grupo l?tex (Lt). Culturas celulares incubadas com salina e DMSO, utilizando-se o mesmo per?odo de incuba??o, constitu?ram as culturas controle n?o estimuladas (CC) e controle de solvente (DMSO)...

Avalia??o in vitro dos poss?veis efeitos citot?xicos e genot?xicos do alcal?ide julocrotina em linf?citos humanos

CORREA, Regianne Maciel dos Santos
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
47.47%
A leishmaniose ? considerada um problema de sa?de p?blica, principalmente devido ? presen?a de diferentes esp?cies enzo?ticas de Leishmania, envolvendo muitos hospedeiros e diferentes insetos vetores. Os antimoniais pentavalentes permanecem como as drogas de primeira escolha para o tratamento das leishmanioses h? mais de 50 anos, no entanto, sua utiliza??o vem sendo comprometida devido, principalmente, a resist?ncia desenvolvida pelo parasita ao medicamento. Assim, a escolha de drogas derivadas de plantas baseada no estudo e utiliza??o de pr?ticas da medicina tradicional devem aparecer como nova estrat?gia para o controle da leishmaniose. No entanto, ? importante verificar que algumas destas drogas podem ser t?xicas ao organismo, podendo inclusive apresentar propriedades genot?xicas, causando altera??es no DNA com conseq?ente aumento no risco de carcinog?nese. A Julocrotina (2-[N-(2-methylbutanolyl)]- N-phenylethylglutarimide) ? um alcal?ide glutarimida isolado da esp?cie Croton pullei var. glabrior Lanj. Euphorbiaceae), encontrada amplamente na Floresta Amaz?nica e conhecido por possuir potente efeito leishmanicida. Desta forma, no presente estudo avaliamos o efeito citot?xico e genot?xico da Julocrotinaa partir do Ensaio do MTT e Ensaio do Cometa (vers?o alcalina) em cultura de linf?citos humanos. Como resultado...

Avalia??o in vitro dos poss?veis efeitos citot?xicos, genot?xicos e mutag?nicos das drogas antimal?ricas artemisinina e artemeter em linf?citos humanos

CARDOSO, Pl?nio Cerqueira dos Santos
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
67.59%
A artemisinina ? uma subst?ncia extra?da da planta chinesa Artemisia annua L., sendo bastante utilizada na medicina natural como um terap?utico em v?rias patologias. J? o artemer ? uma subst?ncia sintetizada a partir da artemisinina. Estas drogas se enquadram em um grupo especial de mol?culas denominadas de lactonas sesquiterp?nicas sendo amplamente administradas na terap?utica da mal?ria. Embora sejam considerados eficientes anti-mal?ricos, muito pouco se sabe sobre os efeitos genot?xicos e citot?xicos destes f?rmacos. Portanto, no presente trabalho, avaliamos os efeitos citot?xicos, genot?xicos e mutag?nicos da artemisinina e do artemeter em cultura de linf?citos humanos por meio do ensaio cometa, do teste do micron?cleo e do ensaio de citotoxicidade para detec??o de necrose e apoptose por marca??o fluorescente diferencial com laranja de acridina/brometo de et?dio (LA/BE), respectivamente. Nossos resultados demonstraram um aumento significativo (p<0,05) no ?ndice de dano do DNA avaliado pelo ensaio do cometa, bem como na frequ?ncia de micron?cleos em ambas as subst?ncias testadas. Foi observado tamb?m, que apenas a artemisinina induziu um aumento estatisticamente significativo (p<0.05) no n?mero de c?lulas necr?ticas nos linf?citos em 48 h de tratamento. Desta forma...

Establishing the reference range for t lymphocytes subpopulations in adults and children from Brazil

TORRES, Alex Jos? Leite; ANGELO, Ana Luiza Dias; SILVA, M?rcio Oliveira; BASTOS, Milena de Carvalho; SOUZA, Denise Ferreira de; INOC?NCIO, L?lian do Amaral; LEMOS, Jos? Alexandre Rodrigues de; S. JUNIOR, Ruy; CASTRO, Andr?a Cauduro de; PALMA, Patr?cia Via
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Artigo de Revista Científica
ENG
Relevância na Pesquisa
47.47%
Os valores de refer?ncias de linf?citos T existentes no Brasil s?o baseados em dados originados de outros pa?ses. N?o existem dados locais da varia??o normal para estes par?metros em adultos e crian?as brasileiras. Avaliamos a varia??o normal encontrada em doadores de sangue de cinco grandes cidades brasileiras em diferentes regi?es e em crian?as residentes em Salvador e Rio de Janeiro. Todas as amostras foram processadas por citometria de fluxo. Os resultados foram analisados de acordo com regi?o, g?nero e estilo de vida dos doadores. Um total de 641 adultos (63% homens) e 280 crian?as (58% meninos) participaram do estudo. Valores absolutos de CD3+ e CD4+ foram significantemente maiores no g?nero feminino (adultos e crian?as). Maiores valores de CD4+ em adultos foram associados com tabagismo, enquanto que maiores valores de CD8+ foram encontrados entre crian?as do sexo feminino. Adultos das regi?es sul e sudeste apresentaram maiores valores absolutos para todas as c?lulas T enquanto que adultos da regi?o norte, apresentaram menores valores. Indiv?duos residentes no nordeste e centro-oeste obtiveram contagens intermedi?rias para todas as popula??es de c?lulas T. Entretanto, estas diferen?as entre as regi?es, n?o demonstraram diferen?a estat?stica. No Brasil...

Avalia??o do efeito protetor da prolactina em linf?citos expostos a a??o do metilmerc?rio

JESUS, Maria Izabel de
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
67.71%
O merc?rio pode ser encontrado em diversas formas, sendo a org?nica como metilmerc?rio (MeHg), considerada a mais t?xica. Facilmente absorvido por via oral, se acumula na cadeia tr?fica e se amplifica em carn?voros aqu?ticos, principalmente em peixes, da? o risco maior para as popula??es que deles se alimentam preferencialmente, como os ribeirinhos Amaz?nidas. O efeito neurot?xico dessa forma de merc?rio tem sido amplamente demonstrado atrav?s de estudos epidemiol?gicos e experimentais. Alguns desses estudos tamb?m mostraram que horm?nios e subst?ncias antioxidantes podem agir protegendo o organismo contra a a??o delet?ria do merc?rio. A prolactina ? um destes horm?nios que apresenta a??o protetora, mas age tamb?m como citocina pr?-inflamat?ria. Desde que o MeHg pode tamb?m agir como uma subst?ncia imunot?xica, procuramos neste trabalho estudar a a??o citoprotetora da PRL em cultivos cont?nuos de linhagem B95-A de linf?citos de primata afim de avaliar sua fragilidade ao MeHg e sua reatividade a a??o da PRL. Com o objetivo de avaliar a integridade funcional dos linf?citos expostos ao MeHg utilizou-se teste de rea??o colorim?trica para 3-(4,5-dimetiltiazol-2-yl)-2,5-difenil tetraz?lio bromide (MTT), o qual detecta atividade metab?lica mitocondrial. Para avaliar a resposta imune do linf?cito...

Influ?ncias da idade e do ambiente sobre o curso temporal da infec??o pelo v?rus da Dengue acentuada por anticorpo heter?logo em modelo murino: ensaios comportamentais e histopatol?gicos

DINIZ, Daniel Guerreiro
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
47.29%
Por conta de que o ambiente enriquecido (AE) aumenta a atividade de c?lulas T e contribu? para imunopatog?nese durante as infec??es heter?logas do v?rus da dengue (VDEN), n?s hipotetizamos que animais que crescem em AE em compara??o com animais que crescem em ambiente padr?o (AP), ao serem infectados pelo v?rus da dengue, desenvolveriam formas mais graves da doen?a. Al?m disso, como os animais velhos apresentam menor decl?nio funcional em c?lulas T de imunidade adaptativa, testamos a hip?tese de que camundongos AE velhos ao serem infectados pelo v?rus da dengue apresentariam maior taxa de mortalidade do que animais AP pareados por idade, e isso estaria associado ? maior hiperplasia dos linf?citos T. Para testar essas hip?teses implantamos regime de inocula??es m?ltiplas em animais adultos de 9 e 18 meses de idade. Dois regimes de inocula??o foram testados: inocula??es m?ltiplas de homogeneizado cerebral infectado por um ?nico sorotipo (IUS) ou inocula??es alternadas daquele homogeneizado e de anticorpo heter?logo (ICAH). Em ambos os casos foram feitas inocula??es m?ltiplas intraperitoneais encontrando-se diferen?as significativas no curso temporal da doen?a nos animais submetidos a um ou outro regime de inocula??o. Comparado ao grupo ICAH para o qual detectou-se diferen?as significativas entre os grupos AE e AP (Kaplan-Meyer log-rank test...

Genotoxicidade humana e f?rmacos antidepressivos: avalia??o da duloxetina em culturas de linf?citos

ARA?JO, Daniella Bastos de
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
67.47%
F?rmacos antidepressivos s?o largamente utilizados no tratamento sintom?tico do transtorno depressivo. In?meras pesquisas atuais sobre a depress?o v?m contribuindo para o avan?o da terapia farmacol?gica e para o surgimento de novos f?rmacos antidepressivos. Diretrizes atuais para testes de genotoxicidade de novos medicamentos sugerem a importante utilidade de ensaios que detectem danos ao DNA, ou seja, testes para avaliar a indu??o de quebras no DNA. Entretanto, o n?mero escasso de dados sobre a genotoxicidade de f?rmacos faz com que seja reduzido o n?mero de f?rmacos que realmente podem ser usados em seguran?a. Portanto, ? de extrema import?ncia estudos sobre a avalia??o genotoxicol?gica de f?rmacos, principalmente, drogas utilizadas por um longo per?odo de tempo como ? o caso dos antidepressivos. A duloxetina ? um antidepressivo novo, pertencente ? classe dos inibidores seletivos da recapta??o de serotonina e noradrenalina (ISRSN), utilizada no tratamento sintom?tico da depress?o. Apesar da exist?ncia de trabalhos demonstrando que alguns f?rmacos antidepressivos s?o genot?xicos, n?o existe at? hoje nenhum estudo sobre a poss?vel genotoxicidade da duloxetina em c?lulas de origem humana. Assim, o presente estudo tem como objetivo explorar o poss?vel potencial genot?xico in vitro da duloxetina em culturas prim?rias de linf?citos humanos atrav?s das t?cnicas de detec??o de aberra??es cromoss?micas e micron?cleos. Culturas prim?rias de linf?citos sangu?neos de volunt?rios sadios foram expostas a diferentes concentra??es de duloxetina (10-150 ng/ml) e ciclofosfamida (6 ?g/ml) como controle positivo. Aberra??es cromoss?micas estruturais...