Página 1 dos resultados de 2320 itens digitais encontrados em 0.004 segundos

Isquemia mesentérica e reposição do volume intravascular. Estudo comparativo entre duas soluções salinas com diferentes concentrações de cloreto de sódio nos eventos desencadeados pela reperfusão intestinal. Um modelo experimental em ratos; Intestinal ischemia and intravascular fluid reposition. How two saline solutions containing different sodium chloride concentration could modify the deleterious responses triggered by intestinal reperfusion. An experimental model in rat

Chimabucuro, Wilson Kohama
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 28/01/2010 PT
Relevância na Pesquisa
37.33%
A isquemia do intestino delgado ocorre nas oclusões arteriais dos vasos mesentéricos ou associada à baixa perfusão tecidual causada por choque circulatório. Seus efeitos deletérios locais e sistêmicos frequentemente agravam a evolução clínica de muitas doenças. Este estudo experimental investiga como a reposição do volume intravascular utilizando duas soluções salinas com diferentes concentrações de sódio (solução salina fisiológica e solução 7,5% de cloreto de sódio) modifica a resposta inflamatória e o estresse oxidativo causados pela isquemia do intestino delgado. Ratos Wistar, machos, peso corporal entre 250 e 300 g, número total =102, foram submetidos à oclusão transitória da artéria mesentérica superior durante 45 minutos. No protocolo utilizado, os animais foram sorteados para inclusão em um de quatro grupos experimentais: isquemia falsa (IF), isquemia intestinal seguida da infusão de solução salina hipertônica 7.5% em volume de 4 ml/kg de peso (SH), isquemia intestinal seguida da infusão de solução salina 0.9% em volume de 33 ml/kg de peso (SF) e isquemia intestinal sem reposição do volume intravascular (ST). Quando apropriado, as soluções foram administradas lentamente (5 minutos) pela veia jugular externa imediatamente antes da reperfusão intestinal. Em cada grupo experimental...

Estudo do efeito neuroprotetor da estimulação magnética transcraniana e hipotermia em modelo de isquemia cerebral induzida; Study of the neuroprotective effect of the Transcranial Magnetic Stimulation and hypothermia in a animal model of induced cerebral ischemia

Macri, Fábio Teixeira
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 03/08/2011 PT
Relevância na Pesquisa
37.33%
Introdução: Muitos estudos veem sendo realizados com a finalidade de identificar agentes que possam ter efeito benéfico no tratamento ou prevenção das lesões causadas nos neurônios devido à isquemia. A hipotermia já demonstrou resultados consistentes em estudos experimentais e a Estimulação Magnética Transcraniana (EMTr) já foi usada visando reduzir danos em neurônios hipocampais de animais submetidos a isquemia cerebral. Com a propriedade de aumentar ou diminuir a excitabilidade cortical a partir do estímulo magnético, estima-se que ocorra uma interferência na produção de alguns neurotransmissores e receptores de membrana, que promoveriam efeito protetor a estas células. Neste estudo avaliamos a capacidade da EMTr de proteger os neurônios de uma lesão por hipóxia, e sua possível interferência no efeito protetor da hipotermia, tentando identificar alguns mecanismos que possivelmente estariam envolvidos neste fenômeno. Métodos: Como modelo de isquemia, foram utilizados Gerbils previamente submetidos a uma avaliação de comportamento e memória por meio do teste de esquiva. O protocolo de EMTr foi a partir de sessões diárias com 25 séries de 5 segundo a 25Hz, com um intervalo de 45 segundos entre as séries...

Comparação entre as modalidades de isquemia renal isotérmica seletiva, não-seletiva e intermitente em coelhos; Comparison among modalities of normothermic renal ischemia selective, non-selective and intermittent in rabbits

Formiga, Cipriano da Cruz
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 08/07/2011 PT
Relevância na Pesquisa
37.31%
INTRODUÇÃO: O limite de tempo de isquemia renal sem causar um dano permanente à função ainda é um questionamento pertinente na prática cirúrgica urológica. Algumas cirurgias requerem um campo cirúrgico menos sangrante, necessitando de uma interrupção temporária do fluxo sanguíneo para o parênquima renal através de clampeamento do pedículo. Este estudo objetivou avaliar qual técnica de clampeamento em isquemia isotérmica é superior, em termos de preservação da função renal. MÉTODOS: Neste estudo, foram utilizados 28 coelhos da raça New Zealand distribuídos em quatro grupos de forma randomizada e submetidos à laparotomia com interrupção do fluxo sanguíneo renal esquerdo, conforme grupo: grupo 1 - Controle, sem isquemia (4 animais), grupo 2 - Isquemia seletiva (8 animais), grupo 3 - Isquemia não-seletiva (8 animais) e grupo 4 - Isquemia não-seletiva intermitente (8 animais). Os animais foram submetidos à análises cintilográficas da função renal com mercaptoacetiltriglicina (MAG3) e dosagens séricas de creatinina no pré-operatório, no primeiro, terceiro e sétimo dias pós-operatórios. Após 15 dias da cirurgia, os animais foram sacrificados e os rins submetidos à análise histológica. RESULTADOS: A análise cintilográfica da função renal mostrou que os três grupos submetidos à isquemia apresentaram um agravo semelhante...

Efeitos da bradicinina na lesão de isquemia e reperfusão em músculo esquelético de ratos; Effects of bradykinin in ischemia and reperfusion in rat skeletal muscle

Mendonça, Luciano Rocha
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 21/10/2011 PT
Relevância na Pesquisa
37.34%
Contexto: Alguns agentes farmacológicos em estudos de modelos animais demonstraram proteção nas lesões de isquemia e reperfusão do miocárdio. Entre eles, a bradicinina desempenha papel cardioprotetor durante a reperfusão do miocárdio. Os efeitos desta substância no músculo esquelético isquêmico não são conhecidos. Objetivo: Demonstrar os efeitos da bradicinina administrada após 2 horas de isquemia total seguidas de 4 horas de reperfusão em músculo esquelético de ratos com base nos efeitos sobre enzimas musculares (aspartato aminotransferase - AST, lactato desidrogenase - LDH, e creatinino fosfoquinase - CPK), membrana celular, recrutamento de leucócitos e apoptose. Materiais e Métodos: Foram estudados 18 ratos da linhagem Wistar distribuídos em 3 grupos com 06 animais e submetidos a 2 horas de isquemia total pelo método do torniquete do membro pélvico e 4 horas de reperfusão. Durante o período de reperfusão o grupo Controle recebeu solução salina, o grupo Bradicinina recebeu solução de bradicinina na dose de 1mg/Kg e o grupo HOE recebeu solução de icatibant (HOE 140), um antagonista do receptor B2, na dose de 125g/kg. Coletou-se 1,5ml de sangue da veia cava inferior antes do início da isquemia, ao final do período de isquemia e após a reperfusão para dosagem das enzimas AST...

Avaliação morfo-funcional do sistema mucociliar de traquéia de rato submetida a diferentes métodos de preservação em modelo de isquemia experimental; Morphological and functional evaluation of the tracheal mucociliary clearance of rats submitted to different methods of preservation after cold ischemia

Pereira, Artur Eugênio de Azevedo
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 09/12/2011 PT
Relevância na Pesquisa
37.38%
INTRODUÇÃO: O transplante traqueal continua um desafio. Contudo, avanços nas técnicas de revascularização dos enxertos traqueais e no conhecimento da imunobiologia da traquéia, indicam que esta técnica pode ser utilizada com freqüência no futuro próximo. A depuração mucociliar (DM) é o mecanismo de defesa inato mais importante das vias aéreas. A traquéia age como um órgão de defesa devido à DM. A DM ocorre por ação do batimento ciliar do epitélio respiratório que impele o muco que atapeta as vias respiratórias, carreando substâncias nocivas. Idealmente, a DM deve ser preservada em enxertos traqueais passíveis de utilização para transplante traqueal. Nosso intuito foi: 1) avaliar os efeitos da isquemia fria sobre a DM; e 2) avaliar a ação de soluções de preservação administradas por via tópica na manutenção da DM após isquemia fria. MÉTODOS: De 109 ratos Wistar foram obtidos 217 segmentos traqueais. Os segmentos foram distribuídos entre três grupos experimentais e um grupo Controle. Cada segmento foi submergido em LPD-glicose (grupo LPD), histidina-triptofano-cetoglutarato (grupo HTK) ou solução salina (grupo Salina). Avaliou-se a DM após 6,10,16 ou 24 horas de isquemia fria. No grupo Controle os segmentos foram analisados imediatamente após a extração...

O papel do azul de metileno na prevenção da lesão de isquemia-reperfusão em transplante pulmonar de ratos: estudo experimental; The role of methylene blue in the prevention of ischemia-reperfusion injury in rat lung transplantation: an experimental study

Abreu, Marcus da Matta
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 28/06/2013 PT
Relevância na Pesquisa
37.34%
Introdução: O transplante de pulmão é uma opção terapêutica bem estabelecida para o tratamento de pneumopatias em estágio final. Uma complicação frequente relacionada aos transplantes é a lesão de isquemia e reperfusão (IR), estando o estresse oxidativo envolvido no processo. O azul de metileno (AM) é um inibidor da produção de espécies reativas de oxigênio, atuando como receptor alternativo de elétrons da xantina oxidase. Objetivo: Avaliar a eficácia do AM como inibidor da lesão de IR em transplante pulmonar de ratos. Métodos: Quarenta ratos fêmea Sprague Dawley (300g - 350g) foram divididas em quatro grupos de dez animais. Os animais foram submetidos a transplante pulmonar unilateral esquerdo. Os enxertos foram expostos a 3 ou 6 horas de isquemia fria seguido de 2 horas de reperfusão. Nos animais do grupo controle, 2 mL de solução salina foram injetados na cavidade peritoneal e, nos animais do grupo experimento, 2 mL de AM a 1% foram injetados da mesma forma. Resultados: A dosagem da PaO2 foi significativamente superior no grupo AM entre os animais submetidos a isquemia de 3 horas (AM = 150,2 ± 50,1 vs Salina = 102,6 ± 40,4 mmHg; p = 0,028), assim como a dosagem do óxido nítrico exalado foi significativamente inferior no mesmo grupo (AM = 3...

O achatamento da curva do pulso de oxigênio durante o teste de esforço cardiopulmonar pode detectar isquemia miocárdica extensa em pacientes com capacidade funcional preservada

Munhoz, Eva Cantalejo
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.39%
Introdução - O achatamento da curva do pulso de oxigênio durante o teste de esforço cardiopulmonar com cargas progressivas tem sido proposto para melhorar a acurácia diagnóstica da isquemia miocárdica induzida pelo esforço. Entretanto, este critério não foi formalmente avaliado em pacientes de baixo risco, para os quais a melhora da acurácia diagnóstica pode ser clinicamente mais relevante. Objetivo - Testar a hipótese de que o achatamento da curva do pulso de oxigênio durante o teste de esforço cardiopulmonar pode detectar isquemia miocárdica extensa, mas não detectar isquemia miocárdica leve, usando como padrão ouro a cintilografia de perfusão miocárdica. Métodos - Oitenta e sete pacientes (idade média ± DP de 57 ± 11 anos, 64% do sexo masculino) referidos para cintilografia de perfusão miocárdica com exercício para diagnóstico de isquemia miocárdica foram também avaliados com teste de esforço cardiopulmonar. Um investigador identificou prospectivamente os pacientes que apresentaram defeito transitório de perfusão induzido pelo exercício na cintilografia miocárdica com 99mTcsestamibi. Outro investigador avaliou a resposta do pulso de oxigênio durante o exercício de cargas progressivas, sem o conhecimento da resposta eletrocardiográfica ou dos achados da cintilografia. Resultados - A cintilografia de perfusão miocárdica com exercício detectou defeitos transitórios de perfusão em 36% dos pacientes. Comparados com os pacientes com estudos de perfusão normal...

O papel da isquemia e os efeitos da insulina associada a um inibidor do sistema renina-angiotensina sobre os mecanismos de cardioproteção à lesão isquemis-reperfusão

Oliveira, Ubirajara Oliveira de
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.42%
Resultados controversos têm sido obtidos em estudos experimentais e clínicos com a infusão de insulina e glicose na lesão isquemia-reperfusão, havendo muito á ser esclarecido sobre os mecanismos deste tratamento. No coração, a insulina tem efeitos sobre a utilização dos substratos, fluxo coronariano, atua como antiinflamatório e, propõem-se efeitos diretos na sobrevivência celular; estes efeitos devem-se a ativação da via fosfatidilinositol 3-cinase (PI3k)-Akt. As interações intracelulares entre os sistemas de sinalização da insulina e da angiotensina-II são muitas, salientando-se a possível importância do cross-talk angiotensina-II/insulina. Apesar da popularidade das preparações em corações isolados no estudo das lesões isquemia-reperfusão, diversos protocolos vêm sendo utilizados quanto a duração da isquemia, dificultanto a escolha do melhor período de isquemia para se testar os efeitos de fármacos sobre a recuperação da função cardíaca. Nesse trabalho objetivamos: determinar o melhor tempo de isquemia para investigar a recuperação funcional e a capacidade de resposta do sistema reninaangiotensina (SRA) tecidual em coração isolado e os efeitos da insulina associada a um inibidor do SRA sobre os mecanismos de cardioproteção à lesão isquemia-reperfusão. No estudo 1 investigamos a recuperação funcional e a capacidade de resposta do SRA tecidual em corações isolados e submetidos a diferentes períodos de isquemia. Os corações foram submetidos a diferentes períodos de isquemia global (20...

Investigação do efeito neuroprotetor do coumestrol em modelos in vitro e in vivo na isquemia cerebral experimental

Castro, Cibele Canal
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.34%
Pacientes que sobrevivem a uma parada cardíaca ou a um AVE demonstram uma alta incidência de prejuízos neurológicos como resultado do dano neuronal isquêmico tardio. Uma intervenção farmacológica apropriada durante a janela terapêutica entre o recomeço do fluxo sanguíneo normal e o início do dano neuronal seria de grande benefício, porém as abordagens experimentais atuais são limitadas neste sentido. Ao longo da última década, dados provenientes de muitos estudos apoiam a ideia que estrógenos promovem efeitos neuroprotetores em uma variedade de doenças neurodegenerativas, incluindo a isquemia cerebral global. O potente hormônio feminino 17-β-estradiol (E2) é neuroprotetor em uma variedade de modelos celulares e animais de isquemia, contudo os paraefeitos inerentes a sua terapêutica não permitem seu uso em larga escala. Considerando a estrutura e mecanismo de ação similares dos fitoestrogênios no SNC, o objetivo deste estudo foi verificar os efeitos neuroprotetores de coumestrol, um potente isoflavonóide com alta afinidade de ligação por ambos os receptores de estrogênio (ERs) e alto potencial antioxidante, contra a neurodegeneração geralmente encontrada em eventos isquêmicos. Nós demonstramos aqui que coumestrol foi hábil em resgatar a morte neuronal na subárea CA1 hipocampal induzida pela isquemia global em ratas fêmeas em uma avaliação de sobrevivência celular...

Avaliação histopatologia no epitelio intestinal submetido a diferentes tempos de isquemia e reperfusão programada de 24 horas

Murilo Antonio Couto
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 14/06/2000 PT
Relevância na Pesquisa
37.34%
A isquemia e a reperfusão podem acarretar diversas alterações histopatológicas, bioquímicas e inflamatórias no intestino. No presente estudo objetivamos observar as alterações que ocorrem no epitélio intestinal de ratos, quando submetidos à isquemia de tempos variados e reperfusão programada de diferentes tempos de isquemia, é assim discriminado; Grupo I - controle, Grupo II - isquemia 10 minutos, Grupo III - isquemia 20 minutos, Grupo IV isquemia de 30 minutos, Grupo V- isquemia 40 minutos e Grupo VI- isquemia 60 minutos. Todos os grupos foram submetidos ao mesmo tempo de reperfusão (24 horas ),e realizando-se ressecção do intestino para análise histopatológica. Para avaliação das possíveis diferenças entre os grupos previamente definidos para os variáveis comprimento do vilo, largura do vilo e índice mitótico, usamos o teste não paramétrico para médias de KRUSKAL- WALLIS, ressaltando-se que, quando houve significância estatística, completamos este teste pelo teste de comparações múltiplas. O estudo demonstrou que, do ponto de vista qualitativo o epitélio intestinal se encontra regenerado, ao ser submetido a diferentes tempos de isquemia e reperfusão de 24 horas. Entretanto observamos que, ao se analisar a morfometria (análises quantitativas) considerando como parâmetro o comprimento e a largura do vilo bem como o índice mitótico detectamos alterações significativas. Estas alterações caracterizam-se por uma diminuição do comprimento e aumento da largura do vilo à medida que o tempo de isquemia aumentava. Acrescente-se também que o índice mitótico apresentou aumento após ter se iniciado a isquemia (sendo significativo grupo III em relação ao controle); Schemia and reperfusion can entail several histopathological...

Fatores associados à isquemia miocárdica na hipertensão arterial resistente; Predictors of myocardial ischemia in resistant hypertension

Rodrigo Gimenez Pissutti Modolo
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 06/06/2014 PT
Relevância na Pesquisa
37.33%
INTRODUÇÃO: A hipertensão arterial é o mais prevalente e significante fator de risco modificável para doença arterial coronariana (DAC). Uma parte destes pacientes com hipertensão descontrolada é classificada como sendo portadora da Hipertensão Arterial Resistente (HAR). A incidência da isquemia miocárdica e da DAC aumenta juntamente com a ascensão dos níveis pressóricos. No entanto, a prevalência de isquemia miocárdica em pacientes com HAR é desconhecida, bem como os fatores associados à primeira. MÉTODOS: Analisamos 129 pacientes com HAR verdadeira, seguidos regularmente em nosso ambulatório especializado. Foram realizados cintilografia de perfusão miocárdica em repouso e após stress farmacológico por dipiridamol nestes indivíduos. Os pacientes eram então divididos em dois grupos: com (I-HAR, n=36) e sem (SI-HAR, n=93) isquemia miocárdica. Ecocardiograma, MAPA-24h (para inclusive análise de efeito do jaleco branco), e vasodilatação mediada por fluxo (VMF) também foram realizados. RESULTADOS: Trinta e seis pacientes (28%) tinham isquemia miocárdica e 49% apresentavam o efeito do jaleco branco (EJB). O EJB esteve associado com alta prevalência de isquemia miocárdica (49,2% vs. 7,6%, p<0,001). Não houve diferença entre os grupos no que concerne à idade...

Dianexina na lesão de isquemia reperfusão na musculatura estriada de ratos

Groth, Anne Karoline
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Teses e Dissertações Formato: application/pdf
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
37.37%
Resumo: Introdução: Lesão de isquemia reperfusão e uma sequela comum e devastadora do retorno do fluxo sanguíneo a um tecido submetido a isquemia. Fosfatidilserina e um fosfolipide que compõe a membrana celular, e que sob condições normais, encontra-se apenas na face citoplasmática da membrana celular. Entretanto, durante a isquemia, a fosfatidilserina é translocada para a face externa da membrana celular, e, no caso das celulas endoteliais, para o interior da microcirculação. A externalização da fosfatidilserina promove a ativação dos leucócitos e plaquetas, com consequente piora da lesão de isquemia reperfusão. Dianexina e um dímero sintético da anexina A5 humana, e um potente bloqueador da fosfatidilserina, com maior meia vida e afinidade pela fosfatidilserina do que a anexina a5. Esta capacidade de bloqueio da fosfatidilserina pela dianexina inibe a ligação de leucócitos ao endotelio, com possíveis aplicações no tratamento/prevenção da lesão de isquemia reperfusão. O objetivo do presente estudo é determinar se a dianexina tem efeitos protetores na microcirculação no retalho de músculo cremaster de ratos submetido a 2 horas de isquemia. Material e Método: 53 ratos Lewis foram submetidos a dissecação do retalho cremaster e distribuidos aleatoriamente em 4 grupos: 1)CONTROLE sem isquemia; 2)PLACEBO e 2h de isquemia; 3)PRE . administração de 100ƒÊg/kg de dianexina antes do período de 2 h de isquemia; e 4)POS - administração de 100ƒÊg/kg de dianexina imediatamente após o período 2 h de isquemia. Foram realizadas observações seqüênciais de parâmetros hemodinâmicos e de permeabilidade: diâmetro dos vasos; velocidade de fluxo sanguíneo; índice de edema; densidade capilar; interações leucócitos endoteliais e índice de permeabilidade. A media de cada parâmetro a cada momento de avalição foi comparada entre os grupos utilizando análise de variancia (ANOVA) e teste t foi utilizado para comparações entre pares de grupos. Os dados são expressos como média } erro padrão (p.0...

Efeitos da angiotensina-I e isquemia na recuperação funcional em corações isolados; Effects of angiotensin-I and ischemia on functional recovery in isolated hearts

OLIVEIRA, Ubirajara Oliveira de; OLIVEIRA, Álvaro Reischak de; KUCHARSKI, Luiz Carlos; MACHADO, Ubiratan Fabres; IRIGOYEN, Maria Claudia; SCHAAN, Beatriz D'Agord
Fonte: Sociedade Brasileira de Cardiologia - SBC Publicador: Sociedade Brasileira de Cardiologia - SBC
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
37.36%
FUNDAMENTO: A ressuscitação de parada cardíaca pode apresentar disfunção miocárdica determinada pelo tempo da isquemia, e a inibição da enzima conversora de angiotensina (ECA) pode reduzir a disfunção cardíaca durante a reperfusão. OBJETIVO: Investigar os efeitos da angiotensina-I e diferentes períodos de isquemia na recuperação funcional em corações de ratos isolados. MÉTODOS: Os corações isolados de ratos Wistar (n = 45; 250-300 g) foram submetidos a diferentes períodos de isquemia global (20, 25 ou 30 min) e reperfundidos (30 min) com o tampão Krebs-Henseleit, ou com a adição de 400 nmol/L de angiotensina-I, ou com 400 nmol/L de angiotensina-I + 100 µmol/L de captopril durante o período de reperfusão. RESULTADOS: A derivada positiva máxima de pressão (+dP/dt max) e o produto frequência-pressão foram reduzidos nos corações expostos à isquemia de 25 min (~ 73%) e à isquemia de 30 min (~ 80%) vs. isquemia de 20 min. A pressão diastólica final do ventrículo esquerdo (PDFVE) e a pressão de perfusão (PP) foram aumentadas nos corações expostos à isquemia de 25 min (5,5 e 1,08 vezes, respectivamente) e à isquemia de 30 min (6 e 1,10 vezes, respectivamente) vs. isquemia de 20 min. A angiotensina-I ocasionou uma diminuição no +dP/dt max e no produto frequência-pressão (~ 85-94%) em todos os períodos de isquemia e um aumento na PDFVE e na PP (6...

Efeitos da angiotensina-I e isquemia na recuperação funcional em corações isolados

Oliveira,Ubirajara Oliveira de; Oliveira,Álvaro Reischak de; Kucharski,Luiz Carlos; Machado,Ubiratan Fabres; Irigoyen,Maria Claudia; Schaan,Beatriz D'Agord
Fonte: Sociedade Brasileira de Cardiologia - SBC Publicador: Sociedade Brasileira de Cardiologia - SBC
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/11/2011 PT
Relevância na Pesquisa
37.36%
FUNDAMENTO: A ressuscitação de parada cardíaca pode apresentar disfunção miocárdica determinada pelo tempo da isquemia, e a inibição da enzima conversora de angiotensina (ECA) pode reduzir a disfunção cardíaca durante a reperfusão. OBJETIVO: Investigar os efeitos da angiotensina-I e diferentes períodos de isquemia na recuperação funcional em corações de ratos isolados. MÉTODOS: Os corações isolados de ratos Wistar (n = 45; 250-300 g) foram submetidos a diferentes períodos de isquemia global (20, 25 ou 30 min) e reperfundidos (30 min) com o tampão Krebs-Henseleit, ou com a adição de 400 nmol/L de angiotensina-I, ou com 400 nmol/L de angiotensina-I + 100 µmol/L de captopril durante o período de reperfusão. RESULTADOS: A derivada positiva máxima de pressão (+dP/dt max) e o produto frequência-pressão foram reduzidos nos corações expostos à isquemia de 25 min (~ 73%) e à isquemia de 30 min (~ 80%) vs. isquemia de 20 min. A pressão diastólica final do ventrículo esquerdo (PDFVE) e a pressão de perfusão (PP) foram aumentadas nos corações expostos à isquemia de 25 min (5,5 e 1,08 vezes, respectivamente) e à isquemia de 30 min (6 e 1,10 vezes, respectivamente) vs. isquemia de 20 min. A angiotensina-I ocasionou uma diminuição no +dP/dt max e no produto frequência-pressão (~ 85-94%) em todos os períodos de isquemia e um aumento na PDFVE e na PP (6...

Efeitos da angiotensina-I e isquemia na recuperação funcional em corações isolados; Effects of angiotensin-I and ischemia on functional recovery in isolated hearts

Oliveira, Ubirajara Oliveira de; Oliveira, Álvaro Reischak de; Kucharski, Luiz Carlos Rios; Machado, Ubiratan Fabres; Irigoyen, Maria Claudia Costa; Schaan, Beatriz D'Agord
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf; application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.36%
Fundamento: A ressuscitação de parada cardíaca pode apresentar disfunção miocárdica determinada pelo tempo da isquemia, e a inibição da enzima conversora de angiotensina (ECA) pode reduzir a disfunção cardíaca durante a reperfusão. Objetivo: Investigar os efeitos da angiotensina-I e diferentes períodos de isquemia na recuperação funcional em corações de ratos isolados. Métodos: Os corações isolados de ratos Wistar (n = 45; 250 a 300 g) foram submetidos a diferentes períodos de isquemia global (20, 25 ou 30 min) e reperfundidos (30 min) com o tampão Krebs-Henseleit, ou com a adição de 400 nmol/L de angiotensina-I, ou com 400 nmol/L de angiotensina-I + 100 µmol/L de captopril durante o período de reperfusão. Resultados: A derivada positiva máxima de pressão (+dP/dtmax) e o produto frequência-pressão foram reduzidos nos corações expostos à isquemia de 25 min (~ 73%) e à isquemia de 30 min (~ 80%) vs. isquemia de 20 min. A pressão diastólica final do ventrículo esquerdo (PDFVE) e a pressão de perfusão (PP) foram aumentadas nos corações expostos à isquemia de 25 min (5,5 e 1,08 vezes, respectivamente) e à isquemia de 30 min (6 e 1,10 vezes, respectivamente) vs. isquemia de 20 min. A angiotensina-I ocasionou uma diminuição no +dP/dtmax e no produto frequência-pressão (~ 85 a 94%) em todos os períodos de isquemia e um aumento na PDFVE e na PP (6...

A isquemia/reperfusão intestinal provoca hiper-reatividade brônquica e aumento do TNF-alfa sérico em ratos; Intestinal ischemia/reperfusion induces bronchial hyperreactivity and increases serum TNF-alpha in rats

Arruda, Marcio Jose Cristiano de; Poggetti, Renato Sergio; Fontes, Belchor; Younes, Riad N.; Souza Jr., Almerindo Lourenço; Birolini, Dario
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/02/2006 ENG
Relevância na Pesquisa
37.38%
INTRODUCÃO: A isquemia/reperfusão intestinal ou hepática induz lesão pulmonar aguda em modelos animais de falência de múltiplos órgãos. O fator de necrose tumoral (TNF-alfa) está envolvido no mecanismo inflamatório da síndrome da angústia respiratória aguda. Embora a cascata inflamatória que leva à síndrome da angústia respiratória aguda tenha sido extensamente investigada, os componentes mecânicos desta ainda não são completamente compreendidos. Nós levantamos a hipótese de que a isquemia/reperfusão esplâncnica provoca aumento da reatividade contráctil das vias aéreas, bem como aumento do TNF-alfa sérico. OBJETIVO: avaliar a reatividade da musculatura lisa brônquica sob estimulação com metacolina, e medir os níveis séricos de TNF-alfa após isquemia/reperfusão intestinal e/ou hepática em ratos. MÉTODO: Ratos Wistar foram submetidos a 45 min de isquemia intestinal, ou 20 minutos de isquemia hepática, ou a ambas (isquemia dupla), ou controle, seguidos por 120 min de reperfusão. A resposta brônquica a concentrações molares (10-7 to 3x10-4) de metacolina foi avaliada usando-se uma preparação ex-vivo de musculatura brônquica. RESULTADOS: A resposta brônquica (g/100mg de tecido) mostrou reatividade aumentada a concentrações crescentes de metacolina na isquemia intestinal e isquemia dupla...

Estudio de la carga energética celular en el trasplante renal experimental con diferentes periodos de isquemia caliente (0-30-45 y 90’)

Álvarez-Vijande,R.; Luque Gálvez,P.; Alcaraz Asensio,A.
Fonte: Actas Urológicas Españolas Publicador: Actas Urológicas Españolas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; journal article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: text/html; application/pdf
Publicado em 01/01/2008 SPA
Relevância na Pesquisa
37.36%
Introducción: La posibilidad de obtener órganos para Trasplante Renal, tras un período de parada cardio-circulatoria, exige un conocimiento previo del mecanismo de lesión por isquemia-reperfusión. Para poder estudiar el mecanismo de lesión celular por isquemia caliente en Trasplante Renal se ha diseñado un estudio experimental en cerdos, con tiempos variables (0-30-45 y 90’ de isquemia caliente) con la finalidad de conocer el mecanismo celular de dicha lesión isquémica. La determinación de parámetros bioquímicos (creatinina y diuresis), carga energética (ATP, ADP, AMP y carga energética global) y estudio histológico, así como análisis de supervivencia del animal e injerto al 5º día. Resultados: - La supervivencia de los animales a los 5 días ha sido del 100% (en los grupos control y 30’ de isquemia caliente), 90% (en los 45’) y 60% (en los 90’). - La viabilidad del injerto ha sido 100% (grupo control), 80% (isquemia 30’), 80% (isquemia 45’) y 60% (90’). - Los niveles de creatinina aumentan al 1er, 3er y 5º día sobre todo en los riñones no viables con diferencias estadísticamente significativas con respecto al grupo control. - Los niveles de ATP decrecen tras el período de isquemia caliente, aumentan los niveles de ADP y AMP y se recuperan en los riñones viables después de la reperfusión del injerto. Conclusiones: El tiempo de isquemia caliente influye en la supervivencia del animal y del injerto...

Precondicionamiento farmacológico con sildenafilo del riñón con isquemia normotérmica

Lledó García,E.; Rodríguez Martínez,D.; Cabello Benavente,R.; Dulín,Elena; García Bordas,J.; Fernández Álvarez,E.; Hernández Fernández,C.; del Cañizo López,J.F.
Fonte: Actas Urológicas Españolas Publicador: Actas Urológicas Españolas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; journal article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: text/html; application/pdf
Publicado em 01/01/2008 SPA
Relevância na Pesquisa
37.33%
Objetivos: Evaluar el posible efecto pre-condicionador de sildenafilo en riñones sometidos a isquemia normotérmica, perfusión hipotérmica y posterior autotrasplante. Material y Métodos: Estudiamos 6 grupos de órganos autotrasplantados: control sin isquemia y autotrasplante inmediato (grupo A); control con 45 min de isquemia y autotrasplante inmediato (grupo B); isquemia + perfusión del órgano en bomba y autotrasplante (grupo C); isquemia + conservación mediante hipotermia simple en solución UW y autotrasplante (grupo D); 100 mg vo sildenafilo preoperatorio+isquemia+perfusión en bomba y autotrasplante (grupo D); 100 mg vo sildenafilo preoperatorio+ isquemia+ autotrasplante inmediato (grupo E). Evaluamos durante los 60 minutos de reperfusión postrasplante los valores medios de flujo vascular renal (FVR), resistencia vascular renal (RVR), presión arterial sistémica (PAS) y concentración de óxido nítrico en vena del injerto renal (ON). Realizamos estudio histológico mediante microscopia electrónica y convencional en todos los casos. Resultados: Obtuvimos unos valores medios de flujo vascular renal (FVR) mayores, resistencia vascular renal menor (RVR) y concentraciones de óxido nítrico en vena del injerto (ON) mayores en los primeros 60 min de reperfusión renal postrasplante en los grupos E y F frente a A...

Tratamiento epidural del dolor en la isquemia vascular periférica (I)

Orduña González,M.J.; López Carballo,C.; Camblor Suárez,E.; López Rouco,M.
Fonte: Revista de la Sociedad Española del Dolor Publicador: Revista de la Sociedad Española del Dolor
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; journal article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: text/html; application/pdf
Publicado em 01/03/2009 SPA
Relevância na Pesquisa
37.34%
La isquemia arterial periférica puede ser el resultado de diversas enfermedades que afectan la vascularización de los miembros, generando dolor, discapacidad y deterioro de la calidad de vida del paciente, y en los casos de isquemia crítica produciendo una considerable morbimortalidad y dolor crónico. El objetivo ha sido realizar una revisión histórica de publicaciones científicas acerca de los distintos tipos de isquemia periférica, del dolor derivado, de su tratamiento analgésico por vía epidural y de las peculiaridades que hay que tener en cuenta en dicha patología. Se ha realizado una búsqueda en MEDLINE y se han recopilado los principales datos respecto a la evolución y las principales líneas de investigación científicas publicadas en las áreas de la analgesia epidural y el dolor en el contexto de la isquemia arterial periférica. Desde su introducción terapéutica en la isquemia periférica, la analgesia con perfusión de fármacos epidurales ha constituido un método eficaz analgésico, que en el caso de los anestésicos locales, además, aporta efectos hemorreológicos positivos a través de un bloqueo simpático. La neuroestimulación eléctrica epidural (NEE) medular es una modalidad analgésica crónica con indicaciones específicas dentro de la isquemia periférica...

Tratamiento epidural del dolor en isquemia vascular periférica: Parte II. Revisión bibliográfica basada en la evidencia del tratamiento epidural en la isquemia vascular periférica

Orduña González,M.J.; López Carballo,C.; Camblor Suárez,E.; López Rouco,M.
Fonte: Revista de la Sociedad Española del Dolor Publicador: Revista de la Sociedad Española del Dolor
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; journal article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: text/html; application/pdf
Publicado em 01/04/2009 SPA
Relevância na Pesquisa
37.34%
Introducción: La isquemia arterial periférica puede ser el resultado de diversas enfermedades que afectan la vascularización de los miembros, generando dolor, discapacidad y deterioro de la calidad de vida del paciente, y en los casos de isquemia crítica, produciendo una considerable morbimortalidad y dolor crónico. Objetivo: Realizar una revisión histórica y crítica de publicaciones científicas sobre la analgesia epidural como método de control del dolor por isquemia vascular periférica y de sus efectos tróficos vasculares, y compararlos con otras técnicas analgésicas, así como recopilar diversas pautas de analgesia epidural y sus resultados. Material y métodos: Búsqueda en Medline, recopilación de datos y posterior análisis crítico, siguiendo los criterios de la medicina basada en la evidencia, de las publicaciones científicas sobre analgesia epidural y el dolor en el contexto de la isquemia arterial periférica. Resultados: a) La analgesia con infusión de fármacos epidurales en isquemia de miembros sólo alcanzó un nivel de evidencia 4 en la presente revisión; b) la anestesia epidural lumbar para cirugía de revascularización de miembros inferiores se relaciona con unas menores tasas de trombosis postoperatoria y de reintervenciones de revascularización que la anestesia general (nivel de evidencia 2b); c) no hay evidencia científica concluyente que apoye la utilización de analgesia epidural preventiva de los síndromes de dolor crónico postamputación de extremidades con isquemia...