Página 1 dos resultados de 83 itens digitais encontrados em 0.000 segundos

Gene transfer approaches to study the role of adenosine A2A receptors in Machado-Joseph disease

Gonçalves, Nélio da Mota
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Tese de Doutorado
ENG
Relevância na Pesquisa
16.64%
A doença de Machado-Joseph (DMJ) é uma doença neurodegenerativa causada por uma repetição excessiva do trinucleótido CAG no gene MJD1/ATXN3 que se traduz numa expansão de uma repetição de glutaminas na proteína ataxina-3. Não existe actualmente nenhuma terapêutica que previna ou modifique a progressão da doença. No entanto, como a manipulação do sistema neuromodulador da adenosina, em particular do seu receptor A2A, se tem revelado eficaz no controlo e alívio da neurodegenerescência em diferentes patologias cerebrais, testámos agora a sua capacidade de controlar a neurodegenerescência associada à DMJ. Com este propósito, utilizámos diferentes modelos roedores animais de DMJ, nomeadamente o modelo baseado na introdução intra-cerebral de vectores lentivirais e num modelo transgénico, e averiguámos a eficiência do antagonismo dos receptores A2A, bem como da sua deleção genética e molecular nas modificações neuropatológicas e comportamentais associadas. A administração crónica de cafeína (por via oral) foi a estratégia escolhida dada a sua capacidade para antagonizar os receptores de adenosina, em particular os receptores A2A (Fredholm et al., 1999), de atravessar a barreira hematoencefálica e, graças ao seu perfil de segurança...

Neuroprotection mediated by P2 receptors of NMDA-dependent toxicity in hippocampal slices

Cardoso, Tiago
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
ENG
Relevância na Pesquisa
16.64%
Excitotoxicity is thought to be one of the main mechanism behind neuronal death under several pathological conditions, like ischemia, epilepsy, trauma and neurodegenerative diseases. It is characterized by the release of high levels of excitatory amino acids, namely glutamate, in the synapse, causing excessive activation of glutamatergic receptors. Among those, NMDA receptors have a prominent role in mediating excitotoxicity. ATP is an important signaling molecule in the central nervous system, and P2 receptors (ATP receptors) are highly expressed both in neurons and in glia. P2 receptors can be divided into ionotropic P2X receptors and metabotropic P2Y receptors. During pathological events in the brain, ATP reaches high extracellular levels, and this molecule is thought to have an important role in mediating the outcome for neurons during this events. ATP may also modulate the activation of astrocytes and microglia, which may be related to the fate of neurons. The hippocampus is a brain structure, highly sensitive to pathological events, composed of three main glutamatergic regions, Dentate Gyrus, Cornus Ammonis 1 (CA1) and Cornus Ammonis 3 (CA3). The aims of this work was to evaluate the P2 antagonist PPADS (20μM) as a neuroprotector against neurotoxicity...

Different levels of MT-I/II between patients with MTLE with or without seizure generalization: does hippocampal MT-I/II affects seizure spread, or does seizure spread promotes differential expression of MT-I/II?; Níveis diferentes de MT-I/II entre pacientes com MTLE com ou sem crise generalizada: os níveis hipocampais de MT-I/II afetam o alastramento das crises, ou o alastramento das crises promove expressão diferencial de MT-I/II?

Peixoto-Santos, José Eduardo; Galvis-Alonso, Orfa Yineth; Velasco, Tonicarlo R.; Kandratavicius, Ludmyla; Assirati Jr, João Alberto; Carlotti, Carlos Gilberto; Scandiuzzi, Renata Caldo; Serafini, Luciano Neder; Leite, João Pereira
Fonte: Liga Brasileira de Epilepsia (LBE) Publicador: Liga Brasileira de Epilepsia (LBE)
Tipo: Artigo de Revista Científica
ENG
Relevância na Pesquisa
16.64%
In the central nervous system, zinc is released along with glutamate during neurotransmission and, in excess, can promote neuronal death. Experimental studies have shown that metallothioneins I/II (MT-I/II), which chelate free zinc, can affect seizures and reduce neuronal death after status epilepticus. Our aim was to evaluate the expression of MT-I/II in the hippocampus of patients with temporal lobe epilepsy (TLE). Hippocampi from patients with pharmacoresistant mesial temporal lobe epilepsy (MTLE) were evaluated for expression of MT-I/II and for neuronal, astroglial, and microglial populations. Compared to control cases, MTLE group displayed widespread increase in MT-I/II expression, astrogliosis and reduced neuronal population. MT-I/II levels did not correlate with any clinical variables, but patients with secondary generalized seizures (SGS) had less MT-I/II than patients without SGS. In conclusion, MT-I/II expression was increased in hippocampi from MTLE patients and our data suggest that it may be associated with different seizure spread patterns.

Avaliação dos efeitos tóxicos do cianeto e do tiocianato no período perinatal. Estudo em ratos; Evaluation of toxic effects of cyanide and thiocyanate during perinatal period. Study in rats

Sousa, Altamir Benedito de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 02/06/2004 PT
Relevância na Pesquisa
17.25%
O objetivo do presente estudo foi o de determinar os efeitos da exposição prolongada ao KCN e ao KSCN em ratos, no período perinatal. Inicialmente, realizou-se o estudo toxicocinético do tiocianato em ratas, em três estados fisiológicos diferentes: fase estrogênica, gestacional e de lactação. Para tal, estes animais receberam, por via oral, na água de bebida ou gavage, a dose única de 3 mg/kg de KCN. Os resultados obtidos mostraram aumento significante nos níveis séricos, lácteos e no líquido amniótico, de tiocianato, após a administração do KCN. A partir destes dados, foram calculados os parâmetros toxicocinéticos. Na segunda etapa, foram utilizadas ratas, as quais foram divididas em 3 grupos controles e 18 experimentais, que receberam as diferentes doses de KCN (1; 3 e 30 mg/kg) ou KSCN (0,8; 2,4 e 24 mg/kg), na água de bebida, do 6º ao 20º dia de gestação e submetidas à eutanásia no 20º dia da gestação ou no 22º dia pós-parto; e do 1º ao 19º dia da lactação, e submetidas à eutanásia no 19º dia deste período. Ao final de cada experimento, os animais foram submetidos à eutanásia, no período apropriado, bem como os fetos e filhotes, coletando-se soro para análise dos níveis de tiocianato...

Análise comparativa entre as imagens convencionais de ressonância magnética do encéfalo e a espectroscopia de prótons na doença de Wilson; Comparative analysis between magnetic resonance imaging of the brain and proton spectroscopy in Wilson's disease

Lucato, Leandro Tavares
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 18/12/2003 PT
Relevância na Pesquisa
17.77%
A doença de Wilson (DW) é rara, de herança autossômica recessiva, com prevalência estimada de 1 em 30.000 nascidos vivos, causada por distúrbio no metabolismo do cobre, com sede no fígado e que causa acúmulo do metal primeiramente no hepatócito e secundariamente em outros tecidos (encéfalo, córnea, rins e outros). Os objetivos deste trabalho foram: comparar os achados da espectroscopia de prótons por ressonância magnética (ERM) dos pacientes com DW aos do grupo controle em três localizações (núcleos da base, substância branca frontal e córtex parieto-occipital); correlacionar o grau de acometimento neurológico (através de um escore) e a ERM nos núcleos da base (NB); e correlacionar as imagens convencionais de ressonância magnética (IRM), mensuradas também através de um escore, e a ERM nos NB. Avaliamos 34 pacientes com DW (idades: 13-43 anos) usando seqüências multiplanares ponderadas em T1, T2 (eco de spins e eco de spins rápido) e FLAIR; e a ERM nos três locais do cérebro, feita pela técnica STEAM (stimulated echo acquisition mode), com tempo de eco curto e volume de interesse único. O grupo controle (n= 37, idades: 12-43 anos) foi submetido basicamente ao mesmo protocolo. As ERMs foram pós-processadas e obtidas as relações: NAA/Cr...

Estudo das relações entre populações celulares, expressão de aquaporina-4 e sulfato de condroitina com o tempo de relaxamento e a taxa de transferência de magnetização no hipocampo de pacientes com epilepsia do lobo temporal farmacorresistente; Study of the associations between cellular populations, aquaporin 4 and chondroitin sulfate with T2 relaxation and magnetization transfer in the hippocampus of patients with drug-resistant temporal lobe epilepsy

Santos, José Eduardo Peixoto
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 30/09/2014 PT
Relevância na Pesquisa
27.25%
Racional: A epilepsia do lobo temporal está comumente associada à farmacorresistência e tem a esclerose hipocampal como achado neuropatológico em mais da metade dos casos. Histologicamente, a esclerose hipocampal está associada à perda neuronal diferencial e gliose, além de alterações nos níveis de moléculas associadas à homeostase da água tecidual, como a aquaporina 4 e a molécula de matriz sulfato de condroitina. Em imagens de ressonância nuclear magnética, a esclerose é caracterizada por redução de volume em sequências ponderadas em T1, aumento de sinal e tempo de relaxamento em sequências ponderadas em T2 e redução na transferência de magnetização. Justificativa e Objetivos: Uma vez que tanto o sinal T2 quando a transferência de magnetização são dependentes da água tecidual, nosso objetivo é avaliar, na formação hipocampal de pacientes com epilepsia do lobo temporal, as correlações entre populações celulares e moléculas ligadas à homeostase da água e as imagens ponderadas em T2 e transferência de magnetização. Visamos ainda definir, na formação hipocampal de indivíduos sem alterações neuropatológicas, o volume de cada um dos subcampos hipocampais. Metodologia: Pacientes com epilepsia do lobo temporal farmacorresistente (ELT...

Astrocytic and microglial response and histopathological changes in the brain of horses with experimental chronic Trypanosoma evansi infection

Lemos, Karen Regina; Marques, Luiz Carlos; Aquino, Lucia Padilha Cury Thomaz; Alessi, Antonio Carlos; Zacarias, Rosangela Zacarias
Fonte: Instituto de Medicina Tropical Publicador: Instituto de Medicina Tropical
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 243-249
ENG
Relevância na Pesquisa
17.25%
Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP); Processo FAPESP: 99/06927-0; Processo FAPESP: 99/06928-6; Este estudo objetivou caracterizar a participação astrocítica e microglial no sistema nervoso central (SNC) de eqüinos experimentalmente infectados com T. evansi. O grupo experimental foi formado por machos e fêmeas com vários graus de cruzamentos e idade variando entre quatro e sete anos. Os animais foram inoculados com 10(6) tripomastigotas de T. evansi, originalmente isolada de um cão infectado naturalmente. Todos os eqüinos inoculados foram observados até o aparecimento dos sintomas neurológicos, caracterizados por incoordenação motora dos membros pélvicos, o qual ocorreu entre 67 e 124 dias após a inoculação (DPI). Os animais do grupo controle não apresentaram sinais clínicos e foram observados até o 125º DPI. Para este propósito, foram utilizados os métodos histoquímicos (HE) e imunoistoquímicos do complexo avidina-biotina peroxidase (ABC). A lesão no sistema nervoso central (SNC) dos eqüinos infectados com T. evansi foi caracterizada como meningoencefalomielite não supurativa. A gravidade das lesões variou em diferentes segmentos do SNC, refletindo distribuição irregular das alterações vasculares. Infiltrado perivascular e meníngeo foi associado a gliose anisomórfica e microgliose reativa. A intensidade da resposta astrocítica no SNC dos equinos infectados com T. evansi caracteriza a importância da performance destas células nas tripanossomíases. A gliose observada nos animais deste experimento sugerem a habilidade destas células como mediadoras da resposta imune. T. evansi não foi identificado no parênquima do SNC.; This study aimed to characterize astrocytic and microglial response in the central nervous system (CNS) of equines experimentally infected with T. evansi. The experimental group comprised males and females with various degrees of crossbreeding...

Veneno e toxina da aranha Phoneutria nigriventer : ação no sistema nervoso central; Venon and toxin of Phoneutria nigriventer spider : action in the central nervous system

Catarina Raposo Dias Carneiro
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 31/08/2009 PT
Relevância na Pesquisa
17.25%
Venenos animais são fontes de substâncias neuroativas, algumas capazes de provocar paralisia e convulsão em mamíferos, com visível ação no sistema nervoso central (SNC). O veneno da aranha Phoneutria nigriventer (PNV) é composto por neurotoxinas que causam, experimentalmente, permeabilização da barreira hematoencefálica (BHE). A BHE é uma entidade tanto física, quanto molecular, composta pelos microvasos sanguíneos cerebrais, pelos pés astrocitários e pericitos adjacentes engajados no controle do tráfego de moléculas na interface sangue-cérebro. A BHE, embora imprescindível à manutenção da homeostase no SNC, pode representar um obstáculo ao acesso de drogas terapêuticas ao microambiente neural. Nossa proposta foi investigar a ação sistêmica do PNV após 15 min, 2 e 5 h da injeção i.v. em ratos Wistar adultos através de: (1) alterações na expressão das proteínas juncionais, de efluxo e transportador de glicose da BHE; (2) alterações na expressão da proteína conexina-43 (constituinte das junções comunicantes) e da proteína fosfatase pPP2A, uma vez que a fosforilação de resíduos de tirosina das proteínas juncionais tem papel no controle da integridade paracelular; (3) ativação de vias neuronais e sua modulação pelo óxido nítrico (NO). (4) Reação inflamatória e gliose reativa de astrócitos in vivo e in vitro e sua possível modulação pelo NO...

Identificação de padrões de resposta das células de Müller na retinopatia degenerativa em murganho

Catita, Joana Araújo Nobre
Fonte: Universidade Técnica de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária Publicador: Universidade Técnica de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 15/09/2012 POR
Relevância na Pesquisa
27.25%
Dissertação de Mestrado Integrado em Medicina Veterinária; Este trabalho teve como objectivo caracterizar as alterações retinianas observadas num modelo murino de retinopatia com degenerescência dos fotorreceptores, de forma a poder estabelecer padrões de resposta nas diferentes fases de evolução do processo degenerativo-inflamatório. Material e Métodos: Neste estudo foram utilizadas retinas de murganhos ICR adultos. Foram constituídos grupos de 4 animais. Os murganhos foram injetados intraperitonealmente com uma dose de 100 mg/Kg de iodato de sódio e eutanasiados 24, 48 e 72 horas após a injeção. Um animal não injetado serviu como controlo em cada grupo. As retinas foram analisadas por meio de técnicas de histologia de rotina, imunohistoquímica, Western Blotting e q-RT-PCR. Resultados: A gliose reativa ocorre em resposta a estímulos agressivos. Nos processos de retinopatia, a ativação das células de Müller induz a sobre-expressão da proteína glial fibrilhar acídica (GFAP). As técnicas de imunohistoquímica, Western Blotting e q-RT-PCR utilizadas permitiram caracterizar, no modelo em estudo, níveis de expressão de GFAP específicos de cada uma das fases pré-definidas da resposta inflamatória. Conclusões: No modelo estudado de retinopatia induzida pela injeção de iodato de sódio...

RMq do status lacunar cerebral : a aplicação prática de dois gradientes de difusão (b0 e b1000) e sua importância na semiologia

Bral, Tiago Manuel Barja
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /06/2011 POR
Relevância na Pesquisa
17.25%
Objectivos : Demonstrar pela ressonância magnética, com técnicas de difusão, que os parâmetros nela presentes, de carácter quantitativo, são úteis para relacionar o status lacunar basal com a suposta gliose subcortical frontal e subsequente risco cognitivo. Materiais e métodos - O estudo, de carácter retrospectivo, abordou um total de 46 casos com idades compreendidas entre 28 e 82 anos, não sendo considerado o sexo. Foram divididos por 3 grupos, consoante a idade e informação clínica fundamentada pela RM convencional: 21 com menos de 60 anos (RM convencional normal e considerado como grupo de controlo); 10 com mais de 60 anos (RM convencional normal); 15 com status lacunar basal (comprovado por RM convencional). Excluiram-se em todos - casos de neoplasma, de infecção intra-craniana, de lesões traumáticas e de desmielinização. Os dados foram recolhidos e fornecidos pelo Centro De Radiologia de Tomar entre Maio de 2009 e Junho de 2010. Foram estudadas áreas cerebrais específicas, nomeadamente, a substância branca do lobo frontal, centros semi-ovais, esplénio caloso e tálamos, tentando encontrar-se uma relação entre o status lacunar basal com a probabilidade de gliose subcortical frontal, através do uso do programa Excel e SPSS...

Rinoliquorréia e hidrocefalia por gliose do aqueduto cerebral

Pereira,Walter C.; Lima Neto,A. Xavier de; Tenuto,Rolando A.
Fonte: Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO Publicador: Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/1967 PT
Relevância na Pesquisa
27.25%
É relatado um caso de hidrocefalia tardia, determinada por gliose do aqueduto cerebral, complicada com rinoliquorréia. A fístula do líquido cefalorraqueano se estabeleceu em conseqüência da erosão da sela turca pelo assoalho do 3.° ventriculo hipertenso e dilatado, determinando comunicação entre a cavidade ventricular e o seio esfenoidal. O paciente foi operado, tendo a fístula sido ocluída satisfatoriamente; previamente foi feita derivação ventrículo-peritoneal para evitar recidiva da hipertensão do sistema ventricular.

Panencefalite subaguda esclerosante: transmissão de agente encefalitogênico humano ao macaco rhesus

Alencar,Alexandre; Monteiro,Estácio
Fonte: Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO Publicador: Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/1971 PT
Relevância na Pesquisa
17.91%
Material proveniente do cérebro de um paciente com "panencefalite subaguda esclerosante" foi inoculado, por via intracerebral, em dois Macacus rhesus. Os animais permaneceram assintomáticos, aparentemente bem, por mais de um ano. Entretanto, 21 e 22 meses após as inoculações começaram a apresentar sinais de comprometimento neurológico, traduzido por paralisia dos membros posteriores, com apatia e caquexia progressivas. Os animais foram sacrificados. O exame histopatológico do sistema nervoso central mostrou gliose marginal e gliose da substância branca, com os neurônios exibindo sinais de "lesão celular crônica". Foram vistos discretos manguitos inflamatórios perivasculares. Em um animal foi encontrada inclusão acidófila intra- nuclear. Havia também proliferação da glia satélite perineuronal, com satelitose, notadamente no tronco cerebral. No exame das vísceras foi encontrado discreto processo de miocardite crônica. Foram retirados fragmentos dos encéfalos destes animais e inoculados em 4 outros, também por via intracerebral. Estes animais de 2.ª passagem após 2 meses de inoculação, em média, apresentaram sinais de comprometimento do sistema nervoso central semelhante ao dos animais doadores, de 1ª passagem. Houve...

Análise morfométrica e imuno-histoquímica da gliose reativa na doença de Alzheimer

Papaléo Rocha de Lima, Melissa; Teles de Pontes Filho, Nicodemos (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
38%
A doença de Alzheimer é uma doença crônica degenerativa, considerada como a forma mais comum de demência na senilidade. Sua histopatologia é bem definida, com marcas características que incluem a presença de placas senis, novelos neurofibrilares, perda neuronal e gliose reativa em regiões específicas do cérebro, como o hipocampo. A gliose é um evento que ocorre no sistema nervoso central em conseqüência a qualquer dano tecidual, e pode ser definida como um crescimento anormal, por hiperplasia e/ou hipertrofia, de astrócitos, microglia, e, talvez numa extensão qualitativamente diferente, oligodendrócitos. Para um melhor entendimento do mecanismo da gliose reativa, realizou-se uma análise imuno-histoquímica no hipocampo, utilizando o marcador de proliferação celular Ki-67, e investigou-se a quantidade proporcional de neurônios e células gliais na mesma área em 16 necropsias de pacientes com a doença de Alzheimer e 5 controles sem demência. Não foi encontrada nenhuma célula Ki-67-positiva no hipocampo do cérebro com doença de Alzheimer. Um decréscimo no número de neurônios e oligodendrócitos e um aumento no número de astrócitos e microglia foram observados no hipocampo com a doença...

Gliose em retina de ratos intoxicados com metilmercúrio e a ação quimioprotetora do óleo de peixe

Aikawa, Júlia
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
37.91%
Resumo: O mercúrio é um poluente ambiental neurotóxico. Atualmente não é conhecido o sítio inicial das lesões do sistema nervoso central (SNC) nem tão pouco as bases moleculares das lesões. Em SNC de mamíferos, os astrócitos são sítio de acumulação preferencial do metilmercúrio (MeHg). Após exposição crônica, o mercúrio se acumula em diversas estruturas oculares, particularmente na retina. Os efeitos do mercúrio na retina têm sido estudados, mas as bases moleculares das alterações observadas são pobremente conhecidas. O presente trabalho objetivou estabelecer um modelo de lesão de retinas de ratos por intoxicação de cloreto de metilmercúrio (CH3HgCl) e investigar os mecanismos celulares subjacentes ao processo de lesão ocular provocado pela intoxicação. Além disso, determinou o efeito da suplementação com óleo de peixe como possível neuroprotetor no processo de lesão supracitado. Para isso, ratos Wistar foram suplementados com óleo de peixe (ácido graxo poliinsaturado rico em n-3), na dose de 1 g/kg p.c., desde o desmame (21 dias) até a fase adulta. Ao completarem 70 dias, estes ratos receberam injeção de CH3HgCl, na dose única de 2500 ?g/kg de p.c., via administração intraperitoneal. Os efeitos da suplementação com óleo de peixe foram avaliados sobre a expressão de p ERK ½ e GFAP (marcadores de gliose) de retina dos animais intoxicados...

Elektrophysiologische Toxizitätsuntersuchungen von schweren Farbstoffen für die vitreoretinale Chirurgie am Modell der isolierten und umströmten Vertebratennetzhaut

Müller, Sebastian Michael
Fonte: Universität Tübingen Publicador: Universität Tübingen
Tipo: Dissertação
DE
Relevância na Pesquisa
27.25%
Pathologien im Bereich der vitreretinalen Grenzschicht können insbesondere bei Beteiligung der Makula zu erheblicher Visusminderung führen. Ursächlich für die Ausbildung eines Makulaforamens oder einer epiretinalen Gliose sind semitransparente Membranen, die häufig nur eine Dicke von wenigen Mikrometern aufweisen. Die Entfernung dieser Strukturen („Peeling“) stellt daher eine chirurgische Herausforderung dar. Hilfreich sind Farbstoffe zur selektiven Kontrastierung, um eine restlose Entfernung zu gewährleisten und iatrogene Schäden an der sensiblen neurosensorischen Retina zu vermeiden. Bei Indocyaningrün, das zuvor bereits bei Angiographien verwendet worden war und als sicher galt, führte eine epiretinale Anwendung unter anderem zum Auftreten von Gesichtsfelddefekten. Vor der klinischen Anwendung neuer Farbstoffe sollte daher eine sorgfältige Prüfung der retinalen Biokompatibilität erfolgen. In dieser Arbeit wurden Farbstoffe bzw. Farbstoffgemische auf retinale Toxizität getestet, die sich durch ihre Fähigkeit auszeichnen, in der intraokularen Spülflüssigkeit auf die Netzhaut abzusinken. Dies führt zu einer besseren Anfärbung der Zielstrukturen und Umgehung des ansonsten notwendigen Flüssigkeits-Gas-Austauschs. Über die Ableitung eines Elektroretinogramms (ERG) vor und nach Exposition mit der jeweiligen Testsubstanz konnten Rückschlüsse auf die Biokompatibilität gezogen werden. Hierfür wurde das Modell der isolierten und perfundierten Netzhaut verwendet...

Efeito da inibição da enzima JAK2 sobre a morte neuronal, astrogliose e neurogênese no estriado de camundongos adultos após injeção unilateral de ácido quinolínico; Effect of JAK2 enzyme inhibition on neuronal death, astrogliosis and neurogenesis in the striatum of adult mice after unilateral injection of quinolinic acid

Raffaela Silvestre Ignarro
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 22/06/2011 PT
Relevância na Pesquisa
18%
A injeção de ácido quinolínico (AQ), um agonista glutamatérgico do receptor N-metil-D-aspartato, no estriado de roedores induz morte seletiva de neurônios espinhosos médios, gliose reativa e neurogênese na zona subventricular, acompanhada da migração dos neurônios recém-gerados para o estriado lesado. Tais achados são também descritos na doença de Huntington (DH). Há indícios de que a via de sinalização JAK/STAT esteja envolvida no mecanismo de ação do AQ, bem como na patogênese da DH. A interação das citocinas da família da IL-6 com seus receptores desencadeia a ativação de enzimas da família das Janus-Quinases (JAKs), que por sua vez permitem o recrutamento e a ativação de fatores de transcrição da família das proteínas transdutoras de sinais e ativadoras da transcrição (STATs). Embora as principais características da DH sejam a presença da coréia e déficits na execução de movimentos voluntários, poucos testes são realizados abordando o comportamento locomotor dos animais no modelo de lesão por AQ. Neste trabalho, estudamos o efeito do AG490, um inibidor da JAK2, na gliose, perda neuronal e neurogênese no estriado de camundongos adultos C57BL/6J após a administração estereotáxica unilateral de AQ (30nmol). Imediatamente após a lesão...

Influencia do MHC classico (Ia) e não-classico (Ib) e da oxido nitrico sintase induzivel (iNOS) na reação glial e na plasticidade das sinapses apos axotomia periferica; Influence of a classical (Ia) and non-classical (Ib) MHC I and inducible nitric oxide synthase (iNOS) on glial reaction and synaptic plasticity after peripheral axotomy

Amanda Emirandetti
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 10/12/2009 PT
Relevância na Pesquisa
27.57%
Após uma lesão de um nervo periférico, astrócitos e microglia tornam-se reativos, desencadeando a chamada gliose reativa. Adicionalmente, uma porcentagem significativa dos botões sinápticos em íntima relação com os motoneurônios é eliminada, sendo este mecanismo associado à ação de fagocitose das células gliais. Recentemente, a expressão de MHC I (complexo de histocompatibilidade principal classe I) tem sido relacionada com a plasticidade das sinapses e com o processo de regeneração axonal subseqüente à transecção do nervo isquiático, sendo a manipulação da expressão dessa molécula um possível alvo terapêutico. Por sua vez, a óxido nítrico sintase induzível (iNOS), parece estar envolvida com eventos pró- e anti-apoptóticos e com processos de plasticidade das sinapses após lesão do nervo periférico. Embora alguns trabalhos tenham sugerido a participação do MHC classe I nos processos de plasticidade sináptica após a lesão do Sistema Nervoso (SN), as suas funções bem como os mecanismos moleculares que estão envolvidos nesses processos permanecem obscuros. Portanto, os objetivos principais deste trabalho foram identificar a importância relativa de distintas moléculas de MHC classe I clássico (Ia) e não clássico (Ib) na reatividade astroglial e microglial após a axotomia periférica...

RMq do status lacunar cerebral : a aplicação prática de dois gradientes de difusão (b0 e b1000) e sua importância na semiologia

Bral, Tiago Manuel Barja
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /06/2011 POR
Relevância na Pesquisa
17.25%
Objectivos : Demonstrar pela ressonância magnética, com técnicas de difusão, que os parâmetros nela presentes, de carácter quantitativo, são úteis para relacionar o status lacunar basal com a suposta gliose subcortical frontal e subsequente risco cognitivo. Materiais e métodos - O estudo, de carácter retrospectivo, abordou um total de 46 casos com idades compreendidas entre 28 e 82 anos, não sendo considerado o sexo. Foram divididos por 3 grupos, consoante a idade e informação clínica fundamentada pela RM convencional: 21 com menos de 60 anos (RM convencional normal e considerado como grupo de controlo); 10 com mais de 60 anos (RM convencional normal); 15 com status lacunar basal (comprovado por RM convencional). Excluiram-se em todos - casos de neoplasma, de infecção intra-craniana, de lesões traumáticas e de desmielinização. Os dados foram recolhidos e fornecidos pelo Centro De Radiologia de Tomar entre Maio de 2009 e Junho de 2010. Foram estudadas áreas cerebrais específicas, nomeadamente, a substância branca do lobo frontal, centros semi-ovais, esplénio caloso e tálamos, tentando encontrar-se uma relação entre o status lacunar basal com a probabilidade de gliose subcortical frontal, através do uso do programa Excel e SPSS...

Analises visual e volumetrica por ressonancia magnetica da atrofia das formações hipocampais em um grupo de pacientes com diagnostico clinico presumido de epilepsia do lobo temporal

Rogacheski, Enio
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Dissertação Formato: 100f. : il., tabs. ; 29cm.; application/pdf
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
17.25%
Orientador: Dirceu Rodrigues; Dissertação (mestrado) - Universidade Federal do Parana, Setor de Ciencias da Saude; Resumo: Epilepsia do lobo temporal (ELT) e o diagnostico mais comum nos 20-25% dos portadores de epilepsia que tem crises resistentes ao tratamento clinico. A crise mais frequente e a parcial complexa, com sinais clínicos e eletrográficos de origem no lobo temporal. Um subgrupo de pacientes tem a síndrome da ELT mesial, com crises originadas na formação hipocampal, amigdala e tecidos vizinhos. O achado mais frequente de ELT mesial e a chamada esclerose mesial temporal: histologicamente, existe perda neuronal e gliose, preferencialmente, no setor CA1 e, em menor grau, no CA4, do hipocampo. A ressonância magnética (RM) e sensível para a avaliação das estruturas mesiais em candidatos a lobectomia temporal para tratamento de epilepsias resistentes. Redução de volume na RM corresponde a atrofia histologica: perda da estrutura interna e variações de intensidade de sinal correspondem a gliose. A analise visual, executada em cortes realizados segundo princípios específicos, demonstra assimetrias e é consagrada na literatura especializada. Alguns grupos enfatizam que a analise objetiva volumétrica das formações hipocampais seria uma medida mais sensível que a analise subjetiva e qualitativa. A proposta central deste estudo e testar a confiabilidade da analise volumétrica...

Resposta astrocítica e microglial e alterações histopatológicas no sistema nervoso central de eqüinos infectados cronicamente com Trypanosoma evansi; Astrocytic and microglial response and histopathological changes in the brain of horses with experimental chronic Trypanosoma evansi infection

Lemos, Karen Regina; Marques, Luiz Carlos; Aquino, Lucia Padilha Cury Thomaz; Alessi, Antonio Carlos; Zacarias, Rosangela Zacarias
Fonte: Universidade de São Paulo. Instituto de Medicina Tropical de São Paulo Publicador: Universidade de São Paulo. Instituto de Medicina Tropical de São Paulo
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/08/2008 ENG
Relevância na Pesquisa
17.25%
Este estudo objetivou caracterizar a participação astrocítica e microglial no sistema nervoso central (SNC) de eqüinos experimentalmente infectados com T. evansi. O grupo experimental foi formado por machos e fêmeas com vários graus de cruzamentos e idade variando entre quatro e sete anos. Os animais foram inoculados com 10(6) tripomastigotas de T. evansi, originalmente isolada de um cão infectado naturalmente. Todos os eqüinos inoculados foram observados até o aparecimento dos sintomas neurológicos, caracterizados por incoordenação motora dos membros pélvicos, o qual ocorreu entre 67 e 124 dias após a inoculação (DPI). Os animais do grupo controle não apresentaram sinais clínicos e foram observados até o 125º DPI. Para este propósito, foram utilizados os métodos histoquímicos (HE) e imunoistoquímicos do complexo avidina-biotina peroxidase (ABC). A lesão no sistema nervoso central (SNC) dos eqüinos infectados com T. evansi foi caracterizada como meningoencefalomielite não supurativa. A gravidade das lesões variou em diferentes segmentos do SNC, refletindo distribuição irregular das alterações vasculares. Infiltrado perivascular e meníngeo foi associado a gliose anisomórfica e microgliose reativa. A intensidade da resposta astrocítica no SNC dos equinos infectados com T. evansi caracteriza a importância da performance destas células nas tripanossomíases. A gliose observada nos animais deste experimento sugerem a habilidade destas células como mediadoras da resposta imune. T. evansi não foi identificado no parênquima do SNC.; This study aimed to characterize astrocytic and microglial response in the central nervous system (CNS) of equines experimentally infected with T. evansi. The experimental group comprised males and females with various degrees of crossbreeding...