Página 1 dos resultados de 24 itens digitais encontrados em 0.061 segundos

Polimorfismos nos genes NAT2, CYP2E1, GSTT1, GSTM1 e ABCB11 e hepatotoxicidade induzida pela isoniazida

Carvalho, Maria Teresa Penetra Moura de
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
ENG
Relevância na Pesquisa
45.75%
A isoniazida (INH) é essencial ao tratamento da tuberculose mas é, igualmente, um dos fármacos mais frequentemente associados a episódios de hepatotoxicidade (HT) graves, por vezes fatais. A suscetibilidade individual a este efeito secundário é um fenótipo multifatorial na dependência de fatores genéticos e não genéticos. A identificação dos fatores genéticos envolvidos pode contribuir para a individualização e otimização da terapêutica. A variabilidade individual dos níveis séricos da INH é determinada essencialmente por polimorfismos da N-acetiltransferase, codificada pelo gene NAT2. A genotipagem do NAT2 permite a identificação dos vários haplótipos, possibilitando a classificação dos indivíduos em acetiladores lentos (AL), de elevado risco para HT, acetiladores intermédios (AI) e rápidos (AR). Outras enzimas polimórficas intervenientes são o citocromo P-450 2E1 (CYP2E1), que converte a INH em metabolitos tóxicos, e as glutationas S-transferases (GST), que para além de contribuírem para o metabolismo da INH também estão envolvidas a resposta do hepatócito à agressão. Assim, a homozigotia para os alelos wild-type, de elevada atividade funcional para o gene CYP2E1 (CYP2E1 *1A/*1A), e variantes genéticas com perda de função correspondentes a delecção em homozigotia para os genes GSTT1 e GSTM1 poderão constituir genótipos de risco. Fatores genéticos que afetem os sistemas de transporte biliar...

Análise do efeito do resfriamento da via excretora durante termoablação com radiofreqüência em rim de porco; Analysis of the cooling effect in the urinary system during renal radiofrequency thermoablation in pigs

Santos, André Meirelles dos
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 29/04/2005 PT
Relevância na Pesquisa
56%
A ablação de tumores renais com radiofreqüência tem se tornado uma alternativa cada vez mais atraente dentro do arsenal de procedimentos minimamente invasivos. Uma das raras complicações desta forma de tratamento é a lesão térmica do urotélio, desencadeando fístulas urinárias, hidronefrose, estenose ureteral e estenose de junção ureteropiélica, em alguns casos, com necessidade de nefrectomia do órgão acometido. Em lesões hepáticas, ablação tumoral muito perto da via biliar pode evoluir com estenose, a menos que haja um resfriamento dos dutos biliares concomitante à aplicação da radiofreqüência. Desta forma, o objetivo deste estudo foi o de propor um processo semelhante no trato urinário, comparando ablações renais próximas ao urotélio, com e sem irrigação do sistema coletor, com soro fisiológico a 2°C, analisando a integridade da via excretora e a eficácia da ablação. Métodos: Oito suínos do sexo feminino foram submetidos à laparotomia, com abertura da bexiga e cateterização de um dos meatos ureterais com cateter de duplo-lúmen, conforme sorteio realizado antes do início do procedimento. Foi realizada aplicação de radiofreqüência com um ciclo de oito minutos, regulada para atingir uma temperatura média de 100°C e aplicada com uma agulha deflagrada com um centímetro de exposição...

Avaliação da proteína A do surfactante na síndrome hepatopulmonar em ratos; Evaluation of surfactant protein A in hepatopulmonary syndrome in rats

Nacif, Lucas Souto
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 13/03/2013 PT
Relevância na Pesquisa
35.87%
INTRODUÇÃO: A síndrome hepatopulmonar (SHP) é formada por uma tríade: doença hepática, dilatação vascular intrapulmonar e alteração dos gases no sangue. Sua patogenia não está bem definida, mas especula-se que a combinação de fatores, tais como o desequilíbrio da resposta de receptores da endotelina, a remodelação microvascular pulmonar, a predisposição genética e a translocação de bactérias sejam os desencadeadores das alterações que levarão ao desenvolvimento da síndrome. O pulmão é o local principal de produção do surfactante (células alveolares epiteliais do tipo II) e desempenha um papel importante na lesão e doenças inflamatórias pulmonares. Até o momento não há relatos de avaliação do surfactante na cirrose ou na SHP. OBJETIVO: Avaliar a concentração da proteína A do surfactante na síndrome hepatopulmonar induzida em ratos. MÉTODO: Três grupos de ratos foram divididos em controle, Sham e grupo experimental de SHP. Grupo controle: somente coleta dos exames; grupo Sham: realizada a cirurgia simulada; e o grupo do modelo experimental: indução de cirrose biliar secundária através da ligadura da via biliar principal. Foi realizado a avaliação da proteína A do surfactante no homogenato pulmonar e sérico através do método imunoenzimático ELISA indireto. RESULTADOS: Observou-se depois de 28 dias a evidência de cirrose em todos os ratos operados e a apresentação de SHP em 85% dos ratos. No homogenato do pulmão no grupo LVBP e Sham...

Acidentes cirúrgicos na colecistectomia por laparotomia; Bile duct injuries during open cholecystectomy

Neves, Carlos da Costa
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 10/10/2003 PT
Relevância na Pesquisa
56.02%
Estudos recentes estimam que a maioria das estenoses benignas é de natureza iatrogênica podendo ser evitada. A incidência de lesões graves dos ductos biliares durante a colecistectomia é de aproximadamente 1/300 a 1/500 procedimentos (0,2 a 0,3%). Estas lesões podem resultar em coleperitôneo, fístula biliar, estenose de via biliar ou associação dessas complicações. O objetivo deste trabalho foi de relatar os casos de lesões de vias biliares tratados no Serviço de Cirurgia da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Goiás. Foram estudados retrospectivamente 31 pacientes, de 1990 a 2002, com diagnóstico de lesões de vias biliares pós colecistectomia. 29 pacientes (93,5%) eram do sexo feminino e 2 (6,5%) eram do sexo masculino. A idade variou de 21 a 80 anos com média de 46,6 anos. Pacientes provenientes da capital do Estado de Goiás eram em número de 12 (38,7%) enquanto 19 (61,2%) eram provenientes de outras regiões do país. A colecistectomia foi realizada eletivamente em 24 pacientes (77,4%) enquanto em 7 pacientes (22,5%) foi realizada cirurgia de urgência. A via de acesso através de incisão subcostal foi empregada em 70,9% dos pacientes e a via longitudinal (mediana e paramediana direita) em 29,1%. As principais manifestações clínicas foram icterícia em 87...

Lesões iatrogênicas da via biliar : experiência de 21 anos de um centro de referência terciário; Latrogenic bile duct injuries : experience of a tertiary reference center

Ricardo Rossetto Machado
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 14/08/2014 PT
Relevância na Pesquisa
46.29%
Contexto: As lesões iatrogênicas da via biliar são de difícil manejo e requerem equipes com experiência para a reconstrução da via biliar. O objetivo desse estudo foi avaliar tardiamente os 21 anos de experiência em um centro de referência terciário das reconstruções bileodigestivas após a lesão iatrogênica da via biliar pós-colecistectomia e os fatores envolvidos na estenose da anastomose bileodigestiva. Métodos: Análise retrospectiva de 91 pacientes submetidos a hepaticojejunostomia em Y de Roux entre 1993 e 2013. Dados pré-operatórios, sintomas clínicos após a lesão, reoperações, classificação da lesão e evolução ambulatorial foram avaliados. O teste de qui-quadrado e a regressão logística foram usados para determinar os fatores envolvidos na estenose da anastomose bileodigestiva. Resultados: Mulheres eram 84,5% dos pacientes, média de idade de 43 anos. Foi observada associação entre fístula biliar e derivação bileodigestiva no serviço de origem (p=0,009). Colangite e sintomas clínicos no seguimento ambulatorial foram associadas com a classificação de Bismuth (p=0,008 e p<0,001). O aumento em uma unidade na aspartato aminotransferase em 12 meses de pós-operatório, aumentou a chance de apresentar sintomas clínicos no ambulatório em 4...

Derivação hepaticojejunal sem sutura: uma alternativa para reconstituição da via biliar

Miranda,Luiz Antônio
Fonte: Colégio Brasileiro de Cirurgiões Publicador: Colégio Brasileiro de Cirurgiões
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/1998 PT
Relevância na Pesquisa
86.08%
A lesão das vias biliares foi observada em dois pacientes submetidos à colecistectomia videolaparoscópica e convencional. Para reconstituição da via biliar foi aplicada a técnica hepaticojejunostomia em Y-de-Roux com a introdução dao segmento proximal do ducto hepático comum, apoiada por um catéter perdido na luz da alça exclusa, sem sutura. O grau das lesões segundo a classificação de Bismuth tomou a técnica exeqüível. No período de nov/94 a fev/97 os casos evoluíram clinicamente assintomáticos e com exames laboratoriais dentro dos padrões de normalidade. O controle ultra-sonográfico demonstra a presença do catéter simulando o colédoco. A boa evolução dos casos não nos autoriza a conclusões definitivas. A facilidade técnica e a baixa morbidade no pós-operatório nos motivaram a escrever este artigo.

Tratamento cirúrgico das estenoses da via biliar

Marson,Antônio César; Mali Júnior,Jorge; Oliveira,Rodrigo Gomes de; Valezi,Antônio Carlos; Brito,Edivaldo Macedo de; Libos Júnior,Farid
Fonte: Colégio Brasileiro de Cirurgiões Publicador: Colégio Brasileiro de Cirurgiões
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2004 PT
Relevância na Pesquisa
75.98%
OBJETIVO: As estenoses benignas da via biliar (EBVB) decorrem de lesões iatrogênicas em 95% casos. Embora pouco freqüentes seu prognóstico é sombrio, e a prevenção é o melhor tratamento. O objetivo deste trabalho é estudar a conduta cirúrgica nas EBVB e seus resultados. MÉTODO: Foram analisados retrospectivamente, 11 pacientes submetidos à correção de EBVB no Hospital Universitário Regional do Norte do Paraná (HURNP) no período de Julho/1992 a Dezembro/2001. RESULTADOS: Nove pacientes eram do sexo feminino e dois do masculino,com média de idade de 43,71 (± 17,05) anos. A cirurgia que originou a lesão foi colecistectomia aberta em 81,8% dos pacientes e por laparoscopia em 18,2%. Os sinais e sintomas mais freqüentes foram icterícia (64,3%), dor (64,3%), e febre (21,4%). O diagnóstico foi confirmado por colangiopancreatografia retrógrada endoscópica (CPRE) em 90,9% dos casos e por colangiografia transparieto- hepática (CTPH) em 9,1%. Segundo os critérios de Bismuth lesões do tipo I ocorreram em 18,2% dos casos, tipo II em 45,4%, tipo III em 18,2% e tipo IV em 18,2%. O tratamento cirúrgico para as EBVB foi anastomose colédoco-duodenal, anastomose hepático-jejunal em Y de Roux , anastomose hepático-jejunal à Hepp- Couinaud e anastomose hepático-jejunal com enxertia de mucosa (Smith)...

Avaliação da lesão isquêmica normotérmica do fígado: papel da oclusão do ducto biliar principal e da N-acetilcisteína

Medeiros,Susi Heliene Lauz; Montero,Edna Frasson de Souza; Gomes,Lígia Ferreira; Taha,Murched Omar; Junqueira,Virgínia Berlanga Campos; Simões,Manuel de Jesus
Fonte: Colégio Brasileiro de Cirurgiões Publicador: Colégio Brasileiro de Cirurgiões
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2005 PT
Relevância na Pesquisa
55.99%
OBJETIVO: Estudar o efeito da N-acetilcisteína (NAC) na isquemia hepática. MÉTODO: Trinta e oito ratos machos EPM-1 Wistar foram distribuídos em quatro grupos. Nos Grupos 1 e 2 foi realizado 30 min de clampeamento do hilo hepático, e nos Grupos 3 e 4 os animais foram submetidos a 30 minutos de isquemia sem clampleamento do ducto biliar. Os animais dos Grupos 2 e 4 receberam 150mg.Kg-1 de NAC, endovenoso, 15 minutos antes do procedimento. Colheu-se sangue antes do procedimento e após o clampeamento do pedículo para a dosagem enzimática. Amostras de fígado foram coletadas para dosagem de glutationa, microscopia óptica e eletrônica. No estudo estatístico aplicaram-se testes não paramétricos, p < 0,05. RESULTADOS: O aumento das enzimas foi menor quando se administrou NAC, sendo semelhante na ausência do clampeamento da via biliar. À microscopia óptica houve diferença significante dos grupos S/NAC X C/NAC, mostrando que o grupo C/NAC manteve a arquitetura do parênquima durante a isquemia, independente do clampeamento do ducto biliar. Na microscopia eletrônica os grupos C/NAC e os sem clampeamento do ducto biliar apresentaram arquitetura celular preservada. A NAC não alterou a relação de glutationa reduzida/ glutationa oxidada (GSH/GSSG). CONCLUSÕES: A NAC é capaz de proteger o parênquima hepático durante a isquemia normotérmica e propõe-se que o mecanismo seja por reação direta da NAC com o óxido nítrico (NO).

Lesão iatrogênica da via biliar principal em colecistectomia videolaparoscópica

Milcent,Marcel; Santos,Elizabeth G.; Bravo Neto,Guilherme Pinto
Fonte: Colégio Brasileiro de Cirurgiões Publicador: Colégio Brasileiro de Cirurgiões
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2005 PT
Relevância na Pesquisa
76.25%
OBJETIVO: Estudar a incidência, mortalidade e morbidez da lesão iatrogênica da via biliar em um Hospital Universitário onde os pacientes foram operados por vários cirurgiões em diferentes fases de treinamento (residentes e "staffs"). MÉTODO: Estudo retrospectivo de pacientes operados no Hospital Universitário Clementino Fraga Filho da Universidade Federal do Rio de Janeiro (HUCFF-UFRJ) no período entre janeiro de 1992 e dezembro de 2003. Foram pesquisadas as lesões da via biliar principal, o tempo de reconhecimento das mesmas (per ou pós operatória) e o tipo de reparo utilizado. RESULTADOS: Foram estudados 1589 pacientes com índice de lesão da via biliar de 0.25%, as quais ocorreram principalmente nos últimos anos do uso da técnica no hospital. CONCLUSÕES: A incidência de lesões da via biliar foi semelhante à da literatura e bastante próxima à da cirurgia convencional, e não esteve diretamente relacionada à curva de aprendizado do cirurgião.

Análise dos fatores implicados na conversão da colecistectomia laparoscópica

Lima,Enio Corrêa; Queiroz,Fábio Lopes; Ladeira,Felipe Neto; Ferreira,Bruno Meilman; Bueno,José Guilherme Penido; Magalhães,Eudes Arantes
Fonte: Colégio Brasileiro de Cirurgiões Publicador: Colégio Brasileiro de Cirurgiões
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2007 PT
Relevância na Pesquisa
55.87%
OBJETIVO: Analisar os fatores implicados na conversão da colecistectomia laparoscópica. MÉTODO: Análise retrospectiva dos protocolos dos pacientes submetidos a colecistectomia laparoscópica no período de janeiro de 2000 a dezembro de 2004. RESULTADOS: Foram realizadas 1734 colecistectomias laparoscópicas neste período. A taxa de conversão foi de 5,7%, sendo de 5,44% nas cirurgias eletivas e de 14% nas cirurgias de urgência. (p=0,019). Não houve diferença na taxa de conversão em relação ao sexo, 7,46% nos pacientes do sexo masculino e 5,39% do sexo feminino. (p=0,178). A conversão foi necessária em 4,41% dos pacientes com menos de 60 anos e em 11,11% dos pacientes maiores de 60 anos (p=0,01). O principal motivo responsável pela conversão foi inflamação e aderência entre as estruturas do pedículo biliar (42,53%), outras causas foram coledocolitíase (17,24%) e suspeita ou lesão da via biliar (9,19%). Um tempo operatório maior que 120 minutos foi observado em 71,43% dos pacientes convertidos, e em apenas 8,2% dos pacientes não-convertidos. Dos pacientes convertidos 79,31% tiveram alta após 48 horas, e entre os pacientes não-convertidos apenas 10,8% tiveram alta após este período.(p=0,001). CONCLUSÃO: Os fatores de risco para conversão observados neste estudo foram idade> 60 anos...

A influência do tempo de referencia no tratamento das lesões iatrogênicas da via biliar

Barros,Fernando; Fernandes,Reinaldo Afonso; Oliveira,Marcelo Enne de; Pacheco,Lúcio Filgueiras; Martinho,José Manoel da Silva G.
Fonte: Colégio Brasileiro de Cirurgiões Publicador: Colégio Brasileiro de Cirurgiões
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2010 PT
Relevância na Pesquisa
66.05%
OBJETIVO: Avaliar o prognóstico dos pacientes com lesão iatrogênica da via biliar (LIVB) em relação ao tempo de referencia (TR) para a unidade de transplante hepático (TH). MÉTODOS: Foram revisados 51 prontuários de pacientes que sofreram algum tipo de LIVB durante a colecistectomia e que foram encaminhados para a unidade de TH no Hospital Geral de Bonsucesso (HGB). As lesões foram agrupadas de acordo com a classificação de Bismuth. Além da colecistectomia (momento da lesão), também avaliamos o TR e o desfecho. RESULTADOS: Dentre os 51 pacientes estudados encontramos 17 homens e 34 mulheres com uma média de idade de 42,7 anos. Vinte e dois pacientes (43,1%) tinham uma lesão do tipo II; 13 (25,5 %) do tipo III; 10 (19,6 %) do tipo I, 5 (9,8 %) do tipo IV; e apenas um (2 %) do tipo V. Quarenta pacientes foram operados, sendo que três não retornaram para revisão médica e portanto, 37 foram avaliados em relação ao desfecho. Dentre esses, 25 pacientes (67,6 %) tiveram resultados excelentes ou bons com TR médio de 11,5 meses (intervalo: 2-48 meses) e 47,2 meses (intervalo: 3-180 meses) respectivamente. Os 12 pacientes (32,4 %) com resultados ruins tiveram um TR médio de 65,9 meses (intervalo: 3-264 meses), que foi significativamente maior do que o grupo com resultados excelentes ou bons (p=0...

Lesão iatrogênica de via biliar pós-colecistectomia

Linhares,Bruno Lima; Magalhães,Aline da Graça; Cardoso,Paula Mariana Soares; Linhares Filho,Jaime Paula Pessoa; Pinho,José Eudes Bastos; Costa,Marcelo Leite Vieira
Fonte: Colégio Brasileiro de Cirurgiões Publicador: Colégio Brasileiro de Cirurgiões
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2011 PT
Relevância na Pesquisa
96.08%
OBJETIVO: Descrever os aspectos epidemiológicos, clínicos e cirúrgicos dos pacientes com lesão iatrogênica das vias biliares (LIVB) atendidos no Hospital Geral de Fortaleza (HGF) durante o período de 2005 a 2009. MÉTODOS: Realizou-se estudo retrospectivo dos prontuários dos pacientes internados no HGF diagnóstico de LIVB, obtendo-se as seguintes variáveis: sexo, idade, procedência, condições da colecistectomia, tipo de operação, sintomatologia, exames realizados, achados cirúrgicos, classificação da lesão, tratamento, complicações, tempo total de internamento e condições de alta. RESULTADOS: Foram confirmados 27 casos de LIVB. Duas lesões ocorreram durante a colecistectomia videolaparoscópica. Apenas um paciente foi diagnosticado no intra-operatório.. O sinal mais freqüente foi a icterícia pós-colecistectomia. A hepático-jejunostomia em "Y" de Roux foi a técnica cirúrgica mais empregada (85,2%). A maioria dos pacientes recebeu alta hospitalar em boas condições clínicas (88,8%); no entanto, constatou-se, a elevada morbidade desta patologia, exemplificada pelos múltiplos internamentos e longa permanência hospitalar (média de 31 dias). CONCLUSÃO: A maioria das lesões ocorreu durante a colecistectomia por laparotomia...

Reconstrução cirúrgica da estenose cicatricial de vias biliares pós-colecistectomia

Andrade,Aderivaldo Coelho de
Fonte: Colégio Brasileiro de Cirurgiões Publicador: Colégio Brasileiro de Cirurgiões
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2012 PT
Relevância na Pesquisa
56.06%
OBJETIVO: Avaliar uma série de casos de estenose cicatricial de vias biliares pós-colecistectomia submetidos à reconstrução cirúrgica. MÉTODOS: Foi realizado estudo retrospectivo de 27 pacientes submetidos à reconstrução cirúrgica da via biliar por estenose cicatricial. O tipo de colecistectomia que resultou na lesão, idade e sexo, sinais e sintomas, o momento do diagnóstico, se precoce ou tardio, presença de cirurgias prévias na tentativa de reconstruir a árvore biliar, classificação das estenoses, e tipo de operação empregada para o tratamento da injúria foram analisados. RESULTADOS: Vinte e seis lesões ocorreram durante laparotomia e uma durante vídeolaparoscopia. Dezesseis pacientes (59%) tiveram as lesões diagnosticadas no transoperatório ou nos primeiros dias de pós-operatório, sete (26%) dos quais já submetidos à reoperação no hospital de origem, evoluindo mal; nove pacientes desse grupo (33%) não tinham reoperação. Onze pacientes (41%) apresentaram a forma clássica de estenose cicatricial, sem acidentes transoperatórios aparentes, com desenvolvimento de obstrução biliar tardia. Todos os pacientes foram submetidos à anastomose hepático-jejunal em "Y" de Roux, sendo que em dois casos os ductos hepáticos direito e esquerdo foram implantados separadamente na alça exclusa de jejuno. Vinte e seis pacientes (96...

Intoxicação experimental pelos frutos de Xanthium cavanillesii (Asteraceae) em ovinos

Loretti,Alexandre Paulino; Bezerra,Pedro Soares; Ilha,Marcia Regina Silva; Barros,Severo S.; Barros,Claudio S. L.
Fonte: Colégio Brasileiro de Patologia Animal - CBPA; Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA) Publicador: Colégio Brasileiro de Patologia Animal - CBPA; Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/1999 PT
Relevância na Pesquisa
45.75%
Os frutos moídos de Xanthium cavanillesii foram administrados por via oral, em doses únicas ou fracionadas, a 15 ovinos adultos. Nove ovinos morreram. Doses a partir de 2 g/kg em uma única administração foram letais para os ovinos. Doses únicas de 1,25 g/kg e doses de 2,5 g/kg subdivididas em duas administrações diárias (1,25 g/kg em dois dias consecutivos) não causaram a intoxicação. Sinais clínicos foram observados apenas nos animais que morreram. Iniciavam entre 5 horas e 20 horas após o início da administração dos frutos. A evolução do quadro clínico foi superaguda (90 minutos a 3 horas) ou aguda (9 a 13 horas). Sinais clínicos incluíam apatia, anorexia, hipomotilidade ruminal, tremores musculares generalizados, incoordenação motora, andar rígido, relutância em caminhar, instabilidade, quedas e decúbito. Muitos animais apresentavam corrimento nasal seromucoso que dificultava a respiração. Nas fases terminais havia tiques, sialorréia, convulsões, nistagmo, movimentos de pedalagem e períodos de apnéia seguidos de morte. Os principais achados de necropsia incluíam acentuação do padrão lobular do fígado acompanhada de petéquias distribuídas aleatoriamente na superfície capsular e de corte, distensão da vesícula biliar associada a edema e hemorragias na parede...

Intoxicação experimental por monofluoroacetato de sódio em bovinos: aspectos clínicos e patológicos

Nogueira,Vivian A.; França,Ticiana N.; Peixoto,Tiago C.; Caldas,Saulo A.; Armién,Anibal G.; Peixoto,Paulo V.
Fonte: Colégio Brasileiro de Patologia Animal - CBPA; Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA) Publicador: Colégio Brasileiro de Patologia Animal - CBPA; Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/07/2010 PT
Relevância na Pesquisa
45.75%
Monofluoracetato de sódio (MF) foi identificado, por cromatografia, em três das doze plantas que causam morte súbita em bovinos no Brasil, incluindo Palicourea marcgravii, a mais importante desse grupo. Uma lesão considerada típica por alguns autores para intoxicação foi¹ a degeneração hidrópico-vacuolar dos túbulos uriníferos contorcidos distais (DHV). O objetivo deste trabalho foi verificar se a ingestão de MF induz sinais clínicos e lesões similares às observadas nos bovinos intoxicados pelas plantas que causam morte súbita. Seis vacas receberam, por via oral, 0,5 e 1,0mg/kg de MF diluídos em 50mL de água destilada. Clinicamente, os animais apresentaram taquicardia, jugular repleta com pulso venoso positivo, respiração abdominal, ligeira perda de equilíbrio, por vezes cambaleavam, deitavam e apoiavam a cabeça no flanco. Na fase final (agônica), todos os animais caíam em decúbito lateral, esticavam os membros, faziam movimentos de pedalagem, apresentavam opistótono, nistagmo, mugidos e a morte ocorria em 2-14 minutos. À necropsia verificaram-se aurículas, jugulares, ázigos e pulmonares moderadamente ingurgitadas. Observaram-se ainda leve a moderado edema da subserosa nos locais de fixação da vesícula biliar no fígado...

Estenoses biliares benignas: reparação e resultados com o uso de silastic transhepático transanastomótico

Sampaio,José Artur; Kruse,Cristine Kist; Passarin,Thiago Luciano; Waechter,Fábio Luiz; Nectoux,Mauro; Fontes,Paulo Roberto Ott; Pereira-Lima,Luiz
Fonte: Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva Publicador: Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2010 PT
Relevância na Pesquisa
66.13%
RACIONAL: Os avanços da medicina nem sempre estão relacionados a bons resultados homogêneos para todos os pacientes. Este é o caso de colecistectomia laparoscópica, cujas vantagens são amplamente reconhecidos na literatura médica. No entanto, ela pode trazer consigo temida e grave complicação que é lesão iatrogênica da via biliar extra-hepática. Ela vem aumentando nos últimos anos, apesar da curva de aprendizagem já estar ultrapassada na maioria dos centros. Está estabilizada em nível mais elevado do que o registrado nas colecistectomias laparotômicas. Na reparação das grandes lesões bom resultado pode ser alcançado com a utilização de tubos transanastomóticos em associação à hepaticojejunostomias. OBJETIVOS: Relatar 20 anos de experiência na reconstrução das vias biliares por lesão ductal com o uso de tubos transanastomóticos. MÉTODOS: Foram analisados os dados de 338 pacientes que se submeteram à operação para as principais lesões do ducto biliar entre janeiro de 1988 e dezembro de 2009. RESULTADOS: Todos os 338 pacientes foram submetidos à hepaticojejunostomias com anastomoses em Y-de-Roux (Hepp-Couinaud) ou colangiojejunostomias, todos com o uso de tubos de silastic transanastomóticos. A longo prazo...

Metástases hepáticas de câncer colorretal: estudo do impacto prognóstico das vias de disseminação tumoral e da presença de mucina em pacientes submetidos à ressecção hepática com intenção curativa; Colorectal cancer liver metastasis: clinical impact of the mechanisms of intrahepatic tumor dissemination and the presence of mucin in surgically resected patients

Lupinacci, Renato Micelli
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 04/08/2015 PT
Relevância na Pesquisa
36.01%
INTRODUÇÃO: A ressecção de metástases hepáticas (MH) do câncer colorretal (CCR) é considerada segura e potencialmente curativa. Apesar dos avanços no diagnóstico e nas estratégias cirúrgicas até 70% dos pacientes operados vão apresentar recidiva. Os critérios prognósticos clínico-patológicos disponíveis são insuficientes e a utilidade de modelos prognósticos é considerada inconsistente. Deste modo, torna-se necessário o desenvolvimento de novos critérios que se apoiam em outras variáveis biológicas. A disseminação intra-hepática de metástases de câncer colorretal pode ocorrer através de diferentes vias: linfática, sanguínea (vasos portais), através dos sinusóides ou de ductos biliares. Embora estas vias tenham sido bem descritas, o valor prognóstico de cada uma após a ressecção hepática não está completamente definido. O adenocarcinoma colorretal mucinoso (ACM) é um subtipo de carcinoma colorretal com importante produção mucina, e que está associado clinicamente a tumores proximais, estágio avançado no momento do diagnóstico, instabilidade de microssatélites e mutação do gene BRAF. Há controvérsias sobre o impacto prognóstico da histologia mucinosa nos tumores colorretais primitivos e o seu papel nas lesões metastáticas hepáticas permanece desconhecido. O objetivo do nosso estudo foi determinar a frequência e elucidar o impacto prognóstico de quatro vias diferentes de disseminação intra-hepática assim como da histologia mucinosa em uma série consecutiva de pacientes operados por MH de CCR. PACIENTES E MÉTODOS: Os prontuários de 132 pacientes submetidos à ressecção cirúrgica de MH de CCR entre dezembro de 1999 e janeiro de 2010 foram revisados. Os pacientes que faleceram por complicações pós-operatórias (n= 3)...

Percutaneous transhepatic cholangiography. Diagnostic advantage in the cholestasis patient.; Colangiografia percutânea transhepática. Interesse diagnóstico no doente com colestase.

Camilo, Ermelinda A.; Serviço de Medicina 2. Hospital Universitário de Santa Maria. Centro de Gastrenterologia do INIC. Lisboa; Pinto Correia, J.; Serviço de Medicina 2. Hospital Universitário de Santa Maria. Centro de Gastrenterologia do INIC.
Fonte: Ordem dos Médicos Publicador: Ordem dos Médicos
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; article; article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: application/pdf
Publicado em 31/12/1981 POR
Relevância na Pesquisa
35.87%
Apresentamos os resultados de 328 colangiografias percutâneas transhepáticas (C.P.T.), realizadas com agulha de Chiba, em doentes com colestase. Obteve -se boa visualização em 90% dos casos com obstrução extrahepática e apenas em 35% das colestases intrahepáticas. Verificaram-se complicações em 12 doentes (3,7%), dos quais 3 (0,9%) tiveram de ser submetidos a intervenções de urgência. Em 49 doentes foi avaliada prospectivamente a capacidade de rigor diagnóstico da técnica. O diagnóstico foi exacto em 88% dos casos de colestase extrahepática. Na interpretação da etiologia da lesão sublinha-se o significado da morfologia da obstrução da via biliar e do tipo de dilatação da árvore biliar intrahepática. Aponta-se o desenvolvimento da técnica de drenagem das vias biliares de que a colangiografia transhepática é o primeiro passo.

Laparoscopic Cholecystectomy and Open Cholecystectomy in Acute Cholecystitis: Critical Analysis of 520 Cases; Colecistectomia por Laparoscopia e por Laparotomia na Colecistite Aguda: Análise Crítica de 520 Casos

Teixeira, João Araújo; Serviço de Cirurgia. Faculdade de Medicina. Universidade do Porto/Hospital de S. João. Porto. Portugal.; Ribeiro, Carlos; Serviço de Cirurgia. Faculdade de Medicina. Universidade do Porto/Hospital de S. João. Porto. Portugal.;
Fonte: Ordem dos Médicos Publicador: Ordem dos Médicos
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: application/pdf; application/pdf
Publicado em 30/12/2014 POR; ENG
Relevância na Pesquisa
56.15%
Introduction: Despite the skepticism with which it was initially seen, laparoscopic cholecystectomy is now the technique of choice for acute cholecystitis. It is, however, important to evaluate the results in comparison with classic cholecystectomy, since the latter is still used by some surgeons in certain situations.Material and Methods: Our research corresponds to the analysis of 520 patients operated on for acute cholecystitis performed in the department of surgery at the São João Hospital in Oporto - 412 (79.2%) laparoscopic cholecystectomies and 108 (20.8%) open cholecystectomies - from 2007 to 2013. We evaluated comorbidities, leukocytosis, time between diagnosis and surgery, ASA, per and postoperative complications, mortality, reoperations, lesion of main bile duct, conversion rate and hospital stay, in order to compare these two techniques. The conversion group was included in laparoscopic cholecystectomy. Statistical analysis was based on descriptive statistic procedures and the evaluation of contrast between groups was based on Fishers’ exact test. Significant values were considered for p < 0.05.Results: Laparoscopic Cholecystectomy versus Open Cholecystectomy: Mortality: 0.7% vs 3,7% (p = 0.0369); Peroperative complications: 3.6% vs 12.9% (p = 0.0006); Surgical postoperative complications: 7.7% vs 17.5% (p = 0.0055); Medical postoperative complications: 4.3% vs 5.5% (p = 0.6077); Lesion of the main bile duct: 0.9% vs 1.8% (p = 0.6091); Reoperation: 2.9% vs 5.5% (p = 0.2315); Hospital stay up to 4 days after surgery: 64.8% vs 18.5% (p < 0.001). The convertion rate was of 10.7%: 8.8% in early surgery (before 4 days after de diagnosis) and 13.7% in the late surgery (after this time but in the same stay) (p = 0.1425). Multiple causes led to convertion: surgical complications (biliary lesions...

Causa rara de icterícia obstrutiva

Santos,Liliana; Coimbra,João; Sousa,Isabel; Ramos,Gonçalo; Carvalho,Ana; Martins,João
Fonte: Sociedade Portuguesa de Gastrenterologia Publicador: Sociedade Portuguesa de Gastrenterologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2012 PT
Relevância na Pesquisa
45.97%
A hemobilia é uma afecção rara, que < 10% dos casos está associada a neoplasias hepáticas ou intra‑biliares. Apresentamos um doente com cirrose hepática alcoólica, internado por icterícia e colúria. A colangiopancreatografi a retrógrada endoscópica (CPRE) não revelou dilatação ou alterações endoluminais da via biliar principal, tendo‑se extraído microcálculos após exploração com balão de Forgaty e cesto de Dormia. Vinte e quatro horas após o procedimento, verifi cou-se agravamento da icterícia, tendo repetido CPRE que mostrou a presença de coágulos na via biliar principal. A investigação clínica subsequente revelou uma lesão nodular hepática com 6 cm de diâmetro e extensão para a árvore biliar peri‑hilar. O doente faleceu ao 33º dia de internamento por choque séptico secundário a infecção respiratória