Página 1 dos resultados de 19802 itens digitais encontrados em 0.024 segundos

O Arsenal Farmacêutico da Antiguidade Clássica e da Idade Média

André, Bruna Alexandra Gonçalves
Fonte: [s.n.] Publicador: [s.n.]
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
65.94%
Projeto de Pós-Graduação/Dissertação apresentado à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para obtenção do grau de Mestre em Ciências Farmacêuticas; Desde a Antiguidade Clássica até à Idade Média (séculos V-XV) diversos estudiosos foram descobrindo muitas substâncias de origem vegetal, mineral e animal que, desde logo, se destacaram pelas suas propriedades medicinais e farmacológicas. Deste modo, o presente trabalho pretende destacar o contributo de alguns dos maiores protagonistas no estudo das drogas destas duas épocas históricas, designadamente Hipócrates, Dioscórides, Galeno e Avicena. Todos eles se preocuparam em desenvolver o estudo e identificação das propriedades medicinais e farmacopeicas das drogas e em efetuar a sistematização e compilação delas. Neste quadro, procedemos a uma análise e levantamento das drogas referenciadas por aqueles autores; os três primeiros desenvolveram atividade durante o período greco-romano e o quarto, sendo o mais influente pensador na área da medicina e da farmácia medievais (Avicena) foi também aquele que transmitiu ao Ocidente todo o saber greco-latino e do mundo islâmico. From Classical Antiquity to the Middle Ages (V - XV centuries) several scholars have been discovering many vegetable...

A guerra em Portugal nos finais da Idade Média

Monteiro, João Manuel Filipe de Gouveia
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
66.07%
Esta obra (composta por dois volumes, num total de mais de mil páginas e incluindo perto de quatro dezenas de ilustrações e mapas) dedica-se análise do fenómeno da guerra em Portugal num período compreendido entre, aproximadamente, 1350 e 1450. Com este seu estudo, o Autor procurou sobretudo perceber os mecanismos de recrutamento militar existentes na época, o funcionamento da administração militar coeva, os conhecimentos teóricos em matéria de arte militar disponíveis na altura, a organização e movimentação dos exércitos portugueses dos finais da Idade Média e, sobretudo, as formas de fazer a guerra adoptadas então por esses exércitos. Neste sentido, João Gouveia Monteiro dedicou extensos capítulos análise das batalhas campais (com destaque para uma revisão original do problema da batalha de Aljubarrota-1385, apoiada na prospecção geofísica do próprio campo de batalha, em pequenos trabalhos de arqueologia experimental e até na análise antropológica do espólio osteológico encontrado durante as escavações de 1958-60), das operações de cerco (muitíssimo frequentes na época) e das formas de guerrilha coevas (tradicionalmente designadas por guerra guerreada). Paralelamente, o Autor procurou no seu estudo compreender as formas de sensibilidade e os rituais que enquadravam a intervenção dos guerreiros tardo-medievais portugueses...

O baixo Mondego nos finais da Idade Média : estudo de história rural

Coelho, Maria Helena da Cruz
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
66.02%
Esta obra dá-nos a conhecer, numa óptica regional, as estruturas agrárias dos finais da Idade Média, desde a ocupação e exploração do espaço às relações de poder e domínio que sobre ele se estabelecem. Divide-se este trabaçho em cinco grandes capítulos: a terra e os homens; economia senhorial: propriedade e actividades produtivas; economia senhorial: renda e circulação de bens; estrutura e níveis do poder; os camponeses: resistências e quotidiano. A área escolhida, caracterizada pela dualidade entre terras do campo e do monte, e marcada pelo curso do Mondego, é eminentemente rural, polarizada pelo centro urbano de Coimbra e o porto marítimo-fluvial de Montemor. A margem direita do rio foi repovoada sistematicamente após a conquista de Coimbra, em 1064, e por todo o século XII, mas só na centúria seguinte se colonizou grande parte da outra margem. Os potentados eclesiásticos, onde se destacam sobremaneira os crúzios e os cónegos da Sé de Coimbra, apoiaram e dirigiram os homens para empreendimentos de arroteamento em florestas, mas sobretudo em áreas pantanosas; mercê desse apoio, novos aglomerados populacionais foram surgindo, sancionados pelos aforamentos colectivos que os senhores lhes concediam. Factores vários quebram a dinâmica expansionista de Duzentos e por todo o espaço surgem as terras ermas e despovoadas. Não ficou porém paralisada a economia senhorial...

Idade média e modernidade: a recepção crítica e criativa das cantigas do mar de vigo; Middle Age and Modernity: the critical and creative reception of vigo sea songs

Oliveira, Andreiza Valéria de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 18/01/2010 PT
Relevância na Pesquisa
65.94%
Esta dissertação, seguindo os preceitos teóricos da Estética da Recepção de Hans Robert Jauss, aborda a proximidade que pode existir entre as produções literárias de períodos distintos por efeito de sua recepção em épocas diversas. Em um primeiro momento, foi necessário conhecer, recorrendo principalmente às pesquisas de Paul Zumthor, a tradição poético-musical predominante na Idade Média. O foco central deste estudo, em relação ao período medieval, corresponde às sete cantigas de amigo do jogral Martim Codax. As conquistas do século XX, em relação ao passado medieval, não se limita ao plano filológico e musical. O trabalho desempenhado por poetas, como Ezra Pound e T.S. Eliot, que se propuseram a recuperar certos valores medievais na poética modernista trouxe à tona uma recuperação criativa, diversa de se imitar o passado, mas disposta a renová-lo. Tal aproximação criativa entre presente e passado também foi alvo de estudo de Mikhail Bakhtin, cujas ideias muito contribuíram para esta pesquisa. Foram vários os escritores modernistas que de alguma forma resgataram marcas de uma tradição possível de ser recuperada. Este retorno ocorreu em diferentes países, contemplando poetas de nacionalidades distintas. O intuito principal...

A Idade Média nos livros didáticos brasileiros: a crise do século XIV, reverberações da historiografia acadêmica da primeira metade do século XX nos esquemas explicativos escolares; The Middle Ages in Brazilian textbooks: the crisis of the fourteenth century, reverberations of academic historiography of the twentieth century first half in school explanatory schemes

Murilo, Marcelo da Silva
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 13/04/2015 PT
Relevância na Pesquisa
65.94%
Este trabalho trata da Idade Média nos livros didáticos brasileiros, compreende o estudo da crise do século XIV nas coleções escolares. O estudo, de cunho documental, foi desenvolvido utilizando-se como fonte os livros didáticos em circulação nas escolas públicas de Ensino Médio ao longo do período de vigência das duas primeiras versões do Programa Nacional do Livro para o Ensino Médio (PNLEM). A averiguação se deu tendo como norte a busca de explicações para o seguinte problema: que relações existem entre os esquemas explicativos apresentados nos livros didáticos e as interpretações formuladas pela historiografia acadêmica da primeira metade do século XX? O corpus documental foi extraído das 14 (quatorze) obras que integram a relação das fontes utilizadas e foi trabalhado por meio da análise do conteúdo. As análises foram desenvolvidas a partir de algumas questões norteadoras. De modo geral, discutiram-se os limites da apropriação de que a historiografia escolar tem feito das teses inauguradas pela historiografia acadêmica da primeira metade do século XX. Nesse estudo, verificou-se que a questão em torno do diálogo entre a historiografia escolar e a acadêmica deve ser relativizada. Considerou-se que...

A saña no ideal cavaleiresco ibérico do final da idade média a partir da novela "O Amadis de Gaula"

Alberto, Rodrigo Moraes
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
65.94%
A Igreja cristã classificou a ira, e os atos coléricos em geral, como pecados, ao menos até o séc. XIII, quando os Sete Pecados Capitais deixaram de fazer parte da doutrina oficial. Mas aquela classificação cristalizou-se no imaginário medieval e continuou a ser utilizada. Ao mesmo tempo, o ideal cavaleiresco exalta atos de bravura, de provação e o uso da violência muitas vezes com sentido contrário ao que a Igreja prescrevia, encontrando nas novelas de cavalaria um meio de livre difusão. Na Península Ibérica do final da Idade Média, que se destaca pela produção monástica de uma literatura dedicada à compreensão dos pecados e à confissão, é possível conceber diferença tão acentuada? O objetivo proposto neste trabalho é refletir sobre como atos de ira – ou saña, ou ainda loucura furiosa – aparecem retratados na literatura novelesca ibérica entre os séculos XV e XVI, sobretudo em “O Amadís de Gaula” escrito por Garci-Ordoñez de Montalvo, cuja primeira versão conhecida foi impressa em Saragoça no ano de 1508. Trata-se de verificar quais valores, concepções e reminiscências estariam ligados aos atos coléricos naquela importante novela de cavalaria, como literatura ficcional e representação que refrata o ideal cavaleiresco...

Salvação e Juízo Final na Alta Idade Média hispânica: o Comentário ao Apocalipse do Beato de Liébana

Parmegiani, Raquel de Fátima
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 156 f.
POR
Relevância na Pesquisa
66.02%
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Pós-graduação em História - FCLAS; Nosso trabalho procura investigar como o universo simbólico ligado à literatura apocalíptica cristã – mais especificamente as idéias de Juízo Final e Salvação – foi apropriado pelo Beato de Liébana na Alta Idade Média hispânica para compor seu Comentário ao Apocalipse e como, a partir desta obra, ele foi utilizado no processo de construção e divulgação de um referencial – representação – cristão de visão de mundo. Nossa pesquisa volta-se, portanto, para a relação entre o “mundo dos leitores” e o “mundo do livro”, ou seja, para as práticas da leitura e da escrita que permearam a produção, a circulação e a leitura do C Ap. Coube a nos pensarmos como uma cultura que privilegiava a oralidade, como aquela da Alta Idade Média, apoiou-se neste texto escrito para, em face dele, produzir um sentido e construir uma normatização cristã do universo sócio-religioso. Por conseguinte, nosso intuito esteve em buscar os vestígios das práticas de leitura que acompanharam os destinatários do C Ap e dos indícios que eles podem nos dar da atuação deste texto enquanto discurso (processo)...

O espaço na Idade Média : um estudo histórico historiográfico; The space in Middle Age : a historical study of historiography

Kátia Regina Polli
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 30/03/2011 PT
Relevância na Pesquisa
65.94%
Este estudo corresponde ao resultado de pesquisa acerca da maneira como os medievalistas, em especial na França, têm abordado a concepção e a representação do espaço durante a Idade Média. Delimitamos nossa pesquisa às obras produzidas entre os anos de 1973 a 2008 de forma a compreender as modificações ocorridas durante este período e o crescente interesse pela temática observado nos últimos 40 anos. Procuramos discutir os sentidos do espaço como campo de pesquisa específico na historiografia medieval e sua importância na criação de interlocução com diversas áreas das ciências sociais.; This study is the output of research about how to medievalists, especially France, have approached the design and representation of space during the Middle Ages. We defined our research to works produced between the years 1973 to 2008 in order to understand the changes that occurred during this period and the growing interest in the area observed over the last 40 years. We seek to discuss the meanings of space as a field specific search in medieval history and its importance in creating dialogue with diverse areas of social sciences.

O Ius puniendi germânico na Alta Idade Média italiana

Paulo, Alexandre Ribas de
Fonte: Florianópolis, SC Publicador: Florianópolis, SC
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
66.07%
Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Jurídicas, Programa de Pós-Graduação em Direito, Florianópolis, 2011; A presente tese consiste em uma investigação histórico-jurídica, mediante o marco teórico de Análise do Discurso foucaultiano, com apoio em autores especialistas em historia medieval, como Paolo Grossi e Stefano Gasparri, e com a utilização do método de pesquisa indutivo sobre experiências jurídico-punitivas na Alta Idade Média italiana, tendo como objeto de análise os textos normativos registrados no Reino Longobardo, nos séculos VII e VIII. Buscou-se compreender as possíveis relações existentes entre o exercício do ius puniendi, decorrentes de condutas ilícitas, e a centralização política dos reis da estirpe germânica dos longobardos em relação aos seus súditos, em um contexto histórico medieval, no qual coabitavam três poderes pouco conciliáveis entre si na Península Itálica: a Igreja Católica, o Império Bizantino e o Reino Longobardo. A problemática da pesquisa surgiu com a constatação de informações contraditórias e generalizantes produzidas pelos historiadores do Direito que tratam das experiências punitivas no início da Idade Média...

A vivência do tempo na Idade Média, no Livro das Posturas Antigas de Lisboa

Purificação, Maria Manuela Lima da; Duarte, Luís Miguel
Fonte: Porto : [Edição do Autor] Publicador: Porto : [Edição do Autor]
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
66.09%
Este trabalho busca conhecer o tempo histórico da Idade Média, através do livro das Posturas Antigas de Lisboa. A partir de regras, costumes e leis que consubstanciam a referida obra, questiona-se sobre o significado daquele tempo para a humanidade. Apesar de não se ter como objectivo um cotejamento entre a Idade Média e a Idade Moderna, determinações do próprio tempo conduzem a pensar no que há de comum entre ambas, especialmente no que se refere à divisão de classes, em diversas passagens. Observam-se por exemplo, que na Idade Media o Cristianismo glorificava o fim do mundo, assim como capitalistas glorificam o fim da história, ambos objectivando a mautenção do status quo. O estudo confirma a enorme influência do Cristianismo na conformação do tempo histórico medieval, sendo notável o enrelaçamento entre a fé cristã e a organização de economia. Sob o signo do medo e da esperança a igreja responde pela preservação do atraso e da ignorância que também carcterizam o medievo. Verifica-se que cada formação tem uma estrutura distinta, mas pode-se afirmar a existência de um traço comum a todas as sociedades de classe, qual seja caminhar pari e passou com adesigualdade. Dentre outras constatções, o que de mais fundamental há nesta pesquisa é a (re)afirmação de que as relações entre os homens são históricas...

Entre propriedades e casa perfeitas : um estudo da casa corrente na Guimarães dos finais da Idade Média

Silva, Ângela Carina Areias da
Fonte: Porto : [Edição do Autor] Publicador: Porto : [Edição do Autor]
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
66.07%
Nos últimos trinta anos, tem-se assistido, no panorama nacional, a um crescente interesse no domínio da investigação da casa corrente dos finais da Idade Media. Se o conjunto de estudos e dissertações produzidos tem tido como intuito principal a análise de instituições eclesiásticas ou, mais frequentemente, o estudo das vilas e cidades medievais, o assunto da habitação corrente tem aí também marcado a sua presença. Por outro lado, os vestígios substanciais que da casa corrente se encontram em cada virar da esquina das cidades, e a sua multiplicação por todos os centros urbanos, tem despertado uma maior consciencialização por parte das nossas entidades, quanta à importância deste "património menor". O trabalho que propomos neste estudo enquadra-se, naturalmente, nestes dois contextos. Pretendeu-se, em primeira instancia, uma análise e reconstituição da casa corrente na Guimarães dos finais da Idade Media, assim como despoletar o interesse pela importância dos seus vestígios no centro histórico da mesma cidade. Percorrendo um conjunto de fontes diversas desde o levantamento de instituições vimaranenses ate à leitura das doações e testamentos da Colegiada da mesma vila, tentou reunir-se um conjunto de informes possíveis com vista a um maior conhecimento da casa comum. Através deles podemos olhar a parcela onde se inscreveu...

Cavaleiros de Cristo, monges, frades e eremitas: um percurso pelas formas de vida religiosa em Évora durante a Idade Média (sécs. XII a XV)

Fontes, João Luís Inglês
Fonte: Centro de Estudos de História Religiosa - Universidade Católica Portuguesa Publicador: Centro de Estudos de História Religiosa - Universidade Católica Portuguesa
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2005 POR
Relevância na Pesquisa
65.94%
O presente artigo procura traçar um percurso pelas diferentes formas de vida religiosa presentes em Évora, desde a conquista cristã da cidade, em 1165, até aos alvores da modernidade. Seguindo, em larga medida, a própria cronologia das fundações, procura-se explicitar as circunstâncias em que estas ocorreram, o que caracteriza o modo de vida das respectivas ordens e a forma como estas se relacionam com a cidade. À presença inicial das ordens militares, garante da defesa de uma cidade de fronteira, suceder-se-á, já na segunda metade do século XIII, a implantação das ordens mendicantes e de uma comunidade cisterciense, numa cidade agora em crescimento. Chegados ao século XV, a urbe espelha as contradições destes finais da Idade Média, entre fundações ligadas a ordens reformistas, como os Jerónimos ou os Lóios, a outras mais tradicionais, como as Clarissas. A par destas, a presença dos eremitas da Serra de Ossa ou de numerosas comunidades de mulheres da pobre vida revela a vitalidade de um espaço alternativo de vida religiosa, procurado sobretudo pelos leigos, fora dos tradicionais enquadramentos monásticos.; This article aims to trace a route by the different religious life forms in Évora, since the Christian conquest in 1165 until the dawn of the modernity. Following in a large measure the chronology of the foundations...

As abadessas cistercienses na Idade Média: identificação, caracterização e estudo de trajectórias individuais ou familiares

Rêpas, Luís Miguel
Fonte: Centro de Estudos de História Religiosa - Universidade Católica Portuguesa Publicador: Centro de Estudos de História Religiosa - Universidade Católica Portuguesa
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2005 POR
Relevância na Pesquisa
65.94%
Este artigo parte da caracterização do cargo abacial e das funções que lhe estavam inerentes para depois evoluir em torno da seguinte questão: que critérios orientavam a escolha de uma abadessa cisterciense na Idade Média? A identificação de algumas preladas e a apresentação de determinadas trajectórias individuais ou familiares permitem concluir que o poder e o prestígio que o exercício daquele cargo podia proporcionar a essas religiosas e às suas famílias motivaram insistentes interferências das linhagens na vida comunitária, sendo aqui colocadas em destaque as pressões exercidas aquando de cada nova eleição. Ingerências que, por serem inaceitáveis aos olhos de parte da comunidade conventual, ou porque a dividiam em clãs rivais, acabavam por originar complicados e demorados processos de contestação. Da presente análise transparece a permeabilidade das comunidades monásticas ao exterior e o entretecer de relações de solidariedade, baseadas no parentesco alargado e na constituição de clientelas, cujo sucesso acaba por justificar a perpetuação do governo de uma abadia nas mãos de uma mesma família ao longo de várias gerações.; This article starts with the characterization of the post of an abbess...

Sociabilidades e espiritualidades na Idade Média: a historiografia portuguesa sobre os comportamentos religiosos dos leigos medievais

Rosa, Maria de Lurdes
Fonte: Centro de Estudos de História Religiosa - Universidade Católica Portuguesa Publicador: Centro de Estudos de História Religiosa - Universidade Católica Portuguesa
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2009 POR
Relevância na Pesquisa
65.94%
O artigo tem como objectivo caracterizar os principais grupos temáticos da medievalística portuguesa sobre o tema “Sociabilidades e espiritualidades na Idade Média: comportamentos religiosos dos leigos medievais”, discutindo tanto o porquê da existência dos mesmos, como as suas forças e fraquezas. Ao mesmo tempo, procurar-se-á apresentar trabalhos em áreas similares, mas oriundos de outras historiografias, sugerindo formas de aproximação entre ambos. A ideia central do trabalho é que urge definir, na medievalística portuguesa, um inquérito específico sobre o tema, que conduza à interrogação das próprias fontes usadas – que, desde logo, raramente são produzidas pelos leigos –, ao estabelecimento de conceitos de análise correctos e à percepção global das funções sociais globais das várias partes que constituíam a religiosidade dos leigos.; This article seeks to characterise the main thematic groups in Medieval Portugal in accordance with the theme “Sociable and spiritual practices in the Middle Ages: medieval religious and lay behaviours” with discussion both as to the reasons for their existence and their strengths and weaknesses. Simultaneously, studies from related but different historiographic fields are presented...

São as confrarias refúgio dos humildes? Contributo para o estudo das elites eborenses no final da Idade Média

Cláudio, Ana Sofia
Fonte: Universidade de Évora Publicador: Universidade de Évora
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
66.07%
A presente dissertação intitulada "São as confrarias refúgio dos humildes? Contributo para o estudo das elites eborenses no final da Idade Média", pretende estudar estas instituições enquanto pólos de poder, de modo a compreender quão importantes foram para a consolidação de uma elite local, nos finais da Idade Média. A maioria das análises abordam as como instituições de assistência e auxílio, que triunfaram num período em que o indivíduo não era reconhecido socialmente sem se encontrar inserido num corpo social, porém, pela sua implantação e difusão no meio social, pela importância que lhes foi conferida, ao longo da Idade Média, deduz-se que estas instituições desempenhassem um papel preponderante no sistema de relações sociais e económicas estabelecido, cujo controle lhes podia conferir um elevado grau de influência, para orientar e controlar a opinião e o comportamento de sectores importantes de vida local. É este caracter socialmente actuante que torna as confrarias um objecto de estudo tão interessante. /*** Abstract - The present dissertation entitled "Are the confreres shelter of the humble ones?" Contribution for the study of the eborense elites in the end of the Middle Ages", pretends to study these institutions while a power centers...

Economia e instituições na Idade Média. Novas abordagens

Solórzano Telechea, Jesús Angel; Viana, Mário
Fonte: Centro de Estudos Gaspar Frutuoso Publicador: Centro de Estudos Gaspar Frutuoso
Tipo: Livro
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
66.02%
Neste livro monográfico reúne-se a maior parte dos estudos apresentados no Workshop Internacional Economia e instituições na Idade Média. Novas abordagens, que teve lugar no dia 8 de Outubro de 2012, em Ponta Delgada, na Universidade dos Açores. A qualidade dos autores e os temas propostos proporcionaram uma experiência científica enriquecedora e gratificante, seja pela amplitude cronológica (percorrendo grande parte da vasta Idade Média), pela abrangência geográfica (fachada atlântica da Península Ibérica e Noroeste da Europa) e ainda pela diversidade de fontes e abordagens.

Aspectos da mesa do rei. Entre a Idade Média e a Época Moderna

Buesco, Ana Isabel
Fonte: Annablume Editora Publicador: Annablume Editora
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2014 POR
Relevância na Pesquisa
66.05%
Trabalho publicado ao abrigo da Licença This work is licensed under Creative Commons CC‑BY (http://creativecommons.org/licenses/by/3.0/pt/legalcode); O presente livro oferece uma abordagem diacrónica de elementos patrimoniais de alguns dos padrões alimentares dos Portugueses e da forma como a receção e fusão dos mesmos se dá na cultura brasileira. A obra constitui-se de quatro partes, formadas por capítulos agregados por épocas históricas (da Antiguidade Clássica à Época Contemporânea). Assim os capítulos reunidos na I Parte apresentam estudos sobre hábitos de consumo e rituais de convivialidade oriundos das duas grandes civilizações fundadoras da Europa, a grega e a latina, e têm por objectivo demonstrar como algumas práticas, hoje tidas irrefletidamente por hábitos dos tempos contemporâneos, são muito mais do que isso. Constituem a ligação do homem atual a um passado distante, a herança mediterrânea antiga, ainda assim modeladora da sua identidade. Na Parte II o enfoque orienta-se para o universo da alimentação na Idade Média, quer abordando questões de ordem moral/religiosa, quer debruçando-se sobre dois dos universos mais documentados para a época em questão: a mesa dos reis e a das ordens monásticas. Segue-se a Parte III...

Mulheres intelectuais na idade média: Hildegarda de Bingen - entre a medicina, a filosofia e a mística

Costa,Marcos Roberto Nunes
Fonte: Universidade Estadual Paulista, Departamento de Filosofia Publicador: Universidade Estadual Paulista, Departamento de Filosofia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2012 PT
Relevância na Pesquisa
66.07%
É corrente se afirmar que antes da Modernidade não há registro de mulheres na construção do pensamento erudito. Que, se tomarmos, po exemplo, a Filosofia e a Teologia, que foram as duas áreas do conhecimento que mais produziram intelectuais, durante a Idade Média, não encontraremos aí a presença de mulheres. Entretanto, apesar de todas as evidências, se vasculharmos a construção do Pensamento Ocidental, veremos que é possível identificar a presença de algumas mulheres já nos tempos remotos, na Antiguidade Clássica e na Patrística (ou Alta Idade Média). Mas é na Escolástica (Baixa Idade Média) que encontramos as primeiras Pensadoras, responsáveis por um sistema autônomo, distinguindo-se como fecundas escritoras, donas de obras tão profundas e importantes quanto as produzidas pelos homens de seu tempo, com os quais muitas vezes dialogaram em pé de igualdade. Dentro desse maravilhoso universo feminino de intelectuais, destacamos, na Escolástica, a figura de Hildegarda de Bingen (1098-1165), da qual trataremos um pouco neste artigo.

Leis e sociedade : o bem-comum na alta idade média = Laws and society : the common property in high middle age

Oliveira, Terezinha
Fonte: Superior Tribunal de Justiça do Brasil Publicador: Superior Tribunal de Justiça do Brasil
Tipo: Artigo de Revista Científica
PT_BR
Relevância na Pesquisa
66.1%
Analisa a relação existente ente a elaboração de leis e a construção de uma sociedade voltada para o bem comum, reportando-se ao período histórico da Alta Idade Média. Mostra que a identidade de uma sociedade também se constitui quando as leis são elaboradas e igualmente respeitadas e seguidas com eqüidade. Verifica de que maneira os indivíduos constroem suas relações de poder, governo e leis, elaborando seus laços sociais e suas características individuais e sociais.

Uma história da Idade Média através do corpo; A history of the Middle Ages through the body

Silva de Souza, Bruno; Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 02/11/2012 POR
Relevância na Pesquisa
66.02%
http://dx.doi.org/10.5007/2175-7976.2012v19n27p350 Resenha do livro: LE GOFF, Jacques; TRUONG, Nicolas. Uma história do corpo na Idade Média. Tradução de Marcos Flamínio Peres. 2 ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2010. 207 p.; LE GOFF, Jacques; TRUONG, Nicolas. Uma história do corpo na Idade Média. Tradução de Marcos Flamínio Peres. 2. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2010. 207 p.