Página 1 dos resultados de 988 itens digitais encontrados em 0.005 segundos

Diabos (diálogos) intermitentes: individualismo e crítica à instituição religiosa em obras de Eça de Queirós; Devils (dialogues) intermittent: individualism and criticism to the religious institution in Eça de Queirós' works

Nery, Antonio Augusto
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 11/03/2010 PT
Relevância na Pesquisa
37.17%
Entre os inúmeros personagens criados e eternizados por Eça de Queirós ao longo de sua produção, o diabo talvez seja aquele que menos recebeu atenção das análises críticas voltadas às obras do escritor. Longe de ser uma personagem dita marginal, pois está presente desde os primeiros textos até as obras derradeiras desenvolvidas por Eça, o diabo parece mesmo ter sido preterido por suas figurações quase sempre pequenas e/ou supostamente despretensiosas. Pretendemos neste trabalho volver o olhar para essa personagem na obra de Eça de Queirós, confirmando nossa hipótese de que com poucas, mas sistemáticas aparições, Satanás desempenha um papel fundamental na produção do escritor, especialmente quando ele procura fazer menções a conceitos do individualismo moderno e criticar a Instituição religiosa oficial de Portugal, a Igreja Católica, bem como tudo o que estivesse voltado a ela e à sua atuação no país. Principiamos averiguando quem é Satanás, como este mito floresceu e, principalmente, o papel da Igreja em sua criação, formalização e atualização ao longo dos séculos até nossos dias. Posteriormente, para compreendermos a concepção do diabo que Eça veicula em suas obras, dedicamos atenção ao diabo literário...

Os anos de aprendizado de Wilhelm Meister e as formas de individualismo dos séculos XVIII e XIX; Wilhelm Meisters Apprenticeship and the forms of individualism of XVIII and XIX centuries.

Pires, Pedro Giovanetti Cesar
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 26/09/2014 PT
Relevância na Pesquisa
37.17%
Esta pesquisa propõe-se investigar o romance Os anos de aprendizado de Wilhelm Meister, de Johann Wolfgang von Goethe (1749-1832), publicado em 1796. Nosso objetivo é realizar, com a análise do romance, uma reconstrução sociológica da noção de formação do indivíduo expressa na obra, articulando-a com o processo de emeregência da noção moderna de liberdade individual. Para tanto, recorre-se a três conceitos-chave do pensamento de Georg Simmel: o conceito de cultura, individualismo quantitativo e individualismo qualitativo. Ao relacionar o enredo do romance com as transformações na estrutura social ocorridas nos séculos XVIII e XIX, as quais são analisadas a partir dos conceitos de Simmel, nosso objetivo é esclarecer a visão de modernidade que se apresenta na obra de Goethe, bem o seu potencial crítico relativo à questão da liberdade individual.; This research aims to investigate the novel Wilhelm Meisters Apprenticeship by Johann Wolfgang von Goethe (1749-1832), published in 1796. Our goal is to build, with the analysis of the novel, a sociological reconstruction from the idea of individual self-cultivation which the novel express and articulate this idea with the process of construction of the modern individual freedom ideal. To perform that...

Individualismo-colectivismo: Dos aspectos conceptuais às questões de avaliação

Ciochinǎ, Laura; Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto; Faria, Luísa; Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto
Fonte: ISPA - Instituto Universitário Publicador: ISPA - Instituto Universitário
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em 23/11/2012 POR
Relevância na Pesquisa
37.28%
O presente estudo, com 200 sujeitos, desenvolve o estado da arte, teórico e metodológico, da debatida dimensão cultural e intercultural de individualismo-colectivismo (IND/COL). Este objectivo foi operacionalizado à luz do processo de validação de um questionário de avaliação do IND/COL para o contexto português, nomeadamente o Questionário de Individualismo-Colectivismo de Shulruf, Hattie, e Dixon (2003, Anonymous Questionnaire of Self-Attitudes – AQSA), construído no contexto neozelandês e constituído por 26 itens, 15 ilustrativos da dimensão de individualismo (IND) e 11 da dimensão de colectivismo (COL). Os resultados das análises factoriais confirmatórias (AFC) realizadas acerca do AQSA apontaram para uma nova estrutura factorial deste instrumento, a ser verificada em estudos futuros de AFC de segunda ordem, bem como para a necessidade de se clarificar o universo teórico e a operacionalização dos constructos de IND/COL.

Gloria o maldición del individualismo moderno según Louis Dumont

Stolcke,Verena
Fonte: Departamento de Antropologia, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo - FFLCH/USP Publicador: Departamento de Antropologia, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo - FFLCH/USP
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2001 ES
Relevância na Pesquisa
37.17%
Este artículo discute la noción de individualismo en Louis Dumont, partiendo sobretodo de una reconstitución del encuentro entre sus perspectivas metodológica -- que tiene como base el estudio antropológico de la civilización indiana -- y teórica, referida a la relación entre individuo y sociedad en una llave propiamente maussiana. Por el hecho de saberse que Dumont se utiliza de un abordaje al mismo tiempo comparativo y estructural, lo que se busca es mostrar que el individualismo, al mismo tiempo que se presenta ideologicamente como opuesto a la jerarquía típica de sistemas como las casta indianas, mantiene propiedades lógicas semejantes, en lo que se refiere a la relación entre los valores y las prácticas sociologicamente "englobadas" y veladas. De este modo es posible entender, a partir de este pensamiento, como en el interior del mismo sistema individualista -- liberal e igualitario -- hay espacio para ideologías totalitarias y racistas, como perversiones jerárquicas que trabajan la desigualdad en planos sociologicamente asimétricos como la "naturaleza".

Individualismo interativo: um ensaio sobre o individualismo metodológico de Hayek

Kerstenetzky,Celia Lessa
Fonte: Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas - FIPE Publicador: Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas - FIPE
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2007 PT
Relevância na Pesquisa
37.36%
Este paper tem como objetivo central identificar, no tratamento de Friedrich Hayek ao problema da ordem social, uma nova modalidade de individualismo metodológico, que denominarei de "individualismo interativo". Este se diferencia do individualismo metodológico convencional - que deduz a ordem de escolhas racionais de indivíduos - sob dois aspectos principais. O primeiro diz respeito à problematização das condições de conhecimento - ou seja o conhecimento dos indivíduos não é suposto como dado ou objetivamente disponível, mas como o primeiro problema a ser enfrentado pela abordagem. O segundo, decorrente do primeiro, diz respeito à própria unidade de análise que já não mais pode ser os indivíduos isolados, tomados como dados, mas "indivíduos interagentes".

Escala multi-fatorial de individualismo e coletivismo: elaboração e validação de construto

Gouveia,Valdiney V.; Andrade,Josemberg M. de; Jesus,Girlene R. de; Meira,Maja; Soares,Nilton F.
Fonte: Instituto de Psicologia, Universidade de Brasília Publicador: Instituto de Psicologia, Universidade de Brasília
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2002 PT
Relevância na Pesquisa
37.46%
O objetivo deste estudo foi apresentar uma medida multi-fatorial de atitudes individualistas e coletivistas, comprovando sua validade de construto e convergente. Partiu-se da tipologia de Triandis (1995), acrescentando dois novos componentes destes construtos: o protoindividualismo e o individualismo expressivo. Participaram do estudo 304 pessoas, a maioria do sexo feminino (62,5%), com idade média de 29 anos. Estes responderam a Escala Multi-Fatorial de Individualismo e Coletivismo (EMIC), a Escala de Identificação Endogrupal e uma lista de variáveis demográficas. Comprovou-se a estrutura multi-fatorial da EMIC através de uma análise fatorial confirmatória, que revelou índices aceitáveis de bondade de ajuste (chi2/g.l. = 2,38, AGFI = 0,85 e RMSEA = 0,07). Os Alfas de Cronbach das subescales se situaram entre 0,34 (individualismo horizontal) e 0,68 (coletivismo horizontal). Todos os fatores de individualismo e coletivismo se correlacionaram diretamente com o seu respectivo atributo teórico; a única correlação não significativa foi do individualismo expressivo com o atributo pessoal expressivo (r = 0,08, p > 0,05). Concluiu-se que, comparando com medidas prévias, esta se mostrou adequada, embora se recomende a elaboração de novos itens para contemplar a dimensão do individualismo horizontal.

Dimensões normativas do individualismo e coletivismo: é suficiente a dicotomia pessoal vs. social?

Gouveia,Valdiney V.; Andrade,Josemberg M. de; Milfont,Taciano Lemos; Queiroga,Fabiana; Santos,Walberto Silva dos
Fonte: Curso de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Curso de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2003 PT
Relevância na Pesquisa
37.52%
Previamente tem sido sugerida a relação do individualismo e coletivismo com os valores humanos. Não obstante, são escassas as pesquisas que visam comprová-la empiricamente. O presente estudo objetivou conhecer os valores humanos que melhor descrevem as dimensões destes construtos (individualismo vertical, individualismo horizontal, protoindividualismo, individualismo expressivo, coletivismo vertical e coletivismo horizontal). Participaram 304 pessoas, membros da população geral e estudantes do ensino médio e universitário. A maioria foi do sexo feminino (62,5%), com idade média de 29 anos. Estes responderam a Escala Multi-Fatorial de Individualismo e Coletivismo e o Questionário dos Valores Básicos, além de perguntas sócio-demográficas. Verificou-se que o individualismo pode ser melhor caracterizado pelos valores pessoais, enquanto que o coletivismo expressa uma ênfase nos valores sociais. No que se refere às dimensões do individualismo e coletivismo, estas foram correlacionadas de modo diferenciado com certos valores básicos, permitindo identificar um tipo específico de orientação social. Estes resultados foram discutidos com base na literatura da Psicologia Social Trans-Cultural, evidenciando-se sua importância para compreender o individualismo e coletivismo.

Individualismo romântico e modernidade democrática: uma configuração mútua

Santos,Rosmália Ferrreira
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/11/2004 PT
Relevância na Pesquisa
37.36%
Este artigo propõe como objeto de análise a formação de uma concepção moderna de democracia no século XIX e as relações que essa concepção guarda com a afirmação de um novo paradigma de individualismo que chamo de individualismo romântico. Minha tese é de que esses dois eventos são mutuamente configuradores, ou seja, de que a conformação de novas instituições e de uma teoria moderna da democracia guardam íntimas relações com os pressupostos do novo paradigma de individualismo. O texto começa delimitando um terreno em que podemos lidar com a idéia de uma teoria homogênea da democracia ou de romantismo, investigando, em seguida, as condições em que é possível falar de individualismo propriamente romântico e da forma como essa noção é incorporada nos discursos dos democratas liberais como Stuart Mill, Tocqueville e Schumpeter.

Individualismo metodológico, racionalidade e ação instrumental: a proposta cognitiva de Raymond Boudon

Carvalho,Bruno Sciberras de
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2010 PT
Relevância na Pesquisa
37.17%
O artigo analisa as proposições teóricas do individualismo metodológico de Raymond Boudon, que procura desvincular-se de perspectivas que ressaltam a concepção de racionalidade instrumental, como o entendimento da escolha racional. As diferenças entre a conduta instrumental e a idéia de racionalidade cognitiva propostas pelo sociólogo envolvem temas centrais da reflexão social atual, principalmente possíveis vínculos problemáticos entre a tradição sociológica e certa ontologia econômica. Para mostrar a particularidade do individualismo metodológico de Boudon e sua noção de racionalidade cognitiva, exponho, primeiramente, as suas principais críticas ao paradigma instrumental. Posteriormente, debato as alternativas sugeridas por Boudon, principalmente a idéia de que os agentes incorporam crenças ou teorias simplesmente porque têm "boas razões" e a sua noção de uma "racionalização difusa". Finalmente, procuro analisar de que forma a teoria do autor francês aponta falhas da visão economicista de racionalidade, embora apresente algumas proposições imprecisas. Assim, ao mesmo tempo em que assinala importante falta de conexão entre a agência individual e o contexto social na teoria da escolha racional, Boudon elabora uma concepção universalista de racionalidade que parece não observar fundamentos circunstanciais e delimitados da realidade social.

O individualismo-coletivismo no Brasil e na Espanha: correlatos sócio-demográficos

Gouveia,Valdiney V.; Clemente,Miguel
Fonte: Programa de Pós-graduação em Psicologia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte Publicador: Programa de Pós-graduação em Psicologia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2000 PT
Relevância na Pesquisa
37.28%
O presente estudo pretendeu conhecer os correlatos sócio-demográficos do individualismo-coletivismo, considerando três cidades do Brasil (João Pessoa, Brasília e São Paulo) e três da Espanha (Pontevedra, Madri e Barcelona). Um total de 471 brasileiros e 476 espanhóis, estudantes universitários de diversos contextos sócio-demográficos, providenciaram os dados; a maioria era do sexo feminino (76%) e solteiro (91%), com uma média de idade de 22 anos (amplitude de 16 a 55 anos). Estes responderam ao Questionário de Individualismo-Coletivismo e ao Questionário Sócio-Demográfico. Os resultados indicaram que as seguintes variáveis se correlacionaram sistematicamente com a dimensão individualismo-coletivismo: intensidade das amizades, identificação endogrupal e gênero, nesta ordem. Comprovou-se, também, que algumas variáveis são mais adequadas em um país que em outro; por exemplo, a religiosidade no Brasil e o número de amigos íntimos na Espanha. Tais resultados são discutidos à luz dos previamente encontrados na literatura.

O individualismo e o coletivismo como indicadores de culturas nacionais: convergências e divergências teórico-metodológicas

Ferreira,Maria Cristina; Assmar,Eveline Maria Leal; Souto,Solange de Oliveira
Fonte: Departamento de Psicologia - Universidade Estadual de Maringá Publicador: Departamento de Psicologia - Universidade Estadual de Maringá
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2002 PT
Relevância na Pesquisa
37.17%
O trabalho aborda as convergências e divergências teórico-metodológicas que cercam a produção científica atual a respeito do individualismo e do coletivismo e suas implicações para a avaliação das culturas nacionais. Examina, inicialmente, alguns modelos conceituais sobre os valores, detendo-se, posteriormente, nas questões subjacentes à teorização e mensuração do individualismo e do coletivismo e nas controvérsias presentes neste campo de estudos. À guisa de conclusão, destacam-se pontos críticos da literatura a serem levados em conta pelos investigadores interessados no estudo das influências da cultura no comportamento psicossocial, assim como as possibilidades de aplicação de tal arcabouço teórico ao contexto sociocultural brasileiro.

Democracia e individualismo: a igualdade como princípio organizador

Silva, Walter Valdevino Oliveira
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Tese de Doutorado
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
37.17%
As democracias ocidentais contemporâneas caracterizam-se pelo consenso a respeito da defesa dos direitos individuais fundamentais. O princípio da igualdade, tanto em sua formulação jurídica quanto em sua expressão social, tem por objetivo fazer com que fatores como poder econômico, influência política, origem familiar e preferências pessoais não possam promover desigualdades que não possuem justificativa moral. O princípio da liberdade tem por objetivo garantir espaço para a autonomia e a livre expressão individual. O conflito entre esses dois princípios, como se sabe, define o contexto tanto das conquistas e dos impasses dos regimes democráticos quanto o contexto do debate filosófico a respeito da fundamentação da democracia. Minha tese é a de que a instauração do individualismo nas democracias ocidentais é o resultado de um longo processo de desenvolvimento histórico que estabeleceu a igualdade – e não a liberdade – como o princípio organizador fundamental da ordem social democrática. Essa reavaliação permite superar os impasses gerados por teorias que colocam a autonomia e a racionalidade como fundamento das sociedades democráticas, inflacionando, assim, o conceito de liberdade, restringindo a política a processos de deliberação que deveriam se aproximar de condições idealizadas que não encontram correspondência na prática social e...

Ansiedad e individualismo un análisis de la relación entre individualización y trastornos ansiosos aplicado a una muestra de estudiantes universitarios de Bogotá

Cendales, Boris
Fonte: Escuela de Ciencias Humanas Publicador: Escuela de Ciencias Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/bachelorThesis; info:eu-repo/semantics/acceptedVersion Formato: application/pdf
SPA
Relevância na Pesquisa
37.28%
En esta investigación se sostiene que el individualismo, por lo menos en su dimensión reflexiva, es decir en la que el individuo retrae sobre sí mismo los puntos de referencia sobre los cuales construye su identidad, se manifiesta de forma negativa en la salud de las personas. Asumimos que la principal consecuencia del individualismo es el aislamiento, y aunque dicha condición puede alterar de diferentes formas el bienestar de las personas, nuestra atención se concentra particularmente en el campo de la salud mental. Específicamente examinaremos la relación entre el individualismo y el desarrollo de trastornos de ansiedad.

Individualismo interativo: um ensaio sobre o individualismo metodológico de Hayek

Kerstenetzky, Celia Lessa
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 01/03/2007 POR
Relevância na Pesquisa
37.36%
The main purpose of this paper is to identify the elements for a new kind of methodological individualism - 'interactive individualism' - in Friedrich Hayek's work. This departs from conventional rational choice oriented ideas of methodological individualism in two mains respects. The first has to do with turning the knowledge conditions a problem in its own right, to be sorted out in the process of understanding the social coordination. The second refers to the very unit of analysis which cannot be isolated individuals, taken as given, but 'interacting individuals' instead.; Este paper tem como objetivo central identificar, no tratamento de Friedrich Hayek ao problema da ordem social, uma nova modalidade de individualismo metodológico, que denominarei de "individualismo interativo". Este se diferencia do individualismo metodológico convencional - que deduz a ordem de escolhas racionais de indivíduos - sob dois aspectos principais. O primeiro diz respeito à problematização das condições de conhecimento - ou seja o conhecimento dos indivíduos não é suposto como dado ou objetivamente disponível, mas como o primeiro problema a ser enfrentado pela abordagem. O segundo, decorrente do primeiro, diz respeito à própria unidade de análise que já não mais pode ser os indivíduos isolados...

Gloria o maldición del individualismo moderno según Louis Dumont; Gloria o maldición del individualismo moderno según Louis Dumont

Stolcke, Verena
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/2001 SPA
Relevância na Pesquisa
37.46%
Este artículo discute la noción de individualismo en Louis Dumont, partiendo sobretodo de una reconstitución del encuentro entre sus perspectivas metodológica -- que tiene como base el estudio antropológico de la civilización indiana -- y teórica, referida a la relación entre individuo y sociedad en una llave propiamente maussiana. Por el hecho de saberse que Dumont se utiliza de un abordaje al mismo tiempo comparativo y estructural, lo que se busca es mostrar que el individualismo, al mismo tiempo que se presenta ideologicamente como opuesto a la jerarquía típica de sistemas como las casta indianas, mantiene propiedades lógicas semejantes, en lo que se refiere a la relación entre los valores y las prácticas sociologicamente "englobadas" y veladas. De este modo es posible entender, a partir de este pensamiento, como en el interior del mismo sistema individualista -- liberal e igualitario -- hay espacio para ideologías totalitarias y racistas, como perversiones jerárquicas que trabajan la desigualdad en planos sociologicamente asimétricos como la "naturaleza".; As a starting point for discussing Louis Dumont's notion of individualism, this article uncovers two intersecting perspectives in the author's work: one, methodological...

Childhood protection and promotion: tensions between collectivism and individualism in Brazil; Proteção e promoção da infância: tensões entre coletivismo e individualismo no Brasil

dos Santos, Gilberto Lima; Chaves, Antonio Marcos
Fonte: UFPR Publicador: UFPR
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; avaliado por pares; Formato: application/pdf
Publicado em 29/08/2006 POR
Relevância na Pesquisa
37.28%
The aim of this study is to develop a reflection, guided by individualism and collectivism notions, about how childhood protection logic and childhood promotion logic appear historically in educational processes and in Brazilian legislation. Two important ideas are taken in consideration. First, the individualism and collectivism concepts have been successful ones to explain the phenomena related to the cultural differences. Second, individualistic or collectivistic cultural features mark the social interactions dynamics, the values and the attitudes. Then, this study appreciates some historic features of Brazilian education that link its origin to the present days. Along the discussion, priority is given to school and to Child and Adolescent Statute as phenomena that bring the above named logics up-to-date. This study suggests the protection logic prevalence and its close connection to collectivistic principles. At the same time, it indicates a powerful influence of the Catholic model on the Brazilian education and legislation related to the childhood.. Keywords: individualism/collectivism; protection/promotion; chidhood.; O objetivo deste estudo é desenvolver uma reflexão, orientada pelas concepções de individualismo e coletivismo...

INDIVIDUALISMO ROMÂNTICO E MODERNIDADE DEMOCRÁTICA: UMA CONFIGURAÇÃO MÚTUA

Santos, Rosmália Ferrreira
Fonte: UFPR Publicador: UFPR
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 13/06/2005 POR
Relevância na Pesquisa
37.36%
Este artigo propõe como objeto de análise a formação de uma concepção moderna de democracia no século XIX e as relações que essa concepção guarda com a afirmação de um novo paradigma de individualismo que chamo de individualismo romântico. Minha tese é de que esses dois eventos são mutuamente configuradores, ou seja, de que a conformação de novas instituições e de uma teoria moderna da democracia guardam íntimas relações com os pressupostos do novo paradigma de individualismo. O texto começa delimitando um terreno em que podemos lidar com a idéia de uma teoria homogênea da democracia ou de romantismo, investigando, em seguida, as condições em que é possível falar de individualismo propriamente romântico e da forma como essa noção é incorporada nos discursos dos democratas liberais como Stuart Mill, Tocqueville e Schumpeter. ROMANTIC INDIVIDUALISM AND DEMOCRATIC MODERNITY: A MUTUAL CONFIGURATION Abstract This article analyzes the formation of modern conception of democracy in the 19th century and the relationship that this conception has to the emergence of a new paradigm of individualism that I call “romantic individualism”. My thesis is that these are two mutually shaping events, in other words...

Individualismo, liberdade e insegurança na Pós-modernidade

Vieira, Érico Douglas; Stengel, Márcia; Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais
Fonte: ECOS - Estudos Contemporâneos da Subjetividade; ECOS - Estudos Contemporâneos da Subjetividade Publicador: ECOS - Estudos Contemporâneos da Subjetividade; ECOS - Estudos Contemporâneos da Subjetividade
Tipo: ; Estudo teórico Formato: application/pdf
Publicado em 21/12/2012 PT
Relevância na Pesquisa
37.28%
Procura-se neste artigo descrever o individualismo como ideologia própria da Modernidade bem como suas configurações pós-modernas. Parte-se do pressuposto que a nossa sociedade toma o indivíduo como valor supremo e como unidade moral autônoma, enfatizando fortemente aspectos como a liberdade de escolha, a realização pessoal, a obtenção de sensações prazerosas e a possibilidade de viver sem depender do outro. Busca apresentar a Modernidade como a época que inventou a noção de indivíduo autônomo na tentativa de libertação dos laços tradicionais. Compara as sociedades holistas ou tradicionais e as sociedades individualistas. Demonstra que na Pós-modernidade o individualismo permanece como uma ideologia que toma o indivíduo como referência e que valoriza aspectos como a liberdade individual e a obtenção de sensações prazerosas. No entanto, a ênfase em valores como a liberdade e a responsabilidade individuais não coincidem com a realização destes valores. 

¿Un nuevo tipo de individualismo?: Las peculiaridades del individualismo mexicano

Vieyra Bahena,Pedro José
Fonte: UAM, Unidad Azcapotzalco, División de Ciencias Sociales y Humanidades Publicador: UAM, Unidad Azcapotzalco, División de Ciencias Sociales y Humanidades
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2015 ES
Relevância na Pesquisa
37.28%
Este artículo muestra la manera como se manifiestan en México algunos de los principales rasgos del individualismo occidental a inicios del siglo XXI. Tomando en cuenta los mecanismos de la modernidad occidental y de la mexicana, expone la forma en que a la par de la adopción del modelo neoliberal emergió una configuración psíquica y cultural que incidió en la conformación de un nuevo individualismo, caracterizado por la búsqueda de gratificaciones psíquicas y emocionales materializables principalmente en las relaciones familiares; preocupación por el empleo que permita bienestar para la familia; desinterés por la esfera pública; y una sensación de angustia e incertidumbre constante.

Individualismo-colectivismo: Dos aspectos conceptuais às questões de avaliação

Ciochinã,Laura; Faria,Luísa
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2008 PT
Relevância na Pesquisa
37.28%
O presente estudo, com 200 sujeitos, desenvolve o estado da arte, teórico e metodológico, da debatida dimensão cultural e intercultural de individualismo-colectivismo (IND/COL). Este objectivo foi operacionalizado à luz do processo de validação de um questionário de avaliação do IND/COL para o contexto português, nomeadamente o Questionário de Individualismo-Colectivismo de Shulruf, Hattie, e Dixon (2003, Anonymous Questionnaire of Self-Attitudes - AQSA), construído no contexto neozelandês e constituído por 26 itens, 15 ilustrativos da dimensão de individualismo (IND) e 11 da dimensão de colectivismo (COL). Os resultados das análises factoriais confirmatórias (AFC) realizadas acerca do AQSA apontaram para uma nova estrutura factorial deste instrumento, a ser verificada em estudos futuros de AFC de segunda ordem, bem como para a necessidade de se clarificar o universo teórico e a operacionalização dos constructos de IND/COL.