Página 1 dos resultados de 695 itens digitais encontrados em 0.002 segundos

Hipercolesterolemia em jovens adolescentes

Ribeiro, Rosa Adelaide Tavares
Fonte: [s.n.] Publicador: [s.n.]
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
37.37%
Trabalho apresentado à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para obtenção do grau de Mestre em Ciências Farmacêuticas.; O colesterol encontra-se em todas as células do organismo humano. Se, por um lado, é vital, por exemplo, para a construção de novas células, por outro, pode acumular-se no nosso organismo, levando à deposição de gordura na parede das artérias. Encontra-se bem fundamentada a relação entre o aumento drástico de mortes por doença cardiovascular, nos países desenvolvidos, e o elevado nível de colesterol que se verifica em parte substancial da sua população. Sendo uma substância lipídica, necessita de transportadores específicos para circular no plasma, as lipoproteínas. Estas partículas designam-se de acordo com a sua densidade. As duas mais importantes são as lipoproteínas de alta densidade (HDL) e as lipoproteínas de baixa densidade (LDL). As primeiras têm como principal função remover o excesso de colesterol para o fígado. Pelo contrário, as segundas transportam o colesterol do fígado para as células. Este trabalho visa estudar a problemática da hipercolesterolemia, na população infantil e adolescente. Neste segmento populacional, esta condição assume especial importância...

Relação entre doenças periodontais e aterosclerose subclínica em indivíduos com hipercolesterolemia familiar; Association between periodontitis and subclinical atherosclerosis in familial hypercholesterolemia individuals

Vieira, Carolina Letícia Zilli
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 28/01/2009 PT
Relevância na Pesquisa
37.45%
Introdução: A periodontite é uma doença inflamatória caracterizada clinicamente pela destruição dos tecidos de suporte dental. Apresenta etiologia multifatorial, sendo a principal causa o acúmulo de bactérias patogênicas na superfície dentária. A periodontite tem sido associada ao avanço da aterosclerose. Os indivíduos portadores da hipercolesterolemia familiar apresentam o desenvolvimento precoce da doença aterosclerótica devido à exposição crônica a níveis altos de colesterol total e LDL-colesterol. Não existem estudos que analisem a associação entre a infecção periodontal e aterosclerose subclínica nessa população. Objetivo: Este trabalho analisou a relação entre a aterosclerose, coronariana, carotídea e/ou aórtica, e a doença periodontal em indivíduos com hipercolesterolemia familiar e em controles presumidamente sem a doença. Métodos: Foram incluídos 82 indivíduos com diagnóstico de hipercolesterolemia familiar pelo critério do U.S. MEDPED e 31 indivíduos saudáveis como grupo controle. A calcificação arterial coronariana foi avaliada por tomografia computadorizada e a medida realizada pelo método de Agatston. O espessamento médio-intimal carotídeo e o diâmetro da artéria carótida comum direita foram determinados por ultrassom pulsátil tipo echotracking. A rigidez arterial foi medida por meio da velocidade das ondas de pulso. Todos os indivíduos responderam a um questionário estruturado e foram submetidos à avaliação periodontal. A sondagem periodontal dos dentes foi realizada em seis sítios por dente em cada paciente. Dados sobre inflamação gengival...

Estudo da reserva de perfusão miocárdica pelo ecocardiograma com contraste em tempo real, em indivíduos com hipercolesterolemia grave, antes e após tratamento com inibidores da HMG-CoA redutase; Evaluation of myocardial perfusion reserve in severe hypercholesterolemic patients with real time contrast echocardiography, before and after treatment with HMG-CoA reductase inhibitors

Lario, Fábio de Cerqueira
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 02/06/2009 PT
Relevância na Pesquisa
37.37%
INTRODUÇÃO: A hipercolesterolemia provoca alterações inflamatórias no sistema cardiovascular, induzindo disfunção endotelial e mudanças estruturais na microcirculação, com alterações significativas da homeostase vascular, processo este reversível com o tratamento hipolipemiante. Clinicamente, tais fenômenos podem ser demonstrados pela avaliação da reserva de fluxo coronário e da reatividade vascular periférica. A ecocardiografia de perfusão miocárdica em tempo real (EPMTR) possui características que a tornam ideal para a avaliação da microcirculação coronária, como a utilização de contrastes intravasculares, além de ótimas resoluções temporal e espacial. MÉTODOS: 16 pacientes com hipercolesterolemia e sem lesões coronárias obstrutivas (grupo HF) e 10 indivíduos saudáveis, sem doença arterial coronária obstrutiva estabelecida (grupo controle) foram avaliados por EPMTR e por ultrassonografia da artéria braquial em dois momentos: pré-tratamento com atorvastatina no grupo HF (período livre de medicação >6 semanas) e 12 semanas após o primeiro exame. A análise do fluxo miocárdico foi realizada nos 17 segmentos do ventrículo esquerdo obtendo-se índices de volume de sangue relativo no miocárdio (AN)...

A hipercolesterolemia abole o efeito cardioprotetor do pré e pós-condicionamento isquêmico em um modelo experimental de isquemia e reperfusão em ratos; Hypercholesterolemia abolishes the cardioprotective effect of ischemic pre and postconditioning in an experimental model of ischemia and reperfusion in rats

Landim, Maurício Batista Paes
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 10/11/2009 PT
Relevância na Pesquisa
37.37%
O pré e pós-condicionamento isquêmico são fenômenos cardioprotetores que limitam o dano tecidual no infarto agudo do miocárdio. Seus efeitos benéficos ocorrem através da ativação de complexas vias sinalizadoras intracelulares, que têm a inibição da formação do poro de transição de permeabilidade mitocondrial como efetor final comum. A presença de fatores de risco, como a hipercolesterolemia, pode interferir nos resultados finais quando se lança mão de tais medidas cardioprotetoras. Entretanto, há na literatura achados contraditórios que não mostram interferência do colesterol elevado sobre a cardioproteção do pré-condicionamento isquêmico. No pós-condicionamento isquêmico, mais recentemente descrito, as primeiras evidências também mostram resultados conflitantes, que carecem de mais estudos. A baixa disponibilidade do óxido nítrico presente na hipercolesterolemia está associada a níveis elevados de dimetilarginina assimétrica, um inibidor da óxido nítrico sintetase, e pode ser o responsável por abolir os benefícios de ambas as medidas cardioprotetoras aqui estudadas. Procuramos, neste trabalho, avaliar a influência da hipercolesterolemia sobre o pré e pós-condicionamento isquêmico, e correlacionar os níveis de colesterol total e dimetilarginina assimétrica com o tamanho do infarto do miocárdio experimental em ratos anestesiados. Nós encontramos um maior tamanho do infarto nos animais hipercolesterolêmicos apesar do uso destas medidas cardioprotetoras.; Ischemic pre and postconditioning are cardioprotective phenomena that limit heart tissue damage in acute myocardial infarction. Its beneficial effects occur through the activation of complex intracellular signaling pathways...

Efeitos da hipercolesterolemia sobre os epitélios da mucosa bucal e capacidade de cicatrização em idades precoces - crianças e jovens (estudo experimental); Effects of children obesity on wound healing capacity and on oral epithelium

Silva, Gilberto André e
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 29/10/2009 PT
Relevância na Pesquisa
37.37%
A obesidade na infância e adolescência tem aumentado de forma bastante acentuada, e quando observada nos primeiros anos de vida leva um maior risco para hipercolesterolemia, hipertrigliceridemia e alterações cardiovasculares na vida adulta. Uma correlação positiva tem sido observada entre a BMI (Body Mass Index, ou índice de massa corporal) e alterações metabólicas e hematológicas, implicando em alterações na capacidade de cicatrização, na defesa imunológica e celular e no desenvolvimento de diferentes patologias. O objetivo deste estudo foi avaliar os efeitos das fases iniciais da hipercolesterolemia, ou seja, nas idades infantil e juvenil e com pequeno aumento de colesterol, sobre os tecidos bucais e a capacidade de cicatrização. A Ratos Wistar (40g de peso) foi oferecido uma ração preparada com 1% de aumento (em peso) de colesterol + 20% de gordura (óleo de soja) por um período de 2 e 6 semanas para avaliação dos tecidos bucais. Após 2 semanas do uso da ração enriquecida com colesterol foram realizadas feridas cirúrgicas no dorso dos animais para avaliação da cicatrização. Ao final dos tratamentos propostos, os animais foram sacrificados, e colhidas as peças utilizadas (sangue, pele, língua, palatos e região gengival). O sangue coletado foi centrifugado e o soro foi utilizado para avaliação das lipoproteínas - colesterol total...

Avaliação do efeito do extrato aquoso e da fração fenólica livre do Alecrim (Rosmarinus officinalis L.) sobre o estado antioxidante e o perfil lipídico em ratos com hipercolesterolemia induzida pela dieta; Evaluation of the effect of aqueous extract and free phenolic fraction from Rosemary (Rosmarinus officinalis L.) on antioxidant status and lipid profile in rats with hypercholesterolemia induced by diet

Afonso, Milessa da Silva
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 07/07/2010 PT
Relevância na Pesquisa
37.37%
A hipercolesterolemia é considerada um importante fator de risco para as doenças cardiovasculares, já que a hiperlipidemia associada ao estresse oxidativo é um dos fatores para estabelecimento destas doenças. Neste contexto, antioxidantes presentes em alimentos como vitaminas, compostos fenólicos, entre outros têm recebido crescente atenção devido sua função quimiopreventiva contra danos oxidativos. O alecrim (Rosmarinus officinalis L.) é um membro da família Labiatae, cujas propriedades antioxidantes têm sido atribuídas a uma variedade de compostos fenólicos capazes de finalizar as reações de radicais livres e varrer as espécies reativas de oxigênio. O objetivo deste trabalho foi avaliar a capacidade antioxidante in vitro dos extratos e frações de ácidos fenólicos obtidos das folhas de alecrim e seu efeito sobre ratos com hipercolesterolemia induzida pela dieta suplementada com 0,50% de colesterol e 0,25% de ácido cólico. Os resultados mostraram que tanto os extratos quanto as frações apresentaram altos teores de compostos fenólicos totais e expressiva atividade antioxidante in vitro nos métodos de cooxidação de substratos β-caroteno/ácido linoleico e na varredura do radical DPPH. No ensaio in vivo...

Envolvimento do estresse oxidativo e hipercolesterolemia na aterosclerose e avaliação do efeito protetor do carotenóide astaxantina

Augusti, Paula Rossini
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.51%
A aterosclerose consiste na formação de placas que reduzem o diâmetro dos vasos sanguíneos e é a principal causa das doenças cardiovasculares. O estresse oxidativo tem sido apontado como um importante mecanismo no processo de aterogênese induzido pela hipercolesterolemia. A astaxantina (ASX) é um carotenóide presente em algas e frutos-domar, amplamente estudado por suas propriedades antioxidantes. No presente trabalho, avaliou-se a ocorrência de estresse oxidativo em diferentes estágios de hipercolesterolemia em humanos e a relação entre o estresse oxidativo e o processo inflamatório nesses indivíduos. Adicionalmente, o potencial antiaterogênico da ASX foi avaliado em coelhos hipercolesterolêmicos. No primeiro capítulo demonstramos que a peroxidação lipídica e oxidação de proteínas aumentou em indivíduos com níveis de LDL considerados de alto risco para doenças cardiovasculares (>160mg/dL), enquanto os níveis de LDLox, LDLoxAB, do marcador de processo inflamatório hs-CRP e a atividade das enzimas TrxR-1 e SOD aumentaram em indivíduos com níveis de colesterol considerados altos, mas clinicamente aceitáveis (130-160mg/dL), persistindo este aumento nos sujeitos com LDL > 160mg/dL. A enzima PON1 não teve sua atividade modificada em nenhum dos estágios de hipercolesterolemia estudados. Os resultados apresentados no capítulo I permitem concluir que o estresse oxidativo ocorre concomitantemente ao processo inflamatório durante a hipercolesterolemia. Além disso...

Efeito da hipercolesterolemia sobre a função cognitiva e a relação com a função mitocondrial e estresse oxidativo em córtex cerebral de camundongos deficientes para o receptor de LDL

Oliveira, Jade de
Fonte: Florianópolis, SC Publicador: Florianópolis, SC
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 91 p.| il., grafs.
POR
Relevância na Pesquisa
37.59%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Biológicas. Programa de Pós-Graduação em Bioquímica; Nos últimos anos, evidências epidemiológicas, clínicas e experimentais indicam a associação entre a hipercolesterolemia e prejuízos cognitivos, como a demência associada à Doença de Alzheimer. Por outro lado, sabe-se que há uma importante participação da disfunção mitocondrial e estresse oxidativo na patogênese das doenças neurodegenerativas e da hipercolesterolemia. Neste contexto, nosso objetivo foi primeiramente avaliar a função cognitiva de camundongos deficientes para o receptor da lipoproteína de baixa densidade (LDLr-/-), um modelo de hipercolesterolemia; e sua relação com a função mitocondrial e antioxidante. Para este fim, camundongos controle C57Bl/6 e LDLr-/- foram expostos à uma dieta padrão ou hipercolesterolêmica durante 30 dias e então submetidos ao teste de localização de objeto. Os camundongos LDLr-/- apresentaram prejuízo de aprendizado e memória espacial independentemente da dieta adotada. Além disso, os camundongos LDLr-/- expostos à dieta hipercolesterolêmica apresentaram uma significativa diminuição na atividade dos complexos mitocondriais I e II no córtex cerebral...

A hipercolesterolemia como um fator de risco para o desenvolvimento de comprometimento cognitivo leve

Moreira, Eduardo Luiz Gasnhar
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 131 p.| il., grafs., tabs.
POR
Relevância na Pesquisa
37.56%
Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Neurociências, Florianópolis, 2013.; Evidências acumuladas ao longo das duas últimas décadas sugerem umaassociação positiva entre a hipercolesterolemia e o desenvolvimento dadoença de Alzheimer esporádica. Estudos prospectivos demonstraramque esta relação parece ser idade-dependente, sendo ahipercolesterolemia um possível fator de risco para o desenvolvimentoda doença de Alzheimer décadas após. A hipercolesterolemia familiar éuma doença genética do metabolismo das lipoproteínas cujo modo deherança é autossômico codominante e que se caracteriza por níveismuito elevados de colesterol plasmático. O fenótipo clínico dehipercolesterolemia familiar é geralmente decorrente de defeitos no geneLDLR, que codifica o receptor de lipoproteínas de baixa densidade(LDL). Recentemente, um estudo prospectivo demonstrou que pacientescom hipercolesterolemia familiar de meia-idade apresentam umaelevada incidência de comprometimento cognitivo leve em comparaçãoa indivíduos sem hipercolesterolemia familiar. Neste contexto, acaracterização do comprometimento cognitivo leve em modelosexperimentais de hipercolesterolemia familiar torna-se imperativa...

Caracterização bioquímica e molecular da hipercolesterolemia familiar na Região Norte e Centro de Portugal

Freitas, Ana
Fonte: Universidade do Minho Publicador: Universidade do Minho
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2010 POR
Relevância na Pesquisa
37.37%
Dissertação de mestrado em Genética Molecular; A Hipercolesterolemia Familiar (FH) é uma patologia de origem genética, autossómica dominante e ainda que seja uma das patologias genéticas mais comuns na Europa é frequentemente sub-diagnosticada. O fenótipo da FH é caracterizado essencialmente, pelo aumento dos níveis de colesterol total (CT) e dos níveis de colesterol das lipoproteínas de baixa densidade no plasma (c-LDL) assim como pelo desenvolvimento da doença coronária prematura e aterosclerose. Esta patologia é mais frequentemente causada por mutações no gene do receptor das lipoproteínas de baixa densidade (LDLR) todavia, mutações no gene da Apolipoproteína B (APOB) e no gene Pró-proteína Convertase Subtilisina/Kexina tipo 9 (PCSK9) estão igualmente descritas como causa de FH. A caracterização bioquímica e molecular da FH em indivíduos da região norte e centro de Portugal foi a finalidade deste trabalho. O estudo molecular baseou-se na análise do gene LDLR e APOB através da amplificação por PCR e sequenciação directa. Foram referenciados ao Estudo Português de Hipercolesterolemia Familiar (EPHF), 34 indivíduos naturais da região norte ou centro do País, todavia 7 (20,6%) não apresentavam critérios de diagnóstico clínico de FH. Dos 27 casos-índex estudados...

Hipercolesterolemia em escolares e seus fatores de risco

Coronelli,Cleunice Luzia Smania; Moura,Erly Catarina de
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2003 PT
Relevância na Pesquisa
37.56%
OBJETIVO: Identificar os fatores de risco da hipercolesterolemia em escolares de sete a dez anos de idade. MÉTODOS: Estudo caso-controle, desenvolvido com 172 escolares do Município de Campinas, SP, pareados conforme sexo e trimestre de idade. Considerou-se caso a hipercolesterolemia, diagnosticada quando a criança apresentava colesterol ³200 mg/dL, e controle quando a criança apresentava colesterol entre 140 e 170 mg/dL. Além da coleta de sangue para a dosagem do nível de colesterol, foram levantados dados sobre pressão arterial, índice de massa corporal e história familiar de doenças cardiovasculares. Os dados foram analisados por correlação bivariada usando o teste t para as variáveis quantitativas e o qui-quadrado para a história familiar de doenças cardiovasculares. O odds-ratio foi usado para estimar o risco de hipercolesterolemia. RESULTADOS: A média do colesterol encontrada foi de 215 mg/dL nos casos e de 154 mg/dL nos controles. A média da pressão arterial sistólica foi de 107 mmHg nos casos e de 106 mmHg nos controles e da diastólica foi de 67 mmHg nos casos e 68 mmHg nos controles. O índice de massa corporal (Kg/m²) apresentou média de 18,2 nos casos e de 17,1 nos controles. A análise bivariada mostrou associação entre hipercolesterolemia e índice de massa corporal (p=0...

Mecanismos moleculares que relacionam a hipercolesterolemia familiar à doença de Alzheimer

Oliveira, Jade de
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 150 p.| il., grafs., tabs.
POR
Relevância na Pesquisa
37.56%
Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Bioquímica, Florianópolis, 2015.; A hipercolesterolemia familiar é uma doença do metabolismo das lipoproteínas causada por anormalidades genéticas que direta ou indiretamente prejudicam a função do receptor de lipoproteína de baixa densidade (LDL). Esta condição é caracterizada pelo catabolismo defeituoso da LDL, o qual resulta em aumento das concentrações plasmáticas de colesterol desde o nascimento e aterosclerose prematura. Recentemente, estudos clínicos e pré-clínicos demonstraram uma associação entre a hipercolesterolemia familiar e o desenvolvimento de comprometimento cognitivo leve, considerado um estágio de transição entre o envelhecimento saudável e os primeiros sintomas da doença de Alzheimer ? principal causa de prejuízos cognitivos em pessoas com mais de 65 anos. De fato, há mais de duas décadas o envolvimento da hipercolesterolemia no acúmulo e deposição de peptídeo ß-amiloide (Aß) cerebral vem sendo intensamente estudado. Por outro lado, inúmeros estudos recentes têm indicado o receptor de LDL como uma via fisiológica importante que medeia a regulação celular dos níveis de Aß cerebral. Nesse sentido...

Hipercolesterolemia em escolares e seus fatores de risco; Hypercholesterolemia and its risk factors among schoolchildren

Coronelli, Cleunice Luzia Smania; Moura, Erly Catarina de
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/02/2003 POR
Relevância na Pesquisa
37.56%
OBJETIVO: Identificar os fatores de risco da hipercolesterolemia em escolares de sete a dez anos de idade. MÉTODOS: Estudo caso-controle, desenvolvido com 172 escolares do Município de Campinas, SP, pareados conforme sexo e trimestre de idade. Considerou-se caso a hipercolesterolemia, diagnosticada quando a criança apresentava colesterol ;³;200 mg/dL, e controle quando a criança apresentava colesterol entre 140 e 170 mg/dL. Além da coleta de sangue para a dosagem do nível de colesterol, foram levantados dados sobre pressão arterial, índice de massa corporal e história familiar de doenças cardiovasculares. Os dados foram analisados por correlação bivariada usando o teste t para as variáveis quantitativas e o qui-quadrado para a história familiar de doenças cardiovasculares. O odds-ratio foi usado para estimar o risco de hipercolesterolemia. RESULTADOS: A média do colesterol encontrada foi de 215 mg/dL nos casos e de 154 mg/dL nos controles. A média da pressão arterial sistólica foi de 107 mmHg nos casos e de 106 mmHg nos controles e da diastólica foi de 67 mmHg nos casos e 68 mmHg nos controles. O índice de massa corporal (Kg/m²) apresentou média de 18,2 nos casos e de 17,1 nos controles. A análise bivariada mostrou associação entre hipercolesterolemia e índice de massa corporal (p=0...

Comorbilidad y riesgo cardiovascular en sujetos con primer diagnóstico de hipercolesterolemia

Párraga Martínez,Ignacio; Campo del Campo,José María del; Muñoz Sánchez-Villacañas,Rafael; Villena Ferrer,Alejandro; Morena Rayo,Susana; González Felipe,Natividad; López-Torres Hidalgo,Jesús
Fonte: Revista Española de Salud Pública Publicador: Revista Española de Salud Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; journal article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: text/html; application/pdf
Publicado em 01/06/2011 SPA
Relevância na Pesquisa
37.56%
Fundamento: Para un adecuado abordaje de los sujetos en los que se identifica por primera vez la presencia de hipercolesterolemia es importante considerar simultáneamente tanto sus factores de riesgo cardiovascular como la presencia de otras enfermedades. El objetivo de nuestro estudio es describir el perfil lipídico de los sujetos en los que por primera vez se detecta hipercolesterolemia y determinar su riesgo cardiovascular y comorbilidad. Métodos: Estudio observacional transversal realizado en 274 sujetos en los que se identificó un nivel de colesterol plasmático >200 mg/dl (hipercolesterolemia "límite"), seleccionados mediante muestreo consecutivo. Se evaluó perfil lipídico, factores de riesgo cardiovascular y riesgo cardiovascular (SCORE e índice aterógénico de Castelli), comorbilidad (Índice de Charlson) y características sociodemográficas. Resultados: El nivel medio de colesterol fue de 232,9 mg/dl. Se observó hipercolesterolemia "definida" (>250 mg/dl) en el 21,1% (IC95%: 16,2-26,1). El 9,5% mostró un riesgo cardiovascular >5%. El cociente lipoprotéico colesterol total/colesterol HDL fue superior en hombres que en mujeres (4,4 vs 3,8 (p<0,001), en sujetos con Índice de Comorbilidad de Charlson >1 (4...

Estudio observacional del manejo de la hipercolesterolemia en ancianos entre 65 y 75 años

Ruiz García,A.; Villares Rodríguez,J. E.; Herreros Tabernero,B.; Hermosa Hernán,J. C.; Pozo Sosa,G. del; Gordillo López,F. J.
Fonte: Medifam Publicador: Medifam
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; journal article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: text/html; application/pdf
Publicado em 01/04/2001 SPA
Relevância na Pesquisa
37.59%
Fundamento: dada la variabilidad del manejo de la hipercolesterolemia en el anciano por los Médicos de Atención Primaria (MAPs), se precisa una evaluación inicial. Objetivo: describir el manejo de la hipercolesterolemia en ancianos entre 65 y 75 años por los médicos de familia. Diseño: estudio observacional transversal. Material y método: de 16 Equipos de Atención Primaria (EAPs) del Área 10 INSALUD, con 125 MAPs, se eligieron a 4 EAPs (25%) con 38 MAPs, mediante muestreo bietápico por conglomerados, y de los 841 pacientes elegibles, se seleccionaron 551 pacientes mediante muestreo aleatorio simple. Se analizó la existencia de factores de riesgo cardiovasculares (FRCIs), cardiopatía isquémica o enfermedad vascular arterioesclerótica (CI/EVA), perfil lipídico, y la adecuación del manejo de la hipercolesterolemia a las recomendaciones del National Cholesterol Education Program (NCEP II). Resultados: utilizando la prueba Chi cuadrado, se detectó que el 71,87% (IC95%: 67,88; 75,55) de los pacientes tenían ≥ 2 FRCIs además de hipercolesterolemia, o CI/EVA. Se trató la hipercolesterolemia con dieta exclusivamente en el 64,25% (IC95%: 60,07; 68,23), con estatinas un 20,87% (IC95%: 17,60; 24,56), con fibratos un 12...

Niveles séricos de colesterol y lipoproteínas y frecuencia de hipercolesterolemia en un grupo de adolescentes de la Ciudad de México

Juárez-Muñoz,Irina Elizabeth; Anaya-Florez,María Salomé; Mejía-Arangure,Juan Manuel; Games-Eternod,Juan; Sciandra-Rico,Martha; Núñez-Tinoco,Fernando; Herrera-Márquez,Julia Rocío; González-Sánchez,Héctor; Miranda-González,Donaji
Fonte: Instituto Nacional de Salud, Hospital Infantil de México Federico Gómez Publicador: Instituto Nacional de Salud, Hospital Infantil de México Federico Gómez
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2006 ES
Relevância na Pesquisa
37.45%
Introducción. El objetivo de este estudio fue determinar los niveles séricos de colesterol y lipoproteinas en un grupo de adolescentes de la Ciudad de México. Material y métodos. Se determinaron niveles séricos de lípidos en un grupo de adolescentes. Se aplicó un cuestionario sobre antecedentes familiares de infarto agudo al miocardio, hipercolesterolemia o diabetes mellitus. Para el análisis estadístico se usó SPSS Y EPI DAT.V3. Resultados. Se estudió a 413 adolescentes, hombres y mujeres, con una edad promedio de 13 años, 14% tenían antecedentes familiares de hipercolesterolemia, 5% de infarto al miocardio y 24.7% de obesidad. El grupo presentó los siguientes valores promedio: colesterol 161 ± 36 mg/dL, triglicéridos 103.9 ± 63 mg/dL, LDL 91.6 ± 58 mg/dL, VLDL 32.3 ± 64 mg/dL y HDL 25.34 mg/dL, sin diferencia significativa entre ambos sexos; 259 (62%) adolescentes presentaron colesterol normal, 102 (24.6%) tuvieron niveles limítrofes altos y 52 (12.6%) hipercolesterolemia. Conclusión. Los niveles de lípidos encontrados muestran un incremento de 10% en el promedio de colesterol, 30% más en la frecuencia de colesterol limítrofe alto y 40% más de hipercolesterolemia en relación a lo reportado en estudios de los últimos 10 años

Perfil lipídico en mayores de 65 años.: Prevalencia de hipercolesterolemia y factores de riesgo cardiovascular.

Casado Cornejo,Tomás; Campos Leon,Michael; Moron,Florián; Solis Villanueva,José
Fonte: Revista Medica Herediana Publicador: Revista Medica Herediana
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/07/1996 ES
Relevância na Pesquisa
37.45%
La hipercolesterolemia es frecuente en las personas mayores de 65 años. Objetivo: determinar la prevalencia de hipercolesterolemia y de los factores de riesgo para enfermedad cardiovascular en personas mayores de 65 años residentes en Lima. Material y métodos: se evaluaron en forma prospectiva 214 gerontes (187 mujeres y 27 hombres) no institucionalizados, determinándose los niveles séricos de colesterol total, LDL-colesterol, HDL-colesterol, VLDL-colesterol y triglicéridos por un método enzimático-colorimétrico (Laboratorio Human). Resultados y conclusiones: el valor promedio de colesterol total en el grupo sin factores de riesgo para enfermedad cardiovascular fue de 222.48 ± 42.60 mg/dl. La prevalencia de hipercolesterolemia fue de 39% (41% en mujeres y 26% en hombres). El 40% presentó LDL-colesterol≥160 mg/dl y solo un participante tuvo HDL-colesterol<35 mg/dl. Los factores de riesgo de enfermedad cardiovascular más frecuentes fueron: hipertensión arterial 49.5%, obesidad 22.4% y diabetes mellitus 10.2%. La prevalencia de hipercolesterolemia en nuestra población gerente es similar a lo reportado en la literatura. La aplicación de los criterios del Nacional Colesterol Educations Program en nuestra muestra nos permitió establecer que el 57% necesita un análisis completo de lípidos (Rev Med Hered 1996; 7: 125-31).

Hipercolesterolemia Y factores de riesgo asociados, ambulatorio urbano II: Dr. Leonardo Ruiz Pineda II, San Agustín del Sur, Caracas, Venezuela, año 2002

Carpio G,F; Croce P,N; Morales P,V
Fonte: Universidad Central de Venezuela. Facultad de Medicina. Comisión de Publicaciones de la Facultad de Medicina Publicador: Universidad Central de Venezuela. Facultad de Medicina. Comisión de Publicaciones de la Facultad de Medicina
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2005 ES
Relevância na Pesquisa
37.51%
La hipercolesterolemia es uno de los principales factores de riesgo cardiovascular modificables el presente estudio se realizó en el ambulatorio leonardo ruiz pineda ii, para determinar los factores de riesgo asociados a hipercolesterolemia, de los pacientes de ambos sexos, entre las edades de 20 a 85 años, que acuden a este centro. la metodología utilizada fue una investigación descriptiva mediante corte transversal, obteniendo la muestra a través de jornadas procurando una buena representatividad y llenando la encuesta de factores de riesgo cardiovascular de la sociedad venezolana de cardiología. se tomó peso, talla, presión arterial, glicemia y colesterol. se encontró una asociación directa y significativa entre la prevalencia de hipercolesterolemia y las de: hipertensión arterial, sobrepeso u obesidad y diabetes, de nivel bastante alto para las dos primeras y moderado para diabetes. en el grupo de menores de 30 años hubo mayor prevalencia de hipertensión, diabetes y sobrepeso u obesidad en el sexo masculino que en el femenino. en el grupo de mayores de 30 años, hubo mayor prevalencia de hipertensión arterial y sobrepeso u obesidad en el sexo femenino mientras la hipercolesterolemia fue mayor en el sexo masculino. para ambos sexos se aprecia un incremento notable de la presencia de todos los factores de riesgo en el grupo etario de más de 30. las frecuencias para los factores de riesgo difieren significativamente de las halladas en consulta así como la odd ratio para obesidad e hipercolesterolemia.

Hipercolesterolemia em escolares e seus fatores de risco

Coronelli,Cleunice Luzia Smania; Moura,Erly Catarina de
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2003 PT
Relevância na Pesquisa
37.56%
OBJETIVO: Identificar os fatores de risco da hipercolesterolemia em escolares de sete a dez anos de idade. MÉTODOS: Estudo caso-controle, desenvolvido com 172 escolares do Município de Campinas, SP, pareados conforme sexo e trimestre de idade. Considerou-se caso a hipercolesterolemia, diagnosticada quando a criança apresentava colesterol ³200 mg/dL, e controle quando a criança apresentava colesterol entre 140 e 170 mg/dL. Além da coleta de sangue para a dosagem do nível de colesterol, foram levantados dados sobre pressão arterial, índice de massa corporal e história familiar de doenças cardiovasculares. Os dados foram analisados por correlação bivariada usando o teste t para as variáveis quantitativas e o qui-quadrado para a história familiar de doenças cardiovasculares. O odds-ratio foi usado para estimar o risco de hipercolesterolemia. RESULTADOS: A média do colesterol encontrada foi de 215 mg/dL nos casos e de 154 mg/dL nos controles. A média da pressão arterial sistólica foi de 107 mmHg nos casos e de 106 mmHg nos controles e da diastólica foi de 67 mmHg nos casos e 68 mmHg nos controles. O índice de massa corporal (Kg/m²) apresentou média de 18,2 nos casos e de 17,1 nos controles. A análise bivariada mostrou associação entre hipercolesterolemia e índice de massa corporal (p=0...

Comorbilidad y riesgo cardiovascular en sujetos con primer diagnóstico de hipercolesterolemia

Párraga Martínez,Ignacio; Campo del Campo,José María del; Muñoz Sánchez-Villacañas,Rafael; Villena Ferrer,Alejandro; Morena Rayo,Susana; González Felipe,Natividad; López-Torres Hidalgo,Jesús
Fonte: Ministerio de Sanidad y Consumo Publicador: Ministerio de Sanidad y Consumo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2011 ES
Relevância na Pesquisa
37.56%
Fundamento: Para un adecuado abordaje de los sujetos en los que se identifica por primera vez la presencia de hipercolesterolemia es importante considerar simultáneamente tanto sus factores de riesgo cardiovascular como la presencia de otras enfermedades. El objetivo de nuestro estudio es describir el perfil lipídico de los sujetos en los que por primera vez se detecta hipercolesterolemia y determinar su riesgo cardiovascular y comorbilidad. Métodos: Estudio observacional transversal realizado en 274 sujetos en los que se identificó un nivel de colesterol plasmático >200 mg/dl (hipercolesterolemia "límite"), seleccionados mediante muestreo consecutivo. Se evaluó perfil lipídico, factores de riesgo cardiovascular y riesgo cardiovascular (SCORE e índice aterógénico de Castelli), comorbilidad (Índice de Charlson) y características sociodemográficas. Resultados: El nivel medio de colesterol fue de 232,9 mg/dl. Se observó hipercolesterolemia "definida" (>250 mg/dl) en el 21,1% (IC95%: 16,2-26,1). El 9,5% mostró un riesgo cardiovascular >5%. El cociente lipoprotéico colesterol total/colesterol HDL fue superior en hombres que en mujeres (4,4 vs 3,8 (p<0,001), en sujetos con Índice de Comorbilidad de Charlson >1 (4...