Página 1 dos resultados de 1887 itens digitais encontrados em 0.044 segundos

Jacob Rosales/Manoel Bocarro Francês: judaísmo, sebastianismo, medicina e ciência na vida intelectual de um médico judeu português do século XVII.; Jacob Rosales / Manoel Barroco Francês: judaism, sebastianism, medicine and science in the intellectual life of a jewish portuguese doctor in the seventeenth century.

Carvalho, Francisco de Assis Moreno de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 10/10/2011 PT
Relevância na Pesquisa
85.83%
O objetivo deste trabalho é abordar a produção intelectual de um médico judeu português, Manoel Bocarro Francês/Jacob Rosales. Personagem pouco estudado, não se inclui entre as figuras centrais no pensamento judaico, nem na medicina e nem na ciência de seu tempo. Mas é um personagem que uniu em sua vida intelectual uma adesão ao judaísmo ao lado de vasta produção e atuação no movimento sebastianista, sendo o único caso conhecido de um judeu que professava sua crença na volta do Encoberto Conviveu e partilhou sua atividade intelectual com grandes figuras de seu tempo, como Galileu Galilei, o famoso médico Zacuto Lusitano e o rabino Menashe ben Israel. Seus escritos eram conhecidos pelo padre Antônio Vieira e a influência dos mesmos no sebastianismo se fizeram sentir em Portugal até o século XIX. Trazer um retrato vivo deste personagem, de suas ideias, contradições e discutir seu lugar na vida intelectual, quer do mundo judaico de sua época quer na história da medicina e do pensamento científico do século XVII, é o objetivo deste trabalho.; This study aims to discuss a Jewish-Portuguese physician, Manoel Bocarro Frances / Jacob Rosales. A figure who has not been much studied, he is not included among the central characters of the Jewish thinking and neither of the medicine or the science of his time. However...

Em busca da cura: a institucionalização da medicina acadêmica em Belém e sua relação com outras práticas terapêuticas, entre 1889 e 1925; In search of healing: the institutionalization of academic medicine in Belem and its relationship with other therapeutic practices between 1889 and 1925

Silva, Jairo de Jesus Nascimento da
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 10/04/2014 PT
Relevância na Pesquisa
95.77%
Este trabalho analisa o processo de institucionalização da medicina acadêmica em Belém, entre 1889 e 1925, envolvendo o período posterior ao processo de proclamação da república no Brasil e a formação da primeira turma da Faculdade de Medicina e Cirurgia do Pará. O objetivo principal deste trabalho é mostrar que a institucionalização da medicina acadêmica em Belém não ocorreu sem conflito. Estes emergiam do interior da própria classe médica e, também, relacionavam-se às disputas dos médicos acadêmicos com outros terapeutas (homeopatas, farmacêuticos, práticos de farmácia, curandeiros, espíritas, etc.), visando a conquista do monopólio da cura. Para a realização deste trabalho foram utilizados Relatórios, Falas e Mensagens de governo do estado do Pará, Relatórios da Junta de Higiene, do Serviço Sanitário, documentos da Sociedade Médico-Cirúrgica do Pará, da Faculdade de Medicina e Cirurgia do Pará, e periódicos diversos (jornais e revistas). Com base nesta documentação constatou-se que os médicos acadêmicos, para alcançar seus objetivos, recorreram a diversas estratégias, ocupando cargos na administração pública, defendendo suas ideias através da imprensa, criando instituições e combatendo seus concorrentes. Mesmo tendo criado suas instituições e fechado o cerco contra seus concorrentes...

Da medicina biomedica a complementar : um estudo dos modelos da pratica medica

Nelson Felice de Barros
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 22/03/2002 PT
Relevância na Pesquisa
75.9%
As questões examinadas nesta pesquisa pertencem ao campo da saúde e dizem respeito, acima de tudo, ao condicionamento social e filosófico da prática médica no ocidente. Foram usados como referência os conceitos sociológicos de campo e habitus, de Bourdieu, e os conceitos epistemológicos de Bachelard, Canguilhem, Foucault, Feyerabend, Kuhn e Santos para compreender os modelos da medicina biomédica, da medicina alternativa e da medicina complementar. Utilizou-se, também, o modelo que identifica o profissional biomédico como puro, o profissional da medicina alternativa como convertido, e o profissional da medicina complementar como híbrido. Elegeu-se a metodologia qualitativa para os trabalhos de campo e análise do material. Foram entrevistados sete médicos, em, pelo menos, cinco encontros cada um; a duração média foi de uma hora por encontro. A distribuição dos profissionais é de um puro, um convertido e cinco híbridos, escolhidos de acordo com a metodologia adotada. Seguiuse um roteiro de entrevistas padronizado e as respostas foram gravadas em fitas k - 7. Depois de transcrito, o material foi submetido às etapas de leitura, classificação, categorização e análise. O modelo biomédico foi construído a partir de material sobre a história da medicina no ocidente...

História da fisioterapia em Portugal: da origem a 1966

Fonseca, João Pedro da
Fonte: Instituto Politécnico de Lisboa Publicador: Instituto Politécnico de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
85.75%
Mestrado em Fisioterapia.; Em 1851, Gleich usa pela primeira vez o termo de Fisioterapia. Surge num momento em que a arte de curar o campo médico, procurava corresponder à necessidade que a sociedade tinha de cuidados de saúde mais eficazes. A área médica procurou a exclusividade da ginástica, da aplicação da mecanoterapia, da electroterapia, da massagem e da hidroterapia. O termo Fisioterapeuta surge em Portugal em 1918 e Serviço de Fisioterapia em 1917 num Instituto da Casa Pia de Lisboa e em 1918 no Hospital de São José. O movimento Higienista do fim do seculo XIX reconheceu a qualidade de agente terapêutico à fisioterapia conferindo-lhe estatuto, através do desenvolvimento de um saber teórico, contudo abstracto próprio da Universidade. O percurso histórico da Fisioterapia em Portugal é analisado até 1966, data da criação oficial da Escola de Saúde de Alcoitão; dá-se também ênfase ao Laboratório de São José e ao contexto do seu aparecimento. O desenvolvimento da Fisioterapia em Portugal ocorre em períodos históricos semelhantes a diversos países da Europa.; ABSTRACT - In 1851, Gleich employs for the first time the word Physiotherapy it appears in moment in which the medical field, search to answer the needs of the society for more efficient care. In this way...

Traços da medicina na azulejaria de Lisboa

Pina, Madalena Esperança
Fonte: Faculdade de Ciências Médicas. Universidade Nova de Lisboa Publicador: Faculdade de Ciências Médicas. Universidade Nova de Lisboa
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em //2007 POR
Relevância na Pesquisa
75.94%
RESUMO: A presente abordagem procura estabelecer uma relação entre a Medicina e a Azulejaria. Um conjunto de composições produzidas entre o século XVII e a década de 90 do século XX, localizado na área de Lisboa e seus arredores, organiza-se em torno de oito vectores que ilustram a presença de alusões à Medicina na Azulejaria da referida área. São estes, aspectos relacionados com a higiene, marcos da história da assistência, ciclos temáticos relacionados com os quatro elementos primordiais e com os cinco sentidos, representações ligadas à ideia de morte, episódios bíblicos, referências hagiográficas e elementos ligados à acção médica, como objectos, patologias, instituições ou acontecimentos, associados à Medicina, que atestam esta relação entre Arte e Ciência, de forma geral, e entre a Azulejaria e a Medicina, de forma particular. À análise destes vectores, antecede uma resenha histórica relativa à ligação entre Arte e Ciência e um apontamento histórico acerca da história da Azulejaria. Pretende-se demonstrar esta conexão interdisciplinar e reforçar a importância da vertente humanista da Medicina, na sua história, na sua aprendizagem e na sua prática.-------------------------------------ABSTRACT: The present approach aims at establishing a relation between Medicine and Tile Art. A group of compositions produced between the 17th century and the 1990s...

Breve história da otorrinolaringologia: otologia, laringologia e rinologia

Nogueira Júnior,João Flávio; Hermann,Diego Rodrigo; Américo,Ronaldo dos Reis; Barauna Filho,Iulo Sérgio; Stamm,Aldo Eden Cassol; Pignatari,Shirley Shizuo Nagata
Fonte: ABORL-CCF Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial Publicador: ABORL-CCF Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2007 PT
Relevância na Pesquisa
85.79%
O nariz, a garganta e o ouvido intrigam a humanidade desde os períodos mais remotos. Tratamentos laringológicos, rinológicos e otológicos, além de cirurgias, já eram praticados por médicos gregos, hindus e bizantinos. No século XX inovações clínicas e cirúrgicas foram incorporadas graças às novas técnicas anestésicas, aos antibióticos, à radiologia e às novas tecnologias. OBJETIVO E MÉTODO: Mostrar a evolução desta ciência ao longo dos tempos, reconhecendo figuras importantes da otologia, rinologia e laringologia por revisão em literatura. RESULTADO E CONCLUSÃO: O conhecimento das evoluções em anatomia, fisiologia, tratamentos clínicos e cirúrgicos, além das personalidades que conduziram a estes avanços é de grande importância para que a ciência médica evolua cada vez mais. A Otorrinolaringologia tem história muito rica, com importantes colaboradores e figuras de renome para a história da medicina. A especialidade foi uma das primeiras a utilizar anestesia local para realização de procedimentos, pioneira em tratamentos com próteses que recuperavam a audição e teve a primazia na utilização de microscópios em cirurgias. Poucas especialidades médicas sofreram tantas mudanças e desenvolvimentos científicos nestas últimas décadas quanto a Otorrinolaringologia que teve a vantagem de incorporar tecnologias na endoscopia...

O paradigma mecanicista da medicina ocidental moderna: uma perspectiva antropológica

Queiroz,Marcos de Souza
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/1986 PT
Relevância na Pesquisa
85.85%
Objetivou-se analisar, sob um ponto de vista antropológico, o paradigma "mecanicista" dominante na medicina ocidental moderna. Faz-se comentário crítico sobre o positivismo que sustenta este paradigma. Foi mostrado também como ele desenvolveu-se historicamente a ponto de dominar a percepção médica sobre saúde, doença e terapêutica, e como essa percepção deixou modernamente de compreender um amplo espectro da realidade a que se propõe compreender. Foram analisados alguns sistemas médicos "populares" e "primitivos", mostrando como eles incorporam o social no campo da medicina. Enfatiza-se a necessidade da medicina ocidental moderna recuperar o social e o cultural (como dimensões que moldam inevitavelmente a doença, os tratamentos e a cura) para sair da crise em que se encontra. Nesse sentido, recorrer à história e aos sistemas médicos "populares" e "primitivos" tem o propósito de contribuir para isso.

A medicina de Nina Rodrigues: análise de uma trajetória científica

Maio,Marcos C.
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/1995 PT
Relevância na Pesquisa
75.87%
Uma das maneiras mais profícuas de se pesquisar a história da medicina brasileira na passagem do século XIX para o XX é a investigação da trajetória profissional de determinados médicos que tiveram posições de relevo no processo de mudanças que atingiu o campo médico à época. Neste sentido, este artigo tem por objetivo analisar a carreira acadêmico-profissional de Raimundo Nina Rodrigues, a partir da noção de campo científico de Pierre Bourdieu. Partindo do princípio de que o campo médico é um espaço de confrontos estruturalmente determinado pelos embates passados, onde os médicos buscam monopolizar a autoridade/competência científica, considero que o perfil médico de Nina Rodrigues é um indicador preciso do processo de especialização e concorrência que se desenvolveu naquele momento.

Similia Similibus Curentur: notação histórica da medicina homeopática

Corrêa,A.D.; Siqueira-Batista,R.; Quintas,L.E.M.
Fonte: Associação Médica Brasileira Publicador: Associação Médica Brasileira
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/1997 PT
Relevância na Pesquisa
85.77%
A história da medicina homeopática foi discutida neste artigo, abordando-se as concepções de Hipócrates, Galeno, Paracelso e Hahnemann. Pretendemos dar uma idéia da evolução da ciência médica de um modo geral, incluindo, neste contexto, o surgimento gradativo das idéias que levaram Hahnemann a criar a homeopatia.

Diálogos entre Clio e Asclépio: Ivolino de Vasconcellos e a Revista Brasileira de História da Medicina

Amoroso,Mauro
Fonte: Casa de Oswaldo Cruz, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Casa de Oswaldo Cruz, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2007 PT
Relevância na Pesquisa
95.99%
O Instituto Brasileiro de História da Medicina foi fundado em 1945 pelo médico Ivolino de Vasconcellos. Como pretendia ter caráter nacional, foi criada também a Federação Nacional de História da Medicina e Ciências Afins. Esse grupo possuía uma concepção humanística de medicina, tendo a história da medicina papel central, por ser instrumento vital para a formação ética e humanista do profissional da área médica através da celebração de seus grandes nomes e realizações. Desse modo, foi lançada, em 1949, a Revista Brasileira de História da Medicina, publicação que estimulou a produtividade e a realização de eventos científico-acadêmicos em história da medicina e registrou as atividades da Federação, bem como sua produção científica.

Revista Brasileira de História da Medicina, pioneira da historiografia médica

Mendonça,Amanda; Nicolini,Gabriel Baptista
Fonte: Casa de Oswaldo Cruz, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Casa de Oswaldo Cruz, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2007 PT
Relevância na Pesquisa
95.94%
Apresenta as características gerais da Revista Brasileira de História da Medicina, que fez aflorar o campo da história da medicina no Brasil ao estimular a produção bibliográfica nessa área. A análise tem por propósito contribuir para ampliar a pesquisa em história da medicina e da ciência. A partir da descrição dos aspectos editoriais do periódico, pode-se ter uma idéia de como se organizava aquele campo entre os anos 1940 e 1960. A revista permite, ainda, mapear os congressos que visavam o intercâmbio entre médicos historiadores brasileiros e estrangeiros.

Ilza Veith (1912-2013) e Genevieve Miller (1914-2013): longas vidas dedicadas à história da medicina

Nunes,Everardo Duarte
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/07/2015 PT
Relevância na Pesquisa
85.83%
Resumo O artigo analisa aspectos biobibliográficos de duas historiadoras da medicina: Ilza Veith (1912-2013) e Genevieve Miller (1914-2013). Ambas fizeram a sua formação no Institute of History of Medicine da Johns Hopkins University e tiveram como mentor intelectual o historiador Henry Ernest Sigerist (1891-1957). Autoras de obras originais, Ilza no campo da medicina oriental e Genevieve no campo da história da ciência, ao longo da carreira tiveram importante participação na pesquisa, docência e divulgação da história da medicina, marcada pelo pioneirismo de suas atividades.

O curar ecológico na história da medicina

Pinto, Rui Carlos Santos
Fonte: Universidade de Évora Publicador: Universidade de Évora
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
95.89%
Esta tese procura estudar a história da medicina na perspectiva do acto ou cuidado ecológico. Começa por definir o cuidar, ecologia e cuidado ecológico. Realça-se a actualidade do tema em Portugal, estando a legislar sobre o tema em questão "as terapias não convencionais" (mais conhecidas por medicinas alternativas) tendo sido publicado uma lei impulsionadora em 2003. A Organização Mundial de Saúde lançou igualmente a sua estratégia para os anos de 2002 a 2005 com vista à implementação gradual após análise e validação destas práticas nos sistemas nacionais de saúde. Em seguida pesquisa-se no percurso da história da medicina a forma de cuidado regente, realçando as terapias ecológicas, que vigoram até ao final do século dezanove. Com as descobertas de meios químicos no combate às enfermidades os meios e abordagens naturais são substituídas pela abordagem tecno-científica, no entanto outras formas de cuidar subsistem com o tempo. Os terapeutas, da também denominada medicina não convencional, são os principais interpretes do cuidar ecológico ou naturológico. Trazem para os tempos modernos científicos a memória dos cuidados ancestrais. Nas ultimas duas décadas, tem havido uma procura crescente (20 a 50% na Europa) destes cuidados naturais que abordam holisticamente o Homem como ser integrante da natureza. Estão a ser regulamentadas em Portugal...

HISTÓRIA DA CIRURGIA DA CATARATA; THE HISTORY OF CATARACT SURGERY

Souza, Eduardo V.; Rodrigues, Maria de Lourdes V.; Souza, Nivaldo V.
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 30/12/2006 POR
Relevância na Pesquisa
85.83%
A história da cirurgia da catarata, de forma semelhante a outros procedimentos em Medicina, apresenta um curso circular, com repetições de idéias já relatadas e introdução de outras novas. Das ruínas da Babilônia antiga, surgiu a técnica de aspiração do cristalino, que permaneceu por um curto período de tempo. A idéia do deslocamento do cristalino para câmara vítrea veio da Índia e foi utilizada por mais de 3000 anos. Durante este período, foram feitas diversas outras tentativas esporádicas e localizadas para tratamento da catarata. Somente em 1750, o cirurgião francês Jacques Daviel realizou, com sucesso, a primeira extração extracapsular planejada. A idéia de abrir o olho para remover a catarata não foi bem aceita inicialmente, devido às dificuldades técnicas impostas pelo procedimento na época. A técnica intracapsular era mais fácil e, por isso, começou a arrebanhar adeptos por todo o mundo, tornando-se o método de escolha a partir do início do século XX. A partir de 1950, a utilização do microscópio cirúrgico, juntamente com o desenvolvimento da técnica extracapsular, da facoemulsificação e das lentes intra-oculares, nos levaram a uma nova era no tratamento da catarata, um tempo em constante mudança.; The history of cataract surgery...

Ciências humanas e medicina: as contribuições da história para a formação e a prática do médico; Human science and medicine: the contribution of history to medical education and practice

Mota, André; Schraiber, Lilia Blima
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 18/09/2012 POR
Relevância na Pesquisa
75.96%
Este artigo trata das possíveis contribuições da História para os profissionais e estudantes da Medicina. Incluindo-se no interior do atual debate acerca da importânciado ensino das Humanidades para a formação do futuro médico, identificam-se as particulares contribuições dessa disciplina científica para aprofundar o conhecimento da Medicina como prática ao mesmo tempo técnico-científica e social. Examinando-se em especial a perspectiva do cuidadocomo produto da prática do médico, no exercício de sua profissão, define-se esta noção de cuidado e justifica-se a tomada dos estudos sobre as práticas de saúde para considerar as contribuições da História. Nesse sentido, mostra-se metodologicamente de que modo a História das Práticas de Saúde diferencia-se dos estudos acerca da História das Ciências e também dos estudos de corte memorialista, ainda que guarde relações com ambos. São examinadas três categorias da análise histórica, a saber, as permanências, as rupturas e a circularidade, mostrando-se como se expressam relativamente à abordagem do adoecimentocomo experiência do paciente em interação com a construção da doença com base na nosografia médica, como experiência do médico. Tal construção interativa...

Símbolo da medicina; Medicine symbol

Nascimento, Clarissa Nóbrega Gambarra; Ramos, Moara de Oliveira; Lichtenstein, Arnaldo
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo de convidado Formato: application/pdf
Publicado em 21/06/2006 POR
Relevância na Pesquisa
85.7%
Este artigo aborda os aspectos histórico e mitológico do símbolo da medicina e a errônea difusão do caduceus de Hermes.; This article is about the mitologic and historicals aspects of the medicine symboland the wrong spread of Herme’s Caduceus.

Vida e obra do Professor Doutor Álvaro António Pinheiro Rodrigues

Leal,Mariana Maranhas Fonseca da Silva; Ferraz,Amélia Assunção Beira de Ricon
Fonte: ArquiMed - Edições Científicas AEFMUP Publicador: ArquiMed - Edições Científicas AEFMUP
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2014 PT
Relevância na Pesquisa
75.97%
Pela Faculdade de Medicina da Universidade do Porto passaram alguns dos mais importantes médicos e cientistas da História da Medicina portuguesa. O Professor Doutor Álvaro António Pinheiro Rodrigues foi um dos mais ilustres e distintos médicos desta instituição, contribuindo notavelmente para o avanço e desenvolvimento da Medicina. No Museu de História de Medicina “Maximiano Lemos” da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, existe um vasto espólio pessoal e profissional do Professor, doado pela família, que nos permite acompanhar o seu percurso académico, científico, clínico, de gestor hospitalar e de humanista. O Professor Doutor Álvaro Rodrigues terminou o curso geral de Medicina e Cirurgia na Faculdade de Medicina da Universidade do Porto em 1927. Defendeu a sua dissertação de doutoramento em 1930, pela qual foi reconhecido na comunidade científica nacional e internacional. Dedicou-se à investigação, no âmbito da Anatomia e da Cirurgia Experimental aplicando-se no estudo da disposição do sistema linfático e na linfangiografia. Posteriormente destacou-se pelas suas investigações inovadoras no campo da Oncologia, nomeadamente no esclarecimento do envolvimento do sistema linfático na sua patogenia e tratamento. Foi professor assistente de Anatomia bem como regente das disciplinas de Medicina Operatória e Histologia e Embriologia e foi nomeado Professor Catedrático da disciplina de Clínica Cirúrgica. Consagrou-se no exercício da medicina...

O paradigma mecanicista da medicina ocidental moderna: uma perspectiva antropológica

Queiroz,Marcos de Souza
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/1986 PT
Relevância na Pesquisa
85.85%
Objetivou-se analisar, sob um ponto de vista antropológico, o paradigma "mecanicista" dominante na medicina ocidental moderna. Faz-se comentário crítico sobre o positivismo que sustenta este paradigma. Foi mostrado também como ele desenvolveu-se historicamente a ponto de dominar a percepção médica sobre saúde, doença e terapêutica, e como essa percepção deixou modernamente de compreender um amplo espectro da realidade a que se propõe compreender. Foram analisados alguns sistemas médicos "populares" e "primitivos", mostrando como eles incorporam o social no campo da medicina. Enfatiza-se a necessidade da medicina ocidental moderna recuperar o social e o cultural (como dimensões que moldam inevitavelmente a doença, os tratamentos e a cura) para sair da crise em que se encontra. Nesse sentido, recorrer à história e aos sistemas médicos "populares" e "primitivos" tem o propósito de contribuir para isso.

Ilza Veith (1912-2013) e Genevieve Miller (1914-2013): longas vidas dedicadas à história da medicina

Nunes,Everardo Duarte
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/07/2015 PT
Relevância na Pesquisa
85.83%
Resumo O artigo analisa aspectos biobibliográficos de duas historiadoras da medicina: Ilza Veith (1912-2013) e Genevieve Miller (1914-2013). Ambas fizeram a sua formação no Institute of History of Medicine da Johns Hopkins University e tiveram como mentor intelectual o historiador Henry Ernest Sigerist (1891-1957). Autoras de obras originais, Ilza no campo da medicina oriental e Genevieve no campo da história da ciência, ao longo da carreira tiveram importante participação na pesquisa, docência e divulgação da história da medicina, marcada pelo pioneirismo de suas atividades.

A medicina de Nina Rodrigues: análise de uma trajetória científica

Maio,Marcos C.
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/1995 PT
Relevância na Pesquisa
75.87%
Uma das maneiras mais profícuas de se pesquisar a história da medicina brasileira na passagem do século XIX para o XX é a investigação da trajetória profissional de determinados médicos que tiveram posições de relevo no processo de mudanças que atingiu o campo médico à época. Neste sentido, este artigo tem por objetivo analisar a carreira acadêmico-profissional de Raimundo Nina Rodrigues, a partir da noção de campo científico de Pierre Bourdieu. Partindo do princípio de que o campo médico é um espaço de confrontos estruturalmente determinado pelos embates passados, onde os médicos buscam monopolizar a autoridade/competência científica, considero que o perfil médico de Nina Rodrigues é um indicador preciso do processo de especialização e concorrência que se desenvolveu naquele momento.