Página 1 dos resultados de 427 itens digitais encontrados em 0.083 segundos

A Sociologia no Brasil : história, teorias e desafios; Sociology in Brazil : history, theories, and challenges

Liedke Filho, Enno Dagoberto
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
115.83%
Este estudo focaliza a história da sociologia no Brasil e as recepções de tradições sociológicas européias e norte-americana pela sociologia brasileira. As etapas e os períodos da evolução da Sociologia e de sua institucionalização como disciplina acadêmico-científica no Brasil são apresentados em seus traços principais, assim como a situação atual da sociologia nas universidades, os principais campos de pesquisa da sociologia brasileira e os novos temas e novas abordagens que vieram a ser propostos para a explicação e/ou compreensão da situação social brasileira.; This study focuses on the history of sociology in Brazil and receptions of European and North American sociological traditions by Brazilian sociology. The stages and periods of development of Sociology and its institutionalization as an academic-scientific discipline in Brazil are presented in their main features, as well as sociology’s current situation at universities, the main fields of research of Brazilian sociology, and the new themes and approaches that came to be proposed for explaining and/or understanding Brazil’s social situation.

Fernando de Azevedo: dilemas na institucionalização da Sociologia no Brasil

Nascimento, Alessandra Santos
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 400 f. : tabs.
POR
Relevância na Pesquisa
105.82%
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Pós-graduação em Ciências Sociais - FCLAR; Esta tese objetiva compreender os dilemas e as contribuições de Fernando de Azevedo para o processo de institucionalização da Sociologia no Brasil, no período entre as décadas de 1930 e de 1960. Para satisfazer a tal propósito, adotou-se uma abordagem teórico-metodológica pautada pela idéia segundo a qual, a reconstrução da trajetória de Azevedo como intelectual, homem público e educador, apoiada na interpretação de sua obra (inclusive, de seu acervo pessoal de correspondências) assegurariam – ao serem cotejadas com a literatura especializada na história da institucionalização da Sociologia no Brasil e, em outros países da América Latina, e com a bibliografia sobre o autor – diretrizes significativas para, por um lado, entendermos parte das transformações que ocorreram nas esferas institucional, política, cultural e econômica do país, no período mencionado. E, por outro, para conhecermos as interpretações sobre estas e seus sujeitos sociais e, desse modo, o lugar de Fernando de Azevedo. Com semelhantes procedimentos, procurou-se entender este sociólogo de “corpo inteiro”: compreender suas estratégias...

Fernando de Azevedo: institucionalização da sociologia e modernização brasileira

Nascimento, Alessandra Santos
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
75.71%
O artigo desenvolve uma reflexão acerca da contribuição de Fernando Azevedo para a institucionalização da sociologia no Brasil, dando ênfase também a seu papel no processo de modernização ocorrido no país entre as décadas de 1930 e 1960. Nesse sentido, o trabalho procura articular “texto” e “contexto”, como uma opção metodológica, e aponta como hipótese principal que a trajetória institucional e as obras de Azevedo representam um caminho profícuo para se revisar criticamente algumas das explicações canônicas sobre a história das Ciências Sociais no Brasil. Em particular, são destacadas aquelas interpretações que abordaram o tema privilegiando o processo de institucionalização como viés explicativo, inclusive, dando ênfase à década de 1960 como o seu marco inicial. Como resultado do ângulo adotado foi possível chegar a uma versão distinta, ainda que preliminar, dessa história, mostrando que Fernando de Azevedo ocupou um lugar destacado tanto para a institucionalização das Ciências Sociais quanto para o processo de modernização do país.; This article proposes a reflection about the efforts of Fernando de Azevedo for the institutionalization of the sociology in Brazil. It focus his important role in the process of modernization occurred in this Nation during the decades of 1930’s to 1960’s. So...

Fernando de Azevedo: dilemas na institucionalização da sociologia no Brasil

Nascimento, Alessandra Santos
Fonte: Cultura Acadêmica Publicador: Cultura Acadêmica
Tipo: Livro
POR
Relevância na Pesquisa
85.73%
Alessandra Santos Nascimento discute, neste livro, o papel desempenhado por Fernando de Azevedo (1894-1974) na institucionalização da Sociologia no país, refletindo também acerca de atuação do sociólogo, professor e escritor mineiro radicado em São Paulo no processo de modernização do Brasil entre as décadas de 1930 e 1960. A pesquisadora lança a hipótese de que a trajetória institucional e a obra de Fernando Azevedo - que escreveu perto de duas dezenas de livros e centenas de ensaios e artigos, principalmente para o jornal O Estado de São Paulo - demonstram que a história das Ciências Sociais no Brasil demanda uma interpretação diferente da que hoje vigora quase como um cânone: a de que sua institucionalização teria ocorrido a partir da década de 1960. Para a autora, a atuação de Azevedo mostra que tal processo começou bem mais cedo: no fim dos anos 1920 ele já despontara como significativo intérprete da cultura nacional, apaixonado humanista e importante construtor institucional do que aos poucos se tornariam as Ciências Sociais brasileiras.

Gilberto Freyre e a sociologia no Brasil : da sistematização a constituição do campo cientifico

Simone Meucci
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 27/04/2006 PT
Relevância na Pesquisa
85.75%
O objetivo desta pesquisa é reconstruir alguns aspectos da trajetória intelectual de Gilberto Freyre no período compreendido entre o final dos anos 20 e o final dos anos 50, especialmente referidos à sistematização de suas idéias sociológicas. O ponto de partida da análise é a sua experiência docente na Escola Normal de Pernambuco durante os anos de 1929 e 1930, quando o autor reuniu as primeiras ferramentas conceituais a partir das quais foi possível produzir sua singular interpretação da sociedade brasileira e consagrar os estudos sociológicos no meio intelectual brasileiro. Em seguida, investigamos sua experiência docente na Universidade do Distrito Federal entre os anos de 1935 e 1937. Trata-se da única experiência em que o autor permaneceu, de forma mais ou menos estável, nos quadros de uma instituição de ensino superior brasileiro. A análise dos manuscritos de suas aulas permite compreender o sentido das suas idéias naquele período. Por fim, apresentamos uma análise das duas primeiras edições do compêndio Sociologia: uma introdução aos seus princípios, publicado pela primeira vez em 1945, um livro singular no conjunto da obra do autor, resultante de experiência docente nas duas instituições acima referidas. Na reconstrução desta trajetória - que compreende desde a artesania de suas idéias sociológicas até ambiência social e política que serviu de substrato para sua atividade intelectual - constatamos as diferentes expectativas de que a ciência sociológica foi depositária no Brasil; This research aims at reconstructing some aspects of Gilberto Freyre?s intellectual trajectory between the late 1920s and the late 1950s...

Florestan Fernandes e o lugar da USP na história da sociologia no Brasil

Guedes, André Teles
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
PT_BR
Relevância na Pesquisa
105.84%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Sociais, Departamento de Sociologia, 2007.; Esta é uma pesquisa sobre a Sociologia brasileira na década de 1950. Seu eixo de análise é a trajetória de Florestan Fernandes, acadêmico pioneiro, dono de vasta obra e significativa trajetória como construtor institucional na Universidade de São Paulo. O objetivo geral do trabalho é analisar suas reflexões sobre a origem da Sociologia acadêmica no país, confrontando-as com publicações daquela época. Florestan inaugurou uma narrativa que exalta os feitos da Sociologia universitária e, ao mesmo tempo, relega tanto as tradições ensaísticas quanto as pesquisas sociais conduzidas nos demais estados. Tal narrativa, presente em seus escritos de 1958, 1976 e 1978 teve prosseguimento nos estudos de Carlos Guilherme Mota (1998) e Sérgio Miceli (2001) sobre o mesmo tema e é definida aqui como “auto-imagem uspiana”. Quanto aos objetivos específicos, esta investigação busca reconstruir alguns cenários e episódios importantes para o desenvolvimento da Sociologia no Brasil. Ao descrever os debates que presidiram a organização do Projeto Unesco sobre questões raciais no Brasil, entre 1952 e 1959...

Qual sociologia pública?: uma visão a partir da periferia

Perlatto,Fernando; Maia,João Marcelo
Fonte: CEDEC Publicador: CEDEC
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2012 PT
Relevância na Pesquisa
75.73%
Este artigo analisa o debate em torno da sociologia pública, lançado em 2004 por Michael Burawoy, então presidente da American Sociological Association. Além de discutir os principais aspectos desta proposta, bem como mapear as principais críticas que ela sofreu, problematizamos a dicotomia entre sociologia pública e profissional a partir de dois direcionamentos: por um lado, relemos a história da sociologia norte-americana, por considerarmos que a perspectiva de Burawoy sobre ela explica o dualismo de sua formulação. Por outro lado, rediscutimos o conceito de "sociologia pública" a partir da trajetória da disciplina no Brasil. Partimos da hipótese de que um caso tido como periférico pode iluminar diferentes formas de imaginação sobre a noção de "sociologia pública".

Da mi-carême ao carnabeach: história da(s) micareta(s)

Gaudin,Benoit
Fonte: Departamento de Sociologia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo Publicador: Departamento de Sociologia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/05/2000 PT
Relevância na Pesquisa
85.61%
Este artigo tem como propósito apresentar a história da micareta no Brasil, desde seu surgimento enquanto mi-carême até seus últimos desdobramentos atuais. A pesquisa se deu em parte sintetizando a escassa literatura relativa ao tema, mas a maioria das informações contidas neste artigo provêm de uma extensiva pesquisa de cunho histórico, em arquivos principalmente jornalísticos, de publicações cearenses, soteropolitanas e nacionais. A micareta aparece como uma festa bastante antiga (existindo desde 1908), com uma rica história intimamente ligada ao carnaval de Salvador e à evolução dos trios elétricos e das bandas de trios baianas. Correspondendo às sucessivas fases de expansão da festa pelo país, cinco etapas foram caracterizadas nessa evolução, cujo traço marcante foi o gradativo processo de comercialização sofridona contemporaneidade.

O psicólogo no Brasil: notas sobre seu processo de profissionalização

Pereira,Fernanda Martins; Pereira Neto,André
Fonte: Departamento de Psicologia - Universidade Estadual de Maringá Publicador: Departamento de Psicologia - Universidade Estadual de Maringá
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2003 PT
Relevância na Pesquisa
75.71%
O artigo trata do processo de profissionalização da psicologia no Brasil. Utiliza o referencial teórico da sociologia das profissões e faz uma revisão bibliográfica sobre a história da psicologia brasileira. Apresenta uma proposta de periodização para a história desta profissão, dividindo-a em três momentos: pré-profissional (1833-1890), de profissionalização (1890/1906-1975) e profissional (1975 −). No primeiro momento, há uma gama de saberes psi pulverizados. No segundo, a psicologia começa a organizar-se em institutos de pesquisa, faculdades e associações e a regulamentar suas leis. No último, a profissão, já estabelecida e reconhecida oficialmente, passa a sofrer fortes alterações sócioeconômicas e disputas interprofissionais.

A Sociologia no Brasil: história, teorias e desafios

Liedke Filho,Enno D.
Fonte: Programa de Pós-Graduação em Sociologia - UFRGS Publicador: Programa de Pós-Graduação em Sociologia - UFRGS
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2005 PT
Relevância na Pesquisa
145.85%
Este estudo focaliza a história da sociologia no Brasil e as recepções de tradições sociológicas européias e norte-americana pela sociologia brasileira. As etapas e os períodos da evolução da Sociologia e de sua institucionalização como disciplina acadêmico-científica no Brasil são apresentados em seus traços principais, assim como a situação atual da sociologia nas universidades, os principais campos de pesquisa da sociologia brasileira e os novos temas e novas abordagens que vieram a ser propostos para a explicação e/ou compreensão da situação social brasileira.

A Escola do Recife e a sociologia no Brasil

Fontes Barbosa, Ivan; Jorge Ventura de Morais, Josimar (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
95.81%
Este estudo foi fruto do exame das condições sociológicas de emergência de uma linhagem do pensamento sociológico no Brasil, a partir da investigação acerca das interações, mediadas por rituais entre os protagonistas de uma pequena parcela da vida intelectual brasileira do século XIX, intitulada de Escola do Recife. Buscamos compreender a sua construção e os usos de determinadas sociologias, tendo como referência as bases concretas sobre as quais assentavam à criatividade e a produção intelectual naquele momento. As coordenadas foram oferecidas por Randall Collins e Karl Mannheim. O primeiro, fornecendo um aporte que preconiza a pesquisa das relações informais e não teóricas que vinculavam estes pensadores, possibilitou a circunscrição desta escola e dos limites institucionais ao labor intelectual no Brasil. No que concerne a Karl Mannheim, a retomada de sua sociologia do conhecimento permitiu que compreendêssemos o sentido sociológico da incorporação dessas idéias evolucionistas a partir da Faculdade de Direito do Recife no último quartel daquele século. A partir de um levantamento bibliográfico e documental, nossa abordagem enveredou pela busca de informações que elucidassem aspectos da dinâmica estrutural da sociedade brasileira àquele momento...

De Chicago a São Paulo: Donald Pierson no mapa das ciências sociais (1930-1950); From Chicago to São Paulo: Donald Pierson in social science\'s map

Silva, Isabela Oliveira Pereira da
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 25/04/2013 PT
Relevância na Pesquisa
85.72%
O tema da investigação trata da presença estrangeira no desenvolvimento das Ciências Sociais no Brasil, entre as décadas de 1930 e 1950 tendo como fio condutor a atuação profissional e intelectual de Donald Pierson nos Estados Unidos e em dois momentos no Brasil, durante o desenvolvimento de sua pesquisa sobre relações raciais na Bahia e o período de atuação como professor na Escola Livre de Sociologia e Política de São Paulo. Esta pesquisa é desenvolvida no interior da área de história das ciências sociais com foco no momento de institucionalização das universidades brasileiras e projetos de instituições estrangeiras como a Fundação Rockefeller e a Smithsonian Institution.; The theme of this research is the foreign presence in the development of the Social Sciences in Brazil, between the decades of 1930 and 1950, having as guide line the professional performance and intellectual production of Donald Pierson in the United States and Brazil, between the development of his research on racial relation in Bahia and the period of his work as professor at the Free School of Sociology and Political Science of São Paulo. This research is developed within the area of Social Sciences History, and the focus is the moment of institutionalization of the Brazilian Universities and projects of foreign institutions such as Rockefeller Foundation and Smithsonian Institution.

Herbert Baldus e a antropologia no Brasil

Luiz Henrique Passador
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 27/03/2002 PT
Relevância na Pesquisa
85.73%
o presente trabalho está inscrito na área de estudos sobre a história da Antropologia no Brasil, tomando por objeto de análise a trajetória de Herbert Baldus. Herbert Baldus (1899-1970) foi um etnólogo alemão, naturalizado brasileiro, que chegou ao país na década de 1920, tendo empreendido pesquisas etnográficas entre vários grupos indígenas americanos, majoritariamente no Brasil. Descendente de uma linhagem de pesquisadores germânicos que, desde o descobrimento, dedicaram-se a estudar os indígenas brasileiros, Baldus teve uma trajetória peculiar entre eles. Inserindo-se, desde o princípio, no processo de institucionalização da Antropologia no Brasil que se iniciou nos anos 30, Baldus ocupou a cadeira de Etnologia Brasileira na Escola Livre de Sociologia e Política de São Paulo de 1939 a 1960, assumindo posteriormente a chefia da Seção de Etnologia do Museu Paulista de 1947 a 1968, vindo também a dirigir aquela instituição. Sua trajetória e obra refletem as transições entre diferentes períodos e correntes teóricas na Antropologia brasileira, tendo sido um dos introdutores do funcionalismo e dos estudos de aculturação indígena no país, e tendo desempenhado importante papel de liderança e definição nos rumos tomados pela discussão de questões indigenistas entre os etnólogos no Brasil desde a decada de 30... Observação: O resumo...

Formação e dinamica do campo da educação ambiental no Brasil : emergencia, identidades, desafios

Gustavo Ferreira da Costa Lima
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 25/02/2005 PT
Relevância na Pesquisa
85.71%
A pesquisa interpreta a formação e a dinâmica do campo da educação ambiental no Brasil. Explora seus antecedentes históricos e culturais, a emergência e institucionalização material e simbólica do campo, a diferenciação entre as diversas tendências político-pedagógicas e discursos que o dividem, a dinâmica que orienta a disputa entre essas tendências e discursos pela hegemonia do campo, as características que definem o perfil identitário do educador ambiental, sujeito coletivo da educação ambiental, assim como as principais possibilidades e desafios experimentados pelo campo da educação ambiental em seu processo de consolidação. Utiliza um referencial teórico-metodológico plural que articula aportes da sociologia compreensiva, da dialética, da Teoria dos campos sociais de Pierre Bourdieu e da Teoria da complexidade, sobretudo a partir de Edgar Morin. O trabalho realiza uma interpretação que simultaneamente descreve, analisa, historia e problematiza criticamente a formação de um novo campo social em suas identidades, trajetórias, conflitos e desafios. Nesse processo constata a diversidade interna do campo, seu caráter político e conflitivo, a disputa entre as tendências que o compõe, os limites e potencialidades de cada uma de suas tendências e a complexidade que o caracteriza. Conclui...

Ex-presos políticos e a memória social da tortura no Paraná (1964-1978)

Calciolari, Silvia
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
75.7%
Resumo: Esta dissertação procura sistematizar a memória dos ex-presos políticos, com ênfase na prática da tortura durante a repressão no Paraná. A partir da vigência da Lei 11.255/95 criou-se um lugar de memória para que este grupo registrasse a sua história e assim promovesse uma confrontação com a versão oficial. A análise dos documentos reunidos pela Comissão Especial de Indenização implantada por força da Lei revela os dados obtidos pela burocracia que determinava a vigilância, a coleta de informações, a prisão, e que tinha como instrumental a institucionalização da tortura praticada por seus agentes em prédios públicos. Ao inserir o Paraná neste cenário, está-se trazendo à luz fatos e personagens de uma batalha que se travou no Brasil e teve desdobramentos no Estado do Paraná. Foi possível ainda estabelecer, a partir dos documentos, um breve perfil dos militantes políticos perseguidos pela repressão, os prédios públicos onde o Regime Militar empreendeu sua lógica, as técnicas de tortura e quem eram os responsáveis pela implantação da política de Segurança Nacional no Paraná. Por fim, nos deparamos com um outro discurso da memória nacional, onde os ex-presos políticos superam o estigma de 'inimigos da pátria' impingido pela versão oficial e passam a ser considerados 'heróis da resistência democrática'.

A Revista Plural no contexto de profissionalização da Sociologia no Brasil: entrevista com Maria Arminda do Nascimento Arruda

Oliveira, Lucas Amaral de; Amaral, Rodrigo Correia do
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 07/12/2014 POR
Relevância na Pesquisa
75.8%
Maria Arminda do Nascimento Arruda é professora titular da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, livre-docente na área de Sociologia, com ênfase em Sociologia da cultura, história social dos intelectuais, da literatura e das artes; Sociologia da comunicação de massas; e teoria sociológica. Dentre suas contribuições mais significativas para a construção de uma agenda de estudos para a Sociologia da cultura no Brasil, destacam-se as obras: Metrópole e cultura: São Paulo no meio século XX (São Paulo: Edusp, 2001), Prêmio Jabuti de 2002; Mitologia da mineiridade: o imaginário mineiro na vida política e cultural do Brasil (São Paulo: Brasiliense, 1990); e A embalagem do sistema: a publicidade no capitalismo brasileiro (São Paulo: Duas Cidades, 1985). Arruda notabilizou-se, ainda, por seus estudos sobre a Escola Paulista de Sociologia e, mais especificamente, a Sociologia de Florestan Fernandes. Dentro dos reconhecimentos que sua produção tem recebido junto à comunidade acadê- mica, ganhou, em 2012, a Medalha Cultural e Comemorativa da trasladação dos despojos da Imperatriz Leopoldina, pelo Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo, e, em 2014, o Prêmio Anpocs de Excelência Acadêmica “Antônio Flávio Pierucci” em Sociologia. Atualmente...

História, políticas educacionais e desafios para o ensino de sociologia no Brasil: entrevista com Simone Meucci

Cigales, Marcelo Pinheiro; Universidade Federal de Santa Catarina
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 02/12/2015 POR
Relevância na Pesquisa
85.78%
http://dx.doi.org/10.5007/1806-5023.2015v12n2p204O Ensino de Sociologia vem se constituindo como um campo de pesquisa no interior das Ciências Sociais. O aumento das publicações e eventos relacionados com a temática é significativo, principalmente após a obrigatoriedade do ensino da sociologia no Brasil em 2008. A trajetória de Simone Meucci relaciona-se diretamente com essa discussão em nível nacional e seus trabalhos de dissertação e tese são essenciais para compreender aspectos históricos da institucionalização da sociologia como ciência e disciplina escolar no país. Além da discussão histórica, a entrevista aborda temas relacionados ao Programa Nacional do Livro Didático (PNLD) e ao Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID). Ao destacar os avanços na área, a autora aborda os principais desafios para o aperfeiçoamento e continuidade desses programas, bem como, do ensino de sociologia. 

Feminismo e a polêmica da contracepção no Brasil (1970-1980)

Petersen, Janine; UFSC
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/2004 POR
Relevância na Pesquisa
85.65%
This article objectives to show as several colonization companies, that acted in selling of agricultural lots in the Half-West catarinense had evidenced in this marketing the possibility of Italian migrants re-create their sociocultural and economic pratices. It will analize propagandas of some company, published in the periodical Staffetta Riograndense of Caxias do Sul, in the first decades of the settling.; A história da contracepção no Brasil contou com a participação de diversos personagens. Dentre eles podemos destacar o movimento feminista, que ressurgiu nas décadas de 60 e 70, não especificamente por causa a da luta pela contracepção, mas que discutiu amplamente este assunto. Este artigo se propõe a perceber como o movimento feminista no Brasil, inserido em um contexto de Ditadura Militar, discutiu a questão da contracepção e o controle demográfico.

Representações da Loucura no Brasil: medicalização e visão do internamento em Lima Barreto

Martins, Guilherme P. C.; Universidade do Estado do Rio Grande do Norte/Professor Permanente do Programa de Pós-Graduação em Letras da UERN; Amaral, Marcela C. M.; Universidade Federal Rural do Semiárido (UFERSA)
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Revisão de Literatura Formato: application/pdf
Publicado em 07/03/2013 POR
Relevância na Pesquisa
85.64%
http://dx.doi.org/10.5007/2178-4582.2012v46n2p295O artigo tem como objetivo traçar uma relação entre as representações da loucura no Brasil no campo literário, especificamente no contexto do final do século XIX e nas primeiras décadas do século XX, e o momento histórico, político e intelectual pelo qual o país passava no citado período. Para tanto, enfatiza as políticas de saúde, o processo de institucionalização da loucura no país e a visão acerca do internamento na literatura, com destaque para as reflexões do romancista Lima Barreto.

IDEIAS PEDAGÓGICAS DE UMA SOCIOLOGIA CRISTÃ: NOTAS SOBRE UM COMPÊNDIO DE SOCIOLOGIA DA DÉCADA DE 1940

Cigales, Marcelo Pinheiro
Fonte: Revista HISTEDBR On-line Publicador: Revista HISTEDBR On-line
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 18/04/2015 POR
Relevância na Pesquisa
75.75%
No início do século XX, a institucionalização da sociologia no Brasil foi marcada por uma quantidade considerável de manuais e compêndios produzidos para o ensino da disciplina. Esse período ficou caracterizado pela diversidade teórica que influenciou a escrita dos intelectuais brasileiros, empenhados na realização dessa tarefa. Nesse sentido, o objetivo do presente artigo é analisar o manual de sociologia denominado “Programa de Sociologia” de Afro do Amaral Fontoura publicado em 1940. Esse livro foi escrito com o intuito de servir para o Programa oficial da cadeira de sociologia na escola secundária, visto a obrigatoriedade da disciplina nessa modalidade de ensino na época. O referencial teórico-metodologico está embasado na História das Disciplinas Escolares e na Análise Documental. Entre os principais resultados encontrados, podemos apontar a relação entre as ideias de Amaral Fontoura com as premissas da chamada “Sociologia Cristã”, escola sociológica ligada ao pensamento da Igreja Católica e de seus postulados.