Página 1 dos resultados de 209 itens digitais encontrados em 0.001 segundos

Mulheres que vivem com HIV : violência de gênero e ideação suicida

Ceccon, Roger Flores
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
67.81%
A violência de gênero e a ideação suicida são eventos sociais de elevada incidência e constituem importantes problemas de saúde pública. Este estudo tem como objetivo estudar a violência de gênero e a ideação suicida em mulheres que vivem com hiv usuárias de um Serviço de Atenção Especializada em DST/aids de um município de médio porte do Rio Grande do Sul. Este é um estudo transversal cuja amostra foi constituída por 161 mulheres que vivem com hiv. Elas responderam um questionário aplicado por meio de entrevistas realizadas pelo pesquisador. A violência de gênero foi investigada por meio da versão brasileira reduzida do instrumento World Health Organization Violence Against Women e, para a ideação suicida, foi utilizado o Questionário de Ideação Suicida. A análise estatística foi realizada com o software Statistical Package Social Sciences. Verificou-se a presença de associações entre variáveis utilizando o teste Qui-Quadrado, Correlação de Pearson e Regressão de Poisson. A prevalência da violência de gênero foi de 72,7% e da ideação suicida de 50,9%. Neste estudo, as variáveis que estiveram associadas à violência e à ideação suicida foram praticamente as mesmas. Houve relação com a idade precoce da primeira relação sexual...

Ideação suicida e fatores associados: estudo realizado numa amostra da população universitária da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro

Pereira, Adelino António Gonçalves
Fonte: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Publicador: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
67.82%
Dissertação de Mestrado Mestrado em Psicologia – Especialização em Psicologia Clínica; De acordo com a Organização Mundial de Saúde, o suicídio é uma das três principais causas de morte em adolescentes e jovens adultos. As populações universitárias, enquanto lidam com as mudanças desenvolvimentais e com as exigências académicas, estão, muitas vezes, particularmente expostas a fatores de risco para o comportamento suicidário. Este estudo pretende analisar um conjunto de indicadores de processos psicopatológicos nos estudantes da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, dando particular ênfase à ideação suicida. Para tal, reunimos uma amostra estratificada de quatro das cinco escolas desta universidade, composta por 366 alunos. Os dados foram recolhidos, durante o ano letivo 2010/2011, através de medidas de ideação suicida, de sintomatologia depressiva, de solidão, de ansiedade social e de vinculação. Os resultados obtidos indicam-nos que 12.6% da amostra já apresentou ideação suicida em algum momento na sua vida e 5.5% já pensou seriamente em suicidar-se. Para além disso, tal como se verifica noutras amostras universitárias, 10.7% dos alunos apresentaram ideação suicida ao longo do último ano e na semana anterior ao preenchimento do questionário. Cerca de metade dos sujeitos com ideação suicida estudam na Escola de Ciências Humanas e Sociais e os restantes distribuem-se de forma semelhante pelas outras três escolas. Tanto na totalidade da amostra como entre indivíduos do mesmo sexo...

Adolescência: Ideação suicida, depressão, desesperança e memórias autobiográficas

Costa, Inês Alexandra Nabiça Cardoso da
Fonte: ISPA - Instituto Universitário das Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida Publicador: ISPA - Instituto Universitário das Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 SPA
Relevância na Pesquisa
67.62%
Dissertação de Mestrado em Psicologia Clínica; O nosso estudo procurou perceber se a depressão, a desesperança e a ideação suicida estavam correlacionadas e se o tipo de recordação de memórias autobiográficas para as palavras família, amigos e escola, ao nível da especificidade, valência e categorias, influencia as primeiras três variáveis. Para tal, foi aplicada uma tarefa de memórias autobiográficas onde era pedido para recordar três memórias referentes às palavras família, escola e amigos, a Escala de auto-avaliação da Depressão (DSRS), a Escala da Desesperança de Beck (BHS) e o questionário da ideação suicida (QIS). Os resultados sugeriram que a ideação suicida, a depressão e a desesperança estão positiva e fortemente correlacionadas. Sugeriram ainda que a recordação das memórias autobiográficas referentes às palavras família e amigos não influenciaram a ideação suicida, a depressão nem a desesperança. Para a recordação das memórias autobiográficas referentes à palavra escola, foi possível verificar que a variável categoria tem apenas um efeito principal na depressão. Embora os resultados referentes à especificidade e valência das memórias autobiográficas para as palavras família...

O impacto do desemprego no funcionamento familiar e na ideação suicida

Pena, João Miguel Maurício
Fonte: ISPA - Instituto Universitário Publicador: ISPA - Instituto Universitário
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
67.67%
Dissertação de Mestrado em Psicologia Clínica apresentada ao ISPA - Instituto Universitário; Perante o actual panorama económico nacional e internacional, torna-se pertinente estudarmos o impacto que o desemprego e a crise económica mundial tem no funcionamento familiar e ideação suicida, colmatando assim a falha existente na literatura no que toca a esta temática. Deste modo, com este trabalho, tentou-se perceber se os níveis de ideação suicida variam em função da situação profissional da família (com/sem emprego) e os membros da família (mãe vs pai vs filho adolescente) e também se a situação profissional da família está relacionada com a ideação suicida, em que esta relação é mediada pelo funcionamento familiar (funcional vs disfuncional). A amostra deste estudo é constituída por 28 agregados familiares, cada um composto por três elementos: pai, mãe e filho adolescente. Perfaz assim um total de 84 participantes – 56 pais e 28 filhos – sendo que destes 28 agregados familiares, 14 encontram-se numa situação de desemprego. Aos participantes do estudo foi pedido que respondessem à Escala de Avaliação de Flexibilidade e Coesão Familiar – FACES IV (Olson, 2011) e ao Questionário de Ideação Suicida – QIS (Ferreira & Castela...

Funcionamento familiar e a separação psicológica dos pais associados à ideação suicida

Abreu, Sónia Alexandra Rodrigues
Fonte: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida Publicador: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2008 POR
Relevância na Pesquisa
67.65%
Dissertação de mestrado apresentada ao ISPA Instituto Universitário; Este trabalho teve como objectivo averiguar se o funcionamento familiar e o grau de autonomia estavam associados à ideação suicida. Através do estudo transversal e da metodologia comparativa tentou-se averiguar como estes três fenómenos interagem e em que medida se encontram interligados, mais especificamente, qual o impacto que o funcionamento familiar e a separação psicológica dos pais têm nos adolescentes e qual a sua influência relativamente aos níveis de ideação suicida. Esta investigação contou com a participação de 289 adolescentes que frequentavam o ensino básico e secundário, com idades compreendidas entre os 14 e os 19 anos, aos quais se aplicaram os seguintes instrumentos: o Questionário de Ideação Suicida (Q.I.S.) (Ferreira, & Castela, 1993/94), uma versão portuguesa da Escala de Avaliação da Adaptabilidade e da Coesão Familiar (Olson, Portner, & Lavee, 1985) e uma versão portuguesa do Inventário de Separação Psicológica (Almeida, Dias, & Fontaine, 1996). Os resultados mostram que as famílias Desagregadas e as famílias Rígidas, ao não atingirem o equilíbrio adequado nesta etapa de desenvolvimento, criam grandes dificuldades aos seus adolescentes na resolução de separação psicológica...

O funcionamento familiar, a ideação suicida e o suporte social no desemprego: que relação?

Gonçalves, Patrícia Alexandra Cardoso
Fonte: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida Publicador: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2014 POR
Relevância na Pesquisa
67.67%
Dissertação de mestrado apresentada ao ISPA - Instituto Universitário; Face às últimas taxas de desemprego e às falhas a nível relacional na literatura relativamente a esta temática em Portugal, torna-se importante estudar a relação do desemprego com o funcionamento familiar, com a ideação suicida e com o suporte social. Logo, este estudo tentou analisar se o funcionamento familiar e os níveis de ideação suicida variam em função da situação profissional da família (com emprego vs sem emprego) e dos elementos familiares (pai vs mãe vs filho adolescente), e também se esses mesmos níveis variam em função do suporte social (baixo vs alto). Para isso, o estudo contou com uma amostra constituída por 34 famílias (102 participantes- 68 pais e 34 filhos adolescentes), sendo que destas 18 encontravam-se no desemprego. Os participantes responderam a um Questionário Sociodemográfico, à Escala da Flexibilidade e Coesão Familiar (FACES IV- Olson, 2011), à Escala de Satisfação com o Suporte Social (ESSS- Ribeiro, 1999) e ao Questionário de Ideação Suicida (QIS- Ferreira & Castela, 1999). Os resultados, ao contrário do esperado, indicam-nos que não existem diferenças ao nível do funcionamento familiar entre as famílias com e sem emprego e nos elementos familiares...

Cultura suicida no Alentejo: os factores promotores de ideação suicida e desesperança

Cândido, Sónia Nunes de Jesus Monteiro
Fonte: Universidade do Algarve Publicador: Universidade do Algarve
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2010 POR
Relevância na Pesquisa
67.7%
Dissertação de mest., Psicologia (Psicologia da Saúde), Faculdade de Ciências Humanas e Sociais, Univ. do Algarve, 2010; Desde a obra de Durkheim, em 1897, que muitos têm sido os autores que se debruçaram sobre o suicídio. Actualmente, e após dois séculos de investigação, o suicídio é encarado, fundamentalmente, como um sério problema de saúde pública, afectando perto de um milhão de pessoas, anualmente, no mundo inteiro (WHO, 2005). De acordo com os dados da Sociedade Portuguesa de Suicidologia (SPS, 2006), estima-se que morrem, em Portugal, por suicídio cerca de 18 pessoas por cada 100.000 habitantes, sendo que no Baixo Alentejo, a taxa média de suicídio, na última década, é de 30,2 (CHBA, 2006). Esta investigação pretende avaliar as relações existentes entre os factores culturais da conduta suicida, característicos da população do Alentejo, e os níveis de ideação suicida e desesperança da mesma. A amostra da investigação é composta por 291 sujeitos, não clínicos, com idades compreendidas entre os 13 e os 91 anos, residentes no Baixo Alentejo. Foram aplicados o Questionário de Ideação Suicida de Reynolds, a Escala de Desesperança de Beck, Escala de Satisfação com o Suporte Social de Pais Ribeiro...

Avaliação do teste Stroop Emocional para o Screening de risco suicida TSESRS como medida de ideação suicida

Marques, Andreia Filipa da Silva
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
67.82%
Atualmente, as teorias cognitivas conferem um papel importante ao processo atencional quando tentam explicar o surgimento de problemas psicopatológicos, evidenciando a forte influência que os processos emocionais exercem sobre os processos cognitivos em determinadas tarefas, nas quais o processamento da informação se caraterizaria por ser dissociador. O suicídio é problemática atual, sendo um dos fenómenos psicológicos mais potencialmente fatais. São escassos os estudos que avaliem a ideação suicida e consequentemente o risco de suicídio, através de um instrumento de Stroop Emocional. Este estudo pretende desenvolver procedimentos metodológicos, no sentido de contribuir para a avaliação do Teste Stroop Emocional para a deteção do risco de suicídio (TSESRS) (Damasceno & Esgalhado, 2011), como medida de ideação suicida. Utilizam-se o TSESRS, o Questionário de Ideação Suicida (QIS) (Ferreira & Castela, 1999) e o Inventário de Depressão de Beck. A amostra é constituída por 100 sujeitos, 50 sujeitos normativos e 50 sujeitos clínicos, aos quais correspondem o grupo com baixa e elevada ideação suicida, com uma média etária de 32 anos. Verificam-se diferenças estatisticamente significativas nas palavras neutras entre sujeitos com baixa ideação suicida (M=60.84) e os sujeitos com elevada ideação suicida (M=51.56); o mesmo acontece com as palavras positivas...

Perturbação mental e ideação suicida entre reclusos preventivos

Moreira, Nuno Costa; Grupo de trabalho da Direcção Geral dos Serviços Prisionais responsável pelo Plano Integrado da Prevenção do Suicídio nas prisões; Gonçalves, Rui Abrunhosa; Escola de Psicologia, Universidade do Minho, Braga
Fonte: ISPA - Instituto Universitário Publicador: ISPA - Instituto Universitário
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em 23/11/2012 POR
Relevância na Pesquisa
67.77%
A presente investigação tem dois objectivos: (1) Analisar a incidência de ideação suicida e de perturbação emocional numa amostra de 66 presos preventivos de um estabelecimento prisional central em dois momentos, durante a primeira semana de reclusão e após seis meses de cumprimento da pena, e nesse mesmo período de tempo; (2) explorar o grau de perturbação emocional e sintomatologia psicopatológica em dois grupos de reclusos, reclusos com ideação suicida (Grupo CIS) e reclusos sem ideação suicida (Grupo SIS). A ideação suicida foi avaliada através do Questionário de Ideação Suicida enquanto o Inventário de Sintomas Psicopatológicos permitiu avaliar a perturbação emocional e sintomatologia psicopatológica associada. Os resultados deste estudo permitem verificar que a incidência de ideação suicida se mantém estável ao longo dos primeiros seis meses de reclusão, enquanto a incidência de perturbação emocional diminui significativamente nesse mesmo período de tempo. A divisão da amostra em dois grupos, permitiu verificar que o Grupo CIS apresenta níveis de perturbação emocional significativamente superiores ao observado no Grupo SIS, particularmente sintomatologia psicopatológica depressiva...

Perturbação mental e ideação suicida entre reclusos preventivos

Moreira, Nuno Alexandre Costa; Grupo de trabalho da Direcção Geral dos Serviços Prisionais responsável pelo Plano Integrado da Prevenção do Suicídio nas prisões; Gonçalves, Rui Abrunhosa; Escola de Psicologia, Universidade do Minho, Braga
Fonte: ISPA - Instituto Universitário Publicador: ISPA - Instituto Universitário
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em 23/11/2012 POR
Relevância na Pesquisa
67.77%
A presente investigação tem dois objectivos: (1) Analisar a incidência de ideação suicida e de perturbação emocional numa amostra de 66 presos preventivos de um estabelecimento prisional central em dois momentos, durante a primeira semana de reclusão e após seis meses de cumprimento da pena, e nesse mesmo período de tempo; (2) explorar o grau de perturbação emocional e sintomatologia psicopatológica em dois grupos de reclusos, reclusos com ideação suicida (Grupo CIS) e reclusos sem ideação suicida (Grupo SIS). A ideação suicida foi avaliada através do Questionário de Ideação Suicida enquanto o Inventário de Sintomas Psicopatológicos permitiu avaliar a perturbação emocional e sintomatologia psicopatológica associada. Os resultados deste estudo permitem verificar que a incidência de ideação suicida se mantém estável ao longo dos primeiros seis meses de reclusão, enquanto a incidência de perturbação emocional diminui significativamente nesse mesmo período de tempo. A divisão da amostra em dois grupos, permitiu verificar que o Grupo CIS apresenta níveis de perturbação emocional significativamente superiores ao observado no Grupo SIS, particularmente sintomatologia psicopatológica depressiva...

Estudo de ideação suicida em adolescentes de 15 a 19 anos

Borges,Vivian Roxo; Werlang,Blanca Susana Guevara
Fonte: Programa de Pós-graduação em Psicologia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte Publicador: Programa de Pós-graduação em Psicologia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2006 PT
Relevância na Pesquisa
67.77%
Este estudo objetivou identificar a presença de ideação suicida em adolescentes da população geral, da cidade de Porto Alegre, com idades entre 15 e 19 anos; caracterizar os adolescentes com e sem ideação suicida quanto à intensidade de depressão/desesperança; identificar, nos adolescentes com ideação suicida, o nível de associação entre ideação suicida e depressão/desesperança e identificar, nos adolescentes com ideação suicida, quais variáveis foram encontradas como mais associadas à ideação suicida. Utilizou-se uma ficha de dados sócio-demográficos, Escala de Ideação Suicida de Beck, Inventário de Depressão de Beck e Escala de Desesperança de Beck. Os dados foram analisados através do cálculo de freqüências, pelo teste qui-quadrado e regressão logística. Dos 526 adolescentes da amostra, 36% apresentaram ideação suicida. Destes, 36% apresentaram sintomas de depressão e 28,6% de desesperança (moderada e/ou grave). As variáveis mais associadas à ideação suicida foram: sexo feminino, tentativa de suicídio de amigo, depressão e desesperança.

Ideação suicida na adolescência: um enfoque psicossociológico no contexto do ensino médio

Araújo,Luciene da Costa; Vieira,Kay Francis Leal; Coutinho,Maria da Penha de Lima
Fonte: Universidade de São Francisco, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Psicologia Publicador: Universidade de São Francisco, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Psicologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2010 PT
Relevância na Pesquisa
67.69%
Objetivou-se apreender as representações sociais da ideação suicida elaboradas por adolescentes do ensino médio, bem como investigar a presença deste fenômeno nesta população, considerando-se que a ideação suicida tem um importante valor preditivo para o ato suicida. Participaram 90 estudantes do ensino médio, os quais responderam ao Teste de Associação de Palavras, ao Inventário de Ideação Suicida de Beck e a um questionário sociodemográfico. Observou-se um índice de 22,2% de adolescentes com ideação suicida, havendo significativas diferenciações entre as representações elaboradas pelos grupos com e sem ideação suicida. Os adolescentes que apresentaram ideação se autorrepresentaram como pessoas sozinhas, associando a ideação a sentimentos de desesperança e solidão, ao mesmo tempo em que expressaram um pedido de ajuda diante de seu sofrimento. Os achados enfatizam a importância dos fatores sinalizadores, que podem permitir uma melhor compreensão sobre a problemática do suicídio.

Adaptação à prisão, psicopatologia e ideação suicida em mulheres reclusas; Adaptation to prison, psychopathology and suicidal ideation in women inmates

Nunes, Ana Rita Dias
Fonte: Universidade do Minho Publicador: Universidade do Minho
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Publicado em //2015 POR
Relevância na Pesquisa
67.67%
Dissertação de mestrado integrado em Psicologia; A relação entre o tempo de reclusão, a psicopatologia e a ideação suicida em mulheres reclusas não tem sido considerada. Este estudo teve como objetivos (1) analisar o efeito do tempo de pena cumprida na psicopatologia em mulheres reclusas e (2) analisar o efeito da psicopatologia na ideação suicida em mulheres reclusas. A amostra foi composta por 84 mulheres reclusas recrutadas num estabelecimento prisional em Portugal. Adotando uma metodologia transversal, as participantes completaram medidas de psicopatologia e ideação suicida. Os resultados revelaram (1) efeitos significativos do tempo de pena cumprida na psicopatologia em mulheres reclusas e (2) efeitos significativos da psicopatologia na ideação suicida em mulheres reclusas. As mulheres reclusas com pena cumprida por tempo inferior a 2.58 anos revelaram maiores níveis obsessões e compulsões, depressão, hostilidade e ansiedade fóbica. As mulheres reclusas com elevada somatização, obsessões e compulsões, sensibilidade interpessoal, depressão, ansiedade, hostilidade, ansiedade fóbica e total de psicopatologia revelaram níveis mais elevados de ideação suicida. Este estudo poderá ter sido um contributo para a literatura sobre a adaptação das mulheres ao meio prisional...

Ideação Suicida   em Estudantes do Ensino Superior Politécnico: Influência de Algumas Variáveis Sociodemográficas, Académicas e Comportamentais

Gonçalves, Amadeu; Sequeira, Carlos; Duarte, João; Freitas, Paula
Fonte: Instituto Politécnico de Viseu Publicador: Instituto Politécnico de Viseu
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2014 POR
Relevância na Pesquisa
67.69%
Resumo Introdução: Este artigo procede à divulgação de alguns resultados obtidos, a partir de um estudo mais alargado, desenvolvido no âmbito do doutoramento em Ciências de Enfermagem, e nele se pretende avaliar a prevalência da ideação suicida em estudantes do ensino superior politécnico e conhecer quais os fatores, eventualmente associados, com o intuito de definir o perfil de risco para a presença de elevada ideação suicida/risco suicida. Durante a frequência do ensino superior ocorrem múltiplas mudanças na vida dos estudantes, pois trata-se de um período marcado por um conjunto de transições desenvolvimentais e académicas que podem originar algumas crises situacionais e problemas de saúde mental, tornando estes estudantes potencialmente mais vulneráveis e com risco aumentado para os comportamentos suicidários. Os comportamentos suicidários constituem, atualmente, um problema de saúde pública, sendo o suicídio a segunda causa de morte na população jovem na maioria dos países europeus. Objetivos: Determinar a prevalência da ideação suicida nos estudantes do ensino superior politécnico e analisar a sua relação com algumas variáveis sociodemográficas, académicas e comportamentais. Métodos: Estudo quantitativo...

Quando a agressão virtual coloca em risco a vida real : Cyberbullying, perceção do suporte social e ideação suicida

Faria, Carla Luísa Mendonça de
Fonte: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida Publicador: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2015 POR
Relevância na Pesquisa
67.67%
Dissertação de Mestrado apresentada ao ISPA - Instituto Universitário; O presente estudo tem como principal objetivo verificar se existe uma relação entre o fenómeno de cyberbullying e a ideação suicida, sendo esta relação mediada pela perceção dos jovens quanto ao suporte social (por parte dos amigos, da família, dos professores e dos outros em geral). Assim, pretende-se verificar se o cyberbullying e uma baixa perceção em relação ao suporte social potenciam a presença de ideação suicida nos jovens envolvidos neste fenómeno, assim como se há diferenciação destas variáveis (perceção do suporte social e ideação suicida) nos quatro grupos em estudo (grupo 1 - vítimas, grupo 2 - agressores, grupo 3 - vítimas-agressores, grupo 4 – nem vitimas nem agressores), assim como diferenças a nível do género e dos grupos etários. Os participantes serão 375 adolescentes estudantes (175 estudantes do sexo masculino e 200 estudantes do sexo feminino), com idades compreendidas entre os 12 e os 17 anos, que estejam a frequentar entre o 5º ano e o 12º ano de escolaridade, de duas escolas básicas e secundárias situadas no distrito de Lisboa. Quanto aos instrumentos a ser usados para a recolha de dados estes consistem em: dois questionários relativos ao Cyberbullying (CBQ e CBQ-V)...

Percepção do conflito interparental, ideação suicida e identificação à família na adolescência

Pinto, Ana Mónica da Conceição
Fonte: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida Publicador: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
67.71%
O presente estudo procurou observar a relação entre a percepção que os adolescentes têm do conflito interparental e a ideação suicida. Também se pretendeu investigar se a identificação que os adolescentes têm relativamente à família interfere com a percepção do conflito interparental e com a ideação suicida. A população estudada é constituída por 166 adolescentes entre os 11 e 17 anos; 88 adolescentes do sexo feminino e 78 do sexo masculino. Foram aplicados três questionários, o primeiro de identificação à família, o segundo relativamente à percepção do conflito interparental e o terceiro para estudar a ideação suicida. Os jovens receberam um conjunto de instruções standard, onde eram explicados de uma forma breve os objectivos gerais do estudo, sendo asseguradas a confidencialidade e o anonimato das suas respostas. Os resultados alcançados neste trabalho permitem um melhor conhecimento da percepção do conflito interparental e da ideação suicida, revelando que, a percepção do conflito interparental está correlacionada com a ideação suicida nos jovens. Verificou-se que não existem diferenças significativas entre os géneros, no que diz respeito à percepção do conflito interparental e na ideação suicida. Relativamente à identificação que o jovem sente à sua família...

Avaliação do teste Stroop Emocional para o Screening de risco suicida TSESRS como medida de ideação suicida

Marques, Andreia Filipa da Silva
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
67.82%
Atualmente, as teorias cognitivas conferem um papel importante ao processo atencional quando tentam explicar o surgimento de problemas psicopatológicos, evidenciando a forte influência que os processos emocionais exercem sobre os processos cognitivos em determinadas tarefas, nas quais o processamento da informação se caraterizaria por ser dissociador. O suicídio é problemática atual, sendo um dos fenómenos psicológicos mais potencialmente fatais. São escassos os estudos que avaliem a ideação suicida e consequentemente o risco de suicídio, através de um instrumento de Stroop Emocional. Este estudo pretende desenvolver procedimentos metodológicos, no sentido de contribuir para a avaliação do Teste Stroop Emocional para a deteção do risco de suicídio (TSESRS) (Damasceno & Esgalhado, 2011), como medida de ideação suicida. Utilizam-se o TSESRS, o Questionário de Ideação Suicida (QIS) (Ferreira & Castela, 1999) e o Inventário de Depressão de Beck. A amostra é constituída por 100 sujeitos, 50 sujeitos normativos e 50 sujeitos clínicos, aos quais correspondem o grupo com baixa e elevada ideação suicida, com uma média etária de 32 anos. Verificam-se diferenças estatisticamente significativas nas palavras neutras entre sujeitos com baixa ideação suicida (M=60.84) e os sujeitos com elevada ideação suicida (M=51.56); o mesmo acontece com as palavras positivas...

Perturbação mental e ideação suicida entre reclusos preventivos

Moreira,Nuno Alexandre Costa; Gonçalves,Rui Abrunhosa
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2010 PT
Relevância na Pesquisa
67.77%
A presente investigação tem dois objectivos: (1) Analisar a incidência de ideação suicida e de perturbação emocional numa amostra de 66 presos preventivos de um estabelecimento prisional central em dois momentos, durante a primeira semana de reclusão e após seis meses de cumprimento da pena, e nesse mesmo período de tempo; (2) explorar o grau de perturbação emocional e sintomatologia psicopatológica em dois grupos de reclusos, reclusos com ideação suicida (Grupo CIS) e reclusos sem ideação suicida (Grupo SIS). A ideação suicida foi avaliada através do Questionário de Ideação Suicida enquanto o Inventário de Sintomas Psicopatológicos permitiu avaliar a perturbação emocional e sintomatologia psicopatológica associada. Os resultados deste estudo permitem verificar que a incidência de ideação suicida se mantém estável ao longo dos primeiros seis meses de reclusão, enquanto a incidência de perturbação emocional diminui significativamente nesse mesmo período de tempo. A divisão da amostra em dois grupos, permitiu verificar que o Grupo CIS apresenta níveis de perturbação emocional significativamente superiores ao observado no Grupo SIS, particularmente sintomatologia psicopatológica depressiva, ansiosa...

Ideação suicida e sintomatologia depressiva em adolescentes

Azevedo,Andreia; Matos,Ana Paula
Fonte: Sociedade Portuguesa de Psicologia da Saúde Publicador: Sociedade Portuguesa de Psicologia da Saúde
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2014 PT
Relevância na Pesquisa
67.75%
Dados recentes da Direção-Geral de Saúde (2013) apontam para um aumento do número de suicídios nos últimos anos, em Portugal. Nos adolescentes, o suicídio é a segunda causa de morte. Estudos internacionais têm mostrado que ideação suicida é um indicador fundamental para o risco de suicídio, aparece em cerca de 4 a 10% dos adolescentes da população geral, sendo mais prevalente no género feminino, e associa-se frequentemente com depressão. Este estudo teve como principais objetivos avaliar a presença de ideação suicida em adolescentes da população geral e analisar a relação entre a ideação suicida medida pelo Suicidal Ideation Questionnaire (SIQ, Reynolds, 1988; versão portuguesa de Ferreira & Castela, 1999) e a sintomatologia depressiva avaliada pelo Children´s Depression Inventory (CDI, Kovacs, 1985; versão portuguesa de Marujo, 1994). A amostra incluiu 233 adolescentes com idades compreendidas entre os 14 e os 18 anos (M=15,69; DP=1,287), 86 (36,9%) do género masculino e 147 (63,1%) do género feminino.26 (10,7%) adolescentes apresentaram ideação suicida (pontuação acima do ponte de corte de Reynolds, 1988), dos quais 76,9% eram raparigas. Os resultados indicam ainda que a ideação suicida se correlaciona significativamente com a sintomatologia depressiva...

Sob a sombra da maternidade: gravidez, ideação suicida e violência por parceiro íntimo

Fonseca-Machado,Mariana de Oliveira; Alves,Lisiane Camargo; Haas,Vanderlei José; Monteiro,Juliana Cristina dos Santos; Gomes-Sponholz,Flávia
Fonte: Organización Panamericana de la Salud Publicador: Organización Panamericana de la Salud
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/05/2015 PT
Relevância na Pesquisa
67.67%
OBJETIVO: Identificar a associação entre violência por parceiro íntimo e indicativo de ideação suicida durante a atual gestação. MÉTODOS: Estudo observacional e transversal desenvolvido com 358 gestantes selecionadas por amostragem aleatória sistemática em Ribeirão Preto (SP), Brasil. A Escala de Ideação Suicida de Beck e uma versão adaptada do instrumento usado no World Health Organization Multi-country Study on Women's Health and Domestic Violence foram utilizadas para identificar o indicativo de ideação suicida e os atos de violência psicológica, física e sexual perpetrados pelo parceiro íntimo durante a atual gestação. Utilizou-se a regressão logística múltipla para obter razões de chances (odds ratios) de prevalência ajustadas, com intervalo de confiança de 95%. RESULTADOS: A prevalência do indicativo de ideação suicida foi de 7,8%. Dentre as participantes, 17,6% estiveram em situação de violência por parceiro íntimo durante a atual gestação. Destas, 95,2% reportaram ter sofrido violência psicológica, 36,5% violência física e 1,6% violência sexual. A análise de regressão logística múltipla indicou que as mulheres vítimas de violência tiveram 6,29 vezes mais chance de apresentar indicativo de ideação suicida. CONCLUSÕES: É preciso conscientizar os formuladores de políticas e os prestadores de cuidados acerca do impacto da violência por parceiro íntimo...