Página 1 dos resultados de 213 itens digitais encontrados em 0.073 segundos

Rumos do movimento indigena no Brasil contemporaneo : experiencias exemplares no Vale do Javari

Maria Helena Ortolan Matos
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 10/03/2006 PT
Relevância na Pesquisa
95.72%
Esta tese aborda os desdobramentos do movimento indígena no Brasil, após a promulgação da Constituição de 1988, quando uma nova fase se iniciou com mudanças significativas na forma jurídica e política de inserção das populações indígenas no Estado brasileiro. Descreve e analisa o modo de atuação dos líderes do movimento indígena, a partir das experiências exemplares indígenas vivenciadas no contexto interétnico do Vale do Javari. Aborda a criação do Conselho Indígena do Vale do Javari (CIVAJA), como organização protagonista de acontecimentos da história do movimento indígena. Como instrumento de análise, recorre à noção de rede para tratar as relações entre os atores sociais como múltipla e não apenas uni-direcional. A criação de organizações indígenas é tratada como parte do processo de definição de espaços interculturais no Estado brasileiro. Sob a abordagem do diálogo intercultural, questiona se a participação indígena nas esferas públicas governamentais de atuação tem permitido a articulação entre os distintos sistemas de significados ou tem mantido o predomínio hierárquico do sistema não-indígena. Ao final, conclui que, apesar da pluralidade étnica ser reconhecida pela sociedade brasileira...

O forte do Iguatemi : atalaia do imperio colonial e trincheira da memoria dos indios Kaiowa da Paraguassu

Ana Maria do Perpetuo Socorro dos Santos
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 19/03/2002 PT
Relevância na Pesquisa
105.72%
Os Guarani-Kaiowá de Mato Grosso do .Sul. em seu involuntário relacionamento com a sociedade nacional, passaram por diferentes situações históricas. Do início da conquista européia até o século XX esta população indígena esteve sempre em situações de conflito com as potências européias, Jesuítas, Bandeirantes, Guerra do Paraguai, Cia. Mate Laranjeira e nos dias de hoje enfrentam novas frentes de expansão capitalista. A sociedade Kaiowá enquanto sociedade que procura sobreviver mesmo em desvantagem em relação à sociedade nacional extrai de seu imaginário social a força que necessitam para continuar existindo e projetando seu futuro. Para tanto, pretendemos levantar questões sobre a história vivida (memória coletiva) sobre o Forte do Iguatemi pela comunidade Kaiowá da aldeia Paraguassu e relacioná-Ia com a história construída (produção historiográfica). A lembrança do Forte é um elemento integrador da identidade étnica e adquire um significado político uma vez que atesta a imemorialidade na ocupação do território por este grupo, referendando a letimidade atual da ocupação da terra. A lembrança do Forte toma-se uma representação coletiva deste grupo; The Guarani-Kaiowá group from Mato Grosso do Sul in their relationship with white society went through different historical processes. From the period of conquest they have been leading with conflicting situations. Nowadays they have to deal with capitalistic interests as far as their land is concerned. This community has tried to survive in their daily experiences with white society...

Vilas de indios no Ceara Grande : dinamicas locais sob o Diretorio Pombalino

Isabelle Braz Peixoto da Silva
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 28/02/2003 PT
Relevância na Pesquisa
95.71%
Este trabalho se insere no conjunto das pesquisas histórico-antropológicas recentemente desenvolvidas, cujo objetivo é repensar a relação entre povos indígenas e ocidentais, no Brasil colonial. Reavaliando a perspectiva que propõe a radical oposição entre conquistadores e índios, este estudo enfatizao papel dos índios como atores políticos e sociais, ainda que em contexto de dominação. A complexidadecom a qual nos deparamos revela que, no processo de construção da hegemonia colonial e do subseqüente Estado nacional, não houve apenas imposições, mas também negociações, e adequações, entre os diversos segmentos sociais e agentes do mundo colonial (governadores, administradores, magistrados, padres, colonos, escravos, índios, entre outros). Analisando as formas como o Diretório Pombalino - instrumento legal que regulou a política indigenista, implementado pelo futuro Marquês de Pombal em meados do século dezoito - constituiu-se em prática social, constatamos que certas interpretações acerca da história colonial brasileira são passíveis de revisão. A transformação das aldeias missionárias em vilas propiciou a incorporação das populações indígenas à nova ordem, ao invés da sua exclusão e isolamento...

Historias esquecidas : discursos de unificação dos Andes pre-colombianos

David Fernando Nogueira da Silva
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 26/02/2003 PT
Relevância na Pesquisa
105.51%
Este trabalho tem por objetivo analisar e entender como se deu o processo de unificação da multicultural região andina em tomo da celebração da memória do período Incaico. Analisam-se aqui dois momentos diferentes da unificação: primeiro nas crônicas, quando a chancela "idólatra" acaba por se tomar o adjetivo comum a todos, e depois na leitura que foi feita dessas crônicas, quando o multiculturalismo foi esquecido e ocorreu o deslizamento de um termo unificador pejorativo - o idólatra - para um outro que trazia em si a idéia de um mundo feliz e civilizado que fora corrompido pelo elemento exógeno - Inca; This essay intends to analyse and comprehend how worked the process of unification of the multicultural Andes Region, under the celebration of the memory of the Inca times. Two different moments of unification are studied in here: first in the chronicles, when the seal "idolater" ends to be the common sign for alI, and then in the reading that was made from this chronicles, when the multicuturalism was forgotten and occurred the shift from a pejorative term -idolater - to a term that brings in it the idea of a happy and civilized world that once existed but was destroyed by the alien element -Inca

Labirinto das almas : a diretoria geral dos indios - politica indigenista em Mato Grosso (1831 a 1889)

Odemar Leotti
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 27/06/2001 PT
Relevância na Pesquisa
95.69%
Esta dissertação tem por objetivo a analise da política indigenista em Mato Grosso de 1831 a 1889. Apesar do seu projeto de desenvolvimento propor ser evolutivo e contínuo, na prática este evento, foi carregado por rupturas, onde cada cultura apropriou-se do discurso colonizador de acordo com suas modalidades receptivas. O Estado Imperial, ao editar o regulamento 426, que orientava a instituição da Diretoria Geral dos índios, sonhava incorporar as sociedades indígenas ao projeto povoador do século XEX, O governo provincial por sua vez, ao tentar coloca-lo em prática, sofreu uma pressão ditada pela sua diversidade interior que impediu sua consumação de forma harmoniosa. A Missão de N. S. do Bom Conselho e a Normal de Miranda, na região do Baixo Paraguai, um dos objetos delimitados para estudo, foi palco de uma política indigenista carregada de descontinuidades, marcadas pelos limites de um saber que se arrogava como sendo único e verdadeiro. Esta política ao sentir esta região sofrer sua desintegração com a invasão paraguaia, volta sua força contra outras sociedades, principalmente os Bororó Coroados, obstáculos à construção de estrada para as províncias do sul. A multiplicidade cultural dos povos locais...

O "tempo do primeiro" e o "tempo de agora" : transformação social e etnodesenvolvimento entre os Apinajé/TO; The time "the first" and "the time now" : and social transformation among ethnodevelopment Apinajé/TO

Raquel Pereira Rocha
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 07/02/2012 PT
Relevância na Pesquisa
105.59%
O presente trabalho, realizado a partir de uma pesquisa de campo entre os anos de 2008 e 2009, visa apresentar as implicações inerentes ao processo de acirramento das relações interétnicas entre os apinajé/TO e a sociedade não indígena. A abordagem dos aspectos pertinentes ao referido processo tem como pano de fundo o debate acerca da questão do etnodesenvolvimento, objetivando versar a respeito das transformações sociais advindas através da crescente interação interétnica com o mundo urbano e capitalista. Nesse contexto destacam-se temas como: os projetos de sustentabilidade econômica em processo na área; os megaprojetos de desenvolvimento em construção na região Norte do Brasil e a consequente ameaça à integridade territorial; o acesso às políticas assistenciais e outras questões que compõem o cenário multi-étnico atual; This study, carried out from a field research between 2008 and 2009, aims to present the implications in the process of increasing contact between the Indian of Apinajé / TO institutions and non-indigenous agents. The approach of the relevant aspects to that process has the backdrop of the debate about the issue ethnodevelopment. The work takes into account as well as increased contact and influence the surrounding society...

Pronomes pessoais e marcadores de pessoas nas línguas ameríndias; Personal pronouns and person markers in amerindian languages

Eduardo Vidal Viola
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 29/05/2015 PT
Relevância na Pesquisa
105.71%
A presente dissertação apresenta uma análise do sistema de pronomes pessoais de um conjunto composto por cem línguas indígenas da América do Sul. Para esse trabalho foram reunidas línguas de diferentes troncos e famílias linguísticas faladas no continente, bem como algumas línguas isoladas. O trabalho é dividido em duas partes principais. Na primeira parte são apresentados dados teóricos acerca dos pronomes pessoais, como a sua definição, distinção entre pronomes pessoais livre, clíticos e afixos pessoais, os diversos parâmetros de marcação das categorias de pessoa, número e gênero, bem como outros fatos relevantes sobre esses pronomes. A última parte do trabalho apresenta uma análise tipológica comparativa do sistema de pronomes pessoais do conjunto de línguas indígenas que foram estudadas para esse trabalho.; This dissertation analyses the system of the personal pronouns in a set of one hundred indigenous languages of South America. For this work it was reunited languages of different families spoken in South America, as well some isolated languages. This work is divided in two main parts; in the first part we present some theoretical aspects about the personal pronouns, like its definition, distinction between free and bound pronouns...

As divinas palavras

Litaiff, Aldo
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 168 f.| il.
POR
Relevância na Pesquisa
95.71%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciencias Humanas; Este trabalho aborda aspectos étnicos contidos no discurso sobre a cosmovisão e práticas sociais dos Guarani-Mbyá da aldeia de Bracuí, localizada no Morro do Bico da Arraia, Serra do Mar, entre o município de Angra dos Reis e a Usina Nuclear, litoral sul do Rio de Janeiro. O foco central da pesquisa são as representações étnicas contidas no sistema de classificação de mundo do grupo estudado. Verificamos as categorias utilizadas pelos Mbyá para identificarem a si mesmos, seu meio e aos "outros". Pretendemos apurar os símbolos étnicos que o grupo representa sua identidade. Os Mbyá, que outrora habitavam o interior das florestas da América do Sul, atualmente dividem o espaço de outros grupos, como Xokleng e Kaingang, situação que tem gerado graves conflitos. Estes Guarani estão em constantes movimentações e podem ser vistos perambulando pelas rodovias do sul do país, vendendo artesanato, procurando boas terras, ou em busca de parentes em outras aldeias. A questão da saúde, principalmente a subnutrição, é um dos problemas mais grave observados na atualidade. Este trabalho pretende levantar questões que possam colaborar para um maior conhecimento da cultura Guarani...

Projeto Vidas Paralelas Indígena : revelando o povo Guarani do Espírito Santo, Brasil; Proyecto Vidas Paralelas Indígena : revelando el pueblo guaraní de Espírito Santo, Brasil; Project Indigenous Parallel lives : revealing the guarani people of Espírito Santo, Brazil

Oliveira, Vilma Benedito de; Hoefel, Maria da Graça Luderitz; Hamann, Edgar Merchán; Severo, Denise Osório; Santos, Silvéria Maria dos; Selau, Maria Gorete Gonçalves
Fonte: Núcleo de Estudos de Saúde Pública (NESP) do Departamento de Saúde Coletiva (DSC) da Universidade de Brasília (UnB) Publicador: Núcleo de Estudos de Saúde Pública (NESP) do Departamento de Saúde Coletiva (DSC) da Universidade de Brasília (UnB)
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
105.72%
Este relato de experiência se refere ao povo Guarani da aldeia Boa Esperança (Tekoa Porã), localizada no município de Aracruz (Estado de Espírito Santo). O mencionado povo, pertencente ao grupo Mbya, migrou desde a década de 1940, partindo do Rio Grande do Sul até a sua localização atual. Enfatiza-se a relação de confito com a multinacional Aracruz Celulose e a regularização das terras dos povos Guarani e Tupinikim. No que se refere à cultura, detaca-se a espiritualidade e o uso de um local sagrado não havendo, contudo, um pajé que atenda outras necesidades espirituais. No que tange à atenção à saúde da população, a mesma precisa de ampliação de cobertura e de melhor infraestrutura. Destaca-se a necessidade de formação de um número maior de estudantes indígenas em universidades. ___________________________________________________________________________________________________________________ RESUMEN; Este relato de experiencia se refere al pueblo Guarani de la aldea Boa Esperança (Tekoa Porã), localizada en el municipio de Aracruz (Estado de Espíritu Santo). Ese pueblo, perteneciente al grupo Mbya, migró en la década de 1940, partiendo de Rio Grande do Sul hasta llegar a su ubicación actual. Se destaca el conficto con la multinacional Aracruz Celulose...

Projeto Vidas Paralelas Indígena : revelando o povo Pataxó da Bahia, Brasil; Proyecto Vidas Paralelas Indígena : revelando el pueblo Pataxó de Bahia, Brasil; Project Indigenous Parallel Lives : revealing the Pataxó people of Bahia, Brazil

Santos, Cristina; Alves, Uelzo; Hoefel, Maria da Graça Luderitz; Hamann, Edgar Merchán; Severo, Denise Osório; Santos, Silvéria Maria dos
Fonte: Núcleo de Estudos de Saúde Pública (NESP) do Departamento de Saúde Coletiva (DSC) da Universidade de Brasília (UnB) Publicador: Núcleo de Estudos de Saúde Pública (NESP) do Departamento de Saúde Coletiva (DSC) da Universidade de Brasília (UnB)
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
95.69%
Este relato de experiência se refere ao povo Pataxó, que habita a Costa do Descobrimento, no extremo sul do Estado da Bahia e em alguns lugares de Minas Gerais. Mais especifcamente se faz um relato das aldeias de Barra Velha (Aldeia Mãe) e Coroa Vermelha com 6.695 e 5.200 habitantes, respectivamente. Este povo foi um dos primeiros contatados pelos portugueses e foi proibido falar a língua ancestral, que pertence à família Maxacali, do tronco Macro-Jê, e que agora está sendo resgatada. Relata-se a história recente de confitos, em 1951 e em 1990. Descreve-se a organização hierárquica da comunidade e suas lideranças eleitas por uma assembleia, bem como as instâncias de representação e controle social. Relatam-se costumes de alimentação e de auto-cuidado, a infuência crescente de produtos industrializados nos hábitos alimentares, bem como as doenças e queixas mais freqüentes. Há vários estudantes indígenas em universidades públicas. O atendimento à saúde é realizado por uma equipe multiprofssional que se desloca à comunidade a cada 15 dias. Destacam-se problemas de transporte. ______________________________________________________________________________________________________________ RESUMEN; Este relato de experiencia se refere al grupo étnico Pataxó...

Projeto Vidas Paralelas Indígena : revelando o povo Piratapuia/Waíkhana do Amazonas, Brasil; Proyecto Vidas paralelas indígena : revelando el pueblo Piratapuia/Waíkhana del Amazonas, Brasil; Project Indigenous Parallel Lives : revealing the Piratapuia/Waíkhana people of Amazonas, Brazil

Nery, Evelyn; Hoefel, Maria da Graça Luderitz; Hamann, Edgar Merchán; Severo, Denise Osório; Santos, Silvéria Maria dos
Fonte: Núcleo de Estudos de Saúde Pública (NESP) do Departamento de Saúde Coletiva (DSC) da Universidade de Brasília (UnB) Publicador: Núcleo de Estudos de Saúde Pública (NESP) do Departamento de Saúde Coletiva (DSC) da Universidade de Brasília (UnB)
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
95.68%
Este relato de experiência se refere ao povo Piratapuia ou Waíkhana, que habita o Noroeste do Estado do Amazonas. Neste caso, mais especifcamente ao componente desse grupo étnico, no município de Santa Isabel do Rio Negro. Relata-se a história do grupo étnico enfatizando sua migração do alto para o médio Rio Negro, a infuência da missão saleciana e da invasão dos garimpeiros bem como a convivência com outros grupos étnicos (tukano, yanomami, entre outros). A seguir, são mostrados detalhes da organização social que inclui a estrutura de clãs com suas hierarquias. Descrevem-se as diversas associações indígenas da região que conseguiram criar uma consciência na população do municípío, onde atualmente 90,0% se assume como pertencente a grupos étnicos indígenas. No que se refere à cultura, detacam-se as práticas de cura e auto-cuidado providas pelos benzederos. A estrutura sanitária pertence ao pólo de Sta. Isabel com um hospital e uma unidade básica de saúde, sendo que o Distrito Especial Indígena de Saúde foi ampliado para garantir cobertura ao médio Rio Negro. Porém apontam-se as difculdades geradas pelas enormes distâncias de deslocamento. ____________________________________________________________________________________________________________________ RESUMEN; Este relato de experiencia se refere al grupo étnico Piratapuia o Waíkhana...

Sustentabilidade e processos de reconstrução identitária entre o povo indígena Kinikinau (Koinukunôen) em Mato Grosso do Sul

Souza, Rosaldo de Albuquerque
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
105.75%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Centro de Desenvolvimento Sustentável, 2012.; O povo indígena Kinikinau, do tronco linguístico Aruak, tem os primeiros registros históricos de sua existência no Chaco paraguaio. Por causa de perseguições por parte daqueles que os consideravam “selvagens”, migraram para o atual território brasileiro ainda na segunda metade do século XVII. O primeiro local a se instalarem foi nas proximidades do município sul mato-grossense de Miranda e, em seguida, se deslocaram até chegarem à reserva Indígena Kadiwéu, onde vivem atualmente. O grupo chegou a ser considerado “extinto” por alguns pesquisadores e tal ideia foi aceita, inclusive, pela FUNAI. Apesar de viverem por longos anos de forma oculta, sem declarar ao público sua identidade étnica, preservaram grande parte de raízes identitárias, como a arte, as manifestações culturais e a alimentação tradicional. Um sinal diacrítico muito importante, mas que, infelizmente, ficou nos rastros do tempo, foi a língua Kinikinau. No início do século XXI, a escola inseriu, no seu currículo, aulas de Língua Indígena, mas sabe-se que é muito difícil sensibilizar as crianças a aprenderem o idioma original. Um produto muito apreciado e produzido pelos Kinikinau (autodenominados Koinukunôen) é o mel. Os apicultores indígenas são excelentes conhecedores dos efeitos medicinais desse alimento e também conhecem...

Variabilidade do gene BCHE em populações indígenas do Paraná

Alves, Hugo da Silva
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Teses e Dissertações Formato: application/pdf
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
125.73%
Resumo: Kaingang e Guarani constituem os dois maiores grupos de ameríndios que vivem no sul do Brasil. Estes grupos possuem uma origem comum nos paleo-ameríndios que colonizaram a América do Sul. Historicamente compartilham espaços geográficos entre si e mais recentemente estabeleceram contato com grupos europeus e africanos. A BChE é uma enzima colinesterase sérica produzida a partir do gene BCHE. Este gene está localizado no cromossomo 3 e possui aproximadamente 70 variantes descritas, sendo a grande maioria muito rara e/ou silenciosa. A BChE não possui uma função muito bem estabelecida, porém está relacionada com diversos aspectos fisiológicos, como: metabolismo de lipídios, co-regulação da neurotransmissão colinérgica, proliferação celular nervosa e proteção contra agentes tóxicos neurais. O presente estudo analisou três SNPs dentro do gene BCHE e quatro em torno do gene através de PCR-SSCA e Genotipagem por TaqMan. Foram genotipados 60 Kaingang e 60 M’Byá Guarani, todos da reserva indígena Rio das Cobras no estado do Paraná, Brasil. Os dados obtidos foram comparados com outras populações. Dentro do gene BCHE: o alelo mutante -116A está totalmente ausente nos ameríndios, assim como em asiáticos e africanos; o alelo mutante K está presente ancestralmente nos ameríndios; e...

Ao correr da pena

Macedo, Márcio de
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Teses e Dissertações Formato: application/pdf
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
105.75%
Resumo: No na primeira metade do século XX, uma parte da região Sul do Brasil passou por um processo de intensa ocupação. Disputas territoriais entre Brasil e Argentina, e posteriormente entre Santa Catarina e Paraná, resultaram em políticas nacionais e estaduais de ocupação territorial do atual município de Chapecó. Uma grande leva de colonos foi deslocada do Rio Grande do Sul rumo à região que estava sendo ocupada. Aproveitando da situação, empresários riograndenses aderiram ao projeto da colonização, comprando extensas áreas de terra no oeste catarinense para venderem a colonos trazidos do estado vizinho. Com a ocupação das terras, índios que viviam na região passaram a enfrentar dificuldades, principalmente relacionadas à ocupação das áreas onde viviam. Com o povoamento, surgiram alguns municípios, como Chapecó. Nessa cidade, um grupo criou, no ano de 1939, o primeiro jornal da região. Nele, o tema “índios” recebeu especial atenção de Antonio Selistre de Campos, um dos fundadores do jornal e dos seus principais articulistas. Ao tratar da questão, ele construiu, por meio de seus escritos, determinadas representações dos índios que habitavam o município. Nota-se, em seus escritos, grande empenho em contribuir com a melhoria de vida dos índios. Ao mesmo tempo...

Descrição da fala masculina e da fala feminina na língua Kadiwéu

Souza, Lilian Moreira Ayres de
Fonte: Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Publicador: Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
105.71%
O objetivo deste trabalho é realizar uma pesquisa sobre a diferença entre a fala feminina e a fala masculina na língua kadiwéu, pertencente à família linguística Guaikuru. Segundo dados da FUNASA de 2009, o kadiwéu conta com 1.346 indígenas distribuídos de maneira não uniforme em cinco aldeias (Alves de Barros, Campina, Barro Preto, Tomázia e São João), numa área demarcada em 538 mil hectares de terra no município de Porto Murtinho, região da Serra da Bodoquena, estado de Mato Grosso do Sul, no Brasil. O estudo reuniu colaboradores levando em conta sexo, idade e hierarquização do grupo (nobres e cativos). As entrevistas foram realizadas na aldeia Alves de Barros, também conhecida como aldeia maior. A diferença de fala entre homens e mulheres é inerente ao processo de comunicação e interação social, recorrente na língua em uso, além de estar inserido num processo cultural de aprendizagem. O propósito da pesquisa é fazer um levantamento da maior quantidade possível de palavras que apresentam diferença entre a fala do homem e a fala da mulher, além de verificar em quais níveis linguísticos tais diferenças podem ocorrer. Com a análise dos dados, verifica-se que na língua kadiwéu, homens e mulheres pronunciam e escrevem palavras de maneira distinta...

Perfil demográfico e estimativas de paridade dos Guarani nas regiões Sul e Sudeste do Brasil; Demographic profile and parity estimation of Guarani in South and Southeast regions of Brazil

Sofia Pereira Madeira
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 27/08/2010 PT
Relevância na Pesquisa
95.79%
Os povos indígenas no Brasil e na América Latina estão em processo de crescimento populacional, apesar das previsões pessimistas que apontavam seu desaparecimento. Nas últimas décadas, a população indígena brasileira tem crescido, em média, 3,5% ao ano, mais que o dobro da média nacional, o que se deve ao regime de elevada fecundidade e moderada mortalidade. Os povos guarani também vivenciam esse processo de "recuperação demográfica", entre os quais é possível observar uma estrutura sócio-cultural que sustenta um comportamento reprodutivo específico, tendo em vista que estes povos têm como base de sua organização social, econômica e política a formação de famílias extensas, isto é, grupos macro familiares que detêm formas de organização da ocupação sócio-espacial no interior dos territórios (tekoha) segundo relações de parentesco e afinidade. A constituição de uma prole numerosa configura um regime de alta fecundidade, fator preponderante na manutenção cultural e numérica dos povos guarani, o que nos levou a investigar os fatores sociocosmológicos, culturais e históricos explicativos deste perfil - em diálogo com uma importante bibliografia. Assim, a fim de conhecer a relação entre a dinâmica populacional e a cultura guarani...

De Chané-Guaná a Kinikinau : da construção da etnia ao embate ente o desaparecimento e a persistência; From Chané-Guaná to Kinikinau : from the ethnic construction to the struggle between disapperance and persistence

Iára Quelho de Castro
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 20/05/2011 PT
Relevância na Pesquisa
105.74%
Este trabalho apresenta como objeto de estudo o grupo indígena Guaná-Aruák, denominado Kinikinau, que hoje vive na Aldeia de São João, em Mato Grosso do Sul, e que não obstante ter sido considerado extinto na primeira metade do século XX prossegue com a sua existência. Defende a tese de que essa persistência se deve à existência de uma estrutura geral de tendências e disposições apresentadas pelos povos Chané-Guaná, a que pertencem, materializadas nas situações sócio-históricas do contato, que concorreu para a sua continuidade ao longo do tempo e para a sua inserção na historia do extremo-oeste brasileiro, dada a forma como conceberam e construíram suas relações com o seu entorno. Pretende, também, demonstrar que o "desaparecimento" do grupo constituiu-se como um produto histórico e teórico que se esfacelou frente à presença viva do grupo na sociedade brasileira que invalidou todos os prognósticos pessimistas quanto à sua permanência, revelando uma maneira de se ser índio nestes dias propícios, embora difíceis, as reafirmações dos povos indígenas no Brasil. Trata-se, especificamente, de se historiar a constituição dos Kinikinau enquanto uma formação sócio-indígena, identificando-se os lugares e espaços a partir dos quais se deu aquele processo...

Cada qual tem um pouco de médico e louco : políticas de saúde e mediações culturais entre o SPI (Serviço de Proteção aos Índios) e os indígenas; Each one is a little doctor and crazy : health political and cultural mediation between SPI and indians

Priscila Enrique de Oliveira
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 10/03/2011 PT
Relevância na Pesquisa
95.73%
As doenças dos indígenas foram um entrave para que o SPI desenvolvesse seus projetos civilizadores e principalmente dificultaram a inserção dos índios no mundo do trabalho. Esta pesquisa visa mostrar as políticas de saúde, particularmente do SPI a que foram submetidos os índios, e como a partir da medicalização, sanitarismo e atendimento médico os indígenas estabeleceram relações com os funcionários e outros agentes do Serviço. A partir destas mediações o SPI foi obrigado a repensar suas ações constantemente e os índios foram forçados a transformar seu universo a partir das novas situações impostas pelo contexto da sedentarização. As mudanças engendradas pelo contato ocorreram em meio a lógicas, visões de mundo e experiências próprias dos índios e dos não índios que circunscreveram este processo de transformação e ainda determinaram as respostas dadas às situações. Para evidenciar este processo foram analisados os Postos Indígenas da IR7 e a experiência dos Kaingang. Em seguida, como uma lente de aumento, foram estudados os índios Xokleng de Santa Catarina em seu processo de contato a partir da experiência da doença e dos procedimentos de cura utilizados no interior do Posto.; The Brazilian indians diseases were an impediment to SPI to implement their civilizing projects and mainly hampered the indians to enter the labor world. This research aims to present health policies...

A Revolta do Rupununi : uma etnografia possivel

Carlos Alberto Borges da Silva
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 09/02/2006 PT
Relevância na Pesquisa
95.8%
A Revolta do Rupununi, acontecida em 1969, no sul da Guiana, foi um movimento armado preparado por fazendeiros com objetivo de criar um novo país na região. Apoiada pela Venezuela, que através do auxilio militar dado aos fazendeiros, anteviu a possibilidade de recuperar a Zona en Reclamación, a Revolta contou com a participação de alguns índios, principalmente aqueles tidos como parentes de H. P. C. Melville, o primeiro estrangeiro a criar gado no Rupununi. Depois de dois dias de iniciado o movimento, alguns fazendeiros, acompanhados por um grupo de índios, retiraram-se para a Venezuela na condição de exilados, outros fugiram para o Brasil ou foram capturados pela Guyana Defense Force, chamada por Forbes Burnhan, presidente da Guiana, para sufocar o movimento armado. A preparação, a organização, o desfecho e o fracasso do movimento explicam relações políticas e sociais densas entre a Venezuela e a Guiana, fazendeiros e índios, bem como revelam disputas étnicas conseqüentes da colonização britânica no país; The Revolt of Rupununi, happened in 1969, in the south of Guyana, it was an armed movement prepared by farmers with the objective of creating a new country in the area. Leaning to Venezuela, the military help the farmers that saw the opportunity to recover the zona en reclamación...

A natureza dos rios nas Notícias Práticas das Minas de Cuiabá: a trilha das águas nos Pantanais do centro da América do Sul

Martha Presotti, Thereza
Fonte: Textos de História. Revista do Programa de Pós-graduação em História da UnB. Publicador: Textos de História. Revista do Programa de Pós-graduação em História da UnB.
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 22/12/2010 POR
Relevância na Pesquisa
135.66%
Este artigo apresenta percepções de aspectos da natureza dos rios no centro da América do sul. Os relatos compõem a coleção de Noticias Práticas do padre matemático Diogo Soares, que tinha por missão reunir informações das conquistas da América Portuguesa, na primeira metade do século XVIII. Tratam das viagens de canoas na trilha das águas, - as monções paulistas-, com ênfase no ambiente do Pantanal pelos rios Paraguai e Cuiabá. As relações das sociedades indígenas com os rios e seus recursos naturais são evidenciadas, demonstrando a biodiversidade construída ao longo dos tempos.