Página 1 dos resultados de 881 itens digitais encontrados em 0.003 segundos

Visceral leishmaniasis in Brazil: trends and challenges; Leishmaniose visceral no Brasil: evolução e desafios

Maia-Elkhoury, Ana Nilce Silveira; Alves, Waneska A.; Sousa-Gomes, Marcia Leite de; Sena, Joana Martins de; Luna, Expedito José de Albuquerque
Fonte: Rio de Janeiro Publicador: Rio de Janeiro
Tipo: Artigo de Revista Científica
ENG
Relevância na Pesquisa
67.06%
The urbanization of visceral leishmaniasis in Brazil has been related to environmental changes, migration, interaction and spread of sylvatic reservoirs and infected dogs to areas with no transmission, and adaptation of the vector Lutzomyia longipalpis to the peridomiciliary environment. From 1980 to 2005, Brazil recorded 59,129 cases of visceral leishmaniasis, 82.5% of which in the Northeast region. Visceral leishmaniasis gradually spread to other regions of the country: in 1998 these other regions reported 15% of all cases, but by 2005 this proportion had increased to 44%. From 1998 to 2005, indigenous cases were reported in 1,904 different municipalities of the country (34.2%). Reservoir and vector control pose major challenges for disease control, since there is a need for better knowledge of vector behavior in urban areas, and control activities involve high operational costs. In recent years the Brazilian Ministry of Health has supported research on the laboratory diagnosis of infection and disease in humans and dogs, treatment of patients, evaluation of the effectiveness of control strategies, and development of new technologies that could contribute to the surveillance and control of visceral leishmaniasis in the country.; A urbanização da leishmaniose visceral tem sido relacionada a modificações ambientais causadas por ações antrópicas...

Canine visceral leishmaniasis and Chagas disease among dogs in Araguaína, Tocantins; Leishmaniose visceral canina e doença de Chagas em cães de Araguaína, Tocantins

Morais, Arielle Nunes; Sousa, Marlos Gonçalves; Ekman, Luciana Regina Meireles Jaguaribe; Kesper Jr, Norival; Umezawa, Eufrosina Setsu
Fonte: Jaboticabal Publicador: Jaboticabal
Tipo: Artigo de Revista Científica
ENG
Relevância na Pesquisa
67.01%
The present study analyzed serum samples from 111 male and female dogs of various ages from the municipality of Araguaína in the State of Tocantins, Brazil. Serological diagnosis of canine visceral leishmaniasis (CVL) was initially performed at the Central Laboratory (Laboratório Central – LACEN) of Araguaína, resulting in 61 positive samples by an indirect immunofluorescence assay (IIFA) (≥1:40) and 50 non-reactive samples. The same samples were analyzed at the São Paulo Institute of Tropical Medicine (Instituto de Medicina Tropical de São Paulo – IMTSP) by an enzyme- linked-immunosorbent assay (ELISA), resulting in 57 positive samples (51.35%) and 54 negative samples (48.64%). The Kappa coefficient of agreement between the tests was 0.74. The serum samples were also subjected to a diagnostic assay for Trypanosoma cruzi (Trypomastigote Excreted/Secreted Antigens -TESA-blot) that detected five suspect animals; three of those animals were positive for leishmaniasis by ELISA but negative by IIFA. These findings suggest that the canine population of Araguaína may be simultaneously infected with Leishmania chagasi and T. cruzi. The results obtained demonstrate the difficulty of using serology to detect CVL, thus emphasizing the necessity for a reference test to diagnose CVL...

Avaliação imunodiagnóstica de antígenos excretados-secretados de L. (L.) amazonensis, L. (V.) braziliensis e L.(L.) chagasi na Leishmaniose visceral humana e canina.; Evaluation of excreted-secreted antigens of L. (L.) amazonensis, L. (V.) braziliensis and L. (L.) chagasi in immunodiagnosis of human and dog Visceral leishmaniasis.

Cancino, Viviana Vanessa Pinedo
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 20/08/2009 PT
Relevância na Pesquisa
67.01%
A Leishmaniose visceral é um problema que cresce no Estado de São Paulo afetando o homem e o cão. Os exoantígenos da membrana das leishmanias são liberados no meio de cultura. Os exoantígenos são importantes na indução da imunidade mediada pelas células T e B estimulando a produção elevada de anticorpos. Realizamos uma avaliação comparativa por ELISA e Immunoblotting de exoantígenos e antígenos totais de L. (L.) amazonensis, L. (V.) braziliensis e L. (L.) chagasi, no diagnóstico da leishmaniose visceral humana e canina. Obteve-se por ELISA sensibilidade de 100% para ambos os preparados antigênicos independente da espécie de Leishmania. A melhor especificidade em humanos e cães foi com os exoantígenos. O exoantígeno da L. (L.) chagasi teve a melhor especificidade e média de absorbâncias comparadas aos das outras espécies (p<0.005). Para o hospedeiro humano o ELISA com exoantígenos, não discriminou pacientes com leishmaniose cutânea e ou mucocutânea. O Immublotting dos exoantígenos de L. (L.) chagasi (IBleish) apresentou 100% de sensibilidade e especificidade para os cães. Os dados do IBleish-L. (L.) chagasi demonstraram a possibilidade de sua utilização como método confiável para a confirmação do diagnóstico da leishmaniose canina.; The visceral leishmaniasis is a new problem that grows in the State of São Paulo...

Leishmaniose Visceral: raça canina e perfil lipídico; Visceral leishmaniasis: canine breeds and lipid profile

Fonseca, Andre Luis Soares da
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 05/12/2013 PT
Relevância na Pesquisa
67.04%
A leishmaniose visceral, causada no Brasil por protozoários da espécie Leishmania (L.) infantum, apresenta-se nos canídeos com manifestações similares à doença humana. Diversos trabalhos tem investigado a relação entre raças caninas e suscetibilidade/resistência à doença sendo as alterações lipídicas consideradas também nessa avaliação. Para avaliar o grau de comprometimento conforme a raça e as alternações lipídicas nos cães portadores de leishmaniose visceral, analisamos alterações hematológicas e bioquímicas frente à manifestação da doença em diferentes raças ou grupos raciais. Para tanto, incluímos 162 cães de área endêmica, sem histórico de outras patologias ou de vacinação contra leishmaniose, organizados em grupos de cães naturalmente infectados segundo a raça, quais sejam, Boxer, Labrador, Pit Bull, Sem Raça Definida (SRD) e Outras Raças, e grupo controle não infectados. Na avaliação das manifestações clínicas, dividimos os animais, dentro de cada grupo de cães infectados em assintomáticos (sem nenhum sinal clínico), oligossintomáticos (de 1 a 3 sinais clínicos) e polissintomáticos (acima de 3 sinais clínicos). As raças/grupos formadas pelo total de cães infectados (assintomáticos + oligossintomáticos + polissintomáticos) também foram avaliados segundo o escore de gravidade da infecção. Para analisar as possíveis alterações laboratoriais decorrentes da infecção de cães por Leishmania (L.) infantum foram realizados hemograma...

Análise comparativa do teste imunocromatográfico DPP-Biomanguinhos com ELISA e RIFI no diagnóstico da leishmaniose visceral canina; Comparative analysis of DPP-Biomanguinhos immunoassay with ELISA and IFAT for the diagnosis of canine visceral leishmaniasis

Leandro Junior, Marcos Vinicius de Santana
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 26/05/2014 PT
Relevância na Pesquisa
67.06%
Com o objetivo de avaliar o desempenho do teste rápido DPP® LVC comparando com os testes de ELISA e RIFI (Bio-Manguinhos, Br), assim como ELISA e RIFI in-house, empregando como antígeno formas promastigotas de L. (L.) infantum chagasi, com ênfase a reatividade cruzada com outros agentes infecciosos, soros de cães infectados por L. (L.) infantum chagasi, clinicamente sintomáticos (n=48) e assintomáticos (n=39), assim como soros de cães sadios e não infectados (n=18), e soros de cães infectados por Babesia canis (n=9), Dirofilaria immitis (n=4), Trypanosoma cruzi (n=6), Ehrlichia canis (n=17), Neospora caninum (n=6), Toxoplasma gondii (n=9), Neospora/Toxoplasma coinfecção (n=4) e Toxocara canis (n=9) foram avaliados pelas diferentes técnicas de diagnóstico. DPP e ELISA in-house mostraram alta sensitividade (90.81% e 94.25%) e especificidade (95.06% e 97.53%), respectivamente para o diagnóstico de LVC sintomática e assintomática, mas apresentaram reação cruzada com Babesia canis, 44% para DPP e 22% para ELISA in-house. Os dois testes mostraram uma excelente concordância de resultados (kappa=0.9405, p < 0.0001). ELISA Bio-Manguinhos assim como o RIFI Bio-Manguinhos e RIFI in-house mostraram boa sensitividade (90.81%...

Comparação entre os métodos de ELISA, imunofluorescência indireta e imunocromatografia para o diagnóstico da leishmaniose visceral canina

Zanette, Maurício Franco
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 70 f. : il. + 1 CD-ROM
POR
Relevância na Pesquisa
67.06%
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Pós-graduação em Ciência Animal - FMVA; A importância do diagnóstico da leishmaniose visceral canina no Brasil reside no fato de que, dentre as estratégias de controle da doença indicadas pela Fundação Nacional de Saúde, encontra-se a eliminação do cão doméstico sorologicamente positivo. Desta forma, torna-se necessário o conhecimento da sensibilidade e da especificidade das provas sorológicas utilizadas para a correta identificação destes animais. Para avaliar o desempenho dos métodos sorológicos no diagnóstico da leishmaniose visceral canina, foram determinadas e comparadas as características dos métodos de ELISA, reação de imunofluorescência indireta (RIFI) e imunocromatografia, adotando-se como padrão o método parasitológico. Para tanto, foram utilizados 50 cães naturalmente acometidos por leishmaniose visceral e 45 cães sadios provenientes de área não endêmica para a doença. A RIFI revelou sensibilidade de 98% e especificidade de 91,1%, além de ótima concordância com o método parasitológico (Kappa = 0,893). Os métodos de ELISA e de imunocromatografia apresentaram boa concordância com o método parasitológico (coeficientes Kappa de 0...

Avaliação radiográfica das articulações dos membros locomotores de cães naturalmente acometidos por leishmaniose visceral no município de Araçatuba-SP

Silva, Alexandre Redson Soares da
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 65 f : il. + 1 CD-ROM
POR
Relevância na Pesquisa
67.04%
Pós-graduação em Ciência Animal - FMVA; A leishmaniose visceral pode ser incluída como uma das causas de poliartrite inflamatória em cães, entretanto, são escassas e contraditórias as informações sobre as lesões osteoarticulares associadas a esta enfermidade. Partindo-se da hipótese de que cães infectados por Leishmania chagasi apresentam distúrbios locomotores, investigou-se a freqüência, distribuição e caracterização dos achados radiográficos e do líquido sinovial das articulações do cotovelo, cárpica, joelho e társica, de 100 cães com o diagnóstico parasitológico e sorológico positivo para leishmaniose visceral. Radiograficamente observou-se a presença de lesões osteoarticulares em 83% dos cães, tais como, irregularidade do trabeculado ósseo (28,62%), esclerose subcondral (20,77%), osteólise (18,12%), edema (12,93%), colapso articular (12,71%), osteólise e proliferação óssea associada (3,98%), proliferação óssea (2,65%), aumento de opacidade medular e fratura patológica (0,11%) respectivamente, sendo as articulações társicas (75%) e cárpicas (54%) as mais acometidas. A avaliação citológica foi realizada em 603 de 800 articulações estudadas, onde 199 apresentaram formas amastigotas de Leishmania sp....

Detecção imunoistoquímica de linfócitos T (CD3+) e B (CD79+) no encéfalo de cães com leishmaniose visceral e presença de anticorpos séricos anti-Toxoplasma gondii e anti-Neospora caninum

Sakamoto, Keila Priscilla
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 79 f. : il. + 1 CD-ROM
POR
Relevância na Pesquisa
67.09%
Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP); Pós-graduação em Ciência Animal - FMVA; A Leishmaniose visceral é uma enfermidade que possui uma grande variabilidade de manifestações clínicas, em humanos como em cães. Cães cronicamente infectados podem desenvolver desordens neurológicas, contudo, há poucos relatos que caracterizam as lesões e elucidam a patogenia da leishmaniose cerebral canina. Considerando a imunossupressão associada à leishmaniose visceral e que os patógenos oportunistas Toxoplasma gondii e Neospora caninum podem colaborar para a ocorrência de lesões no sistema nervoso central de cães naturalmente infectados por Leishmania chagasi, as populações de linfócitos B (CD79+) e T (CD3+) foram avaliadas no tecido nervoso de cães portadores de leishmaniose visceral e que possuem soropositividade para T. gondii e N. caninum. Lesões inflamatórias, caracterizadas por acúmulos de células mononucleares compostos principalmente por linfócitos T CD3+ predominaram em diversas regiões encefálicas dos cães infectados (P = 0,0012). Linfócitos B CD79+ foram detectados em pequena intensidade, não havendo diferença entre os grupos (P = 0,3604). Os resultados obtidos sugerem que a co-presença de leishmaniose visceral...

Manifestações clínicas, laboratoriais e a função dos fagócitos em crianças com leishmaniose visceral tratadas com glucantime

Cardoso, Vanessa Viana
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
PT_BR
Relevância na Pesquisa
67.13%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Medicina, 2007.; A leishmaniose visceral é caracterizada pela visceralização da leishmânia pelo sistema fagocítico-mononuclear. A expressão clínica da doença depende de fatores como a espécie e virulência da cepa e o tipo de resposta do sistema imunitário, características individuais, genética e o meio ambiente em que o indivíduo está inserido. O glucantime continua sendo a droga de primeira escolha no tratamento desta doença e a resposta clínica ao tratamento depende da inter-relação de vários fatores. O objetivo deste trabalho foi avaliar a influência do glucantime sobre a função dos monócitos e neutrófilos de crianças com leishmaniose visceral. Foram avaliados os parâmetros clínico-evolutivos e a função dos fagócitos de 23 crianças com leishmaniose visceral e 18 crianças controles sem a doença. A capacidade fagocitária dos monócitos e neutrófilos e a capacidade microbicida foram avaliadas antes, após 48 h e ao final do tratamento com glucantime. O teste de fagocitose foi realizado utilizando-se Saccharomyces cerevisiae, pelos receptores que reconhecem padrões moleculares de patógenos e pelos receptores que reconhecem os componentes do complemento e porção Fc da IgG. A produção de ânions superóxido foi avaliada pelo teste do nitroblue tetrazolium. A desnutrição foi mais freqüente entre as crianças com leishmaniose visceral...

Leishmaniose visceral : estudo retrospectivo de fatores associados à letalidade; Visceral leishmaniasis : retrospective study on factors associated with lethality

Alvarenga, Daniel Gomes de; Escalda, Patrícia Maria Fonseca; Costa, Alexandre Sylvio Vieira da; Monreal, Maria Tereza Ferreira Duenhas
Fonte: Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - SBMT Publicador: Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - SBMT
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
67.07%
INTRODUÇÃO: A leishmaniose visceral é um problema de saúde pública, com grau de letalidade alcançando 10%. Para o tratamento medicamentoso, é recomendado o antimoniato de metilglucamina. Este estudo tem como objetivo avaliar o uso de medicamento em casos de leishmaniose visceral atendidos no Serviço de Infectologia do Núcleo de Hospital Universitário de Campo Grande Estado do Mato Grosso do Sul. MÉTODOS: Para coleta de dados, foram pesquisados prontuários de 76 pacientes com diagnóstico de leishmaniose visceral atendidos pelo Serviço de Infectologia do Hospital Universitário de Campo Grande. RESULTADOS: Foram analisados prontuários de 76 (28,9%) pacientes (56 homens e 20 mulheres) apresentavam comorbidades. Como droga de 1ª escolha, 88,2% dos pacientes utilizaram o antimoniato-N-metil glucamina com evolução para óbito de 18,4%. A análise de sobrevida mostrou diferença estatisticamente significativa em pacientes com e sem comorbidades (p< 0,0001) e com comorbidade que fizeram uso de Glucantime® (p <0,0009). A letalidade de 18,4% sinaliza ineficiência das medidas de assistência a saúde adotadas. CONCLUSÕES: Os resultados sugerem que o prognóstico da doença torna-se ruim quando associado à presença de comorbidades e que o tratamento deve ser criterioso...

A expansão da epidemia da leishmaniose visceral no Estado de Mato Grosso, 1998-2005

Mestre,Gustavo Leandro da Cruz; Fontes,Cor Jésus Fernandes
Fonte: Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - SBMT Publicador: Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - SBMT
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2007 PT
Relevância na Pesquisa
67.02%
Uma epidemia de leishmaniose visceral teve início em 1998 na Região Metropolitana de Cuiabá, capital de Mato Grosso, atingindo hoje 34 (24,1%) dos 141 municípios do estado. Entre janeiro de 1998 e dezembro de 2005, foram notificados 138 casos autóctones, predominando o sexo masculino (58%), crianças (51,5%) de 0-9 anos e residentes (66,7%) de áreas urbanas. A leishmaniose visceral canina foi identificada em 41 municípios, com soropositividade de 9% em 40.000 cães examinados. Lutzomyia longipalpis e/ou Lutzomyia cruzi foram capturadas em 14 dos 18 municípios que registraram simultaneamente leishmaniose visceral humana e canina. Os resultados indicam que a transmissão da leishmaniose visceral dissemina-se para o interior do estado, acompanhando o fluxo migratório e o processo de ocupação urbana desordenada das cidades. A presença isolada de Lutzomyia cruzi em municípios com alta incidência de casos humanos e caninos de leishmaniose visceral sugere possível participação desta espécie na cadeia de transmissão dessa parasitose em Mato Grosso.

Avaliação do nível de conhecimento e de atitudes preventivas da população sobre a leishmaniose visceral em Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil

Borges,Bárbara Kellen Antunes; Silva,José Ailton da; Haddad,João Paulo Amaral; Moreira,Élvio Carlos; Magalhães,Danielle Ferreira de; Ribeiro,Letícia Mendonça Lopes; Fiúza,Vanessa de Oliveira Pires
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2008 PT
Relevância na Pesquisa
67.09%
Objetivou-se avaliar o nível de conhecimento e algumas atitudes preventivas em relação à leishmaniose visceral em Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil, em 2006. Foi feito um estudo de caso-controle, com visitas domiciliares e questionário semi-estrurado. Comparou-se dois grupos: (1) 82 casos humanos de leishmaniose visceral ocorridos em 2004 e (2) 164 controles, constituídos por vizinhos dos casos. A leishmaniose visceral acometeu mais em crianças, com aumento do risco de contrair leishmaniose visceral de 109,77 vezes para menores de dez anos. O homem demonstrou ter 2,57 vezes mais chances de adoecer que a mulher. A escolaridade da população mostrou-se baixa (68,3% não completaram o ensino médio). Cinqüenta por cento dos casos desconheciam-na quando foram infectados e apenas 1,2% conhecia o vetor. Conhecer algo sobre a leishmaniose visceral minimizou o risco de adoecer em 2,24 vezes. Quanto às atitudes de proteção, o risco de se contrair leishmaniose visceral diminui em 1,94 vez para pessoas que mantêm limpos os domicílios ou que levam o cão ao veterinário. Em Belo Horizonte, o conhecimento da população perante a leishmaniose visceral é superficial e as atitudes preventivas inespecíficas.

Leishmaniose visceral canina: aspectos clínicos e de diagnóstico

Carvalho, Joyce Katiuccia Medeiros Ramos
Fonte: Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Publicador: Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
67.07%
O objetivo desta dissertação foi realizar estudo sobre aspectos clínicos e de diagnóstico da leishmaniose visceral canina, em Campo Grande, MS. No primeiro estudo foram examinados 195 cães soropositivos do Centro de Controle de Zoonoses, agrupados em sintomáticos, oligossintomáticos e assintomáticos. A confirmação parasitológica por meio do exame parasitológico direto em distensão medular e/ou mielocultura ocorreu em 69,7% das amostras. Esses métodos apresentaram-se significativamente associados. O quadro clínico do cão com leishmaniose visceral, em Campo Grande, MS, não difere de outras regiões do país, apresenta um espectro de características clínicas que varia do aparente estado sadio a grave apresentação sintomática. A associação do exame parasitológico direto em distensão medular com a mielocultura, em cães soropositivos, aumenta as chances de diagnóstico preciso da leishmaniose visceral canina. No segundo estudo foram amostrados 100 cães dos 195 provenientes do primeiro estudo. As metodologias de exame parasitológico direto em distensão medular e imunohistoquímica mostraram-se eficientes na confirmação parasitológica da infecção por Leishmania, independente da manifestação clínica. A associação do exame por imunohistoquímica de pele e parasitológico direto em distensão medular...

PRC em sangue periférico como ferramenta no diagnóstico e no controle de cura da leishmaniose visceral em crianças

Fraga, Thiago Leite
Fonte: Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Publicador: Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
67.05%
No Brasil e em vários outros locais onde a leishmaniose visceral é prevalente, as crianças são as mais acometidas pela doença. Um dos principais problemas para a realização do diagnóstico na infância diz respeito à coleta das amostras biológicas, pois esta envolve procedimentos invasivos, que causam dor e desconforto ou podem apresentar acidentes potencialmente fatais. O controle de cura da patologia também apresenta dificuldades, pois apesar da volta à normalidade das alterações clínicas e laboratoriais após um curso de tratamento, a doença é sujeita a recidivas. As técnicas moleculares, como a PCR, têm sido cada vez mais utilizadas no diagnóstico e no monitoramento após o tratamento de pacientes com leishmaniose visceral. No entanto, os estudos que empregam esses métodos em crianças são escassos ou abrangem um número pequeno de participantes. Este trabalho foi realizado com o objetivo de avaliar a utilidade da PCR em sangue periférico no diagnóstico da LV em crianças no Mato Grosso do Sul, Brasil, comparando-a com métodos diagnósticos que utilizam coleta de tecidos através de procedimentos menos invasivos (microscopia direta, cultura e PCR em aspirado de sangue medular). Objetivou-se também analisar o emprego da técnica no controle de cura durante (1...

Análise dos indicadores de lesão miocárdica em cães com leishmaniose visceral

Godoy, Kelly Cristina da Silva
Fonte: Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Publicador: Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
67.09%
A leishmaniose visceral é uma importante protozoonose de transmissão vetorial causada pela Leishmania (Leishmania) infantum chagasi e pode acometer diversas espécies, inclusive o homem. O envolvimento sistêmico e a evolução da leishmaniose visceral apresentam similaridades entre as espécies canina e humana. O cão é o principal reservatório e importante modelo experimental da parasitose. A doença promove manifestações clínicas inespecíficas e variáveis, dependendo do orgão envolvido e da resposta imunológica individual. Os órgãos do sistema fagocítico mononuclear e o tecido renal são os mais acometidos, com raros relatos, até o momento, do envolvimento miocárdico. Portanto o objetivo deste estudo foi avaliar os indicadores laboratoriais, eletrocardiográficos e histológicos de lesão cardíaca em diferentes grupos clínicos de cães com leishmaniose visceral. Foram analisados marcadores séricos, traçado eletrocardiográfico e fragmentos de tecido cardíaco de 41 cães naturalmente infectados, distribuídos em três grupos: assintomático, oligossintomático e sintomático. Todos os animais apresentaram aumento na atividade sérica da enzima creatina quinase fração MB. No traçado eletrocardiográfico...

Fatores de risco de Leishmaniose Visceral em cães no município de Panorama, Estado de São Paulo, SP, Brasil; Risks factors of Visceral Leishmaniasis in dogs in Panorama, São Paulo, State, Brazil

Villegas, Tatiana Jimenez
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 20/02/2015 PT
Relevância na Pesquisa
67.09%
A Leishmaniose Visceral Canina é uma doença na qual o ciclo de transmissão envolve a interação de vetores, parasitas, reservatórios e hospedeiros além de componentes ambientais, sociais, e biológicos, que tornam complexa a compreensão da dinâmica desta doença nas regiões endêmicas. Este estudo epidemiológico transversal de tipo caso controle objetivou a identificação de fatores sociodemográficos, socioeconômicos, ambientais, da dinâmica populacional canina e do estilo de vida dos cães, associados à ocorrência de Leishmaniose Visceral Canina no município de Panorama, estado de São Paulo, Brasil. Para a identificação destes fatores foi realizada um inquérito epidemiológico nos domicílios com cães positivos e negativos a Leishmaniose Visceral diagnosticados por sorologia no anos 2012 e 2013. Mediante um modelo de regressão logística foram considerados como fatores de risco para a ocorrência de Leishmaniose Visceral Canina: cães não castrados, cães que dormem fora de casa, famílias com renda inferior a três salários mínimos, presença de vegetação próximo do domicilio, não ter vidro na janela, ter vasos com plantas, ter arvores no quintal e aquisição de um cão no último ano. O desenvolvimento deste trabalho auxilia no programa de prevenção e controle da Leishmaniose Visceral Canina do Município de Panorama...

Vigilância da leishmaniose visceral americana no município de São Paulo; Surveillance of American visceral leishmaniasis in São Paulo municipality

Silva, Alessandra Ferreira da
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 14/08/2015 PT
Relevância na Pesquisa
67.08%
Introdução: As leishmanioses são doenças que se apresentam como um sério obstáculo ao desenvolvimento socioeconômico. A leishmaniose visceral americana (LVA) tem como agente etiológico a Leishmania (Leishmania) infantum chagasi, como reservatório doméstico principal o cão e os vetores são flebotomíneos (Diptera:Psychodidae). Objetivo: investigar a vulnerabilidade do município de São Paulo para a ocorrência de LVA, utilizando os parâmetros de casos humanos notificados, presença do vetor e infecção em reservatórios domésticos. Método: A área de estudo compreende a região dos distritos administrativos do Anhanguera, Jaraguá e Perus (município de São Paulo) que incluem o Parque do Anhanguera e o Parque estadual do Jaraguá. A justificativa para o estudo nessa área é o eixo viário oeste-leste de expansão da LVA no estado de São Paulo. Foram levantados notificações humanas de LVA entre os anos de 2007 a 2014, para análise espacial pelos programas SaTScan e Terra View, num total de 140 e nenhuma dessas é considerada autóctone. Realizamos levantamento entomológico nos parques Anhanguera e Jaraguá. A análise estatística foi realizada pelos cálculos da Média geométrica de Williams, pelo índice de diversidade de Shannon-Weaver (H) e a dominância pelo índice de Pielou (J) também foi calculado o índice de Abundância de espécies padronizado (IAEP). Realizamos inquérito canino amostral e obtivemos 126 amostras de sangue canino que foram submetidas aos testes EIE. Foram colhidas amostras de Swab bucal do cão sororreagente e contactantes...

Avaliação da resposta imunológica de cães vacinados com a vacina FML (Leishmune®) e cães naturalmente infectados com leishmaniose visceral canina por meio de dois métodos sorológicos : ELISA e RIFI; Leishmune®-vaccinated versus naturally infected dogs with canine visceral leishmaniais serologigal diagnostic differentiation

Fabiana Farinello Grecco Barichello
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 20/08/2010 PT
Relevância na Pesquisa
67.04%
A Leishmaniose Visceral Canina, doença grave e fatal, tem o cão como o principal reservatório do seu agente etiológico no meio urbano. Devido ao alto parasitismo cutâneo nestes animais, da quantidade de cães infectados, e do próximo convívio com o homem, as ações desenvolvidas pelo Programa Brasileiro de Controle da Leishmaniose Visceral são centradas no reservatório canino, através da identificação e eutanásia dos animais soropositivos. Sendo assim, a adoção de ações profiláticas, com a utilização de vacinas nos cães, constituiria uma importante ferramenta para a diminuição da doença nestes animais, e consequentemente, da infecção do vetor e da transmissão do agente. Além disso, a adoção de medidas profiláticas, como o uso de coleiras impregnadas com deltametrina, repelentes de uso tópico e vacinas, são as únicas alternativas disponíveis atualmente para os cães, pois no Brasil, o tratamento de cães está proibido desde a publicação da Portaria Interministerial nº 1.426, de 11 de julho de 2008. Apesar de disponível desde 2004, a vacina Leishmune® ainda não é amplamente utilizada no Brasil, principalmente devido à possibilidade dos cães vacinados apresentarem sorologia positiva em inquéritos epidemiológicos...

Análise dos registros de leishmaniose visceral pelo método de captura-recaptura; Analysis of visceral leishmaniasis reports by the capture-recapture method

Maia-Elkhoury, Ana Nilce Silveira; Carmo, Eduardo Hage; Sousa-Gomes, Marcia Leite; Mota, Eduardo
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf; application/pdf
Publicado em 01/12/2007 POR; ENG
Relevância na Pesquisa
67.06%
OBJETIVO: Analisar o número de casos, óbitos, incidência e letalidade e estimar a subnotificação da leishmaniose visceral, bem como a cobertura dos sistemas nacionais de informações. MÉTODOS: Foram analisados casos confirmados de leishmaniose visceral com base nos sistemas: Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM) e Sistema de Informações Hospitalares (SIH), nos anos de 2002 e 2003. As variáveis utilizadas no relacionamento para identificação dos pares foram: nome do paciente, nome da mãe, data de nascimento, sexo, município de residência e endereço. Para cálculo das estimativas aplicou-se a metodologia de captura-recaptura, utilizando a fórmula de Chapman. RESULTADOS: A subnotificação estimada para casos de leishmaniose visceral no Sinan, em relação ao SIH e SIM, foi 42,2% e 45,0%, respectivamente. A subnotificação estimada de óbitos no SIM foi 53,0% e 46,5%, quando comparada com Sinan-óbitos e SIH-óbitos, respectivamente. Comparando o Sinan e o SIH, a incidência estimada foi de 2,9 por 100.000 habitantes, 70,5% mais alta que a encontrada utilizando somente os dados do Sinan. Da comparação dos dados do SIM e Sinan-óbitos a letalidade estimada de 8%...

Avaliação do nível de conhecimento e de atitudes preventivas da população sobre a leishmaniose visceral em Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil

Borges,Bárbara Kellen Antunes; Silva,José Ailton da; Haddad,João Paulo Amaral; Moreira,Élvio Carlos; Magalhães,Danielle Ferreira de; Ribeiro,Letícia Mendonça Lopes; Fiúza,Vanessa de Oliveira Pires
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2008 PT
Relevância na Pesquisa
67.09%
Objetivou-se avaliar o nível de conhecimento e algumas atitudes preventivas em relação à leishmaniose visceral em Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil, em 2006. Foi feito um estudo de caso-controle, com visitas domiciliares e questionário semi-estrurado. Comparou-se dois grupos: (1) 82 casos humanos de leishmaniose visceral ocorridos em 2004 e (2) 164 controles, constituídos por vizinhos dos casos. A leishmaniose visceral acometeu mais em crianças, com aumento do risco de contrair leishmaniose visceral de 109,77 vezes para menores de dez anos. O homem demonstrou ter 2,57 vezes mais chances de adoecer que a mulher. A escolaridade da população mostrou-se baixa (68,3% não completaram o ensino médio). Cinqüenta por cento dos casos desconheciam-na quando foram infectados e apenas 1,2% conhecia o vetor. Conhecer algo sobre a leishmaniose visceral minimizou o risco de adoecer em 2,24 vezes. Quanto às atitudes de proteção, o risco de se contrair leishmaniose visceral diminui em 1,94 vez para pessoas que mantêm limpos os domicílios ou que levam o cão ao veterinário. Em Belo Horizonte, o conhecimento da população perante a leishmaniose visceral é superficial e as atitudes preventivas inespecíficas.