Página 1 dos resultados de 5470 itens digitais encontrados em 0.009 segundos

Participação do óxido nítrico na hipertensão do avental branco; Participation of nitric oxide in white coat hypertension

Alves, Leila Maria Marchi
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 17/10/2006 PT
Relevância na Pesquisa
36%
Hipertensão do avental branco significa uma elevação persistente da pressão arterial no consultório médico ou clínica, com pressão normal em quaisquer outras circunstâncias. Existem diversos questionamentos a respeito da origem, significado clínico, prognóstico e tratamento desta manifestação. Em relação à etiologia, nossa hipótese é que uma alteração endotelial, resultando em deficiência na produção ou utilização de óxido nítrico endógeno, constitua um fator primário para a ocorrência da hipertensão do avental branco. Este estudo, desenvolvido entre moradores do município de Dumont - São Paulo, Brasil, teve como objetivos caracterizar os participantes em relação a fatores demográficos, alterações fisiológicas e metabólicas para posteriormente identificar e comparar os níveis plasmáticos de nitrato - produto da degradação do óxido nítrico ? entre os sujeitos da pesquisa. De uma amostra de 441 voluntários, selecionamos 109 indivíduos, que foram divididos em três grupos: normotensão (no=58), hipertensão essencial (no=33) e hipertensão do avental branco (no=18), após medidas de pressão arterial com aparelho oscilométrico e exame de Monitorização Ambulatorial da Pressão Arterial. Realizamos entrevista...

Efeitos da lercanidipina sobre alterações cardiovasculares presentes em modelos de Hipertensão Arterial e Diabetes Mellitus em ratos; Effects of lercanidipine on the cardiovascular alterations in animal models of arterial hypertension and diabetes mellitus in mice

Martinez, Márcio Luís Lombardi
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 05/08/2008 PT
Relevância na Pesquisa
36.01%
Hipertensão e Diabetes são dois dos principais fatores de risco para o desenvolvimento de aterosclerose e doença da artéria coronária. Tais enfermidades aumentam o risco cardiovascular a índices muito elevados, e são acompanhadas por uma alteração fisiopatológica comum, que é o remodelamento vascular acelerado, caracterizado pelo desarranjo na regulação da atividade das metaloproteinases (MMPs) associado ao aumento do "stress" oxidativo. Um dos modelos mais semelhantes ao quadro de hipertensão renovascular em humanos é o modelo de hipertensão renovascular unilateral (2R-1C), que é produzido pelo clampeamento de uma das artérias renais, e manutenção do rim contra lateral intacto. Por outro lado, a Aloxana tem sido extensivamente utilizada como modelo de indução química dos tipos de diabetes não-insulino dependentes. Este remodelamento vascular acelerado presente na hipertensão bem como na diabetes está associado a ativação de um grupo de endopeptidases zinco-dependentes denominadas metaloproteinases, que têm sido implicadas no remodelamento vascular subjacente à aterosclerose. MMPs têm sido reconhecidas como um grupo de enzimas envolvidas na degradação de componentes da matriz extracelular em processo fisiológicos...

Fatores genéticos associados à hipertensão essencial em populações remanescentes de quilombos do Vale do Ribeira - São Paulo; Genetic risk factors associated with essential hypertension in the quilombo populations from Ribeira River Valley - São Paulo, Brazil

Kimura, Lilian
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 09/12/2010 PT
Relevância na Pesquisa
36.01%
A hipertensão essencial, um problema de saúde pública mundial, é uma doença multifatorial, cujo componente genético varia entre 25 a 60%. A despeito da alta prevalência e incidência da hipertensão essencial em populações de ancestralidade africana, os estudos sobre o componente genético da hipertensão essencial têm sido primariamente realizados em populações de ancestralidade européia ou asiática. Dessa maneira, o objetivo geral deste trabalho foi investigar e quantificar potenciais fatores de risco genéticos associados à hipertensão essencial em populações dos remanescentes de quilombos do Vale do Ribeira SP, indivíduos afro-descendentes, oriundos de populações parcialmente isoladas, previamente bem caracterizadas do ponto de vista clínico, genealógico e genético-populacional. A amostra foi constituída de 759 indivíduos adultos com estudo clínico e antropométrico oriundos das seguintes populações quilombolas: Abobral, Galvão, São Pedro, Pedro Cubas, André Lopes, Nhunguara, Sapatu, Pilões, Ivaporunduva, Maria Rosa, Poça e Reginaldo, localizadas no Vale do Ribeira, no estado de São Paulo. Estimativas de ancestralidade (baseadas em 48 marcadores INDEL autossômicos) sugerem que a contribuição africana...

Padrões da dieta e hipertensão em adultos e idosos de São Paulo; Dietary patterns and hypertension among adults and elderly of São Paulo

Selem, Soraya Sant'Ana de Castro
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 03/05/2012 PT
Relevância na Pesquisa
36.01%
Introdução: A hipertensão, doença cardiovascular de alta prevalência, tem influência relevante na morbi-mortalidade da população, e a dieta é um de seus principais fatores de risco modificáveis. Objetivos: Verificar a validade da hipertensão auto-referida e a associação entre os padrões da dieta e a hipertensão auto-referida em residentes do município de São Paulo. Métodos: Foram utilizados dados do estudo transversal de base populacional ISA - Capital 2008, referentes à amostra probabilística de residentes do município de São Paulo com 20 anos ou mais, de ambos os sexos. A coleta de dados ocorreu em 2008 e 2010, por meio de duas visitas domiciliares e inquérito telefônico. Foram coletados dados socioeconômicos, antropométricos, de estilo de vida, inquérito alimentar, e a pressão arterial foi aferida. A validade da hipertensão auto-referida foi verificada pela sensibilidade, especificidade, valor preditivo positivo (VPP), valor preditivo negativo (VPN) e coeficiente kappa. Estimou-se o consumo alimentar por dois recordatórios de 24 horas, ajustando-se a variabilidade pelo Multiple Source Method. Os padrões da dieta foram obtidos pela análise fatorial por componentes principais. A regressão de Poisson foi utilizada para verificar as associações. Resultados: A sensibilidade da hipertensão auto-referida foi 71...

Prevalência da hipertensão arterial, avaliada pela medida casual e monitorização residencial da pressão arterial, em comunidades adventistas do sétimo dia no sudoeste paulista; Arterial hypertension prevalence, assessed through casual measurement and home blood pressure monitoring, in Seventh Day Adventist communities in Southeastern São Paulo

Silva, Stael Silvana Bagno Eleuterio da
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 25/09/2012 PT
Relevância na Pesquisa
36.02%
Introdução A hipertensão arterial é influenciada por hábitos e estilos de vida e populações específicas como os Adventistas o Sétimo Dia são orientados a incorporar em suas práticas religiosas, hábitos e estilos de vida saudáveis. O objetivo principal desse estudo foi comparar a prevalência da hipertensão arterial em comunidades Adventistas do Sétimo Dia com comunidade não Adventista. Casuística e Métodos O estudo foi realizado na região sudoeste do estado de São Paulo com 547 pessoas (304 Adventistas e 243 não Adventistas). A pressão arterial foi medida com aparelho automático validado e de acordo com as VI Diretrizes Brasileiras de Hipertensão. A religiosidade foi avaliada pela Escala de Duke-DUREL; hábitos alimentares identificados pelo Questionário de Frequência Alimentar; apoio social pela escala de apoio social; consumo de bebida alcoólica pelo Alcohol Use Disorders Identification Test AUDIT e transtornos mentais comuns pelo Self-Reporting Questionnaire (SRQ 20). Foi adotado nível de significância de p<0,05. Resultados A maioria era do sexo feminino, idade de 41,5 anos, etnia branca. A prevalência de hipertensão foi menor nos Adventistas (p<0,05, 25,6% vs 35,4%). Os Adventistas foram diferentes (p<0...

Tratamento crônico com nebivolol atenua o remodelamento vascular hipertrófico da hipertensão renovascular 2-rins, 1-clipe; Chronic treatment with nebivolol attenuates large arteries hypertrophy in renovascular hypertension 2-kidneys 1-clip.

Ceron, Carla Speroni
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 21/11/2012 PT
Relevância na Pesquisa
36.01%
A hipertensão arterial é uma condição clínica grave acompanhada por alterações estruturais do aparelho cardiovascular. Os antagonistas dos receptores 1-adrenérgicos são drogas usadas na terapêutica anti-hipertensiva. O nebivolol é um antagonista seletivo dos receptores 1 de terceira geração, que estimula a liberação endotelial de NO e diminui a ativação da -nicotinamida adenosina dinucleotído fosfato (NAD(P)H) oxidase. O metoprolol é um antagonista seletivo dos receptores 1de segunda geração, que não apresenta efeitos vasodilatadores. As metaloproteinases da matriz (MMPs), principalmente a MMP-2, são enzimas que participam ativamente do processo de remodelamento vascular. Elas passam de seu estado latente para seu estado ativo pela ação de proteases e espécies reativas de oxigênio (EROs). Como na hipertensão há aumento de EROs, de MMPs e remodelamento vascular, é possível que o nebivolol impeça o aumento dos níveis de MMPs vasculares e o remodelamento vascular hipertrófico associados à hipertensão, além do seu efeito de antagonismo do receptor 1. Primeiro, realizamos uma avaliação das alterações aórticas da hipertensão 2-rins,1-clipe (2R-1C), pois há poucas informações sobre essas alterações durante o desenvolvimento da hipertensão. Para isso...

Prevalência de hipertensão resistente em adultos não idosos : estudo prospectivo em contexto ambulatorial; Prevalence of resistant hypertension in non-elderly adults: prospective study in a clinical setting

Massierer, Daniela; Oliveira, Ana Claudia Tonelli de; Steinhorst, Ana Maria Pasquali; Gus, Miguel; Ascoli, Aline Maria; Gonçalves, Sandro Cadaval; Moreira, Leila Beltrami; Correa Junior, Vicente; Nunes, Gerson Luis da Silva; Fuchs, Sandra Cristina Pereir
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
36.03%
Fundamento: Em face do emprego de diferentes definições e critérios de amostragem, a real prevalência de hipertensão resistente em ambiente clínico é desconhecida. Objetivo: Investigar a prevalência de real hipertensão resistente em uma clínica de hipertensão arterial. Métodos: Hipertensão resistente verdadeira foi diagnosticada quando fenômeno do jaleco branco, insuficiente adesão ao tratamento e hipertensão secundária foram excluídos em pacientes com Pressão Arterial (PA) ≥ 140/90 mmHg em duas visitas consecutivas, usando três de fármacos anti-hipertensivos, incluindo um diurético. Resultados: No total, 606 pacientes, com 35 a 65 anos de idade, a maioria mulheres, com PA de 156,8 ± 23,8 mmHg por 91,9 ± 15,6 mmHg e IMC de 29,7 ± 5,9 Kg/m2 foram sequencialmente avaliados. Cento e seis pacientes em uso de três agentes anti-hipertensivos estavam com pressão arterial não controlada (17,5% da amostra total) na primeira visita. Oitenta e seis pacientes (81% dos pacientes com PA não controlada na primeira avaliação) retornaram para a avaliação de confirmação: 25 estavam com PA controlada; 21 tinham evidência de baixa adesão ao tratamento; 13 tinham fenômeno do jaleco branco; e 9 tinham hipertensão secundária...

Vivenciando a rede de apoio social de pessoas com hipertensão arterial de uma comunidade na Amazônia

Tavares, Roseneide dos Santos
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 301 p.| il.
POR
Relevância na Pesquisa
36.03%
Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem, Florianópolis, 2010; O apoio social é um elemento importante que contribui para a proteção e melhora da saúde das pessoas; e a formação de redes de apoio canaliza esta ajuda para a resolução de problemas de saúde, dentre outras demandas. Dessa forma, o presente estudo busca compreender a rede de apoio social de pessoas com hipertensão arterial moradoras de uma comunidade na cidade de Belém e construir uma proposta teórica sobre as interações que constituem esta rede de apoio. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, cujo referencial metodológico foi a Teoria Fundamentada nos Dados - Grounded Theory, desenvolvida na Unidade Municipal de Saúde Satélite na Cidade de Belém, no Estado do Pará - Brasil. Os sujeitos da pesquisa foram 35 pessoas, das quais 22 com hipertensão arterial, cadastradas no Programa HIPERDIA da Unidade de Saúde Satélite e 13 que integraram a Rede de Apoio Social, sendo cinco familiares, cinco profissionais de saúde da referida instituição e três representantes de outras organizações da comunidade. A coleta de dados ocorreu predominantemente na Unidade de Saúde...

Farmacologia da hipertensão

Godinho, Ana Lúcia Madeira
Fonte: Universidade do Algarve Publicador: Universidade do Algarve
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
36%
Dissertação de mest., Ciências Farmacêuticas, Faculdade de Ciências e Tecnologia, Univ. do Algarve, 2011; As doenças cardiovasculares são a principal causa de morte a nível mundial. Factores como idade, hereditariedade, sedentarismo, dietas ricas em gorduras e sal, tabagismo, excesso de consumo de álcool, dislipidémias e hipertensão arterial aumentam o risco de desenvolver este tipo de doenças. A hipertensão arterial, ou seja, o constante aumento da pressão arterial acima dos valores normais, é uma das doenças crónicas mais comuns em todo o mundo, sobretudo nos países mais desenvolvidos. Existem determinados factores de risco que estão associados à hipertensão, como por exemplo, a alimentação rica em sal, o sedentarismo e a síndrome metabólica (obesidade, dislipidémia e diabetes). É possível distinguir duas formas de hipertensão: a hipertensão primária ou essencial, cuja causa é desconhecida (cerca de 90 a 95% dos casos), e a hipertensão secundária, na qual é possível identificar uma patologia responsável (cerca de 5 a 10% dos casos). Existem determinadas medidas dietéticas e hábitos de vida que, por si só, podem permitir o controlo da hipertensão. No entanto, existem casos em que é necessário recorrer ao uso de fármacos. Os principais grupos de fármacos anti-hipertensores são os inibidores do enzima de conversão da angiotensina...

Efeitos da leitura, exercício e exercício sob leitura na pressão intra-ocular de portadores de glaucoma primário de ângulo aberto ou hipertensão ocular controlados clinicamente com medicação tópica

Medina,Alice Maria Corrêa; Lima,Núbia Vanessa dos Anjos; Santos,Regina Cândida Ribeiro dos; Pereira,Marco César Araújo; Santos,Procópio Miguel dos
Fonte: Conselho Brasileiro de Oftalmologia Publicador: Conselho Brasileiro de Oftalmologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2007 PT
Relevância na Pesquisa
36.02%
OBJETIVO: Verificar a pressão intra-ocular (Po) em indivíduos usuários de análogos de prostaglandina, prostamida ou beta-bloqueador em portadores de glaucoma primário de ângulo aberto ou hipertensão ocular após leitura, exercício e exercício sob leitura. MÉTODOS: Quarenta indivíduos (79 olhos), subdivididos em 5 grupos: G1 (portadores de hipertensão arterial e glaucoma ou hipertensão ocular usando análogos de prostaglandinas ou prostamidas); G2 (portadores de hipertensão arterial e glaucoma ou hipertensão ocular usando beta-bloqueador); G3 (indivíduos sem hipertensão arterial e portadores de glaucoma ou hipertensão ocular em uso de análogos de prostaglandinas ou prostamidas); G4 (indivíduos sem hipertensão arterial e portadores de glaucoma ou hipertensão ocular em uso de beta-bloqueador) e G5 (indivíduos sem hipertensão arterial e sem glaucoma ou hipertensão ocular), tiveram a pressão intra-ocular verificada antes e após realizarem leitura, exercício e exercício sob leitura. Cada teste foi realizado em dia distinto e sempre no período vespertino. RESULTADOS: Não houve diferença estatisticamente significante na média da pressão intra-ocular inicial e final nos diferentes grupos do estudo quando submetidos à leitura...

Validade da hipertensão arterial auto-referida e seus determinantes (projeto Bambuí)

Lima-Costa,Maria Fernanda; Peixoto,Sérgio Viana; Firmo,Josélia Oliveira Araújo
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2004 PT
Relevância na Pesquisa
36.01%
OBJETIVO: Determinar a validade da hipertensão auto-referida e seus determinantes em adultos residentes na comunidade. MÉTODOS: Foi selecionada uma amostra aleatória simples de moradores da cidade de Bambuí, Estado de Minas Gerais, com 18 anos de idade ou mais. Três medidas de pressão arterial foram realizadas em 970 indivíduos, que correspondiam a 89,3% dos selecionados. A sensibilidade, especificidade e os valores preditivos positivo e negativo da hipertensão auto-referida foram calculados em relação à hipertensão (média da pressão arterial >90 ou >140 mmHg e/ou uso atual de medicamentos para hipertensão). RESULTADOS: A sensibilidade e a especificidade da hipertensão auto-referida foram 72,1% (IC 95%: 69,3-75,0) e 86,4% (IC 95%: 84,3-88,6), respectivamente. Sua prevalência foi 27,2% (IC 95%: 24,4-30,1), sendo razoavelmente semelhante à da hipertensão (23,3%; IC 95%: 20,7-26,1%). A validade da hipertensão auto-referida foi maior entre mulheres, entre aqueles com idade igual a 40-59 e >60 anos, entre os que haviam visitado médicos mais recentemente (<2 anos) e entre os que apresentavam maior índice de massa corporal (>25 kg/m²). CONCLUSÕES: Os resultados mostram que a hipertensão auto-referida é um indicador apropriado da prevalência da hipertensão arterial...

Prevalência de hipertensão resistente em adultos não idosos: estudo prospectivo em contexto ambulatorial

Massierer,Daniela; Oliveira,Ana Claudia Tonelly; Steinhorst,Ana Maria; Gus,Miguel; Ascoli,Aline Maria; Gonçalves,Sandro Cadaval; Moreira,Leila Beltrami; Correa Jr.,Vicente; Nunes,Gerson; Fuchs,Sandra Costa; Fuchs,Flávio Danni
Fonte: Sociedade Brasileira de Cardiologia - SBC Publicador: Sociedade Brasileira de Cardiologia - SBC
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/07/2012 PT
Relevância na Pesquisa
36.03%
FUNDAMENTO: Em face de definições de variáveis e critérios de amostragem, a real prevalência de hipertensão resistente em ambiente clínico é desconhecida. OBJETIVO: Investigar a prevalência de real hipertensão resistente em uma clínica de hipertensão arterial. MÉTODOS: Hipertensão resistente verdadeira foi diagnosticada quando fenômeno do jaleco branco, insuficiente adesão ao tratamento e hipertensão secundária foram excluídos em pacientes com Pressão Arterial (PA) ≥ 140/90 mmHg em duas visitas consecutivas, usando três de fármacos anti-hipertensivos, incluindo um diurético. RESULTADOS: No total, 606 pacientes, com 35 a 65 anos de idade, a maioria mulheres, com PA de 156,8 ± 23,8 mmHg por 91,9 ± 15,6 mmHg e IMC de 29,7 ± 5,9 Kg/m² foram sequencialmente avaliados. Cento e seis pacientes em uso de três agentes anti-hipertensivos estavam com pressão arterial não controlada (17,5% da amostra total) na primeira visita. Oitenta e seis pacientes (81% dos pacientes com PA não controlada na primeira avaliação) retornaram para a avaliação de confirmação: 25 estavam com PA controlada; 21 tinham evidência de baixa adesão ao tratamento; 13 tinham fenômeno do jaleco branco; e 9 tinham hipertensão secundária...

Hipertensão Portopulmonar e Gravidez

Godoy,Pérsio; Martins,Guilherme Milhomem; Lauria,Márcio Weissheimer
Fonte: Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia Publicador: Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/05/2002 PT
Relevância na Pesquisa
36.02%
A gravidade da coexistência de hipertensão pulmonar e gravidez está bem estabelecida. A hipertensão arterial pulmonar constitui condição com elevado risco de morte materna no final da gravidez e pós-parto. Pacientes portadores de hipertensão portal de várias etiologias podem desenvolver hipertensão arterial pulmonar (hipertensão portopulmonar), sendo a maioria dos casos relatados na cirrose hepática, entretanto uns poucos casos foram descritos na hipertensão portal não cirrótica. São apresentados o quadro clínico e anatomopatológico em dois casos de hipertensão portopulmonar e gravidez. Tratava-se de pacientes com 30 e 24 anos de idade, que desenvolveram insuficiência cardíaca direita grave e choque no puerpério imediato, evoluindo rapidamente para o óbito. A necropsia demonstrou em ambos os casos fibrose nos espaços portais, correspondendo ao relatado na hipertensão portal idiopática, além de hipertensão pulmonar classificada como plexogênica.

Prevalência de pré-hipertensão e de hipertensão arterial e avaliação de fatores associados em crianças e adolescentes de escolas públicas de Salvador, Bahia, Brasil

Pinto,Sônia Lopes; Silva,Rita de Cássia Ribeiro; Priore,Silvia Eloíza; Assis,Ana Marlúcia Oliveira; Pinto,Elizabete de Jesus
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2011 PT
Relevância na Pesquisa
36.01%
Trata-se de estudo para avaliar os fatores associados à hipertensão e pré-hipertensão. Participaram desta pesquisa 1.125 indivíduos com idade entre 7 e 14 anos da rede pública de ensino em Salvador, Bahia, Brasil. As variáveis de exposição foram: índice de massa corporal, circunferência da cintura, sexo, idade, atividade física, condições ambientais e de moradia, renda familiar, consumo alimentar, escolaridade e idade maternas. Os dados foram analisados utilizando-se a Regressão Logística Politômica e a variável desfecho categorizada em normotensos, pré-hipertensos e hipertensos. A prevalência de pressão arterial elevada foi de 14,1%, sendo 4,8% de hipertensão e 9,3% pré-hipertensão. Houve associação entre pré-hipertensão e excesso de peso (OR: 3,13; IC95%: 1,75-5,57). Hipertensão foi associada a excesso de peso (OR: 3,02; IC95%: 1,45-6,28), sexo feminino (OR: 2,49; IC95%: 1,24-4,98) e padrão alimentar de risco (OR: 1,93; IC95%: 1,04-3,56). A prevalência de pré-hipertensão e hipertensão em crianças e adolescentes é maior entre aqueles com excesso de peso, do sexo feminino e com consumo alimentar inadequado.

Síndrome hepatopulmonar em pacientes com hipertensão portal e varizes esofágicas por esquistossomose mansônica e doença hepática crônica mista

Macêdo, Liana Gonçalves de
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Tese de Doutorado
BR
Relevância na Pesquisa
36%
A síndrome hepatopulmonar representa uma grave complicação da doença hepática ou hipertensão portal e confere pior prognóstico aos pacientes cirróticos candidatos ao transplante de fígado, que têm este procedimento como única possibilidade de cura. Esta tese teve como objetivo verificar a ocorrência da síndrome hepatopulmonar em pacientes com hipertensão portal. Para tanto, foram selecionados os pacientes atendidos nos ambulatórios de Esquistossomose e de Hepatologia do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco, no período de abril de 2010 a junho de 2012. Os resultados do estudo são apresentados no formato de dois artigos. O ARTIGO 1 (Ocorrência de síndrome hepatopulmonar em pacientes com hipertensão portal e varizes esofágicas com e sem cirrose: estudo de corte transversal) descreve um estudo de corte seccional com comparação entre os grupos com e sem síndrome hepatopulmonar. De um total de 1.475 pacientes avaliados, incluíram-se 129 com hipertensão portal e varizes esofágicas por esquistossomose hepatoesplênica e doença hepática crônica mista. A média de idade foi de 56 anos e 56% eram do sexo masculino. A ocorrência da síndrome hepatopulmonar foi de 35,7% (95% de Intervalo de Confiança [IC]: 27...

Prevalência de obesidade e hipertensão arterial e associação com fatores de risco em escolares da cidade de Sorocaba, São Paulo, Brasil; Obesity and arterial hypertension prevalence and their association with risk factors in schoolchildren from Sorocaba city, São Paulo, Brazil

Isabela Annunziato Ramos Mazaro
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 02/06/2011 PT
Relevância na Pesquisa
36.01%
INTRODUÇÃO: Nas últimas décadas houve aumento significativo da prevalência da obesidade e de suas complicações na faixa etária pediátrica, incluindo a hipertensão arterial. OBJETIVO: Estimar a prevalência da obesidade e da hipertensão arterial e da associação destas com fatores de risco em estudantes de Sorocaba (SP). MÉTODO: Estudo transversal, de base populacional fixa e amostra aleatória com observação individual de 680 alunos de 7 a 11 anos. Foram avaliados: sexo, idade, região de moradia, classificação econômica, antecedentes pessoais, maternos e paternos para hipertensão arterial, doença renal e cardíaca, realização de atividade física fora da escola, tempo com TV/VG/PC. Foram realizadas medidas de: peso, altura, circunferência da cintura, dobras cutâneas, PA e verificado a presença de acanthosis nigricans. Calculou-se a prevalência de sobrepeso, obesidade e excesso de peso; pré-hipertensão, hipertensão arterial e de PA elevada. Para associação destes com as demais variáveis empregou-se o teste do qui-quadrado ou o Exato de Fisher (p<0,05). Determinou-se a razão de chances prevalente bruta e ajustada por regressão logística. RESULTADOS: Do total: 49% eram do sexo masculino, sendo, 19% com 7 anos; 23...

Fatores para não-adesão ao programa de controle da hipertensão arterial em Campo Grande, MS : um estudo de caso e controle

Oshiro, Maria de Lourdes
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Tese
PT_BR
Relevância na Pesquisa
36%
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, 2007.; A hipertensão arterial, devido a sua alta prevalência na população brasileira, constitui um problema de saúde pública de grande relevância, por reduzir a expectativa de vida e conduzir a diversas complicações cardíacas e renais, além de gerar elevado custo social. A adesão ao tratamento em patologias crônicas e assintomáticas, como a hipertensão arterial, é fundamental para o controle e a diminuição da morbimortalidade. A maioria dos estudos considera como aderentes ao tratamento farmacológico os pacientes que tomam 80% dos medicamentos prescritos. No entanto, estima-se que o grau de adesão mundial nos tratamentos crônicos seja de 50% a 75%. O objetivo deste trabalho foi identificar os fatores que levam ao abandono do programa de controle de hipertensão arterial em Unidades Básicas de Saúde (UBS) de Campo Grande, MS. Utilizou-se o método de caso–controle, aninhado a coorte de pacientes cadastrados em programa de tratamento da hipertensão arterial de janeiro de 2002 a dezembro de 2005. As informações foram obtidas por meio de entrevista semi- estruturada. Primeiramente foi realizada uma análise descritiva das variáveis aleatórias estudadas e...

Validade da hipertensão arterial auto-referida e seus determinantes (projeto Bambuí); Validity of self-reported hypertension and its determinants (the Bambuí study)

Lima-Costa, Maria Fernanda; Peixoto, Sérgio Viana; Firmo, Josélia Oliveira Araújo
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf; application/pdf
Publicado em 01/10/2004 POR; ENG
Relevância na Pesquisa
36.01%
OBJETIVO: Determinar a validade da hipertensão auto-referida e seus determinantes em adultos residentes na comunidade. MÉTODOS: Foi selecionada uma amostra aleatória simples de moradores da cidade de Bambuí, Estado de Minas Gerais, com 18 anos de idade ou mais. Três medidas de pressão arterial foram realizadas em 970 indivíduos, que correspondiam a 89,3% dos selecionados. A sensibilidade, especificidade e os valores preditivos positivo e negativo da hipertensão auto-referida foram calculados em relação à hipertensão (média da pressão arterial >;90 ou >;140 mmHg e/ou uso atual de medicamentos para hipertensão). RESULTADOS: A sensibilidade e a especificidade da hipertensão auto-referida foram 72,1% (IC 95%: 69,3-75,0) e 86,4% (IC 95%: 84,3-88,6), respectivamente. Sua prevalência foi 27,2% (IC 95%: 24,4-30,1), sendo razoavelmente semelhante à da hipertensão (23,3%; IC 95%: 20,7-26,1%). A validade da hipertensão auto-referida foi maior entre mulheres, entre aqueles com idade igual a 40-59 e >;60 anos, entre os que haviam visitado médicos mais recentemente (;25 kg/m²). CONCLUSÕES: Os resultados mostram que a hipertensão auto-referida é um indicador apropriado da prevalência da hipertensão arterial, mesmo em uma população residente fora de grandes centros urbanos...

Validade da hipertensão arterial auto-referida e seus determinantes (projeto Bambuí)

Lima-Costa,Maria Fernanda; Peixoto,Sérgio Viana; Firmo,Josélia Oliveira Araújo
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2004 PT
Relevância na Pesquisa
36.01%
OBJETIVO: Determinar a validade da hipertensão auto-referida e seus determinantes em adultos residentes na comunidade. MÉTODOS: Foi selecionada uma amostra aleatória simples de moradores da cidade de Bambuí, Estado de Minas Gerais, com 18 anos de idade ou mais. Três medidas de pressão arterial foram realizadas em 970 indivíduos, que correspondiam a 89,3% dos selecionados. A sensibilidade, especificidade e os valores preditivos positivo e negativo da hipertensão auto-referida foram calculados em relação à hipertensão (média da pressão arterial >90 ou >140 mmHg e/ou uso atual de medicamentos para hipertensão). RESULTADOS: A sensibilidade e a especificidade da hipertensão auto-referida foram 72,1% (IC 95%: 69,3-75,0) e 86,4% (IC 95%: 84,3-88,6), respectivamente. Sua prevalência foi 27,2% (IC 95%: 24,4-30,1), sendo razoavelmente semelhante à da hipertensão (23,3%; IC 95%: 20,7-26,1%). A validade da hipertensão auto-referida foi maior entre mulheres, entre aqueles com idade igual a 40-59 e >60 anos, entre os que haviam visitado médicos mais recentemente (<2 anos) e entre os que apresentavam maior índice de massa corporal (>25 kg/m²). CONCLUSÕES: Os resultados mostram que a hipertensão auto-referida é um indicador apropriado da prevalência da hipertensão arterial...

Prevalência de pré-hipertensão e de hipertensão arterial e avaliação de fatores associados em crianças e adolescentes de escolas públicas de Salvador, Bahia, Brasil

Pinto,Sônia Lopes; Silva,Rita de Cássia Ribeiro; Priore,Silvia Eloíza; Assis,Ana Marlúcia Oliveira; Pinto,Elizabete de Jesus
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2011 PT
Relevância na Pesquisa
36.01%
Trata-se de estudo para avaliar os fatores associados à hipertensão e pré-hipertensão. Participaram desta pesquisa 1.125 indivíduos com idade entre 7 e 14 anos da rede pública de ensino em Salvador, Bahia, Brasil. As variáveis de exposição foram: índice de massa corporal, circunferência da cintura, sexo, idade, atividade física, condições ambientais e de moradia, renda familiar, consumo alimentar, escolaridade e idade maternas. Os dados foram analisados utilizando-se a Regressão Logística Politômica e a variável desfecho categorizada em normotensos, pré-hipertensos e hipertensos. A prevalência de pressão arterial elevada foi de 14,1%, sendo 4,8% de hipertensão e 9,3% pré-hipertensão. Houve associação entre pré-hipertensão e excesso de peso (OR: 3,13; IC95%: 1,75-5,57). Hipertensão foi associada a excesso de peso (OR: 3,02; IC95%: 1,45-6,28), sexo feminino (OR: 2,49; IC95%: 1,24-4,98) e padrão alimentar de risco (OR: 1,93; IC95%: 1,04-3,56). A prevalência de pré-hipertensão e hipertensão em crianças e adolescentes é maior entre aqueles com excesso de peso, do sexo feminino e com consumo alimentar inadequado.