Página 1 dos resultados de 1058 itens digitais encontrados em 0.004 segundos

Fantasias de guerra e paz no pós-Guerra Fria de Jornada nas estrelas: nova geração; Imagining War and Peace in the post-Cold War symbology of Star Trek: the Next Generation

Martins, Flavia de Paiva Brites
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 11/03/2015 PT
Relevância na Pesquisa
66.77%
Propõe-se neste trabalho analisar as elaborações culturais relativas à política externa estadunidense no seriado televisivo Jornada nas Estrelas: Nova Geração em sua primeira temporada (1987-1988), produzido em um momento de mudanças históricas em que um discurso político de nova ordem mundial estava sendo gestado. Expectativas do fim da Guerra Fria trariam consigo, como evento simbólico, a necessidade de uma nova elaboração simbólica das relações entre Estados Unidos e o mundo. Assim, esta pesquisa buscou discernir na série as características de uma estrutura discursiva diferente dos discursos de guerra e paz mais típicos do período de Guerra Fria na ficção científica. Articulando-se, na série, com os temas da ajuda humanitária e da não interferência, articulação ambígua aqui denominada de militarismo benfazejo, o discurso do seriado antecede um debate que se intensifica na década de 1990 sobre a aceitação ou não do princípio de interferência em outros Estados por via das causas humanitárias. Na tentativa de acompanhar a dispersão do discurso de guerra e paz no campo discursivo, procurou-se ampliar a análise para as articulações discursivas de guerra e paz em ramos discursivos não ficcionais...

África do Sul e Brasil : dois caminhos para a transição ao pós-Guerra Fria - 1984-1994

Pereira, Analúcia Danilevicz
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.7%
As mudanças implementadas nas políticas externas sul-africana e brasileira a partir dos anos 1990 têm sido acompanhadas por parte de diplomatas e acadêmicos. A África do Sul e o Brasil são grandes países em vias de desenvolvimento e estão se posicionando como potências regionais, constituindo espaços qualificados e pólos específicos nos marcos de um sistema multipolar. No final dos anos 80, em um quadro extremamente desfavorável, o Brasil, após um longo período, volta a eleger seu presidente da República. O sistema internacional, nesse contexto, atravessa um momento de intensas transformações com as perspectivas do final da bipolaridade. Diante desse novo quadro internacional que se anuncia, Fernando Collor de Melo passa a efetivar, em termos de política exterior, uma revisão nas tradicionais linhas diplomáticas. O período de transição democrática, portanto, situa-se entre duas fases bem definidas: anteriormente, o paradigma diplomático do regime militar e, depois, a inserção neoliberal no período da globalização, iniciada pelo governo Fernando Collor de Mello. Trata-se, portanto, de dois momentos diferenciados que constituem importância fundamental para o entendimento das relações exteriores do Brasil. A África do Sul...

Representações da guerra fria na história em quadrinhos : Batman, o cavaleiro das trevas

Rocha, Everton Mello
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.77%
Este trabalho tem como objetivo as formas de representação da Guerra Fria durante a década de 1980 na história em quadrinhos Batman – O Cavaleiro das Trevas, produzida pelo desenhista e roteirista estadunidense Frank Miller em 1986. para isso, esse trabalho foi dividido em três capítulos. No primeiro, recupero a trajetória das histórias em quadrinhos nos Estados Unidos desde o final do século XIX, com especial ênfase nas histórias de super-heróis das décadas de 1930 e 1940, na criação e desenvolvimento do personagem Batman – sua origem, parceiros, inimigos e a relação entre ele e o personagem Superman. No segundo capítulo, tento recuperar o surgimento de outros personagens e a forma como estes estão relacionados ao contexto da Guerra Fria das décadas de 1950, 1960, 1970 e 1980, assim como busco resgatar a trajetória de Frank Miller, sua produção e, em especial, sua abordagem particular ao vigilante. Finalmente, no terceiro capítulo, tento realizar uma análise da representação da Guerra Fria em Batman – O Cavaleiro das Trevas a partir da relação entre Estados Unidos e União Soviética, dos efeitos da guerra nuclear entre as duas potências, da comunicação em massa e do confronto entre Batman e Superman.; This paper aims to forms of representation of the Cold War during the 1980s in the comic book Batman - The Dark Knight Returns...

O marketing politico americano da guerra fria : discurso, mistificação e midia

Cibele Mara Dugaich
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 05/12/2001 PT
Relevância na Pesquisa
66.85%
Este estudo apresenta uma reflexão sobre o discurso do Marketing Político americano da Guerra Fria centrada na mistificação da imagem do presidente John Fritzgerald Kennedy e na mídia como lugar de enunciação, a partir dos dispositivos teóricos da Análise de Discurso de escola francesa. A definição deste objeto de estudo se deu a partir de um longo percurso, no qual buscamos compreender o discurso fundador americano desde o processo de colonização da América, para discutirmos como funciona a própria discursividade americana no processo de heroicização e mistificação da nação, como uma marca mitologizada do discurso imperialista americano que constrói e preserva a própria hegemonia americana. O corpus analisado é constituído pelo discurso do Marketing Político americano da Guerra Fria, que trabalhou a imagem de John F. Kennedy de 1946 a 1963 e que teve a mídia como um dos seus principais lugares de enunciação. Concentramo-nos muito mais nos discursos sobre Kennedy que no discurso de Kennedy, bem como no discurso que fala do país e do povo. Complementa a análise deste estudo uma leitura do retorno à imagem mistificada e mitificada de Kennedy nos discursos do Marketing Político americano e brasileiro. Para cumprir o objetivo deste estudo...

A sobrevivência da otan no pós-guerra fria: o cenário de mudanças no paradigma das dinâmicas de segurança

Almeida, Mariana Martins
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: 77 f.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
66.75%
TCC (Graduação) - Universidade Federal de Santa Catarina. Centro Socioeconômico. Curso de Graduação em Relações Internacionais.; A conjuntura herdada no pós-Guerra Fria ocasionou mudanças no cenário internacional, especialmente nas relações internacionais, sobrevindo consequentemente nas questões de segurança, que figuravam ao longo do conflito num plano definido e explícito que propiciou a criação da Organização do Tratado do Atlântico Norte – OTAN. Neste cenário de transformações, no que tange à esfera de segurança, ganha destaque uma nova abordagem acerca da ampliação tanto da agenda quanto do conceito de segurança, em função de um novo paradigma lançado com o findar da Guerra Fria, constando em pauta o decréscimo do uso da força e a emergência de novas fontes de ameaças que fogem à alçada exclusivamente militar. Este contexto exigiu da referida OTAN uma reavaliação de suas diretrizes, já previstas quando de sua criação. Ganham destaque os Strategic Concepts lançados pelos Estados-membros da OTAN no período delimitado do pós-Guerra Fria, por representarem a manutenção da aliança fora de seu contexto de nascença. A sobrevivência da OTAN é assim analisada, ao passo que sua existência se manteve mesmo na obsolescência de sua raison d’être e da lógica norteadora de sua criação.

As políticas externa e de defesa do Brasil para a estabilidade regional na América do Sul desde o fim da Guerra Fria

Kang-Deok, Jeong
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
66.77%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Relações Internacionais, 2011.; Este estudo tem por objetivo analisar as políticas externa e de defesa do Brasil para a promoção da estabilidade regional na América do Sul desde o fim da Guerra Fria, incluindo vários esforços do Brasil para desenvolver as relações de segurança, para tratar as ameaças à segurança regional, e para constituir o Conselho de Defesa Sul Americano (CDS) na Unasul (União de Nações Sul-Americanas). Neste sentido, descrevem-se os processos de integração regional e cooperação em questões de segurança com foco na análise das políticas do Brasil para a estabilidade regional. As políticas externa e de defesa do Brasil têm contribuído para promover a estabilidade regional rumo à existência de uma comunidade de segurança na América do Sul, através da construção de um processo de integração regional mais institucionalizado e da promoção de cooperação em matéria de segurança desde o fim da Guerra Fria. No caso da guerra convencional entre o Peru e o Equador, em 1995, por exemplo, o Brasil desempenhou um papel importante para resolver o problema regional como um pacificador com outros países guarantors (Argentina...

Esperança e Medo : a Guerra Fria e as relações Brasil-Estados Unidos no Congresso Nacional (1961-1964)

Fares, Seme Taleb
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Tese
POR
Relevância na Pesquisa
66.75%
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Instituto de Relações Internacionais, Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais, 2014.; Propõe-se neste estudo analisar o debate político acerca das relações internacionais do Brasil a partir do Congresso Nacional durante os governos de Jânio Quadros e João Goulart (1961-1964), no que tange especificamente aos modelos de desenvolvimento econômico e às relações com os Estados Unidos no contexto da Guerra Fria. Para isso, é proposta uma divisão inicial dos agrupamentos políticos, de acordo com a Política Externa Independente (PEI) de Quadros e Goulart, entre americanistas e antiamericanos. No decorrer do período, as conexões entre políticas doméstica e internacional foram sobrepujadas em decorrência da Guerra Fria e da luta contra o comunismo, por insistência dos americanistas. Por outro lado, os antiamericanos procuraram enfatizar que o tema principal do debate político deveria se assentar no projeto de desenvolvimento econômico brasileiro. O grau de percepção do risco comunista no interior do Brasil, tanto da parte de Washington como dos americanistas, testemunhou um processo de crescimento à medida que chegava ao fim o governo Goulart. As primeiras ações da PEI quanto ao restabelecimento das relações diplomáticas com o Bloco Socialista e a defesa intransigente dos princípios da não-intervenção e da autodeterminação dos povos para a questão cubana...

Guerra fria e manuais escolares : distanciamentos e aproximações : um retrato em duas décadas de manuais escolares europeus (1980-2000)

Maia, Cristina
Fonte: Porto : [Edição do Autor] Publicador: Porto : [Edição do Autor]
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
66.88%
A dissertação desenvolve um estudo comparativo do ensino do tema da Guerra Fria em várias zonas da Europa (Europa Ocidental, Europa do Norte e Europa de Leste) entre as décadas de 1980 e de 1990, ou seja, entre o período final da Guerra Fria e o pós-Guerra Fria, através da análise de Manuais Escolares de História e, sempre que possível, dos Programas Escolares ou orientações curriculares da mesma disciplina. Trata-se de uma investigação aplicada em História da Educação, que elege a formação das competências históricas como sua preocupação, através da análise do Manual Escolar, averiguando o contributo deste na formação dos futuros cidadãos. Através da análise dos Manuais Escolares, procedemos a um estudo temático do conteúdo da Guerra Fria; a uma revisão crítica das visões sobre a Guerra Fria; a uma análise dos recursos e experiências de aprendizagem sugeri das no Manual Escolar; a uma caracterização dos Manuais Escolares para aferir a sua qualidade técnica e a sua organização interna, procurando perscrutar as etapas metodológicas do ensino-aprendizagem sugeri das pelo Manual Escolar e, consequentemente, as suas concepções do processo de ensino-aprendizagem. Em relação aos Programas Escolares pretendemos abordar as alterações operadas no período considerado...

A Guerra Fria Acabou Duas Vezes

Gaspar, Carlos
Fonte: Instituto da Defesa Nacional Publicador: Instituto da Defesa Nacional
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2003 POR
Relevância na Pesquisa
66.84%
A guerra fria acabou duas vezes: a primeira, em 25 de Dezembro de 1991, no fim de uma sequência de crises em que se desfez o império soviético, a segunda, em 11 de Setembro de 2001, com os ataques terroristas contra os centros da república imperial, depois de uma década de transição. Os dois momentos são em tudo diferentes. O primeiro representa uma viragem histórica, pois significa, simultânea e cumulativamente, o fim de um século de guerras totais e de revoluções totalitárias, o fim do último império europeu e do primeiro regime ideocrático moderno, e o fim do regime bipolar e da competição estratégica, ideológica e política entre as duas grandes potências vencedoras da II Guerra mundial. O segundo momento é, em comparação, relativamente insignificante. Para lá da tragédia humana, os massacres terroristas de 11 de Setembro não correspondem nem a uma mudança histórica como o fim do comunismo ou de um velho império, nem a uma alteração fundamental na estrutura de distribuição do poder, como o desaparecimento de um dos dois pólos do sistema internacional. No entanto, persiste a impressão inicial de que o 11 de Setembro é um momento de definição. Nesse sentido, se servir para traduzir as mudanças fundamentais do primeiro fim da guerra fria numa revisão do modelo de ordenamento internacional...

A agenda internacional depois da Guerra Fria: novos temas e novas percepções

Sato,Eiiti
Fonte: Instituto Brasileiro de Relações Internacionais Publicador: Instituto Brasileiro de Relações Internacionais
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2000 PT
Relevância na Pesquisa
66.75%
A idéia central do artigo é que o fim da Guerra Fria no final da década de 1980 não deve ser interpretado como um episódio e sim como parte de um amplo processo de mudança. A partir desta idéia, tenta-se demonstrar, por meio de visões expressas em várias obras e artigos, que o processo que levaria ao fim da Guerra Fria já estava em andamento quase duas décadas antes de 1989. Na parte final, propõe-se a lógica da ação coletiva de Olson e o descompasso no desenvolvimento das regiões como instrumentais teóricos para compreender o caráter eminentemente instável da ordem internacional. A conclusão é que a complexa agenda internacional da realidade contemporânea não é muito diferente da que predominava na última década da Guerra Fria, mas a forma como as questões são percebidas e encaminhadas se modificou substancialmente.

Guerra Fria e ensino do management no Brasil: o caso da FGV-EAESP

Alcadipani,Rafael; Bertero,Carlos Osmar
Fonte: Fundação Getulio Vargas, Escola de Administração de Empresas de S.Paulo Publicador: Fundação Getulio Vargas, Escola de Administração de Empresas de S.Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2012 PT
Relevância na Pesquisa
66.77%
A Guerra Fria durou do final da II Guerra Mundial até o colapso da URSS, em 1991. Trata-se de uma época importante no desenvolvimento e difusão da forma de pensar e ensinar o management. Este artigo analisa se a Guerra Fria exerceu alguma influência na importação do management para o Brasil. Para tanto, analisamos a criação da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getulio Vargas, instituição piloto na importação do management para o Brasil. O artigo foca nas primeiras atas das reuniões da Congregação e do Conselho de Administração da Escola e contribui ao mostrar a influência dos EUA na criação da FGV-EAESP e como tal influência está imersa na lógica da Guerra Fria de levar o desenvolvimento às nações do Terceiro Mundo. O artigo abre possibilidades para investigar até que ponto houve uma americanização do ensino de administração no Brasil.

Representações da Guerra Fria nas histórias em quadrinhos Batman – O Cavaleiro das Trevas e Watchmen (1979-1987)

Krakhecke, Carlos André
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Dissertação de Mestrado
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
66.82%
Esta dissertação tem por objetivo analisar as formas de representação da Guerra Fria durante a década de 1980 nas histórias em quadrinhos Batman – O Cavaleiro das Trevas e Watchmen lançadas entre 1986 e 1987. Para tanto, este trabalho foi divido em três capítulos. No capítulo 1 observamos as mudanças no campo histórico, especialmente na história política e cultural, de modo a definir de que maneira as HQs poderiam se constituir em fonte histórica. No segundo capítulo realiza-se um histórico das HQs de super-heróis relacionando-as com o contexto de Guerra Fria, principalmente na conjuntura da chamada "Era Reagan", estabelecendo-se um contraponto com as idéias do chamado movimento pacifista; abordamos ainda os enredos e personagens das HQs analisadas. Por fim, no último capítulo, realizamos uma análise sobre as representações da Guerra Fria em Watchmen e Batman – O Cavaleiro das Trevas, a partir dos seguintes temas: confrontação entre EUA e URSS, guerra entre Estados Unidos e União Soviética e apocalipse nuclear. Conclui-se que esses quadrinhos representam em suas páginas o discurso da Guerra Fria de maneira crítica em relação à política norte-americana.; This dissertation aims to analyze the Cold War representations during the 1980’s in the graphic novels The Dark Knight Returns and Watchmen...

As luzes no céu e a guerra fria: do limiar do conflito ao imaginário sobre os discos voadores 1945-1953

Giaconetti, Milton José
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Dissertação de Mestrado
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
66.77%
O fenômeno sobre as Luzes no Céu é pertencente às fontes documentais, e a humanidade sempre preocupou-se em relatá-lo, desde a antiguidade aos dias atuais. A presente dissertação, cujo tema central é o imaginário sobre o fenômeno, teve como sua inspiração o relato de um pescador da Praia do Rosa, Santa Catarina, ao qual, no início dos anos 1950, teria presenciado e sofrido, no canto norte daquela praia, a ação de uma luz em forma de garrafa vinda do céu. Aquele relato logo transformou-se num catalisador para esta pesquisa, a qual observou, que, ao menos no mundo capitalista, principalmente nos grandes centros urbanos, o fenômeno era uma das principais preocupações sociais daquele período. Mas como analisar aquela realidade social e demonstrá-la na óptica historiográfica? Através da História do Imaginário e da análise e compreensão da época – a mesma pertenceu à primeira fase da Guerra Fria (1947-1953) –, desenvolveu-se então para este estudo os seguintes objetivos e capítulos. Como o tema desta dissertação inseriu-se na realidade da Guerra Fria, foi destacado, no primeiro capítulo, a construção do conflito (1945-1949) e sua conseqüente ameaça Nuclear, a qual produziu no imaginário ocidental a apreensão sobre o que o governo soviético estaria ou não planejando para os países capitalistas. Diante daquele imaginário...

As relações entre a República Popular da China e o Japão : da Guerra Fria à interdependência

Silva, Athos Munhoz Moreira da
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.75%
Este trabalho tem por objetivo discutir as relações entre a República Popular da China e o Japão desde o início da Guerra Fria até os dias atuais. Destarte, a pesquisa pretende discutir o panorama atual das relações e os elementos estruturais internos e externos que interferem nessa relação. Considera-se necessário também destacar os principais fatos que constituíram as relações bilaterais nas épocas. Para tanto, o trabalho é dividido em três partes. O primeiro analisa o período da Guerra Fria, em que os constrangimentos sistêmicos possuem poder de veto com relação à normalização das relações, o que não impede a atuação das dinâmicas internas. Posteriormente, com a reaproximação sino-americana, há o reatamento diplomático e o tratado de paz. O segundo trata do período que começa no final da Guerra Fria e continua até os dias atuais, em que se destaca a ―Asianização da Ásia‖, com o aprofundamento da cooperação regional, e da responsabilidade de China e Japão como líderes regionais, embora a influência de atores extrarregionais seja, ainda, altamente relevante. A terceira e última parte lista indicadores e assuntos de interesse comum que possam ajudar na elaboração de tendências para as relações bilaterais...

Discursos de la música popular sobre la Guerra Fría: (1947-1989)

Díaz de Aguiar Sánchez, Edson
Fonte: Universidad de Chile; CyberDocs Publicador: Universidad de Chile; CyberDocs
Tipo: Tesis
ES
Relevância na Pesquisa
66.77%
Tesis para optar al grado de Magíster en Historia mención Historia Europea; El siglo XX constituyó un tiempo de procesos que marcaron dramáticamente al mundo, sus Guerras Mundiales dañaron la hegemonía de Europa Occidental y desplazaron los polos de poder hacia Este y Oeste, abriendo paso a la Guerra Fría. La Segunda Guerra Mundial se presentaba en el imaginario como una gesta de libertad, pero nuevos autoritarismos aparecían, ahora enmarcados en la Era Bipolar. El nuevo escenario alcanzó ribetes que amenazaron a la humanidad con un colapso total, hecho que fue percibido por sociedades civiles informadas que pensaron, actuaron y cantaron al respecto. Estas nuevas sensibilidades chocaron con aquellos paradigmas autoritarios de larga data y generaron movimientos que remecieron al mundo a partir de la década de los 50´. Aquellos anhelos de libertad se expresaron básicamente en un cambio generacional, caracterizado por el nacimiento de la cultura juvenil que encontraba en la música, el cine y la moda sus banderas, esto sumado al ambiente de auge económico de la postguerra y al aumento de la población urbana y universitaria, detonó el mayor de los cambios culturales del siglo. Entre las representaciones culturales que nos legó ese tiempo parece particularmente interesante indagar en la construcción de los discursos de la música popular...

Watchmen e o contexto histórico da Guerra Fria

Quevedo, Jean de Oliveira
Fonte: Universidade de Passo Fundo Publicador: Universidade de Passo Fundo
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
POR
Relevância na Pesquisa
66.75%
O presente trabalho faz um estudo do imaginário da Guerra Fria na história em quadrinhos Watchmen, de Alan Moore e Dave Gibbons, obra publicada entre 1985 e 1986. Neste estudo, embasado em pesquisas bibliográficas, busca-se apresentar o que é o imaginário através das considerações dos pensadores franceses Gilbert Durand e Michel Maffessoli. Da mesma forma busca-se contextualizar o que são as histórias em quadrinhos e o que é o período histórico da Guerra Fria. Assim, é feita uma análise da obra em questão onde se examinam elementos que criam um imaginário do contexto histórico da Guerra Fria, e o colocam como uma obra sintomática do período.

O papel da Rússia no cenário internacional pós-guerra fria

Silva, Suelaine Teodoro da
Fonte: Universidade Católica de Brasília Publicador: Universidade Católica de Brasília
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: Texto
PT_BR
Relevância na Pesquisa
66.75%
As mudanças decorridas do fim da Guerra Fria e do conseqüente desaparecimento da União Soviética provocaram transformações políticas e econômicas na Rússia, o que suscitou problemas de ordem interna que influenciaram a imagem externa deste país e suas relações internacionais. De gigante comunista da era bipolar, a Federação Russa passou a Estado em declínio no imediato pós-Guerra Fria e, nas duas últimas décadas, busca definir seu posicionamento na ordem mundial vigente. Considerada por alguns analistas como periferia e por outros como grande potência, a Rússia obteve considerável desenvolvimento econômico após recuperar-se da crise conseqüente do fim da União Soviética. Além disso, este país é grande exportador de petróleo e gás natural, tem uma força militar em destaque e é territorialmente um Estado continental. Soma-se ainda aos aspectos citados o fato da Rússia possuir assento permanente no Conselho de Segurança da ONU e estar cada vez mais presente nas discussões em torno das principais questões das relações internacionais contemporâneas. O processo de recuperação econômica por que passa o governo russo e os novos posicionamentos de sua política externa pós- União Soviética, tem por conseqüência o relançamento global deste país...

Das geopolíticas clássicas à geoeconomia: a importância da segurança humana no Pós-Guerra Fria

Santos, Claudia; Universidade Federal do Paraná e Uninter
Fonte: UFPR Publicador: UFPR
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 07/08/2014 POR
Relevância na Pesquisa
66.75%
O período Pós- Guerra Fria nas Relações Internacionais representou um momento de diversas mudanças conceituais, introdução de novos temas na agenda internacional e a emergência de novos atores. O presente estudo utiliza-se de pesquisa bibliográfica para compreender a crise das geopolíticas clássicas no Pós-Guerra Fria relacionadas ao conceito tradicional de Segurança e os processos que culminaram na criação do conceito de Segurança Humana partindo da hipótese de que ela não se apresenta como uma contraposição ao conceito tradicional de Segurança que tem como ator central os Estados, mas como um conceito complementar que busca introduzir a questão do indivíduo nos debates. Para se verificar esta hipótese o estudo se centrará na análise das implicações que a geoeconomia causou no Pós-Guerra Fria, no qual divisão do mundo se torna econômica (Norte/Desenvolvidos e Sul/Subdesenvolvido) e não mais ideológica (Capitalismo/Comunismo). Os vários conceitos de Segurança vêm adquirindo importância internacional principalmente nos círculos de policy making visto as necessidades de um mundo globalizado, no qual as relações e negociações tornam-se transnacionais. No caso da geoeconomia, a Segurança Humana faz-se ainda mais necessária visto os problemas causados pelo neoliberalismo em países subdesenvolvidos...

Redes transnacionales, antiperonismo y Guerra Fría: Los orígenes de la Asociación Argentina por la Libertad de la Cultura

Nállim,Jorge
Fonte: Prismas Publicador: Prismas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2012 ES
Relevância na Pesquisa
66.75%
El artículo explora los procesos locales y transnacionales que llevaron a la creación de la Asociación Argentina por la Libertad de la Cultura en diciembre de 1955. La Asociación era la filial del Congreso por la Libertad de la Cultura, fundado en 1950 en Berlín como parte de la estrategia cultural estadounidense durante la Guerra Fría. Basado en el análisis de un amplio espectro de publicaciones e instituciones, el texto rastrea la densa red de relaciones personales, institucionales, ideológicas y políticas entre los intelectuales antiperonistas argentinos y entre ellos y sus colegas extranjeros que llevaron a la fundación de la Asociación. Estas relaciones, desarrolladas desde la década de 1930 y profundizadas por la experiencia peronista y la Guerra Fría, fueron facilitadas por trayectorias y temáticas comunes tales como la defensa de la libertad política y cultural y de la superioridad del mundo occidental, el antifascismo y el anticomunismo. El análisis, parte de un proyecto más amplio en curso, sienta las bases para el estudio futuro de la historia de la Asociación y de las redes intelectuales anticomunistas en América Latina durante la Guerra Fría.

Antropologia, arqueologia e usos do passado durante a guerra fria: regimes autocráticos, militares e pseudodemocráticos, o instituto colombiano de antropologia e seus modelos de colombiano 1946-1966

Alarcón-Jiménez, Andrés
Fonte: Revista Arqueologia Pública Publicador: Revista Arqueologia Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf
Publicado em 01/06/2015 POR
Relevância na Pesquisa
66.77%
Esse artigo é uma proposta de estudo. Propõe-se a existência de um correlato entre Guerra Fria, Regimes políticos e Usos do Passado como forma de compreensão do processo de constituição do sujeito (no nível macro) durante processos de modernização. O correlato, nesse sentido, ligaria, no seu desenvolvimento processual, as políticas culturais da Guerra Fria e o processo de modernização e institucionalização das disciplinas antropológica, historiográfica e arqueológica; o processo gira ao redor da ideologia do “progresso” na América Latina. Considera-se esse processo como constitutivo do nosso universo presente. No caso local colombiano, esse processo se deu entre 1946 e 1966: fundar-se-ia o Instituto Colombiano de Antropologia em 1954, durante a ditadura de Gustavo Rojas Pinilla. O universo rural se tornou espaço privilegiado simultaneamente da guerra contrainsurgente, das políticas desenvolvimentistas e, assim, espaço privilegiado da antropologia, da arqueologia e da sociologia. Nesse marco, os pesquisadores descobririam “indígenas”, “afro-colombianos” e “camponeses”, ademais do “patrimônio nacional”, “tradições”, “folclore” e “cultura material” antiquíssima. Institucionalmente...