Página 1 dos resultados de 254 itens digitais encontrados em 0.056 segundos

Abordagem do câncer da boca: uma estratégia para os níveis primário e secundário de atenção em saúde; Strategies for management of oral cancer in primary and secondary healthcare services

Torres-Pereira, Cassius C.; Angelim-Dias, Aldo; Melo, Nilce Santos; Lemos Junior, Celso Augusto; Oliveira, Eder Magno Ferreira de
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
85.71%
O avanço verificado no enfrentamento de neoplasias malignas por meio dos sistemas de saúde envolve melhorias nas áreas de vigilância, organização de redes de assistência, programas específicos voltados às prevenções primária e secundária e, obviamente, aos avanços técnico-científicos que caracterizam a abordagem diagnóstica e terapêutica. Embora seja notável o reconhecimento de avanços no manejo de neoplasias malignas em todas as áreas citadas, o câncer da boca permanece com indicadores de morbidade e mortalidade que parecem não acompanhar o acúmulo científico no conhecimento da doença. O presente manuscrito objetiva discutir os motivos desse descompasso, a necessidade de reorientação de prioridades na abordagem do câncer da boca e sua efetivação como política pública de saúde.

Evidências empíricas das políticas de sanemaneto básico sobre indicadores de saúde para municípios brasileiros

Teixeira, Lucas Iten
Fonte: Fundação Getúlio Vargas Publicador: Fundação Getúlio Vargas
Tipo: Dissertação
PT_BR
Relevância na Pesquisa
76.08%
Este artigo propõe analisar o efeito de variáveis relacionadas ao saneamento básico sobre indicadores de saúde através de dados em painel de municípios brasileiros. Através de base de dados de DataSUS, IBGE e do SNIS, avaliamos se os indicadores de saneamento afetam indicadores de saúde como mortalidade e morbidade separados por faixa etária e tipos de doença nos municípios entre 2001 a 2008. Trabalhamos com diferentes amostras por conta do desbalanceamento do painel, dado que há dados faltantes de saneamento para municípios menores e de pior renda, estimando por modelo de efeitos fixos, e corrigimos o viés do desbalanceamento através do método de IPW, também estimando por primeiras diferenças. Os resultados mostram que não podemos descartar a importância do saneamento. Encontramos evidências do impacto das variáveis de esgotamento sanitário sobre a queda das internações de crianças por doenças, bem como efeito de indicadores de qualidade de água sobre determinadas doenças. Percebemos ainda a alta ineficiência do saneamento do país e a tendência de universalização do acesso à água no país, principalmente nas regiões urbanas. Calculamos ainda o custo e a eficiência do investimento do saneamento na melhora dos indicadores de esgoto...

Impacto das transferências incondicionais nos indicadores de saúde

Ribeiro, Fernanda Patriota Salles
Fonte: Fundação Getúlio Vargas Publicador: Fundação Getúlio Vargas
Tipo: Dissertação
PT_BR
Relevância na Pesquisa
76.1%
Este estudo visa avaliar o impacto das transferências de recursos incondicionais nos indicadores de saúde dos municípios brasileiros. A transferência abordada refere-se ao Fundo de Participação dos Municípios (FPM), tal recurso não possui uma destinação pré-definida pelo Governo Federal, porém pelo menos 15% do seu valor deve ser gasto em saúde pública. A base de dados utilizada teve como principais fontes o DATASUS e o SIOPS, a periodicidade é anual e a unidade de observação refere-se aos municípios. Para estimar o impacto do FPM na mortalidade, na morbidade e nas medidas preventivas, foram aplicadas duas metodologias econométricas: Painel com efeito fixo e Regressão Descontínua. A primeira abrangeu o período de 2002 a 2011 e os resultados encontrados mostram que o FPM possui um impacto negativo significante na mortalidade total e para os indivíduos de 15 a 29 anos, 30 a 59 anos e 60 anos ou mais. Em relação à morbidade, os modelos em Painel com efeito fixo mostraram um impacto negativo do FPM sobre as internações hospitalares. Para as medidas preventivas, as estimações apresentaram resultados não significantes ou então opostos ao esperado. O método da Regressão Descontínua foi também aplicado, pois o FPM apresenta características de descontinuidade...

Comparação das estimativas de prevalência de indicadores de saúde no Município de Campinas, São Paulo, Brasil, nos anos de 2001/2002 (ISA-SP) e 2008/2009 (ISA-Camp)

Francisco, Priscila Maria Stolses Bergamo; Barros, Marilisa Berti de Azevedo; Segri, Neuber José; Alves, Maria Cecília Goi Porto; César, Chester Luis Galvão; Carandina, Luana; Goldbaun, Moisés
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 1149-1160
POR
Relevância na Pesquisa
85.95%
Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP); Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); O objetivo do estudo foi comparar estimativas da prevalência de indicadores de saúde para adultos residentes em Campinas, São Paulo, Brasil, utilizando dados de inquéritos domiciliares realizados em diferentes períodos de tempo (ISA-SP 2001/2002 e ISA-Camp 2008/2009), com amostras de 941 e 2.637 indivíduos de 18 anos e mais, respectivamente. Variáveis sociodemográficas caracterizaram a população estudada. Foram estimadas prevalências e seus respectivos intervalos de 95% de confiança e as comparações foram realizadas pelas razões de prevalência ajustadas por sexo, idade e escolaridade, obtidas pela regressão de Poisson com variância robusta. Diferenças estatisticamente significantes foram observadas para as prevalências de: morbidade referida, uso de medicamentos, percentual dos que nunca fumaram, realização dos exames de Papanicolaou e de mamografia, alguma vez na vida. O acompanhamento de indicadores de saúde por inquéritos repetidos em uma mesma população pode facilitar o monitoramento de objetivos e metas fornecendo subsídios ao planejamento de ações em saúde.; El objetivo del estudio fue comparar las estimaciones de prevalencia en los indicadores de salud para los adultos que viven en Campinas...

Utilização de sistemas de informações em saude na area de morbidade materna grave (near miss) e mortalidade materna

Maria Helena de Sousa
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 29/06/2006 PT
Relevância na Pesquisa
85.99%
Objetivos: inicialmente o objetivo foi identificar os óbitos registrados como maternos no ?Sistema de Informações sobre Mortalidade? (SIM), os nascimentos no ?Sistema de Informações sobre Nascidos Vivos? (SINASC), obter as Razões de Mortalidade Materna (RMM) e identificar diagnósticos e procedimentos aproximados pelos critérios mais conhecidos de morbidade materna grave, analisando as mortes de mulheres residentes nas capitais brasileiras no ?Sistema de Informações Hospitalares? (SIH) em 2002. Posteriormente o objetivo foi identificar no SIH todos os registros de mulheres no período grávido-puerperal que tivessem informações indicativas de morbidade materna grave; descrever os diagnósticos e procedimentos utilizados, propor a definição de um escore de morbidade materna e identificar as variáveis associadas à morte materna. Método: Estudo descritivo, populacional, análise de dados secundários. Inicialmente utilizaram-se dois sistemas vitais e o hospitalar, para as 26 capitais estaduais e o Distrito Federal do Brasil, em 2002. Para a primeira etapa foram obtidas as RMM e informações básicas das mortes maternas declaradas. A partir dessas mortes relacionou-se probabilisticamente o SIM com o SINASC e, em seguida...

Avaliação do desempenho de parâmetros imunológicos como indicadores de progressão clínica da infecção crônica pelo HTLV-1

Coelho-dos-Reis,Jordana Grazziela Alves; Rocha,Roberta Dias Rodrigues; Brito-Melo,Gustavo Eustáquio Alvim; Ribas,João Gabriel; Carneiro-Proietti,Anna Bárbara de Freitas; Catalan-Soares,Bernadete; Barbosa-Stancioli,Edel Figueiredo; Martins-Filho,Olindo
Fonte: Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - SBMT Publicador: Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - SBMT
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2007 PT
Relevância na Pesquisa
85.86%
Neste estudo, foi avaliado o desempenho isolado e combinado de parâmetros laboratoriais, percentual de linfócitos B (%LB), a razão entre células T/B e o %CD8+HLA-DR+/CD8+, na identificação de indivíduos assintomáticos-AS ou portadores de HAM/TSP-HT numa população de casos soropositivos para HTLV-1. Índices expressos em porcentagem demonstram que cada parâmetro, isoladamente, apresenta desempenho moderado, com co-negatividade=83% e 91% para %LB e razão entre células T/B, respectivamente e co-positividade=78% para %CD8+HLA-DR+/CD8+. A análise combinada (%CD8+HLA-DR+/CD8+ e razão T/B) não revelou ganho significativo no desempenho (co-positividade=75%, co-negatividade=74%). A análise das razões de verossimilhança em diferentes faixas de valores, para os parâmetros isolados, revelou que um indivíduo soropositivo para HTLV-1 com %LB<7%, razão entre células T/B>11 e %CD8+HLA-DR+/CD8+>70% possui, respectivamente, 11, 19 e quase 10 vezes mais chances de pertencer ao grupo HT. Portanto, recomenda-se o uso desses indicadores fenótipos na propedêutica laboratorial complementar de monitoração da progressão clínica da infecção crônica pelo HTLV-1.

Vigilância de doenças endêmicas em áreas urbanas: a interface entre mapas de setores censitários e indicadores de morbidade

Ximenes,Ricardo Arraes de Alencar; Martelli,Celina Maria Turchi; Souza,Wayner Vieira de; Lapa,Tiago Maria; Albuquerque,Maria de Fátima Militão de; Andrade,Ana Lúcia S. Sampaio de; Morais Neto,Otaliba Libânio de; Silva,Simonne de Almeida e; Lima,Maria
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/1999 PT
Relevância na Pesquisa
85.86%
Neste artigo, discute-se o eixo metodológico utilizado na construção de modelo de vigilância de endemias em áreas urbanas, orientado por uma análise de situações de risco e por indicadores epidemiológicos espaciais. São apresentadas as premissas básicas do modelo, os critérios de seleção de variáveis sócio-econômicas e as etapas metodológicas necessárias na construção do indicador sintético de risco. Comenta-se, também, como algumas questões operacionais relativas à construção de mapas digitais de setores censitários e vinculação de bancos de dados foram equacionadas. Essa abordagem, incorporando o componente da organização do espaço na vigilância de doenças endêmicas, tendo como exemplo a hanseníase e a tuberculose, privilegia o uso integrado de sistemas de informação já existentes, na perspectiva de estratificar áreas urbanas diferenciadas que permite discriminar riscos desiguais para ocorrência de endemias. Essa é uma ferramenta para o planejamento e o gerenciamento das ações voltadas para o controle das endemias nas cidades.

Impacto da Estratégia Saúde da Família sobre o perfil de morbidade hospitalar em Minas Gerais

Maciel,Antônio Gonçalves; Caldeira,Antônio Prates; Diniz,Francisco José Lopes de Sousa
Fonte: Centro Brasileiro de Estudos de Saúde Publicador: Centro Brasileiro de Estudos de Saúde
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2014 PT
Relevância na Pesquisa
85.96%
Este estudo verifica o potencial da Estratégia Saúde da Família em reduzir a morbidade hospitalar por condições sensíveis à atenção primária em Minas Gerais. Utilizou-se a análise longitudinal retrospectiva em série histórica de dez anos. A técnica aplicou o modelo de regressão e, a partir do estimador encontrado, observou-se o percentual de cobertura capaz de impactar a redução das taxas de morbidade hospitalar. Foi demonstrada a redução de 68,87 pontos nas taxas de internações sensíveis ao cuidado primário, contra o aumento de 9,87 pontos nas taxas de hospitalizações por causas não sensíveis. Os resultados inferem que o estudo tem implicações para a gestão da saúde no estado de Minas Gerais.

Fatores associados aos indicadores de necessidades em saúde de homens adultos

Arruda,Guilherme Oliveira de; Corrêa,Aurea Christina de Paula; Marcon,Sonia Silva
Fonte: Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo Publicador: Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2014 PT
Relevância na Pesquisa
75.94%
ObjetivoIdentificar fatores associados aos indicadores das necessidades em saúde de homens adultos.MétodosEstudo transversal, tipo inquérito domiciliar de base populacional, realizado junto a 421 homens com idade entre 20 e 59 anos selecionados de forma aleatória e sistemática. O instrumento de pesquisa foi um formulário estruturado com base nas variáveis de estudo. Para a análise utilizaram-se Modelos de Regressão Logística Múltipla.ResultadosHomens desempregados, com idade entre 30 e 39 anos e com menores níveis de escolaridade referiram, em maior proporção, a autopercepção de saúde regular/ruim, sendo a classe econômica, uma variável importante, pois ajustou o modelo múltiplo. Homens aposentados ou em licença médica, com idade entre 40 e 49 anos e de cor branca, apresentaram maior freqüência de morbidade.ConclusãoA faixa etária e o status ocupacional estiveram associados à autopercepção da saúde e à morbidade referida, sendo esta última também associada à cor da pele.

A confiabilidade dos dados de mortalidade e morbidade por doenças crônicas não-transmissíveis

Laurenti,Ruy; Mello Jorge,Maria Helena P. de; Gotlieb,Sabina Léa D.
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2004 PT
Relevância na Pesquisa
75.91%
As estatísticas de mortalidade constituem- se em importante subsídio para o conhecimento do perfil epidemiológico de uma população, elaboração de indicadores de saúde e conseqüente planejamento de ações desse setor. No Brasil, esses dados são rotineiramente elaborados, desde 1975, pelo Sistema de Informações sobre Mortalidade do Ministério da Saúde, que tem cobertura estimada em torno de 82%, com variações nas regiões do país. Quanto à confiabilidade dos dados, está ocorrendo uma melhora gradativa, mas há, ainda, cerca de 14% de mortes classificadas como mal definidas. O objetivo deste trabalho é mostrar a confiabilidade dos dados de mortalidade e morbidade por doenças crônicas não-transmissíveis. A partir de investigações levadas a efeito por pesquisadores nacionais e internacionais, são feitos comentários e críticas, sendo possível concluir que, embora ainda não totalmente exatos ou confiáveis, esses dados são relevantes para numerosas avaliações epidemiológicas. É bom ressaltar que os dados brasileiros de mortalidade, do ponto de vista qualitativo, têm exatidão e fidedignidade semelhantes aos de qualquer outro país de longa tradição na elaboração dessas estatísticas.

Os indicadores de qualidade da prescrição de medicamentos da Organização Mundial da Saúde ainda são válidos?

Fröhlich,Samanta Etges; Mengue,Sotero Serrate
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2011 PT
Relevância na Pesquisa
75.95%
Este artigo tem como objetivo analisar os indicadores de qualidade da prescrição de medicamentos propostos em 1993 pela Organização Mundial da Saúde e sugerir novos indicadores, em razão do novo perfil de morbidade da população. Para tanto, se realizou um estudo transversal, através de entrevista pessoal e análise de prescrições de 320 usuários de Unidades de Estratégia Saúde da Família em um município brasileiro no estado do Rio Grande do Sul. Esses usuários foram recrutados por meio do método de amostragem não probabilístico consecutivo. Considerando os resultados obtidos com os indicadores de qualidade da prescrição propostos pela Organização Mundial da Saúde, as prescrições podem ser consideradas adequadas. Contudo, a análise desses indicadores mostrou que, atualmente, eles podem ser inapropriados. Portanto, novos indicadores foram desenvolvidos. Pela nova proposta de indicadores, simples e de fácil quantificação, pôde-se perceber os problemas em uma prescrição de medicamentos com o intuito de guiar para uma ação subsequente.

Internações por doenças respiratórias em idosos e a intervenção vacinal contra influenza no Estado de São Paulo

Francisco,Priscila Maria Stolses Bergamo; Donalisio,Maria Rita; Lattorre,Maria do Rosário Dias de Oliveira
Fonte: Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2004 PT
Relevância na Pesquisa
76.06%
As doenças respiratórias, particularmente as pneumonias e gripes, são importante causa de internação e óbito entre os idosos. O objetivo deste estudo foi avaliar o comportamento da morbidade hospitalar por doenças respiratórias na população idosa do Estado de São Paulo, no período de 1995 a 2002, examinando-se a tendência das internações após a intervenção vacinal contra a influenza. Foram utilizadas as bases de dados de Autorizações de Internação Hospitalar do Ministério da Saúde. Os indicadores de morbidade, referentes às causas respiratórias selecionadas, foram: taxa de internação hospitalar por 1000 habitantes; proporção de internações por tais causas entre o total de internações; e razão entre internações mensais e o número de leitos de clínica médica disponíveis mensalmente. No Estado de São Paulo, observou-se mudança nos indicadores de morbidade após a vacinação, em ambos os sexos, com diferentes padrões entre as faixas etárias, sugerindo impacto positivo na prevenção de internações em idosos.

Efeitos das queimadas na Amazônia: método de seleção dos municípios segundo indicadores de saúde

Ignotti,Eliane; Hacon,Sandra de Souza; Silva,Ageo Mario Cândido; Junger,Washington Leite; Castro,Hermano
Fonte: Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2007 PT
Relevância na Pesquisa
76.03%
INTRODUÇÃO: Na Amazônia é intensa a queima de biomassa decorrente do desmatamento nos meses de seca. No entanto, os efeitos à saúde humana decorrentes da poluição atmosférica derivada das queimadas são pouco estudados. OBJETIVOS: Descrever o método de seleção dos municípios prioritários, orientado pelos indicadores de morbidade e mortalidade por doenças respiratórias para o estudo da "avaliação do efeito das queimadas do desmatamento à saúde humana" na região da Amazônia. MATERIAL E MÉTODOS: Estudo ecológico dos indicadores de morbidade hospitalar e mortalidade por doenças do aparelho respiratório em menores de cinco de idade no período de 2000 a 2004. Análise de: proporção de óbitos; taxa de internação e proporção de internações por doença do aparelho respiratório em menores de 5 anos para o cálculo dos escores e definição do ranking dos municípios. Foi considerada a localização geográfica dos municípios, tipo de bioma, estrutura da rede de serviços de saúde, número de habitantes, registros de dados ambientais prévios sobre poluentes atmosféricos e de dados meteorológicos. RESULTADOS: Foram selecionados os municípios de Alta Floresta e de Tangará da Serra no Estado de Mato Grosso para o desenvolvimento da pesquisa em razão destes alcançarem as piores classificações em termos de morbimortalidade. CONCLUSÃO: Os indicadores de saúde mostram consistência e orientam a análise integrada de saúde e ambiente.

Tuberculose em município de porte médio do Sudeste do Brasil: indicadores de morbidade e mortalidade, de 1985 a 2003

Vendramini,Silvia H. F.; Gazetta,Cláudia Eli; Chiaravalotti Netto,Francisco; Cury,Maria R.; Meirelles,Edna B.; Kuyumjian,Fátima G.; Villa,Tereza C. S.
Fonte: Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia Publicador: Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2005 PT
Relevância na Pesquisa
75.94%
INTRODUÇÃO: A tuberculose é uma doença ligada à pobreza, má distribuição de renda, urbanização, epidemia da síndrome da imunodeficiência adquirida, e multirresistência. OBJETIVO: Analisar indicadores de morbidade e mortalidade por tuberculose de São José do Rio Preto, entre 1985 e 2003, comparados com os do Estado de São Paulo e Brasil. Verificar a relação entre risco de ocorrência da doença e níveis socioeconômicos. MÉTODO: Sistemas de informações utilizados: Mortalidade (SIM), Notificação de Tuberculose (Epi-Tb), Nacional de Agravos de Notificação (SINAN), Departamento de Informação e Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS) e Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os casos novos notificados em 2003 na área urbana foram geo-referenciados e analisados. Gerou-se um mapa temático dos setores agrupados em três classes socioeconômicas, com os respectivos valores dos coeficientes de incidência de tuberculose. RESULTADOS: Coeficientes de incidência e mortalidade foram semelhantes, para valores totais e segundo o sexo, para o Brasil e Estado de São Paulo. No município os valores foram sempre menores. A proporção de casos com co-infecção tuberculose/vírus da imunodeficiência humana variou entre 29% e 37%. Em 2002...

Conceitos e ferramentas de epidemiologia: indicadores de saúde

Universidade Aberta do SUS da Universidade Federal do Maranhão - UNASUS/UFMA
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Tipo: Texto Formato: Recurso textual no modelo PDF, contendo 13 páginas
PT_BR
Relevância na Pesquisa
75.93%
O texto conceitos e ferramentas da epidemiologia: indicadores de saúde, faz parte do Curso de Especialização em Saúde da Família da UNASUS/UFMA (unidade 02, do módulo 03) e aborda os indicadores de saúde, com enfoque nas medidas de morbidade e mortalidade. O conteúdo abrange de forma simples conceitos epidemiológicos, buscando relacionar o uso dos indicadores de saúde com a prática de trabalho do aluno. A apresentação visual do conteúdo foi trabalhado para o aluno participante do programa Mais Médicos.; Ministério da Saúde

Principais indicadores de morbi-mortalidade em saúde do idoso no Brasil e em Santa Catarina

dos Santos, Evanguelia Kotzias Atherino; Reibnitz Júnior, Calvino; Tognoli, Heitor
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Formato: Unidade 1 do módulo 8 que compõe o Curso de Especialização em Saúde da Família. Arquivo .zip contendo página html com recursos de texto, imagens e animações em flash.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
75.99%
Este objeto inicia apresentando o DATASUS, o Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde, que tem a responsabilidade de coletar, processar e disseminar informações sobre saúde. Segue comentando os indicativos disponíveis no órgão e como conseguir as informações necessárias para o conhecimento da situação de saúde do idoso, incluindo a morbidade e mortalidade e que a ênfase está nas doenças crônico-degenerativas,além da comorbidade, geralmente a média é de 4 a 5 patologias por indivíduo acima de 60 anos. Termina detalhando ainda os indicadores do IDB: demográficos, socioeconômicos, de mortalidade e de morbidade e fatores de risco. Unidade 1 do módulo 8 que compõe o Curso de Especialização em Saúde da Família.; 1.0; Ministério da Saúdes/OPAS/OMS

Efeitos das queimadas na Amazônia: método de seleção dos municípios segundo indicadores de saúde

Ignotti,Eliane; Hacon,Sandra de Souza; Silva,Ageo Mario Cândido; Junger,Washington Leite; Castro,Hermano
Fonte: Associação Brasileira de Pós -Graduação em Saúde Coletiva Publicador: Associação Brasileira de Pós -Graduação em Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2007 PT
Relevância na Pesquisa
76.03%
INTRODUÇÃO: Na Amazônia é intensa a queima de biomassa decorrente do desmatamento nos meses de seca. No entanto, os efeitos à saúde humana decorrentes da poluição atmosférica derivada das queimadas são pouco estudados. OBJETIVOS: Descrever o método de seleção dos municípios prioritários, orientado pelos indicadores de morbidade e mortalidade por doenças respiratórias para o estudo da "avaliação do efeito das queimadas do desmatamento à saúde humana" na região da Amazônia. MATERIAL E MÉTODOS: Estudo ecológico dos indicadores de morbidade hospitalar e mortalidade por doenças do aparelho respiratório em menores de cinco de idade no período de 2000 a 2004. Análise de: proporção de óbitos; taxa de internação e proporção de internações por doença do aparelho respiratório em menores de 5 anos para o cálculo dos escores e definição do ranking dos municípios. Foi considerada a localização geográfica dos municípios, tipo de bioma, estrutura da rede de serviços de saúde, número de habitantes, registros de dados ambientais prévios sobre poluentes atmosféricos e de dados meteorológicos. RESULTADOS: Foram selecionados os municípios de Alta Floresta e de Tangará da Serra no Estado de Mato Grosso para o desenvolvimento da pesquisa em razão destes alcançarem as piores classificações em termos de morbimortalidade. CONCLUSÃO: Os indicadores de saúde mostram consistência e orientam a análise integrada de saúde e ambiente.

Internações por doenças respiratórias em idosos e a intervenção vacinal contra influenza no Estado de São Paulo

Francisco,Priscila Maria Stolses Bergamo; Donalisio,Maria Rita; Lattorre,Maria do Rosário Dias de Oliveira
Fonte: Associação Brasileira de Pós -Graduação em Saúde Coletiva Publicador: Associação Brasileira de Pós -Graduação em Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2004 PT
Relevância na Pesquisa
76.06%
As doenças respiratórias, particularmente as pneumonias e gripes, são importante causa de internação e óbito entre os idosos. O objetivo deste estudo foi avaliar o comportamento da morbidade hospitalar por doenças respiratórias na população idosa do Estado de São Paulo, no período de 1995 a 2002, examinando-se a tendência das internações após a intervenção vacinal contra a influenza. Foram utilizadas as bases de dados de Autorizações de Internação Hospitalar do Ministério da Saúde. Os indicadores de morbidade, referentes às causas respiratórias selecionadas, foram: taxa de internação hospitalar por 1000 habitantes; proporção de internações por tais causas entre o total de internações; e razão entre internações mensais e o número de leitos de clínica médica disponíveis mensalmente. No Estado de São Paulo, observou-se mudança nos indicadores de morbidade após a vacinação, em ambos os sexos, com diferentes padrões entre as faixas etárias, sugerindo impacto positivo na prevenção de internações em idosos.

Vigilância de doenças endêmicas em áreas urbanas: a interface entre mapas de setores censitários e indicadores de morbidade

Ximenes,Ricardo Arraes de Alencar; Martelli,Celina Maria Turchi; Souza,Wayner Vieira de; Lapa,Tiago Maria; Albuquerque,Maria de Fátima Militão de; Andrade,Ana Lúcia S. Sampaio de; Morais Neto,Otaliba Libânio de; Silva,Simonne de Almeida e; Lima,Maria
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/1999 PT
Relevância na Pesquisa
85.86%
Neste artigo, discute-se o eixo metodológico utilizado na construção de modelo de vigilância de endemias em áreas urbanas, orientado por uma análise de situações de risco e por indicadores epidemiológicos espaciais. São apresentadas as premissas básicas do modelo, os critérios de seleção de variáveis sócio-econômicas e as etapas metodológicas necessárias na construção do indicador sintético de risco. Comenta-se, também, como algumas questões operacionais relativas à construção de mapas digitais de setores censitários e vinculação de bancos de dados foram equacionadas. Essa abordagem, incorporando o componente da organização do espaço na vigilância de doenças endêmicas, tendo como exemplo a hanseníase e a tuberculose, privilegia o uso integrado de sistemas de informação já existentes, na perspectiva de estratificar áreas urbanas diferenciadas que permite discriminar riscos desiguais para ocorrência de endemias. Essa é uma ferramenta para o planejamento e o gerenciamento das ações voltadas para o controle das endemias nas cidades.

Os indicadores de qualidade da prescrição de medicamentos da Organização Mundial da Saúde ainda são válidos?

Fröhlich,Samanta Etges; Mengue,Sotero Serrate
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2011 PT
Relevância na Pesquisa
75.95%
Este artigo tem como objetivo analisar os indicadores de qualidade da prescrição de medicamentos propostos em 1993 pela Organização Mundial da Saúde e sugerir novos indicadores, em razão do novo perfil de morbidade da população. Para tanto, se realizou um estudo transversal, através de entrevista pessoal e análise de prescrições de 320 usuários de Unidades de Estratégia Saúde da Família em um município brasileiro no estado do Rio Grande do Sul. Esses usuários foram recrutados por meio do método de amostragem não probabilístico consecutivo. Considerando os resultados obtidos com os indicadores de qualidade da prescrição propostos pela Organização Mundial da Saúde, as prescrições podem ser consideradas adequadas. Contudo, a análise desses indicadores mostrou que, atualmente, eles podem ser inapropriados. Portanto, novos indicadores foram desenvolvidos. Pela nova proposta de indicadores, simples e de fácil quantificação, pôde-se perceber os problemas em uma prescrição de medicamentos com o intuito de guiar para uma ação subsequente.