Página 1 dos resultados de 141 itens digitais encontrados em 0.002 segundos

Freqüência do alelo UGT1A1*28 (síndrome de Gilbert) em pacientes portadores de hepatite crônica C e em controles sadios; Frequency of UGT1A1*28 (Gibert´s syndrome) in patients with chronic hepatitis C virus and healthy donors

Souza, Marcelo Moreira Tavares de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 15/09/2009 PT
Relevância na Pesquisa
27.77%
A Síndrome de Gilbert é caracterizada por uma hiperbilirrubinemia indireta benigna que ocorre na ausência de hemólise ou doença estrutural do fígado. Manifesta-se por episódios intermitentes de icterícia, desencadeados por exposição a estressores físicos, baixa ingesta calórica, entre outros. A base genética da redução da atividade da enzima UDP - Glucoroniltransferase foi descoberta em 1995: em uma população caucasiana. Todos os pacientes estudados apresentaram uma adição dos nucleotídeos Timina-Adenina (TA) na região TATA box presente no promotor do gene UGT1A1, em ambos os alelos. Embora considerada uma condição benigna, a síndrome de Gilbert tem sido recentemente associada à hiperbilirrubinemia e a outros efeitos colaterais na utilização de algumas drogas como o Indinavir e Irinotecan. Outro ponto importante diz respeito ao nível de bilirrubina sérica como um indicador da severidade do acometimento de hepatopatas. A presença de mutação no gene UGT1A1 em pacientes hepatopatas pode levar ao aumento da bilirrubina sérica, supervalorizando o acometimento hepático da condição patológica. O objetivo deste estudo foi verificar a frequência do alelo UGT1A1*28 em doadores de sangue da Fundação Pró-sangue Hemocentro de São Paulo HC-FMUSP e em pacientes portadores de hepatite crônica C atendidos no ambulatório de Gastroenterologia Clínica da FMUSP. Relacionar o genótipo TA7/7 com o aumento de bilirrubina sérica nos pacientes com hepatite crônica C e avaliar a técnica de análise de fragmento no rastreamento e genotipagem da Síndrome de Gilbert. A frequência encontrada para o genótipo TA7/7 no grupo doador foi de 9% (30/313) e no grupo de pacientes VHC...

Polimorfismos genéticos em neonatos hiperbilirrubinêmicos com mais de 35 semanas de idade gestacional

Carvalho, Clarissa Gutierrez
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
27.46%
A icterícia neonatal é geralmente benigna, mas desfechos desfavoráveis podem ocorrer e a identificação dos casos de maior risco seria muito útil. Alguns fatores de risco já conhecidos são prematuridade, desidratação, aleitamento materno, deficiência de G6PD e incompatibilidade sanguínea. As alterações na conjugação hepática de bilirrubina devido a polimorfismos da UGT1A1 também podem contribuir para esse maior risco. O objetivo deste estudo foi estimar a freqüência da deficiência de G6PD e/ou das variantes polimórficas da UGT1A1 como fatores de risco para hiperbilirrubinemia grave em neonatos com mais de 35 semanas de idade gestacional e peso superior a 2000g em uma Unidade Neonatal do Sul do Brasil. Estudo prospectivo, observacional, de casos e controles, que incluiu 243 recémnascidos admitidos para fototerapia no HCPA e 247 controles, entre março e dezembro de 2007. Foi realizada dosagem da atividade da G6PD e análises genético-moleculares do respectivo gene. Foi também realizado PCR para a UGT1A1 com eletroforese capilar em analisador genético ABI 3130xl e análise no programa GeneMapper®. Foram detectados genótipos polimórficos da UGT1A1 em 16% dos pacientes, com prevalência nos ictéricos de 13...

Polimorfismos nos genes das proteínas transportadoras de ânions orgânicos na hiperbilirrubinemia neonatal : um estudo de casos e controles

Azevedo, Laura Alencastro de
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.77%
A icterícia costuma ser um fenômeno fisiológico em recém-nascidos saudáveis, contudo, hiperbilirrubinemia não conjugada grave ocorre em 5 a 6% dessa população. Tem sido sugerido que a variabilidade genética de genes de proteínas transportadoras de bilirrubina poderia aumentar o risco de hiperbilirrubinemia quando associada a outros fatores icterogênicos. O presente estudo incluiu neonatos com idade gestacional de 35 semanas ou mais e peso superior a 2000g com indicação para fototerapia. Os polimorfismos nos genes SLCO1B1 (rs4149056 e rs2306283) e SLCO1B3 (rs17680137 e rs2117032) foram analisados por sondas de hidrólise. Um total de 167 hiperbilirrubinêmicos e 247 recém-nascidos controles foi arrolado. Sexo, incompatibilidade ABO, peso ao nascimento e idade gestacional diferiram entre os grupos, mas as frequências alélicas e genotípicas dos polimorfismos dos genes SLCO1B não. Na análise por regressão logística, incompatibilidade ABO, idade gestacional e o alelo polimórfico T do rs2117032 permaneceram no modelo. A presença desse polimorfismo pareceu conferir proteção à hiperbilirrubinemia. Os indivíduos que eram homozigotos para o alelo G do rs2306283 e deficientes da enzima glicose-6-fosfato desidrogenase eram mais frequentes entre os casos. No presente estudo foram observadas apenas fracas interações entre os diferentes polimorfismos e os fatores clínico-ambientais.; Jaundice usually is a physiological phenomenon among newborns; however...

Analysis of transient otoacoustic emissions and brainstem evoked auditory potentials in neonates with hyperbilirubinemia

Silva, Daniela Polo Camargo da; Martins, Regina Helena Garcia
Fonte: Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cervicofacial Publicador: Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cervicofacial
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 381-386
ENG
Relevância na Pesquisa
27.87%
A hiperbilirrubinemia é tóxica às vias auditivas e ao sistema nervoso central, deixando sequelas como surdez e encefalopatia. OBJETIVOS: avaliar a audição de neonatos portadores de hiperbilirrubinemia, utilizando-se a pesquisa das emissões otoacústicas evocadas transientes (EOAET) e dos potenciais evocados auditivos do tronco encefálico (PEATE). Estudo prospectivo. CASUÍSTICA E MÉTODOS: Constituíram-se dois grupos: GI (n-25), neonatos com hiperbilirrubinemia; GII (n-22), neonatos sem hiperbilirrubinemia e sem fatores de risco para surdez. Todos os neonatos tinham até 60 dias de vida e foram submetidos à EOAET e ao PEATE. RESULTADOS: 12 neonatos de GI e 10 de GII eram meninas e 13 de GI e 12 de GII eram meninos. As EOAET estavam presentes em todas as crianças, porém com amplitudes menores em GI, especialmente nas frequências de 2 e 3KHz (p < 0,05). No PEATE, observou-se discreto prolongamento de PV e de LI-V em GI. As alterações observadas nesses testes não se correlacionaram aos níveis séricos da bilirrubinemia. CONCLUSÕES: em neonatos portadores de hiperbilirrubinemia, menores amplitudes das EOAET e discreto prolongamento de PV e de LI-V foram constatados indicando comprometimento coclear e retrococlear das vias auditivas...

Análise micromorfológica do esmalte e da dentina dos dentes verdes de pacientes portadores de hiperbilirrubinemia; Micromorphological analysis of enamel and dentin of green teeth from patients with hyperbilirubinemia

Rodrigo Neves Silva
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 31/07/2013 PT
Relevância na Pesquisa
37.77%
A pigmentação dental intrínseca verde pode ser causada por diversas doenças, sobretudo, doenças hepáticas da infância que geram hiperbilirrubinemia. Esta dissertação testou a hipótese de que a hiperbilirrubinemia é capaz de gerar alterações na microestrutura do esmalte e da dentina. Para isto, investigou-se o perfil clínico de 8 pacientes com histórico de hiperbilirrubinemia que desenvolveram pigmentação dental verde. Foi realizada uma análise macroscópica e radiográfica em 22 dentes provenientes desta amostra de pacientes. Posteriormente, a micromorfologia do esmalte, da dentina e da junção amelodentinária (JAD) foi avaliada em 16 dos 22 dentes por meio da microscopia de luz óptica (MLO) e em 14 dos 22 dentes por meio da microscopia de luz polarizada (MLP) e da microscopia eletrônica de varredura (MEV). Realizou-se a análise da densidade e do diâmetro médio dos túbulos dentinários e da espessura da dentina peritubular por meio da MEV. A média de idade dos pacientes foi de 10 anos, sem predileção por gênero. Dentre as doenças que afetaram os pacientes da amostra, 4 (50%) foram atresia das vias biliares, 1 (12,5%) cirrose biliar primária, 1 (12,5%) hipoplasia das vias biliares intra-hepáticas, 1 (12...

Molecular mechanisms of microglia reactivity to bilirubin : evaluation of potential neurological effects

Silva, Sandra Isabel Leitão da, 1984-
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em //2010 ENG
Relevância na Pesquisa
27.65%
Tese de doutoramento, Farmácia (Biologia Celular e Molecular), Universidade de Lisboa, Faculdade de Farmácia, 2010; Microglia are active sensors in the brain that rapidly engage adequate functional activity states in response to injury to restore homeostasis. During the neonatal period, the brain is more vulnerable to several injury conditions such as the one induced by hyperbilirubinemia, a common situation observed in the newborn, where excessive levels of unconjugated bilirubin (UCB) can reach and damage the brain. Although UCB-induced neuronal and astrocytic toxicity have already been approached, the role of microglia in this condition remains unclear. Thus, this thesis intended to investigate microglial reactivity to UCB and to characterize the intervention of other brain cells in the modulation of their response. Isolated microglial cells showed to acquire a phagocytic phenotype upon UCB exposure that preceded the release of pro-inflammatory cytokines. This release showed to involve activation of upstream signalling pathways such as mitogen-activated protein kinases (MAPKs) and nuclear factor-κB (NF-κB). We next investigated whether and how the microenvironment influenced microglial response to UCB. Our findings revealed that soluble factors released by UCB-stimulated astrocytes refrained microglial activation while neuron-microglia interaction...

Icterícia neonatal : caracterização populacional e repercussões no neurodesenvolvimento ao longo dos primeiros três anos de vida

Martins, Francisca Rocha
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /04/2013 POR
Relevância na Pesquisa
27.77%
Introdução: A icterícia neonatal é a manifestação visível, na pele e escleróticas, de níveis séricos de bilirrubina superiores a 5mg/dL. Ocorre em 60% dos recém-nascidos. Na maioria dos casos, esta condição é benigna, contudo, devido à toxicidade potencial da bilirrubina, os recém-nascidos devem ser monitorizados para identificar aqueles que podem vir a desenvolver uma hiperbilirrubinemia grave e, nalguns casos, encefalopatia aguda ou kernicterus, uma sequela permanente da toxicidade neurológica da bilirrubina. Neste sentido, o objetivo deste estudo é caracterizar a população de recém-nascidos ictéricos nascidos em 2009 no Centro Hospitalar Cova da Beira e avaliar as possíveis alterações no neurodesenvolvimento ao longo dos primeiros três anos de vida. Materiais e métodos: Estudo analítico, retrospetivo e longitudinal de uma amostra de 182 recém-nascidos ictéricos nascidos no Centro Hospitalar Cova da Beira, entre 1 janeiro e 31 de dezembro de 2009, tendo por base a análise documental dos processos clínicos. As variáveis estudadas incidiram sobre características maternas de controlo, características do período gestacional materno, dados biográficos do recém-nascido ictérico e características do período neonatal e pós-natal. A análise quantitativa dos dados foi efetuada através dos testes estatísticos do Qui-quadrado...

Avaliação de dois esquemas de manejo da hiperbilirrubinemia em recém-nascidos com peso menor que 2.000 g

Leite,Maria das Graças C.; Facchini,Fernando P.
Fonte: Sociedade Brasileira de Pediatria Publicador: Sociedade Brasileira de Pediatria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2004 PT
Relevância na Pesquisa
37.46%
OBJETIVO: Avaliar o uso de dois esquemas de fototerapia na hiperbilirrubinemia de recém-nascidos com peso menor que 2.000 g. MÉTODOS: Foram estudados 81 recém-nascidos com peso de nascimento menor que 2.000 g, divididos em dois grupos: "precoce", que iniciou fototerapia com 12 horas de vida e foi tratado por pelo menos 96 horas, e "tardio", que recebeu fototerapia quando a bilirrubina transcutânea atingia 8 mg/dl, sendo retirada quando caísse para 5 mg/dl. Foi analisada a manutenção dos níveis de bilirrubina transcutânea abaixo de 10 mg/dl, o valor médio de bilirrubina transcutânea diária, o valor do pico de bilirrubina transcutânea e época do seu aparecimento e a duração do tratamento. RESULTADOS: No grupo precoce, 20% dos pacientes ultrapassaram 10 mg/dl de bilirrubina transcutânea, contra 60% no tardio. A maior média diária de bilirrubina transcutânea no grupo precoce foi de 6,6 mg/dl, no sétimo dia; no grupo tardio, foi de 8,6 mg/dl no segundo dia de vida. A mediana das horas de fototerapia usadas no grupo precoce foi de 96 (mínimo de 96 e máximo de 156 horas), e no tardio, de 51 horas (mínimo de 0 e máximo de 120 horas). Nenhum paciente necessitou de mudança de tratamento (fototerapia dupla ou exsangüineotransfusão). CONCLUSÃO: O uso da fototerapia precoce para neonatos com peso abaixo de 2.000 g é mais seguro que o tratamento tardio se considerada a manutenção de níveis abaixo de 10 mg/dl como satisfatórios.

Hiperbilirrubinemia neonatal prolongada devido à associação entre síndrome de Gilbert e doença hemolítica por incompatibilidade RhD

Facchini,Fernando P.; Assis,Angela Maria de
Fonte: Sociedade Brasileira de Pediatria Publicador: Sociedade Brasileira de Pediatria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2005 PT
Relevância na Pesquisa
37.46%
OBJETIVO: Relatar associação infreqüente de patologia que cause aumento considerável de produção de bilirrubina e outra diminuição importante na sua excreção. DESCRIÇÃO: Mãe tercigesta, Rh negativo. Na primeira gestação, gerou recém-nascido normal, de termo, não tendo recebido imunoglobulina humana anti-RhD. A segunda gestação complicou-se por isoimunização Rh, dando à luz neonato de termo, o qual necessitou três exsanguinotransfusões e faleceu com 8 dias de vida. Na gestação atual, conseguiu dar à luz a termo recém-nascido tipo ORh positivo, Coombs direto positivo, bilirrubina de cordão 6,5 mg/dl e hematócrito 44%. Com 5 horas de vida, estava ictérico, tendo sido iniciados fenobarbital (por 3 dias) e fototerapia intensiva. A hiperbilirrubinemia foi logo controlada, porém ascendia rapidamente sempre que a fototerapia era suspensa. No 10° dia de vida, a criança foi transfundida por anemia importante. Em vista da persistência da icterícia, no 13° dia de vida pensou-se em associação com síndrome de Gilbert, e o seqüenciamento de DNA foi solicitado. O resultado mostrou genótipo mutante homozigoto UDPT1A1[TA]7TAA. Permaneceu em fototerapia até o 17° dia de vida. Recebeu alta no dia seguinte, após controle de bilirrubinemia. Voltou para acompanhamento ambulatorial e apresentou desenvolvimentos pondo-estatural e neurológico normais. COMENTÁRIOS: O caso ressalta a importância da associação do aumento de produção/diminuição de excreção de bilirrubina na gênese de hiperbilirrubinemias prolongadas...

Avaliação da eficácia clínica de uma nova modalidade de fototerapia utilizando diodos emissores de luz

Martins,Bianca M. R.; Carvalho,Manoel de; Moreira,Maria E. L.; Lopes,José M. A.
Fonte: Sociedade Brasileira de Pediatria Publicador: Sociedade Brasileira de Pediatria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2007 PT
Relevância na Pesquisa
27.46%
OBJETIVO: Avaliar a eficácia terapêutica de um sistema de fototerapia microprocessada que utiliza diodos emissores de luz (Super LED) de alta intensidade no tratamento da hiperbilirrubinemia em recém-nascidos prematuros. MÉTODOS: Ensaio clínico, randomizado e controlado, utilizando a fototerapia Super LED no grupo experimental e duas fototerapias halógenas no grupo controle. A randomização foi realizada em blocos e estratificada por peso de nascimento. A duração da fototerapia e a queda nos níveis séricos de bilirrubina total nas primeiras 24 horas de tratamento foram os principais desfechos analisados. RESULTADOS: Foram estudados 88 recém-nascidos, 44 no grupo da fototerapia Super LED e 44 no grupo da fototerapia halógena. As características demográficas da população foram semelhantes nos dois grupos. O nível sérico médio inicial de bilirrubina no grupo do Super LED (10,1±2,4 mg%) foi semelhante ao do grupo que recebeu fototerapia halógena (10,9±2,0 mg%). A queda percentual na concentração sérica de bilirrubina total nas primeiras 24 horas de tratamento foi significativamente maior (27,9 versus 10,7%, p < 0,01), e a duração do tratamento foi significativamente menor (36,8 versus 63,8 h, p < 0...

Fototerapia simples versus dupla no tratamento de recém-nascidos a termo com hiperbilirrubinemia não-hemolítica

Silva,Ignacia; Luco,Matías; Tapia,Jose L.; Pérez,María Eugenia; Salinas,José Antonio; Flores,Javiera; Villaroel,Luis
Fonte: Sociedade Brasileira de Pediatria Publicador: Sociedade Brasileira de Pediatria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2009 PT
Relevância na Pesquisa
37.65%
OBJETIVO: Comparar a eficácia da fototerapia simples (1 painel) versus dupla (2 painéis) na redução da hiperbilirrubinemia não-hemolítica em recém-nascidos a termo. MÉTODOS: Os recém-nascidos a termo foram randomizados prospectivamente para receber fototerapia simples ou dupla. Os níveis de bilirrubina foram medidos no momento da internação e em intervalos de 12 horas, assim como em seguimento 48 horas após a alta. RESULTADOS: Trinta e sete pacientes receberam fototerapia simples, e 40, dupla. A redução média dos níveis de bilirrubina nas primeiras 24 horas de tratamento foi maior no grupo que recebeu fototerapia dupla (5,1±2,2 mg/dL versus 4,3±2,1 mg/dL), porém sem significância estatística (p = 0,18). As taxas de readmissão foram similares e nenhum dos grupos apresentou efeitos adversos. CONCLUSÃO: A fototerapia dupla não foi mais eficaz do que a fototerapia simples no tratamento da hiperbilirrubinemia não-hemolítica em recém-nascidos a termo. Entretanto, nossos resultados sugerem que a fototerapia dupla possa ser mais eficaz em recém-nascidos a termo com níveis de bilirrubina mais altos no momento da internação.

Acompanhamento sistematizado da hiperbilirrubinemia em recém-nascidos com 35 a 37 semanas de idade gestacional

Punaro,Elizabete; Mezzacappa,Maria Aparecida; Facchini,Fernando Perazzini
Fonte: Sociedade Brasileira de Pediatria Publicador: Sociedade Brasileira de Pediatria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2011 PT
Relevância na Pesquisa
37.46%
OBJETIVOS: Identificar os resultados do acompanhamento da bilirrubinemia na primeira semana de vida em uma coorte de recém-nascidos (RNs) de 35(0/7) a 37(6/7) semanas de idade gestacional e estabelecer fatores de risco para reinternação para fototerapia pós-alta hospitalar (bilirrubinemia total > 18 mg/dL). MÉTODOS: Estudo de coorte retrospectivo em hospital público universitário. Os recém-nascidos tiveram acompanhamento da bilirrubina total plasmática ou transcutânea pré- e pós-alta da enfermaria de alojamento conjunto para avaliação da necessidade de fototerapia. Foi empregada uma abordagem sistematizada, utilizando-se os percentis de risco de uma curva de referência. RESULTADOS: Foram estudados 392 RNs. Uma consulta ambulatorial foi necessária em 61,7% dos RNs. Tiveram valores máximos de bilirrubinemia total > 20 mg/dL 34 RNs (8,7%), e três RNs (0,8%) apresentaram bilirrubinemia total entre 25-30 mg/dL. Fototerapia foi indicada após alta em 74 RNs (18,9%). Os fatores de risco foram a perda de peso do nascimento até o primeiro retorno e os percentis à alta acima do P40. A bilirrubinemia total à alta acima do P95 foi associada ao maior risco de reinternação [RR = 49,5 (6,6-370,3)]. A perda de peso até o primeiro retorno foi o único preditor clínico independente [RR = 1...

Impacto dos polimorfismos genéticos SLCO1B1 sobre a hiperbilirrubinemia neonatal: revisão sistemática com metanálise

Liu,Jiebo; Long,Jun; Zhang,Shaofang; Fang,Xiaoyan; Luo,Yuyuan
Fonte: Sociedade Brasileira de Pediatria Publicador: Sociedade Brasileira de Pediatria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2013 PT
Relevância na Pesquisa
38.03%
OBJETIVO: Determinar se três variantes (388 G>A, 521 T>C, 463 C>A) do membro 1B1 da família de transportadores de ânions orgânicos portadores de solutos (SLCO1B1) se associam à hiperbilirrubinemia neonatal. FONTE DE DADOS: Foi realizada busca na Infraestrutura do Conhecimento Nacional da China e em MEDLINE. A revisão sistemática com metanálise incluiu estudos genéticos que avaliaram a associação entre hiperbilirrubinemia neonatal e as variantes 388 G>A, 521 T>C, 463 C>A de SLCO1B1 entre janeiro de 1980 e dezembro de 2012. Foi realizada seleção e extração de dados por dois analistas, de forma independente. SUMÁRIO DOS ACHADOS: Foram incluídos dez artigos no estudo. Os resultados revelaram que SLCO1B1 388 G>A se associa a um aumento do risco de hiperbilirrubinemia neonatal (OR< 1,39; IC 95%: 1,07 a 1,82) em recém-nascidos chineses, mas não em recém-nascidos caucasianos, tailandeses, latino-americanos ou malaios. A mutação SLCO1B1 521 T>C mostrou baixo risco de hiperbilirrubinemia neonatal em recém-nascido chineses, e não foram encontradas associações importantes no Brasil nem em recém-nascidos caucasianos, asiáticos, tailandeses e malaios. Não houve diferenças significativas da SLCO1B1 463 C>A entre o grupo com hiperbilirrubinemia e o grupo controle. CONCLUSÃO: O estudo mostrou que a mutação 388 G>A do gene SLCO1B1 é fator de risco para desenvolver hiperbilirrubinemia neonatal em recém-nascidos chineses...

Influência da icterícia obstrutiva na capacidade reprodutiva, desenvolvimento fetal e morfologia ovariana em ratas

Resende,Vivian; Petroianu,Andy; Alves,Marlene Soares Dias; Alberti,Luiz Ronaldo
Fonte: Colégio Brasileiro de Cirurgiões Publicador: Colégio Brasileiro de Cirurgiões
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2009 PT
Relevância na Pesquisa
27.65%
OBJETIVO: Estudar a influência da icterícia obstrutiva sobre a capacidade reprodutiva e desenvolvimento fetal em ratas. MÉTODOS: Foram utilizadas 60 ratas sexualmente maduras e sabidamente férteis distribuídas em dois grupos: grupo 1 (n=30)- submetidas a ligadura do ducto biliopancreático e grupo 2 (n=30) -controles. A partir do 23? dia pós-operatório, as ratas foram acasaladas e seus ciclos estrais avaliados diariamente por meio de esfregaços vaginais, que permitiram determinar o dia da cópula e a idade gestacional em que foram mortas. Realizou-se estudo histológico dos corpos lúteos nos ovários de todas as ratas e analisou-se macroscopicamente a morfologia externa dos fetos. RESULTADOS: Observou-se que 23 ratas controle (92%) e 11 ratas ictéricas (39,3%) desenvolveram prenhez (p=0,0002). As 17 ratas com hiperbilirrubinemia e sem prenhez (60,7%) apresentaram somente corpos lúteos com aspecto involutivo em seus ovários e sofreram modificações em seus ciclos estrais, permanecendo vários dias em proestro ou estro. As ratas prenhes com hiperbilirrubinemia não apresentaram alterações em seus corpos lúteos, porém os seus fetos eram anormais. CONCLUSÃO: Em presença de hiperbilirrubinemia, a fertilização é viável...

Icterícia neonatal : caracterização populacional e repercussões no neurodesenvolvimento ao longo dos primeiros três anos de vida

Martins, Francisca Rocha
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /04/2013 POR
Relevância na Pesquisa
27.77%
Introdução: A icterícia neonatal é a manifestação visível, na pele e escleróticas, de níveis séricos de bilirrubina superiores a 5mg/dL. Ocorre em 60% dos recém-nascidos. Na maioria dos casos, esta condição é benigna, contudo, devido à toxicidade potencial da bilirrubina, os recém-nascidos devem ser monitorizados para identificar aqueles que podem vir a desenvolver uma hiperbilirrubinemia grave e, nalguns casos, encefalopatia aguda ou kernicterus, uma sequela permanente da toxicidade neurológica da bilirrubina. Neste sentido, o objetivo deste estudo é caracterizar a população de recém-nascidos ictéricos nascidos em 2009 no Centro Hospitalar Cova da Beira e avaliar as possíveis alterações no neurodesenvolvimento ao longo dos primeiros três anos de vida. Materiais e métodos: Estudo analítico, retrospetivo e longitudinal de uma amostra de 182 recém-nascidos ictéricos nascidos no Centro Hospitalar Cova da Beira, entre 1 janeiro e 31 de dezembro de 2009, tendo por base a análise documental dos processos clínicos. As variáveis estudadas incidiram sobre características maternas de controlo, características do período gestacional materno, dados biográficos do recém-nascido ictérico e características do período neonatal e pós-natal. A análise quantitativa dos dados foi efetuada através dos testes estatísticos do Qui-quadrado...

Hiperbilirrubinemia indirecta de origen genético: Informe de un caso de síndrome de Crigler-Najjar de tipo II

Carriel Mancilla,Jorge; Castañares Perdigón,Ana
Fonte: Archivos argentinos de pediatría Publicador: Archivos argentinos de pediatría
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2010 ES
Relevância na Pesquisa
37.46%
El síndrome de Crigler Najjar II aparece por un déficit en la conjugación de la bilirrubina debido a la deficiencia parcial de la enzima uridindifosfato-glucuronil transferasa. Por lo general, tiene un curso benigno, a diferencia del Crigler Najjar de tipo I, donde el déficit enzimático es total y los afectados mueren a edades tempranas. Se presenta el caso de una adolescente de 16 años con hiperbilirrubinemia indirecta, síndrome convulsivante y parálisis cerebral. Una correcta historia clínica con estudio genealógico y pruebas funcionales apropiadas, permitieron determinar el diagnóstico definitivo. Esta enfermedad genética se transmite de forma autosómica recesiva, tiene una prevalencia muy baja a nivel mundial y constituye, en general, un reto diagnóstico para los médicos.

Hiperbilirrubinemia neonatal agravada

Campo González,Ana; Alonso Uría,Rosa María; Amador Morán,Rafael; Ballesté López,Irka; Díaz Aguilar,Rosa; Remy Pérez,Mercedes
Fonte: Revista Cubana de Pediatría Publicador: Revista Cubana de Pediatría
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2010 ES
Relevância na Pesquisa
37.94%
INTRODUCCIÓN. La mayoría de las veces la ictericia en el recién nacido es un hecho fisiológico, causado por una hiperbilirrubinemia de predominio indirecto, secundario a inmadurez hepática e hiperproducción de bilirrubina. El objetivo de este estudio fue determinar el comportamiento de la hiperbilirrubinemia neonatal en el Hospital Docente Ginecoobstétrico de Guanabacoa en los años 2007 a 2009. MÉTODOS. Se realizó un estudio descriptivo y retrospectivo de 173 recién nacidos que ingresaron al Departamento de Neonatología con diagnóstico de hiperbilirrubinemia agravada. RESULTADOS. La incidencia de hiperbilirrubinemia neonatal agravada fue del 3,67 % y predominó en hermanos con antecedentes de ictericia (56,65 %). El tiempo de aparición fue de 48 a 72 h (76,87 %) y entre los factores agravantes se hallaron el nacimiento pretérmino y el bajo peso al nacer. La mayoría de los pacientes fueron tratados con luminoterapia (90,17 %). CONCLUSIÓN. La hiperbilirrubinemia neonatal agravada constituye un problema de salud. Los factores agravantes son la prematuridad y el bajo peso al nacer. La luminoterapia es una medida terapéutica eficaz para su tratamiento.

Efectividad de la fototerapia en la hiperbilirrubinemia neonatal

Durán,M.; García,J.A.; Sánchez,A.
Fonte: Universidad Nacional Autónoma de México, Escuela Nacional de Enfermería y Obstetricia Publicador: Universidad Nacional Autónoma de México, Escuela Nacional de Enfermería y Obstetricia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2015 ES
Relevância na Pesquisa
37.77%
Introducción: La ictericia neonatal es la pigmentación amarilla de la piel causada por aumento de bilirrubina en sangre. Los tratamientos más utilizados para la hiperbilirrubinemia han sido la fototerapia y, la fototerapia más fenobarbital. Objetivo: Identificar las mejores evidencias para mejorar el uso y la efectividad de la fototerapia en el tratamiento de la hiperbilirrubinemia neonatal. Métodos: Se realizó una búsqueda de artículos publicados de 2007 a 2014 con las siguientes palabras clave, hiperbilirrubinemia neonatal, fototerapia de halógenos, fototerapia LEDS, en la Biblioteca Cochrane, en las Bases de datos REDALyC, Scielo, Medline, CINAHL y CUIDEN. Se identificaron 28 artículos relacionados con la efectividad de la fototerapia. Se realizó un análisis de los artículos encontrados. Resultados: La fototerapia con luz de LED tiene mayor eficacia en el control de bilirrubina sobre la fototerapia de halógeno y fibra óptica (diferencia de medias -0.43, IC 95%: -1.91 a 1.05 h). Las sábanas blancas alrededor de la cuna de calor radiante aumentan la eficacia de la fototerapia; respecto a la protección de los genitales, la literatura menciona que si los niveles de bilirrubina están muy altos se deberá quitar el pañal...

Estimación visual de la ictericia neonatal y detección del riesgo de hiperbilirrubinemia significativa

Henríquez,Angélica; Chirinos,Miriam; Furzán,Jaime A
Fonte: Sociedad Venezolana de Puericultura y Pediatría Publicador: Sociedad Venezolana de Puericultura y Pediatría
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2011 ES
Relevância na Pesquisa
37.87%
Introducción: La predicción del riesgo de hiperbilirrubinemia significativa a través de la medición de una bilirrubina previa al alta ha sido validada en neonatos. La estimación visual de la extensión de la ictericia es comúnmente usada para la decisión de la obtención de la prueba de bilirrubina. Objetivo: Determinar la confiabilidad de la evaluación visual de la ictericia en la detección del riesgo de hiperbilirrubinemia significativa. Métodos: 123 neonatos fueron examinados antes del alta por un pediatra quien asignó la extensión de la ictericia según su progresión céfalo-caudal. Una medida simultánea de bilirrubina transcutánea fue hecha por otro observador. Luego se comparó la calificación del riesgo de hiperbilirrubinemia significativa por ambos métodos, a través de un nomograma clasificado por zonas de riesgo. Resultados: El porcentaje de coincidencia global en relación a la designación de riesgo por ambos métodos fue 73%, pero esta proporción decreció a 56,3% cuando se analizó sólo para las zonas de alto riesgo. De hecho, 18 (43,7%) de los 32 neonatos calificados de alto riesgo por la prueba transcutánea fueron erróneamente identificados por la evaluación visual como niños de bajo riesgo. Conclusiones: A pesar de que la concordancia general entre la estimación visual de la ictericia y la bilirrubina real es aceptable...

Manejo de la hiperbilirrubinemia neonatal por pediatras que realizan atención inmediata del recién nacido

Benítez-Leite,S; Mesquita,M; Macchi,ML
Fonte: Sociedad Paraguaya de Pediatría Publicador: Sociedad Paraguaya de Pediatría
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2005 ES
Relevância na Pesquisa
37.87%
Introducción: a partir de 1990 se reporta un incremento de casos de kernicterus en recién nacidos sanos alimentados con pecho materno exclusivamente y sin factores de riesgo conocidos de hiperbilirrubina. Objetivo: evaluar el conocimiento de las normas recomendadas por la AAP sobre el manejo de la hiperbilirrubinemia en recién nacidos de término y casi término, por parte de los pediatras clínicos, neonatólogos y residentes en formación que realizan atención inmediata del recién nacido. Material y método: se aplicó una encuesta en la ciudad de Asunción y el área metropolitana, a pediatras y neonatólogos que realizan atención inmediata del recién nacido, y a residentes en formación de diferentes centros de atención del área metropolitana durante el mes de agosto del año 2004 e incluyó a profesionales de práctica hospitalaria y privada. Resultados: el 24,4% (31/127) eran residentes en formación; el 38,6% (49/127) refirió haber realizado 2 o más años de residencia en neonatología; según los años de recibido el 60% (75/127) tenían 10 años o menos de recibido y el 41% (52/ 127) tenían 10 o más años de recibido. Las respuestas correctas en más del 80% de la población encuestada están referidas a la recomendación de seguir con lactancia materna si está ictérico y sin deshidratación en 92...