Página 1 dos resultados de 200 itens digitais encontrados em 0.008 segundos

Os pressupostos do debate intelectual entre Floresta Fernandes e Guerreiro Ramos: duas versões de teoria crítica da sociedade brasileira?

Shiota, Ricardo Ramos
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 259 f.
POR
Relevância na Pesquisa
66.55%
Pós-graduação em Ciências Sociais - FFC; Esta dissertação parte da ideia de que a sociologia não tem como evitar a orientação crítica, em certo grau, pensando-a de modo similar ao arcabouço delimitado por Horkheimer no texto Teoria Tradicional e Teoria Crítica. Nele, o autor consagra o conceito de teoria crítica numa acepção peculiar à Alemanha de 1937, mas, também, avança em direção a uma maneira de construir teorias críticas em três dimensões articuladas: formulação teórica (normativa), diagnósticos de tempo e projeção das possibilidades de transformação com seus respectivos sujeitos. Nessa perspectiva, poder-se-ia empregar o termo “teoria crítica” em outros contextos e disciplinas das ciências sociais desde que seja identificado o vínculo do pensamento à história. Este vínculo depende da elaboração de diagnósticos de tempo, pelos intelectuais, em vista da superação de obstáculos e dilemas da sociedade por meio de um comportamento teórico-normativo, cujos conhecimentos resultantes são destinados aos sujeitos potenciais da transformação social. Apesar de destoarem da formulação de teoria crítica, inicialmente proposta por Horkheimer, em virtude de diferenças fundamentais de contexto situacional e de filiações intelectuais distintas...

Guerreiro Ramos e a redenção sociológica: capitalismo e sociologia no Brasil

Bariani Junior, Edison
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 329 f.
POR
Relevância na Pesquisa
56.72%
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP); Pós-graduação em Ciências Sociais - FCLAR; A trajetória de Guerreiro Ramos – a relação tensa e dinâmica de vida e obra – é uma contribuição no sentido de trazer ao debate intelectual uma percepção de certos dilemas da sociologia no Brasil e propiciar subsídios na tentativa de compreender a situação brasileira; as formulações, temas, ênfases e equívocos do autor são, em certa medida, reflexos dos problemas que suscitaram tais esforços, bem como sua obra uma radical tentativa de criação de um pensamento nacional autêntico que, para ele, redimiria os pecados da miséria brasileira e de sua cortesã, a sociologia alienada da realidade nacional. Tal empenho imbrica-se em sua obra – e no contexto histórico-social – com os anseios de construção de um capitalismo nacional e autônomo de certa classe média, e teria na própria elaboração de uma sociologia nacional um dos seus principais instrumentos de remissão. Os esforços de Guerreiro Ramos foram envidados no sentido da redenção sociológica da sociologia e sociedade brasileiras, estigmatizadas – segundo ele – por um pecado original: a transplantação/importação de idéias. Mas poderia a sociologia não só impulsionar o desenvolvimento nacional como salvar-se por meio de si mesma?; The trajectory of Guerreiro Ramos – the tense and dynamic relation of life and work – is a contribution in the direction to bring to the intellectual debate a perception of certain dilemmas of sociology in Brazil and to propitiate subsidies in the attempt to understand the Brazilian situation; the formularizations...

Niger Sum: Guerreiro Ramos, o problema do negro e a sociologia do preconceito

Bariani, Edison
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
66.62%
Os estudos de Guerreiro Ramos sobre condição do negro no Brasil repõem a questão em novas bases, identificando seu núcleo no reflexo da patologia social do branco brasileiro e na própria atitude dos estudiosos que transformariam o negro-vida em tema. Ramos propõe então a assunção da negritude e a integração social por meio do adestramento cultural, ao que se contrapõe Costa Pinto, ao afirmar a preponderância do negro proletário. Entretanto, ambos pensadores foram relegados pelo racialismo do discurso dominante na atualidade.; The studies by Guerreiro Ramos about the condition of the negro in Brazil restitute the question in new bases, identifying its nucleus in the consequence of the social pathology of “white” Brazilian and also in the attitude of the scholars that would transform the negro-life into ‘subject’. He considers then the assumption of the negritude and the social integration through cultural coaching, against which opposes Costa Pinto, when he affirms the superiority of the proletarian negro. However, both thinkers have been relegated by the racialism of the dominant speech in the present time.

Uma Polêmica Esquecida: Costa Pinto, Guerreiro Ramos e o Tema das Relações Raciais

Fonte: Instituto de Estudos Sociais e Políticos (IESP) da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) Publicador: Instituto de Estudos Sociais e Políticos (IESP) da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/1997 PT
Relevância na Pesquisa
66.58%
The article focuses on Luiz de Aguiar Costa Pinto’s and Alberto Guerreiro Ramos’ sociological production on the issue of race relations. Noteworthy contributors to the social sciences during the 1945-64 period, these two sociologists were selected not only for the importance of their work but also because of their polemic regarding ethnic intercourse. Costa Pinto’s and Guerreiro Ramos’ analyses of the issue reveal two distinct patterns of sociological work. Yet it must be underscored that when these two intellectuals approached race relations, each in his own way, they were devoting themselves primarily to the era’s driving issues ¾ social change and the process of Brazilian development

Ecos da contribuição de Guerreiro Ramos para a divulgação da obra de Weber no campo de estudos organizacionais (EOs)

Camara,Leonor Moreira
Fonte: Fundação Getulio Vargas Publicador: Fundação Getulio Vargas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2012 PT
Relevância na Pesquisa
66.66%
Em 1946, Guerreiro Ramos publica a resenha "A sociologia de Max Weber - sua importância para a teoria e a prática da administração", na Revista do Serviço Público - RSP. Nela, mais do que apresentar ao leitor a obra de Weber Economia e sociedade, com foco em sua metodologia, também procura demonstrar sua aplicabilidade no trato das questões da administração pública e sua relevância num país "culturalmente colonial" como o Brasil. A considerar as especificidades da produção de conhecimento no campo de estudos organizacionais e o fato de Guerreiro Ramos expressar, no ensaio, uma visão que não é a que prevaleceu no campo, mas que é fiel à sociologia compreensiva e à metodologia ideal-típica, cabe aqui o esforço de reiterar o referido trabalho de Guerreiro Ramos a partir da proposição de uma discussão de caráter teórico conceitual com base no conteúdo resenhado relacionado à construção metodológica da crítica ideal-típica.

Guerreiro Ramos: o personalismo negro

Barbosa,Muryatan Santana
Fonte: Departamento de Sociologia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo Publicador: Departamento de Sociologia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/11/2006 PT
Relevância na Pesquisa
66.66%
Baseando-se em pesquisa recém-finalizada sobre a trajetória intelectual do sociólogo Alberto Guerreiro Ramos (1915-1982) (cf. Barbosa, 2004), este ensaio apresenta a filosofia política do personalismo negro, cerne do pensamento de Guerreiro Ramos acerca do negro brasileiro e mundial. Ademais, tratar-se-á de estabelecer, sucintamente, a proximidade de tal visão humanista do negro com recentes perspectivas multiculturalistas e pós-coloniais, a fim de mostrar a contemporaneidade desta contribuição de Guerreiro Ramos à teoria social e à práxis dos movimentos negros.

Da escola de Chicago ao nacional-desenvolvimentismo: saúde e nação no pensamento de Alberto Guerreiro Ramos (1940 - 1950)

Maio,Marcos Chor; Lopes,Thiago da Costa
Fonte: Programa de Pós-Graduação em Sociologia - UFRGS Publicador: Programa de Pós-Graduação em Sociologia - UFRGS
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2012 PT
Relevância na Pesquisa
66.63%
O artigo explora a interface entre Saúde Pública e Ciências Sociais no pensamento de Alberto Guerreiro Ramos (1940-1950), à luz de sua trajetória intelectual e do desenvolvimento daquelas disciplinas no Brasil. Indica-se como a Saúde foi um elemento-chave para as interpretações de Guerreiro Ramos sobre a Nação e sobre o papel que as Ciências Sociais deveriam assumir no processo de modernização da sociedade. Iniciando sua carreira em agências governamentais, seus primeiros trabalhos sobre Saúde e Infância foram inspirados por abordagens sociológicas norte-americanas, notadamente da chamada "Escola de Chicago". Nos anos 1950, Guerreiro analisou o problema da mortalidade infantil como resultado de estruturas socioeconômicas subdesenvolvidas e criticou os programas de saúde pública que, a seu ver, estavam desarticulados do objetivo prioritário de industrialização.

ALBERTO GUERREIRO RAMOS: CONTRIBUIÇÕES DA REDUÇÃO SOCIOLÓGICA PARA O CAMPO CIENTÍFICO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA NO BRASIL

CAPELARI,MAURO GUILHERME MAIDANA; AFONSO,YEDDA BEATRIZ GOMES DE ALMEIDA DYSMAN DA CRUZ SEIXAS SINGER; GONÇALVES,ANDRÉA DE OLIVEIRA
Fonte: Universidade Presbiteriana Mackenzie Publicador: Universidade Presbiteriana Mackenzie
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2014 PT
Relevância na Pesquisa
66.58%
O ensaio teórico apresenta a proposta de Alberto Guerreiro Ramos sobre redução sociológica, na dimensão de método histórico e atitude parentética, como sugestão de tema aos estudos sobre o campo científico da administração pública no Brasil. Procuramos dialogar com duas questões: “De que modo podemos desenvolver um entendimento mais sistemático da administração pública nacional?” e “O que precisamos (re)conhecer para que o campo da administração pública nacional seja mais responsivo, correspondendo melhor aos anseios públicos locais?”. Seguindo Guerreiro Ramos, sugerimos que o campo estudado lance mão do uso metodológico da história e da ação parentético-substantiva. O primeiro diz respeito à assimilação crítica da produção intelectual estrangeira que permitiria a uma comunidade não se servir exclusivamente de experiências de outras comunidades na realização de seu projeto histórico. O segundo está relacionado com um posicionamento lúcido e ativo dos seres humanos em relação aos fatores que os condicionam...

Voltando para casa: (re)encontrando Guerreiro Ramos, Tragtenberg e Prestes Motta

Oliveira,Sidinei Rocha de; Ferreira,Carolina da Silva
Fonte: Fundação Getulio Vargas, Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas Publicador: Fundação Getulio Vargas, Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2007 PT
Relevância na Pesquisa
66.47%
Este ensaio tem como proposta resgatar alguns aspectos do pensamento de Guerreiro Ramos, de Tragtenberge de Prestes Motta, destacando como a postura crítica e os questionamentos levantados por esses autorespermanecem atuais quando se analisa o papel do pesquisador, a influência da organização burocrática na sociedade atual, a aparente ingenuidade da administração escondida nas harmonias administrativas e no falso participacionismo e a relevância de considerarmos aspectos marcantes da cultura nacional. O ponto de partida deste texto é a vivência dos autores, que, apesar de diferentes históricos de vida, têm angústias bastante similares ao se moverem no circuito acadêmico e organizacional. Trata-se de um mundo onde existem questionamentos permitidos e temas "relevantes"; onde quem não herda ou não assume a postura de aprendiz - submetendo-se às regras existentes no "caminho para chegar lá" - é continuamente questionado.

Consciência crítica com ciência idealista: paradoxos da redução sociológica na fenomenologia de Guerreiro Ramos

Faria,José Henrique de
Fonte: Fundação Getulio Vargas, Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas Publicador: Fundação Getulio Vargas, Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2009 PT
Relevância na Pesquisa
66.76%
O propósito deste artigo é elaborar uma crítica da concepção de Guerreiro Ramos nos estudos organizacionais a partir das suas contribuições mais conhecidas, consultadas e referenciadas, de forma a compreender seus fundamentos e suas vinculações, com o objetivo de defender a tese de que as análises críticas de Guerreiro Ramos não autorizam incluí-lo ou considerá-lo como vinculado à Teoria Crítica. As posições críticas de Guerreiro Ramos, conforme será mostrado, baseiam-se no emprego que faz em suas reflexões da fenomenologia, especialmente a de Husserl. Para defender a tese proposta, as análises serão realizadas do ponto de vista da Teoria Crítica. Para tanto, este estudo está organizado em três partes. Na primeira, tratará dos contornos conceituais do que se entende por Teoria Crítica e fenomenologia, de maneira a fundamentar a análise. Na segunda, exporá a proposta da redução sociológica formulada por Guerreiro Ramos, agregada à sua crítica à sociologia brasileira e à proposição de uma nova ciência das organizações. Na terceira, encaminhará uma análise crítica objetiva da concepção de Guerreiro Ramos, tendo por base uma postura metodológica que integra o significado das obras criticadas nos fatos...

Utopía como imaginación organizacional en el pensamiento crítico de Guerreiro-Ramos

Salgado,Francisco; Abad,Andrés
Fonte: Fundação Getulio Vargas, Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas Publicador: Fundação Getulio Vargas, Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2015 ES
Relevância na Pesquisa
66.58%
Este artículo analiza la esencia de la obra de Alberto Guerreiro-Ramos en el marco del pensamiento crítico latinoamericano en los estudios de la administración. Se analizan sus propuestas básicas desde la perspectiva de la utopía, comprendida como una investigación sistemática de principios alternativos de organización distintos a la forma empresarial funcionalista. Se exploran conceptos como de la reducción sociológica, el hombre parentético y la teoría de la delimitación de los sistemas sociales desde un enfoque de las perspectivas utópicas; esto es, la reformulación de las estructuras y dinámicas sociales propuestas por Guerreiro-Ramos como alternativas al ethos del mercado. Asimismo se explica cómo la dinámica y acción recíproca entre la sociedad y los ámbitos organizacionales permiten imaginar alternativas para la emancipación, la búsqueda de la razón sustantiva y la realización plena del ser humano.

O longo caminho: guerreiro ramos e a sociologia da administração antes de a nova ciência das organizações

Bariani,Edison
Fonte: Escola de Administração da Universidade Federal da Bahia Publicador: Escola de Administração da Universidade Federal da Bahia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2010 PT
Relevância na Pesquisa
66.54%
Antes de se exilar nos EUA e elaborar suas construções teóricas em torno da administração na sociedade contemporânea - que culminou com a publicação de A nova ciência das organizações (em 1981) - Guerreiro Ramos percorreu longo caminho. Desde seus primeiros trabalhos sobre administração (no Departamento de Administração do Serviço Público, DASP, na década de 1940), até sua obra que precedeu o exílio, Administração e estratégia do desenvolvimento (em 1966), Guerreiro refletiu sobre a administração, racionalidade e burocracia num contexto de busca pela modernização. Tais reflexões (e frustrações) subsidiaram sua formação intelectual, sua crítica posterior à racionalidade (instrumental) e suas considerações para uma visão humanista da administração, questão central nos seus esforços teóricos empreendidos em A nova ciência das organizações.

A redução sociológica em status nascendi: os estudos literários de Guerreiro Ramos publicados na revista cultura política

Azevêdo,Ariston; Albernaz,Renata Ovenhausen
Fonte: Escola de Administração da Universidade Federal da Bahia Publicador: Escola de Administração da Universidade Federal da Bahia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2010 PT
Relevância na Pesquisa
66.58%
O presente trabalho procura destacar, da produção intelectual do sociólogo Alberto Guerreiro Ramos, um conjunto de sete ensaios sobre Literatura Brasileira que foram escritos no início dos anos 1940 e publicados na revista estadonovista Cultura Política. Partindo do pressuposto de vinculação entre o desenvolvimento literário e a identidade nacional, em que a finalidade política da literatura é enfatizada, esses ensaios guardam a linha mestra de um livro que o autor pretendia escrever sobre a formação da literatura nacional, mas que não chegou a realizá-lo. Com o resgate desses ensaios pretende-se: (1) inserir Guerreiro Ramos na vertente sociológica da literatura brasileira, cujo maior expoente e inaugurador foi Silvio Romero; (2) vislumbrá-lo no contexto do projeto nacionalista preconizado pelo Estado Novo; e, mais importante, (3) alcançar a noção de redução sociológica em seu estado nascente no pensamento do autor.

Guerreiro ramos e a fenomenologia: redução, mundo e existencialismo

Boava,Diego Luiz Teixiera; Macedo,Fernanda Maria Felício; Ichikawa,Elisa Yoshie
Fonte: Escola de Administração da Universidade Federal da Bahia Publicador: Escola de Administração da Universidade Federal da Bahia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2010 PT
Relevância na Pesquisa
66.58%
Partindo-se de um referencial fenomenológico-hermenêutico, busca-se neste artigo interpretar os escritos de Guerreiro Ramos a partir do ano de 1957, com o objetivo de apresentar e discutir os conceitos fundamentais fenomenológicos que o autor usou em seus trabalhos. Para tal, faz-se uma apresentação preliminar da fenomenologia e do método fenomenológico empregado. Demonstra-se que Guerreiro Ramos, ao elaborar sua obra, valeu-se de três pilares oriundos da fenomenologia: redução (de Husserl), mundo (de Heidegger) e existencialismo (de Sartre). Ademais, explana-se que não é possível dizer que o autor foi fenomenólogo, mas sim um sociólogo engajado, que visava a transformação social.

Teoria pós-colonial e pensamento brasileiro na obra de Guerreiro Ramos: o pensamento sociológico (1953-1955)Post-colonial theory and brazilian thought in the works of Guerreiro Ramos: the sociological thinking (1953-1955)

Lynch,Christian Edward Cyril
Fonte: Universidade Federal da Bahia - Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas - Centro de Recursos Humanos Publicador: Universidade Federal da Bahia - Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas - Centro de Recursos Humanos
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2015 PT
Relevância na Pesquisa
66.63%
Este artigo sustenta que a obra de Guerreiro Ramos, na década de 1950, foi desenvolvida conforme um plano deliberado de elaborar uma teoria pós-colonial aplicada ao Brasil. Nela, o estudo crítico do pensamento social brasileiro exerceria um papel fundamental. Para demonstrar essa hipótese, tentarei reconstituir o percurso intelectual percorrido por Guerreiro durante sua atuação junto ao IBESP, combinando o método de reconstrução lógica com outro, de caráter histórico-sistemático. Nele, averiguarei os nexos entre sua teoria social e seus textos de crítica do pensamento sociológico brasileiro.

A sociologia periférica de Guerreiro Ramos

Maia,João Marcelo Ehlert
Fonte: Universidade Federal da Bahia - Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas - Centro de Recursos Humanos Publicador: Universidade Federal da Bahia - Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas - Centro de Recursos Humanos
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2015 PT
Relevância na Pesquisa
66.47%
O artigo analisa a obra do sociólogo Alberto Guerreiro Ramos como parte do campo da sociologia periférica. Por meio de uma leitura interna de seus textos escritos na década de 1950, sugere-se que uma abordagem transnacional de sua produção intelectual pode contribuir para inserir a história do pensamento social brasileiro no campo da história global da sociologia no pós-Segunda Guerra Mundial.

Guerreiro Ramos interpela a Unesco: ciências sociais, militância e antirracismo

Maio,Marcos Chor
Fonte: Universidade Federal da Bahia - Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas - Centro de Recursos Humanos Publicador: Universidade Federal da Bahia - Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas - Centro de Recursos Humanos
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2015 PT
Relevância na Pesquisa
66.66%
Este artigo analisa as críticas de Guerreiro Ramos à proposta da Unesco de patrocinar uma série de pesquisas sobre as relações raciais no Brasil no início dos anos 1950. O estudo analisa os trabalhos de Guerreiro Ramos entre 1946 e 1950, considerando suas críticas à tradição de estudos afro-brasileiros, suas abordagens acerca do preconceito de cor sob o prisma das intersecções entre sociologia e psicologia social e as reflexões do cientista social sobre a necessidade de formação de uma intelligentsia negra com o objetivo de combater a discriminação racial no país. Apesar da proposta de Guerreiro Ramos de um Congresso Internacional sobre Raças, ao invés de uma pesquisa acadêmica, não ter vingado, ela gerou um efeito não previsto com a ampliação e diversificação dos estudos da Unesco. Concorreu para tal mudança a existência de um cenário em aberto que foi sendo construído a partir da atuação autônoma de uma rede transatlântica de cientistas sociais progressistas, com experiências diversas de ensino e/ou pesquisa no Brasil e sensível às demandas apresentadas no 1º. Congresso do Negro Brasileiro, patrocinado pelo Teatro Experimental do Negro (TEN).

A atualidade do pensamento de Guerreiro Ramos: branquidade e nação

Feres Júnior,João
Fonte: Universidade Federal da Bahia - Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas - Centro de Recursos Humanos Publicador: Universidade Federal da Bahia - Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas - Centro de Recursos Humanos
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2015 PT
Relevância na Pesquisa
66.58%
O presente ensaio tem como objetivo mostrar que a reflexão sobre relações raciais no Brasil do sociólogo baiano Guerreiro Ramos, da década de 1950, continha elementos do que mais tarde iria se consolidar como Teoria da Branquidade, cujo ponto fulcral é examinar a constituição do branco em um sistema de relações raciais, e não o “problema do negro”. Em seguida, demonstro como a questão da branquidade, em Guerreiro, está intimamente ligada à sua concepção normativa de nação, para, em seguida, examinar pontos de tensão entre sua concepção e as teorias da negritude, as quais ele bebeu e lhe serviram de inspiração, tanto quanto teorias mais recentes, como as do Atlântico Negro e da Diáspora Africana. Concluo defendendo que as questões apontadas por Guerreiro, como a crítica da branquidade ligada a um projeto emancipador de nação, continuam atuais no mundo de hoje, tanto para o Brasil quanto para o mundo no qual ele se insere.

Guerreiro Ramos: o personalismo negro; Guerreiro Ramos: black personalism

Barbosa, Muryatan Santana
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/11/2006 POR
Relevância na Pesquisa
66.84%
Baseando-se em pesquisa recém-finalizada sobre a trajetória intelectual do sociólogo Alberto Guerreiro Ramos (1915-1982) (cf. Barbosa, 2004), este ensaio apresenta a filosofia política do personalismo negro, cerne do pensamento de Guerreiro Ramos acerca do negro brasileiro e mundial. Ademais, tratar-se-á de estabelecer, sucintamente, a proximidade de tal visão humanista do negro com recentes perspectivas multiculturalistas e pós-coloniais, a fim de mostrar a contemporaneidade desta contribuição de Guerreiro Ramos à teoria social e à práxis dos movimentos negros.; As a result of nearly a finished research about the intellectual performance of the sociologist Alberto Guerreiro Ramos (1915-1982), this paper envisages the political philosophy of black personalism. This was the kern of Guerreiro Ramos thought about Brazilian and World-dimensioned Black. An attempt is made to connect this humanistic vision of Blackmen with recent multiculturalist and postcolonial visions, in order to point out the present day contribution of Guerreiro Ramos to social theory and praxis of Black movements.

Mecanomorfia Educacional: Uma Crítica a Partir da Teoria Comportamentalista de Alberto Guerreiro Ramos

Batistela,Everton Marco; Rotta,Mariza
Fonte: Actualidades Investigativas en Educación Publicador: Actualidades Investigativas en Educación
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2014 PT
Relevância na Pesquisa
66.47%
A crítica da modernidade se tornou debate comum nas últimas décadas do século XX, empreendida por autores preocupados com a construção de alternativas societárias. Uma das linhas teóricas centrais do debate refere-se ao conceito de racionalidade, tendo sido preocupação central em Weber, Mannheim, Horkheimer, Adorno e outros. Alberto Guerreiro Ramos, expoente sociólogo brasileiro da segunda metade do século XX, propõe uma crítica da modernidade pela perspectiva de sua racionalidade organizacional, condensada em sua Teoria da Síndrome Comportamentalista. Essa teoria tenta compreender os fundamentos e as dimensões básicas da razão moderna: Individualismo, Perspectivismo, Formalismo e Operacionalismo. Em suma, a teoria mostra que vivemos imersos numa razão centrada no mercado, que fomenta comportamentos em detrimento da ação (criativa) e que reduz a capacidade racional humana aos seus aspectos instrumentais e mercadológicos. A partir disso, tentaremos compreender em que medida a racionalidade moderna acaba forjando um paradigma educacional funcionalista, reprodutivista e mecanomórfico.