Página 1 dos resultados de 6116 itens digitais encontrados em 0.006 segundos

Suporte social e adaptação à gravidez na adolescência

Pinho, Maria Manuela Padrão da Silva Barbosa
Fonte: [s.n.] Publicador: [s.n.]
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2009 POR
Relevância na Pesquisa
37.1%
Dissertação apresentada à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para obtenção do grau de Mestre em Psicologia, especialização em Psicologia da Saúde e Intervenção Comunitária.; Os contornos da gravidez na adolescência têm vindo a serem alterados ao longo dos tempos. De um fenómeno “normal” há cerca de meio século, passou a um fenómeno não desejado na actualidade. Contudo, estudos recentes remetem para uma diversidade de factores preditivos da gravidez na adolescência, com repercussões igualmente diversificadas. Uma gravidez na adolescência quando planeada e dentro dos seus contextos sociais/familiares pode nem sempre ter repercussões nefastas em relação a uma gravidez em idade adulta não planeada. Numa perspectiva desenvolvimental, a adolescente tem que desempenhar duplos papéis para os quais ainda não está preparada, a nível cognitivo, emocional, social e mesmo ao nível da sua própria identidade. Tem-se registado uma tendência, a nível dos países ocidentalizados, para contrariar a elevada percentagem de gravidezes na adolescência. Também Portugal atingiu um declínio acentuado, motivado pelo investimento na educação sexual e pela divulgação dos métodos contraceptivos, junto das camadas mais jovens. Este estudo teve como objectivo analisar se o suporte social que a adolescente percepciona está relacionado com a sua adaptação à gravidez. Participaram neste estudo 63 adolescentes grávidas com idades compreendidas entre os 14 e os 19 anos (M=17; 14 DP=1...

Factores que influenciam a sexualidade do casal durante a gravidez

Barbosa, Eugénia Cortez Bessa
Fonte: [s.n.] Publicador: [s.n.]
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
37.01%
Trabalho apresentado à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para obtenção do grau de Licenciada em Enfermagem.; O presente trabalho de investigação pretende contribuir para o conhecimento dos “Factores que influenciam a sexualidade do casal durante a gravidez. Partindo da questão principal “Quais os factores que influenciam a sexualidade do casal durante a gravidez?”e dos objectivos de estudo “Identificar factores que influenciam a sexualidade do casal durante a gravidez” e “Conhecer os obstáculos à sexualidade do casal durante a gravidez” procedeu-se a um estudo de cariz qualitativo fenomenológico. Para a colheita de dados utilizamos um questionário aplicado a uma amostra acidental de 10 grávidas e seus respectivos companheiros entre a 36ª e 39ª semana de gravidez; pertencentes à UCSP São Mamede, Matosinhos. Os resultados obtidos revelaram uma atitude positiva sobre relações sexuais durante a gravidez, no entanto, a persistência de alguns medos como o medo de poderem desencadear o trabalho de parto ou até mesmo provocar aborto limitaram o “casal grávido” a vivenciar plenamente a sua sexualidade. Verificamos que o “casal grávido” menciona como factores que influenciam negativamente a sua sexualidade...

Gravidez e Transição para a Maternidade na Adolescência Determinantes individuais e psicossociais da ocorrência de gravidez e da adaptação. Estudo com adolescentes da Região Autónoma dos Açores.

Araujo Pedrosa, Anabela
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
37.06%
Enquadramento. A importância das características individuais, mas também dos contextos históricos, culturais e sociais nos quais aquelas se desenvolvem e expressam, bem como a diversidade possível de percursos desenvolvimentais com que o indivíduo se depara, emerge com grande evidência quando nos debruçamos sobre o estudo da gravidez e maternidade na adolescência; alvo de grande atenção científica e política nas últimas décadas, surge-nos como uma intrincada tapeçaria onde se entrelaçam dimensões pessoais, interpessoais, socioeconómicas, éticas e mesmo religiosas. Embora as concepções deterministas sobre a fatalidade da maternidade na adolescência para o desenvolvimento posterior das mães e das crianças venham sendo postas em causa pelos resultados dos estudos enquadrados nas perspectivas ecológicas, e nomeadamente no macroparadigma da Psicopatologia do Desenvolvimento, é ainda irrefutável que a sua ocorrência pode ampliar vulnerabilidades prévias e dificultar a prossecução de trajectórias favoráveis de adaptação, para as jovens que engravidam e para os seus filhos. Apesar dos dados disponíveis apontarem para um decréscimo significativo das taxas de nascimentos de mães adolescentes no nosso país...

Tabaco e gravidez : o impacto da educação para a saúde nos hábitos tabágicos

Magalhães, Mafalda Tavares
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.03%
Introdução: O tabagismo durante a gravidez está associado não só a complicações gestacionais e perinatais, mas também a várias comorbilidades do recém-nascido, sejam no período pós-parto ou a longo prazo. Nos últimos anos tem-se assistido a um aumento na prevalência do tabagismo nas mulheres, principalmente nas mais jovens. Objectivos: Conhecer a prevalência do tabagismo na gravidez e avaliar a eficácia actual do plano de educação para a saúde no que diz respeito ao consumo de tabaco durante a gravidez. Metodologia: Estudo observacional e descritivo, com amostra de conveniência. Foram distribuídos inquéritos a 35 mulheres seguidas em consulta de saúde materna ou em consulta de planeamento familiar no Centro de Saúde Norton de Matos em Coimbra, no período de Novembro de 2009 a Fevereiro de 2010. Resultados: Verificou-se que 34,3% fumavam antes de engravidar, sendo que destas 66,7% deixaram de fumar, verificando-se uma prevalência de 11,4% de mulheres fumadoras durante a gravidez. O tabagismo materno foi menos prevalente nas mulheres com curso superior. A principal fonte de informação sobre os riscos do tabaco na gravidez foi a internet, meios de comunicação social e livros. Conclusão: A prevalência do tabagismo nas mulheres inquiridas foi elevada (34...

Gravidez e maternidade na adolescência: um estudo no Município de Uberaba Estado de Minas Gerais - Brasil

Reis, Lyria Maria dos
Fonte: Universidade Aberta de Portugal Publicador: Universidade Aberta de Portugal
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2007 POR
Relevância na Pesquisa
37.05%
Dissertação de Mestrado em Comunicação em Saúde apresentada à Universidade Aberta; Trata-se de um estudo sobre a gravidez e a maternidade na adolescência no município de Uberaba, estado de Minas Gerais, Brasil. A gravidez e a maternidade na adolescência são considerados um problema de saúde e social nos países ocidentais desenvolvidos, que pode afectar a saúde das jovens, dos seus filhos e o seu percurso de vida. O número de nados vivos de mães adolescentes em Uberaba no ano de 2005 foi de 700 bebés, uma percentagem de 18,59% do total de nados vivos do município. O objectivo geral deste estudo foi conhecer e compreender a realidade da gravidez e maternidade na adolescência, nas diferentes dimensões de saúde, socioeconómicas e culturais no município de Uberaba. O enquadramento teórico incidiu sobre a saúde, seus determinantes e desenvolvimento humano; sobre a adolescência, sua construção ao longo dos tempos e as transformações biológicas e psicológicas que ocorrem nesta fase da vida; sobre a sexualidade, a contracepção e a comunicação em saúde e educação sexual e sobre a gravidez e a maternidade na adolescência nas diferentes dimensões sanitárias, psicossociais, económicas e culturais no município de Uberaba. O estudo empírico comporta duas partes: a primeira...

Gravidez na adolescência na estratégia saúde da família: um estudo das práticas; Pregnancy in adolescence in the Family Health Strategy: a study of the practice.

Navarro, Daniella Garcia Gomez
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 08/08/2013 PT
Relevância na Pesquisa
37.01%
Este estudo tem como objeto as práticas de equipes de Saúde da Família relacionadas à gravidez na adolescência. Parte-se da premissa de que a gravidez na adolescência é determinada pelas diferentes condições de reprodução social que levam a desiguais possibilidades de vivenciar a adolescência e consequentemente o processo de gravidez. Assim, intervir na gravidez na adolescência no contexto da Estratégia Saúde da Família implica em reconhecer que se trata de um fenômeno socialmente determinado e que intervenções focadas no modelo biomédico de atenção não imprimem quaisquer mudanças nas condições de vida e de saúde das adolescentes cadastradas. Os objetivos desta pesquisa foram Identificar práticas de saúde relacionadas à gravidez na adolescência implementadas por equipes da Estratégia Saúde da Família e descrever e analisar essas práticas sob o foco das necessidades de saúde. Para tanto, foi conduzido um estudo quanti-qualitativo de natureza descritiva, em Unidades Básicas de Saúde com Estratégia Saúde da Família situadas nos Distritos Administrativos de Campo Limpo e Vila Andrade, zona sul do município de São Paulo. Os sujeitos do estudo foram os profissionais de saúde que respondiam pelas práticas relacionadas à gravidez em sua equipe. Os dados foram coletados por meio de entrevistas guiadas por questionário semiestruturado. Os dados qualitativos foram descritos e analisados sob o foco da categoria analítica necessidades de saúde...

Gravidez não planejada: a experiência das gestantes de um município do interior do estado de São Paulo; Unplanned pregnancy: the experience of the women in a municipality in the state of São Paulo

Sanches, Natália Canella
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 02/12/2013 PT
Relevância na Pesquisa
37.03%
A gestação, o parto e o puerpério são saberes especiais no universo da mulher, do parceiro, da família e de sua comunidade. A gestação pode gerar diversos sentimentos, tais como: o de surpresa, o de castigo, o de prêmio, o de motivação para continuar a viver, o de realização de um projeto antigo, o de competição em família, o de problema, o de estorvo, o de descuido ou de irresponsabilidade. Confirmada a gravidez, a mulher, o parceiro e os familiares podem vivenciar diferentes reações diante dessa novidade. A reação inicial depende do desejo e planejamento da gravidez (gestação), podendo ser desejada, planejada, ou acidental, não planejada e, até mesmo indesejada. Gravidez não planejada é toda a gestação que não foi programada pelo casal ou, pelo menos, pela mulher. A sua ocorrência tem impacto importante na oferta de cuidados de pré-natal, na orientação sobre aleitamento materno, no estado nutricional infantil e nas taxas de morbimortalidade materno-infantil. Embora pouco estudada, a gravidez não planejada representa risco aumentado de ansiedade e de depressão, sobretudo no período puerperal. Tendo em vista estes aspectos, o objetivo deste estudo foi compreender como as gestantes vivenciaram/experienciaram uma gravidez não planejada e suas consequências à vida familiar/conjugal. O estudo baseou-se na metodologia de análise de dados qualitativos...

Associação do antecedente de gravidez com a densidade mineral ossea na adolescencia

Larissa Miglioli
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 13/12/2005 PT
Relevância na Pesquisa
37.01%
Introdução: Estudos indicam que a gravidez pode interferir com a densidade mineral óssea. A adolescência é um período crucial de aquisição de massa óssea e não se sabe se a gravidez nesta faixa etária poderia aumentar o risco de osteoporose futura. Objetivo: Avaliar a associação do antecedente de gravidez com a densidade mineral óssea na adolescência. Sujeitos e métodos: Foi realizado um estudo de corte transversal com 119 adolescentes com idade de 12 a 20 anos, 30 delas com antecedente de pelo menos uma gestação até o termo. As adolescentes foram selecionadas durante consulta de rotina no Ambulatório de Ginecologia de Adolescentes do CAISM-Unicamp. Todas as adolescentes responderam a um questionário sobre sua história clínica, foram submetidas a um exame clínico para avaliação de peso, altura e estágios de desenvolvimento puberal de Tanner, e realizaram um exame de densitometria óssea da coluna lombar e corpo total (DXA-LUNAR DPX) para medida da densidade mineral óssea e composição corporal. Para a análise estatística foram utilizados os testes qui-quadrado, exato de Fisher, Mann Whitney, Anova, Tukey e regressão linear múltipla. Resultados: Das 119 adolescentes, 30 delas tinham antecedente de gravidez a termo; dessas...

Gravidez na adolescência : das circunstâncias de risco às circunstâncias que favorecem a adaptação à gravidez

Figueiredo, Bárbara; Pacheco, Alexandra P.; Costa, Raquel A.; Magarinho, R.
Fonte: Asociación Española de Psicología Conductual Publicador: Asociación Española de Psicología Conductual
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2006 POR
Relevância na Pesquisa
37.06%
O presente estudo tem por principal objectivo caracterizar as condições relativas à gravidez na adolescência em Portugal. Com as análises das mudanças que ocorrem ao longo da gestação, em áreas significativas da vida da adolescente, pretende-se também contribuir para o melhor conhecimento das dificuldades associadas a esta problemática. As condições que favorecem a adaptação à gravidez da adolescente foram igualmente objecto desta investigação. Uma amostra de 161 adolescentes, atendidas na Consulta Externa de Obstetrícia da Maternidade Júlio Dinis (MJD, Porto), no período entre Janeiro de 2000 e Dezembro de 2003, foi entrevistada, durante o terceiro trimestre de gestação, com base no Questionário da Consulta de Grávidas Adolescentes da MJD (Figueiredo, 2000), composto por 125 perguntas fechadas, destinadas à recolha de dados sociais e demográficos, respeitantes à adolescente, ao companheiro e à família de origem, bem como ao levantamento das circunstâncias médicas, psicológicas e sociais de risco em que a gravidez decorre. À semelhança do que tem sido reportado por diversos autores, em estudos realizados em Portugal, assim como noutros países, encontramos, na nossa consulta, uma elevada frequência de casos pertencentes às camadas mais desfavorecidas da população...

Atitudes das grávidas face à interrupção da gravidez por malformação fetal

Fróis, Deolinda Maria Rodrigues Gonçalves Silva; Ferreira, Manuela Maria Conceição, orient.; Duarte, João Carvalho, co-orient.
Fonte: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu Publicador: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
37.05%
Enquadramento: A possibilidade de existir uma doença genética ou malformação fetal é semelhante em todos os países desenvolvidos e em vias de desenvolvimento, porém o acesso a cuidados de saúde que permitam o seu diagnóstico e enquadramento legal que possibilite a interrupção da gravidez são bastante diferentes. Objetivos: Conhecer as atitudes das grávidas, verificar se existe relação entre as variáveis sociodemográficas, obstétricas, psicológicas e funcionalidade familiar e as atitudes das grávidas face à possibilidade de interrupção da gravidez por malformação fetal. Obter informações que visam uma melhoria da qualidade assistencial. Métodos: É um estudo transversal, quantitativo, correlacional, realizado através da aplicação de um questionário a 145 grávidas que aguardavam exame ecográfico de rotina durante a gestação. Resultados: Pela análise dos dados a idade média da nossa população é de 29,22 anos sendo o grupo etário mais representado dos 20-35 anos (84,8%), 97,9% das grávidas são de nacionalidade Portuguesa e 95,9% caucasianas.47,6% têm o 2º ciclo; 78,6% empregadas; 81,4% casadas e 77,9% planearam a gravidez, encontrando-se 70,3% no 1ºtrimestre. 61,4% São primíparas e 77...

Vivências das mulheres com gravidez de alto risco com necessidade de internamento

Monteiro, Maria João
Fonte: Repositório Comum de Portugal Publicador: Repositório Comum de Portugal
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
37.1%
A gravidez caracteriza-se por inúmeras alterações/adaptações físicas e emocionais que requerem uma vigilância adequada. A gravidez de alto risco é definida como uma gravidez com risco aumentado de anomalias fetais, ameaça significativa para o feto, para a mulher ou para ambos. Perante a gravidez de alto – risco, o acompanhamento torna-se mais exigente mobilizando um maior número de elementos da equipe multidisciplinar para a avaliação e monitorização do bem-estar materno-fetal. Estas grávidas podem-se encontrar perante a impossibilidade de se prepararem adequadamente para a maternidade, quer pela componente psicofisiológica quer mesmo relativamente à organização e reestruturação da dinâmica familiar e dos recursos necessários. Com este estudo pretendemos atingir os seguintes objetivos: compreender as experiências/vivências das mulheres com gestação de alto risco durante o período de internamento; identificar os fatores que influenciam positiva ou negativamente as vivências na gravidez de alto risco durante o período de internamento; identificar as necessidades de cuidados de enfermagem relativos à grávida, durante o período de internamento. Para a consecução destes objetivos e no sentido de responder ao objeto de estudo “vivências das mulheres com gravidez de alto risco sujeitas a internamento”...

O planeamento da gravidez e a projecção da grávida através do desenho

Coelho, Eva Dias
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2009 POR
Relevância na Pesquisa
37.03%
Tese de mestrado, Psicologia (Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicologia Clínica Dinâmica), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação, 2009; Na presente investigação procedeu-se ao estudo do planeamento da gravidez e da projecção da grávida através do desenho, como instrumento projectivo. Foram definidos como objectivos principais: I) Explorar a importância da representação criada pela mãe, sobre o seu bebé, no decorrer do período gestacional, aprofundando as particularidades psicológicas associadas aos domínios do bebé fantasmático, do bebé imaginário e do bebé real; II) Comparar o tipo de planeamento da gravidez com o tipo de representação que as mães constroem acerca do bebé; III) Analisar se a representação psíquica que as grávidas têm do seu bebé influencia a forma como desenham a gravidez. Participaram no estudo 39 grávidas primíparas, entre o 7º e o 9º mês gestacional, com idades compreendidas entre os 25 e os 40 anos, divididas em grupos distintos, através do tipo de planeamento de gravidez (GP vs. GNP). Construiu-se um Questionário Sócio-Demográfico, referente a dados sócio-demográficos, obstetrícios, anamnésicos e do contexto gravídico. Solicitou-se às grávidas que desenhassem a sua gravidez. Aplicou-se um questionário complementar ao desenho...

Representações sociais da gravidez na adolescência para mães adolescentes

Amorim, Isabelle Tavares; Castanha, Alessandra Ramos (Orientadora)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Dissertação
BR
Relevância na Pesquisa
37.08%
Esta pesquisa faz parte de um projeto maior intitulado “Gravidez na Adolescência: Percepções de diferentes atores sociais” financiada por: FACEPE (em conjunto com a Secretaria da Mulher) e CNPq. A gravidez na adolescência tornou-se foco de interesse de áreas como a política, saúde, e educação, sendo atualmente considerada como um problema social e de saúde pública. No entanto, há controvérsias no que se refere a essa atribuição negativa dada à gravidez nesse período da vida, visto que os significados e expectativas referentes à gravidez diferem em função de variáveis sociais, culturais e subjetivas. Este estudo teve como objetivo investigar as Representações Sociais sobre a gravidez na adolescência para mães adolescentes. A amostra foi constituída por adolescentes do sexo feminino da região metropolitana do Recife e cidades da Zona da Mata Pernambucana, na faixa etária de 14 a 19 anos, que estavam passando ou já tivessem passado pela experiência de gravidez. Para a obtenção dos dados foram utilizados um questionário sociodemográfico, um questionário de vivência da sexualidade, práticas preventivas e de características da gravidez, e entrevistas semiestruturadas. Os dados quantitativos foram analisados através de estatística descritiva (frequência...

Planeamento da gravidez em mulheres expostas a violência por parceiro íntimo na Região Centro de Portugal

Moreira, Rosa Maria Santos; Vieira, Margarida Maria Silva
Fonte: Escola Superior de Enfermagem de Coimbra Publicador: Escola Superior de Enfermagem de Coimbra
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em 25/07/2014 POR
Relevância na Pesquisa
37.08%
Introdução: A violência (física, sexual e psicológica) na gravidez é considerada uma séria ameaça à saúde da mãe e do feto/recém-nascido (Bacchus et al., 2006; Durand, 2006). Para além de outros riscos, as mulheres que vivem com companheiro violento têm dificuldades em proteger-se de gravidezes indesejadas (OMS,2003). Tendencialmente a gravidez destas mulheres não foi planeada (Rodrigues et al,2008). O não planeamento das gravidezes associa-se à dificuldade da mulher na adoção de medidas contracetivas, consequente de menor poder na negociação e autonomia dentro da relação conjugal. Objectivos: Descrever a prevalência do planeamento da gravidez, em mulheres expostas à violência por parceiro íntimo (VPI) durante a gravidez (psicológica, física e sexual), na Região Centro de Portugal. Metodologia: Estudo Epidemiológico Transversal que abrangeu uma amostra de 1219 mulheres puérperas, internadas em Hospitais de Apoio Perinatal e Apoio Perinatal Diferenciado da Região Centro de Portugal. A recolha de dados foi feita por questionário completado com dados no processo clínico, entre Setembro de 2012 e Setembro de 2013. Resultados: No total 78,3% das participantes neste estudo referiu ter planeado a gravidez...

Vivências da gura paterna no terceiro trimestre de gravidez

Silva, Carla Margarida Anjo da
Fonte: Escola Superior de Enfermagem de Coimbra Publicador: Escola Superior de Enfermagem de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 12/02/2014 POR
Relevância na Pesquisa
37.03%
Desde sempre houve gravidez mas a evolução da sociedade influenciou a participação dos homens em todo o processo. A inclusão do pai não se justifica apenas pelo seu contributo fundamental no acompanhamento e apoio à mãe, mas também, pelo facto de este ser um momento fulcral para a sua vivência enquanto pai. A vivência da paternidade é complexa e única, pelo que, o pai requer uma atenção direcionada às suas necessidades individuais. O maior envolvimento do pai na gravidez tem vindo a suscitar investigações referentes ao seu papel neste contexto, no entanto existe uma necessidade de clareza do fenómeno em causa. Atendendo à escassez de publicações científicas neste âmbito, além da necessidade de estudos em maior profundidade, este estudo teve como questão de partida: ?Quais as suas vivências paternas no terceiro trimestre de gravidez??. Por conseguinte o objetivo do estudo é conhecer as vivências do pai no terceiro trimestre de gravidez. Trata-se de um estudo de natureza qualitativa, com recurso à abordagem fenomenológica hermenêutica. Os dados foram colhidos através de entrevistas semiestruturadas, gravadas em suporte magnético, a nove pais durante o terceiro trimestre de gravidez, selecionados em rede. Os dados foram analisados segundo as indicações metodológicas de Max Van Manen. Através da descrição das vivências dos pais no terceiro trimestre de gravidez...

Gravidez na adolescência em Boa Vista - Roraima (Brasil) no ano de 2011: fatores predisponentes e medidas de prevenção

Sampaio, Maria de la Paz Perez
Fonte: Universidade de Évora Publicador: Universidade de Évora
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.08%
Gravidez na Adolescência em Boa Vista - Roraima (Brasil) no ano de 2011: Fatores Predisponentes e Medidas de Prevenção. O número elevado de gravidez na adolescência tem motivado estudos, em caráter mundial, pois repercute em todos os setores da vida das adolescentes, principalmente em seu processo educacional, na construção de sua independência econômica e em seus relacionamentos sociais, especialmente o familiar. O estudo teve o objetivo de identificar comportamentos e fatores familiares e socioculturais que contribuíram para a gravidez entre as adolescentes inscritas na Estratégia de Saúde da Família (ESF) no Município de Boa Vista/Roraima (Brasil) no ano de 2011. Foi desenvolvido nos termos de pesquisa exploratória com abordagem qualitativa. Para a coleta de dados foi usado um roteiro de entrevista contendo 53 questões (abertas e fechadas), aplicado junto às adolescentes grávidas inscritas nas Unidades Básicas de Saúde da Família, no período de 01 a 30 de junho de 2011. A amostra incluiu 110 adolescentes com idades compreendidas entre os 13 e os 19 anos, sendo a média de 16,5 anos. Os resultados mostram que: 98% das jovens sobrevivem com baixa renda; 90,91% possuem baixa escolaridade, apresentando uma evasão escolar de 55% dos casos motivada...

Empoderamento da grávida durante a vigilância da gravidez

Santos, Ilda Maria Barroca
Fonte: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu Publicador: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
37.08%
Título do Trabalho: Empoderamento da grávida durante a vigilância da gravidez. Enquadramento: Sendo a gravidez um período de adaptação física e psicológica, surge o conceito de promoção da saúde da grávida. Esta deve dispor de informação suficiente e objetiva em cada etapa do processo de maternidade de forma a adquirir autonomia e empoderamento. Torna-se pertinente estudar os fatores que influenciam o empoderamento da grávida, no sentido de o melhorar. Objetivos: Descrever o perfil sociodemográfico e obstétrico da grávida; Relacionar as variáveis sociodemográficas e obstétricas com o empoderamento da grávida; Relacionar a transmissão de informação durante a gravidez com o empoderamento da grávida. Métodos: Trata-se de um estudo não-experimental, quantitativo, transversal, descritivo e correlacional com uma amostra não probabilística por conveniência (n=195). A recolha de dados efetuou-se através de um questionário constituído por uma componente sociodemográfica e história obstétrica (anterior e atual) e uma escala de empoderamento da grávida (KAMEDA; SHIMADA, 2008). Este instrumento de colheita de dados foi aplicado a grávidas no terceiro trimestre de gravidez. Resultados: O empoderamento da grávida é influenciado pelas variáveis sociodemográficas e as variáveis obstétricas. A informação transmitida durante a gravidez apenas influencia o empoderamento da grávida na informação sobre dúvidas relativas à gravidez e parto. O emissor de informação durante a gravidez (aleitamento materno; alimentação e aumento de peso na gravidez; hábitos nocivos na gravidez e atividade/repouso) interage na predição do empoderamento da grávida. Conclusão: A educação para a saúde durante a gravidez...

As implicações do envolvimento do pai na gravidez parto na ligação emocional com o bebé

Nogueira, João Rui Duarte Farias; Ferreira, Manuela Maria Conceição, orient.
Fonte: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu Publicador: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
37.03%
Curso de mestrado em enfermagem de saúde materna obstetrícia e ginecologia; Palavras-chave: ligação emocional, pai, bebé, envolvimento, gravidez, parto O estudo tem como objectivo conhecer as implicações do envolvimento do pai na gravidez/parto na ligação emocional com o bebé. A ligação emocional entre pai e filho é determinante para a transição deste para a paternidade e para o desenvolvimento do bebé. Quando o pai está fortemente ligado ao seu filho sente-se mais responsável pela sua família, por lhe providenciar apoio emocional, físico e financeiro. A literatura recente indica que a idade (não muito elevada), um bom nível de escolaridade, o planeamento da gravidez e aguardar o nascimento do 1º filho promovem o envolvimento do pai na gravidez, o que aumenta a vinculação pré-natal. É um estudo transversal, quantitativo de carácter descritivo-analítico. Pretendemos verificar se existe relação entre as variáveis sociodemográficas, o envolvimento na gravidez ou o corte do cordão umbilical com a ligação emocional do pai com o bebé. O estudo foi realizado através da aplicação de um questionário em três momentos diferentes (durante o trabalho de parto, no 1º e no 3º dia após o parto) a 222 pais...

Impacto de uma interrupção espontânea da gravidez na vinculação pré-natal, numa gravidez seguinte

Rodrigues, Ana Sofia Nóbrega
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em //2009 POR
Relevância na Pesquisa
37.06%
Tese de mestrado, Psicologia (Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicologia Clínica Dinâmica), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação, 2009; A presente dissertação aborda o tema da perda gestacional, procurando obter informações sobre o impacto desta numa gravidez seguinte. Frequentemente as experiências da gravidez e da maternidade são vivências positivas, que põem de parte um lado mais sombrio que estas experiências de vida podem vir a trazer. A perda de um bebé in útero está associada um vasto leque de sentimentos e emoções que vão assombrar a mulher a longo prazo. Quando uma mulher com história de interrupção espontânea da gravidez embarca numa gravidez seguinte tende a lidar com sentimentos contraditórios que podem vir a influenciar a vinculação ao novo bebé. Este estudo teve como objectivo comparar a Vinculação Pré-Natal a uma nova gravidez em mulheres grávidas sem história de interrupção espontânea da gravidez com mulheres, igualmente grávidas, que tenham sofrido pelo menos uma interrupção espontânea da gravidez. Com esta finalidade foi recolhida uma amostra de 114 mulheres das quais 52 com história de interrupção espontânea da gravidez e 62 sem história de interrupção espontânea da gravidez e foram utilizados dois instrumentos: o Questionário Sócio-Demográfico e o Questionário de Vinculação Pré-Natal (Condon...

Fatores de influência individuais, psicossociais e relacionais para a ocorrência de gravidez na adolescência em Portugal Continental

Carvalho, Paula Susana L. Saraiva
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
37.12%
O reconhecimento da importância dos contextos individuais e relacionais/afectivos das adolescentes na construção das trajectórias de desenvolvimento (in)adaptativas contribuiu para a exploração do impacto dos aspectos individuais, relacionais e sociais, no seio dos quais sobressaem algumas variáveis que se têm mostrado passíveis de conduzir a uma gravidez na adolescência. Os resultados da investigação empírica apontam no sentido de que a gravidez precoce ocorre sobretudo em adolescentes que vivem em situações desfavorecidas do ponto de vista social, económico e pessoal, nomeadamente no que toca a situações de pobreza, baixos níveis educacionais e condições adversas ao longo da sua trajectória desenvolvimental. Os dados disponíveis salientam uma tendência consistente, nas últimas duas décadas, para um decréscimo da gravidez na adolescência em Portugal Continental. Apesar da evolução positiva deste indicador no panorama nacional, este continua a ser bastante desfavorável, sendo um problema social incontornável na actualidade. Não obstante a relevância, tanto teórica como prática deste fenómeno e o crescente interesse pela sua investigação, são ainda escassos ou inexistentes os estudos portugueses que incluam as diversas regiões geográficas do país. Com a presente dissertação...