Página 1 dos resultados de 894 itens digitais encontrados em 0.003 segundos

Prevalência e fatores associados de incontinência urinária autorreferida no pós-parto; Prevalence and associated factors of urinary incontinence self-reported in the postpartum period

Lopes, Daniela Biguetti Martins
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 15/04/2010 PT
Relevância na Pesquisa
66.58%
A incontinência urinária (IU) é definida como toda perda involuntária de urina, sendo um problema social e de higiene. No Brasil, é incipiente a produção bibliográfica sobre incontinência urinária no pós-parto. Trata-se de uma morbidade pouco explorada pelo profissional de saúde, o que dificulta a identificação da mulher que apresenta a intercorrência. O objetivo deste estudo foi verificar a prevalência de incontinência urinária autorreferida no pós-parto e relacionar os fatores associados. Trata-se de um estudo epidemiológico, transversal sobre os fatores relacionados à incontinência urinária autorreferida no pós-parto, realizado no Centro de Saúde Escola Samuel Barnsley Pessoa, localizado na região oeste do município de São Paulo. A população foi constituída por 288 mulheres com 30 dias a seis meses de pós-parto, entrevistadas no período de janeiro a agosto de 2009. Os resultados indicaram prevalência de 24,6% de perda involuntária de urina autorreferida no pós-parto. A idade das mulheres variou de 18 a 45 anos. Quanto às características sociodemográficas, apenas a cor da pele apresentou diferença estatística significante (p-valor=0,0043), com maior representatividade em mulheres brancas. Dentre as 71 entrevistadas que referiram IU no pós-parto...

Prevalência e fatores associados de incontinência urinária em profissionais de enfermagem de um hospital universitário; Prevalence and factors associated with urinary incontinence among professional nursing a university hospital Ribeirão Preto

Ribeiro, Juliana
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 15/08/2011 PT
Relevância na Pesquisa
66.57%
A Incontinência Urinária (IU) é um sintoma multifatorial associado ao estilo de vida, sendo uma disfunção anatomopatológica que interfere, principalmente, na saúde da mulher. Objetivo: O estudo teve como objetivo analisar a prevalência de incontinência urinária e fatores associados em profissionais de enfermagem que atuam em um Hospital Universitário de Ribeirão Preto-SP. Materiais e Método: Trata-se de uma pesquisa descritiva e exploratória de corte transversal com abordagem quantitativa, sobre a prevalência e fatores associados à incontinência urinária entre estes profissionais. A população foi composta por 119 profissionais das unidades de Clínica Médica (CM),Clínica Cirúrgica (CC),Ginecologia (GO) e Obstétricia (OBST), nas categorias de enfermeira, técnica de enfermagem e auxiliar de enfermagem; o período de coleta de dados foi de Junho a Outubro de 2010 .Foi solicitada a autorização da Divisão de Enfermagem do HCFMRP-USP e , posteriormente, enviado o projeto para análise do Comitê de Ética em Pesquisa (CEP) da mesma instituição. Este procedimento visa a preservação dos aspectos éticos relacionados à pesquisa envolvendo seres humanos, segundo a resolução 196/96. Resultados: Das 91 mulheres entrevistadas a maioria estava na média de 40 anos e 58 (65...

Tratamento da incontinencia urinaria de esforço com biofeedback : analise objetiva e impacto sobre a qualidade de vida

Maria Viviane Marques Arruda Capelini
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 02/02/2005 PT
Relevância na Pesquisa
66.56%
De acordo com a Sociedade Internacional de Continência (ICS), a incontinência urinária é o estado no qual a eliminação involuntária de urina se constitui em problema social e de higiêne. A incontinência urinária acomete inúmeras pessoas em todo o mundo, interferindo negativamente na qualidade de vida, em diversos aspectos, como: psicológico; emocional; ocupacional; doméstico e sexual. Apresenta maior prevalência no sexo feminino, sendo sua forma mais comum a incontinência urinária de esforço (IUE). Possui origem multifatorial, muitas vezes relacionada à paridade e, particularmente, ao parto vaginal. O tratamento conservador da incontinência urinária de esforço representa uma alternativa aos procedimentos mais invasivos. Nesse sentido, os exercícios para fortalecimento do assoalho pélvico vêm se constituindo importante recurso terapêutico no tratamento conservador da incontinência urinária de esforço. Este estudo teve por objetivo analisar as alterações nos parâmetros: Pad Test; diário miccional; estudo urodinâmico; e índice de qualidade de vida; em pacientes portadoras de incontinência urinária de esforço, tratadas através de exercícios do assoalho pélvico com biofeedback de eletromiografia de superfície. Foram selecionadas 14 pacientes com diagnóstico de IUE...

Incontinencia urinaria e atividade fisica : uma revisão da literatura; Urinary incontinence and physical activity

Aletha Silva Caetano
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 22/02/2007 PT
Relevância na Pesquisa
66.63%
A incontinência urinária é definida como ?queixa de qualquer perda involuntária de urina?. Apesar da incontinência urinária não ameaçar a vida das mulheres que apresentem os sintomas, ela causa danos de ordem social, econômica e emocional podendo assim influenciar de forma negativa na qualidade de vida de mulheres com incontinência urinária. O objetivo desta pesquisa foi realizar uma revisão bibliográfica sobre a incontinência urinária entre mulheres que praticam atividades físicas e esportivas e suas implicações acerca dessa prática. Essa dissertação foi redigida sob a forma de três artigos que já foram submetidos à publicação. O primeiro artigo intitulado ?Incontinência urinária e a prática de atividades físicas?, corresponde à revisão bibliográfica relacionada com a prevalência da incontinência urinária entre mulheres atletas e não atletas durante atividades físicas e esportivas. O segundo artigo intitulado ?Atividade sexual, exercícios perineais e incontinência urinária?, refere-se à sexualidade da mulher com incontinência urinária. O terceiro artigo, ?Incontinência urinária entre estudantes de Educação Física? corresponde a um trabalho no qual foi verificada a freqüência de perda de urina entre estudantes de Educação Física. Os dados da literatura mostraram que a prática de atividades físicas e esportivas constituídas de exercícios que exijam muito esforço e alto impacto pode contribuir para o desenvolvimento da incontinência urinária. Muitas mulheres com incontinência urinária abandonam a prática de atividades físicas e esportivas para evitarem perder urina durante essa prática...

Incontinência urinária na mulher idosa hospitalizada

Locks, Melissa Orlandi Honório
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 179 p.| tabs.
POR
Relevância na Pesquisa
66.58%
Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde. Programa de Pós-Graduação em Enfermagem, Florianópolis, 2013.; A incontinência urinária é um agravo de saúde mais comumente encontrado entre indivíduos da terceira idade, o que não significa que se trata de algo inerente à senescência. Entre os idosos, as mulheres são as que mais frequentemente apresentam incontinência urinária. Por outro lado, os distúrbios miccionais não se constituem em causa principal das internações, o que talvez explique o fato de nem sempre serem investigados, resultando em inexistência de ações para correção de tais problemas. Considerando-se o exposto, essa pesquisa teve como objetivo principal estimar a prevalência e fatores associados da incontinência urinária em mulheres idosas hospitalizadas e identificar as estratégias de assistência e educação em saúde utilizadas por suas equipes de enfermagem. Trata-se de um estudo de abordagem quantitativa e qualitativa, do tipo prospectivo e transversal. A amostra foi composta por 124 idosas, internadas nos setores de Clínica Médica de dois hospitais públicos, sendo um hospital com metodologia da assistência implantada e o outro, não. Além disso...

Promoção da saúde de mulheres idosas com incontinência urinária

Tomasi, Andrelise Viana Rosa
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 133 p.| il.
POR
Relevância na Pesquisa
66.6%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem, Florianópolis, 2015.; A Incontinência Urinária é um agravo na saúde que pode ocorrer na população idosa, não significando uma condição normal do processo do envelhecimento. No entanto, entre essa população, as mulheres idosas são as mais acometidas de perdas urinárias involuntárias, o que acarreta problemas emocionais, retração social, nas atividades físicas, entre outros. Assim, este estudo objetivou conhecer como os fisioterapeutas e enfermeiros cuidam de mulheres idosas com incontinência urinária na Atenção Primária de Saúde, e desenvolver com os fisioterapeutas e enfermeiros uma proposta de cuidado às mulheres idosas com incontinência urinária para a promoção da saúde. Trata-se de uma pesquisa com abordagem qualitativa, do tipo convergente-assistencial, com suporte teórico na Promoção da Saúde. Os dados foram coletados entre agosto e outubro de 2014 através das seguintes técnicas: entrevistas semiestruturadas com quatorze fisioterapeutas e dez enfermeiros, além de três oficinas temáticas com os mesmos. A análise dos dados envolveu processos de apreensão...

Qualidade de vida, suporte social e satisfação sexual em mulheres com incontinência urinária

Raimundo, Alexandra Chaves Ribeiro Assis
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2003 POR
Relevância na Pesquisa
66.65%
Dissertação de Mestrado em Psicologia da Saúde; O presente estudo foi concebido com o objectivo de, junto da população feminina com Incontinência Urinária, averiguar quais as relações entre níveis de Qualidade de Vida, Suporte Social, Satisfação Sexual e Grau de Incómodo com a IU, bem como identificar Variáveis de Doença e Variáveis Demográficas que possam influenciar estas relações, e de que forma. Trata-se, portanto de um estudo de carácter exploratório e correlacionai. Pareceu-nos pertinente apresentar uma introdução acerca de cada um dos temas em estudo (Qualidade de Vida, Suporte Social, Satisfação Sexual e Incontinência Urinária) tentando abordá-los quer individualmente, quer na sua vertente de relação uns com os outros, sempre que possível. A amostra é composta por participantes do sexo feminino que sofrem de Incontinência Urinária, e cuja média de idades é de 60,15 anos, às quais foi solicitado o preenchimento de um protocolo constituído por um "Questionário Demográfico", uma escala de Qualidade de Vida (SF-8), uma escala de Suporte Social (ESSS), uma escala de Satisfação Sexual (SEAR Questionnaire) e uma escala específica para a Incontinência Urinária (Grau de Incómodo com a Incontinência Urinária - UDI-6). Registaram-se bons níveis de correlação entre a Qualidade de Vida e todas as outras Variáveis Principais...

Prevalência e fatores associados à incontinência urinária e avaliação da qualidade de vida de idosas incontinentes assistidas por uma unidade básica do sistema público de saúde da família de Recife/PE

Ferreira, Caroline Wanderley Souto (Orientadora); Oliveira, Daphne Gilly de
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Dissertação
BR
Relevância na Pesquisa
66.59%
Determinar a prevalência e fatores associados à incontinência urinária (IU), e avaliar a qualidade de vida (QV) em idosas incontinentes de uma Equipe de Saúde da Família (ESF) de Recife/PE. Material e métodos: Trata-se de um estudo de corte transversal no qual foram incluídas 142 mulheres com idade maior ou igual a 60 anos, divididas em dois grupos: Grupo Urinário Incontinente (GUi) e Grupo Urinário Continente (GUc). Foram realizadas visitas domiciliares, onde eram inquiridos dados sociodemográficos, uroginecológicos, fecais, obstétricos, de hábitos de vida e alimentares, além da realização um teste de perda urinária de esforço (TPUE) e exame da força dos músculos do assoalho pélvico (MAPs) pelo método PERFECT. As idosas que relataram episódios de perda involuntária de urina e/ou tiveram o TPUE positivo foram classificadas como portadoras de incontinência urinária e alocadas no GUi. As voluntárias que negaram ter episódios de perda urinária e não perderam urina durante o TPUE foram alocadas no GUc. As pacientes incontinentes também tiveram sua qualidade de vida avaliada através do questionário específico para IU International Consultation on Incontinence Questionnaire – Short Form (ICIQ-SF). A comparação das médias entre grupos foi feita através do teste T-Student para amostras independentes e para a comparação das variáveis qualitativas foi utilizado o teste Qui-quadrado de Pearson. Foi feito um modelo de regressão logística para cada tipo de IU onde as variáveis significantes foram selecionadas de forma hierárquica por prioridades. Em relação ao questionário de qualidade de vida...

Eletroestimulação transcutânea do nervo tibial no tratamento da incontinência urinária de urgência em idosas: eficácia e seguimento

Schreiner, Lucas
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Tese de Doutorado
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
66.56%
O envelhecimento populacional é uma realidade em quase todo o mundo, e, o avanço da idade aumenta a chance de mulheres desenvolverem incontinência urinária, portanto, é muito importante o estudo de estratégias terapêuticas efetivas e não-invasivas para esta população cada vez maior. Os objetivos deste estudo foram: revisar a literatura disponível em relação a eletroestimulação e incontinência urinária, e; examinar a eficácia a curto e longo prazo da eletroestimulação transcutânea do nervo tibial, para o tratamento de incontinência urinária de urgência em idosas. Foram realizadas: uma revisão sistemática, e, um ensaio clínico randomizado, com 101 mulheres idosas (> 60 anos) com incontinência urinária por urgência, seguido de um estudo de coorte com as 50, que melhoraram com a terapia proposta. A revisão sistemática incluiu 30 estudos randomizados, que relataram bons resultados da eletroestimulação intravaginal para incontinência urinária de urgência, para eletroestimulação do nervo tibial e, para estimulação sacral em pacientes refratárias, as demais terapias carecem de mais informações. As 101 idosas foram tratadas com 12 semanas de retreinamento vesical e exercícios de reforço da musculatura do assoalho pélvico...

Monografía sobre la prevención de la incontinencia urinaria en el ámbito de la gerontología; Monograph on the prevention of urinary incontinence in the gerontology area

Pellón Revuelta, Asunción
Fonte: Universidade de Cantabria Publicador: Universidade de Cantabria
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
SPA
Relevância na Pesquisa
66.57%
La Incontinencia Urinaria es una deficiencia funcional y no una manifestación del envejecimiento. Una gran parte de los ancianos viven la Incontinencia Urinaria como un hecho normalizado asociado a la edad, lo cual no permite que sea detectada precozmente. El objetivo de esta revisión sobre la Incontinencia Urinaria es mostrar los medios disponibles que hay en la actualidad para llevar a cabo la Prevención y la Detección Precoz de la Incontinencia Urinaria en el ámbito Gerontológico. A través de la prevención se pretende disminuir la incidencia, la prevalencia en la Incontinencia Urinaria, y las secuelas o daños colaterales que puede llegar a causar en la calidad de vida de la persona. Por esta razón el profesional de enfermería es vital para prevenir y detectar precozmente la Incontinencia Urinaria. La prevención de la Incontinencia Urinaria en el ámbito Gerontológico debería estar incluida en la Cartera de Servicios de Atención Primaria de toda la Sanidad Española, ello favorecería la Calidad de Vida en el ámbito Gerontológico y una reducción considerable en el número de ancianos en riesgo de desarrollar la Incontinencia Urinaria. Además, implicaría una menor dependencia física y psicológica, menor demanda de recursos tanto materiales como humanos...

Disfunción del suelo pélvico femenino : incontinencia urinaria asociada al embarazo y el parto; Female pelvic floor dysfunction : urinary incontinence associated with pregnancy and chilbirth

Bolado Benedicto, Alicia
Fonte: Universidade de Cantabria Publicador: Universidade de Cantabria
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
SPA
Relevância na Pesquisa
66.55%
La incontinencia urinaria se define como la manifestación de cualquier pérdida involuntaria de orina. Según la clínica se clasifica en incontinencia urinaria de esfuerzo, de urgencia y mixta. En general es infradiagnosticada, posee un gran impacto social, económico y psicológico, deteriorando la calidad de vida de las personas que la padecen. Se desconoce la prevalencia real, las cifras oscilan entre el 5% y el 45%, aumentando la frecuencia con la edad. Afecta mayoritariamente a mujeres, siendo la incontinencia urinaria de esfuerzo la más frecuente. El embarazo y el parto vaginal son las principales causas de lesión de las estructuras del suelo pélvico, por lo que se consideran factores de riesgo en la aparición de incontinencia urinaria, sin embargo el papel que éstos ejercen en la incontinencia urinaria persistente está sin aclarar. Son necesarios más estudios que analicen los factores de riesgo obstétricos y no obstétricos que favorecen la persistencia de incontinencia urinaria en el posparto. El impacto del parto en la función de los músculos del suelo pélvico puede disminuir o mejorar cuando se incluyen en el seguimiento habitual del embarazo y el posparto programas específicos de entrenamiento del suelo pélvico. La Atención Primaria es el lugar idóneo para incluir actividades de promoción...

Determinantes da qualidade de vida em mulheres com incontinência urinária

Fernandes, Susana Filipa Pinto; Coutinho, Emília Carvalho, orient.; Duarte, João Carvalho, co-orient.
Fonte: Instituto Politécnico de Viseu. Escola Superior de Saúde de Viseu Publicador: Instituto Politécnico de Viseu. Escola Superior de Saúde de Viseu
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
66.62%
Enquadramento: A incontinência urinária provoca alterações profundas nas várias dimensões da vida de uma mulher, quer pelas limitações fisiológicas impostas pela doença, quer pelo confronto psicológico face à inibição social e familiar, o que determina implicações na sua qualidade de vida (QDV). Objetivos: Avaliar a qualidade de vida das mulheres com incontinência urinária; analisar em que medida as variáveis sociodemográficas, obstétricas e ginecológicas interferem na QDV das mulheres com incontinência urinária; verificar se os estilos de vida têm efeito significativo na QDV destas mulheres; analisar a influência do tipo de incontinência urinária na sua QDV; determinar se o estado depressivo influencia a QDV das mulheres com incontinência urinária. Métodos: Optou-se por um estudo não experimental, de natureza quantitativa, do tipo descritivo-correlacional e explicativo. Para avaliar as variáveis em estudo, o instrumento de colheita de dados é constituído por um questionário (caracterização sociodemográfica, obstétrica e ginecológica, estilos de vida) e escalas (Escala do Impato da Incontinência (ICIQ-SF Short Form), Valorização da Incontinência Urinária, King’s Health Questionnaire...

Estudio urodinámico en mujeres con síntomas de incontinencia urinaria de esfuerzo pura

Naser Nassar, Michel Eduardo; Díaz, J.P.; Manriquez Galan, Valentin Ignacio; Wenzel, C; Águila, F; Valdevenito, J.P.
Fonte: Elsevier Publicador: Elsevier
Tipo: Artículo de revista
ES
Relevância na Pesquisa
66.57%
Artículo de publicación SCOPUS; Objetivo Describir los resultados del estudio urodinámico en mujeres con síntomas de incontinencia urinaria de esfuerzo pura, incluyendo las características del detrusor hiperactivo, sin conocer otras evaluaciones clínicas. Material y métodos Estudio retrospectivo de mujeres con incontinencia urinaria evaluadas con estudio urodinámico de forma consecutiva. De 710 mujeres evaluadas, se seleccionaron 108 con síntomas de incontinencia urinaria de esfuerzo pura (15%), excluyendo aquellas con cirugía de incontinencia urinaria previa, prolapso de órganos pélvicos en estadio ≥ iii, radioterapia pelviana, uso de fármacos uroselectivos y enfermedades neurológicas. La velocidad de infusión fue de 70 ml/min. La tos fue el único método utilizado para provocar la hiperactividad del detrusor. La prueba de esfuerzo se hizo estandarizada, con uso de tos de intensidad progresiva. Resultados Se describen valores de referencia de las diferentes etapas del estudio urodinámico. Se demostró incontinencia urinaria de esfuerzo urodinámica en 79 mujeres (73,1%), detrusor hiperactivo en 4 (3,7%) y diagnóstico urodinámico mixto en 15 (13,8%). En 10 pacientes el examen no fue concluyente (9,2%). Dos mujeres presentaron incontinencia urinaria por detrusor hiperactivo (1...

Índice de incontinência urinária em mulheres praticantes de ginástica e musculação

Serafim, Any Simão
Fonte: Universidade do Extremo Sul Catarinense Publicador: Universidade do Extremo Sul Catarinense
Tipo: Monografia de Curso de Pós-graduação Lato Sensu
PT_BR
Relevância na Pesquisa
66.59%
Monografia apresentada ao Setor de Pós-graduação da Universidade do Extremo Sul Catarinense – UNESC, para a obtenção do título de especialista em Fisiologia do Treinamento Desportivo.; A Incontinência Urinária (IU) é uma doença que caracteriza-se pela perda involuntária de urina. Classifica-se em: IU de esforço, urge-incontinência e mista. Que a prática de exercícios físicos traz diversos benefícios à saúde do praticante já é sabido, mas o excesso dela pode trazer também alguns acometimentos, como a incontinência urinária de esforço. Sabe-se que nas aulas de ginástica, como exemplos jump e step, ocorre a predominância de impacto, e nas sessões de musculação há levantamento de carga, o que caracterizam-se como um esforço para mulheres que já possuem enfraquecimento no assoalho pélvico. Justifica-se este estudo por ser uma patologia de grande incidência em mulheres e por estas muitas vezes não saberem do que se trata, também pela importância do profissional de educação física na prevenção e controle dos FR. Objetivo: Comparar o índice de Incontinência Urinária em mulheres praticantes de ginástica e musculação com idade entre 18 e 40 anos de Sombrio/SC. Metodologia: A população deste estudo foi composta por 70 mulheres com idade entre 18 anos e 40 anos...

Urinary incontinence restrictions in women's life; Restricciones ocasionadas por la incontinencia urinaria en la vida de la mujer; Restrições causadas pela incontinência urinária à vida da mulher

Lopes, Maria Helena Baena de Moraes; Higa, Rosângela
Fonte: Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem Publicador: Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf
Publicado em 01/03/2006 POR
Relevância na Pesquisa
66.55%
Our purpose with this study was to verify the restriction of the urinary incontinence (UI) in a woman's daily life, considering the type of incontinence, and find out how women deal with that. It is a secondary analysis of data taken from a previous study that were obtained using open and closed questions. Interviews were held with 164 incontinent inpatients of gynecological and urological clinics of two hospital schools in the city of Campinas, in the State of São Paulo, with ages ranging from 25 to 85 years. Of this universe, 104 (64%) indicated one or more restrictions regarding their daily life activities, such as altered sexual (40.9%), social (33.5%), domestic (18.9%) and occupational activities (15.2%). Mixed urinary incon-tinence and urge incontinence were mentioned as that affected the most women's daily life. The disposable pad system was the most utilized strategy in dealing with UI. It was concluded that UI has a negative impact on the daily life of these women.; En este estudio se tuvo como objetivo identificar las restricciones causadas por la incontinencia urinaria (IU) en la vida de la mujer, considerándose el tipo de incontinencia, y verificar cómo manejan este problema. Se trata de un análisis secundario de datos obtenidos en un estudio anterior...

Incontinência urinária autorreferida no pós-parto: características clínicas; Incontinencia urinaria autorreferida en el posparto: características clínicas; Self-reported urinary incontinence in the postpartum period: clinical characteristics

Lopes, Daniela Biguetti Martins; Praça, Neide de Souza
Fonte: Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem Publicador: Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf; application/pdf
Publicado em 01/06/2012 POR; ENG
Relevância na Pesquisa
66.61%
Este estudio transversal tuvo como objetivo caracterizar las manifestaciones de incontinencia urinaria autorreferida en el posparto. Fueron entrevistadas 288 mujeres atendidas en un Centro de Salud Escuela del municipio de São Paulo, entre enero y agosto de 2009. Los datos demostraron que de las 71 mujeres con incontinencia (24,6%). 44 de ellas (62%) refirieron incontinencia ante los esfuerzos, 65 (91,5%) sentían el escurrimiento de la orina, 33 mujeres (46,5%) presentaban pérdidas más de una vez a la semana, y 24 (33,8%) refirieron perdida urinaria persistente en el momento de la entrevista. La gravedad, clasificada como incontinencia urinaria moderada, se constató en 53 mujeres (74,7%). Los hallazgos realzan la importancia de investigaciones sobre incontinencia urinaria en el período de posparto, así como su abordaje en la enseñanza y atención a la mujer en el período reproductivo.; Este estudo transversal teve como objetivo caracterizar as manifestações de incontinência urinária autorreferida no pós-parto. Foram entrevistadas 288 mulheres atendidas em um Centro de Saúde Escola do município de São Paulo, entre janeiro e agosto de 2009. Os dados indicaram que, dentre as 71 mulheres incontinentes (24,6%), 44 destas (62%) referiram incontinência urinária aos esforços...

The impact of urinary incontinence of the lives of wives of men with incontinence: an integrative review; Impacto de la incontinencia urinaria en la vida de esposas de hombres con incontinencia: revisión integrativa; Impacto da incontinência urinária na vida de esposas de homens com incontinência: revisão integrativa

Bicalho, Mariana Bezzon; Lopes, Maria Helena Baena de Moraes
Fonte: Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem Publicador: Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf; application/pdf
Publicado em 01/08/2012 POR; ENG
Relevância na Pesquisa
66.56%
Male urinary incontinence has been related to several factors, among which benign prostatic hyperplasia and prostate cancer treatment are highlighted. Urinary incontinence has negative effects on patients as well as on their relatives and caregivers. In the present study, an integrative review was performed with the purpose to identify the impact that urinary incontinence has on the lives of the patients' partners. The article survey was performed on the following databases: CINAHL, EMBASE, SCOPUS, MEDLINE, and PubMed. Articles were included if they were written in Portuguese, English or Spanish, and excluded if they did not mention the patients' wives. The final sample was comprised of 15 articles from seven countries. The articles were distributed into the following categories: Psychological Distress, Fatigue, Change in Sex Life, and Limitations on Social Life. The category Psychological Distress was present in all articles and was rated as having the most impact on these women's lives.; La incontinencia urinaria masculina ha sido relacionada a varios factores, destacándose la hiperplasia prostática benigna y el tratamiento del cáncer de próstata. La incontinencia urinaria genera implicaciones negativas, tanto para el individuo afectado como para sus familiares y cuidadores. En este estudio fue realizada una revisión integrativa...

Nurses' interventions in the management of urinary incontinence in the elderly: an integrative review; Actuación del enfermero en el manejo de la incontinencia urinaria en el anciano: una revisión integrativa; Atuação do enfermeiro no manejo da incontinência urinária no idoso: uma revisão integrativa

Silva, Vanessa Abreu da; D'Elboux, Maria José
Fonte: Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem Publicador: Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf; application/pdf
Publicado em 01/10/2012 POR; ENG
Relevância na Pesquisa
66.55%
The objective of this study was to verify the strategies that nurses use to manage urinary incontinence (UI) in the elderly. An integrative literature review was performed on the following databases: WEB OF SCIENCE, MEDLINE, SCOPUS and CINAHL, in the period from 2006 to 2010. A total of 186 articles were located, and after excluding duplicates and performing a careful reading of the full articles, the sample was comprised of seven articles. Most studies utilize an overall approach to urinary incontinence, without characterizing the type or the subjects' claims. Only one study addressed the management of urinary incontinence in the elderly with dementia; another specified the type (hyperactive bladder). Therefore, there is a need for further clinical nursing studies regarding the management of urinary incontinence, aiming to provide scientific evidence to support this practice.; Se objetivó verificar cuáles son las estrategias utilizadas por enfermeros para el manejo de la incontinencia urinaria (IU) en ancianos. Se realizó estudio de revisión integrativa de literatura, en las bases de datos WEB OF SCIENCE, MEDLINE, SCOPUS y CINAHL, en período de 2006 a 2010. Fueron encontradas 186 publicaciones; una vez excluidas las duplicadas y efectuada la lectura integral de los trabajos...

Urinary incontinence in elderly people: a proposal for nurse's conduct; Incontinencia urinaria en ancianos: propuesta para conducta de la enfermera; Incontinência urinária em idosos: proposta para a conduta da enfermeira

Rodrigues, Rosalina Aparecida Partezani; Mendes, Maria Manuela Rino
Fonte: Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto Publicador: Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 01/07/1994 POR
Relevância na Pesquisa
66.58%
The authors make it evident the Urinary Incontinence in elderly people showing up the prevalence, their motives and types. It is subsidize the evaluation of the historical, the physical exam, registry of the incontinence and also the exercises for the training of the bladder, the musculature, hygiene habits and also the manipulation of the catheters and the aspects of the environment looking for the restoration of the continence and/or to treat and to live with in the urinary incontinence. They distinguish that the nursing conduct is done interrelated with the medical team with homely cares and elderly investing in the self care for to improve the urinary incontinence and favoring the continence.; Las autoras enfocan la incontinencia urinaria en ancianos, destacando la prevalencia, las causas y tipos. Proporcionan elementos para evaluar el problema y la acción profesional, detallando aspectos de la historia del paciente. Se centran sobre el examen físico y la incontinencia urinaria, así como en los ejercicios para el entrenamiento de la bejiga y refuerzo de la musculatura interveniente. También, informan sobre hábitos higiénicos y manipulación de catéteres, incluyendo los aspectos ambientales, buscando restaurar la continencia...

Qualidade de vida de mulheres com incontinência urinária; Calidad de vida de mujeres con incontinencia urinaria; Quality of life of women with urinary incontinence

Pedro, Alana Fernandes; Ribeiro, Juliana; Soler, Zaida Aurora Sperli Geraldes; Bugdan, Ana Paula
Fonte: Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto Publicador: Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; Formato: application/pdf; application/pdf
Publicado em 01/08/2011 POR; ENG
Relevância na Pesquisa
66.57%
La incontinencia urinaria (IU) es un problema común, afectando principalmente a las mujeres, y perjudica su calidad de vida. La finalidad fue investigar la calidad de vida de mujeres con quejas de incontinencia urinaria que buscaron atendimiento médico en ambulatorio de urología de un hospital escuela. Se entrevistó a 43 mujeres con queja de IU y se cumplieron todos los aspectos éticos de la investigación en seres humanos. La media de edad fue de 50,7 años; 62,8% relataron pérdida de orina entre 5 y 9 anos. Hubo muchos relatos de daños físicos y psicológicos causados por la incontinencia urinaria: un 33,5% en la interacción psicosocial; un 23,3% en la vida sexual; 41,9% depresión y aislamiento social; 27,9% alteraciones del sueño; 76,7% vergüenza debido a la pérdida de orina. Los datos obtenidos permiten acciones ampliadas para el atendimiento médico y la orientación de mujeres con incontinencia urinaria.; A incontinência urinária (IU) representa problema comum entre mulheres, comprometendo sua qualidade de vida. Teve-se, aqui, o objetivo de investigar a qualidade de vida de mulheres com queixa de incontinência urinária que buscaram atendimento médico em ambulatório de urologia, de um hospital de ensino. Foram entrevistadas 43 mulheres com queixa de IU...