Página 1 dos resultados de 29 itens digitais encontrados em 0.001 segundos

Infecção experimental de camundongos C57BL/6 por L.(L.) amazonensis na presença de saliva de Lu. longipalpis: estudo da relação parasito-hospedeiro com ênfase a parâmetros da imunidade; Experimental infection in C57BL/6 mice by L. (L.) amazonensis in the presence of Lu. longipalpis saliva: study of parasite host interaction with emphasis to the immunity parameters

Pernichelli, Tadeu
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 08/04/2009 PT
Relevância na Pesquisa
46.49%
Nós investigamos os efeitos da saliva de Lutzomyia longipalpis capturados no campo e colonizados em laboratório, na evolução da lesão e imunomodulação da infecção por Leishmania (Leishmania) amazonensis, uma espécie que é endêmica na América do Sul, onde causa Leishmaniose Cutânea, Leishmaniose Cutânea Disseminada Bordeline e Leishmaniose Cutânea Difusa Anérgica, com conseqüências graves aos pacientes. Com o intuito de comparar o efeito dos dois tipos de extrato de glândula salivar, camundongos C57BL/6 foram inoculados subcutaneamente no coxim plantar das patas traseiras e nas orelhas com 106 formas promastigotas de Leishmania (L.) amazonensis na presença de extrato de glândula salivar de vetores de captura e de colônia. O tamanho da lesão foi significantemente menor nos camundongos infectados com extrato de glândula salivar de vetores capturados, o que também determinou uma infiltração menos proeminente de macrófagos nas lesões e uma resposta Th2 mais branda quando comparada com aqueles inoculados com extrato de glândula salivar de vetores colonizados. Recentemente, foi mostradas diferenças nos compostos protéicos das glândulas salivares que poderiam parcialmente justificar a expressão da lesão. Portanto...

Expressão de Foxp3, IL-17 e IL-23 na Leishmaniose Tegumentar Americana causada por Leishmania (Leishmania) amazonensis e Leishmania (Viannia) braziliensis; Expression of Foxp3, IL-17 and IL-23 in American cutaneous leishmaniasis due Leishmania (Leishmania) amazonensis and Leishmania (Viannia) braziliensis

Menezes, Joyce Prieto Bezerra de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 13/09/2013 PT
Relevância na Pesquisa
56.73%
A leishmaniose tegumentar americana (LTA) apresenta um amplo espectro de manifestações clínicas e imunopatológicas resultante da interação entre as diferentes espécies de Leishmania e os mecanismos de resposta imune do hospedeiro. Leishmania (Viannia) braziliensis e Leishmania (Leishmania) amazonensis são as espécies de maior potencial patogênico para o homem e de importância médica no Brasil. As células TCD4, quando ativadas por antígenos via MHC II podem se diferenciar em linhagens de células efetoras como Th1, Th2, Th17 e células T reguladoras (Treg). IL-23 é indispensável para as funções efetoras e manutenção de células Th17. O objetivo deste trabalho foi avaliar a expressão de Foxp3, IL-17 e IL-23 em lesões cutâneas de pacientes com diferentes formas clínicas da LTA. Biópsias parafinadas de 44 pacientes foram submetidas à imunoistoquímica, sendo 6 casos de leishmaniose cutânea anérgica difusa (LCADIDRM-) e leishmaniose cutânea disseminada borderline (LCDBIDRM-), ambas causadas por L.(L) amazonensis e 16 casos de leishmaniose cutânea localizada (LCLIDRM+) também causada por L.(L.) amazonensis; 9 casos de LCLIDRM+, 2 casos de LCDBIDRM- e 5 casos de leishmaniose cutâneo-mucosa (LCMIDRM+), todos causados por L.(V.) braziliensis. A densidade de células Tregs Foxp3+ no espectro clínico da LTA mostrou um aumento progressivo partindo das formas centrais LCL causadas por L.(V.) braziliensis (170mm2) e L.(L) amazonensis (140mm2) para as formas polares...

Alterações ósseas na leishmaniose cutânea difusa (LCD) no Estado do Maranhão: aspectos clínicos, de imagens e histopatológico; -

Costa, Af Ali Uthant Moreira Lima da
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 03/12/2004 PT
Relevância na Pesquisa
66.79%
Introdução: ao longo da história da leishmaniose tegumentar (LT), o comprometimento do tecido ósseo foi pouco estudado, principalmente na forma clínica difusa (LCD). Os estudos que abordaram o tema concentraram-se nas observações clínicas, estudos radiográficos e na visão paleopatológica, numa tentativa de explicar as lesões ósseas que alguns indivíduos com LT apresentavam. A literatura sobre infecção óssea cita como agente causador de osteomielite no homem, principalmente, bactérias e fungos. Objetivo: estudar as alterações ósseas na leishmaniose cutânea difusa (LCD), através da cintilografia óssea trifásica, radiografias e histopatológico. Métodos: o presente estudo analisa a associação entre a Leishmania (Leishmania) amazonensis e as alterações ósseas em oito pacientes com LCD, procedentes de diversos pólos de produção da doença (LT) no Estado do Maranhão. Foram realizados, nesta investigação, dois estudos: observacional em humanos, utilizando exames de imagens (cintilografia óssea trifásica e radiografias) e histopatológico do tecido ósseo (Hematoxilina- Eosina, Imunohistoquímica, Ziehl-Neelsen e Gomori-Grocott); e um estudo experimental de infecção óssea crônica produzida pela Leishmania...

Expressão de marcadores de poptose e de Foxp3 nas diferentes formas clínicas da Leishmaniose Tegumentar Americana

Carneiro, Fabiana Pirani
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Tese
POR
Relevância na Pesquisa
56.74%
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Medicina, 2009.; Considerando o papel importante da apoptose e da célula T reguladora (Treg) na modulação da resposta imune, o objetivo deste estudo foi avaliar a expressão de proteínas envolvidas na apoptose e a expressão do fator de transcrição Foxp3 (marcador da célula Treg) em amostras de biópsia das diferentes formas clínicas da LTA (leishmaniose tegumentar americana): leishmaniose cutânea localizada (LCL), leishmaniose disseminada (LD), leishmaniose recidiva cútis (LRC), leishmaniose cutâneo-mucosa (LCM) e a leishmaniose cutânea difusa (LCD). Essa expressão foi correlacionada com dados clínico-laboratoriais, alterações histológicas e tipos celulares constituintes do infiltrado inflamatório. Foi avaliada a expressão imunohistoquímica de marcadores para linfócito T (CD45RO, CD4 e CD8), linfócito B (CD20), neutrófilo (CD15), macrófago (CD68), célula de Langerhans (CD1a), dos marcadores da apoptose (Bcl-2, Bak, Bcl-X, FasL, caspase-3 ativa) e do marcador para célula T reguladora (Foxp3) em 95 amostras de biópsias que foram distribuídas de acordo com as formas clínicas apresentadas pelos pacientes: LCL (n=68), LD (n=3), LRC (n=1), LCM (n=16) e LCD (n=7). Células apoptóticas (positivas para caspase-3 ativa) foram identificadas em apenas 49.33% (37/75) das amostras avaliadas. A maior expressão de caspase-3 ativa foi observada na LCL e houve uma correlação positiva entre a expressão de caspase-3 ativa e a expressão de FasL (r=0...

Estudo do comportamento clínico, efeito de drogas in vitro e identificação de proteínas de Leishmania isoladas de pacientes com Leishmaniose Tegumentar Americana que não responderam ao tratamento

Ayala Urdapilleta, Ada Amália
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Tese
POR
Relevância na Pesquisa
56.69%
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências Médicas, Programa de Pós-Graduação em Ciências Médicas, 2011.; No Brasil, a Leishmaniose Tegumentar Americana constitui um importante problema de saúde pública. É uma doença de difícil controle com aumento de casos que não respondem ao tratamento. Até o momento, não existe terapêutica ideal para as leishmanioses, contudo os antimoniais pentavalentes têm representado a droga de escolha com cura de 60 a 90%, nos últimos anos. A não resposta ao tratamento é complexa com vários fatores envolvidos tais como, a falha terapêutica vinculada à resposta do hospedeiro e a resistência do parasito as drogas. O objetivo deste estudo foi analisar isolados de L.(L.) amazonensis e L.(V.) braziliensis obtidos de lesão cutânea de portador de Leishmaniose Cutânea Difusa e Leishmaniose Cutânea Mucosa respectivamente com sucessivas falhas terapêuticas, comparados com Leishmanias controles. Os isolados dos pacientes foram estudados em relação a manifestação clínica, a ação de drogas in vitro e a identificação de proteínas. Os testes in vitro foram realizados com formas promastigotas e amatigotas axênicas testadas com antimônio pentavalente, miltefosina...

Comparação de parâmetros clínicos, laboratoriais e de imunidade celular entre a leishmaniose tegumentar americana com apresentação clínica esporotricóide e a forma de apresentação típica da doença

Carvalho, Lívia Martins Veloso de
Fonte: Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Dissertação
PT_BR
Relevância na Pesquisa
46.71%
A Leishmaniose Tegumentar Americana (LTA) apresenta formas clínicas variadas, podendo simular outras doenças. A forma esporotricóide da leishmaniose é relativamente incomum, e apresenta-se como úlcera de inoculação com nódulos e/ou gomas ao longo de trajeto linfático. Tal apresentação torna-se particularmente relevante no contexto da epidemia de esporotricose vivenciada no Rio de Janeiro há pouco mais de uma década, pois ambas as enfermidades compartilham espaços físicos semelhantes neste estado. No intuito de compreender melhor a forma esporotricóide da LTA (LE), em especial o papel da resposta imune celular na determinação desta apresentação clínica peculiar, estudamos o comportamento clínico, epidemiológico e imunológico in situ destes pacientes, comparando os resultados obtidos com os de pacientes que apresentam formas clínicas típicas de leishmaniose cutânea (LC). O estudo compreendeu 494 pacientes consecutivamente atendidos no Laboratório de Vigilância em Leishmanioses do Instituto de Pesquisa Clínica Evandro Chagas (IPEC), Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ), Rio de Janeiro, Brasil, entre janeiro de 2004 e dezembro de 2010, tendo sido excluídos os pacientes com leishmaniose mucosa e com leishmaniose difusa anérgica atendidos no período...

Modalidades clínicas, diagnóstico e abordagem terapêutica da Leishmaniose Tegumentar no Brasil

Costa, Jackson Mauricio Lopes; Saldanha, Ana Cristina Rodrigues; Nascimento, Diego; Sampaio, Gilmara; Carneiro, Franklin; Lisboa, Eduardo; Silva, Lorena Marçal da; Barral, Aldina Maria Prado
Fonte: Faculdade de Medicina da Universidade Federal da Bahia Publicador: Faculdade de Medicina da Universidade Federal da Bahia
Tipo: Artigo de Revista Científica
EN
Relevância na Pesquisa
46.75%
A leishmaniose tegumentar (LT) é representada por um grupo de doenças com características clínicas e imunopatológicas distintas. Vários fatores podem interferir nessas diferenças, destacando-se a resposta imune do hospedeiro e os inerentes ao parasita Leishmania, que podem aumentar ou atenuar o seu poder patogênico. No Brasil, os principais agentes da LT são a L. braziliensis, L. guyanensis e L. amazonensis. Em relação às formas clínicas, destaca-se a leishmaniose cutânea (LC), mucosa (LM), cutânea difusa (LCD) e a disseminada (LD). A LC é a forma mais comum, apresenta-se com uma ou várias lesões ulceradas, tem predileção por áreas expostas do corpo. A LM ocorre concomitante ou anos após quadro de LC em 2 a 5% dos casos e pode progredir para destruição da mucosa nasal. A LCD é considerada rara caracterizando-se por nódulos e lesões em placas infiltradas de maneira difusa pelo tegumento, em pacientes anérgicos a antígenos de Leishmania. A LD apresenta inúmeras lesões acneiformes, papulosas e ulceradas, às vezes associadas a sinais e sintomas como febre, perda de peso, calafrios e astenia, sugerindo disseminação hematogênica do parasita. O diagnóstico é clinico e laboratorial, utilizando-se exames imunológicos (intradermorreação de Montenegro...

Cura clinica na Leishmaniose cutânea difusa (LCD) no Brasil

Saldanha, Ana Cristina Rodrigues; Costa, Af Ali Uthant Moreira Lima da; Gama, Mônica Elinor Alves; Elkoury, Ana Nilce Silveira Maia; Barral, Aldina Maria Prado; Bezerril, Ana Célia R; Costa, Jackson Mauricio Lopes
Fonte: Faculdade de Medicina da Universidade Federal da Bahia Publicador: Faculdade de Medicina da Universidade Federal da Bahia
Tipo: Artigo de Revista Científica
EN
Relevância na Pesquisa
46.59%
Leishmaniose cutânea difusa (LCD) é uma forma rara da leishmaniose tegumentar (LT), encontrada em alguns países das Américas e África. No nosso continente é causada pelo complexo Leishmania (espécies – Leishmania mexicana, L. pifanoi e L. amazonensis) transmitida no Brasil pela picada do inseto Lutzomyia flaviscutellata, sendo caracterizada por lesões cutâneas, múltiplas e progressivas em extensa área do corpo. O tratamento medicamentoso produz remissão transitória, os freqüentes fracassos no tratamento são observados com reflexos na ausência de parâmetros de cura. Objetivo: Descrever a ocorrência da cura clínica em 4 (40%) pacientes de um total de 10 pacientes com LCD acompanhados no estado do Maranhão, Nordeste do Brasil. Material e Métodos: Foram analisadas, variáveis relacionadas ao tempo de doença, tipo e distribuição de lesões, esquemas terapêuticos que os pacientes foram submetidos, e o tempo de evolução de cura clínica. Resultados: Observou-se diferenças quanto ao gênero, havendo predomínio do masculino no grupo do curados. Em relação à diferença entre a idade do começo da doença e a idade de inclusão do estudo, a maior média foi observada no grupo de pacientes curados. As hipóteses foram discutidas quanto às peculiaridades clínicas...

Leishmaniose cutânea difusa (LCD) no Brasil após 60 anos de sua primeira descrição

Costa, Jackson Mauricio Lopes; Costa, Af Ali Uthant Moreira Lima da; Elkhoury, Ana Nilce Silveira Maia; Bezerril, Ana Célia R; Barral, Aldina Maria Prado; Saldanha, Ana Cristina Rodrigues
Fonte: Faculdade de Medicina da Universidade Federal da Bahia Publicador: Faculdade de Medicina da Universidade Federal da Bahia
Tipo: Artigo de Revista Científica
EN
Relevância na Pesquisa
46.59%
A leishmaniose cutânea difusa (LCD) é uma forma rara da leishmaniose tegumentar (LT), descrita em alguns países da América e África. No continente americano é causada pelo complexo Leishmania (Leishmania mexicana, L. pifanoi, L. amazonensis), transmitida no Brasil pelo Lutzomyia flaviscutellata. Realizou-se um estudo retrospectivo dos casos relatados de LCD no Brasil desde 1945 (1ª descrição), com o objetivo de avaliar a doença em nosso país. Foram estudados quarenta casos provenientes dos seguintes estados: Maranhão 16 (40%); Pará 8 (20%); Bahia 5 (12,5%); Mato Grosso 4 (10%); Tocantins 2 (5%); Acre 1 (2,5%); Amapá 1 (2,5%); Amazonas 1 (2,5%); Espírito Santo 1 (2,5%) e Pernambuco 1 (2,5%). A proporção entre masculino/feminino foi 2,4:1, média de idade 24 anos (6↔75 anos), a faixa etária de maior comprometimento foi de 11↔30 anos (47,5%). As apresentações clínicas mais prevalentes foram: nódulos (81%), placas infiltradas (67,6%), úlceras (40,6%), tubérculos (46%), havendo predomínio nos membros inferiores e face (67,7%), e membros superiores (61,3%). Em 14 (35%) pacientes houve comprometimento mucoso, (um caso da perfuração septal). Exames laboratoriais: esfregaço/Leishmania realizado e (+) em todos os casos...

Histopatologia da forma localizada de leishmaniose cutânea por Leishmania (Leishmania) amazonensis

Moraes,Mário A. P.; Silveira,Fernando T.
Fonte: Instituto de Medicina Tropical Publicador: Instituto de Medicina Tropical
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/1994 PT
Relevância na Pesquisa
46.77%
São descritas as alterações microscópicas presentes na forma localizada (ulcerada) da Leishmaniose cutânea produzida por Leishmania (Leishmania) amazonensis. Nesse tipo de manifestação, menos conhecido do que a forma anérgica ou difusa devida ao mesmo agente, as lesões são clinicamente idênticas às de leishmaniose cutânea causada por espécies outras de Leishmania, pertencentes ao subgênero Viannia. Na infecção localizada por L. (L.) amazonensis, entretanto, há um aspecto peculiar, só recentemente conhecido, ou seja, cerca de 50% dos indivíduos atingidos não reagem ao teste de Montenegro. A principal característica histológica observada foi a acumulação na derme, quase sempre focal, de numerosos macrófagos contendo no citoplasma um grande vacúolo cheio de amastigotas. O quadro é semelhante ao da forma difusa, porém sem o aspecto histiocitomatóide, próprio da última. Afora esses grupos de macrófagos, vêem-se também, na forma localizada, muitas células mononucleares da inflamação, principalmente plasmócitos e macrófagos não parasitados. Os acúmulos de macrófagos com amastigotas, quando volumosos, podem sofrer necrose na parte central; os parasitos, contidos nas células, são destruídos com elas ou liberados...

Estudo histopatológico comparativo do teste cutâneo em cães de área endêmica de leishmaniose tegumentar, utilizando dois antígenos: Leishvacin r e o P10.000g

Tafuri,Wagner Luiz; Raso,Pedro; Hermeto,Marco Victor; Vieira-Dias,Daniel; Mayrink,Wilson
Fonte: Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - SBMT Publicador: Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - SBMT
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/1993 PT
Relevância na Pesquisa
66.79%
A intradermorreação de Montenegro, um teste de hipersensibilidade tardia, é um método muito utilizado no diagnóstico auxiliar da leishmaniose tegumentar americana (LTA) humana. Entretanto, são escassos os relatos a respeito das alterações histológicas induzidas experimentalmente peto teste cutâneo, sobretudo no cão. Frente a isso, a nível de campo, foram comparados dois testes cutâneos para diagnóstico da leishmaniose tegumentar canina (LTC), utilizando-se o LeishvacinR e o P10.000G como antígenos. Nos cães que receberam o PIO.OOOG, constatou-se reação inflamatória mais evidente e difusa que nos testados com o LeishvacinR.

Leishmaniose cutânea disseminada produzida por Leishmania viannia braziliensis no Estado do Maranhão - Brasil

Galvão,Cloves Eduardo S.; Silva,Ana Carla M.; Saldanha,Ana Cristina R.; Silva,Conceição Maria P.; Costa,Maria do Rosário da S. R.; Costa,Jackson Maurício L.
Fonte: Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - SBMT Publicador: Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - SBMT
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/1993 PT
Relevância na Pesquisa
46.52%
Os autores relatam o caso de um paciente procedente do Município de Barreirinhas, MA, portador de leishmaniose cutânea disseminada, que apresentava 58 lesões distribuídas pelo corpo, sob os mais variados aspectos com predominância da lesão ulcerada. Discutem a dificuldade do diagnóstico laboratorial na fase inicial da investigação e suas implicações com a terapêutica. O parasita isolado e caracterizado pela técnica de anticorpos monoclonais foi a Leishmania viannia braziliensis. Esta forma da doença é diferente da leishmaniose cutânea difusa, encontrada no Maranhão, cujo agente etiológico é a Leishmania (Leishmania) amazonensis, responsável pela grande maioria dos casos de leishmaniose tegumentar naquele Estado. Os possíveis mecanismos de disseminação das lesões são também discutidos neste trabalho.

Leishmaniose tegumentar americana

Gontijo,Bernardo; Carvalho,Maria de Lourdes Ribeiro de
Fonte: Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - SBMT Publicador: Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - SBMT
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2003 PT
Relevância na Pesquisa
56.79%
A leishmaniose tegumentar americana permanence endêmica em vastas áreas da América Latina. Os agentes causadores da doença são a L. (Viannia) braziliensis, L. (L. mexicana), L. (V.) panamensis, e outras espécies relacionadas. A apresentação clínica da doença varia dentro de um espectro amplo, incluindo úlceras cutâneas múltiplas ou única, leishmaniose cutânea difusa e lesões mucosas. Os principais reservatórios da L. (V.) braziliensis e da L. (Viannia) spp. são os pequenos roedores silvestres. A doença acomete mais freqüentemente os trabalhadores que invadem as florestas tropicais ou moram próximo a elas. O período de incubação varia de duas semanas a vários meses. As lesões cutâneas constituem úlceras rasas, circulares com bordas elevadas e bem definidas e com o assoalho da úlcera de aspecto granular. Nas infecções pela L. (V.) braziliensis a linfoadenopatia regional geralmente precede o surgimento das úlcerações por uma a doze semanas. O diagnóstico definitivo depende da identificação de amastigotas em tecido ou promastigotas em meios de cultura. Os anticorpos anti-leishmania podem ser identificados no soro utilizando-se as técnicas de ELISA, imunofluorescência e testes de aglutinação mas os títulos revelam-se baixos na maioria dos casos. A intradermorreação de Montenegro torna-se positiva durante a evolução da doença. Os antimoniais pentavalentes continuam sendo as drogas de escolha no tratamento da leishmaniose. A anfotericina B encontra indicação nos casos mais graves ou nos indivíduos que não respondem ao tratamento com os antimoniais. A imunoterapia e a imunoprofilaxia constituem alternativas promissoras no tratamento e profilaxia da leishmaniose tegumentar americana.

Endemias e epidemias B: dengue, leishmaniose tegumentar e visceral, leptospirose, influenza e febre maculosa

Moura, Alexandre Sampaio; Rocha, Regina Lunardi
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Publicado em // PT_BR
Relevância na Pesquisa
66.69%
Este módulo integra a disciplina optativa " Vigilância à saúde: endemias e epidemias: dengue, leishmaniose, influenza e febre maculosa" do Curso de Especialização Estratégia Saúde da Família (2014). Tem como objetivo instrumentalizar os profissionais de saúde, em especial os das equipes de Saúde da Família, para contribuírem no controle das epidemias e endemias mais frequentes no país e em Minas Gerais.Este módulo está dividido em 2 seções : Seção 1 - Fatores determinantes das epidemias e endemias; Seção 2 - Abordagem específica de doenças endêmicas e epidêmicas mais comuns

Avaliação dos monócitos na Leishmaniose Tegumentar Americana; Evaluation of monocytes profile in American Tegumentary Leishmaniasis

PEREIRA, Ledice Inacia de Araujo
Fonte: Universidade Federal de Goiás; BR; UFG; Doutorado em Medicina Tropical; Ciências da Saúde Publicador: Universidade Federal de Goiás; BR; UFG; Doutorado em Medicina Tropical; Ciências da Saúde
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
56.69%
American Tegumentary Leishmaniasis (ATL) is caused by Leishmania protozoan that infects mononuclear phagocytic cells leading to cutaneous or mucosal lesions. The mechanisms responsible for parasite control or persistence are not completely known. Human monocytes are blood cells subdivided into three subsets (classical, nonclassical and intermediate) according to the CD14 and CD16 expression that is associated with different phenotypical and functional characteristics. The aim of this study was to evaluate the profile of monocytes in ATL. First, it was analyzed the nonclassical monocytes (CD14loCD16+) and CD56+CD16+ NK cell frequencies in peripheral blood (by using flow cytometry) of a patient with diffuse cutaneous leishmaniasis (DCL) before, during and after immunochemotherapy (chemotherapy treatment together with L. (L.) amazonensis and L. (V.) braziliensis monovalent vaccines plus BCG). Then, in localized cutaneous leishmaniasis (LCL) patients (n = 32) and healthy donors, the three monocyte subsets (CD14hiCD16-, CD14hiCD16+, CD14loCD16+) were evaluated by flow cytometry; in the whole blood cultures we evaluated the expression of cytokines in CD14+ monocytes activated with lipopolysaccharide (LPS, by flow cytometry), and the secretion of proinflammatory (tumor necrosis factor...

Freqüência de auto-anticorpos e dosagem de complemento sérico em pacientes com diagnóstico de leishmaniose cutânea ou visceral

Horimoto, Alex Magno Coelho
Fonte: Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Publicador: Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
56.86%
A leishmaniose é uma doença infecciosa crônica que pode variar de um espectro que inclui acometimento cutâneo isolado com manifestação oligossintomática até acometimento sistêmico com manifestações clínicas importantes. O desenvolvimento de infecção em cada tipo de leishmaniose (visceral ou tegumentar) depende da interação complexa e intrigante entre fatores de virulência do patógeno e resposta imunológica do hospedeiro. Análises de soros de pacientes infectados por leishmaniose demonstraram a existência de auto-anticorpos contra componentes celulares e humorais. Imunocomplexos circulantes e anticorpos contra imunoglobulina G (fator reumatóide) têm sido identificados em pacientes com leishmaniose visceral e cutâneo-mucosa. Pacientes com leishmaniose visceral podem apresentar sintomas que mimetizam o quadro clínico encontrado em pacientes com diagnóstico de Lupus Eritematoso Sistêmico (LES), dificultando o diagnóstico precoce e tratamento. Desse modo, objetivou-se estudar o perfil imunológico destes pacientes, através da dosagem de autoanticorpos e complemento no soro de 90 pacientes, sendo 45 deles com leishmaniose visceral e 45 com a forma tegumentar. Os auto-anticorpos estatisticamente significantes presentes em pacientes com leishmaniose visceral foram: Fator Anti-nuclear (FAN) positivo (4...

Utilização do alvo hsp70 em técnicas de biologia molecular para diferenciação de subgêneros de Leishmania spp; Utilização do alvo hsp70 em técnicas de biologia molecular para diferenciação de subgêneros de Leishmania spp

Farias, Lilian de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 14/08/2015 PT
Relevância na Pesquisa
57.07%
A leishmaniose tegumentar é uma zoonose que ocorre endemicamente em 88 países, caracterizando-se como um grave problema de saúde pública nos países tropicais e subtropicais. Estima-se que o número de pessoas infectadas por Leishmania seja de cerca de 12 milhões e que ocorram entre 700 mil a 1,2 milhões de novos casos anualmente. O Brasil apresenta a maior prevalência de leishmaniose tegumentar na América, sendo que já foram identificadas seis espécies como causadoras de leishmanise tegumentar: Leishmania (Leishmania) amazonensis, Leishmania (Viannia) braziliensis, Leishmania (Viannia) guyanensis, Leishmania (Viannia) lainsoni, Leishmania (Viannia) naiffi, Leishmania (Viannia) shawi. Apesar de termos diferentes espécies causadoras de leishmaniose tegumentar no Brasil e com diferentes formas clínicas, a discriminação das espécies de Leishmania responsáveis por determinada lesão ainda é um desafio. Utilizando as técnicas qPCR, HRM e PCR multiplex, com pares de oligonucleotídeos contruídos e direcionados para o gene alvo hsp70, propomos uma alternativa para os ensaios utilizados atualmente para a identificação de Leishmania e diferenciação dos subgêneros Leishmania e Viannia em cultura de promastigota. A identificação do subgênero Leishmania obtida nos nossos resultados em amostras de cepas referência e em amostras de isolados de pacientes com suspeita de leishmaniose tegumentar atendidos no Instituto de Infectologia Emílio Ribas...

Análise molecular de isolados do gênero leishmania e clínica de pacientes portadores de leishmaniose tegumentar americana atendidos no Hospital Universitário de Brasília

Graziani, Daniel
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
56.85%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, 2013.; A Leishmaniose Tegumentar Americana é um grave problema de saúde pública no Brasil e em vários países do mundo. As diferentes manifestações clínicas podem variar desde uma lesão localizada até multiplas lesões distribuidas por todo o corpo. Fatores inerentes às diferentes espécies do parasita contribuem para a diversidade clínica e para a patogênese da doença. O objetivo deste trabalho foi estudar através de metodologias moleculares isolados de Leishmania e relacionar com os aspectos clínicos dos pacientes fontes. A identificação foi realizada através da PCR do gene miniexon, PCR-RFLP e sequenciamento da região ITS1 do rDNA. Foram analisados 38 isolados provenientes de 36 pacientes e foram identificados: 22 L. (V.) braziliensis, 3 L. (V.) panamensis, 1 L. (V.) guyanensis, 1 L. (V.) utingensis, 2 L. (V.) spp, 8 L. (L.) amazonensis e 1 L. (L.) infantum. Os pacientes que predominaram eram do sexo masculino em idade reprodutiva com lesões nos membros superiores e inferiores. Os pacientes infectados pelo subgênero Viannia desenvolveram em 81% dos casos leishmaniose cutânea. Apenas pacientes infectados por L. (V.) braziliensis desenvolveram leishmaniose mucosa. Um paciente infectado por L. (V.) braziliensis e co-infectado por HIV desenvolveu a Síndrome de Reconstituição Imune. Entre os oito pacientes infectados pela espécie L. (L.) amazonensis...

Endemias e epidemias B: dengue, leishmaniose tegumentar e visceral, leptospirose, influenza e febre maculosa

Moura, Alexandre Sampaio; Rocha, Regina Lunardi
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Tipo: Texto Formato: 81p. ; il.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
66.69%
Este módulo integra a disciplina optativa " Vigilância à saúde: endemias e epidemias: dengue, leishmaniose, influenza e febre maculosa" do Curso de Especialização Estratégia Saúde da Família (2014). Tem como objetivo instrumentalizar os profissionais de saúde, em especial os das equipes de Saúde da Família, para contribuírem no controle das epidemias e endemias mais frequentes no país e em Minas Gerais.Este módulo está dividido em 2 seções : Seção 1 - Fatores determinantes das epidemias e endemias; Seção 2 - Abordagem específica de doenças endêmicas e epidêmicas mais comuns; 2. ed.; Ministério da Saúde

Histopatologia da forma localizada de leishmaniose cutânea por Leishmania (Leishmania) amazonensis; Histopathology of the localized form of cutaneous leishmaniasis due to Leishmania (Leishmania) amazonensis

Moraes, Mário A. P.; Silveira, Fernando T.
Fonte: Universidade de São Paulo. Instituto de Medicina Tropical de São Paulo Publicador: Universidade de São Paulo. Instituto de Medicina Tropical de São Paulo
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/10/1994 POR
Relevância na Pesquisa
46.77%
São descritas as alterações microscópicas presentes na forma localizada (ulcerada) da Leishmaniose cutânea produzida por Leishmania (Leishmania) amazonensis. Nesse tipo de manifestação, menos conhecido do que a forma anérgica ou difusa devida ao mesmo agente, as lesões são clinicamente idênticas às de leishmaniose cutânea causada por espécies outras de Leishmania, pertencentes ao subgênero Viannia. Na infecção localizada por L. (L.) amazonensis, entretanto, há um aspecto peculiar, só recentemente conhecido, ou seja, cerca de 50% dos indivíduos atingidos não reagem ao teste de Montenegro. A principal característica histológica observada foi a acumulação na derme, quase sempre focal, de numerosos macrófagos contendo no citoplasma um grande vacúolo cheio de amastigotas. O quadro é semelhante ao da forma difusa, porém sem o aspecto histiocitomatóide, próprio da última. Afora esses grupos de macrófagos, vêem-se também, na forma localizada, muitas células mononucleares da inflamação, principalmente plasmócitos e macrófagos não parasitados. Os acúmulos de macrófagos com amastigotas, quando volumosos, podem sofrer necrose na parte central; os parasitos, contidos nas células, são destruídos com elas ou liberados...