Página 1 dos resultados de 80 itens digitais encontrados em 0.002 segundos

Marcadores culturais na literatura surda : constituição de significados em produções editoriais surdas

Müller, Janete Inês
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
36.92%
Nesta dissertação apresento uma investigação acerca dos marcadores culturais em produções editoriais de surdos, considerando obras que circulam em português escrito, destinadas ao público juvenil e adulto. Vinculada aos Estudos Culturais em Educação, discuto o problema de pesquisa: como as produções culturais surdas, que circulam em português escrito no mercado editorial brasileiro, possibilitam a construção de marcadores culturais? Assim, objetivo: mapear e investigar as produções culturais de surdos publicadas em português escrito; b) discutir marcadores culturais surdos, considerando posições identitárias, de comunidades e de usos das línguas; c) problematizar a constituição de representações surdas que circulam nas obras analisadas. Após a leitura de dez livros produzidos por surdos, a narrativa da experiência de si e a identidade surda como uma diferença sobressaem-se como marcas culturais das produções editoriais surdas. A produção da identidade/diferença surda se dá principalmente pela experiência do olhar, uso das línguas de sinais, tradução cultural através da escrita em línguas orais e a participação em comunidades e lutas, que marcam a(s) cultura(s) surda(s). Além disso, essa produção identitária se processa através de representações que circulam nas obras...

Cartografando com uma criança surda sua infância e suas experiências educacionais

Fülber, Graziele Gonçalves
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
36.74%
Esta dissertação tem como objetivo acompanhar, através do método da cartografia, a infância e as experiências educacionais de uma criança surda através de imagens produzidas e escolhidas por ela em uma escola de surdos, uma escola infantil comum e no contexto onde vive com sua família. Articulo o método da cartografia a noções do campo dos Estudos Culturais e dos Estudos Surdos para problematizar a infância e a produção de identidades e da diferença surda. A cartografia é um estudo das relações de forças que compõem um campo específico de experiências, não dependendo de um plano a executar, de um conjunto de competências a adquirir ou de uma lista de habilidades a aplicar em determinado campo pelo pesquisador. A cartografia tem a primazia do encontro, de fazer “falar aquilo que ainda não se encontrava na esfera do já sabido, acessar a experiência de cada um, fazer conexões, descobrir a leitura, a brincadeira, os elos e tudo que vive no cruzamento e nas franjas desses territórios existenciais.” (BARROS e KASTRUP, 2010, p.61). A cartografia é, portanto, uma prática que acompanha um processo. Durante o meu processo investigativo, busquei aproximações com os campos da filosofia e da infância para pensar sobre o pensar...

Falar com as mãos e ouvir com os olhos? : a corporificação dos sinais e os significados dos corpos para os surdos de Porto Alegre

Gediel, Ana Luisa Borba
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
36.92%
No final dos anos 1980 e início dos anos 1990, representantes das pessoas Surdas buscaram espaços sociais nos quais pudessem partilhar a sua língua − Língua Brasileira de Sinais − e as suas experiências. Esse grupo ativista não considera a surdez uma doença, mas sim, definem os "Surdos" como parte de uma cultura caracterizada pelo uso de uma linguagem. Essa é composta por um conjunto de Sinais, repletos de significados constituintes de práticas e performances. A presente tese tem como objetivo compreender como as pessoas se tornam culturalmente Surdas, suas formas de viver e de se relacionar com o mundo não-Surdo. Para tanto, foi realizada uma pesquisa etnográfica em Porto Alegre, no período de 2005 a 2007, entre pessoas frequentadoras de dois grupos diferentes: 1. a Sociedade de Surdos do Rio Grande do Sul (SSRS), uma Associação sem fins lucrativos criada pelos Surdos, que compartilham a Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS), que além de ser local de sociabilidade caracteriza-se por uma forte atuação política pela causa dos Surdos; e 2) grupo informal de pessoas Surdas que não frequentam a Sociedade de Surdos, mas se reunem semanalmente em situações sociais para interações em diferentes partes da cidade. O processo de tornar-se culturalmente Surdo é apresentado nesse trabalho a partir de quatro eixos: a socialização; a sociabilidade; a Língua de Sinais; e a identidade Surda. A Língua de Sinais...

Cultura e identidade surdas: encruzilhada de lutas sociais e teóricas

Santana, Ana Paula; Bergamo, Alexandre
Fonte: Centro de Estudos Educação e Sociedade (CEDES) Publicador: Centro de Estudos Educação e Sociedade (CEDES)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 565-582
POR
Relevância na Pesquisa
46.64%
As expressões cultura e identidade surdas têm se legitimado, principalmente, pela defesa da língua de sinais como sendo a língua natural dos surdos. Essa defesa se faz por meio de uma inversão teórica que toma a língua, num primeiro momento, como determinada pelas práticas e interações sociais e, num segundo, faz dela a definidora dessas mesmas práticas. Este artigo discute os mecanismos de legitimação dessa inversão e suas implicações sociais e teóricas.; The expressions deaf culture and deaf identity have been legitimated, mainly, through the defense of sign language as being the natural language of deaf people. This defense is made through a theoretical inversion that takes the language as determined for the practical and social interactions and the proper language define these same practical. This article argues about the mechanisms of legitimation of this inversion and its social and theoretical implications

Surdez e identidade bicultural : como nos descobrimos surdos?

Monteiro, Rosa Maria Godinho
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
36.98%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, Programa de Pós-Graduação em Processos de Desenvolvimento Humano e Saúde, 2014.; A identidade surda tem sido amplamente debatida, especialmente, pelas mudanças contemporâneas, que imprimem novas formas de se relacionar e de se constituir. Dessa forma, o cenário da questão identitária aponta, eminentemente, para as teorias de viés cultural, lugar teórico que tem narrado a identidade surda contemporânea. Reconhecendo tais peculiaridades, buscou-se investigar, a partir da perspectiva histórico-cultural, como os surdos que vivenciam experiências marginais de identidade, que não estão nos grupos majoritários da comunidade surda, e, não possuem proficiência em língua de sinais, narram seu processo identitário. Participaram da investigação oito surdos inicialmente, com algumas desistências posteriores, de uma instituição de apoio para surdos de Brasília, por meio de um grupo focal, que aconteceu semanalmente, com duração de duas horas cada encontro. O trabalho foi realizado por uma equipe multidisciplinar, tendo uma pedagoga, uma psicóloga e dois intérpretes de língua de sinais, um para cada semestre. Totalizaram-se vinte encontros...

E se eu fosse s/Surda? O processo de categorização do mundo da pessoa s/surda: A perspetiva da linguística cognitiva

Silva, Ana Isabel
Fonte: Instituto Politécnico de Viseu Publicador: Instituto Politécnico de Viseu
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em 08/07/2012 POR
Relevância na Pesquisa
36.79%
E se eu fosse s/Surda? é um espaço mental construído no âmbito da Linguística Cognitiva que permite um olhar sobre o que é ser s/Surdo e como se processa a categorização do mundo pelo s/Surdo. A Linguística Cognitiva descreve este matizado de conceitos à luz da teoria da categorização, preferindo um tratamento da linguagem atualizada no uso pragmático da língua. Constituímos quatro capítulos no enquadramento teórico ao longo dos quais revelamos as conceções de surdez e da pessoa s/Surda. Questionamo-las a partir da dicotomia deficiência - diferença. Com base no peso do friso cronológico, apresentamos os paradigmas sócio-antropológico e médico-terapêutico definidores de filosofias de educação de s/Surdos. Propomos uma visita à educação de s/Surdos e descrevemos a urgência de uma educação s/Surda promotora do bilinguismo fundado na mestria de duas línguas: a Língua Gestual Portuguesa (LGP) e a Língua Portuguesa (LP) na modalidade escrita. Esta educação, sustentada em evidências das neurociências, pretende-se que capacite o aluno s/Surdo para a literacia emergente, redimensionando as suas mundividências na plataforma multilingue e multicultural. Propomos a emancipação do s/Surdo pela emancipação da LGP. Neste processo...

Cultura e identidade surdas: encruzilhada de lutas sociais e teóricas

Santana,Ana Paula; Bergamo,Alexandre
Fonte: Centro de Estudos Educação e Sociedade - Cedes Publicador: Centro de Estudos Educação e Sociedade - Cedes
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2005 PT
Relevância na Pesquisa
46.64%
As expressões cultura e identidade surdas têm se legitimado, principalmente, pela defesa da língua de sinais como sendo a língua natural dos surdos. Essa defesa se faz por meio de uma inversão teórica que toma a língua, num primeiro momento, como determinada pelas práticas e interações sociais e, num segundo, faz dela a definidora dessas mesmas práticas. Este artigo discute os mecanismos de legitimação dessa inversão e suas implicações sociais e teóricas.

Lingua(gem) e identidade: a surdez em questão

Gesueli,Zilda Maria
Fonte: Centro de Estudos Educação e Sociedade - Cedes Publicador: Centro de Estudos Educação e Sociedade - Cedes
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2006 PT
Relevância na Pesquisa
46.73%
Este trabalho discute o papel da língua de sinais na construção da identidade surda. Diferentes autores têm discutido a relação língua(gem) na construção da identidade, destacando-se que esta se constitui a partir da significação - ao significar o sujeito se significa (Orlandi, 1998). Dessa forma, buscamos trazer esta discussão para o campo da surdez levando em conta que, o interlocutor privilegiado da criança surda é o próprio surdo e o lugar de contato com essa língua se dá, para a maioria dos alunos, dentro das instituições ou escolas especiais para surdos. Observamos que a inserção do professor surdo na sala de aula contribui para que os alunos não somente encontrem possibilidades de construção da narrativa em língua de sinais, mas também se percebam como surdos, construindo sua identidade já na idade de 5-7 anos, assumindo e diferenciando papéis na interação, principalmente em relação ao professor surdo e ao professor ouvinte. A perspectiva de educação bilíngüe na área da surdez está antecipando a consciência dos próprios surdos sobre o significado da surdez, o que há bem pouco tempo acontecia somente na idade adulta.

A relação sujeito/linguagem na construção da identidade surda

Giammelaro,Cínthia Najla Fahl; Gesueli,Zilda Maria; Silva,Ivani Rodrigues
Fonte: Centro de Estudos Educação e Sociedade - Cedes Publicador: Centro de Estudos Educação e Sociedade - Cedes
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2013 PT
Relevância na Pesquisa
46.83%
O estudo destaca o papel do instrutor surdo no processo de construção da(s) identidade(s) surda(s). Para isso, foram analisadas filmagens da interação de crianças surdas com instrutores surdos, buscando, a partir da convivência cotidiana entre esses sujeitos, levantar aspectos relevantes da aquisição da Língua Brasileira de Sinais (Libras) e da importância do instrutor surdo neste processo. A pesquisa qualitativa utilizou como instrumento um banco de dados do Programa Infantil: Linguagem e Surdez, o qual atende crianças surdas de 4 a 9 anos de idade, realizado em um centro de estudos e pesquisas de uma universidade no interior de São Paulo. As filmagens foram observadas e transcritas da Libras para a escrita do Português. A análise dos dados mostrou que a interação espontânea do instrutor com as crianças constitui os momentos privilegiados de aquisição. Outro aspecto observado, como sendo de extrema importância na formação da(s) identidade(s) surda(s), refere-se à interação destas crianças entre si, entendendo-se como surdas e como usuárias da língua de sinais.

História cultural dos surdos: desafio contemporâneo

Perlin,Gladis; Strobel,Karin
Fonte: Setor de Educação da Universidade Federal do Paraná Publicador: Setor de Educação da Universidade Federal do Paraná
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2014 PT
Relevância na Pesquisa
36.97%
O presente artigo parte da perspectiva da história cultural em direção aos Estudos Surdos. Objetiva debruçar-se em pesquisas teóricas que possibilitem a visão sobre a história cultural a ser captada na vida cotidiana, resistências e fazeres a partir da cultura, em nosso caso, do povo surdo. Nestas pesquisas teóricas observou-se o papel que exerce a cultura surda, permeada pela construção da identidade, pela língua de sinais, pela pedagogia surda. E no contato com a história cultural notamos uma metodologia que ressalta a importância da participação dos povos surdos para sua construção. Esta história faz emergir os saberes em que entram em cena as memórias das experiências do "ser surdo", uma visão abrangente em relação ao que ocorre com o povo surdo, especialmente os corpos amordaçados por políticas institucionais, os embates no campo do colonialismo e dos sistemas opressivos educacionais, as lutas por identidade e por significados culturais. Nestes aportes tornam-se frequentes os indícios de signos e significados subjetivantes. O desafio é construir uma nova história cultural, registrando as lutas pela identidade surda, pela construção da identidade cultural, pelo reconhecimento da língua de sinais...

Cultura escolar, cultura surda e construção de identidades na escola

Paula,Liana Salmeron Botelho De
Fonte: Associação Brasileira de Pesquisadores em Educação Especial - ABPEE Publicador: Associação Brasileira de Pesquisadores em Educação Especial - ABPEE
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2009 PT
Relevância na Pesquisa
47.05%
O presente trabalho se propõe a analisar a questão da relação da cultura escolar, cultura surda e a influência destas na construção da identidade da pessoa surda no contexto escolar. Pretende-se identificar os aspectos relevantes que conectam, regulam e norteiam as relações dentro da escola e o impacto destes na constituição do self do aluno surdo. Através do estudo de parâmetros teóricos que permeiam as culturas, escolar e surda, traça-se um paralelo com pressupostos socioculturais construtivistas, buscando apontar características essenciais para a constituição da noção de eu. O contexto escolar é de extrema importância para a pessoa surda, que em sua maioria, provem de famílias ouvintes. Os estudos sobre identidade surda sugerem que o outro indivíduo surdo é de fundamental importância para construção de uma identidade saudável, visto que entre surdos existe o uso comum de um sistema lingüístico-Libras, que não ocorre de forma natural quando da interação entre surdos e ouvintes.

Identidade surda e intervenções em saúde na perspectiva de uma comunidade usuária de língua de sinais

Nóbrega,Juliana Donato; Andrade,Andréa Batista de; Pontes,Ricardo José Soares; Bosi,Maria Lúcia Magalhães; Machado,Márcia Maria Tavares
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2012 PT
Relevância na Pesquisa
56.86%
A visão biomédica concebe a surdez como perda fisiológica da audição e o surdo como portador de anomalia orgânica a ser corrigida; intervenções de saúde revestem-se, correspondentemente, de tal representação. Objetivamos compreender as representações sobre surdez entre surdos, com o propósito de refletir sobre políticas públicas a eles destinadas no contexto da dimensão ética do cuidado. Utilizamos o referencial teórico-metodológico qualitativo (grupo focal); participaram 9 membros de uma comunidade surda (Fortaleza-CE, 2010) fluentes na Língua Brasileira de Sinais-Libras. Observamos que a surdez é compreendida como um modo de ser, cotidianamente construído, essencialmente a partir das experiências-vivências de interação visual com a natureza e a sociedade; assume caráter identitário particular, afirmado em componentes culturais (ser surdo) e linguísticos (Libras). Políticas públicas de oralização ou tecnologias auditivas corretivas (como o implante coclear), valorizados pela sociedade ouvinte, são representadas como retrocesso nas lutas dos surdos, de negação de seu ser no mundo e como perda da identidade surda. É necessário compreender o surdo a partir de construções histórico-sociais, simbólicas e culturais onde diferentes discursos co-existem...

Identidade, cultura surda e produção de subjetividades e educação: atravessamentos e implicações sociais

Cromack,Eliane Maria Polidoro da Costa
Fonte: Conselho Federal de Psicologia Publicador: Conselho Federal de Psicologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2004 PT
Relevância na Pesquisa
36.76%
A questão da identidade é uma das mais caras para a Psicologia. Assim, o objetivo deste trabalho é investigar como a identidade se constitui na presença da surdez. Para tal, realizou-se uma pesquisa de natureza qualitativa, sendo feitas quatro entrevistas com pessoas surdas, enfocando o processo de construção de identidade. Os resultados apontaram a necessidade de os surdos desenvolverem ações afirmativas, consolidando uma comunidade e uma cultura singular. A contribuição deste estudo é mostrar como a condição funcional é importante para a constituição da identidade e também para a organização dos jogos políticos em que vivem os grupos surdos e ouvintes.

O processo de constitui????o das identidades surdas em uma escola especial para surdos sob a ??tica das tr??s ecologias

Terra, Cristiane Lima
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande Publicador: Universidade Federal do Rio Grande
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
47.05%
Disserta????o(mestrado)-Universidade Federal do Rio Grande, Programa de P??s-Gradua????o em Educa????o Ambiental, Instituto de Educa????o, 2011.; A preocupa????o central deste estudo est?? em compreender como o processo de constitui????o da identidade surda ?? estimulado na escola e como esta pr??tica est?? articulada ??s Tr??s Ecologias proposta por F??lix Guattari. A pesquisa ocorreu em uma escola especial para crian??as surdas, em uma turma de alunos da educa????o infantil, onde a professora tamb??m ?? surda. Os dados foram produzidos por meio de observa????o da pr??tica da professora e das rela????es que nos ocorrem nos diversos ambientes por onde as crian??as circulam na escola. Tamb??m foram realizadas entrevistas com a professora surda, a ex-professora ouvinte da turma, a fonoaudi??loga e os pais. Articularam-se estas pr??ticas discursivas e n??o discursivas com as Tr??s Ecologias. Esta pesquisa utilizou-se das aproxima????es te??ricas dos Estudos Culturais e Estudos Surdos, sob o vi??s da Educa????o Ambiental para discutir sobre a aquisi????o de uma identidade surda como a base para que o indiv??duo surdo consiga situar-se e desenvolver-se neste mundo que, para eles, ?? ainda mais conturbado. Utilizaram-se os tr??s registros guattarianos...

História de vida de uma psicóloga e professora surda : mediações desconstruções e construções

Maestri, Rita de Cássia
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Dissertação Formato: 216f. : il. algumas color., retrs.; application/pdf
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
36.88%
Orientadora: Profª Drª Maria Augusta Bolsanello; Orientadora: Profª Drª Clara Brener Mindal; Dissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Educação, Programa de Pós-Graduação em Educação. Defesa: Curitiba, 31/05/2012; Inclui referências; Resumo: Esta pesquisa surgiu a partir de minhas experiências acadêmicas e profissionais como psicóloga e professora surda. Utilizei a metodologia de História de Vida, baseada em Josso, onde a narrativa escrita tem o papel de desvelar a singularidade da vida dos sujeitos, a sabedoria de vida. Os objetivos foram: - investigar, por meio da metodologia de História de Vida, a trajetória educacional e profissional da própria pesquisadora e verificar que experiências e desafios influenciaram essa trajetória; - identificar, analisar e compreender as experiências e desafios da vida educacional e profissional de uma pessoa surda; - contribuir para a formação/autoformação da pesquisadora e também para a formação de profissionais surdos e outros profissionais que atuem com sujeitos surdos. Para alcançar estes objetivos foi feita uma narrativa minuciosa a respeito dos fatos mais relevantes, desde a infância até a vida adulta, a perda da audição e as mudanças no rumo da minha vida. Também relato como foram minhas experiências profissionais e acadêmicas. Esse processo narrativo me fez refletir e questionar meu próprio percurso de formação. Assim...

Literatura Surda: O que sinalizam professores surdos sobre livros digitais em L??ngua Brasileira de Sinais LIBRAS; Deaf Literature: What deaf teachers signal about Brazilian Sign Language digital books LIBRAS

ROSA, Fabiano Souto
Fonte: Universidade Federal de Pelotas; Educa????o; Programa de P??s-Gradua????o em Educa????o; UFPel; BR Publicador: Universidade Federal de Pelotas; Educa????o; Programa de P??s-Gradua????o em Educa????o; UFPel; BR
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
46.71%
This research analyzes what deaf teachers think about digital books in Brazilian Sign Language - LIBRAS. There are several materials available in LIBRAS, but my focus is only on digital books. For this, we selected six stories in digital format, signalized in LIBRAS (among them translations, adaptations and productions) and presented for six deaf teachers from different regions of Rio Grande do Sul State. These selected teachers have training in education, they were students of LIBRAS Language, and act as LIBRAS teachers in different educational levels. These Educators watched the videos and they signaled their impressions based on questions that explored the technical part of the video, signaling brands present in deaf history and its importance when used for deaf children Education. To conduct this research, I relied on Cultural Studies and Deaf Studies, realizing the Deaf Literature as part of Deaf Culture and indispensable for the acquisition of a deaf identity. From the interviews, various opinions which point to a new moment in the lives of deaf and also some major changes when they think of producing new stories in LIBRAS, contributing to improve the Deaf Literature available in our country; Esta pesquisa pretende analisar o que professores surdos sinalizam sobre livros digitais em L??ngua Brasileira de Sinais LIBRAS. Existem v??rios materiais dispon??veis em Libras...

A relevância da cultura surda para o sujeito surdo na construção de sua identidade

Santos, Magna Graça
Fonte: Universidade Católica de Brasília Publicador: Universidade Católica de Brasília
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: Texto
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.13%
A cultura e a identidade de um cidadão são aspectos que o identificam como ser humano, sua língua, seus artefatos culturais, sua literatura e seu registro histórico, fazem com que o sujeito se torne participante da sua história, sujeito ativo da sua comunidade e de uma sociedade. Esses fatores não são diferentes para o cidadão surdo, o mesmo possui uma língua, uma literatura singular, registros históricos que os permitem serem cidadãos ativos e participantes da sua história, obtendo uma cultura e uma identidade particular. Assim, esta monografia objetiva analisar a relevância da cultura surda para o sujeito surdo na construção de sua identidade, bem como destacar a legislação que ampara o sujeito surdo, identificar a importância da cultura surda para o sujeito, assim como examinar a identidade do surdo no seu processo de construção. Para tanto, foi utilizado como instrumento de coleta de dados um questionário aplicado a quatro surdas congênitas e todas residentes das Regiões administrativas do Distrito Federal, com idade entre dezoito e quarenta e cinco anos, com formação acadêmica entre Ensino Fundamental e Ensino Médio. Com a análise dos dados, foi possível identificar que ainda existe falta de atendimento especializado para os surdos...

Literatura Surda: tradição literária surda brasileira; Deaf Literature: Literary Tradition Brazilian Deaf

Mota, Gisele Freitas
Fonte: Universidade Católica de Brasília Publicador: Universidade Católica de Brasília
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: Texto
PT_BR
Relevância na Pesquisa
36.97%
Os surdos transitam, ao longo de sua vida, em um ambiente bicultural, traço que permite ao surdo a possibilidade de conhecer traços da cultura oralista e principalmente conhecer a própria cultura. Diante desse quadro, esta pesquisa apresenta a importância que a literatura surda tem para a formação leitora do surdo como meio de fortalecimento da identidade cultural do surdo visando promover a construção e o desenvolvimento de uma tradição literária surda brasileira. O conhecimento e a valorização da herança cultural surda feita no passado possibilitam reflexões responsáveis, no presente, para que sejam projetados um futuro literário que permita ao surdo valorizar ainda mais a própria condição linguística.; Deaf people pass over your life in a bicultural, deaf to the trait that allows the possibility of knowing the culture traits oralist and especially to know the culture itself. Given this situation, this research shows the importance that the literature is deaf to the formation of the deaf reader as a means of strengthening the cultural identity of the deaf in order to promote the construction and development of a deaf Brazilian literary tradition. Knowledge and appreciation of cultural heritage in the past made deaf reflections enable responsible...

Identidade surda e intervenções em saúde na perspectiva de uma comunidade usuária de língua de sinais

Nóbrega,Juliana Donato; Andrade,Andréa Batista de; Pontes,Ricardo José Soares; Bosi,Maria Lúcia Magalhães; Machado,Márcia Maria Tavares
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2012 PT
Relevância na Pesquisa
56.86%
A visão biomédica concebe a surdez como perda fisiológica da audição e o surdo como portador de anomalia orgânica a ser corrigida; intervenções de saúde revestem-se, correspondentemente, de tal representação. Objetivamos compreender as representações sobre surdez entre surdos, com o propósito de refletir sobre políticas públicas a eles destinadas no contexto da dimensão ética do cuidado. Utilizamos o referencial teórico-metodológico qualitativo (grupo focal); participaram 9 membros de uma comunidade surda (Fortaleza-CE, 2010) fluentes na Língua Brasileira de Sinais-Libras. Observamos que a surdez é compreendida como um modo de ser, cotidianamente construído, essencialmente a partir das experiências-vivências de interação visual com a natureza e a sociedade; assume caráter identitário particular, afirmado em componentes culturais (ser surdo) e linguísticos (Libras). Políticas públicas de oralização ou tecnologias auditivas corretivas (como o implante coclear), valorizados pela sociedade ouvinte, são representadas como retrocesso nas lutas dos surdos, de negação de seu ser no mundo e como perda da identidade surda. É necessário compreender o surdo a partir de construções histórico-sociais, simbólicas e culturais onde diferentes discursos co-existem...

A cultura surda e os intérpretes de língua de sinais (ILS)Deaf culture and the sign language interpreters

Perlin, Gladis
Fonte: ETD - Educação Temática Digital Publicador: ETD - Educação Temática Digital
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; bibliográfica Formato: application/pdf
Publicado em 13/11/2008 POR
Relevância na Pesquisa
36.89%
Enfatizando algumas posições e enunciações sobre a cultura surda o artigo pretende discorrer sobre a identidade e o território do interprete de língua de sinais/português. Aborda certas situações, porém não tanto a globalidade da questão. Salienta que o interprete não se realiza no simples ato da tradução, mas que envolve uma gama dimensional de significantes e significados que denunciam a complexidade de seu papel, as dimensões e a profundidade de sua atuação. Os intérpretes são para a tradução da cultura, da língua, da história, dos movimentos, das políticas da identidade e da subjetividade surda, e apresentam suas próprias particularidades, identidade e orbitalidade. Palavras-chave Cultura; Intérprete de língua de sinais/português; Surdos; Identidade Abstract By emphasizing some positions and enunciations on deaf culture, this paper aims to discuss the identity and the territory of the Sign Language/Portuguese interpreter. Certain situations are approached; however, our focus is not on how global the issue is. We point out the fact that not only does the interpreter work on the translation act itself, but on the myriad signifiers and signifieds that reveal the complexity of his or her role, the dimensions and the depth of his or her actions. The interpreters work on the translation of culture...