Página 1 dos resultados de 1953 itens digitais encontrados em 0.006 segundos

Filosofia e literatura: o sentido e a medida de uma relação possível em Maurice Blanchot e Paul Ricoeur

Carvalho, Maria Helena Costa de
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
46.26%
Tese de mestrado, Filosofia, Universidade de Lisboa, Faculdade de Letras, 2013; O presente estudo pretende avaliar o sentido e a medida da relação possível entre filosofia e literatura em e a partir de dois pensadores de referência da contemporaneidade, Maurice Blanchot e Paul Ricoeur. Partindo-se do pressuposto de que ambas representam o esforço humano de tocar e configurar um fundo essencial que parece escapar a uma captação imediata – ainda que genericamente se considere que a filosofia o faz através do discurso conceptual/crítico e a literatura através do discurso metafórico/poético –, o problema central a que procuramos responder é o de saber se, nessa tentativa, as referidas actividades poderão ou deverão aproximar-se, especialmente a primeira em relação à segunda. Tal problema dissemina-se inevitavelmente num conjunto de questões que nos propomos pensar a partir dos referidos autores: pode a literatura, na sua especificidade, abrir novas possibilidades de expressão ou mediação de um ser ou de um neutro que nos antecede e, assim, assumir-se como locus privilegiado de (convocação da) reflexão filosófica? Será filosoficamente desejável, ou até inevitável, uma aproximação à literatura? Ou, mais radicalmente...

Nietzsche como destino da filosofia e da humanidade? interpretação contextual do § 1 do capítulo "por que sou um destino", de ecce homo

Stegmaier,Werner
Fonte: Universidade Estadual Paulista, Departamento de Filosofia Publicador: Universidade Estadual Paulista, Departamento de Filosofia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2011 PT
Relevância na Pesquisa
46.16%
A tradução que se segue é uma versão resumida e revisada do artigo "Schicksal Nietzsche? Zu Nietzsches Selbsteinschätzung als Schicksal der Philosophie und der Menschheit (Ecce Homo, Warum ich ein Schicksal bin §1)" - publicado originalmente em Nietzsche-Studien 37 (2008) - que foi especialmente preparada para ser apresentada em palestra organizada pelo Grupo de Pesquisa Spinoza & Nietzsche (SpiN), na Universidade Federal do Rio de Janeiro, em 14/09/2009. No texto, o autor faz uso de sua própria metodologia filológico-hermenêutica, denominada interpretação contextual, com vistas a esclarecer os conceitos do primeiro aforismo de "por que sou um destino", de Ecce Homo no seu contexto próprio, no contexto de Ecce Homo e no contexto da obra de Nietzsche como um todo.

Werner Heisenberg e a Interpretação de Copenhague: a filosofia platônica e a consolidação da teoria quântica

Leite,Anderson; Simon,Samuel
Fonte: Universidade de São Paulo, Departamento de Filosofia Publicador: Universidade de São Paulo, Departamento de Filosofia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2010 PT
Relevância na Pesquisa
46.36%
Este artigo discute o uso que Werner Heisenberg faz da filosofia grega clássica no âmbito dos debates acerca da teoria quântica realizados na primeira metade do século xx. Para esse autor, a ciência foi determinada pelo influxo de duas correntes de pensamento que surgiram na Grécia antiga: o materialismo e o idealismo. A partir de tal clivagem, Heisenberg fundamenta sua crítica aos opositores da Interpretação de Copenhague, além de justificar filosoficamente suas próprias teses sobre a mecânica quântica. Apesar de suas concepções filosóficas não serem passíveis de uma sistematização completa, a relação que Heisenberg estabeleceu entre a filosofia grega e os problemas da teoria dos quanta acabou por resultar em uma interpretação da realidade física na qual é predominante um platonismo e um incipiente estruturalismo matemático.

Uma abordagem da interpretação kantiana da teoria da justiça como eqüidade

Fellini, Juliano
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Tese de Doutorado
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
46.36%
O foco desta tese encontra-se na questão da interpretação kantiana da teoria da justiça como eqüidade. Ela começa com a apresentação da ética de Immanuel Kant fundada sobre a autonomia da razão transcendental, ou seja, da perspectiva da razão prática enquanto faculdade de princípios a priori. Com características meta-éticas, a teoria moral kantiana busca fixar o princípio supremo da moralidade enquanto produto da razão prática. Se ela num primeiro momento não contempla os aspectos normativos da filosofia prática, no entanto, não perde de vista o horizonte da aplicação. A partir desta possibilidade, John Rawls propõe uma interpretação procedimentalista da ética kantiana a fim de valorizar seus aspectos normativos. Amparado numa concepção construtivista que vê na teoria moral kantiana um exemplo de construção de princípios a partir do conceito de razão prática, Rawls encontra aí um modelo de escolhas políticas para uma sociedade liberal e democrática. A reivindicação sistemática daquele modelo constitui o que vem a ser conhecido como a interpretação kantiana da justiça como eqüidade. Neste ponto concentra-se a minha abordagem crítica que vem propor duas interpretações específicas: primeiro...

Formatividade e interpretação: a filosofia estética de Luigi Pareyson

Silva, Iris Fátima da
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Filosofia; Metafísica Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Filosofia; Metafísica
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
46.36%
The concept of formativity, coined by Luigi Pareyson, is a key to the development of countless contemporary aesthetic studies. The aim of this dissertation is to present a deep understanding of the notion of Formativity and Interpretation, as evidenciated by the title Formativity and Interpretation: the aesthetical philosophy of Luigi Pareyson. The work Aesthetics - Theory of Formativity, first published in 1954, is considered a mark in the rebirth of aesthetics. In this dissertation, the concept of Formativity is examined as a component applicable to every human action, and not limited to pre-determined practices, nor referred to the application of preexisting. I ve performed an investigation of the triple concept of doing-inventing-interpreting, which simultaneously grounds Formativity. In the first section, Pareyson s Aesthetical Propaedeutic is presented; in the second, the Theory of Formativity: the aesthetical character of the whole human experience is analysed; and in the third chapter, The Aesthetical of Form and the Metaphysics of Figuration is related to the formativity character of the knowledge. Through this analysis, I ve intended to evidence how human operability can be understood as search and trial, figuration and invention...

O PAPEL DO CETICISMO NA FILOSOFIA DO JOVEM HEGEL

Silva, Edney Jose da
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Filosofia; Metafísica Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Filosofia; Metafísica
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
46.15%
Ce travail veut montrer que le scepticisme n‟est pas q‟un des principaux défis pour la philosophie moderne jusqu‟a la déflagration da la Reforme Protestante, la redecouverte et la traduction des textes de Sexte Empirique. La reception de ce scepticisme n‟est q‟un des principaux facteurs qui determinent le noveau fondament da la philosophie moderne avec base dans la subjectivité. Dans ce contexte d‟un nouveau fondament de la philosophie sous la base de la subjectivité, Hegel aborde le problème du scepticisme. La pensé developpé par Hegel dans période de Jena (1801-1807), principalement dans l‟écrit de la Differance parmi les philosophies de Fichte e Schelling, et dans les articles du Journal Critic de Philosophie, Relation du scepticisme avec la philosophie et Foi et Savoir, part du dialogue avec la philosophie d‟idealisme allemand, qui est le point plus haut du subjectivisme dans la philosophie developpé à partir du retour du scepticisme. Hegel essaye à travès l‟interpretation et la superation du scepticisme, établir une nouvelle base pour la philosophie. Alors, le scepticisme, dans cette période de la philosophie d‟Hegel, a la function d‟être la negativité propre à la authentique philosophie qui anéante le point de vue des les philosophies de la subjectivité. Cette manière comme Hegel intégre la scepticisme à sa philosophie...

A questão do conhecimento em Vico como fundamento para uma filosofia da história, a partir do conceito de natureza humana

Muniz, Alex Gonçalves
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
46.13%
Giambattista Vico (1668-1744) fundou uma nova ciência, a ciência da história. Para que se encontre uma teoria que oriente a compreensão da história, deve-se tentar responder a questão filosófica da possibilidade de a história, entendida como a sucessão de feitos humanos ao longo do tempo, ter algum princípio racional que oriente a leitura, e se as sucessões dos fatos históricos têm em si mesmos indícios de algum encadeamento racional. Em Vico, a história é em si mesma o desenvolvimento de uma aspiração humana, pela justiça. Aqui, sem que se perceba, já se está no âmbito da filosofia da história. A filosofia da história é uma disciplina filosófica que lida com a sucessão dos acontecimentos históricos. O estudioso que se detêm na meditação sobre a história da humanidade busca a compreensão que acontece a partir de um narrar para si mesmo, o contar novamente para si mesmo, a partir de certas constantes do comportamento humano, de acordo com os ditames do “conhece-te a ti mesmo”, os feitos dos antepassados. ______________________________________________________________________________ ABSTRACT; Giambattista Vico (1668-1744) founded a new sacience, the science of history. In order to find a philosophical theory to guide the understanding of history...

A música da nova filosofia: para “ouvir” o projeto filosófico-epistemológico de Adorno

Pombo, Rafael Reis
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
46.11%
A filosofia de Adorno traça seu caminho fora da tradição desde o seu ponto de partida, desde a relação entre pensamento e realidade que esboça. Como consequência, diferencia-se dessa tradição por sua maneira de considerar a constituição da realidade, pelos novos procedimentos cognitivos adotados, pelo trabalho linguístico necessário à expressão destes e, por fim, pela aproximação ao discurso da arte, mais especificamente da música atonal. Ao mesmo tempo, Adorno recusa e denuncia a pretensão de um conhecimento total, a imposição de uma ordem racional ao real, o procedimento da abstração como ferramenta do pensamento identificador, a forma textual do tratado filosófico com sua configuração sistemática, a absolutização da lógica e a inspiração científica da tradição. Este texto é uma tentativa de reproduzir esse itinerário adorniano e sua concomitante crítica aos projetos filosóficos tradicionais. Com isso, mostra os motivos da propalada semelhança entre a filosofia de Adorno e a música de Schoenberg, ou, em outras palavras, apresenta as origens da necessidade de se aproximar o discurso filosófico ao discurso musical. ______________________________________________________________________________ ABSTRACT; The Adorno’s philosophy makes its way out of the tradition since the starting point...

Filosofia, música e sociedade: a noção de progresso em Theodor W. Adorno

Aguiar, Wisley Francisco
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
46.13%
O estudo aqui proposto visa compreender a noção de progresso em Theodor W. Adorno a partir do enfoque dado pelo próprio autor em seus dois textos principais: a Dialética do Esclarecimento e a Filosofia da Nova Música. A visão tradicional de progresso diz respeito às crescentes conquistas adquiridas pela humanidade no âmbito da técnica. O sensocomum apreendeu a categoria de progresso como o “melhorar das coisas” apenas o relacionando ao desenvolvimento da ciência e da técnica para afastar o medo da falta de recursos. Adorno explora uma crítica que põe em suspenso este conceito de progresso. Na Dialética do Esclarecimento, escrita conjuntamente com Max Horkheimer, Adorno utiliza seus estudos anteriores sobre música e filosofia para criticar o processo de desenvolvimento da razão ocidental, que se converteu em instrumentalização da vida. Neste estudo, o progresso técnico parece ser o responsável pela perda da autonomia e liberdade dos indivíduos, estando estes sujeitos ao controle de sistemas ideológico irracionais. No entanto, seus estudos sobre filosofia e música traçaram um outro panorama para o cenário da técnica, pois esta não seria por si só causadora do domínio dos homens, mas objeto determinante para tais interesses...

A descontinuidade do tempo na filosofia cartesiana

Blanchet, Louis de Freitas Richard
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Dissertação Formato: 79f.; application/pdf
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
46.27%
Orientador: Prof. Dr. Marco Antonio Valentim; Dissertaçao (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em Filosofia. Defesa: Curitiba, 28/01/2013; Inclui referências; Área de concentração: Filosofia; Resumo: O objetivo dessa dissertação é discutir a existência ou não de uma hipótese implícita sobre a descontinuidade do tempo na filosofia cartesiana. Como esse problema não se limita a interpretação de apenas um trecho e se distribui por toda a filosofia cartesiana, serão abordados três temas que oferecem a oportunidade de discutir esse problema: o cogito, a tese da criação contínua e a rejeição da velocidade na física. A hipótese dessa dissertação é que todas as dificuldades relativas à descontinuidade do tempo tem raiz na dificuldade de compreensão da reformulação da ontologia executada por Descartes. Os interlocutores contemporâneos a ele tinham a dificuldade de compreender como Descartes dava conta da mudança sem levar em consideração as formas substancias. Os seus críticos posteriores serão orientados principalmente pelas observações de Leibniz contra a física cartesiana, que se limitou à Estática. O problema do cogito, segundo os autores que defendem a descontinuidade do tempo...

Pauses in theatrical interpretation: delimitation of prosodic constituents; Pausas na interpretação teatral: delimitação de constituintes prosódicos

Chacon, Lourenço; Fraga, Milena
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 01/07/2014 POR
Relevância na Pesquisa
46.17%
We intend to observe the function of a linguistic resource – the pause – in theatrical interpretation. Connected to the field of speech therapy, we search for theoretical support in the Linguistics field, mainly in prosodic phonology – specifically, we highlight intonational phrase and phonological utterance, prosodic constituents –, proposing a dialogue between these fields, regarding the work with actors. In speech therapy literature, the work with actors focuses, centrally, in organic issues involved in the vocal process, such as “misuse” or “voice abuse”. To a smaller extent, we find, in this literature, researches that emphasize issues regarding interpretation and expressive resources, besides a few emphasizing the importance of linguistic resources in interpretation. Differently, in linguistics literature, the pause is approached, to a larger extent, from the phonetic perspective, related to several language levels. In this research, we analyzed audio recordings of four actors from a same theatrical group, acting the theatrical text Brutas flores, focused on these aims: (1) detect the place where pauses happen in the interpretation of a single text by four actors; (2) survey physical characteristics of length of these pauses; (3) check to what extent the length of a pause is related to the place where it happens...

TRABALHO E INTERAÇÃO: A INTERPRETAÇÃO DO JOVEM HABERMAS SOBRE A FILOSOFIA DO ESPÍRITO HEGELIANA DE IENA; WORK AND INTERACTION: THE INTERPRETATION OF THE YOUNG HABERMAS ON HEGEL'S PHILOSOPHY OF SPIRIT OF JENA

Xavier, Vinícius dos Santos
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 08/07/2015 POR
Relevância na Pesquisa
46.43%
O objetivo do presente artigo é demonstrar a interpretação peculiar que Jürgen Habermas faz, em seu ensaio “Trabalho e Interação”, da filosofia do Espírito de 1805-1806 do jovem Hegel. Para tanto, será necessário delinear a interpretação, sobre esta filosofia do Espírito, feita por Georg Lukács, já que Habermas, ao se propor fazer uma leitura inovadora, vale-se de um contraponto com a interpretação de Lukács, no entanto, sem desenvolvê-la. Consequentemente demonstrar-se-á, no decorrer do presente texto, como é possível outra interpretação dessa filosofia hegeliana retomando o texto do próprio Hegel. Assim, o objetivo será demonstrar as insuficiências da leitura intentada por Habermas.; The aim of this article is to demonstrate the peculiar interpretation that Jürgen Habermas does, in his essay “Work and Interaction”, of the philosophy of the Spirit of 1805-1806 of the young Hegel. For that, it will be necessary to delineate the interpretation about this philosophy of Spirit, made by Georg Lukács, since Habermas, when proposing to make a innovates reading, makes a counterpoint to the interpretation of Lukács, however without developing it. Consequently will be demonstrated, in the course of this text...

Werner Heisenberg e a Interpretação de Copenhague: a filosofia platônica e a consolidação da teoria quântica

Leite, Anderson; Simon, Samuel
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/06/2010 POR
Relevância na Pesquisa
46.36%
Este artigo discute o uso que Werner Heisenberg faz da filosofia grega clássica no âmbito dos debates acerca da teoria quântica realizados na primeira metade do século xx. Para esse autor, a ciência foi determinada pelo influxo de duas correntes de pensamento que surgiram na Grécia antiga: o materialismo e o idealismo. A partir de tal clivagem, Heisenberg fundamenta sua crítica aos opositores da Interpretação de Copenhague, além de justificar filosoficamente suas próprias teses sobre a mecânica quântica. Apesar de suas concepções filosóficas não serem passíveis de uma sistematização completa, a relação que Heisenberg estabeleceu entre a filosofia grega e os problemas da teoria dos quanta acabou por resultar em uma interpretação da realidade física na qual é predominante um platonismo e um incipiente estruturalismo matemático.; This article discusses Werner Heisenberg's use of ancient Greek philosophy in the debates about quantum theory that occurred during the first half of the 20th century. For Heisenberg, science was determined by two concurrent streams of thought that arose in ancient Greece: materialism and idealism. Starting from this separation, Heisenberg not only develops his criticism of the opponents of the Copenhagen interpretation...

Challenges to build a learners’ corpus of Simultaneous Interpreting; Desafios para a construção de um corpus de aprendizes de Interpretação Simultânea

Ginezi, Luciana Latarini
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 15/10/2014 POR
Relevância na Pesquisa
46.2%
In Brazil, Interpreting Studies, a part of Translation Studies, are still new and a few experimental researches were conducted so far. This paper presents a branch of an ongoing empirical research for a doctoral degree at University of São Paulo. The proposal combines Interpreting Studies with Corpus Linguistics, considering conceptual and methodological aspects. The detailed description of CAIS - Corpus de Aprendizes de Interpretação Simultânea (Simultaneous Interpreting Learners Corpus) proposes a reflection on the problems still related to the building of spoken corpora. It also presents the future challenges researchers will face. Therefore, the paper reaffirms the advantages of conducting experimental researches using Corpus Linguistics and Interpreting Studies, at the same time that it contributes to these areas, helping new researches in Interpreting Studies and offering a guide to the construction of learners’ corpus using spoken language.; Os Estudos da Interpretação, vinculados aos Estudos da Tradução, são ainda novos no Brasil e, por conseguinte, poucas pesquisas experimentais são publicadas na área. Este estudo apresenta parte de uma pesquisa empírica que está sendo conduzida em âmbito de doutoramento na Universidade de São Paulo...

Panorama da interpretação em contextos médicos no Brasil: perspectivas; Healthcare interpreting in Brazil: an overview

Queiroz, Mylene
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 15/10/2014 POR
Relevância na Pesquisa
46.14%
Dentre os contextos comunitários em que há necessidade de mediação por meio de interpretação, o da saúde demanda cautela, dado à natureza complexa da atividade médica, que, consequentemente, impõe diferentes desafios aos intérpretes. No Brasil, as barreiras linguísticas enfrentadas por pacientes que não falam a língua portuguesa são tratadas de forma improvisada por intérpretes voluntários sem nenhum treinamento específico. Este artigo discorre sobre as atuais demandas por intérpretes em contextos médicos no Brasil e a necessidade de análises e ações com vistas à formação de um campo profissional que garanta o acesso a serviços de saúde no país por minorias linguísticas. Nesse sentido, este estudo aponta para a necessidade de debater a criação de políticas públicas que não somente reconheçam a demanda, mas que criem ferramentas de acesso linguístico. Aos profissionais e instituições voltados aos estudos da interpretação no contexto brasileiro, cabe colocar em pauta o debate sobre as pesquisas na área da Interpretação Comunitária, a fim de atualizar abordagens teóricometodológicas que atendam demandas de treinamento para intérpretes atuantes em contextos comunitários, entre eles...

A ética na interpretação de tribunal: o Brasil no banco dos réus;

Ginezi, Luciana Latarini
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 18/12/2012 POR
Relevância na Pesquisa
46.11%
A interpretação de tribunal, parte dos Estudos de Interpretação da área Jurídica, é ainda pouco estudada no Brasil. Neste trabalho, traçaremos um breve panorama histórico no Brasil e no mundo, demonstrando o quanto a interpretação de tribunal participou de questões relevantes ao longo da história. Em seguida, discutiremos as leis vigentes atualmente em nosso País a respeito da atuação de intérpretes em tribunais, bem como apontaremos falhas no cumprimento de códigos de ética existentes ao redor do mundo. Com este trabalho propomos uma reflexão acerca do trabalho do intérprete de tribunal no Brasil, comparando ao que é feito em outros países, e ao mesmo tempo demonstrando o quanto ainda temos de percorrer para alcançarmos o patamar de profissionais respeitados.; Court Interpreting is part of the Legal area in Interpretation Studies but it is not broadly studied in Brazil. In this paper we show a brief historical scenerio of Interpretation in Brazil and in the world, pointing out the importance of Court Interpreting in relevant questions through History. We will discuss the current laws in our country on the interpreters activity in the Court, also suggesting failures related to the use of Code of Ethics made in another countries. In this work we propose the reflection on the court interpreters’ work in Brazil...

Competência em interpretação - um breve estudo da interpretação em língua B; Competence in interpreting: a brief study into a B language interpreting

Camargo, Patrícia Gimenez
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 15/10/2014 POR
Relevância na Pesquisa
46.16%
This paper analyses the interpretation into a B language using the study of PACTE’s translation competence model (2003) and Gile’s Effort Model (1995), in order to answer the question: are competences in translation and in interpreting from the same nature? The main objective here is to verify if translation and interpreting use the same sub-competences and, additionally, if these sub-competences act in the same way in both processes.; O presente artigo analisa a interpretação em língua B a partir do estudo do modelo de competência tradutória do PACTE (2003) e do Modelo dos Esforços de Gile (1995), para responder à indagação: as competências empregadas na tradução e na interpretação são da mesma natureza? O objetivo principal é verificar se a tradução e a interpretação utilizam as mesmas subcompetências e, além disso, se essas subcompetências atuam de mesma forma em ambos os processos.

Comportamentos e atitudes essenciais na interpretação de acompanhamento: A perspectiva dos clientes; Essential behaviors and attitudes in escort interpreting): a clients’ perspective

Torres, Milton L.; Silva, Josiane da
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 15/10/2014 POR
Relevância na Pesquisa
46.11%
Esta pesquisa se volta para a modalidade da interpretação de acompanhamento (escort interpreting) com o objetivo de analisar as questões referentes ao trabalho do intérprete, a partir do ponto de vista de seus clientes. Discute-se aqui a atuação desse tipo de intérprete no mercado da cerâmica, a fim de identificar quais seriam os elementos essenciais, na prática interpretativa, que deveriam nortear o trabalho do profissional da interpretação de acompanhamento quando atuando na área de negócios. Os resultados apontam para o fato de que os intérpretes não só devem ter conhecimentos técnicos na área, mas também familiaridade com os equipamentos. Dentre outros aspectos, a pesquisa mostrou ainda que o intérprete precisa ter conhecimento amplo das culturas com as quais trabalha, ser pontual e cortês, agir como profissional e se vestir adequadamente.; This paper studies escort interpreting in order to examine issues pertaining to the work of the interpreter from the point of view of their customers. This study discusses the performance of this type of interpreter in the ceramic market so as to point to the essential elements that will make an escort interpreter successful when working in the business environment. The results point to the fact that interpreters must not only have expertise in the field...

Uma restrição à interpretação kripkiana de enunciados de identidade

Barroso, Cícero Antônio Cavalcante; UFC
Fonte: SFL – Seminário Filosofia da Linguagem Publicador: SFL – Seminário Filosofia da Linguagem
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 04/04/2015 POR
Relevância na Pesquisa
46.41%
Kripke interpreta enunciados de identidade do tipo "a=b", onde 'a' e 'b' são nomes próprios, como enunciados de autoidentidade. Este artigo esclarece por que essa interpretação é adotada por Kripke e mostra, a partir de alguns exemplos, que não é correto empregá-la irrestritamente. São apresentados então alguns argumentos que indicam que há pelo menos dois tipos de contexto de interpretação de enunciados de identidade do tipo "a=b". Em um tipo, deve-se empregar a interpretação kripkiana e, no outro, deve-se empregar uma interpretação segundo a qual enunciados de identidade do tipo "a=b" são enunciados a respeito dos nomes 'a' e 'b', ou a respeito de pelo menos um deles. Na sequência, esses contextos são caracterizados e um argumento de Kripke é revisto e discutido.AbstractKripke interprets identity statements of the "a=b" type, where 'a' and 'b' are proper names, as self-identity statements. This article makes it clear why this interpretation is adopted by Kripke and departs from a few examples to show that it is not correct to use it unrestrictedly. Then some arguments are presented indicating that there are at least two types of interpretation context of identity statements of the "a=b" type. In one type, one should employ kripkian interpretation and...

Em Torno da Interpretação Deleuzeana do Conceito de Multiplicidade em Bergson

Santos, Zamara Araújo dos; Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia – UESB
Fonte: Revista Sul-Americana de Filosofia e Educação Publicador: Revista Sul-Americana de Filosofia e Educação
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf
Publicado em 27/09/2011 POR
Relevância na Pesquisa
46.19%
O presente trabalho visa apresentar a interpretação deleuzeana do conceito de multiplicidade em Bergson, considerando que ao separar-se do dualismo que distingue o Uno e o Múltiplo, Bergson concebe a multiplicidade como diferença de qualidade e diferença de quantidade, e a partir disso, pensará a divisão que se opera entre duração e espaço.