Página 1 dos resultados de 1956 itens digitais encontrados em 0.072 segundos

Aspectos da psicossexualidade e da personalidade de pacientes autodenominados transexuais masculinos e femininos avaliados pelo teste projetivo de Szondi; Aspects of psychosexuality and personality of maleto- female and female-to-male transsexuals evaluated by Szondi projetive test

Verduguez, Elisa Del Rosario Ugarte
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 10/08/2009 PT
Relevância na Pesquisa
96.14%
O transexualismo é um transtorno da identidade sexual, associado a uma forte e persistente identificação com o sexo oposto. Há poucos estudos referentes à utilização de testes psicológicos para auxiliar no diagnóstico do transexualismo. O objetivo deste estudo foi avaliar os aspectos da psicossexualidade de pacientes autodenominados transexuais através do teste de Szondi: Estudo retrospectivo e prospectivo no quais os pacientes com transtornos da identidade de gênero foram avaliados através de entrevistas livres; com aplicação dos critérios diagnósticos de transexualismo da DMS-IV da Associação Psiquiátrica Americana, seguido da aplicação dos testes projetivos de Szondi e H-T-P. O teste de Szondi foi aplicado por 8 vezes em cada indivíduo para avaliação quantitativa das proporções psicossexuais Dur e Moll. OS pacientes com diagnóstico de transtorno específico da identidade de gênero (transexualismo) foram acompanhados em psicoterapia de grupo por pelo menos 2 anos. Casuística: 105 indivíduos autodenominados transexuais (78 masculinos); grupo controle: 109 indivíduos (55 homens) autodenominados heterossexuais. Após aplicação dos critérios diagnósticos para transtorno da identidade de gênero do DMS-IV da Associação Psiquiátrica Americana e acompanhamento psicoterápico foram definidos como transexuais 41 indivíduos do sexo masculino e 17 indivíduos do sexo feminino. Na análise estatística as variáveis obtidas nos testes Szondi e H-T-P foram avaliadas por testes não paramétricos. Resultados: No grupo masculino...

Identidade de gênero em crianças com Transtorno do espectro autista (TEA); Gender identity in children with Autism Spectrum Disorder (ASD)

Gaino, Silvana Batista
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 14/05/2014 PT
Relevância na Pesquisa
106.04%
Os Transtornos do Espectro Autista (TEA) são categorizados como um transtorno do neurodesenvolvimento caracterizados por demonstrar anormalidades no desenvolvimento social e na comunicação e padrões restritos de comportamentos e interesses desde idades muito precoces. Considerado um transtorno com causas multifatoriais e um quadro clínico bastante característico, tem despertado o interesse de profissionais de diversas áreas do conhecimento, com o propósito de entender e identificar as prováveis causas que ocasionam as mudanças na estruturação, organização e funcionamento durante todo o processo de desenvolvimento. O autismo seria uma desordem da empatia, aliada a uma capacidade média ou mesmo superior de sistematização, o que traria como consequência um cérebro extremamente masculino. O objetivo deste trabalho foi verificar se as crianças com TEA apresentam um cérebro com características extremamente masculinas, como proposto pela teoria anteriormente citada, avaliando as diferenças existentes na formação da identidade de gênero em crianças com Transtorno do Espectro Autista, em crianças normais e em crianças com Retardo Mental. O estudo empírico foi desenvolvido com delineamento transversal numa amostra de 99 crianças do sexo masculino e idades entre quatro e seis anos e 6 meses...

Gêmeos monozigóticos discordantes para transtorno de identidade de gênero : um estudo da espessura cortical e de morfometria baseada em voxels através de imagens de ressonância magnética estrutural

Picon, Felipe Almeida
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
105.92%
O transtorno de identidade de gênero (TIG) carateriza-se pela persistente convicção de pertencer ao sexo oposto. Apesar das diferentes abordagens metodológicas e de inúmeros estudos, sua etiologia ainda permanece desconhecida. Sabe-se da influência de fatores ambientais, hormonais, genéticos e de alterações neuroanatômicas. A literatura em neuroimagem ainda é extremamente restrita, e estudos com foco em espessura cortical inexistem. Achados neuroanatômicos de morfometria baseada em voxels com maior volume de massa cinzenta já foram relatados em regiões ligadas ao circuito neural da senso-percepção. Hipotetizamos que diferenças de espessura cortical estariam localizadas nas regiões desse circuito. Estudamos um par de gêmeos monozigóticos masculinos discordantes para TIG (masculino-para-feminino) aplicando VBM e SBM (FreeSurfer). Evidenciamos maior volume de substância cinzenta e maior espessura cortical na junção tempo-parietal direita, córtex frontal inferior direito e córtex da insula direito no gêmeo TIG-MTF em relação ao seu irmão. O presente estudo agrega o achado de espessura cortical na caracterização das alterações neuroanatômicas do TIG.; Gender Identity Disorder (GID) is characterized by the persistent conviction of belonging to the opposite sex. Despite all the different technical approaches and the several studies performed...

Representações de identidades de gênero e de sexualidade nos discursos de professores de educação infantil; Representations of gender identities and sexuality in pre-school teachers discourses

Nilsandra Martins de Castro
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 23/07/2010 PT
Relevância na Pesquisa
105.99%
O propósito do estudo descrito nesta dissertação de mestrado foi o de refletir acerca de questões relacionadas a identidades de gênero e à sexualidade no cenário da Educação Infantil, considerando para tanto discursos de profissionais que atuam nesse campo educativo. Mais especificamente buscamos compreender as representações de profissionais masculinos e femininos que atuam em um município de médio porte no interior paulista acerca de suas próprias identidades e das práticas pedagógicas que envolvem questões de gênero e de sexualidade. A pesquisa em questão é de base qualitativa interpretativista e se insere área da Linguística Aplicada. A investigação foi dividida em três etapas. A primeira incluiu a definição do tema da pesquisa, a escolha do arcabouço teórico geral e a revisão de autores relevantes presentes na literatura especializada, com especial ênfase naqueles que problematizavam as questões do multiculturalismo e das representações de identidade de gênero e de sexualidade. Na segunda etapa, definimos o cenário da pesquisa e o processo de geração de registros. Definiu-se que, em termos gerais, os registros primários seriam gerados em entrevistas com profissionais desse campo de atuação realizadas em seus locais de trabalho e que trechos de trabalhos finais de um curso de especialização comporiam dados secundários do corpus analisado. Na terceira etapa...

Desenvolvimento da identidade de gênero em casos de intersexualidade : contribuições da Psicologia

Santos, Moara de Medeiros Rocha
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Tese
POR
Relevância na Pesquisa
106.1%
Tese (doutorado)—Universidade de Brasilia, Instituto de Psicologia, 2006.; O estudo da intersexualidade, nos últimos anos, vem despertando interesse de profissionais em diferentes áreas de conhecimento. Imbuídos do propósito de compreender a temática para direcionar propostas de manejo clínico mais adequadas, profissionais envolvidos tanto na assistência, quanto na pesquisa e ensino têm ressaltado a importância de focalizar o desenvolvimento da identidade de gênero e o desempenho do papel de gênero nos casos de intersexualidade. Contudo, tais iniciativas ainda geram diferentes posicionamentos teóricos, metodológicos e práticos, os quais contribuem para o avanço na compreensão do fenômeno, ao destacarem a premência de discuti-lo sob enfoque interdisciplinar. Nesse sentido, a Psicologia tem sido chamada a colaborar por meio do conhecimento de suas distintas subáreas. Inicialmente, a análise a partir da Psicologia do Desenvolvimento, da Psicologia do Gênero e da Psicologia da Saúde indica que a complexidade em torno da intersexualidade deve ser analisada ao longo do ciclo vital, de acordo com o contexto sócio-histórico-cultural apresentado, atentando para a participação ativa do sujeito intersexual no processo decisório quanto ao seu tratamento e a qualidade de vida diante de suas escolhas. O presente trabalho teve como objetivo compreender a evolução da identidade de gênero de jovens sujeitos...

A construção da identidade de gênero na educação inclusiva : letramento e discurso

Sato, Denise Tamaê Borges
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Tese
POR
Relevância na Pesquisa
106.04%
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Instituto de Letras, Departamento de Linguística, Português e Línguas Clássicas, Programa de Pós-Graduação em Linguística, 2013.; A inclusão da pessoa com deficiência no contexto da educação gerou transformações na escola e nas pessoas que transitam por esse ambiente: pais/mães, alunos/as e professores/as. Altamente centrada na atuação docente, a inclusão tem sido sentida diferentemente por professores/ as, que ora a temem, ora se encantam. Ante as mudanças recentes, a identidade de professores e professoras no contexto da inclusão, inclusive a identidade de gênero, tem sido pouco investigada. Nesta tese buscaremos por meio da pesquisa etnográfica analisar as representações de gênero em quatro escolas públicas estaduais: duas em Goiás e duas em Brasília. O corpus foi constituído de transcrições de entrevistas desenvolvidas com professores/as que trabalham em sala comum, mas que possuem alunos/as com Síndrome de Down incluídos/as, de professores/as das salas de recurso e de duas famílias. Alicerçada teoricamente na Análise de Discurso Crítica (CHOULIARAKI e FAIRCLOUGH, 1999; FAIRCLOUGH, 2003; 2012) nos Novos Estudos do Letramento (BARTON, 1994; BARTON E HAMILTON...

As representações das crianças sobre as questões de género

Gandum, Daniela Filipa Bailão
Fonte: Instituto Politécnico de Lisboa Publicador: Instituto Politécnico de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /07/2014 POR
Relevância na Pesquisa
105.99%
Relatório da Prática Profissional Supervisionada Mestrado em Educação Pré-Escolar; Este relatório foi elaborado tendo em conta a Prática Profissional Supervisionada que desenvolvi, entre os meses de janeiro e maio, nas respostas sociais de creche e de jardim-de-infância. O principal objetivo deste documento consiste em apresentar e analisar reflexivamente a minha prática, por meio da relação entre as minhas vivências nos dois contextos, os conhecimentos que adquiri ao longo do meu percurso académico e um referencial teórico que sustenta as diferentes questões abordadas. A Prática Profissional foi desenvolvida em duas Instituições Particulares de Segurança Social, localizadas na Área Metropolitana de Lisboa. Em creche, decorreu durante o mês de janeiro, com um grupo de dezassete crianças, com idades compreendidas entre os vinte cinco e os trinta e seis meses. Já no jardim-de-infância, estagiei com um grupo constituído por vinte e uma crianças, entre os três e os cinco anos, de fevereiro até maio. Neste relatório são caracterizados os dois contextos de estágio e as intenções que pautaram toda a minha ação pedagógica, definidas a partir das especificidades dos grupos de crianças com quem estagiei...

O jogo simbólico e a construção da identidade de género

Alvanel, Ana Margarida Penha
Fonte: Repositório Comum de Portugal Publicador: Repositório Comum de Portugal
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /01/2015 POR
Relevância na Pesquisa
116%
Ao longo deste Relatório refletimos, no quadro da Educação Pré-escolar, a importância do jogo simbólico no desenvolvimento e na aprendizagem da criança e enquanto meio facilitador da educação para a igualdade de género. No enquadramento teórico discutimos o desenvolvimento da criança através de atividades lúdicas e destacamos o jogo simbólico no jardim de infância e a sua importância na educação da criança em prole da igualdade de oportunidades, sobretudo ao nível da igualdade de género. A metodologia utilizada neste estudo foi a Investigação-ação, entendendo-a como oportunidade para estudar o processo pedagógico no jardim de infância e como oportunidade de formação. Durante o estudo promoveram-se atividades enquadradas na temática da Identidade de Género e pudemos concluir que as crianças incluem nas suas brincadeiras diárias “falas” ou “atitudes” que demonstram a diferença de género, às quais é preciso que a Educadora esteja atenta e intervenha para ajudar a criança a desmontar estereótipos de género. Dos dados que recolhemos junto das crianças, concluímos que o seu quotidiano é marcado por estereótipos sociais, sendo de extrema importância ajudá-las a construir ideias e atitudes consentâneas com a igualdade de oportunidades em geral...

Identidade de gênero/sexo de atletas e sedentários

Cardoso,Fernando Luiz; Sacomori,Cinara
Fonte: Colégio Brasileiro de Ciências do Esporte Publicador: Colégio Brasileiro de Ciências do Esporte
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2012 PT
Relevância na Pesquisa
106%
Existem diferenças no processo de estruturação da identidade de gênero/sexo de atletas e não-atletas? Este estudo teve como objetivo comparar a identidade de gênero/sexo autopercebida e autoquantificada de atletas de diferentes modalidades (180 homens e 180 mulheres) em relação a sedentários (22 homens e 22 mulheres), no tocante a personalidade e preferências lúdicas da infância. Os homens se perceberam mais masculinos e as mulheres mais femininas. Encontraram-se mais mulheres não heterossexuais do que homens, entre as atletas. Os homens assumiram-se mais propensos a gostar de quebrar as regras e sonhavam em ser campeão esportivo quando crianças. As atletas mulheres que brincaram mais com meninos na infância se avaliaram como mais masculinas, ousando em transgredir as fronteiras dos papéis de gênero, o que pode ter facilitado o interesse delas pelo treinamento esportivo.

Anomalias da diferenciação sexual: representações parentais sobre a constituição da identidade de gênero

Hemesath,Tatiana Prade
Fonte: Curso de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Curso de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2013 PT
Relevância na Pesquisa
105.98%
O estudo investigou as representações de mães e pais sobre a constituição de identidade de gênero em crianças nascidas com diagnóstico de Anomalias da Diferenciação Sexual (ADS). As ADS são distúrbios da diferenciação sexual que resultam em ambiguidade genital na criança. O estudo tem um delineamento qualitativo, com três mães e três pais de crianças nascidas com ADS, de diferentes idades. Utilizou-se a entrevista narrativa e a análise de conteúdo para coleta e análise dos dados. Os resultados mostraram que mães e pais entendem que a identidade de gênero se constitui através da anatomia da genitália, do sexo de criação com o qual a criança é educada e do reconhecimento social que a criança recebe no ambiente em que vive.

O reencontro com a identidade de gênero: contribuições da visão sistêmica novo-paradigmática e do psicodrama infantil

Costa,Maria Ivone Marchi; Vanin,Maria Regina Corrêa Lopes
Fonte: Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Pontifícia Universidade Católica de Campinas Publicador: Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Pontifícia Universidade Católica de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2005 PT
Relevância na Pesquisa
105.98%
Este estudo objetiva relatar os pontos principais do processo psicoterapêutico de um menino de dois anos e oito meses que apresentava transtorno de identidade de gênero, ou seja, sentia-se pertencente ao gênero feminino e desempenhava papéis a ele inerentes. O processo de base sistêmica novo-paradigmática e psicodramático foi permeado pelas modalidades individual, grupal e familiar, e se apoiou em técnicas psicodramáticas, recursos lúdicos e desenhos. A terapia desenvolveu-se por 24 meses e três encontros de follow up, e apresentou os seguintes resultados: ressignificação por parte da família quanto à relação e vínculo com a criança, o que possibilitou novas organizações interacionais e a construção de novos significados em torno da dinâmica familiar, permitindo que o menino também ressignificasse a sua importância e o seu lugar nessa família. Assim, diferenciou-se emocionalmente de sua irmã, aceitou sua identidade masculina, com conseqüente desempenho de papéis sociais a ela vinculados, manifestando mais segurança e autoria de vida.

A influência da socialização primária na construção da identidade de gênero: percepções dos pais

Costa,Fernanda Ortiz; Antoniazzi,Adriane Scomazzon
Fonte: Universidade de São Paulo, Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Ribeirão Preto Publicador: Universidade de São Paulo, Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Ribeirão Preto
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/1999 PT
Relevância na Pesquisa
106.05%
A teoria da aprendizagem social sugere que a aquisição da identidade de gênero é o resultado de um processo evolutivo. Os pais são apontados como os maiores responsáveis pela aquisição da identidade e dos estereótipos de papel de gênero de seus filhos. O objetivo deste estudo foi verificar a influência da socialização primária na construção da identidade de gênero das crianças, através das percepções dos pais. Foram entrevistados 11 pais, 9 mulheres e 2 homens, com idade entre 23 e 40 anos. Os resultados demonstram que a influência dos pais é sutil e que suas crenças sobre papel de gênero determinam diferentes expectativas com relação aos seus filhos e filhas, bem como influenciam o comportamento expresso pelas crianças.

Família, trabalho, identidades de gênero

Silva,Thálita Cavalcanti Menezes da; Amazonas,Maria Cristina Lopes de Almeida; Vieira,Luciana Leila Fontes
Fonte: Departamento de Psicologia - Universidade Estadual de Maringá Publicador: Departamento de Psicologia - Universidade Estadual de Maringá
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2010 PT
Relevância na Pesquisa
105.94%
Este artigo trata de uma pesquisa realizada com quinze mulheres entre 20 e 35 anos com o objetivo de apreender a representação de identidade feminina, o lugar atribuído à mulher na família e no trabalho, as relações de gênero e as relações de poder. Utilizamos uma entrevista semiestruturada com roteiro, que foi gravada, transcrita literalmente e analisada pelo método da Análise de Conteúdo. Os resultados mostram identidades femininas múltiplas, mulheres ocupando novas posições de sujeito, o trabalho feminino assalariado possibilitando o atravessamento das fronteiras entre os espaços público e privado e novas modalidades de relacionamento entre os gêneros. Por fim, evidencia-se que a noção de identidade de gênero é contingencial e histórica, sendo cultural e socialmente engendrada e passível de ser questionada.

A crise da masculinidade: uma crítica à identidade de gênero e à literatura masculinista

Silva,Sergio Gomes da
Fonte: Conselho Federal de Psicologia Publicador: Conselho Federal de Psicologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2006 PT
Relevância na Pesquisa
105.91%
Nos últimos anos, tem se discutido acerca da atual crise da masculinidade. O “novo homem” estaria em crise porque não encontraria modelos identitários hegemônicos para descrever sua nova condição masculina. Os reflexos dessa crise se devem à maior participação das mulheres no campo do trabalho, do avanço da tecnologia no campo da sexualidade, na pluralidade de papéis e identidades sexuais, na redefinição do papel de pai, na maior preocupação com o corpo e com a estética e a tentativa de manter e sustentar um modelo hegemônico único no papel masculino. A partir disto, o presente trabalho objetiva analisar a atual crise da masculinidade, a partir de uma crítica do conceito de identidade de gênero e da literatura masculinista enquanto representantes dos men´s studies. Propõe-se, como saída mais ética, a definição do sujeito de acordo com o neopragmatismo lingüístico.

Atividade sobre identidade de gênero e orientação sexual

Universidade Aberta do Sistema Único de Saúde - UNA-SUS; Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Publicado em // PT_BR
Relevância na Pesquisa
105.93%
A Atividade sobre Identidade de Gênero e Orientação Sexual tem como objetivo provocar uma reflexão do aluno quanto aos conceitos que ele traz consigo relacionados a gênero e diversidade sexual, bem como suas implicações e pertinência no atendimento e acolhimento de pacientes LGBT.

Identidade de gênero e sexualidade : uma análise das revistas Nova e Playboy

Montezelo, Giovana Gabriela
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
106.01%
A sexualidade é um assunto que vem se tornando cada vez mais importante para a construção da identidade de gênero dos indivíduos. O esforço deste trabalho é identificar de que maneira a mídia, em especial a revista Nova e a revista Playboy, transmite conteúdos a respeito da sexualidade para homens e mulheres; o trabalho parte da análise de algumas das matérias, de dossiês e de entrevistas presentes nas revistas selecionadas. A ideia de “novo” é parte das diversas revistas em circulação no mercado brasileiro. Porém, essa ideia de “novo” oferece uma falsa impressão de liberdade quando se trata apenas da continuidade da veiculação de estereótipos. A teoria desenvolvida em torno da categoria gênero contribui para a compreensão da construção das identidades e também em que medida a feminilidade e a masculinidade vem sendo veiculadas pelos mais diversos discursos. Judith Butler (2012) é a autora mais importante na medida em que mostra que existe uma matriz de inteligibilidade na qual os gêneros são construídos. Essa matriz diz respeito a uma coerência e uma continuidade entre sexo/gênero/desejo/práticas sexuais; a matriz dominante na sociedade é a da heterossexualidade compulsória. Os meios de comunicação oferecem modelos de comportamento que estão de acordo com essa matriz dominante. Por isso...

Identidade de gênero no espaço escolar : o empoderamento feminino através do discurso

Gonzalez, Carolina Gonçalves
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
106.06%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Letras, Departamento de Linguística, Português e Línguas Clássicas, Programa de Pós-graduação em Linguística, 2013.; Nesta dissertação, cuja pesquisa utilizou metodologia qualitativa e etnográfica, trato das representações discursivas de professores e professoras no contexto escolar, no que diz respeito à representação das identidades de gênero, em especial o gênero feminino. Parto da consideração de que este gênero sofre dominação do seu oposto, o masculino, constituindo-se ambos gêneros heteronormativos dominantes no discurso da escola. Os dados gerados e coletados são constituídos de um corpus composto de 4 entrevistas semi-estruturadas, análises de aulas e imagens, fotografias e murais da escola que serviu de contexto para a produção e desenvolvimento da pesquisa. Para proceder à análise dos dados gerados e coletados, parto da matriz teórica e metodológica proposta pela Análise de Discurso Crítica (Chouliaraki & Fairclough, 1999; Fairclough, 1989, 2011, 2003). De acordo com a proposta de Fairclough (2003) há uma atuação simultânea e dialética entre as três dimensões dos textos, sendo que eu analiso o corpus em seus significados acional...

Atividade sobre identidade de gênero e orientação sexual

Universidade Aberta do Sistema Único de Saúde - UNA-SUS; Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Formato: Página em HTML contendo atividade do curso Política Nacional de Saúde Integral LGBT.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
105.94%
A Atividade sobre Identidade de Gênero e Orientação Sexual tem como objetivo provocar uma reflexão do aluno quanto aos conceitos que ele traz consigo relacionados a gênero e diversidade sexual, bem como suas implicações e pertinência no atendimento e acolhimento de pacientes LGBT.; 1.0; Ministério da Saúde do Brasil

Parental socialization and gender identity: parents' perception; A influência da socialização primária na construção da identidade de gênero: percepções dos pais

Costa, Fernanda Ortiz; Antoniazzi, Adriane Scomazzon
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 01/06/1999 POR
Relevância na Pesquisa
106.05%
Social learning theory suggests that gender identity and sex role stereotypes are outcomes of the developmental process. The influence of the parental socialization about the acquisition of gender identity is considered extremely important. The purposes of the present study were to investigate how parents perceive their influence on this developmental process. Nine mothers and two fathers were interviewed. The results indicate that parental beliefs about sex roles determine different behavioral expectations for sons and daughters and give different patterns of responses to them.; A teoria da aprendizagem social sugere que a aquisição da identidade de gênero é o resultado de um processo evolutivo. Os pais são apontados como os maiores responsáveis pela aquisição da identidade e dos estereótipos de papel de gênero de seus filhos. O objetivo deste estudo foi verificar a influência da socialização primária na construção da identidade de gênero das crianças, através das percepções dos pais. Foram entrevistados 11 pais, 9 mulheres e 2 homens, com idade entre 23 e 40 anos. Os resultados demonstram que a influência dos pais é sutil e que suas crenças sobre papel de gênero determinam diferentes expectativas com relação aos seus filhos e filhas...

A influência da socialização primária na construção da identidade de gênero: percepções dos pais; Parental socialization and gender identity: parents' perception

Costa, Fernanda Ortiz; Antoniazzi, Adriane Scomazzon
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 01/06/1999 POR
Relevância na Pesquisa
106.05%
A teoria da aprendizagem social sugere que a aquisição da identidade de gênero é o resultado de um processo evolutivo. Os pais são apontados como os maiores responsáveis pela aquisição da identidade e dos estereótipos de papel de gênero de seus filhos. O objetivo deste estudo foi verificar a influência da socialização primária na construção da identidade de gênero das crianças, através das percepções dos pais. Foram entrevistados 11 pais, 9 mulheres e 2 homens, com idade entre 23 e 40 anos. Os resultados demonstram que a influência dos pais é sutil e que suas crenças sobre papel de gênero determinam diferentes expectativas com relação aos seus filhos e filhas, bem como influenciam o comportamento expresso pelas crianças.; Social learning theory suggests that gender identity and sex role stereotypes are outcomes of the developmental process. The influence of the parental socialization about the acquisition of gender identity is considered extremely important. The purposes of the present study were to investigate how parents perceive their influence on this developmental process. Nine mothers and two fathers were interviewed. The results indicate that parental beliefs about sex roles determine different behavioral expectations for sons and daughters and give different patterns of responses to them.