Página 1 dos resultados de 3 itens digitais encontrados em 0.001 segundos

Hamlet es Hamlet

Fuentes, Pablo
Fonte: Universidad Andrés Bello (Chile) Publicador: Universidad Andrés Bello (Chile)
Tipo: Artículo de revista
ES
Relevância na Pesquisa
27.9%
Indexación: Revista UNAB; El presente ensayo ofrece una lectura de Harnlet de Shakespeare, centrada en la dislocada relación entre su personaje principal y el sentido dramático de la obra. Como se ha de mostrar, esta aparente disociación entre trama y personaje está lejos de constituir una falencia artística, y ha de entenderse como un elemento interno de la obra, que en su intento por mostrar lo que no puede decir, desplaza los límites de su propio sentido. Abstract: The current essay offers a reading of Shakespeare's Hamlet, focusing on the somehow loose relation between the protagonist and its dramatic sense. As it will be suggested, this apparent gap between plot and character, far from an artistic failure, is better understood as an internal element of the play, which displace the bounds of sense by dint of showing what cannot be said.

Estudo de bioequivalencia de duas formulações de comprimidos de pantoprazol em voluntarios sadios de ambos os sexos

Maria Carla Petrellis
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 22/12/2004 PT
Relevância na Pesquisa
17.11%
A tese de doutoramento intitulada "A questão da passividade na melancolia: paradigma de Hamlef' trata de alguns o questionamentos clínicos sobre a ação da passividade e, conseqüente impacto sobre a relação analítica, num caso de melancolia. Sua descrição teórica é feita a partir das noções de paixão encontradas na literatura filosófica até chegar a psicanálise e sua problemática metapsicológica. As diferentes modalidades de passividade são descritas sob a ótica do sadismo e do masoquismo na teoria fteudiana para permitir uma articulação com a hipótese argumentativa de que é a passividade que faz certa A tese de doutoramento intitulada "A questão da passividade na melancolia: paradigma de Hamlef' trata de alguns o questionamentos clínicos sobre a ação da passividade e, conseqüente impacto sobre a relação analítica, num caso de melancolia. Sua descrição teórica é feita a partir das noções de paixão encontradas na literatura filosófica até chegar a psicanálise e sua problemática metapsicológica. As diferentes modalidades de passividade são descritas sob a ótica do sadismo e do masoquismo na teoria fteudiana para permitir uma articulação com a hipótese argumentativa de que é a passividade que faz certas coisas acontecerem na melancolia. A peça shakesperiana de Hamlet fornece uma perspectiva heurística...

A questão da passividade na melancolia : o paradigma de Hamlet

Luciana Balbo Portella
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 31/08/2004 PT
Relevância na Pesquisa
17.11%
A tese de doutoramento intitulada "A questão da passividade na melancolia: paradigma de Hamlef' trata de alguns o questionamentos clínicos sobre a ação da passividade e, conseqüente impacto sobre a relação analítica, num caso de melancolia. Sua descrição teórica é feita a partir das noções de paixão encontradas na literatura filosófica até chegar a psicanálise e sua problemática metapsicológica. As diferentes modalidades de passividade são descritas sob a ótica do sadismo e do masoquismo na teoria fteudiana para permitir uma articulação com a hipótese argumentativa de que é a passividade que faz certa A tese de doutoramento intitulada "A questão da passividade na melancolia: paradigma de Hamlef' trata de alguns o questionamentos clínicos sobre a ação da passividade e, conseqüente impacto sobre a relação analítica, num caso de melancolia. Sua descrição teórica é feita a partir das noções de paixão encontradas na literatura filosófica até chegar a psicanálise e sua problemática metapsicológica. As diferentes modalidades de passividade são descritas sob a ótica do sadismo e do masoquismo na teoria fteudiana para permitir uma articulação com a hipótese argumentativa de que é a passividade que faz certas coisas acontecerem na melancolia. A peça shakesperiana de Hamlet fornece uma perspectiva heurística...