Página 1 dos resultados de 4582 itens digitais encontrados em 0.008 segundos

Pneumonia por Influenza A(H1N1) em paciente imunossuprimido após transplante cardíaco; Influenza A (H1N1) pneumonia in an immunossupressed patient after heart transplantation; Neumonía por Influenza A (H1N1) en paciente inmunosuprimido tras transplante cardiaco

BACAL, Fernando; SEGURO, Luis Fernando; OGAWA, Tania; MANGINI, Sandrigo; FIORELLI, Alfredo; BOCCHI, Edimar
Fonte: Sociedade Brasileira de Cardiologia - SBC Publicador: Sociedade Brasileira de Cardiologia - SBC
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
37.13%
O papel da resposta imunológica durante a infecção pelo vírus Influenza H1N1 não está totalmente estabelecido, mas acredita-se que atue de forma decisiva no agravamento do quadro e no aparecimento da síndrome de desconforto respiratório agudo. O papel de terapias imunomoduladoras no controle de infecções virais também não é consensual e faltam dados de literatura para se definir as indicações de seu uso. Neste relato de caso, apresentamos, segundo nosso conhecimento, pela primeira vez, o relato de um paciente transplantado cardíaco que apresentou infecção pelo vírus H1N1 e evoluiu de forma favorável, trazendo um questionamento sobre o real papel da terapia imunossupressora como fator de risco para a forma grave da doença.; The role of the immune response during Influenza H1N1 virus infection is not yet fully established, but it is believed that it decisively participates in the severity of the disease as well as in the development of acute respiratory distress syndrome. The role of immunomodulating therapies in the control of viral infections is not a consensus either, and data from the literature defining the indications for their use are lacking. The present report is, to our knowledge, the first on a heart transplant patient who developed H1N1 virus infection and had a favorable outcome...

Imunogenicidade e segurança da vacina contra influenza A H1N1/2009 em pacientes com artrite idiopática juvenil; Immunogenicity and safety of the influenza A H1H1/2009 vaccine in juvenile idiopathic arthritis patients

Aikawa, Nádia Emi
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 06/11/2012 PT
Relevância na Pesquisa
37.13%
Introdução: A pandemia de gripe A H1N1 em junho de 2009 resultou em elevadas taxas de hospitalização entre pacientes imunodeprimidos, incluindo pacientes com artrite idiopática juvenil (AIJ). Embora a vacinação seja uma medida eficaz contra complicações da gripe pandêmica, não há estudos na literatura sobre seus efeitos na AIJ. Objetivos: Avaliar a resposta resposta da vacina contra influenza A H1N1/2009 sem adjuvante na AIJ, como uma extensão do estudo anterior de imunogenicidade e segurança em uma grande população de pacientes com doenças reumáticas juvenis. Além disso, avaliar a possível influência de dados demográficos, subtipos de AIJ, atividade da doença e do tratamento sobre a imunogenicidade e o potencial efeito deletério da vacina sobre a doença, particularmente sobre o número de articulações ativas e os marcadores inflamatórios. Métodos: 95 pacientes com AIJ e 91 controles saudáveis foram avaliados antes e 21 dias após a vacinação contra influenza A H1N1/2009 e a sorologia anti-H1N1 foi realizada por ensaio de inibição de hemaglutinação. A avaliação global de atividade da artrite por uma escala visual analógica (EVA) pelo paciente e pelo médico, o Childhood Health Assessment Questionnaire (CHAQ)...

Pneumonia domiciliar associada a infecção pelo vírus p-H1N1 2009 em hospital terciário: frequência, características clínico-laboratoriais e aplicação de escores para predizer diagnóstico e prognóstico; Community-Acquired Pneumonia associated with p-H1N1 2009 infection in a tertiary hospital: frequency, clinical characteristics and applicability of scores to predict diagnosis and prognosis

Brandão Neto, Rodrigo Antonio
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 17/12/2012 PT
Relevância na Pesquisa
37.27%
Introdução: Em 13 de Setembro de 2009, a OMS reportou que existiam mais de 296.471 casos confirmados laboratorialmente de infecção pelo p-H1N1 2009. Ainda assim muitas questões permanecem, incluindo o papel de regras de probabilidade clínica e escores de gravidade de pneumonia adquirida na comunidade nestes pacientes. Nós descrevemos as características clínicas e epidemiológicas de pacientes internados por pneumonia adquirida na comunidade com ou sem infecção pelo p-H1N1. Objetivos: Verificar a incidência e características clínicas da pneumonia adquirida na comunidade associada com infecção pelo p-H1N1 2009, comparado as pneumonias adquiridas na comunidade sem infecção pelo p-H1N1 2009 e a aplicação de regras de probabilidade clínica e escores de gravidade de pneumonia. Métodos: Estudo observacional prospectivo avaliando pacientes consecutivos hospitalizados por pneumonia adquirida na comunidade por mais de 24 horas no HC-FMUSP. A infecção pelo p-H1N1 foi confirmada utilizando ensaios realtime PCR (RT-PCR). Os dados coletados incluíam variáveis clínicas e laboratoriais e 3 escores de gravidade de pneumonia: PSI (Pneumonia Severity Index), CURB-65 e o SMART-COP. Resultados: De 12 de julho a 17 de agosto de 2009...

Soroproteção reduzida após a vacinação sem adjuvante contra influenza pandêmica A/H1N1 em pacientes com artrite reumatoide; Reduced seroprotection after pandemic A/H1N1 influenza adjuvant-free vaccination in patients with rheumatoid arthritis: implications for clinical practice

Ribeiro, Ana Cristina de Medeiros
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 28/06/2013 PT
Relevância na Pesquisa
37.09%
Introdução: A vacinação contra a influenza pandêmica A/H1N1 resultou em soroproteção em mais de 85% dos indivíduos saudáveis. Entretanto, dados em pacientes com artrite reumatoide (AR) são escassos. Objetivos: O objetivo deste estudo é avaliar a imunogenicidade e a segurança em curto prazo da vacina contra influenza pandêmica A/H1N1 em pacientes com AR e a influência da atividade da doença e da medicação nesta resposta. Métodos: Trezentos e quarenta pacientes adultos com AR em seguimento e tratamento regular e 234 controles saudáveis foram examinados antes e 21 dias após receber uma dose da vacina sem adjuvante contra influenza A/California/7/2009. A atividade da doença (DAS28), o tratamento em uso e os títulos de anticorpos também foram avaliados. As taxas de soroproteção (títulos de anticorpos >= 1:40) e soroconversão (percentagem de pacientes com aumento de título de anticorpos maior ou igual a 4, se o título pré- vacinal fosse maior ou igual a 1:10; ou título pós-vacinal de pelo menos 1:40, se o título pré-vacinal era menor que 1:10), as médias geométricas dos títulos (MGT) e o fator de incremento das médias geométricas (FI-MGT) foram calculados. Os eventos adversos foram também registrados. Resultados: Os pacientes com AR e os controles tinham taxas pré-vacinais de soroproteção (10...

Imugenicidade e segurança da vacina contra influenza A H1N1/2009 em pacientes com dermatomiosite juvenil; Immunogenicity and safety of the influenza A H1N1/2009 vaccine in juvenile dermatomyositis patients

Guissa, Vanessa Ramos
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 10/09/2013 PT
Relevância na Pesquisa
37.12%
Objetivos: Avaliar a imunogenicidade e segurança da vacina anti-influenza A/H1N1 2009 em pacientes com dermatomiosite juvenil (DMJ) comparados com controles saudáveis e a possível associação entre taxas de soroconversão com dados demográficos, enzimas musculares, escores da DMJ, linfopenia e tratamento nos pacientes com DMJ atendidos em dois serviços de Reumatologia Pediátrica. Métodos: Trinta pacientes com DMJ entre 9 e 21 anos e 81 controles saudáveis foram imunizados com a vacina anti-influenza A H1N1/2009 sem adjuvante. Todos foram avaliados pré e 21 dias após a vacinação. As taxas de soroproteção e soroconversão, a média geométrica dos títulos de anticorpos (MGT) e o fator de aumento (FA) na MGT foram calculados. Foram analisados os eventos adversos (EAs), assim como: enzimas musculares, instrumentos de força muscular, presença de linfopenia e tratamento atual da DMJ. Resultados: Pacientes com DMJ e controles foram comparáveis em relação à mediana de idade atual [15,5 (9- 21) vs. 15 (9-21) anos, p=0,511] e frequência do sexo feminino (63% vs. 51%, p=0,286). A mediana do tempo de duração da DMJ foi de 5,5 (2-17) anos. Após a imunização, as taxas de soroconversão foram significantemente menores em pacientes com DMJ comparados com controles saudáveis (86...

Influenza A H1N1 no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HC/FMUSP); perfil clínico dos casos atendidos e utilização de serviços hospitalares; Influenza A H1N1 in Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HC-FMUSP): clinical profile from patients and use of health services

Calmona, Carlos Odair
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 17/02/2014 PT
Relevância na Pesquisa
37.12%
A atenção à saúde compreende múltiplas formas de prestação de serviços, sendo o hospital a instituição nuclear para os sistemas de saúde. Em maio de 2009 iniciou-se uma epidemia que evoluiu para escala mundial, com novo subtipo de vírus influenza identificado como Influenza A (H1N1)09pdm, caracterizado pela alta demanda de consultas e internações hospitalares, o que impactou na gestão e custos do serviço. O objetivo da pesquisa foi estudar o consumo de serviços hospitalares dos casos suspeitos e confirmados de Influenza A(H1N1)09pdm no Instituto Central do Hospital das Clínicas da FMUSP (ICHC-HCFMUSP), entre maio e dezembro de 2009. Tomando como informação inicial os registros do banco de notificações e do de saídas hospitalares do Núcleo de Informação em Saúde do HCFMUSP, foram selecionados 430 indivíduos que preencheram os critérios de inclusão da pesquisa e que levaram à 632 internações hospitalares. Em 26% (n=112) das pessoas e em 22,3% (n=141) das internações foi confirmada a suspeita para infecção por H1N1. Nas internações de casos suspeitos, a mediana de duração da internação foi de 5+17 (0-161) dias e 23,4% (n=148) foram admitidos nas UTIs, com mediana de internação 4,5+7,8 (0-46) dias. Nos casos confirmados...

Fatores de risco para aquisição de influenza A (H1N1)pdm09 entre os profissionais de saúde; Risk factors for acquisition of influenza A (H1N1)pdm09 among health care workers

Lobo, Renata Desordi
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 28/05/2015 PT
Relevância na Pesquisa
37.29%
INTRODUÇÃO: Em junho de 2009 a Organização Mundial de Saúde declarou pandemia de influenza A (H1N1)pdm09. Esse novo vírus teve grande impacto na saúde mundial, foi responsável por 90% dos casos de influenza no mundo com apresentação clínica diferente da sazonal, acometendo indivíduos jovens e causando milhares de óbitos. O Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo foi referência para atendimento de casos graves. Por se tratar de um vírus novo houve controvérsias em relação a medidas de precaução e em relação ao afastamento dos profissionais de saúde (PAS). Devido a elevada incidência de influenza A (H1N1)pdm09 também ocorreram casos entre os profissionais da área da saúde (PAS). OBJETIVOS: Geral: Avaliar os fatores de risco para aquisição de influenza A (H1N1)pdm09 entre profissionais da área da saúde. Específico: Comparar características clínicas e de exposição dos casos de influenza A (H1N1)pdm09 em comparação a outros casos sintomáticos respiratórios entre profissionais da área da saúde MÉTODOS: Estudo caso-controle no qual foram criados três grupos e divididos em: sintomático respiratório H1N1-positivo, sintomático respiratório H1N1-negativo e controle assintomático. RESULTADOS: 274 PAS foram avaliados: 52 sintomáticos respiratórios H1N1-positivo...

Epidemiologia do vírus influenza A (H1N1) em crianças internadas no serviço de pediatria do Hospital de Clínicas de Porto Alegre no ano de 2009

Scarpa, Fernanda Cristina
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.18%
Introdução: O surgimento de uma nova cepa do vírus Influenza A, o H1N1, determinou uma pandemia no ano de 2009, com importante repercussão global. Esse vírus infectou principalmente adultos jovens e crianças menores de dois anos com grande aumento na morbimortalidade quando comparado com as taxas anuais decorrentes do influenza. Objetivo: Avaliar as características epidemiológicas e clínicas da infecção pelo vírus influenza A (H1N1) em crianças, a fim de agregar conhecimento para melhor abordagem em futuras pandemias. Métodos: Estudo de corte transversal com revisão dos prontuários de todas as crianças, entre zero e 16 anos, hospitalizadas com quadro gripal no Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA) em 2009. A identificação do vírus H1N1 foi feita através de Reação em Cadeia da Polimerase (PCR) em laboratório de referência. Resultados: Cento e noventa e uma crianças foram internadas com suspeita de infecção pelo H1N1, destas, 83 (43%) foram submetidos à pesquisa do vírus H1N1, sendo 28 positivos (34%) e 55 negativos (66%). Os pacientes positivos para H1N1 eram mais velhos, 27 (7-108) versus sete (3-32) meses (p=0,015), todos apresentaram febre versus 70% do outro grupo (p=0,015), chegaram ao hospital com menor saturação de hemoglobina...

Caracterização da criança com infecção por H1N1 e da intervenção fisioterapêutica: relato de casos em série

Izumi, Adriana Yuki; Seibert, Paulo Armindo; Fujisawa, Dirce Shizuko
Fonte: Universidade de São Paulo (USP) Publicador: Universidade de São Paulo (USP)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 86-90
POR
Relevância na Pesquisa
37.07%
A infecção por influenza A, subtipo H1N1, é considerada uma doença viral aguda e importante causa de doença respiratória. As crianças foram consideradas como um dos grupos de risco, devido à imaturidade do sistema imunológico. A fisioterapia pode atuar na prevenção e no tratamento das doenças respiratórias em crianças, utilizando-se de diversas técnicas e procedimentos terapêuticos. Assim, o presente estudo teve como objetivo descrever o atendimento de fisioterapia em crianças internadas em um hospital-escola com diagnóstico/suspeita de infecção por H1N1. Estudo do tipo descritivo de relato de casos em série realizado por meio de análise de prontuário. Investigados 14 prontuários de crianças com mediana de idade de 1 ano e 5 meses, 10 do sexo masculino e 4 do feminino. A manifestação clínica mais frequente foi esforço respiratório, seguida por tosse, febre, coriza, vômitos e dor no corpo. As técnicas de fisioterapia mais realizadas foram respiratórias, seguidas de cinesioterapia, orientações para os pais, suporte de oxigênio e estímulo ao (DNPM). O tempo médio de internação foi de 4,57 dias. Algumas crianças somavam ao diagnóstico/suspeita de infecção por H1N1 diagnósticos e doenças associadas. A fisioterapia realizada foi principalmente no sentido de melhorar a mecânica respiratória por meio de técnicas desobstrutivas e outras condutas respiratórias...

Mortalidade em gestantes por influenza A(H1N1)PDM09 no Brasil nos anos de 2009 e 2010

Souza, Líbia Roberta de Oliveira
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
37.24%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Medicina, Núcleo de Medicina Tropical, 2013.; Em abril de 2009 foram identificados os primeiros casos por Influenza A(H1N1)pdm09 e, em junho desse mesmo ano, foi declarada fase pandêmica por este novo subtipo. As gestantes foram identificadas precocemente como grupo de risco para complicações e óbito. O Brasil apresentou decréscimo de 51% na morte materna no período de 1990 e 2010, porém houve um incremento nesse indicador no ano de 2009, o qual pode ter sido influenciado por tal pandemia. O objetivo desse estudo foi descrever a mortalidade por Influenza A(H1N1)pdm09 entre gestantes no Brasil, nos anos de 2009 e 2010. Foi realizado um estudo descritivo sobre a mortalidade em gestantes empregando-se o método de relacionamento probabilístico entre os óbitos por todas as causas no Sistema de Informação sobre Mortalidade e as notificações no Sistema de Informação de Agravos de Notificação em mulheres de 10 a 59 anos. Foram realizados 7 passos de blocagem e as variáveis nome e data de nascimento foram utilizadas para o pareamento. Foram identificados óbitos subnotificados e subinformados no SIM e calculada a proporção de mortes maternas por Influenza A(H1N1)pdm09. Foram notificadas 6.695 gestantes no período estudado e confirmados 3.301 (49...

O vírus Influenza - A (H1N1): tradução e glossário

Fernandes, Andrea Rolão
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.07%
Com este projecto, realizado no final do Mestrado em Tradução Especializada, procurou-se descrever e reflectir sobre os processos tradutológico e terminológico que regeram quer o trabalho de tradução científica, quer o de criação de um glossário, efectuados a partir de textos ligados ao Vírus A (H1N1): o de Robert Cohen, intitulado «Grippe A (H1N1)», da revista Archives de Pédiatrie (volume 16, nº 10, de 2009), disponível no site de ScienceDirect; o de Anne-Cécile. Jeannot et al., intitulado «Premiers cas de transmission secondaire en France du nouveau virus grippal d’origine porcine A - H1N1v», da revista Médecines et Maladies Infectieuses (volume 40, nº 1, de 2009), também disponível no site de ScienceDirect; por fim, o de Caroline Tourbe, intitulado «À la une: Grippe A», da revista Science et Vie (nº 1104, de Setembro 2009). À data do início deste projecto (Novembro, 2009), o Vírus A (H1N1) era pouco estudado em Portugal e, consequentemente, muito pouca informação científica estava disponível. Contudo, rapidamente virara pandemia e, por isso, decidimos contribuir para a sua divulgação traduzindo textos e criando um glossário. Este relatório visa, pois, estabelecer um enquadramento científico...

Os dias iniciais da infecção pelo vírus da gripe pandémica (H1N1) 2009 na região centro de Portugal

Duque, V; Cordeiro, E; Mota, V; Morais, C; Rodrigues, F; Coelho, F; Saraiva da Cunha, JG; Meliço-Silvestre, A
Fonte: Sociedade Portuguesa de Pneumologia Publicador: Sociedade Portuguesa de Pneumologia
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2010 ENG
Relevância na Pesquisa
37.12%
BACKGROUND: The first case of pandemic (H1N1) 2009 virus infection was diagnosed in the central region of Portugal on June 16, 2009, in a woman infected in Canada. METHODS: The aim of our study was, first to characterize the clinical and epidemiologic aspects of all the patients with clinical manifestations included in the definition of case for investigation with samples submitted to diagnosis of the pandemic (H1N1) 2009 virus infection, in the central region of Portugal; second to assess the precision of the case definition of case for investigation considered in the study according to the presence or the absence of fever at the moment of clinical observation. We reviewed the medical records of all the patients presenting with Influenza like-illness classified as case for investigation and the first cases of patients infected with the new pandemic (H1N1) 2009 virus, diagnosed in the central region of Portugal during the pandemic period between June and August, 2009, were analyzed. Real-time reverse-transcriptase polymerase-chain-reaction (RT-PCR) testing was used to confirm the pandemic (H1N1) 2009 virus infection. Data collection was performed on a standardized paper format in agreement with the General Health Directorate. Results and discussion: Pandemic (H1N1) 2009 virus infection was confirmed in 255 patients. Overall...

Pneumonia grave por vírus influenza A H1N1 e pneumonia comunitária grave: diferenças na evolução

Nardocci,Paula; Gullo,Caio Eduardo; Lobo,Suzana Margareth
Fonte: Associação de Medicina Intensiva Brasileira - AMIB Publicador: Associação de Medicina Intensiva Brasileira - AMIB
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2013 PT
Relevância na Pesquisa
37.09%
OBJETIVO: Analisar dados clínicos, laboratoriais e de evolução de pacientes com pneumonia grave por vírus influenza A H1N1 em comparação à pneumonia bacteriana grave adquirida na comunidade. MÉTODOS: Estudo de coorte, retrospectivo. Todos os pacientes admitidos na unidade de terapia intensiva, entre maio de 2009 e dezembro de 2010, com diagnóstico de pneumonia grave por influenza A H1N1 foram incluídos. Trinta pacientes com pneumonia adquirida na comunidade grave admitidos no mesmo período foram usados como grupo controle. Pneumonia adquirida na comunidade grave foi definida como presença de ao menos um critério maior de gravidade (uso de ventilador ou vasopressor) ou de dois critérios menores. RESULTADOS: Foram avaliados os dados de 45 pacientes. Dentre eles, 15 pacientes com H1N1. Em comparação ao grupo com pneumonia adquirida na comunidade, pacientes do grupo H1N1 tiveram contagens de leucócitos significativamente menores na admissão (6.728±4.070 versus 16.038±7.863; p<0,05) e níveis de proteína C-reativa mais baixos (dia 2: 15,1±8,1 vs. 22,1±10,9 mg/dL, p<0,05). Os valores da relação PaO2/FiO2 foram menores na primeira semana em pacientes com H1N1. Não sobreviventes de pneumonia grave por H1N1 tiveram níveis significativamente mais elevados de proteína C-reativa do que os sobreviventes...

The accuracy of influenza A (H1N1) "swine flu" laboratory testing: a systematic review of diagnostic test accuracy.

White, Sarahlouise
Fonte: Universidade de Adelaide Publicador: Universidade de Adelaide
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em //2011
Relevância na Pesquisa
37.07%
Background: Influenza A (H1N1) recently became pandemic, highlighting the need for a cheap and accurate diagnostic test to diagnose this virus in a clinically relevant timeframe. The current reference standard (viral culture) requires a significant degree of technical expertise, laboratory time, resources and can take up to 10 days to obtain a result, during which time there could be a significant spread of infection. The objective of this study was to obtain summary estimates of the diagnostic accuracy of currently available laboratory tests compared to viral culture for the diagnosis of Influenza A (H1N1) from respiratory samples. Search Strategy: Diagnostic tests are still poorly indexed by major databases; therefore the search strategy was deliberately very broad. A range of databases of both published and Grey Literature were searched, using both Medical Subject Headings and text words. The reference lists of included studies and review articles were also searched for additional studies. Selection Criteria: Studies that compared the diagnostic accuracy of any laboratory test (index test) compared to viral culture as the reference test were considered for inclusion. The inclusion criteria required each patient to undergo both the index and reference test...

International collaboration to assess the risk of Guillain Barré Syndrome following Influenza A (H1N1) 2009 monovalent vaccines; International collaboration to assess the risk of Guillain Barre Syndrome following Influenza A (H1N1) 2009 monovalent vaccines

Dodd, Caitlin N.; ... et al.; Global H1N1 GBS Consortium
Fonte: Elsevier Publicador: Elsevier
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2013
Relevância na Pesquisa
47%
Caitlin N. Dodd ... et al. the Global H1N1 GBS Consortium; Global H1N1 GBS Consortium contributor: Helen Marshall

Pandemic Influenza Virus Surveillance in Portugal: The Laboratory Network for the Diagnosis of Influenza A(H1N1)2009 Infection

Guiomar, Raquel; Pechirra, Pedro; Gonçalves, Paulo; Cordeiro, Rita; Conde, Patrícia; Arraiolos, Ana; Batista, Inês; Paixão, Eleonora; Nunes, Baltazar; Furtado (on behalf of the Laboratory Network for the Diagnosis of Influenza A(H1N1)2009 Infection),
Fonte: Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, IP Publicador: Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, IP
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em /11/2010 ENG
Relevância na Pesquisa
47.12%
In April 2009 a new influenza A(H1N1) virus of swine origin disseminated throughout the world, resulting in the first pandemic of the XXI century. To face the increasing number of diagnosis being requested, a National Laboratory Network for Influenza Surveillance of the new influenza A(H1N1)pandemic virus was activated in Portugal. This is a descriptive study of the Influenza-like Ilness (ILI) cases reported by this network. Association between the variables was evaluated by chi-squared test. Over 62089 ILI cases were notified, 25594 (41.2%) cases were laboratory confirmed A(H1N1)pdm virus, from week 17/2009 to week 15/2010. In the week 33 (summer) were detected 1039 (4.1%) positive cases for A(H1N1)pdm virus although the winter peak occurred in week 46 with 3131 (12.5%) A(H1N1)pdm positive cases. In the age group of 5-14 years old were detected the majority of positive cases 9983 / 15785 (63.0%) opposite in the elderly group (>65 years old) was detected the lower number of A(H1N1)pdm positive cases, 280/2361 (11.0%). The distribution by gender accounts 40.4% of female and 42.3% of male positive cases. The signs and/or symptoms present were analysed revealing that headache (49.7%), cough and myalgies (46.5%) and odinophagia (46.1%) were statistically associated with A(H1N1)pdm positive cases. The chronic pulmonary disease seemed to be more associated with laboratory confirmed A(H1N1)pdm cases. Ninety five strains were isolated and antigenically characterised...

Morbidade materna grave por infecção e influenza H1N1 na Rede Brasileira de Vigilância de Morbidade Materna Grave=Severe maternal morbidity due to infection in the Brazilian Network for the Surveillance of Severe Maternal Morbidity; Severe maternal morbidity due to infection in the Brazilian Network for the Surveillance of Severe Maternal Morbidity

Lúcia Chaves Pfitscher
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 21/08/2015 PT
Relevância na Pesquisa
37.17%
Introdução: A infecção representa importante causa de morbidade e mortalidade materna, sendo uma preocupação crescente no mundo todo. As doenças respiratórias, especialmente as virais, têm se destacado justamente pelo potencial de epidemia com que ameaçam a saúde da população mundial e pela vulnerabilidade identificada durante a gestação. Objetivo: Avaliar o impacto da morbidade materna grave (MMG) atribuível à infecção (sepse, meningite e doença respiratória) e os fatores associados ao pior resultado materno (near miss e óbito), entre mulheres da Rede Brasileira de Vigilância da Morbidade Materna Grave. Métodos: análise secundária de um estudo transversal, multicêntrico, que incluiu 27 centros de referência obstétrica das cinco regiões do Brasil no período de 2009 e 2010. A vigilância prospectiva dos casos de infecção grave foi realizada utilizando os critérios da OMS de condições potencialmente ameaçadoras da vida (CPAV) e near miss materno (NMM). Os principais focos de infecção foram identificados e comparados a outras causas de MMG. Mulheres com complicação devido à doença respiratória também foram avaliadas em dois grupos: com e sem suspeita de A(H1N1)pdm09 e também comparadas a outras causas de MMG. Casos com suspeita de A(H1N1)pdm09 foram revisados e separados em três grupos: não-testados...

Serological Response in RT-PCR Confirmed H1N1-2009 Influenza A by Hemagglutination Inhibition and Virus Neutralization Assays: An Observational Study

Chen, Mark I.; Barr, Ian G.; Koh, Gerald C. H.; Lee, Vernon J.; Lee, Caroline P. S.; Shaw, Robert; Lin, Cui; Yap, Jonathan; Cook, Alex R.; Tan, Boon Huan; Loh, Jin Phang; Barkham, Timothy; Chow, Vincent T. K.; Lin, Raymond T. P.; Leo, Yee-Sin
Fonte: Public Library of Science Publicador: Public Library of Science
Tipo: Artigo de Revista Científica
Relevância na Pesquisa
37.07%
BACKGROUND We describe the serological response following H1N1-2009 influenza A infections confirmed by reverse-transcriptase polymerase chain reaction (RT-PCR). METHODOLOGY AND PRINCIPAL FINDINGS The study included patients admitted to hospital, subjects of a seroepidemiologic cohort study, and participants identified from outbreak studies in Singapore. Baseline (first available blood sample) and follow-up blood samples were analyzed for antibody titers to H1N1-2009 and recently circulating seasonal influenza A virus strains by hemagglutination inhibition (HI) and virus micro-neutralization (VM) assays. 267 samples from 118 cases of H1N1-2009 were analyzed. Geometric mean titers by HI peaked at 123 (95% confidence interval, CI 43-356) between days 30 to 39. The chance of observing seroconversion (four-fold or greater increase of antibodies) was maximized when restricting analysis to 45 participants with baseline sera collected within 5 days of onset and follow-up sera collected 15 or more days after onset; for these participants, 82% and 89% seroconverted to A/California/7/2009 H1N1 by HI and VM respectively. A four-fold or greater increase in cross-reactive antibody titers to seasonal A/Brisbane/59/2007 H1N1, A/Brisbane/10/2007 H3N2 and A/Wisconsin/15/2009 H3N2 occurred in 20%...

Characterization of child with H1N1 infection and of physical therapy intervention: series cases reports; Caracterização da criança com infecção por H1N1 e da intervenção fisioterapêutica: relato de casos em série

Izumi, Adriana Yuki; Seibert, Paulo Armindo; Fujisawa, Dirce Shizuko
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/03/2012 POR
Relevância na Pesquisa
37.09%
A infecção por influenza A, subtipo H1N1, é considerada uma doença viral aguda e importante causa de doença respiratória. As crianças foram consideradas como um dos grupos de risco, devido à imaturidade do sistema imunológico. A fisioterapia pode atuar na prevenção e no tratamento das doenças respiratórias em crianças, utilizando-se de diversas técnicas e procedimentos terapêuticos. Assim, o presente estudo teve como objetivo descrever o atendimento de fisioterapia em crianças internadas em um hospital-escola com diagnóstico/suspeita de infecção por H1N1. Estudo do tipo descritivo de relato de casos em série realizado por meio de análise de prontuário. Investigados 14 prontuários de crianças com mediana de idade de 1 ano e 5 meses, 10 do sexo masculino e 4 do feminino. A manifestação clínica mais frequente foi esforço respiratório, seguida por tosse, febre, coriza, vômitos e dor no corpo. As técnicas de fisioterapia mais realizadas foram respiratórias, seguidas de cinesioterapia, orientações para os pais, suporte de oxigênio e estímulo ao (DNPM). O tempo médio de internação foi de 4,57 dias. Algumas crianças somavam ao diagnóstico/suspeita de infecção por H1N1 diagnósticos e doenças associadas. A fisioterapia realizada foi principalmente no sentido de melhorar a mecânica respiratória por meio de técnicas desobstrutivas e outras condutas respiratórias...

Recomendaciones del Grupo de Trabajo Enfermedades Infecciosas (GTEI) de la Sociedad Española de Medicina Intensiva, Crítica y Unidades Coronarias (SEMICYUC) y el Grupo de Estudio de Infecciones en el Paciente Crítico (GEIPC) de la Sociedad Española de Enfermedades Infecciosas y Microbiología clínica (SEIMC) para el diagnóstico y tratamiento de la gripe A/H1N1 en pacientes adultos graves hospitalizados en las Unidades de Cuidados Intensivos

Rodríguez,A.; Álvarez-Rocha,L.; Sirvent,J.M.; Zaragoza,R.; Nieto,M.; Arenzana,A.; Luque,P.; Socías,L.; Martín,M.; Navarro,D.; Camarena,J.; Lorente,L.; Trefler,S.; Vidaur,L.; Solé-Violán,J.; Barcenilla,F.; Pobo,A.; Vallés,J.; Ferri,C.; Martín-Loech
Fonte: Medicina Intensiva Publicador: Medicina Intensiva
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; journal article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: text/html; application/pdf
Publicado em 01/03/2012 SPA
Relevância na Pesquisa
37.12%
El diagnóstico de gripe A/H1N1 es fundamentalmente clínico sobre todo durante los picos de la gripe estacional o en brotes epidémicos. Se recomienda realizar un test diagnóstico a todos los pacientes con fiebre y cuadro gripal que requieran hospitalización. La muestra respiratoria (exudado nasal, faríngeo o muestra profunda en pacientes intubados) se debe obtener lo antes posible e iniciar inmediatamente tratamiento antiviral empírico. Los métodos moleculares basados en técnicas de amplificación de ácidos nucleicos (rt-PCR) son el «gold standard» para el diagnóstico de la gripe A/H1N1. Los métodos inmunocromatográficos son poco sensibles, por lo cual un resultado negativo no excluye la infección activa. El cultivo clásico en células es poco sensible y lento. La inmunofluorescencia directa tiene una sensibilidad del 90%, pero requiere una muestra de calidad. Los métodos indirectos de detección de anticuerpos tienen solo interés epidemiológico. Los pacientes afectados de gripe A/H1N1 pueden presentar leucopenia relativa, con elevación de LDH, CPK y PCR, aunque estas variables del laboratorio no se asocian de forma independiente con el pronóstico. Sin embargo, niveles plasmáticos de LDH >1.500U/L y la presencia de plaquetopenia <150 x10(9)/L podrían definir una población de pacientes con riesgo de complicaciones graves. La administración del antiviral (oseltamivir) debe ser precoz (<48 h desde el inicio de los síntomas)...