Página 1 dos resultados de 153 itens digitais encontrados em 0.051 segundos

A emergência do marcador discursivo assim sob a óptica da gramaticalização: um caso de multifuncionalidade e (inter)subjetivização

Lopes-Damasio, Lúcia Regiane
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 245 f. : il.
POR
Relevância na Pesquisa
65.61%
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Pós-graduação em Estudos Linguísticos - IBILCE; O propósito desta pesquisa é estudar o uso de assim, denominado marcador discursivo e considerado resultado do processo de mudança experimentado pelo item, com o objetivo de descrever seu comportamento sintático, semântico e pragmático à luz dos pressupostos teóricos da gramaticalização e de uma conjugação deles com os da Gramática Textual Interativa, uma vez que se elege o conceito de linguagem como interação social. Entendemos a gramaticalização como parte do estudo lingüístico que focaliza a mudança que se dá a partir de um processo gradual de pragmatização do significado, que envolve estratégias de caráter inferencial, que aumentam a informação pragmática, e estratégias metafóricas, que acarretam a abstratização (TRAUGOTT, 1982, 1989, 1995 e TRAUGOTT; KÖNIG, 1991). Sugere-se uma trajetória unidirecional que parte do proposicional ao textual e à (inter)subjetivização, relativa ao fato de que os falantes, em nome da expressividade, desenvolvem significados novos para lexemas já existentes, codificando suas atitudes a respeito do que é dito ou das atitudes do ouvinte (TRAUGOTT...

Ordem oracional e movimento de clitico de segunda posição em Kayabi (familia Tupi-Guarani)

Andre Luiz Faria
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 21/12/2004 PT
Relevância na Pesquisa
65.61%
O kayabi (família Tupi-Guarani) é, aparentemente, uma língua de ordem livre, uma vez que todos os tipos de ordem são atestados. Constatou-se, todavia, que a variação na ordem dos constituintes oracionais parece obedecer a certas restrições, dependendo, dentre outras coisas, da forma verbal envolvida. Nas construções declarativas, em que o verbo ocorre com flexão de pessoa, a variação na ordem é menos restrito do que nas construções denominadas narrativas, em que o verbo vem desprovido de flexão pessoal, e somente os tipos SOV e OSV são permitidos. Além disso, verificou-se que o kayabi apresenta clíticos de segunda posição, os quais estão intimamente relacionados com as restrições das ordens dessa língua. Em vista desses fatos, discuto a possibilidade de estes clíticos sofrerem movimento sintático, com base nos pressupostos teóricos da gramática gerativa; Kayabi language (Tupi-Guarani family) is, at first sight, a free word order language, since all kinds of word order are attested. Nevertheless, we show that the variation in the order of the sentence constituents obey certain restrictions, depending on, from among others, the verbal form involved. In declarative constructions, in which the verb is marked by person inflection...

Sujeito nulo e morfologia verbal no portugues falado por tres comunidades do interior da Bahia; Null subject and verbal morphology in the Portuguese spoken by three communities of the interior of Bahia

Norma Lucia Fernandes de Almeida
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 13/12/2005 PT
Relevância na Pesquisa
65.61%
Este trabalho é uma descrição do sujeito nulo numa variedade de língua pouco estudada, o português popular falado em comunidades rurais baianas. O objetivo geral é verificar se ainda há categorias vazias na posição de sujeito nessa variedade de língua, tendo os seguintes objetivos específicos: a) descrever sócio-historicamente as comunidades; b) identificar os contextos de maior manutenção do sujeito nulo; c) observar se há, no PB, no que se refere a esse fenômeno, uma ou mais gramáticas em atuação, através da comparação de grupos etários e de resultados encontrados em estudos com dialetos urbanos; d) verificar se há evidência do encaixamento de uma possível mudança no sistema, representada pelo uso de duplos sujeitos; This work is a deseription of the null subjeet on a little studied language variety, the ordinary Portuguese spoken in bahian rural communities. The general goal is to cheek if there are still empty categories as subject on this language variety, by having the following specifie goals: a) deseribe the communities socially and historieally; b) identify the contexts of greater maintenance of the null subject; e) observe if there is, in BP (Brazilian Portuguese), about this phenomenon, one or more grammars in action...

A nomenclatura gramatical brasileira interpretada, definida, comentada e exemplificada

Lauro Jose Siqueira Baldini
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 22/02/1999 PT
Relevância na Pesquisa
65.61%
A Nomenclatura Gramatical Brasileira (NGB) é urna iniciativa oficial do Estado brasileiro para estabelecer uma terminologia única para as gramáticas, publicada pelo Ministério da Educação em 1959. Neste trabalho, analisaremos, filiando-nos à Análise do Discurso de linha francesa, o discurso da NGB, procurando mostrar suas filiações no contexto da gramatização brasileira. Na primeira parte do trabalho, procuramos explicitar de modo sucinto a teoria a que nos filiamos, relacionando conceitos fundamentais desta e apresentando suas definições. Na segunda parte, apresentamos o trabalho de análise que empreendemos sobre a NGB, utilizando como suporte teórico as noções desenvolvidas na primeira parte. Tendo isso em vista, nossa preocupação principal foi a de mostrar que a NGB já é um parte de um processo bastante específico da gramatização brasileira que se inicia no século passado e, além disso, a de indicar de que modo essa mesma gramatização se encontra alterada após a implementação da NGB. Por isso, dedicamos uma parte do trabalho a análise de dicionários e léxicos gramaticais existentes anteriormente à NGB, e uma outra parte à análise de como o funcionamento discursivo das gramáticas se relaciona com esses instrumentos. De nosso ponto de vista...

Enunciação e polifonia, alias : um estudo argumentativo em lingua portuguesa

Soeli Mara Schreiber da Silva
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 18/02/1988 PT
Relevância na Pesquisa
65.67%
Inicia-se o estudo com o objetivo de levantar hipóteses sobre o estatuto gramatical do morfema aliás. Em seguida consideram-se basicamente os trabalhos do lingüista Oswald Ducrot. Apresenta-se a abordagem sobre o aliás (Ducrot e outros: 1980b). Questões levantadas nesta primeira abordagem aparecem reinterpretadas a partir da Teoria Polifõnica da Enunciação (Ducrot, 1987), aqui apresentada. Fala-se sobre estudos da Polifonia no Brasil e há uma análise de uma seqüência textual, principalmente com base em Guimarães (1987). Mais adiante caracteriza-se o aliás em relação à Polifonia e Argumentação. Compara-se o aliás com na verdade, de fato, com efeito, além disso, até mesmo. Conclui-se que o aliás apresenta polifonia e seu funcionamento enunciativo aponta, inclusive, para a textualidade. O estudo, ao contrário do que se previa, considera que se o aliás é polifônico e tem a ver com a textualidade, então na seqüência X aliás Y não interessa muito dizer em que classe gramatical essa expressão se encaixa; Not informed

Recursos de indeterminação do sujeito

Wania Milanez
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em //1982 PT
Relevância na Pesquisa
65.65%
O presente trabalho tem em vista apresentar uma descrição dos recursos de indeterminação do sujeito encontrados num "corpus" da fala culta da cidade de São Paulo. Após demonstrarmos a inadequação da análise da gramática tradicional a respeito do assunto, procuramos conceiturar o fenômeno opondo-o à determinação, assim como à indefinição e à impessoalização. Passamos em seguida à apresentação das expressões indeterminadoras, colocando em evidência inicialmente a descrição do uso e do comportamento semântico dos pronomes a gente, você e eles; em seguida, a análise da forma (0 + 3ª p.s), examinada à luz da Gramática Gerativa Transformacional "standard" e estendida; a questão da função do pronome se ( na construção (0 + VERBO + se)), argumentando-se a favor de considerálo somente como indeterminador e não também como apassivador, como prescreve a gramática tradicional; e ainda, o exame das formas (0 + 3ª p. pl.) e (0 infinitivo), propondo para estas, juntamente com a construção (0 + 3ª p.s.), um tratamento homogêneo do ponto de vista sintático. São também focalizados alguns aspectos da indeterminação sob o prisma contextual e pragmático; Not informed

Aspectos do comportamento sintetico dos modais dever e poder

Zoe Beatriz de Almeida Gomes Miranda
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em //1975 PT
Relevância na Pesquisa
65.63%
o presente trabalho tem por objetivo examinar o fundamento formal da categorização dos modais dever e poder, dentro dalinha teórica da Gramática Gerativa. Na primeira parte do trabalho sao examinadas e testadas em relação aos fatos do português, as duas propostas básicas existentes na Gramática Gerativa para o tratamento dos modais, a saber, a de Chpmsky (1957), que os trata como auxiliares e a de Ross (1967.b), que os considera verbos principais. Vários argumentos são dados para mostrar que nenhuma destas duas hipóteses ê adequada ã descrição dos fatos considerados. Tendo em vista a inadequação dessas análises, é a presentada uma proposta alternativa, em que dever, enquanto modal, é considerado um verbo exclusivamente auxiliar e poder, enquanto modal, é analisado como verbo auxiliar e verbo principal intransitivo, ocorrendo com sujeito sentencial. Essa proposta permite dar uma explicação natural para as semelhanças e diferenças de comportamento sintático observadas entre esses elementos.; Not informed.

Tempo e aspecto gramatical no Déficit Específico de Linguagem; Tense and grammatical aspect in Specific Language Impairment

Maria Claudia Arvigo
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 25/03/2011 PT
Relevância na Pesquisa
65.76%
Crianças acometidas pelo Déficit Específico de Linguagem (DEL) apresentam dificuldades na composição da estrutura gramatical de sua língua. Uma das dificuldades mais documentadas refere-se à morfologia de tempo, sendo que esta categoria funcional pode ser omitida assistematicamente ou substituída de forma irregular. Tempo e Aspecto encontram-se relacionados intrinsecamente, impossibilitando o estudo do primeiro sem a observação do segundo. Estudos anteriores referem que crianças com DEL apresentam bom reconhecimento de temporalidade (passado, presente e futuro), mas encontram relativa dificuldade em compreender a relação entre eventos completos/ incompletos e o passado progressivo (aspecto gramatical imperfectivo). Este comportamento seria resultado de uma baixa sensibilidade às propriedades aspectuais, evidenciada pela pouca ou nenhuma variação do desempenho com relação ao aspecto lexical. Tais resultados referem-se a pesquisas com crianças anglófonas, já o presente estudo buscou verificar se o mesmo ocorre em crianças com DEL adquirindo o português brasileiro. Resultados encontrados demonstram que os indivíduos participantes apresentam variações em seu comportamento que podem ser atribuídas à presença do aspecto lexical...

Categorias lexicais e funções na linguagem de especialidade da economia

Alves, Elisabeth
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Tese
PT_BR
Relevância na Pesquisa
65.61%
Tese(doutorado)—Universidade de Brasília, Instituto de Letras, Departamento de Linguística, Português e Línguas Classicas, Programa de Pós-Graduação em Linguística, 2006.; A proposta desta tese é a análise das características e das regularidades de formação e variação das categorias lexicais, ou classes de palavras ou partes do discurso, N, V, ADJ e alguns tipos deADVna linguagem de especialidade da economia, da forma como é veiculada em textos jornalísticos especializados do português. A investigação aplica a abordagem funcionalista da Gramática Funcional do Discurso (Hengeveld, 2004a e b; Hengeveld & Mackenzie, 2006) aos estudos do léxico e da terminologia para mapear a relação entre as diversas categorias ¿ lexicais, semânticas e ontológicas ¿ e as funções de Adscrição e Referenciação, assim como as funções de Núcleo e Modificador, que interagem nos processos lingüísticos de predicação e estabilização das unidades terminológicas da área. Os resultados mostram que as unidades terminológicas são predicativas e descritivas e que, por isso, têm a tendência de englobar unidades lingüísticas complexas, tais como estruturas sintagmáticas nominais e nominalizadas. Nestas unidades complexas...

A atividade inferencial como estratégia de leitura a partir do ensino da gramática

Lacerda, Keyla Gonçalves de Lima
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
65.66%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Letras, Departamento de Línguas Estrangeiras e Tradução, 2011.; Esta pesquisa qualitativa, com característica etnográfica colaborativa, volta-se para a observação do processo ensino-aprendizagem de leitura, abordando a atividade inferencial como estratégia de leitura a partir do ensino da gramática. Em uma perspectiva enunciativa, uma vez que o sentido não está apenas no texto, mas se constrói a partir dele no curso de uma interação, a pesquisa se propõe estudar as inferências como estratégias cognitivas por meio das quais o ouvinte ou leitor, partindo da informação veiculada pelo texto e levando em conta o contexto (em sentido amplo), formula novas representações mentais e/ou estabelece uma ponte entre segmentos textuais, ou entre informação explícita e informação não explicitada no texto. Este estudo visa também à reflexão de práticas pedagógicas em relação ao ensino da gramática como suporte para o desenvolvimento de habilidades leitoras, além de analisar resultados dos alunos em itens de compreensão textual em avaliações externas à escola, como o SIADE – Sistema de Avaliação do Desempenho das Instituições Educacionais do Sistema de Ensino do Distrito Federal. A pesquisa de campo se realizou em uma escola classe pública do Distrito Federal em que se fez observação participante e entrevista semiestruturada. O resultado deste trabalho levou ao entendimento de que o baixo desempenho demonstrado pelos alunos nas provas de leitura das avaliações em larga escala é influenciado por fatores socioeduacacionais e pelas concepções de texto...

Construções ergativas e médias: uma distinção em termos sspectuais e semânticos

Silva, Cristiany Fernandes da
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
75.57%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Programa de Pós-Graduação em Linguística, 2011.; Esta dissertação analisa as alternâncias ergativa e média a partir das propriedades descritas pela literatura para cada uma dessas estruturas e das configurações sintáticas de duas classes de verbos, abrir e pintar. Ambas as classes admitem uma sentença transitiva com um argumento Agente/Causa e um Tema, como em João abriu a porta e João pintou a janela. Todavia, enquanto a classe dos verbos de abrir admite tanto a alternância ergativa (A porta abriu) como a média (Essa porta abre facilmente), a classe dos verbos de pintar permite apenas a alternância média (Essa janela pinta facilmente), isto é, as sentenças ergativas com verbos desse tipo são agramaticais (*A janela pintou). Adotamos os pressupostos teóricos da gramática gerativa e a hipótese segundo a qual a estrutura argumental do verbo está relacionada com sua estrutura conceitual lexical (LEVIN & RAPPAPORT-HOVAV, 2008; SALLES & NAVES, 2009). Com base nesse referencial e nos fatos empíricos observados, discutimos as propriedades das sentenças ergativas e médias de modo a reduzi-las a apenas duas: uma aspectual, relativa à interpretação de evento ou estado...

Análise comparativa do sintagma nominal em textos científicos de língua inglesa das áreas de Psicologia e Botânica

Carelli, Izaura Maria
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Teses e Dissertações Formato: application/pdf
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
75.5%
Resumo: O objeto de estudo desta pesquisa foi estudar a complexidade do sintagma nominal no texto científico de língua inglesa. Analisamos a complexidade, do sintagma nominal em relação à função sintática (sujeito e não-sujeito) ao tipo de publicação ( livros e periódicos ) e à área científica (Psicologia e Botânica). Verificamos a ocorrência do sintagma nominal simples e complexo, e também o grau de complexidade do sintagma medido em termos da quantidade de elementos na sua modificação. Após havermos classificado 2804 sintagmas nominais, quanto à função sintática e complexidade, e analisando-os estatisticamente, concluímos que : 1 - a complexidade do sintagma nominal tende a estar associado à função sintática exercida por tal sintagma; 2 - não ficou comprovada a associação entre complexidade do sintagma e o tipo de publicação; 3 - há uma associação entre complexidade do sintagma nominal e área científica e, 4 - nos textos analisados, há um maior percentual de sintagmas nominais complexos do que sintagmas nominais simples. Quanto aos sintagmas nominais complexos, há uma tendência de predominância dos sintagmas nominais só pós-modificados, independentemente da função sintática, do tipo de publicação e da área científica.

A produção dos padrões acentuais de substantivos compostos e sintagmas nominais por professores brasileiros de inglês

Rosado, Ana Francisca Gusso
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Teses e Dissertações Formato: application/pdf
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
75.5%
Resumo : Este estudo investiga a diferença entre os padrões acentuais dos substantivos compostos e dos sintagmas nominais produzidos por professores de inglês, cuja língua-mãe é o português brasileiro. Um teste de Leitura de Frases foi elaborado e aplicado a um grupo de 14 professores, com o objetivo de analisar as suas produções e verificar as três hipóteses levantadas nesta investigação. Nesse teste, os 14 professores leram 50 frases cada um, as quais eram constituídas por 32 combinações de dois termos de substantivos compostos e 18 combinações de dois termos de sintagmas nominais enquanto eram gravados. A primeira hipótese, de que a produção dos padrões acentuais dos sintagmas nominais seria mais fácil para os professores desta pesquisa e, consequentemente, com mais acertos do que a produção dos padrões acentuais dos substantivos compostos, foi refutada. A segunda hipótese, de que combinações com seus termos concatenados teriam uma maior possibilidade de serem produzidas corretamente pelos professores que participaram desta pesquisa, foi confirmada pelos resultados obtidos. Finalmente, a terceira hipótese, de que os doublets teriam uma maior possibilidade de serem produzidos incorretamente pelos professores que participaram desta pesquisa...

A produção dos padrões acentuais de substantivos compostos e sintagmas nominais por professores brasileiros de inglês

Rosado, Ana Francisca Gusso
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Teses e Dissertações Formato: application/pdf
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
75.5%
Resumo : Este estudo investiga a diferença entre os padrões acentuais dos substantivos compostos e dos sintagmas nominais produzidos por professores de inglês, cuja língua-mãe é o português brasileiro. Um teste de Leitura de Frases foi elaborado e aplicado a um grupo de 14 professores, com o objetivo de analisar as suas produções e verificar as três hipóteses levantadas nesta investigação. Nesse teste, os 14 professores leram 50 frases cada um, as quais eram constituídas por 32 combinações de dois termos de substantivos compostos e 18 combinações de dois termos de sintagmas nominais enquanto eram gravados. A primeira hipótese, de que a produção dos padrões acentuais dos sintagmas nominais seria mais fácil para os professores desta pesquisa e, consequentemente, com mais acertos do que a produção dos padrões acentuais dos substantivos compostos, foi refutada. A segunda hipótese, de que combinações com seus termos concatenados teriam uma maior possibilidade de serem produzidas corretamente pelos professores que participaram desta pesquisa, foi confirmada pelos resultados obtidos. Finalmente, a terceira hipótese, de que os doublets teriam uma maior possibilidade de serem produzidos incorretamente pelos professores que participaram desta pesquisa...

As muitas definições de anáfora, dêixis e correferência

Mesquita, Fabio Luis Fernandes
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
75.56%
Resumo: Diante das inúmeras definições de anáfora disponíveis em diferentes estudos linguísticos, não podemos realmente ter certeza de que exista uma definição (que não seja inconvenientemente genérica) que possa ser atribuída univocamente ao conceito de anáfora dentro da Linguística. As definições existentes variam em função de pressupostos dados pelo recorte teórico, ou seja, a anáfora acaba sendo aquilo que chamamos de anáfora, de acordo com a necessidade dos autores. Este trabalho pretende mapear as diversas definições de anáfora e seus conceitos primos, dêixis e correferência, nas diferentes vertentes de estudos linguísticos, tentando capturar as principais distinções de suas assunções teóricas. O objetivo principal deste levantamento é chegar a generalizações possíveis sobre estes conceitos, do tipo "os estudos que assumem uma ontologia que permite objetos do discurso tendem a adotar um tipo de anáfora que não pressupõe correferência". Propomos, para isso, uma metodologia falseacionista baseada na tentativa de refutar hipóteses iniciais sobre o uso dos conceitos em diferentes estudos, postulando-se tipos de anáfora comparadas com correferência e tipos de anáfora comparada com dêixis. O desafio maior é de identificar quais dessas assunções teóricas são relevantes. São propostas categorias como natureza ontológica dos objetos referidos (objetos E versus objetos I) e domínio da anáfora (nível da sentença versus nível de texto)...

Os efeitos de sentidos da formulação das regras e os acréscimos nas gramáticas de Julio Ribeiro, Said Ali e Evanildo Bechara; The effects of senses of formulation of the rules and the increases in grammars of Julio Ribeiro, Said Ali and Evanildo Bechara

Gleide Amaral dos Santos
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 19/04/2013 PT
Relevância na Pesquisa
65.62%
Essa tese, inscrita no domínio da História das Ideias Linguísticas em articulação com a Análise de Discurso, tem como objeto analisar discursivamente os efeitos de sentidos da formulação das regras e os acréscimos nas gramáticas de Julio Ribeiro, Said Ali e Evanildo Bechara. Foram essas regras gramaticais e os textos, que aqui chamamos de acréscimos gramaticais, que nos fizeram considerar suas discursividades, relacionando a linguagem à exterioridade, entendendo que esta relação é de constituição mútua. Nesse sentido, procuramos analisar os procedimentos de formulação da regra, tendo em vista o que vai no corpo do texto e nas notas e comentários, considerando as condições particulares da gramatização no Brasil, país de colonização portuguesa. As perguntas que norteiam nossa reflexão são: Como se constrói o imaginário da completude da língua? Como esse sujeito se coloca em relação à língua no Brasil, em relação à língua de Portugal? Que tipo de "incompletude" é que se procura "preencher" nas gramáticas brasileiras? Qual sua relação com a tensão entre a língua - a norma - de Portugal e do Brasil? Apresentamos, primeiramente, o conceito de gramatização das línguas, processo em que se insere a questão da formulação da regra e da norma. Em um segundo momento...

Aspectos fonologicos e morfologicos do Kadiweu

Silvia Lucia Bigonjal Braggio
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em //1981 PT
Relevância na Pesquisa
65.67%
Este é um ensaio de análise fonológica da estrutura nuclear do verbo da língua Kadiwéu falada no sul do Pantanal Matogrossense. O enfoque é basicamente gerativo e o estudo incide particularmente sobre a morfologia da expressão de pessoa - sujeito e objeto - no verbo. Os dados submetidos à análise provém em parte do trabalho de campo da autora, em parte de estudos anteriores de Glyn Griffiths e de Cynthia Griffiths. A dissertação está dividida em três capítulos. No primeiro são apresentados os segmentos fonéticos segmentais atribuídos à estrutura fonológica e são expostos alguns processos fonológicos gerais. No segundo, são elaboradas as regras morfofonêmicas relevantes para a descrição da estrutura nuclear do verbo. No terceiro, apresenta-se a estrutura morfológica nuclear do verbo Kadiwéu; Not informed

A perda de subida de clítico no português brasileiro : séculos XIX e XX; The loss of clitic climbing in Brazilian Portuguese : 19th and 20th centuries

Fernanda Elena de Barros Reis
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 21/03/2011 PT
Relevância na Pesquisa
65.65%
Este trabalho apresenta um estudo sobre a perda de subida de clítico no português brasileiro (PB) do século XIX até a primeira metade do século XX, bem como alguns estudos presentes na literatura para dar conta desse fenômeno a partir de uma análise formal e inserida no quadro teórico da Gramática Gerativa, observando como eles podem ser aplicados para os dados do PB. Por "subida de clítico" deve-se entender casos em que se tem, em uma construção com dois ou mais verbos, um clítico ligado a um verbo que não lhe atribuiu papel temático. As línguas românicas, em geral, apresentam tal fenômeno. O PB, no entanto, o perdeu, a não ser no caso da construção passiva. Para Gonçalves (1996), a obrigatoriedade de subida de clítico é uma propriedade que todo auxiliar deve apresentar, pelo menos no português europeu. Estudos sobre a auxiliaridade no PB (como Lunguinho, 2009; Corso, 2002) não consideram tal propriedade, uma vez que se perdeu a subida de clítico. Assim, seus resultados diferem, em partes, daquele de Gonçalves (1996). Procuramos, então, investigar o que a subida de clítico pode revelar sobre a estrutura das construções dos auxiliares tanto do PB como de outras línguas que apresentam o fenômeno. Cyrino (2009) propõe que a subida de clítico se dá...

Tempo, aspecto e modo em contextos discursivos no Kaingang Sul (Jê); Time, aspect and mood in discursive contexts in Southern Kaingang (Ge)

Solange Aparecida Gonçalves
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 30/08/2011 PT
Relevância na Pesquisa
65.76%
Neste trabalho busco descrever o funcionamento das categorias temporais, aspectuais, de modo e de modalidade na língua Kaingang Sul (Jê) principalmente a partir de observações de seu emprego em contextos discursivos orais e escritos. Tais categorias são, em sua maioria, gramaticalizadas e abertamente marcadas quando relevantes para o contexto linguístico. Para minha proposição, dividi a tese em 6 capítulos e uma conclusão. No capítulo 1 discorro brevemente sobre a motivação do trabalho e faço algumas observações introdutórias que ajudarão na leitura do restante do texto. Informações sobre quem são os Kaingang também podem ser encontradas. Um sub-item aborda questões de metodologia e trabalho de campo. O capítulo traz ainda uma síntese de informações sobre a língua que tornará mais fácil a leitura e a compreensão dos dados ao longo da tese. O capítulo 2 trata da perspectiva temporal no Kaingang Sul. No capítulo 3 apresento a questão de Aspectualidade, mostrando que há distinção entre as perspectivas Perfectiva e Imperfectiva na língua. O capítulo 4 traz considerações sobre operadores de Modo e de Modalidade. Em um 5º capítulo estão sendo mostrados os diferentes usos ou papéis que os verbos de 'posição' (ou Posicionais) podem exercer na língua Kaingang. Também se poderá observar que há marcadores que aparecem principalmente em narrativas e estarão no capítulo 6 (que faz referência às relações discursivas)...

Indexicais e operadores-monstros no português brasileiro

Teixeira, Lovania Roehrig
Fonte: Florianópolis, SC Publicador: Florianópolis, SC
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 151 p.| il.
POR
Relevância na Pesquisa
65.68%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Comunicação e Expressão. Programa de Pós-Graduação em Linguística; Esta dissertação tem por objetivo abordar as principais ideias sobre a indexicalidade e sobre as questões que ainda são motivo de desacordo em relação ao fenômeno. Para dar conta disso, no Capítulo 1 apresentamos a principal teoria semântica para os indexicais, proposta por Kaplan (1989). Essa teoria tem as seguintes linhas gerais: define os indexicais como termos diretamente referenciais e como designadores rígidos; classifica-os em indexicais puros e demonstrativos; caracteriza-os como termos que são sempre dependentes do contexto de proferimento hic et nunc; e trata o significado desses itens como sendo composto por duas funções, o caráter e o conteúdo. Se, por um lado, essa distinção representa um dos méritos da teoria de Kaplan (1989), por outro lado, a teoria dos indexicais proposta pelo autor é muito criticada por causa da proibição contra operadores-monstros e indexicais monstruosos em língua natural. O segundo capítulo apresenta as refutações de Schlenker (1999, 2003, 2010) em relação à Kaplan (1989), principalmente no que diz respeito à proibição da existência de operadores-monstros e indexicais monstruosos. Apoiado em línguas como amárico e o inglês...