Página 1 dos resultados de 6 itens digitais encontrados em 0.107 segundos

O ’Lugar do Passado’ em Martins Sarmento : geo-historiografia do programa de investigação arqueológica da cultura castreja (1876-1899)

Pimenta, José Ramiro
Fonte: Universidade do Minho Publicador: Universidade do Minho
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em 12/11/2007 POR
Relevância na Pesquisa
35.82%
Tese de Doutoramento em Arqueologia - Ramo de Conhecimento em Teoria e Métodos; O objectivo central deste trabalho é o de ‘localizar’ a História da Ciência. Normalmente a ciência é considerada como sendo constituída por conceitos de universalidade, sendo mesmo esta a sua principal característica que a opõe a, e diferencia de, outras expressões da actividade humana. Neste caso, porém, gostaríamos de mostrar de que modo o ‘lugar’ específico de uma investigação, o espaço-tempo de onde-e-quando um investigador tem origem, pode ter uma influência directa nas proposições científicas finais do trabalho teórico. Serão considerado três níveis através dos quais uma ‘Geografia Histórica de Ciência’ pode ser enunciada: ‘regionalização teórica’; ‘topografia social’ e ‘cronotope’. A ‘regionalização’ de uma teoria diz respeito aos esquemas alternativos regionais a que um mesmo conjunto de dados, ou de dados muito semelhantes, pode dar origem. Por exemplo, em meados do século dezanove europeu um mesmo argumento baseado no ‘reconhecimento inter-cultural’ foi usado por ‘celtistas’ e ‘germanistas’ para integrar tribos de filiação duvidosa em cada um dos dois universos étnicos referidos. Por ‘topografia social’ pretende-se significar o nível estrutural de formulação espacial das práticas sociais e vice versa. Tal diz respeito...

Revista militar (1849-1910): contributo para uma leitura de ciência e técnica em Portugal

Assis, José Luís
Fonte: Universidade de Évora Publicador: Universidade de Évora
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
95.87%
A Revista Militar (1849 – 1910): Contributo para uma Leitura de Ciência e Técnica em Portugal constitui o grande tema deste estudo sobre um periódico militar de cariz marcadamente técnico, científico e literário. Da proposta de trabalho apresentada pela Professora Doutora Maria de Fátima Nunes relevamos em primeiro lugar o facto inédito deste estudo enquanto investigação e reflexão histórica no domínio da História da Cultura Portuguesa. Para o estudo da Revista Militar e em face desta apresentar a sua publicação ininterrupta optámos pelo estudo no período entre o início da sua publicação 1849 e 1910. Esta delimitação cronológica não deve ser entendida como um corte ou ruptura, mas trata-se de assinalar os primeiros momentos da evolução do periódico bem como o papel que ele desempenhou na divulgação científica e cultural em Portugal. A opção pelo século XIX, mais particularmente pelo período entre 1849 e 1910, é justificada na medida em que se trata de um período muito significativo da História de Portugal onde os militares tiveram um grande protagonismo na vida social, económica, cultural e política do país. O aparecimento da Revista Militar pode, segundo pensamos, dever-se a dois aspectos importantes: um que está relacionado com a própria sociologia da criação...

Luís Serrão Pimentel, 1613-1679: cosmógrafo mor e engenheiro mor de Portugal

Ferreira, Nuno Alexandre Martins
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2009 POR
Relevância na Pesquisa
55.75%
Tese de mestrado, História dos Descobrimentos e da Expansão, Universidade de Lisboa, Faculdade de Letras, 2009; O cosmógrafo mor e engenheiro mor de Portugal, Luís Serrão Pimentel (1613-1679), notabilizou-se no ensino da náutica e da arquitectura militar. A partir dos cargos que ocupou é possível analisar a estrutura da cultura científica do país em Seiscentos. No domínio da náutica portuguesa destaca-se a criação da Aula da Esfera e o funcionamento da Lição do Cosmógrafo Mor, na forma como Portugal se posicionou no contexto da aprendizagem técnica na Península Ibérica. As dificuldades sentidas na manutenção das possessões ultramarinas, acossada com a investida de outras potências europeias, e o fim da União Ibérica em 1640 mostraram a urgência de uma organização interna no Reino. A reestruturação das instâncias militares foi prioridade do novo Rei, D. João IV. A rápida criação de diversos órgãos, como o Conselho de Guerra, reforçou o compromisso régio de dotar o país de defesas militares capazes de enfrentar a renúncia espanhola em aceitar a independência nacional. Neste contexto, a Luís Serrão Pimentel se deve a institucionalização do ensino militar, com a criação da Aula de Fortificação e Arquitectura Militar...

Clipping 2015-10-Outubro

UFSC, Agecom
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
PT_BR
Relevância na Pesquisa
35.81%
Clipping de 01/10/2015: UFSC / Projeto Universidade do Trabalhador / Manoel Dias / Contrato / Plataforma digital / Casamentos / Brasil / Kel D’Avila / Blog / Europa / Inovação / Carro a combustão / Centro de Engenharias da Mobilidade / CEM / Universidade Federal de Santa Catarina / Joinville / Fórmula SAE 2015 / Piracicaba / SP / Associação dos Engenheiros da Mobilidade do Brasil / SAE Brasil / Veículo / Tuper / ArcelorMittal Vega / Termotécnica / FastParts / Modesto Ferrer / Tecnologia / Desafio / Carro / Fórmula SAE 2015 / Piracicaba / SP / Veículos / Universidade do Trabalhador / Ministério do Trabalho / Qualificação / MTE / Indígenas / Florianópolis / Trânsito / Nanossatélite / Museu da Fotografia / Bienal / Curitiba / Ufba / Ranking / Dia do Idoso / Blumenau Clipping de 02/10/2015: Capacitação / UFSC / Plataforma digital / Ensino a distância / Universidade Federal de Santa Catarina / Programa Universidade do Trabalhador / Ministério do Trabalho e Emprego / Manoel Dias / Codefat / Conselho Deliberativo de Amparo ao Trabalhador / UnB / Universidade de Brasília / Roselane Neckel / João Artur de Souza / Gertrudes Aparecida Dandolini / Qualificação profissional / Brasil / Virgílio Carvalho / Sine / Florianópolis / Brasília / Sistema Nacional de Emprego / II Encontro dos Agentes do Sistema Público de Trabalho...

Uma síntese sobre a cristianização do mundo rural no sul da Lusitania : arqueologia-arquitectura-epigrafia

Wolfram, Mélanie, 1978-
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
55.68%
Tese de doutoramento, História (Arqueologia), Universidade de Lisboa, Faculdade de Letras, 2012; Este trabalho é uma síntese de todos os elementos concretos permitindo confirmar a cristianização do sul da Lusitania entre o século IV e o início do século VIII. Sendo as fontes documentais já conhecidas, escolhemos estudar e reunir os dados arqueológicos, os elementos arquitectónicos e as inscrições paleocristãs como fazendo parte de uma mesma história, a da lenta instalação da religião cristã. A primeira parte é um catálogo comentado, inédito, de todos os lugares com presença paleocristã descobertos até aos nossos dias no actual Alentejo, realçando a análise do material inédito de três sítios essenciais: o material das escavações portuguesas das necrópoles e da basílica de Torre de Palma (Monforte), o material arquitectónico da necrópole paleocristã de Silveirona (Estremoz), o levantamento integral do baptistério de Vila Verde de Ficalho (Serpa). A segunda parte concentra-se no estudo estilístico dos motivos decorativos das igrejas paleocristãs, descobrindo assim as especificidades regionais no seio da grande corrente artística da capital Augusta Emerita e mesmo da Península Ibérica, enquanto a terceira parte se dedica ao estudo da epigrafia funerária. Acabamos questionando-nos sobre as problemáticas da “cristianização”: até que ponto podemos alcançar...

José Anastácio da Cunha e o projeto MAT² : no trilho de uma história extraordinária; José Anastácio da Cunha: mat2's path towards unveiling an extraordinary (hi)story

Ralha, Elfrida
Fonte: Sociedad Española de História de las Ciencias e de las Técnicas Publicador: Sociedad Española de História de las Ciencias e de las Técnicas
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em 14/11/2015 POR
Relevância na Pesquisa
105.83%
A ideia de que as Matemáticas de Portugal (e de Espanha) atravessaram, depois de um período áureo nos Descobrimentos, um longo deserto onde não foi possível florescerem Mestres, nem escolas, nem cultura científica, nem investigação de relevo foi, durante muito tempo, reiteradamente veiculada, inclusivé através de alguns dos nossos mais referenciados historiadores da Matemática, como é o caso de Gomes Teixeira ou de Rey Pastor. Mas a verdade é que o estudo da História das Matemáticas em Portugal tem, na última década, vivido um interesse crescente onde sobressaem, em particular, uma leitura menos enviesada sobre, por exemplo, o papel educativo dos Jesuítas ou a publicação das obras completas de Pedro Nunes. Está-se assim a contribuir para uma compreensão mais completa da História geral de Portugal, de que a História da Ciência e da Cultura faz parte. José Anastácio da Cunha (1744-1787) foi figura de proa no século XVIII português. Sabíamo-lo matemático que, sem nunca ter saído de Portugal, havia sido capaz de antecipar, em mais de 50 anos, os esforços de matemáticos franceses e alemães para fundar a Matemática com rigor. Sabíamo-lo também autor de uma vasta e diversificada obra de inegável importância matemática mas...