Página 1 dos resultados de 403 itens digitais encontrados em 0.003 segundos

Eventos de vida produtores de estresse e queixas de insônia entre auxiliares de enfermagem de um hospital universitário no Rio de Janeiro: estudo Pró-Saúde; Stressful life events and insomnia complaints among nursing assistants from a university hospital in Rio de Janeiro: the Pro-Saude study

ROBAINA, Jaqueline R; LOPES, Claudia S.; ROTENBERG, Lúcia; FAERSTEIN, Eduardo; FISCHER, Frida Marina; MORENO, Claudia Roberta de Castro; WERNECK, Guilherme Loureiro; CHOR, Dóra
Fonte: São Paulo Publicador: São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR; ENG
Relevância na Pesquisa
37.22%
OBJETIVO: Avaliar a associação entre eventos de vida produtores de estresse (EVPE) e queixas de insônia (QI). MÉTODOS: Foram analisados dados seccionais de 695 auxiliares de enfermagem de um hospital universitário, participantes do Estudo Pró-Saúde - coorte de funcionários de uma universidade no Rio de Janeiro. As informações foram obtidas através de um questionário multidimensional e autopreenchido, que avaliou a ocorrência de EVPE nos últimos 12 meses, variáveis socioeconômicas e demográficas e QI. As QI foram analisadas como desfecho politômico (frequente, ocasional, e ausente). Odds ratios brutos e ajustados foram calculados através de regressão logística multinomial. RESULTADOS: A prevalência total de QI foi de 45,8% (16,7% frequentes e 29,1% ocasionais). Após ajuste por sexo, idade, estado civil, renda familiar per capita e regime de trabalho, os EVPE associados com QI frequentes foram: "rompimento de relação amorosa" (OR = 3,32; IC95% 1,90 - 5,78), "ter tido problemas graves de saúde" (OR = 2,82; IC95% 1,73 - 4,58); "dificuldades financeiras graves" (OR = 2,38; IC95% 1,46 - 3,88), e "mudança forçada de moradia" (OR = 1,97; IC95% 1,02 - 3,79). Com relação às QI ocasionais, houve associação apenas com rompimento de relação amorosa (OR = 2...

Polymorphisms in hypocretin receptors and insomnia; Polimorfismos em receptores hipocretinérgicos e insônia

Oliveira, Lhoyane Moraes; Tufik, Sergio; Pinto, Luciano Ribeiro; Garbuio, Silvério Aparecido; Bittencourt, Lia Rita Azeredo; Pedrazzoli Neto, Mario
Fonte: Associacao Brasileira de Sono; Federacao Latino-Americana de Sociedades do Sono; São Paulo Publicador: Associacao Brasileira de Sono; Federacao Latino-Americana de Sociedades do Sono; São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica
ENG
Relevância na Pesquisa
37.59%
Hypocretin system has been described as one of the most important neurotransmission systems involved in the waking process. The system’s lack of function, caused by mutation or neuron death, leads to sharp sleepiness in mammals. It has been proposed that a hyperactive hypocretin system can result in hyperarousal episodes and insomnia. Hypocretins 1 and 2 are bind to two known receptors that are widely distributed in the brain. The current study sought to analyze if either polymorphism in hypocretin receptor 1 or in hypocretin receptor 2 are associated to insomnia. We enrolled 83 insomnia patients, confirmed their clinical insomnia symptoms by means of polysomnographic recordings, comparing single nucleotide polymorphism frequencies in both hypocretin receptors and to those from healthy control patients who had no sleep disorders as confirmed by two nights of sleeping records. Our results show no association to either receptor polymorphism or insomnia; O sistema de neurotransmissão hipocretinérgico tem sido descrito como um dos mais importantes envolvidos no processo de manutenção do alerta. A ausência da função neste sistema, por mutação ou morte neuronal, leva à sonolência excessiva em mamíferos. Tem sido proposto que um sistema hipocretinérgico hiperativo pode resultar em episódios de alerta e insônia. As hipocretinas 1 e 2 se ligam a dois receptores conhecidos e amplamente distribuídos no cérebro. No presente estudo...

Qualidade de vida e insônia na perimenopausa: meditação como estratégia de intervenção; Quality of life and insomnia in perimenopausal Meditation as an intervention strategy

Portella, Caio Fábio Schlechta
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 25/03/2014 PT
Relevância na Pesquisa
37.78%
Introdução: A insônia está entre os mais frequentes transtornos que afetam a população na contemporaneidade, devido a mudanças hormonais e psicossociais importantes é muito prevalente na perimenopausa. Há uma relação ainda pouco estudada entre eficiência do sono e prática meditativa. Os tratamentos utilizados para insônia normalmente são de alto custo e paliativos. Objetivo: Avaliar o efeito da meditação na insônia (causada por sintomas característicos da perimenopausa) e qualidade de vida nesta fase da vida. Método: Ensaio clínico controlado para avaliar os efeitos da meditação em mulheres com insônia no período da perimenopausa e o impacto na qualidade de vida em 8 semanas de intervenção. O estudo foi realizado de abril a julho de 2013 com 33 mulheres na perimenopausa de idade entre 40 a 55 anos em 3 unidades de órgão público no município de São Paulo, SP. As participantes foram divididas aleatoriamente em dois grupos, um que praticou somente Higiene do Sono-HS (n=15) e outro que praticou Meditação + Higiene do Sono-M+HS (n=18). Foram realizados encontros semanais com as participantes de ambos os grupos para pratica de meditação em grupo e/ou critérios de higiene do sono. O grupo M+HS também realizou prática diária de meditação. Para avaliar a significância estatística das diferenças de médias antes e depois das intervenções em cada grupo foi utilizado o teste de Wilcoxon. Resultados: Houve melhora da insônia em ambos os grupos...

Insônia, sinais e sintomas depressivos e qualidade de vida em idosos institucionalizados; Insomnia, depressive signs and symptoms and Quality of Life in institutionalized senior citizens

Oliveira, Jolene Cristina Ferreira de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 08/08/2006 PT
Relevância na Pesquisa
27.78%
INTRODUÇÃO: O envelhecimento é um processo contínuo e dinâmico que produz alterações biopsicossociais que culminam com a morte. Embora normais, tais alterações acabam por comprometer a Qualidade de Vida (QV) dos idosos. Dentre elas cabe citar: aposentadoria, viuvez, mudanças de papéis na família e na sociedade, falta de motivação e dificuldade de planejar o futuro, deficiências orgânicas, entre outras. Muitos idosos conseguem adaptar-se e conviver com essas alterações enquanto outros não as aceitam e se tornam vulneráveis ao surgimento de doenças tais como a insônia e a depressão. OBJETIVOS: identificar a presença de insônia em idosos institucionalizados; avaliar a presença de sinais e sintomas depressivos em idosos institucionalizados; verificar a percepção dos idosos institucionalizados em relação à sua QV; comparar a QV nos idosos institucionalizados insones e nãoinsones; comparar os idosos institucionalizados no que se refere à presença de sinais e sintomas depressivos entre insones e não- insones; correlacionar sinais e sintomas depressivos e QV no grupo de insones comparado ao de não-insones; comparar com grupo comparativo os itens citados acima. MÉTODOS: o estudo foi realizado no asilo "São João Bosco" e no centro de convivência dos idosos "João Nogueira Vieira"...

Insonia e uso de hipnoticos na população geral de Campo Grande, MS

Jose Carlos Rosa Pires de Souza
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 19/12/2001 PT
Relevância na Pesquisa
37.59%
Entre os 88 distúrbios do sono, a insônia é o mais comum. Fez-se um levantamento epidemiológico, analítico e de corte transversal, para se detectar a prevalência da insônia e do uso de hipnóticos nos habitantes da área urbana de Campo Grande, MS, Brasil, com idade igual ou superior a 18 anos. Foram feitas 408 entrevistas domiciliares, por amostragem aleatória e estratificada por gênero, faixa etária e classe socioeconômica, mediante a aplicação de um questionário padronizado e sob consentimento do entrevistado. Dividiram-se os sujeitos em 2 grupos segundo os critérios da Asda (1997): insones e não-insones e os primeiros em insones com distúrbio de iniciar o sono (DIS), de mantê-lo (DMS) e despertar precoce (DDP); agudos (até 1 mês de duração) e crônicos (mais de 1 mês); leves, moderados e severos. Compararam-se os grupos quanto à idade, gênero, estado civil, grau de instrução, situação socioeconômica, ocupação, uso regular de hipnóticos e quem os prescreveu e uso de meios alternativos para dormir melhor. Para a análise estatística usaram-se métodos descritivos e os testes de qui-quadrado (?2), teste exato de Fisher e inferências com base nos parâmetros da distribuição binomial. O nível de significância adotado foi de 5% e o intervalo de confiança foi o de 95%. A prevalência geral da insônia foi 19...

Insónia, depressão e qualidade de vida em professores

Almeida, Cristina Maria Abrantes; Pereira, Carlos Manuel Figueiredo, orient.; Duarte, João Carvalho, co-orient.
Fonte: Instituto Politécnico de Viseu. Escola Superior de Saúde de Viseu Publicador: Instituto Politécnico de Viseu. Escola Superior de Saúde de Viseu
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
37.51%
Introdução: Os requisitos profissionais podem interferir com as atividades sociais, psicológicas e físicas, as quais podem condicionar a qualidade de vida. O objetivo deste estudo foi analisar os determinantes da saúde relacionados com a qualidade de vida (QVRS) numa amostra de professores portugueses do ensino básico e secundário. Métodos: Num estudo transversal foram avaliados uma amostra de professores do ensino básico e secundário de dezassete agrupamentos/escolas públicas selecionadas aleatoriamente do distrito de Aveiro e Viseu, Portugal. Recorreu-se a um questionário autoaplicado para avaliar as variáveis sociais e demográficas, a insónia (critérios da DSM-IV), a depressão (BDI) e para avaliar a QVRS recorreu-se ao formulário SF-12, agrupado em dimensões físicas e mentais (maior pontuação melhor qualidade de vida). A amostra final era composta por 604 professores do ensino básico (443 do sexo feminino, 73,3%), idade = 43,7 ± 7,6 anos. Foi utilizado o teste do qui-quadrado para comparar proporções e Kruskal Wallis para comparar as variáveis contínuas. Resultados: As pontuações totais de qualidade de vida foram associados com o género (34,7±2,7 vs. 33,3±3,6, p<0,001), registando-se valores inferiores no sexo feminino...

Epidemiologia da insónia em adolescentes : do diagnóstico de situação à intervenção

Amaral, Maria Odete Pereira
Fonte: Universidade Nova de Lisboa Publicador: Universidade Nova de Lisboa
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
37.96%
RESUMO - Introdução: Os problemas do sono, designadamente a insónia, os sintomas de insónia, os padrões de sono inadequados e a sonolência diurna, são frequentes na adolescência. Estes problemas estão frequentemente associados a múltiplos fatores, entre os quais estilos de vida e fatores ambientais, e apresentam consequências significativas na vida do adolescente e posteriormente na idade adulta. O sono e as suas perturbações deveriam constituir uma preocupação para os profissionais da saúde e da educação com o objetivo de tornar os hábitos de sono saudáveis num estilo de vida - com benefícios calculáveis como os associados a outros estilos de vida saudáveis (alimentação e exercício físico). Em Portugal, os estudos sobre problemas do sono em adolescentes são escassos, bem como as intervenções individuais e comunitárias no âmbito da higiene do sono. Os objetivos desta investigação foram estimar a prevalência de insónia e de sintomas de insónia em adolescentes, identificar fatores de risco e protetores dos sintomas de insónia, analisar as repercussões dos sintomas de insónia, caracterizar os padrões de sono dos adolescentes do distrito de Viseu e elaborar uma proposta de intervenção destinada à promoção da higiene do sono adaptada às características dos adolescentes do distrito de Viseu. Métodos: Realizou-se um estudo transversal onde se avaliaram alunos de vinte e seis escolas públicas do terceiro ciclo e secundário do distrito de Viseu...

Farmacoterapia das perturbações do sono: insónia

Damásio, Mariana Peig Dória
Fonte: Universidade do Algarve Publicador: Universidade do Algarve
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
37.59%
Dissertação de mest., Ciências Farmacêuticas, Faculdade de Ciências e Tecnologia, Univ. do Algarve, 2011; Objectivos A realização deste trabalho teve como principal objectivo a elaboração de estratégias farmacoterapêuticas adequadas aos distúrbios do sono, com especial relevância para o tratamento da insónia. Para esta concretização, é essencial a identificação dos mecanismos que regem o sono e definição dos principais factores que contribuem para aparecimento e desenvolvimento das respectivas perturbações. A importância inerente à terapêutica sintomatológica da insónia, reside no facto deste distúrbio ter consequências de cariz pessoal e profissional relevantes, prejudicando a normalidade quotidiana. Métodos A metodologia utilizada foi a pesquisa de fármacos e terapêuticas não farmacológicas com recurso a informação fornecida por bases de dados online e livros entre Março de 2011 a Setembro de 2011. Resultados Após o estudo dos mecanismos de regulação do sono e análise fisiopatológica da insónia foi possível identificar metodologia terapêutica mais indicada consoante a situação. A associação entre terapias cognitivo-comportamentais e a farmacoterapia, parece ser a estratégia mais conceptual na melhoria dos sintomas de insónia crónica. Conclusões A terapêutica não farmacológica tem demonstrado elevada adesão especialmente em sintomatologia crónica. No entanto a modulação farmacológica é a principal via de tratamento e dotada de potencialidade de resolução do problema...

Avaliação clínica e manejo da insônia em pacientes pediátricos

Nunes,Magda Lahorgue; Cavalcante,Verônica
Fonte: Sociedade Brasileira de Pediatria Publicador: Sociedade Brasileira de Pediatria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2005 PT
Relevância na Pesquisa
37.65%
OBJETIVOS: O objetivo deste artigo é revisar as características clínicas, a investigação e o tratamento da insônia na faixa etária pediátrica. FONTE DOS DADOS: Foi realizada pesquisa na MEDLINE, nos últimos 5 anos (1999-2004), utilizando os unitermos distúrbios do sono, insônia e infância. Foram incluídos artigos e livros textos clássicos sobre o tema, sendo elaborado um roteiro crítico para avaliação e manejo da insônia em pacientes pediátricos. SÍNTESE DOS DADOS: O artigo foi estruturado em tópicos apresentados de forma descritiva, contendo a definição de insônia, características clínicas e etiologia, de acordo com a faixa etária e manejo terapêutico. CONCLUSÕES: A insônia é uma queixa freqüente no consultório pediátrico, embora muitas vezes subdiagnosticada. A definição da etiologia é fundamental para a escolha da terapêutica mais adequada. Na maioria dos casos, uma boa anamnese é suficiente para estabelecer o diagnóstico e assegurar aos pais a benignidade do problema.

Insônia na menopausa e perimenopausa: características clínicas e opções terapêuticas

Soares,Claudio N.
Fonte: Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2006 PT
Relevância na Pesquisa
37.65%
Transtornos do sono e insônia são mais freqüentemente observados entre as mulheres do que entre os homens durante a vida adulta. Entre outros fatores, especula-se que alta comorbidade psiquiátrica para transtornos afetivos e ansiosos entre as mulheres contribua para maior ocorrência de insônia. Além disso, períodos de intensa variabilidade hormonal (por exemplo, gestação e puerpério, perimenopausa) parecem estar relacionados com maior incidência de insônia e de transtornos respiratórios do sono entre as mulheres. Estudos populacionais sugerem que a transição menopausal constitue um período de maior risco para o desenvolvimento de sintomas depressivos, vasomotores e de insônia. Este artigo examina os fatores clínicos e hormonais que contribuem para a ocorrência de insônia durante a peri e a pós-menopausa. Opções terapêuticas são discutidas, incluindo técnicas cognitivo-comportamentais, tratamentos hormonais, agentes hipnótico-sedativos, antidepressivos e tratamentos de medicina alternativa.

Associação entre sintomas de insônia, cochilo diurno e quedas em idosos da comunidade

Pereira,Alexandre Alves; Ceolim,Maria Filomena; Neri,Anita Liberalesso
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2013 PT
Relevância na Pesquisa
37.39%
Essa pesquisa investigou associações entre sintomas de insônia, cochilo diurno, e quedas em idosos da comunidade. Estudo transversal de base populacional e amostra probabilística envolvendo 689 idosos da comunidade. O protocolo continha variáveis de autorrelato e de desempenho físico. Foi utilizada a análise de regressão logística univariada e multivariada, e o nível de significância estatística adotado foi de p < 0,05. A prevalência de sintomas de insônia e cochilo diurno foi de 49,9% (n = 339) e 62,8% (n = 432), respectivamente. Quatorze vírgula quatro porcento relataram uma única queda e 11,9% relataram quedas recorrentes. A ocorrência de quedas associou-se com sexo feminino (OR = 7,73; IC95%: 3,03-19,72), idade > 80 anos (OR = 3,48; IC95%: 1,54-7,85), cochilo diurno (OR = 2,24; IC95%: 1,24-4,05) e sintomas depressivos (OR = 1,98; IC95%: 1,11-3,53). A associação entre cochilo diurno e quedas replicam dados de pesquisa internacional. Identificar fatores de risco modificáveis pode auxiliar programas de prevenção de quedas.

Insônia em pacientes com câncer de mama

Rafihi-Ferreira,Renatha El; Soares,Maria Rita Zoéga
Fonte: Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Pontifícia Universidade Católica de Campinas Publicador: Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Pontifícia Universidade Católica de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2012 PT
Relevância na Pesquisa
37.65%
A insônia é uma queixa frequente em pacientes com câncer de mama, e suas consequências podem causar impacto na qualidade de vida e no curso da doença. O objetivo deste estudo foi revisar a literatura especializada sobre a relação entre insônia e câncer de mama, abordando definição, prevalência, fatores etiológicos e as consequências da insônia no contexto da neoplasia mamária, bem como os tratamentos para insônia nessa população. A busca da literatura ocorreu nos bancos de dados Scopus, Web of Science e SciELO, utilizando as palavras chaves: insomnia, sleep, breast cancer, treatment, cognitive-behavioral therapy. Os estudos revisados demonstraram que a etiologia da insônia envolve fatores de predisposição, precipitação e perpetuação. Evidencia-se a importância da melhora na qualidade de sono em pacientes oncológicos, além de se indicar a combinação de terapia farmacológica e cognitivocomportamental no tratamento dos problemas de sono.

Epidemiologia da insônia

Souza,José Carlos; Reimão,Rubens
Fonte: Departamento de Psicologia - Universidade Estadual de Maringá Publicador: Departamento de Psicologia - Universidade Estadual de Maringá
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2004 PT
Relevância na Pesquisa
37.74%
Os autores fizeram uma ampla revisão da literatura científica mundial sobre a epidemiologia da insônia, o mais prevalente dos distúrbios do sono. Foi feito um levantamento bibliográfico, no período de janeiro de 2002 a novembro de 2003, das publicações dos últimos 30 anos, nos bancos de dados MEDLINE e LILACS, sobre a definição e prevalência da insônia, além de suas conseqüências socioeconômicas. As palavras-chaves pesquisadas foram: distúrbio de iniciar o sono, distúrbio de manutenção do sono, distúrbio do despertar precoce, insônia, distúrbios do sono, prevalência da insônia, conseqüências da insônia. Observou-se uma grande variação dos critérios de definição da insônia, dos desenhos metodológicos e dos resultados dos estudos epidemiológicos, o que prejudicou as comparações dos dados das várias pesquisas. As futuras linhas de pesquisa sobre a epidemiologia da insônia devem se embasar em um consenso sobre sua definição e critérios metodológicos mais bem-definidos.

Eventos de vida produtores de estresse e queixas de insônia entre auxiliares de enfermagem de um hospital universitário no Rio de Janeiro: estudo Pró-Saúde

Robaina,Jaqueline R.; Lopes,Claudia S.; Rotenberg,Lúcia; Faerstein,Eduardo; Fischer,Frida M.; Moreno,Claudia R. de C.; Werneck,Guilherme L.; Chor,Dora
Fonte: Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2009 PT
Relevância na Pesquisa
37.39%
OBJETIVO: Avaliar a associação entre eventos de vida produtores de estresse (EVPE) e queixas de insônia (QI). MÉTODOS: Foram analisados dados seccionais de 695 auxiliares de enfermagem de um hospital universitário, participantes do Estudo Pró-Saúde - coorte de funcionários de uma universidade no Rio de Janeiro. As informações foram obtidas através de um questionário multidimensional e autopreenchido, que avaliou a ocorrência de EVPE nos últimos 12 meses, variáveis socioeconômicas e demográficas e QI. As QI foram analisadas como desfecho politômico (frequente, ocasional, e ausente). Odds ratios brutos e ajustados foram calculados através de regressão logística multinomial. RESULTADOS: A prevalência total de QI foi de 45,8% (16,7% frequentes e 29,1% ocasionais). Após ajuste por sexo, idade, estado civil, renda familiar per capita e regime de trabalho, os EVPE associados com QI frequentes foram: "rompimento de relação amorosa" (OR = 3,32; IC95% 1,90 - 5,78), "ter tido problemas graves de saúde" (OR = 2,82; IC95% 1,73 - 4,58); "dificuldades financeiras graves" (OR = 2,38; IC95% 1,46 - 3,88), e "mudança forçada de moradia" (OR = 1,97; IC95% 1,02 - 3,79). Com relação às QI ocasionais, houve associação apenas com rompimento de relação amorosa (OR = 2...

Qualidade subjetiva do sono e queixa de insônia em pacientes com Acidente Vascular Cerebral

Rocha, Patrícia Cavalcanti da
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Psicobiologia; Estudos de Comportamento; Psicologia Fisiológica Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Psicobiologia; Estudos de Comportamento; Psicologia Fisiológica
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.59%
Brain injury can be associated with changes in the sleep-wake cycle. However, studies about sleep disturbances and their relationship with quality of sleep are scarce. Besides, it remains to be known how stroke affects the mechanisms of sleep. The aim of this study was to investigate quality of sleep, complaints of sleep disturbances and associated factors in stroke patients from the Physical Therapy services in Natal -RN. This was a cross-sectional descriptive study involving 70 individuals (aged 45-65 years), 40 patients (57 ± 7 years), 11 ± 9 months after injury, and 30 healthy individua ls (52 ± 6 years), evaluated with the Pittsburgh Sleep Quality Index (PSQI) and Sleep Habits Questionnaire. The data were analyzed by Chi-square test, t Student test and logistic regression. Poor quality sleep was found in 57,5% of the patients (6,3 ± 3,5) and was significantly higher than in the control population (3,9 ± 2,2) (t Student test, p=0,002). The patients showed significantly higher value of PSQI than controls: sleep latency (p=0,019), length of sleep (p=0,039) and dysfunction during the day (p=0,001). Regarding complaints of sleep disturbances (dyssomnias and parasomnias) analyzed by Chi-square test...

Relação entre atividade física, capacidade funciona,l velocidade da marcha, sintomas de insônia, cochilo diurno, sintomas depressivos e ocorrência de quedas em idosos residentes na comunidade; Relationship between physical activity, functional performance, walking speed, insomnia symptoms, napping, depressive symptoms and falls in community-elderly people

Alexandre Alves Pereira
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 30/06/2011 PT
Relevância na Pesquisa
37.65%
Objetivo: Descrever a influência da atividade física, da velocidade da marcha, da capacidade funcional, dos sintomas de insônia, do cochilo diurno e dos sintomas depressivos sobre a ocorrência de quedas em idosos residentes na comunidade. Métodos: Estudo retrospectivo, de corte transversal. Dos 900 idosos recrutados em domicílio na cidade de Campinas, foram incluídos nesse estudo 689 idosos selecionados por desempenho superior à nota de corte no Mini-Exame do Estado Mental. Os instrumentos incluíram questionários para avaliação dos sintomas de insônia, cochilo diurno e ocorrência de quedas nos últimos 12 meses; medida observacional de velocidade da marcha; as versões brasileiras da Geriatric Depression Scale e do Minnesota Leisure Activity Questionnaire; 13 atividades avançadas de vida diária (AAVDs) e sete atividades instrumentais de vida diária (AIVDs). Resultados: A idade média foi 72,19 (dp = 5,33). Dos entrevistados, 68,8% eram do sexo feminino; 49,93% queixaram-se de um ou mais sintomas de insônia e 62,94% referiram o hábito de cochilar; 19,61% apresentaram sintomas depressivos; 56% eram sedentários, contudo a maioria mostrou-se independente funcionalmente (AAVDs, AIVDs e velocidade da marcha); a prevalência de quedas foi de 26...

INSÔNIA: INTERVENÇÃO COMPORTAMENTAL E COGNITIVA; INSOMNIA: BEHAVIOURAL AND COGNITIVE INTERVENTIONS

Riba, Francis J.
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 30/09/1997 ENG
Relevância na Pesquisa
37.51%
Esta revisão trata do diagnóstico e tratamento não-farmacológico da insônia. Na primeira parte, são apresentados critérios para a definição de insônia e um roteiro clínico para a investigação das suas várias causas (físicas, relacionadas a drogas, mentais e comportamentais). Na segunda parte, são discutidas diferentes técnicas de relaxamentos e um programa detalhado de controle de estímulos aplicados à terapêutica da insônia.; This review deals with diagnosis and non-pharmacological treatment of insomnia. In the first part, criteria for definition of insomnia and a clinical guide to search among several causes (physical, drug-related, mental and behavioural) of insomnia are provided. In the second, part, different relaxation techinques and a detailed stimulus control program are discussed for the treatment of insomnia.

Insônia na menopausa e perimenopausa: características clínicas e opções terapêuticas; Insomnia during menopause and perimenopause: clinical characteristics and therapeutic options

Soares, Claudio N.
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina. Instituto de Psiquiatria Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina. Instituto de Psiquiatria
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/2006 POR
Relevância na Pesquisa
37.65%
Transtornos do sono e insônia são mais freqüentemente observados entre as mulheres do que entre os homens durante a vida adulta. Entre outros fatores, especula-se que alta comorbidade psiquiátrica para transtornos afetivos e ansiosos entre as mulheres contribua para maior ocorrência de insônia. Além disso, períodos de intensa variabilidade hormonal (por exemplo, gestação e puerpério, perimenopausa) parecem estar relacionados com maior incidência de insônia e de transtornos respiratórios do sono entre as mulheres. Estudos populacionais sugerem que a transição menopausal constitue um período de maior risco para o desenvolvimento de sintomas depressivos, vasomotores e de insônia. Este artigo examina os fatores clínicos e hormonais que contribuem para a ocorrência de insônia durante a peri e a pós-menopausa. Opções terapêuticas são discutidas, incluindo técnicas cognitivo-comportamentais, tratamentos hormonais, agentes hipnótico-sedativos, antidepressivos e tratamentos de medicina alternativa.; Sleep disturbances and insomnia are more commonly observed in adult females than in adult males. It has been speculated that comorbid depression and anxiety among females may contribute to a higher incidence of insomnia. In addition...

Eventos de vida produtores de estresse e queixas de insônia entre auxiliares de enfermagem de um hospital universitário no Rio de Janeiro: estudo Pró-Saúde

Robaina,Jaqueline R.; Lopes,Claudia S.; Rotenberg,Lúcia; Faerstein,Eduardo; Fischer,Frida M.; Moreno,Claudia R. de C.; Werneck,Guilherme L.; Chor,Dora
Fonte: Associação Brasileira de Pós -Graduação em Saúde Coletiva Publicador: Associação Brasileira de Pós -Graduação em Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2009 PT
Relevância na Pesquisa
37.39%
OBJETIVO: Avaliar a associação entre eventos de vida produtores de estresse (EVPE) e queixas de insônia (QI). MÉTODOS: Foram analisados dados seccionais de 695 auxiliares de enfermagem de um hospital universitário, participantes do Estudo Pró-Saúde - coorte de funcionários de uma universidade no Rio de Janeiro. As informações foram obtidas através de um questionário multidimensional e autopreenchido, que avaliou a ocorrência de EVPE nos últimos 12 meses, variáveis socioeconômicas e demográficas e QI. As QI foram analisadas como desfecho politômico (frequente, ocasional, e ausente). Odds ratios brutos e ajustados foram calculados através de regressão logística multinomial. RESULTADOS: A prevalência total de QI foi de 45,8% (16,7% frequentes e 29,1% ocasionais). Após ajuste por sexo, idade, estado civil, renda familiar per capita e regime de trabalho, os EVPE associados com QI frequentes foram: "rompimento de relação amorosa" (OR = 3,32; IC95% 1,90 - 5,78), "ter tido problemas graves de saúde" (OR = 2,82; IC95% 1,73 - 4,58); "dificuldades financeiras graves" (OR = 2,38; IC95% 1,46 - 3,88), e "mudança forçada de moradia" (OR = 1,97; IC95% 1,02 - 3,79). Com relação às QI ocasionais, houve associação apenas com rompimento de relação amorosa (OR = 2...

Associação entre sintomas de insônia, cochilo diurno e quedas em idosos da comunidade

Pereira,Alexandre Alves; Ceolim,Maria Filomena; Neri,Anita Liberalesso
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2013 PT
Relevância na Pesquisa
37.39%
Essa pesquisa investigou associações entre sintomas de insônia, cochilo diurno, e quedas em idosos da comunidade. Estudo transversal de base populacional e amostra probabilística envolvendo 689 idosos da comunidade. O protocolo continha variáveis de autorrelato e de desempenho físico. Foi utilizada a análise de regressão logística univariada e multivariada, e o nível de significância estatística adotado foi de p < 0,05. A prevalência de sintomas de insônia e cochilo diurno foi de 49,9% (n = 339) e 62,8% (n = 432), respectivamente. Quatorze vírgula quatro porcento relataram uma única queda e 11,9% relataram quedas recorrentes. A ocorrência de quedas associou-se com sexo feminino (OR = 7,73; IC95%: 3,03-19,72), idade > 80 anos (OR = 3,48; IC95%: 1,54-7,85), cochilo diurno (OR = 2,24; IC95%: 1,24-4,05) e sintomas depressivos (OR = 1,98; IC95%: 1,11-3,53). A associação entre cochilo diurno e quedas replicam dados de pesquisa internacional. Identificar fatores de risco modificáveis pode auxiliar programas de prevenção de quedas.