Página 1 dos resultados de 27 itens digitais encontrados em 0.038 segundos

"Do sertão para o mar - um estudo sobre a experiência portuguesa na América, a partir da colônia: o caso do diretório dos índios (1751-1798)" ; Of the hinterland for the sea - a study on the portuguese experience in America, from the Colony: the case of the Directory of the Indians (1751-1798)

Coelho, Mauro Cezar
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 26/05/2006 PT
Relevância na Pesquisa
55.97%
Este trabalho tem por objeto de estudo o Directorio que se deve observar nas Po-voaçoens dos Índios do Pará, e Maranhão em quanto Sua Magestade não mandar o contrário - legisla-ção implementada no Estado do Grão-Pará e Maranhão, entre os anos de 1758 e 1798. Ela-borada em meio às intervenções do ministério de Sebastião José de Carvalho e Melo para a região, essa lei tem sido vista pela historiografia como uma lei pombalina. A análise bus-cou acompanhar os processos de formulação da lei. Assim, a tese propõe uma compreen-são distinta da comumente aceita: o Diretório dos Índios (como a lei ficou conhecida) sur-giu como um desdobramento dos conflitos havidos entre a Metrópole portuguesa e sua Colônia americana. Logo, não se trata de uma lei pombalina, mas de uma resposta do mi-nistério de Carvalho e Mello ao conflito que se lhe apresentou – a qual incorpora demandas coloniais e metropolitanas. Por outro lado, a tese buscou compreender o exercício da lei e, nesse sentido, tratou de evitar concebê-lo como o desdobramento lógico do que dispunham os seus dispositivos legais. Antes, tratou de entendê-lo como relacionado ao contexto que o fez emergir. Dessa forma, a tese busca evidenciar que os conflitos que provocaram a lei foram determinantes para a conformação da sua aplicação e trata de analisar...

Notas sobre o caldo de cultura que permeia os atuais embates no campo indigenista

Santilli, Paulo José Brando
Fonte: Universidade Estadual Paulista Publicador: Universidade Estadual Paulista
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 35-61
POR
Relevância na Pesquisa
45.81%
Unlike neighboring countries whose constitutions define their multicultural and multiethnic statutes, the indigenous rights inscribed on Brazilian Constitution are primarily defined by the recognition of territorial occupation. At this moment when the political struggles brings into question the validity of these rights, the text aims to discuss the extent of its application since enactment of the Brazilian Constitution; À diferença de países vizinhos, cujas constituições definem seus estatutos multicultural e pluriétnico, no Brasil os direitos constitucionais indígenas inscrevem-se primordialmente pelo reconhecimento da ocupação territorial. No presente momento, em que embates políticos colocam em questão a vigência destes direitos, o texto faz uma avaliação do alcance de sua aplicação desde a promulgação da Constituição brasileira.

Tupis, tapuias e historiadores : estudos de historia indigena e do indigenismo

John M. Monteiro
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Livre Docência Formato: application/pdf
Publicado em /08/2001 PT
Relevância na Pesquisa
35.9%
Não informado; Not informed

Para além do "caráter ou qualidade de indígena" : uma história do conceito de indigenismo no Brasil; Beyond the “character or quality of indigenous”: a history of the concept of indigenism in Brazil; Para allá del “carácter o cualidad de indígena”: una historia del concepto de indigenismo en el Brasil.

Portela, Cristiane de Assis
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Tese
POR
Relevância na Pesquisa
46.52%
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Programa de Pós-Graduação em História, 2011.; Partindo das indicações de Reinhart Koselleck acerca da história dos conceitos, buscamos a definição de conceitos antitéticos assimétricos a fim de problematizar as ideias relacionadas ao conceito de indigenismo no Brasil. A tese consiste em uma historicização desse conceito, buscando na intelectualidade brasileira do século XIX os elementos que conferiram significado ao termo. Argumentamos que o conceito de indigenismo, conforme hoje concebemos, carrega consigo o peso semântico e as marcas das oposições construídas historicamente em torno do tema. A fim de sustentar esse argumento, dedicamo-nos à interpretação de fontes diversificadas da literatura do período (especificamente nas obras de José Bonifácio, Robert Southey, Gonçalves Dias, Couto de Magalhães, Francisco Varnhagen e Gonçalves de Magalhães) e das publicações nas revistas do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (IHGB), no período entre 1839 e 1889, sendo tais análises subsidiadas pela leitura de historiadores e pesquisadores de áreas afins. Buscamos evidenciar que o conceito de indigenismo garantiu uma eficácia aos constructos de tipo colonial...

Do Araguaia ao Planalto : uma auto-análise da gestão de políticas públicas em educação escolar indígena

Fialho, Maria Helena Sousa da Silva
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
36%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Centro de Desenvolvimento Sustentável, 2012.; Este trabalho apresenta um relato autoetnográfico sobre a minha experiência na gestão de políticas públicas, no contexto da educação escolar indígena. Relato o processo da minha formação e inserção no indigenismo, tendo como foco a reflexão sobre a minha prática profissional na educação escolar indígena, ao longo de uma década. Busco compreender como se estabeleceu a política nacional de educação escolar indígena, analisando criticamente as conquistas, tensões e retrocessos que marcaram a história recente dessa política pública. Realizo esse exercício sob o ponto de vista de quem participou ativamente desse processo (ou seja como insider), exigindo uma atenção permanente e um esforço de crítica e autocrítica. _______________________________________________________________________________________ ABSTRACT; This paper presents a self-ethnographic narrative about my experience in managing public policies, in the context of indigenous education. The work is based on my learning process and my introduction to the indigenous culture, or “indigenismo”, focusing on reflections about my professional work in the indigenous education for over a decade. I sought to understand how a national policy for indigenous education was established...

Indigenismo e ambientalismo na Amazônia Ocidental : à propósito dos Ashaninka do rio Amônia

Pimenta, José Antonio Vieira
Fonte: Departamento de Antropologia - Universidade de São Paulo Publicador: Departamento de Antropologia - Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
46.14%
A partir de um olhar centrado nos Ashaninka do rio Amônia, região do alto Juruá, este artigo discute as relações entre indigenismo e ambientalismo que marcaram a história do Acre nos últimos vinte anos. No contexto regional da Aliança dos Povos da Floresta, os Ashaninka se organizaram progressivamente contra a exploração predatória de madeira e buscaram alternativas econômicas pautadas na ideologia do “desenvolvimento sustentável”. Ao longo dos últimos quinze anos, eles se tornaram um arquétipo do “índio ecológico” e adquiriram uma visibilidade política inédita. Recentemente, criaram a Escola Yorenka Ãtame (Saber da Floresta), que objetiva fomentar e difundir os ideais do “desenvolvimento sustentável” por toda a bacia do alto Juruá. Ao retraçar a trajetória específica e a inserção dos índios do rio Amônia nesse contexto regional, este artigo procura refletir sobre as relações dos povos indígenas com o “novo” paradigma do desenvolvimento amazônico. _________________________________________________________________________________ ABSTRACT; Focusing on the Ashaninka of the Amonia River in the Upper Juruá River basin, this article discusses the connection between indigenism and environmentalism as these have greatly influenced the history of Acre in the last twenty years. Within the regional context of the “Forest Peoples Alliance...

Indigenismo : um orientalismo americano

Ramos, Alcida Rita
Fonte: Departamento de Antropologia - Universidade de Brasília Publicador: Departamento de Antropologia - Universidade de Brasília
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
46.17%
Desde os anos 1940, marco importante na sua história, o indigenismo tem desvendado todo um mundo empírico e teórico sobre as relações extremamente desiguais entre os povos indígenas e os Estados-nações, especialmente, na América Latina. Inicialmente dedicado ao papel do Estado como disciplinador dessas relações, o indigenismo tem passado por transformações conceituais ao sabor das mudanças vividas por seus protagonistas. É hora, portanto, de redefinir o que é indigenismo.

A missão Summer Institute of Linguistics e o indigenismo latino-americano: história de uma aliança (décadas de 1930 a 1970)

Barros,Maria Cândida Drumond Mendes
Fonte: Departamento de Antropologia, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo - FFLCH/USP Publicador: Departamento de Antropologia, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo - FFLCH/USP
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2004 PT
Relevância na Pesquisa
36.05%
O trabalho aborda a história da aliança entre a missão evangélica Summer Institute of Linguistics e os intelectuais latino-americanos entre as décadas de 1930 e 1970. A proposta é reconstruir o contexto político e intelectual em que essa aliança ocorreu no México, Peru e Brasil. Em particular, será focalizado o papel do Instituto Indigenista Interamericano como espaço de contato da missão com os governos latino-americanos.

Roteiro para uma história da educação escolar indígena: notas sobre a relação entre política indigenista e educacional

Oliveira,Luiz Antonio de; Nascimento,Rita Gomes do
Fonte: Centro de Estudos Educação e Sociedade - Cedes Publicador: Centro de Estudos Educação e Sociedade - Cedes
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2012 PT
Relevância na Pesquisa
45.92%
O texto visa apresentar um roteiro para a história das políticas educacionais voltadas para os povos indígenas, a partir da consideração das suas relações com as políticas indigenistas. Na articulação entre os campos indigenista e da educação sugere pensar como as questões das diferenças culturais dos povos indígenas orientaram diferentes projetos de educação escolar indígena. No roteiro proposto, parte-se do período "assimilacionista" e "civilizatório" do início do século XX, marcado pela ideia de uma necessária unidade da nação, passando pelas reformas desta política em que é reconhecida a importância do ensino bilíngue nos processos de escolarização, até o momento atual, caracterizado pela busca do reconhecimento da diversidade cultural como direito fundamental, colocando novos desafios para as políticas educacionais.

História, arte e política: o muralismo do boliviano Miguel Alandia Pantoja

Andrade,Everaldo de Oliveira
Fonte: Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho Publicador: Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2006 PT
Relevância na Pesquisa
46.15%
Este artigo pretende avaliar em que medida arte e política se expressaram na criação e na ação do artista e militante político boliviano Miguel Alandia Pantoja, ativo participante de momentos centrais da História do seu país como a guerra do Chaco, a revolução de 1952 e a Comuna de La Paz de 1971. As influências do indigenismo andino e do muralismo mexicano parecem ter-se cruzado com as opções políticas de Alandia e com seu engajamento na proposta dos artistas ligados ao Manifesto por Uma Arte Revolucionária e Independente lançado por André Breton, Diego Rivera e Leon Trotski em 1936, permitindo o surgimento de uma obra original, polêmica e marcante para a História latino-americana.

Tempo, memória e narrativa kaingang no oeste catarinense

Almeida, Carina Santos de
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 542 p.| il., tabs.
POR
Relevância na Pesquisa
26.31%
Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em História, Florianópolis, 2015.; Este estudo acerca dos Kaingang da Terra Indígena Xapecó orienta-se pelas relações estabelecidas do povo com o ambiente e seus desdobramentos, visa dessa forma apresentar os meandros da atuação da proteção tutelar no contexto da transformação da paisagem e as consequentes rupturas, impactos e/ou continuidades no modo de vida e no habitus social Kaingang. A temporalidade deste estudo conduziu-se a partir dos registros e descrições relacionadas aos Kaingang do século XVIII e alcança a contemporaneidade. Os encontros e desencontros dos Kaingang com não índios em terras meridionais foram registrados em descrições de cunho etnográfico e representam momentos decisivos na trajetória histórica do povo. Por outro lado, foi a partir dos oitocentos e, sobretudo, dos novecentos que a espacialização e a territorialidade Kaingang deslocaram-se visceralmente da condição de mobilidade para a de homo situs, impactando as relações do povo no tempo/espaço. A indigeneidade da paisagem marca as narrativas de história e memória dos Kaingang ressaltando a existência do tempo dos ?antigos? e do tempo de ?agora?. As reminiscências mnemônicas expressas entre silêncios...

Análise das interpretações do governo Evo Morales: o legado histórico e o poder nacional-indígena

Aguiar, Jórissa Danilla Nascimento
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais; Desenvolvimento Regional; Cultura e Representações Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais; Desenvolvimento Regional; Cultura e Representações
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.04%
This work aims to analyze the interpretations about Evo Morales' government in Bolivia. For such, it proposes a theoretical reclaim of Marxism in Latin America, as well as of Bolivian political history since the 1952 Revolution, going through the crisis in Pacted Democracy intensified in the five-year conjuncture of struggles started in 2000 up to the election and reelection of Morales. It departs from an empirical prior conjecture taken from a qualitative analysis and a broad literature review to analyze the different interpretations of the Bolivian political process from Marxist theoretical matrices. After this historical recovery and this reading of contemporary Bolivia, it concludes with a consideration about the formation of a possible new block of power in the country, with the retaking of nationalism and Indianism as revolutionary reasons; Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Este trabalho tem como foco a análise das interpretações do governo de Evo Morales, na Bolívia. Para tanto, propõe uma retomada teórica do marxismo na América Latina, bem como da história política boliviana desde a revolução de 1952, passando pela crise da democracia pactuada intensificada no quinquênio de lutas iniciado no ano 2000 até a eleição e reeleição de Morales. Partimos...

"Civilização" e "Revolta" : povos botocudo e indigenismo missionario na Provincia de Minas

Izabel Missagia de Mattos
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 20/12/2002 PT
Relevância na Pesquisa
46.27%
Situada nas fronteiras disciplinares da etnologia e da história, a tese propõe analisar processos de sustentação de formas e estratégias indígenas observados na história dos povos Botocudo e do indigenismo. A pesquisa enfoca três diferentes períodos: no primeiro, mediante a hegemonia indígena nos sertões, são examinados os instrumentos políticos e dialógicos da negociação de sua "pacificação" (1750-1861); no segundo (1861-1920) o "desaparecimento" dos "silvícolas" é enfocado sob a estratégia nacionalizadora da mestiçagem, a partir do acompanhamento etnográfico da fundação, desenvolvimento e declínio das missões capuchinhas em Minas Gerais e do papel dos indígenas neste processo; no terceiro, o "ressurgimento" contemporâneo dos Aranã é acompanhado de acordo com a ressemantização dos valores apresentada na memória social indígena. O conceito-chave que articula a análise é o de etnohistória, o qual, constituindo, por um lado, um instrumento metodológico para organizar o material documental de modo a conferir visibilidade à presença dos atores indígenas na história, por outro lado, quando considerado um instrumento heuristico dos próprios povos nativos, revela-se na analise dos processos de auto-descoberta dos indígenas enquanto sujeitos históricos inseridos no interior de redes de relações intersocietárias instauradas pelo indigenismo.; Situated along the border between ethnology and history...

Fotografia, historia e indigenismo : a representação do real no SPI

Paulo Humberto Porto Borges
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 01/03/2003 PT
Relevância na Pesquisa
45.95%
Este trabalho procura discutir quais as possibilidades da fotografia enquanto documento histórico. Entendendo a linguagem fotográfica como produto das relações históricas dos homens com o meio e dos homens com os homens, o presente trabalho tem como objetivo discutir a linguagem fotográfica produzida pelo Serviço de Proteção ao Índio e seus vínculos com a política indianista do órgão, investigando a questão teórico-metodológica da fotografia enquanto fonte histórica. Ao analisar estas questões que perpassam pela história da fotografia no Brasil e a política indianista do Serviço de Proteção ao Índio, a linha mestra deste trabalho será a discussão e conceituação da fotografia enquanto materialidade, documento histórico e suas possibilidades de leitura e interpretação e, conseqüentemente, suas possibilidades na leitura de uma dada realidade histórica. Um documento que possui as marcas de seu tempo e de seus autores - personagens reais e contextualizados em seu período - e, em especial, na qualidade de vetores visuais de determinados acontecimentos históricos, tendo como objeto de análise parte da produção fotográfica do alemão Heinz Foerthmann, um dos principais fotógrafos do SPI na década de 40.; This work search to discuss which the possibilities of the picture while historical document. It is understanding the photographic language as product of the relationships historical of the men with the middle and of the men with the men...

Indigenismo sanitário? Instituições, discursos e políticas indígenas no Brasil contemporâneo; Sanitary indigenism? Institutions, discourses and indigenous politics in contemporary Brazil

Varga, István Van Deursen
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 30/03/1992 POR
Relevância na Pesquisa
35.97%
Pretende-se uma visão histórica da trajetória dos serviçoes institucionais de saúde prestados a grupos indígenas no pais, buscando explicitar os prováveis paralelismos, continuidades ou confrontações diretas entre sua metodologia e técnicas, seus escopos teóricos, filosóficos e ideológicos, com as mais expressivas correntes de pensamento presentes no cenário dessa "trama interétnica" dentre as quais as da própria antropologia. A natureza do trabalho remete a uma reflexão necessária acerca da multidisciplinaridade.; .

A Cobra Grande: uma introdução à cosmologia dos povos indígenas do Uaça e Baixo Oiapoque - Amapá

Estorniolo, Milena
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 30/03/2009 POR
Relevância na Pesquisa
35.85%
VIDAL, Lux. A Cobra Grande: uma introdução à cosmologia dos povos indígenas do Uaça e Baixo Oiapoque - Amapá. Rio de Janeiro: Museu do Índio, 2007. 68 p.O livro A Cobra Grande: uma introdução àcosmologia dos povos indígenas do Uaçá e BaixoOiapoque – Amapá, de Lux Boelitz Vidal, abrea série Publicação Avulsa do Museu do Índio,criada com o intuito de difundir estudos sobreo acervo e as exposições etnográficas promovi-das pela instituição. A autora é professora apo-sentada da Universidade de São Paulo e umadas coordenadoras do Núcleo de História In-dígena e do Indigenismo (NHII – USP), que,desde 1990, desenvolve pesquisas no Amapá,das quais o livro é um dos resultados.

A missão Summer Institute of Linguistics e o indigenismo latino-americano: história de uma aliança (décadas de 1930 a 1970)

Barros, Maria Cândida Drumond Mendes
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/2004 POR
Relevância na Pesquisa
36.05%
O trabalho aborda a história da aliança entre a missão evangélica Summer Institute of Linguistics e os intelectuais latino-americanos entre as décadas de 1930 e 1970. A proposta é reconstruir o contexto político e intelectual em que essa aliança ocorreu no México, Peru e Brasil. Em particular, será focalizado o papel do Instituto Indigenista Interamericano como espaço de contato da missão com os governos latino-americanos.; This work outlines the history of the alliance between the Evangelical Mission Summer Institute of Linguistics and Latin American scholars between the 1930s and 1970s, aiming to reconstruct the political and intellectual context of this alliance in Mexico, Peru and Brazil. Particular focus will be drawn to the role that the Interamerican Indigenist Institute played in providing links between the Mission and Latin American governments.

Indigenismo e ambientalismo na Amazônia ocidental: a propósito dos Ashaninka do rio Amônia

Pimenta, José
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/12/2007 POR
Relevância na Pesquisa
46.14%
A partir de um olhar centrado nos Ashaninka do rio Amônia, região do alto Juruá, este artigo discute as relações entre indigenismo e ambientalismo que marcaram a história do Acre nos últimos vinte anos. No contexto regional da Aliança dos Povos da Floresta, os Ashaninka se organizaram progressivamente contra a exploração predatória de madeira e buscaram alternativas econômicas pautadas na ideologia do"desenvolvimento sustentável". Ao longo dos últimos quinze anos, eles se tornaram um arquétipo do"índio ecológico" e adquiriram uma visibilidade política inédita. Recentemente, criaram a Escola Yorenka Ãtame (Saber da Floresta), que objetiva fomentar e difundir os ideais do"desenvolvimento sustentável" por toda a bacia do alto Juruá. Ao retraçar a trajetória específica e a inserção dos índios do rio Amônia nesse contexto regional, este artigo procura refletir sobre as relações dos povos indígenas com o"novo" paradigma do desenvolvimento amazônico.; Focusing on the Ashaninka of the Amonia River in the Upper Juruá River basin, this article discusses the connection between indigenism and environmentalism as these have greatly influenced the history of Acre in the last twenty years. Within the regional context of the"Forest Peoples Alliance...

Resenha do livro: 'Estudio sobre política indigenista española en América'

Magalhães, Erasmo D'Almeida
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, D. História Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, D. História
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 30/03/1977 POR
Relevância na Pesquisa
35.83%
Estão reunidos nos dois volumes 37 estudos, abordando uma gama variada sobre os resultados advindos do contacto cultural entre o missionário e o indígena. Os trabalhos foram apresentados e discutidos no simpósio comemorativo do V Centenário do Padre Bartolomeu de las Casas. Os estudos estão distribuidos por dez secções a saber: 1. - "El inicio del indigenismo", 2. - "Demografia y salubridad", 3. - ''Linguística: el indígena y los problemas idiomáticos", 4. - ''El indígena: su sedentarización y poblamiento", 5. - "La condición jurídico-social dei indígena", 6. - ''El cambio de ideas: los problemas religiosos", 7. - "Regimen. de vida y problema escologicos", 8. - "Servidos personales", 9. - ''Regimen de encomienda: los tribUtos", 10;El choque y la pugna de ocupación".

Deslegitimação das diferenças étnicas, “cidanização” e desamortização das terras de índios: notas sobre liberalismo, indigenismo e leis agrárias no México e no Brasil na década de 1850

Moreira, Vânia Maria Losada; Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 30/01/2013 POR
Relevância na Pesquisa
45.91%
http://dx.doi.org/10.5007/1984-9222.2012v4n8p68Neste artigo, busco refletir sobre a desamortização das terras indígenas no Brasil,  durante a segunda metade do século XIX, por meio de uma abordagem comparativa com o caso mexicano no mesmo período.  Na primeira parte do texto, discuto a “nacionalização” e a “cidanização” dos índios como um processo inicialmente muito mais imposto pela ação estatal do que reivindicado por eles. Na segunda, problematizo a desamortização das terras indígenas no âmbito do ideário liberal e das leis agrárias de ambos os países. Procuro demonstrar que a desamortização exerceu uma pressão dissociativa sobre as comunidades indígenas e isto reiterava e acelerava a política de “nacionalização” e “cidanização” dos índios.