Página 1 dos resultados de 72 itens digitais encontrados em 0.028 segundos

Gest??o integrada em biosseguran??a: um programa para o Centro de Pesquisas Ren?? Rachou

Queiroz, Rog??rio de Oliveira
Fonte: Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Dissertação
PT_BR
Relevância na Pesquisa
66.29%
Este trabalho apresenta um programa que sistematiza as a????es de biosseguran??a no Centro de Pesquisas Ren?? Rachou, uma unidade da Funda????o Oswaldo Cruz, e que se estrutura nas ??reas de educa????o, comunica????o, ambiente e sa??de do trabalhador. Discute a associa????o da Biosseguran??a com a Sa??de do Trabalhador e com a quest??o ambiental, enquanto campo de conhecimentos e pr??ticas que se constr??i com um car??ter multidisciplinar e transversal, numa perspectiva da complexidade, e a necessidade de buscar uma integra????o pr??tica entre estas tr??s ??reas. Enfoca as atividades de gest??o enquanto um sistema complexo e salienta a necessidade de desenvolver uma din??mica baseada na intera????o, na intersetorialidade, e na complementaridade. Apresenta as tend??ncias atuais de desenvolvimento de sistemas de gest??o integrada para Qualidade, Sa??de e Seguran??a do Trabalho e Ambiente, e racionaliza sobre a necessidade de incluir a gest??o da Biosseguran??a nesta integra????o. Prop??e, dentro da perspectiva apresentada, e como forma de viabilizar o Programa de Biosseguran??a, o desenvolvimento de um sistema que permita a integra????o da gest??o da Biosseguran??a, Qualidade, Sa??de do Trabalhador, e Ambiente.

Gest??o integrada de bacias hidrogr??ficas e zonas costeiras no Brasil: implica????es para a regi??o hidrogr??fica Amaz??nica

Nicolodi, Jo??o Luis; Zamboni, Ademilson; Barroso, Gilberto Fonseca
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande Publicador: Universidade Federal do Rio Grande
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
76.38%
As bacias hidrogr??ficas exorr??icas est??o conectadas ?? zona costeira por fluxos hidrol??gicos como ??gua, sedimento, mat??ria org??nica e inorg??nica, e esp??cies biol??gicas que, em parte, condicionam a din??mica do ambiente marinho adjacente. Diversas atividades humanas desestabilizam a integridade dos ecossistemas costeiros e colocam em risco a provis??o dos bens e servi??os proporcionados por estes sistemas. A necessidade de abordagens integradas de gest??o do cont??nuo fl??viomarinho tem sido reconhecida em diversos f??runs e programas internacionais de conserva????o e de desenvolvimento sustent??vel. No Brasil, a C??mara T??cnica de Integra????o da Gest??o de Bacias Hidrogr??ficas e dos Sistemas Estuarinos e Zona Costeira ??? CTCOST do Conselho Nacional de Recursos H??dricos ??? CNRH tem fomentado a integra????o dos instrumentos de gest??o destas duas pol??ticas. A premissa b??sica ?? considerar o gradiente fl??vio-marinho como interconex??o entre o continente e o oceano, com o sistema estuarino funcionado como unidade de interface da gest??o integrada. O maior desafio para gest??o integrada ?? delimitar o sistema estuarino que apresenta limites difusos quanto aos gradientes de salinidade e par??metros correlacionados. Os problemas de delimita????o do sistema estuarino parecem ser intang??veis para sistemas de drenagem de grande porte. No entanto...

Geografia dos sistemas costeiros e oceonogr??ficos: subs??dios para gest??o integrada da zona costeira

Gruber, Nelson Luiz Sambaqui; Barboza, Eduardo Guimar??es; Nicolodi, Jo??o Luiz
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande Publicador: Universidade Federal do Rio Grande
Tipo: Artigo de Revista Científica
ENG
Relevância na Pesquisa
96.29%
A zona costeira (??rea de interface entre o ar, a terra e o mar) ?? uma das ??reas sob maior estresse ambiental a n??vel mundial, estando submetida a forte press??o por intensas e diversidades formas de uso do solo. Regi??o de contrastes constitui-se num desafio para o exerc??cio de diferentes estrat??gias de gest??o ambiental. Estima-se que neste s??culo, 80 % das atividades humanas ser??o concentradas nesta zona. Este trabalho apresenta um panorama sobre a costa brasileira do Rio Grande do Sul, sob a nova ??tica mundial na conceitua????o de ZONA COSTEIRA, discutindo seus crit??rios de delimita????o, impactos e potencialidades. S??o abordados aspectos envolvendo os sistemas costeiros e marinhos do ponto de vista do meio f??sico, das quest??es de ordem cientificas, pol??tica, jur??dica e da utiliza????o tur??stica e s??cio- econ??mica, bem como das tend??ncias mundiais de gest??o e gerenciamento integrado na zona costeira. Discutem-se os papeis dos organismos intergovernamentais, dos pa??ses costeiros, das organiza????es n??o governamentais e mesmo das institui????es de investimento quanto a uma mudan??a na forma de ocupa????o na Zona Costeira. Neste sentido avaliam-se os comit??s, projetos e propostas conjuntas entre pa??ses (em n??vel regional)...

Constru????o de pol??ticas para a gest??o dos res??duos em uma institui????o de ensino superior na perspectiva da educa????o ambiental.

Corr??a, Luciara Bilhalva
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande Publicador: Universidade Federal do Rio Grande
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
76.35%
Tese (doutorado)-Universidade Federal do Rio Grande, Programa de P??s-Gradua????o em Educa????o Ambiental, Instituto de Educa????o, 2009.; Os res??duos resultantes das diferentes atividades existentes nas institui????es de ensino superior ??? IES quando gerenciados de maneira inadequada, causam riscos ?? sa??de e degrada????o ao ambiente. Nesse sentido, torna-se necess??rio e urgente a constru????o de pol??ticas de gest??o integrada dos res??duos nesses ??mbitos, o que requer a vincula????o a um processo educativo na perspectiva da educa????o ambiental, de forma a potencializar envolvimento e a participa????o da comunidade universit??ria na constru????o da sustentabilidade. Com o objetivo de construir pol??ticas para a gest??o dos res??duos em uma Institui????o Federal de Ensino Superior - IFES, a partir de sua implementa????o no Hospital de Cl??nicas Veterin??ria - HCV na perspectiva da educa????o ambiental e do pensamento complexo foi realizado um estudo de cunho qualitativo, aproximando-se da modalidade pesquisa-a????o. A partir da an??lise tem??tica dos dados coletados das reuni??es com grupos focais ??? Grupo Desencadeador, composto por 28 sujeitos de diferentes setores da institui????o e Grupo Construtor, composto por 36 sujeitos pertencentes ao HCV; da an??lise documental acerca do Estatuto...

Gest??o de Res??duos S??lidos: Percep????o Ambiental de Universit??rios em uma Institui????o de Ensino Superior Brasileira

Rocha, Cacilda Michele Cardoso; Moura Junior, Alfredo Matos; Magalh??es, Karine Matos
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande Publicador: Universidade Federal do Rio Grande
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
86.38%
O objetivo do estudo foi verificar a percep????o ambiental de universit??rios de uma universidade federal destacando aspectos relativos ?? gest??o integrada de res??duos s??lidos, pr??ticas pr??-ambiental e principais problemas associados ?? sua falta em ambientes urbanos. Utilizou-se metodologia survey onde 135 acad??micos de tr??s cursos ligados ??s ??reas de educa????o e ci??ncias da sa??de e ambiental participaram atrav??s de question??rios semi-estruturados auto aplicados. Constatou-se que existem diferentes percep????es dos acad??micos sobra ?? gest??o de res??duos s??lidos no ambiente urbano. Por meio dos percentuais obtidos para os aspectos relativos ?? gest??o os acad??micos responderam ocorrer forma de coleta comum com 80%; 37% afirmou que n??o sabe o destino final dos res??duos, por??m 75,5% responsabilizou o indiv??duo pela gera????o dos mesmos. Observou-se que todos os estudantes praticam pelo menos uma das sete boas pr??ticas pr??-ambiental destacando o uso de papeis para rascunho e evitar uso de descart??veis com 60% e 66% respectivamente. O consumo n??o foi apontado como um problema, mas a educa????o foi apontada como capaz de influenciar as pessoas na mudan??a comportamental. A percep????o dos reais problemas associados ?? falta de gest??o integrada dos res??duos s??lidos e suas consequ??ncias ambientais observadas...

Marcos jur??dicos da gest??o integrada das bacias hidrogr??ficas e da zona costeira a partir da Constitui????o Federal de 1988

Silva, Helen Neves da
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande Publicador: Universidade Federal do Rio Grande
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
96.5%
Disserta????o(mestrado) - Universidade Federal do Rio Grande, Programa de P??s-Gradua????o em Gerenciamento Costeiro, Instituto de Oceanografia, 2012.; O equil??brio ecol??gico ?? reconhecido pela Constitui????o Federal como elemento indispens??vel para a manuten????o das caracter??sticas dos ecossistemas, para a qualidade de vida e para o desenvolvimento sustent??vel. Logo, a defesa do meio ambiente exige estrat??gias multitem??ticas, que considerem e incorporem a unicidade do meio ambiente. Neste contexto, est?? inserida a gest??o integrada da zona costeira e das bacias hidrogr??ficas, que leva em considera????o, al??m das intera????es ecol??gicas, as intera????es sociais e econ??micas de ambos os ecossistemas. No entanto, a gest??o de bacias hidrogr??ficas que cont??m trechos de zona costeira est?? focada apenas na conserva????o dos recursos h??dricos, operando de modo dissociado da gest??o costeira, que visa o gerenciamento de m??ltiplos recursos por meio do planejamento e ordenamento do uso do solo e das ??guas dentro da costa. A concentra????o demogr??fica na regi??o costeira do Brasil e as atividades nela desenvolvidas causam intensa press??o antr??pica sobre as bacias hidrogr??ficas, assim como as atividades realizadas no ??mbito das bacias impactam direta ou indiretamente a zona costeira...

An??lise dos planos de manejo de dunas no contexto do gerenciamento costeiro integrado

Chiaffitelli, Rossana
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande Publicador: Universidade Federal do Rio Grande
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
66.33%
Disserta????o(mestrado) - Universidade Federal do Rio Grande, Programa de P??s-Gradua????o em Gerenciamento Costeiro, Instituto de Oceanografia, 2012.; Este trabalho trata de inserir os Planos de Manejo de Dunas no contexto do Gerenciamento Costeiro Integrado, buscando dessa forma integr??-los nas pol??ticas p??blicas dos munic??pios analisados, utilizando as ferramentas das quais o Plano Nacional de Gerenciamento Costeiro (PNGC) disp??e, que v??o desde as articula????es pol??ticas que s??o a base para a Gest??o at?? o uso das geotecnologias no manuseio dos dados. Diante do exposto a id??ia ?? utilizar os Planos de Manejo de Dunas como um instrumento base para a elabora????o dos Planos de Gest??o Integrada da Zona Costeira. O trabalho demonstrou que o uso de da ferramenta de Sistema de Informa????o Geogr??fica foi de grande utilidade tanto na fase de elabora????o dos Planos como na apresenta????o destes em audi??ncias p??blicas. Al??m desse resultado ficou claro que para que a gest??o integrada desse trecho da zona costeira depende n??o s?? de vontade pol??tica ou de alguma demanda da sociedade, mas sim de uma melhor articula????o e integra????o entre as pol??ticas p??blicas e os ??rg??os gestores municipais, estaduais e federais; This study is entering the Dune Management Plans in the context of Integrated Coastal Management...

Gest?o integrada de recursos h?dricos - o caso da bacia hidrogr?fica do Rio Doce

Domingues, Lilian M?rcia
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia Ambiental. PRO?GUA, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia Ambiental. PRO?GUA, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
PT_BR
Relevância na Pesquisa
106.41%
O desenvolvimento econ?mico e a ampla utiliza??o da ?gua como parte imprescind?vel dos processos produtivos acarretaram na degrada??o acelerada dos mananciais e escassez em muitas regi?es no mundo, raz?o pela qual o tema ?Gest?o Integrada de Recursos H?dricos (GIRH)? tem ganhado mais for?a e import?ncia nos ?ltimos anos. No Brasil, na bacia do rio Doce ? bacia de dom?nio da Uni?o, com cerca de 86% de sua ?rea pertencente ao Estado de Minas Gerais e 14% ao Esp?rito Santo, o processo de GIRH vem sendo implementado. A partir da necessidade comum destes Estados e da Uni?o em preparar seus Planos de Recursos H?dricos, foram reunidos esfor?os com outros atores sociais da bacia para a elabora??o do Plano Integrado de Recursos H?dricos ? PIRH - e dos Planos de A??es para as bacias afluentes ? PARHs, culminando na celebra??o de um Conv?nio de Integra??o - ?Pacto das ?guas? - para uma gest?o compartilhada. A avalia??o do processo de integra??o na gest?o dos recursos h?dricos desta importante bacia hidrogr?fica brasileira baseou-se nas treze fundamentais ?reas de mudan?a em GIRH e sua caixa de ferramentas, defendidas pela Parceria Mundial da ?gua (GWP) como um importante caminho para a gest?o mais coordenada dos recursos h?dricos. O PIRH-Doce...

Gest?o ambiental p?blica na Amaz?nia brasileira: uma an?lise de gest?o ambiental integrada no estado do Par?

SOUZA, Narda Margareth Carvalho Gomes de
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
66.42%
O estudo ora apresentado analisa a gest?o ambiental p?blica na Amaz?nia brasileira, a partir dos resultados gerados pelo Projeto de Gest?o Ambiental Integrada, pertencente ao Programa Piloto para a Prote??o das Florestas Tropicais do Brasil. Aplicado nos Estados amaz?nicos, esse projeto experimental objetivou fomentar a cria??o de um modelo de gest?o ambiental na regi?o, priorizando o fortalecimento da capacidade institucional das Secretarias de Meio Ambiente, em seus aspectos t?cnicos, log?sticos e gerenciais, com a??es de capacita??o t?cnica, estrutura??o da log?stica e planejamento participativo. A investiga??o cient?fica desta Tese adotou os preceitos do m?todo qualitativo pela via da estrat?gia indutiva com hip?teses, tendo como campo de estudo os munic?pios de Santar?m e Paragominas, no estado do Par?, no per?odo compreendido entre os anos de 2008 a 2012. Os dados foram coletados mediante pesquisas bibliogr?fica, documental e de campo, realizando entrevistas semi-estruturadas com vinte informantes-chave, para melhor compreender o Projeto, organizar as informa??es coletadas e avaliar os resultados, a partir de uma estrutura metodol?gica pr?pria baseada na teoria de sistemas, teoria que tamb?m fundamenta esta Tese. Um dos resultados deste estudo foi o fato de que o PGAI contribuiu para que os munic?pios pudessem compor seu sistema de gest?o ambiental...

O censo Suas como processo de aprimoramento e institucionaliza????o da pol??tica de assist??ncia social no Brasil

Brasil. Minist??rio do Desenvolvimento Social e Combate ?? Fome (MDS). Secretaria de Avalia????o e Gest??o da Informa????o
Fonte: Escola Nacional de Administra????o P??blica (ENAP) Publicador: Escola Nacional de Administra????o P??blica (ENAP)
Tipo: Relato de Experi??ncia
IDIOMA::PORTUGU??S:PORTUGU??S:PT
Relevância na Pesquisa
76.2%
O Censo Suas ?? um processo de monitoramento que coleta dados por meio de um formul??rio eletr??nico preenchido pelas secretarias e conselhos de Assist??ncia Social. ?? realizado anualmente desde 2007, por meio de uma a????o integrada entre a Secretaria de Assist??ncia Social e a Secretaria de Avalia????o e Gest??o da Informa????o. Esse processo alcan??ou sua maturidade com a incorpora????o de novos question??rios para a coleta de informa????es sobre ??rg??os gestores, Conselhos e entidades privadas de Assist??ncia Social. Em 2010, 99,2% dos munic??pios preencheram 28.519 question??rios. Assim, a Assist??ncia Social aprimorou seu processo de tomada de decis??o, expandindo a rede e a cobertura dos servi??os. Com os indicadores e as metas de desenvolvimento dos Centros de Refer??ncia de Assist??ncia Social (Cras), apurados com base no Censo, foram retroalimentados a????es e projetos de assist??ncia social, institu??dos processos gradativos de adequa????o dos servi??os ??s normas e constitu??dos processos de planejamento para melhoria da gest??o e do controle social do Sistema ??nico de Assist??ncia Social (Suas); N??mero de p??ginas: 10 p.; Pol??ticas Setoriais. Pol??ticas Intersetoriais; Inova????o; Iniciativa premiada no 16?? Concurso Inova????o na Gest??o P??blica Federal sob responsabilidade de Paulo de Martino Jannuzzi...

A integra????o do Programa Bolsa Fam??lia e da Assist??ncia Social: um olhar sobre a gest??o municipal do Programa

Arsky, Daniela Spinelli
Fonte: Escola Nacional de Administração Pública Publicador: Escola Nacional de Administração Pública
Tipo: Monografia/ TCC
IDIOMA::PORTUGU??S:PORTUGU??S:PT
Relevância na Pesquisa
76.41%
O presente trabalho tem como objetivo entender como se deu a integra????o do Programa Bolsa Fam??lia com a assist??ncia social, tendo em vista que na maior parte dos munic??pios a gest??o do PBF est?? sob a responsabilidade das Secretarias Municipais de Assist??ncia Social. Ao analisar o PBF, foi poss??vel notar duas principais caracter??sticas: 1) descentraliza????o e 2) intersetorialidade. No caso da primeira, as responsabilidades s??o descentralizadas para estados e munic??pios. A implementa????o do PBF dependeu de processos de negocia????o e coordena????o federativa, constru??das a partir de mecanismos volunt??rios de ades??o e pactua????o. J?? com rela????o ?? segunda caracter??stica, o PBF ?? um programa de transfer??ncia de renda com condicionalidades, assim, ele se articula com as ??reas de sa??de e educa????o, que fazem o acompanhamento das condicionalidades das fam??lias benefici??rias. A assist??ncia social tem participa????o nas duas caracter??sticas. Na descentraliza????o, a assist??ncia foi aos poucos incorporando a gest??o municipal do PBF. Quanto ?? integra????o na intersetorialidade do Programa, a assist??ncia social tem o papel de ofertar o acompanhamento familiar ??s fam??lias que n??o cumprem os compromissos da agenda de sa??de ou a frequ??ncia escolar...

Orienta????es b??sicas para a gest??o consorciada de res??duos s??lidos

Schneider, Dan Moche; Ribeiro, Wladimir Antonio; Salomoni, Daniel; Oliveira, Nelcil??ndia Pereira de (Organizadora); Helou, Luciana Dinah Ribeiro (Organizadora); Antero, Samuel A. (Organizador)
Fonte: Editora IABS Publicador: Editora IABS
Tipo: Livro
IDIOMA::PORTUGU??S:PORTUGU??S:PT
Relevância na Pesquisa
76.23%
O s??timo volume da s??rie Inova????o na Gest??o P??blica apresenta orienta????es b??sicas para a gest??o consorciada de res??duos s??lidos. Este ???guia??? surgiu de uma a????o conjunta entre a coopera????o espanhola e o Projeto Brasil Munic??pios, realizada entre setembro de 2010 maio de 2011, com o intuito de apoiar a implementa????o de uma experi??ncia de cons??rcio p??blico na Regi??o Metropolitana da Grande Aracaju para a gest??o integrada dos res??duos s??lidos nos moldes da Lei de Cons??rcios (Lei 11.107/2005) e seu decreto regulamentador, bem como na Lei de Saneamento B??sico (Lei 11.445/2007) e em sintonia com a Pol??tica Nacional de Res??duos S??lidos. O cap??tulo 1 traz informa????es sobre a Pol??tica Nacional de Res??duos S??lidos (PNRS), a ado????o de solu????es intermunicipais para a destina????o final de rejeitos e sobre as novas responsabilidades dos munic??pios para gest??o e manejo de res??duo s??lidos previstas na PNRS. O segundo cap??tulo, por sua vez, discorre sobre o instituto do cons??rcio p??blico dando ??nfase ?? gest??o consorciada intermunicipal dos res??duos s??lidos. Por fim, o terceiro cap??tulo apresenta informa????es t??cnicas para apoiar esse arranjo institucional, como ??ndices de gera????o per capita de res??duos s??lidos domiciliares e p??blicos...

Sa??de e preven????o: um passo para a melhoria da qualidade de vida

Brasil. Minist??rio da Previd??ncia e Assist??ncia Social (MPAS). Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Superintend??ncia Estadual em S??o Paulo. Coordena????o de Recursos Humanos
Fonte: Escola Nacional de Administra????o P??blica (ENAP) Publicador: Escola Nacional de Administra????o P??blica (ENAP)
Tipo: Relato de Experi??ncia
IDIOMA::PORTUGU??S:PORTUGU??S:PT
Relevância na Pesquisa
76.2%
Com o objetivo de desenvolver uma pol??tica de qualidade total, o INSS percebeu a necessidade de melhorar a qualidade de vida dos servidores de modo a obter a melhoria da qualidade do trabalho. Com esta finalidade, foi proposto o Programa ???Sa??de e Preven????o???, focado no diagn??stico biopsicossocial dos servidores, com o planejamento de a????es que contemplam aspectos da sa??de f??sica, ps??quica e social e dimens??es educacionais associadas ?? valoriza????o do indiv??duo no trabalho e do seu desenvolvimento pessoal e profissional. A iniciativa alcan??ou a melhoria da qualidade de vida e de trabalho dos servidores, a viabiliza????o de uma pol??tica integrada, voltada para a????es preventivas, orientadoras e curativas, contemplando as necessidades das unidades e subunidades, a elimina????o de a????es pulverizadas, otimizando a rela????o de custo/benef??cio do investimento em sa??de no trabalho e uma maior efici??ncia no atendimento m??dico dos servidores, mediante a informatiza????o e a atua????o a partir do diagn??stico biopsicossocial; N??mero de p??ginas: 2 p.; Classifica????o::Administra????o P??blica. Teoria Geral da Administra????o::Desenvolvimento Gerencial::Inova????o; Iniciativa premiada no 1?? Concurso Inova????o na Gest??o P??blica Federal sob responsabilidade de Helena Nogueira de Santana Miranda. A????es premiadas no 1?? Concurso Inova????o na Gest??o P??blica Federal ??? 1996. ??reas tem??ticas: capacita????o profissional e gest??o de recursos humanos; gest??o e desenvolvimento de pessoas

Conv??nio do sistema de gest??o participativa

Brasil. Minist??rio da Previd??ncia e Assist??ncia Social (MPAS). Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS). Coordena????o de Arrecada????o e Fiscaliza????o de SP (CAF/SP)
Fonte: Escola Nacional de Administra????o P??blica (ENAP) Publicador: Escola Nacional de Administra????o P??blica (ENAP)
Tipo: Relato de Experi??ncia
IDIOMA::PORTUGU??S:PORTUGU??S:PT
Relevância na Pesquisa
86.22%
O Sistema de Gest??o Participativa (SGP) adotado pela CAF/SP trata-se de um sistema de regula????o das rela????es administra????o-sindicato, destinado a promover o envolvimento, a participa????o e a integra????o dos fiscais nos assuntos de interesse da institui????o e da corpora????o. Com a iniciativa foi formulado e aplicado um sistema de ???Avalia????o Integrada das GRAFs???, abrangendo chefias, servidores administrativos, FCPs em trabalho de rua e FCPs em trabalho interno. A Mesa de Participa????o Permanente apreciou 14 quest??es, alcan??ando solu????es consensuais em 11 delas e aprovou o princ??pio geral pelo qual os fiscais e o Sindicato devem ter acesso e participa????o mais efetiva no planejamento da a????o fiscal, sendo essa participa????o considerada fundamental para uma nova abordagem da produtividade fiscal. Foi constitu??do o Grupo de Estudo da Previd??ncia, por representantes do SINDIFISP/SP, APAFISP e CAF, todos eles fiscais de alta qualifica????o profissional e intelectual que produziram estudos, an??lises cr??ticas e propostas sobre o sistema previdenci??rio brasileiro reunidas em livro editado pelo SINDIFISP. A partir de levantamento junto aos FCPs e aos gerentes das GRAFs foram levantadas sugest??es para melhoria da qualidade do ???Plant??o Fiscal de Atendimento ao Contribuinte???...

Disciplina 4.5: elabora????o e gerenciamento de projetos

Escola Nacional de Administra????o P??blica (Brasil); Zimmermann, Andrea
Fonte: Escola Nacional de Administração Pública Publicador: Escola Nacional de Administração Pública
Tipo: Apresenta????o/Slides; Programa de Curso
IDIOMA::PORTUGU??S:PORTUGU??S:PT
Relevância na Pesquisa
76.21%
A disciplina teve como conte??dos: conceitos b??sicos sobre a gest??o de projetos: reflex??es sobre a rela????o entre projeto, subprojeto, programa e plano; diferencia????o de projeto e processo; conceito de gest??o; ciclo de vida; processos de gerenciamento; an??lise de atores envolvidos; participa????o na elabora????o e gerenciamento; elabora????o do plano; gest??o integrada, monitoramento e avalia????o do projeto; N??mero de p??ginas: 3 p.; N??mero de slides: 65; Gest??o de Projetos. Gest??o de Programas

Disciplina 4.6: gest??o, avalia????o e revis??o do PPA

Escola Nacional de Administra????o P??blica (Brasil); Beserra, D??bora Nogueira; Soares, Denis de Moura; Cronemberguer, Danielle Cancela; Silva, Fabiano Chaves da; Battiston, Cristiane Collet
Fonte: Escola Nacional de Administração Pública Publicador: Escola Nacional de Administração Pública
Tipo: Apresenta????o/Slides; Programa de Curso
IDIOMA::PORTUGU??S:PORTUGU??S:PT
Relevância na Pesquisa
76.19%
Ciclo de gest??o do PPA; gest??o integrada do plano; a responsabiliza????o por resultados. Modelo e Gest??o do PPA 2012-2015: os atores, arranjos para a gest??o dos programas e Sistema de Monitoramento e Avalia????o. Monitoramento de Programas: conceitos gerais utilizados no governo federal, tipos de monitoramento, informa????es gerenciais e gest??o de restri????es. Instrumentos de monitoramento e sistemas da Uni??o. Monitoramento intensivo. Avalia????o de Programas: conceito e tipos de avalia????o. Avalia????o do PPA. Revis??o do Plano; N??mero de p??ginas: 3 p.; N??mero de slides: 243; Planejamento Governamental

Forma????o de carreiras para a gest??o p??blica contempor??nea: o caso dos especialistas em pol??ticas p??blicas e gest??o governamental; Formaci??n de carreras para la gesti??n p??blica contempor??nea: el caso de los Especialistas en Pol??ticas P??blicas y Gesti??n Gubernamental; Career training for the contemporary public management: the case of the Specialists in Public Policies and Governmental Management

Ferrarezi, Elisabete; Zimbr??o, Ad??lia
Fonte: Escola Nacional de Administra????o P??blica (ENAP); Revista do Servi??o P??blico (RSP) Publicador: Escola Nacional de Administra????o P??blica (ENAP); Revista do Servi??o P??blico (RSP)
Tipo: Artigo de Revista Científica
IDIOMA::PORTUGU??S:PORTUGU??S:PT
Relevância na Pesquisa
86.3%
O artigo analisa o curso de forma????o inicial para a carreira de Especialista em Pol??ticas P??blicas e Gest??o Governamental (EPPGG), recentemente reformulado. Conclui-se que as mudan??as realizadas no curso, tendo em vista os problemas enfrentados em edi????es anteriores, os desafios contempor??neos da administra????o p??blica, a crescente complexidade dos problemas e as demandas da sociedade, proporcionaram respostas bastante adequadas. No entanto, persistem in??meros desafios, dentre os quais se destacam o aprimoramento do ensino de aplica????o e novas tecnologias. Ao longo das nove edi????es do curso, percebe-se que os principais objetivos do projeto inicial da carreira permaneceram, mesmo com todas as descontinuidades administrativas. Preservaram-se o perfil generalista e as policompet??ncias na forma????o do EPPGG, a fim de permitir ao profissional uma vis??o abrangente e integrada dos complexos problemas da administra????o p??blica e desenvolver a capacidade de analisar, decidir e buscar os melhores resultados em prol do cidad??o, conduzindo as rela????es e as atividades profissionais de acordo com os princ??pios da ??tica p??blica.; Este art??culo analiza el curso de formaci??n inicial para la carrera de Especialista en Pol??ticas P??blicas y Gesti??n Gubernamental (EPPGG)...

Balanced Scorecard: adequa????o para a gest??o estrat??gica nas organiza????es p??blicas

Felix, Rozelito; Felix, Patr??cia do Prado; Tim??teo, Rafael
Fonte: Escola Nacional de Administra????o P??blica (ENAP); Revista do Servi??o P??blico (RSP) Publicador: Escola Nacional de Administra????o P??blica (ENAP); Revista do Servi??o P??blico (RSP)
Tipo: Artigo de Revista Científica
IDIOMA::PORTUGU??S:PORTUGU??S:PT
Relevância na Pesquisa
76.35%
Os ??rg??os da Administra????o P??blica Federal (APF) ter??o maior ??xito no alcance de seus objetivos estrat??gicos, investindo na implanta????o de um modelo de gest??o estrat??gica, adaptado para o ambiente de governo, mantendo o alinhamento estrat??gico com os ??rg??os normativos e de controle. Este artigo tem como objetivo apresentar um modelo de gest??o estrat??gica, adaptado a partir das perspectivas do Balanced Scorecard (BSC) desenvolvido pelos professores da Harvard Business School, Robert Kaplan e David Norton, em 1992, para ser utilizado pelos ??rg??os da APF; tal modelo mant??m um alinhamento estrat??gico organizacional com as recomenda????es do Tribunal de Contas da Uni??o (TCU). O modelo ir?? permitir a gest??o estrat??gica a partir da identifica????o dos objetivos estrat??gicos, metas, indicadores e a????es referentes ??s perspectivas do Balanced Scorecard, o que permitir?? o equil??brio entre os indicadores de efici??ncia no acompanhamento das metas de cada ??rg??o da APF, colaborando para uma gest??o estrat??gica integrada, que venha a modernizar a gest??o p??blica, agilizando as tomadas de decis??es e a troca de informa????es.; Los ??rganos de la Administraci??n P??blica Federal (APF) tendr?? mayor ??xito en el logro de sus objetivos estrat??gicos mediante la inversi??n en la aplicaci??n de un modelo de gesti??n estrat??gica...

O desafio das ?guas numa metr?pole amaz?nida: uma reflex?o das pol?ticas de prote??o dos mananciais da regi?o metropolitana de Bel?m-PA (1984 ? 2004)

BORDALO, Carlos Alexandre Le?o
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
76.15%
Falar sobre as interrup??es constantes no abastecimento de ?gua ? popula??o dos munic?pios que comp?em a Regi?o Metropolitana de Bel?m, no Estado do Par?, que ?, sem d?vida, agraciado por uma rica rede de grandes bacias hidrogr?ficas (Bacia Amaz?nica, Bacia do Tocantins-Araguaia e Costeira do Nordeste Ocidental), parece ser uma grande contradi??o. Se o problema n?o est? na baixa disponibilidade h?drica como ocorre em algumas regi?es metropolitanas do pa?s (S?o Paulo, Recife e Rio de Janeiro), por que as demandas urbanas da popula??o residente na ?rea de expans?o da metr?pole n?o est?o sendo atendidas satisfatoriamente? Que fatores estariam comprometendo a qualidade do sistema de abastecimento de ?gua da RMB? E como o Governo do Estado do Par? e a Prefeitura Municipal de Bel?m implementaram pol?ticas voltadas para a prote??o dos mananciais do Utinga, principal respons?vel pelo abastecimento dessa popula??o? Essas quest?es, ora levantadas, refletem o ponto central desta tese que ? entendermos como numa metr?pole amazonida, localizada numa regi?o rica em disponibilidade h?drica superficial e subterr?nea, o sistema p?blico de abastecimento de ?gua pot?vel dos mananciais do Utinga tem desafiado a cidade para sobreviver. Para tanto, foi preciso avaliar a import?ncia de seus recursos h?dricos...

Uso de indicadores de sa??de ocupacional na avalia????o da efetividade de um sistema de gest??o integrado

Moutinho, Wilma da Concei????o D'Elia
Fonte: Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Dissertação
PT_BR
Relevância na Pesquisa
86.24%
Introdu????o: Os Sistemas de Gest??o Integrados de Sa??de, Meio Ambiente e Seguran??a do trabalho - SMS permitem a agrega????o da qualidade, meio ambiente, sa??de e seguran??a no trabalho com outros sistemas certificados, estando seus benef??cios ligados ao investimento em pessoal, al??m da melhoria no desenvolvimento da tecnologia e transfer??ncia, combinado ao efeito sin??rgico de todos os sistemas juntos com efic??cia na redu????o dos custos de acidentes de trabalho e prote????o ao meio ambiente. Este estudo foi realizado no Centro de Pesquisas da Petrobras- Cenpes. O conjunto de pol??tica e diretrizes corporativas de SMS da Petrobras nasceu de um processo ao longo de cinq??enta anos em que a empresa acumulou vasta experi??ncia em seguran??a, meio ambiente e sa??de. No Centro de Pesquisas da Petrobras Cenpes, o Sistema de Gest??o Integrado - SMS foi implantado em 2003 e implementado nos dois anos seguintes. Entretanto, n??o existem na literatura, trabalhos voltados para a avalia????o desses sistemas utilizando dados de sa??de ocupacional. Portanto, ?? imprescind??vel o questionamento sobre as pol??ticas de gest??o integradas para verificar os benef??cios ?? sa??de do trabalhador, quando este modelo de gest??o ?? implantado. Objetivo: Analisar em que medida o Sistema de Gest??o de Sa??de...