Página 1 dos resultados de 110 itens digitais encontrados em 0.000 segundos

Efficient syntheses of new polyhydroxylated 2,3-diaryl-9h-xanthen-9-ones

Santos, Clementina M.M.; Silva, Artur; Cavaleiro, José
Fonte: Wiley Publicador: Wiley
Tipo: Artigo de Revista Científica
ENG
Relevância na Pesquisa
16.6%
A large number of hydroxylated 2,3-diaryl-9H-xanthen-9- ones have been synthesised by two different approaches, starting either from 3-bromo-2-methyl-4H-chromen-4-one or from (E)-3-bromo-2-styryl-4H-chromen-4-ones. The former method involves Heck reactions between 3-bromo-2-methyl- 4H-chromen-4-one and styrenes, leading to (E)-2-methyl-3- styryl-4H-chromen-4-ones; these condensed with benzaldehyde to give (E,E)-2,3-distyryl-4H-chromen-4-ones, which led to the desired 2,3-diaryl-9H-xanthen-9-ones under reflux in 1,2,4-trichlorobenzene. 3-Bromo-2-styryl-4H-chromen-4- ones were obtained either by aldol condensations between 3-bromo-2-methyl-4H-chromen-4-one and benzaldehydes, or through Baker–Venkataraman rearrangements of 2-acetylphenyl cinnamates, followed by one-pot bromination/ cyclisation with phenyltrimethylammonium tribromide. The 2,3-diaryl-9H-xanthene-9-ones were obtained in one-pot transformations involving Heck reactions between (E)-3- Introduction Xanthones constitute one of the major classes of naturally occurring oxygen-containing heterocyclic compounds containing dibenzo-γ-pyrone rings.[1] They occur in two major plant families, Guttiferae and Gentianaceae, and also in some families of fungi and lichens.[2...

Studies towards the synthesis of polyhydroxyxanthones with potential antioxidant activity

Santos, Clementina M.M.; Silva, Artur; Cavaleiro, José
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
ENG
Relevância na Pesquisa
16.6%
Xanthones are a class of aromatic oxygen-containing compounds commonly occurring in a few higher plant families such as the Guttiferae and Gentianaceae.1 The significance of these compounds is due to the important biological functions they play in Nature, but also because certain derivatives have been used as drugs, biocides or food additives. In this broad spectrum of biological applications special mention deserves the antioxidant activity being exemplified for several derivatives by their action as free radical scavengers, inhibitors of lipid peroxidation and metal chelators.2 Considering the promising studies in this area we are interested in the design of new and effective radical scavengers using a xanthone scaffold. In this context, a large number of hydroxy-2,3-diaryl-9H-xanthen-9-ones 1a-i have been synthesized by two different approaches, starting from 3-bromo-2-methyl-4H-chromen-4-one 2 and from (E)-3-bromo-2-styryl-4H-chromen-4-ones 3a-c.3 The former method involves Heck reactions of bromo derivative 2 and styrenes 4a-c, leading to (E)-2-methyl-3-styryl-4H-chromen-4-ones 5a-c; these condensed with benzaldehyde give (E,E)-2,3-distyryl-4H-chromen-4-ones 6a-c, which led to the desired 2,3-diaryl-9H-xanthen-9-ones 7a-c in refluxing 1...

Structure determination of some oxygen and nitrogen heterocyclic compounds by NMR

Seixas, Raquel; Esteves, Cátia; Brito, Cristela; Leal, Stephanie; Pinto, Diana; Santos, Clementina M.M.; Seca, Ana; Silva, Artur; Cavaleiro, José
Fonte: Instituto Politécnico de Bragança Publicador: Instituto Politécnico de Bragança
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
ENG
Relevância na Pesquisa
16.6%
Oxygen heterocyclic compounds are widely distributed in Nature, being chromone and xanthone derivatives some examples. For instance, the xanthone ring system is a structural motif prevalent in higher plants such as those of Guttiferae and Gentianaceae families.1 Both natural and synthetic derivatives often endowed with interesting pharmacological properties, such as anti-inflammatory,2 antitumour3 and antioxidant activities.4 Chromones and chromone derivatives play an important role in the normal human diet, due to their significant anti-inflammatory,5 anti-cancer,6 and antioxidant activities.5 Nitrogen heterocyclic compounds are also widely distributed in Nature, being 4-quinolones a large group that can be found, mainly, in plants of the Rutaceae family.7 However, a great number of the well-known derivatives are of synthetic origin and have been designed to be used as drugs, mainly for the treatment of tuberculosis.8 In view of these important properties, we have dedicated our investigation in the establishment of new synthetic methods for these types of compounds9 and also for the assessment of their biological properties.10 Naturally, we devote special attention to the structural characterization, mainly by NMR experiments...

Evolutionary patterns in neotropical Helieae (Gentianaceae): evidence from morphology, chloroplast and nuclear DNA sequences

STRUWE, Lena; ALBERT, Victor A.; CALIO, M. Fernanda; FRASIER, Cynthia; LEPIS, Katherine B.; MATHEWS, Katherine G.; GRANT, Jason R.
Fonte: INT ASSOC PLANT TAXONOMY Publicador: INT ASSOC PLANT TAXONOMY
Tipo: Artigo de Revista Científica
ENG
Relevância na Pesquisa
37.71%
Parsimony-based phylogenetic analyses of the neotropical tribe Helieae (Gentianaceae) are presented, including 22 of the 23 genera and 60 species. This study is based on data from morphology, palynology, and seed micromorphology (127 structural characters), and DNA sequences (matK, trnL intron, ITS). Phylogenetic reconstructions based on ITS and morphology provided the greatest resolution, morphological data further helping to tentatively place several taxa for which DNA was not available (Celiantha, Lagenanthus, Rogersonanthus, Roraimaea, Senaea, Sipapoantha, Zonanthus). Celiantha, Prepusa and Senaea together appear as the sister clade to the rest of Helieae. The remainder of Helieae is largely divided into two large subclades, the Macrocarpaea subclade and the Symbolanthus subclade. The first subclade includes Macrocarpaea, sister to Chorisepalum, Tochia, and Zonanthus. Irlbachia and Neblinantha are placed as sisters to the Symbolanthus subclade, which includes Aripuana, Calolisianthus, Chelonanthus, Helia, Lagenanthus, Lehmanniella, Purdieanthus, Rogersonanthus, Roraimaea, Sipapoantha, and symbolanthus. Generic-level polyphyly is detected in Chelonanthus and Irlbachia. Evolution of morphological characters is discussed, and new pollen and seed characters are evaluated for the first time in a combined morphological-molecular phylogenetic analysis.; National Science Foundation (NSF)[317612]; U.S. National Science Foundation (NSF); Rutgers Research Council; Rutgers Research Council; Hatch-USDA; Hatch-USDA; The Cullman Program for Molecular Systematics Studies at The New York Botanical Garden; The Cullman Program for Molecular Systematics Studies at The New York Botanical Garden; Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP); FAPESP[03/10918-3]; IAPT Research Grant Program; IAPT Research Grant Program

Sistemática de Helieae Gilg (Gentianaceae); Systematics of Helieae Gilg (Gentianaceae)

Calió, Maria Fernanda Aguiar
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 29/10/2009 PT
Relevância na Pesquisa
37.93%
Helieae, uma das seis tribos de Gentianaceae, compreende 23 gêneros e mais de 200 espécies encontradas exclusivamente nos Neotrópicos. Trata-se de um grupo de plantas bastante diversificado e de complicada história taxonômica. Diversos gêneros de Helieae eram pouco conhecidos e as relações filogenéticas dentro da tribo careciam de resolução. Nesse contexto, a presente Tese, organizada em sete capítulos, teve como objetivo principal prover hipóteses sólidas quanto às relações filogenéticas da tribo, focando principalmente no estudo de quatro desses gêneros pouco conhecidos: Calolisianthus Gilg, Helia Mart., Prepusa Mart. e Senaea Taub., todos com distribuição centrada principalmente no Brasil. No primeiro capítulo são apresentadas a filogenia morfológica e as revisões taxonômicas de Prepusa e Senaea. Com base no estudo de coleções de herbários, cinco espécies de Prepusa e duas de Senaea foram reconhecidas. Todas são endêmicas a habitats montanos dos estados brasileiros da Bahia, Espírito Santo, Minas Gerais e Rio de Janeiro. São apresentadas descrições morfológicas, chaves de identificação, ilustrações e mapas da distribuição de cada espécie. Prepusa e Senaea são morfológica, geográfica e filogeneticamente isolados entre as Helieae e a presença de flores 6-meras sustenta sua proximidade filogenética. Análises filogenéticas de 33 caracteres morfológicos usando parcimônia e métodos Bayesianos apresentaram um quadro consistente das relações de Prepusa e Senaea; os gêneros são monofiléticos e irmãos entre si. No segundo capítulo desta Tese...

Fungigação por irrigação localizada e pulverização convencional, para controle do mofo cinzento (Botrytis cinerea Pers.: Fr.) em plantas de lisianthus (Eustoma grandiflorum (Raf.) Shinn.)

Katz, Ieoschua
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: xii, 60 f. : il.
POR
Relevância na Pesquisa
17.2%
Pós-graduação em Agronomia (Irrigação e Drenagem) - FCA; A planta de lisianthus pertence a família Gentianaceae, apresentando cerca de 70 gêneros com 550 espécies, sendo que no Brasil encontram-se 25 destes gêneros. De alto valor comercial, o lisianthus no Brasil é caracterizado por apresentar sua produção voltada para as exigências de um mercado com tendências às plantas para corte e plantas em vaso. Tem no Estado de São Paulo o seu maior número de produtores bem como seu maior mercado consumidor. Este concentra-se basicamente nos municípios próximos a capital paulista respondendo por mais de 40% da produção nacional. Segundo Silva (1998), o setor mantém uma taxa de crescimento de 20% ao ano respondendo por aproximadamente 4.500 empregos diretos e indiretos conjuntamente. Neste cenário, o mofo cinzento causado por Botrytis cinerea Pers.:Fr., com sintomas de podridão escura de folhas e flores das plantas de lisianthus (Eustoma grandiflorum (Raf.) Shinn.) , afetam em larga escala ao mercado produtor. O desenvolvimento de novas técnicas de combate às doenças assim como, o uso de defensivos hidrossolúveis via água de irrigação, também conhecida como fungigação, é um procedimento moderno, datando da segunda metade dos anos 80 e conta com vantagens como redução de mão de obra...

Revisão taxonomica do genero Curtia Cham. & Schetdl (Gentianaceae)

Sonia Regina de Melo Crespo
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 19/08/2003 PT
Relevância na Pesquisa
27.51%
É apresentada a revisão do gênero Curtia Cham. & Schltdl. (Gentianaceae), a qual inclui chave dicotômica, descrições, ilustrações, sinônimos e mapas de distribuição geográfica das espécies. Curtia é um gênero exclusivamente neotropical, tendo o Brasil como seu centro de diversidade. Duas de suas espécies têm ampla distribuição geográfica, ocorrendo nas Américas Central e do Sul (C . patula (Mart.) Knbobl. e C. tenella (Mart.) Cham.), enquanto C. obtusifolia (Spruce ex Benth.) Knobl. e C. quadrifolia Maguire concentram-se na região Amazônica.A presente revisão reconheceu 8 espécies para o gênero, as quais são: C. conferta (Mart.) Knobl., C. diffusa (Mart.) Cham., C. montana comb. nov., C. obtusifolia, C. patula, C. quadrifolia, C. tenella e C. verticillaris (Sprengel) Knobl.; uma nova combinação é proposta: o gênero monotípico Hockdnia Gardner é incluído em Curtia. A heterostilia foi confirmada em C. montana, C. obtusifolia e C. patula e, um estudo palinológico das espécies homostílicas e heterostílicas é apresentado. Os grãos de pólen foram analisados pelo método ACLAC, medidos, descritos e ilustrados em microscopia de luz e em microscopia eletrônica de varredura, sendo as formas heterostílicas analisadas separadamente; A taxonomic revision of the genus Curtia Cham. & Schltdl. (Gentianaceae) is presented...

Distribution, structural and ecological aspects of the unusual leaf nectaries of Calolisianthus species (Gentianaceae)

Delgado, Marina Neves; Silva, Luzimar Campos da; Báo, Sônia Nair; Morais, Helena Castanheira; Azevedo, Aristéa Alves
Fonte: Flora - Morphology, Distribution, Functional Ecology of Plants Publicador: Flora - Morphology, Distribution, Functional Ecology of Plants
Tipo: Artigo de Revista Científica
ENG
Relevância na Pesquisa
27.2%
Nectaries in leaves of Gentianaceae have been poorly studied. The present study aims to describe the distribution, anatomy, and ecological aspects of extrafloral nectaries (EFNs) of three Calolisianthusspecies and in particular the ultrastructure of EFNs in Calolisianthus speciosus during leaf development, discussing its unusual structure. Leaves of Calolisianthus species were fixed and processed by the usual methods for studies using light, scanning microscopy and transmission electron microscopy (TEM). Ion chromatography was used to analyze the nectar exudates of C. speciosus. The distribution patterns of nectar secretion units were analysed by ANOVA and t-tests. Two EFNs that can be seen macroscopically were observed at the bases of C. speciosus and C. pendulus leaves. Such large nectaries are absent there in C. amplissimus. Another similarly large EFN is observed at the apex of each leaf in all species. The EFNs at the base of the young leaves in C. speciosus are visited by ants during the rainy season. EFNs are formed by several nectar secretory units (nectarioles) that are present throughout the leaves. Each nectariole is formed by rosette cells with a central channel from which the nectar is released. Channels of old C. speciosus and C. pendulus EFNs were obstructed by fungi. TEM of EFNs in young leaves showed cytoplasms with secretion...

Morfologia polínica dos gêneros Curtia Cham. & Schltdl. e Hockinia Gardner (Gentianaceae Juss.)

Crespo,Sônia Regina de Melo; Ferreira,Washington Marcondes
Fonte: Sociedade Botânica do Brasil Publicador: Sociedade Botânica do Brasil
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2006 PT
Relevância na Pesquisa
37.71%
Estudou-se a morfologia polínica de Curtia Cham. & Schltdl. e Hockinia Gardner (Gentianaceae Juss.), gêneros neotropicais de Gentianaceae. Foram analisadas oito espécies: Curtia conferta (Mart.) Knobl., C. diffusa (Mart.) Cham., C. obtusifolia (Spruce ex Benth.) Knobl., C. patula (Mart.) Knobl., C. quadrifolia Maguire, C. tenella (Mart.) Cham., C. verticillaris (Sprengel) Knobl. e Hockinia montana Gardner. Os grãos de pólen foram tratados pelo método ACLAC, analisados em microscopia óptica e microscopia eletrônica de varredura. A investigação baseou-se em material herborizado. A heterostilia foi confirmada em Curtia obtusifolia, C. patula e Hockinia montana. O material polínico de todas as formas heterostílicas foi estudado separadamente. Os gêneros apresentaram grãos de pólen pequenos a médios, em mônades, colporados, sexina microrreticulada, microrreticulado-espinulosa, reticulada, reticulado-espinulosa ou perfurada. Os resultados mostraram certa heterogeneidade polínica para o gênero Curtia e foram observadas diferenças palinológicas, quanto ao tamanho, à ornamentação da exina e às aberturas entre as formas florais de cada espécie heterostílica. Os dois gêneros não demonstraram diferenças palinológicas significantes que os separem.

Frutos e sementes em Schultesia Mart. e Xestaea Griseb. (Gentianaceae)

Guimarães,Elsie Franklin; Saavedra,Mariana Machado; Costa,Cecília Gonçalves
Fonte: Sociedade Botânica do Brasil Publicador: Sociedade Botânica do Brasil
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2007 PT
Relevância na Pesquisa
27.2%
Este trabalho tem por objetivo a descrição dos frutos e sementes das espécies dos gêneros Schultesia Mart., com 21 táxons, e Xestaea Griseb., monotípico. A morfologia da testa das sementes é apresentada com o auxílio da microscopia eletrônica de varredura (MEV). Buscaram-se caracteres que auxiliassem a separação dos gêneros e espécies, contribuindo para a discussão das delimitações entre os mesmos. Alguns destes caracteres mostraram valor taxonômico. Os frutos são cápsulas septicidas, bivalvares, com cálice persistente e numerosas sementes em ambos os gêneros. A forma e a consistência dos funículos, assim como a superfície da testa das sementes, permitiram o estabelecimento de grupos, auxiliando na identificação das espécies. O padrão estriado das paredes periclinais das sementes de Xestaea é distinto daqueles assinalados para Schultesia, corroborando com estudos morfológicos e moleculares que propiciaram o recente restabelecimento de Xestaea. Neste trabalho constam descrições e ilustrações.

Morfo-anatomia comparada de espécies da subtribo Coutoubeinae (Chironieae - Gentianaceae)

Delgado,Marina Neves; Azevedo,Aristéa Alves; Valente,Gilmar Edilberto; Kasuya,Maria Catarina Megumi
Fonte: Sociedade Botânica do Brasil Publicador: Sociedade Botânica do Brasil
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2009 PT
Relevância na Pesquisa
27.2%
O objetivo do trabalho é caracterizar a morfo-anatomia do corpo vegetativo de Deianira erubescens, Deianira pallescens, Deianira nervosa, Deianira chiquitana e Schultesia gracilis, visando fornecer subsídios à taxonomia e compreender algumas estratégias adaptativas. Coletaram-se amostras de indivíduos de Deianira no cerrado e de Schultesia no campo rupestre, MG. O material foi processado para observações em microscopia de luz. D. erubescens e D. pallescens apresentam folhas em rosetas e opostas cruzadas, concrescidas na base, ao longo do caule; D. chiquitana apresenta folhas concrescidas na base apenas na região proximal do caule e folhas opostas cruzadas livres; D. nervosa e S. gracilis apresentam folhas opostas cruzadas livres. No gênero Deianira são observadas raízes com crescimento secundário, sendo não usual em D. erubescens e D. nervosa e micorrizas arbusculares (MAs) do tipo Arum, exceto em D. nervosa; caule fistuloso em D. pallecens; folhas anfiestomáticas e mesofilo homogêneo, exceto em D. nervosa na qual são observadas folhas hipoestomáticas e mesofilo dorsiventral. S. gracilis apresenta raízes com aerênquima e MAs do tipo Paris; caule prismático, alado, fistuloso e folhas hipoestomáticas com mesofilo homogêneo. Caracteres anatômicos podem ser utilizados para distinção das espécies e podem contribuir para compreender estratégias adaptativas ao cerrado e campo rupestre.

Pollen morphology of the genera Irlbachia, Tachia, Voyria and Voyriella (Gentianaceae Juss.) found in the Reserva Florestal Adolpho Ducke (Amazonas, Brazil)

Ferreira,Marcos Gonçalves; Absy,Maria Lúcia; Gonçalves-Esteves,Vânia
Fonte: Sociedade Botânica do Brasil Publicador: Sociedade Botânica do Brasil
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2012 EN
Relevância na Pesquisa
27.51%
A pollen morphology study of the Gentianaceae Juss. of Reserva Florestal Adolpho Ducke (Manaus, Brazil) was performed. The pollen grains of the studied species varied morphologically in their pollen units (tetrads or monads), size (small, medium and large), shape (oblate, suboblate, oblate spheroidal, spheroidal, prolate spheroidal and prolate), polarity (heteropolar, isopolar or subisopolar), symmetry (bilateral or radial) and number and type of aperture (3-colporate and 1-3porate). In relation to ornamentation, pollen grains had a sexine that was psilate in the Voyria species, microreticulate in Voyriella parviflora and reticulate heterobrochate in Tachia grandiflora and Irlbachia alata. The exine in I. alata showed great variability in the size and shape of the lumina, in addition to clavae of various sizes in the mesocolpium and apocolpium areas. In Tachia grandiflora, besides to long colpi, the heterobrochate exine demonstrated an increase in the lumina in the mesocolpium areas that decreased considerably in the apocolpium areas. In the species of Voyria, the pollen grains showed differences in shape, polarity and the number of apertures, which were spherical, isopolar and 3-porate in Voyria spruceana; prolate/oval, heteropolar and 1-porate in Voyria tenella; and oblate/elliptical (reniform)...

Mining of simple sequence repeats in the Genome of Gentianaceae

Sathishkumar, R.; Lakshmi, P. T. V.; Annamalai, A.; Arunachalam, V.
Fonte: Medknow Publications Pvt Ltd Publicador: Medknow Publications Pvt Ltd
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2011 EN
Relevância na Pesquisa
27.2%
Simple sequence repeats (SSRs) or short tandem repeats are short repeat motifs that show high level of length polymorphism due to insertion or deletion mutations of one or more repeat types. Here, we present the detection and abundance of microsatellites or SSRs in nucleotide sequences of Gentianaceae family. A total of 545 SSRs were mined in 4698 nucleotide sequences downloaded from the National Center for Biotechnology Information (NCBI). Among the SSR sequences, the frequency of repeat type was about 429 -mono repeats, 99 -di repeats, 15 -tri repeats, and 2 --hexa repeats. Mononucleotide repeats were found to be abundant repeat types, about 78%, followed by dinucleotide repeats (18.16%) among the SSR sequences. An attempt was made to design primer pairs for 545 identified SSRs but these were found only for 169 sequences.

Novel microsatellite loci for Sebaea aurea (Gentianaceae) and cross-amplification in related species1

Kissling, Jonathan; Bachmann, Olivier; Thali, Marco R.; Segarra-Moragues, José Gabriel
Fonte: Botanical Society of America Publicador: Botanical Society of America
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em 03/12/2013 EN
Relevância na Pesquisa
27.2%
• Premise of the study: Microsatellite loci were developed in Sebaea aurea (Gentianaceae) to investigate the functional role of diplostigmaty (i.e., the presence of additional stigmas along the style).

Morphological and Ultrastructural Diversity of Orbicules in Gentianaceae

VINCKIER, STEFAN; SMETS, ERIK
Fonte: Oxford University Press Publicador: Oxford University Press
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /11/2003 EN
Relevância na Pesquisa
27.93%
Minute granules of sporopollenin, called orbicules, can be observed on the innermost tangential and/or radial walls of secretory tapetum cells. Orbicules were investigated in 53 species of 34 Gentianaceae genera using light microscopy, scanning electron microscopy and transmission electron microscopy. This selection covered all different tribes and subtribes recognized in Gentianaceae (87 genera, ±1650 species). Orbicules were found in 38 species (23 genera) distributed among the six tribes recognized in Gentianaceae. The orbicule typology is based on those described previously in Rubiaceae. Of the six orbicule types described previously, Type II orbicules are lacking. Type III orbicules are most common (17 species). Hockinia Gardner is the only representative with Type I orbicules. The number of representatives with orbicules belonging to the other orbicule types are equally distributed among the species studied: seven species possess Type IV orbicules, six species Type V and six species Type VI. The systematic usefulness of this typology is discussed in comparison with the latest systematic insights within the family, and palynological trends in Gentianaceae. Orbicule data have proven to be useful for evaluating tribal delimitation within Rubiaceae and Loganiaceae s.l.; however...

Fenologia reprodutiva de Prepusa montana Mart. (Gentianaceae) em uma área de campo rupestre da Chapada Diamantina, BA, Brasil

Coelho,Aline; Machado,Caio Graco
Fonte: Sociedade Botânica de São Paulo Publicador: Sociedade Botânica de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2009 PT
Relevância na Pesquisa
27.2%
Foram investigadas as estratégias fenológicas de floração e frutificação de Prepusa montana Mart. em uma área de campo rupestre da Chapada Diamantina e a sua influência pela pluviosidade, umidade relativa do ar, temperatura e fotoperíodo. Foram registrados os números de flores, botões e frutos maduros desta espécie, em visitas mensais ao Parque Municipal de Mucugê, em Mucugê, BA, de junho de 2006 a agosto de 2007. Os dados das variáveis ambientais (precipitação média acumulada, temperatura média e umidade relativa do ar) foram coletados em Mucugê e o fotoperíodo da área foi calculado por dados geográficos. Prepusa montana apresentou floração anual com duração intermediária, ocorrendo na época seca. A fenofase de floração não apresentou correlação com a pluviosidade e com a umidade relativa do ar, mas apresentou correlação negativa com a temperatura e com o fotoperíodo. A maturação dos frutos iniciou-se na estação seca e teve sua maior intensidade no início da estação chuvosa. A dispersão das sementes apresentou correlação negativa com a umidade relativa do ar. Por ocorrer ao longo de cursos d'água, a floração de P. montana parece ser independente do estresse hídrico da época de estiagem. A correlação negativa entre a abertura dos frutos e a umidade relativa do ar está associada ao processo de dessecação...

Flora da Serra do Cipó, Minas Gerais: Gentianaceae

Cordeiro, I.
Fonte: Universidade de São Paulo. Instituto de Biociências Publicador: Universidade de São Paulo. Instituto de Biociências
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 25/06/1987 POR
Relevância na Pesquisa
37.51%
O estudo da família Gentianaceae é parte do levantamento da Flora da Serra do Cipó, Minas Gerais, Brasil. Esta família está representada naquela área pelos seguintes gêneros, com o respectivo número de espécies: Curtia (3), Deianira (2), Irlbachia (4), Macrocarpaea (1), Schultesia (2) e Senaea (1). São apresentadas chaves para gêneros e espécies, descrições e ilustrações das mesmas, além de comentários sabre sua distribuição geográfica, fenologia e variabilidade.

Micorrizas arbusculares y endófitos septados oscuros en Gentianaceae nativas de la Argentina

Salvarredi,Leonardo A.; Crespo,Esteban M.; Menoyo,Eugencia; Filippa,Eva M.; Barboza,Gloria E.; Lugo,Mónica A.
Fonte: Boletín de la Sociedad Argentina de Botánica Publicador: Boletín de la Sociedad Argentina de Botánica
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2010 ES
Relevância na Pesquisa
27.2%
Se estudió la colonización de raíces por simbiontes fúngicos en cinco especies de Gentianaceae nativas distribuidas en distintos ambientes de la Argentina, cuatro pertenecientes a Gentianella y una a Gentiana. Se observaron estructuras micorrícicas arbusculares pertenecientes al tipo Paris (hifas y circunvoluciones intracelulares) y endófitos septados oscuros (SO) (hifas y microesclerocios). Tres de las especies estudiadas se asociaron a micorrizas arbusculares (MA) y SO, una sólo a SO y otra sólo a MA. La colonización radical por SO (hifas y microesclerocios) y la colonización hifal MA difirieron con el hospedante. Este es el primer reporte de colonización por MA y SO en Gentianella helianthemoides, G. magellanica, G. parviflora y Gentiana prostrata. Se discute la influencia del hospedante y del ambiente en la colonización por MA y SO.

El género Gentiana (Gentianaceae) en México

Villarreal-Quintanilla,José A.; Estrada-Castillón,A. Eduardo; Jasso de Rodríguez,Diana
Fonte: Instituto Politécnico Nacional, Escuela Nacional de Ciencias Biológicas Publicador: Instituto Politécnico Nacional, Escuela Nacional de Ciencias Biológicas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2009 ES
Relevância na Pesquisa
37.51%
El género Gentiana (Gentianaceae), con distribución en la regiones templadas y frías del hemisferio norte, registra para México 13 especies y una subespecie, casi todas endémicas, sólo dos con registros para Guatemala. Se presenta una sinopsis del género para México, incluyendo una clave para determinación de especies, descripciones y datos de distribución y ecológicos.

El género Gentianopsis (Gentianaceae) en México

Villarreal-Q.,José A.; Estrada-C.,Eduardo
Fonte: Instituto Politécnico Nacional, Escuela Nacional de Ciencias Biológicas Publicador: Instituto Politécnico Nacional, Escuela Nacional de Ciencias Biológicas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2011 ES
Relevância na Pesquisa
37.51%
El género Gentianopsis (Gentianaceae), con distribución en la regiones templadas y frías del hemisferio norte, registra para México una especie y dos variedades, una de ellas endémica, la otra extiende su distribución al suroeste de los Estados Unidos. Las dos variedades se presentan como nuevas combinaciones nomenclaturales: Gentianopsis detonsa (Rottb.) Ma var. lanceolata (Benth.) Villarreal et A.E. Estrada y G.d. (Rottb.) Ma var. superba (Greene) Villarreal et A.E. Estrada. Se presenta una sinopsis del género para México, incluyendo claves para la determinación de los taxa, descripciones y datos de distribución y ecológicos.