Página 1 dos resultados de 1690 itens digitais encontrados em 0.005 segundos

Hipertensão no hipotiroidismo felino: estudo de 46 gatos na área do grande Porto

Marques, Inês Bettencourt
Fonte: Repositório Científico Lusófona Publicador: Repositório Científico Lusófona
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.31%
A pressão arterial é um parâmetro que tem tido um maior reconhecimento pela comunidade Veterinária ao longo dos últimos quinze anos. A hipertensão sistémica é uma doença com uma prevalência elevada em gatos com uma idade avançada. A hipertensão arterial em gatos tem maioritariamente uma origem secundária, sendo que as principais doenças subjacentes a ter em atenção são o hipertiroidismo e a doença renal. A presença constante desta elevação vai desencadear uma série de alterações em órgãos alvo como os olhos, os rins, o coração e o cérebro. Este é um estudo retrospetivo, no qual foram selecionados gatos com diagnóstico de hipertiroidismo e, no momento do diagnóstico, foram recolhidas informações necessárias ao estudo como valores de pressão arterial; características intrínsecas; sintomatologia demonstrada durante o exame físico e análises clínicas. Foi possível verificar uma média de pressão arterial sistólica de 176 mmHg, revelando hipertensão, tal como é possível constatar na literatura científica. Das características intrínsecas estudadas, apenas o aumento da idade apresentou uma relação com a pressão arterial. No grupo em estudo os gatos demonstraram sinais clínicos, como sopro cardíaco ou alterações oculares...

Avaliação do cálcio sérico ionizado em gatos sadios e em gatos com insuficiência renal crônica; Serum ionized calcium evaluation in healthy cats and in cats with chronic renal failure

Giovaninni, Luciano Henrique
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 26/06/2003 PT
Relevância na Pesquisa
37.4%
A insuficiência renal crônica (IRC) pode ocasionar uma série de alterações metabólicas no organismo, das quais o comprometimento do metabolismo do cálcio pode acarretar em desmineralização óssea e mineralização de tecidos moles, inclusive renal, favorecendo a perda ainda maior de néfrons. Na rotina, a avaliação do cálcio é geralmente realizada pela mensuração do cálcio sérico total, entretanto, a única fração biologicamente ativa deste mineral é representada pelo cálcio ionizado. Assim, o presente estudo teve como objetivo avaliar o cálcio ionizado em gatos sadios e em gatos com IRC, com o intuito de se obter subsídios para o melhor entendimento da homeostase do cálcio. Foram analisados 25 gatos sadios (grupo controle) e 19 gatos com IRC (grupo de estudo) em que foram determinadas as concentrações séricas de cálcio ionizado, cálcio total, sódio, potássio, cloreto, fósforo inorgânico, albumina, como também do pH sangüíneo e das variáveis da hemogasometria. Não foram observadas diferenças significantes entre os grupos controle e estudo no que se relaciona aos valores de cálcio total (controle = 9,52 ± 0,96; IRC = 9,48 ± 0,96) e cálcio ionizado (controle = 5,24 ± 0,18; IRC = 5,29 ± 0...

Intoxicação por aldicarb ("chumbinho") em cães e gatos: estudo das alterações post mortem macroscópicas e diagnóstico toxicológico por meio da cromatografia em camada delgada em amostras de conteúdo estomacal; Fatal aldicarb intoxication in dogs and cats: study of post mortem macroscopic alterations and toxicological diagnosis using thin-layer chromatography in samples of stomach content

Xavier, Fabiana Galtarossa
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 02/12/2004 PT
Relevância na Pesquisa
37.31%
Os praguicidas são os principais agentes responsáveis pelas intoxicações, tanto em seres humanos como em animais. Dados preliminares sugerem que o uso ilegal do praguicida carbamato aldicarb ("chumbinho"), com a finalidade de intoxicar fatalmente cães e gatos, é uma prática comum na cidade de São Paulo. Apesar de não haver um levantamento sistemático destes casos, o Serviço de Necroscopia do Departamento de Patologia da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade de São Paulo (FMVZ/USP), tem registrado com relativa freqüência casos em que a principal suspeita de causa mortis é a intoxicação exógena por este agente. Desta maneira, o presente estudo propôs realizar um levantamento criterioso dos casos de intoxicação em cães e gatos recebidos por este Serviço, durante o período de 1999 a 2003, identificar e caracterizar os casos de intoxicação por aldicarb, incluindo a descrição das alterações post mortem macroscópicas, e empregar um método analítico para a confirmação do diagnóstico (cromatografia em camada delgada). Os resultados mostraram que os casos de intoxicação representam 14,3% das causas de óbitos em ambas espécies, sendo 9,8% em cães e 31,8% em gatos. O principal agente tóxico encontrado foi o aldicarb (214 casos)...

População domiciliada de cães e gatos em São Paulo: perfil obtido através de um inquérito domiciliar multicêntrico ; Populations of domestic dogs and cats of São Paulo city: profile gotten through health survey

Magnabosco, Cristina
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 27/09/2006 PT
Relevância na Pesquisa
37.35%
Introdução: A relação entre cães, gatos e seres humanos é antiga e ainda polêmica ,principalmente, nos aspectos referentes à questão da saúde. O desequilíbrio na população animal levou a excessos populacionais, que junto com a falta de saneamento e o crescimento desordenado das cidades, propiciaram a disseminação de zoonoses, principalmente, nas metrópoles. Ainda não é claro o risco dos animais à população humana frente aos benefícios possíveis. Justificativa: As freqüentes interações entre o homem e animais de estimação propiciam surgimento de novas zoonoses, tornando fundamental o conhecimento da dinâmica populacional de cães e gatos nas diferentes cidades brasileiras. A análise desses parâmetros, através de um inquérito domiciliar, abrirá um novo leque de opções, que permitirá novos conhecimentos técnicos e poderá ser um norteador de políticas públicas para essa área tão carente de informação. Objetivo: Analisar o perfil da população domiciliada de cães e correlacionando com as condições dos domicílios e do seu entorno e o nível sócio- econômico dos proprietários de animais. Material e Método: Foram utilizados dados de estudos de corte transversal e base populacional...

Avaliação da ocorrência do calicivírus felino e do herpesvírus felino tipo 1 em gatos com gengivite-estomatite crônicas naturalmente infectados pelo vírus da imunodeficiência felina; Occurrence of feline calicivirus and feline herpesvirus type 1 in cats with chronic gingivitis-stomatitis and naturally infected with feline immunodeficiency virus

Geraldo Júnior, Carlos Alberto
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 26/07/2010 PT
Relevância na Pesquisa
37.35%
As alterações inflamatórias que afetam a cavidade oral e a gengiva dos felinos são frequentemente observadas na rotina médica e constituem verdadeiro desafio diagnóstico e terapêutico ao clínico. Denomina-se complexo gengivite-estomatitefaringite felina (CGEF) como sendo uma síndrome onde a apresentação clínica comum é a inflamação grave da gengiva e mucosa oral. A etiopatogênese desta doença não está totalmente elucidada mas acredita-se que seja multifatorial. As viroses têm sido implicadas como agentes etiológicos na patogenia da gengivite-estomatite crônica felina, entretanto, o mecanismo pelo qual as infecções virais participam no desenvolvimento da doença gengival nos animais afetados permanece indeterminado. A hipótese do presente estudo é de que a depleção imunológica induzida pelo lentivírus felino (FIV) aumenta o risco de ocorrência do FCV e do FHV-1 e da estomatite-gengivite em gatos. Para tanto, foram realizados 2 experimentos: o primeiro (A) foi delineado para avaliar a ocorrência do FCV e do FHV-1 na cavidade oral de 58 gatos naturalmente infectados pelo FIV ou não, com e sem gengivite, por meio da reação de polimerização em cadeia (PCR), assim como correlacionar esses achados com as subpopulações de linfócitos T CD4+...

Avaliação da concentração sérica de paratormônio intacto em gatos com doença renal crônica; Intact serum parathyroid hormone evaluation in cats with chronic kidney disease

Giovaninni, Luciano Henrique
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 30/09/2010 PT
Relevância na Pesquisa
37.46%
A doença renal crônica (DRC) evolui de forma progressiva e o hiperparatiroidismo secundário renal (HPTSR) é uma das importantes alterações que causa a perda adicional de néfrons e o comprometimento de varios sistemas; o paratormônio (PTH) é considerado como uma importante toxina urêmica. A avaliação do PTH sérico em felinos com DRC pode trazer informações para o melhor entendimento da fisiopatologia do HPTSR, suscitando possíveis medidas terapêuticas. Observou-se que gatos com DRC (n=40) apresentaram aumento significante (p < 0,05) da concentração sérica de paratormônio intacto (PTHi) quando comparados a gatos clinicamente normais (n=21; grupo controle). Quanto a avaliação do PTHi nos subgrupos de DRC (ESTÁGIOS II, III e IV de evolução da afecção, classificados segundo o International Renal Interest Society IRIS), constatou-se diferença significante entre os gatos dos ESTÁGIOS III e IV com os gatos clinicamente normais; em relação ao ESTÁGIO II, apesar de não ter sido observada diferença significante, a maioria dos gatos apresentou aumento da concentração sérica de PTHi (> 60,2 pg/mL). Em relação aos valores das concentrações séricas de fósforo e de cálcio iônico, detectou-se a tendência de concentrações séricas progressivamente maiores de fósforo (hiperfosfatemia) nos estágios mais avançados da doença (frequências de 16...

Ecocardiografia tecidual em gatos da raça Maine Coon geneticamente testados para a cardiomipatia hipertrófica; Tissue Doppler echocardiography in Maine Coon cats genetically tested for hypertrophic cardiomyopathy

Pellegrino, Arine
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 28/01/2011 PT
Relevância na Pesquisa
37.46%
A cardiomiopatia hipertrófica (CMH) é a principal cardiopatia dos felinos e é caracterizada por hipertrofia miocárdica concêntrica, sem dilatação ventricular. Disfunções miocárdicas ocorrem em gatos com CMH, mas pouco se conhece a respeito destas alterações nos estágios iniciais da afecção. Em gatos da raça Maine Coon, a mutação no gene MyBPC-A31P está relacionada com a CMH de origem familial, porém, a correlação exata entre o genótipo e o fenótipo ainda é inconclusiva. A ecocardiografia tecidual é uma modalidade não invasiva que permite avaliação da função miocárdica e é mais sensível que a ecocardiografia convencional. Para avaliar a função sistólica e diastólica, antes ou após a ocorrência de hipertrofia ventricular, gatos da raça Maine Coon (n=57), geneticamente testados para a mutação, foram avaliados por meio de ecocardiografia convencional e tecidual (nas modalidades Doppler tecidual pulsado, Doppler tecidual colorido e strain). Posteriormente, foram fenotipicamente classificados em: normais (n=45), suspeitos (n=7) e acometidos pela CMH (n=5); e genotipicamente classificados em: negativos (n=28), heterozigotos (n=26) e homozigotos para a mutação (n=3). Valores de velocidades miocárdicas (Doppler tecidual pulsado e colorido) e valores de strain...

Ocorrência de cálculo renal e/ou ureteral em gatos com doença renal crônica atendidos no Hospital Veterinário da Universidade de São Paulo; Nephrolithiasis and/or ureterolithiasis occurrence in cats with chronic kidney disease attended at the Veterinary Hospital of the University of São Paulo

Pimenta, Marcela Malvini
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 10/07/2013 PT
Relevância na Pesquisa
37.46%
Mais do que uma realidade na clínica de felinos, os cálculos renais em gatos tornaram-se motivo de grande preocupação para a especialidade. Em contraste aos cálculos de estruvita encontrados frequentemente na vesícula urinária, os cálculos de oxalato de cálcio (CaOx), localizados em rins e ou ureteres passaram a compor um novo perfil da urolitíase. Foi realizado um estudo clínico transversal com 96 gatos com o objetivo de determinar a ocorrência de cálculos de origem renal (nefrolitíase e ureterolitíase) em gatos portadores de DRC e uma possível associação entre essas duas doenças. Destes pacientes, 24 foram excluídos por não atenderem os critérios necessários para classificação entre os grupos. Assim, 72 gatos portadores de DRC foram divididos em dois grupos, DRC com evidências de nefrolitíase e ou ureterolitíase (n=47), e DRC sem evidências de nefrolitíase e ou ureterolitíase (n=25). Os grupos mostraram homogeneidade em relação à classificação da DRC segundo os estágios propostos pela IRIS - International Renal Interest Society (p= 0,5613), como também em relação à idade (p=0,274). Contudo, os gatos classificados no estágio II da DRC foram os mais representados em ambos os grupos. Apesar disso...

Estudo retrospectivo das dermatofitoses diagnosticadas em cães e gatos em Porto Alegre, RS, Brasil, no período de 1979 a 2009

Appelt, Carin Elisabete
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.4%
As dermatofitoses causadas por um grupo de fungos filamentosos e queratinofílicos, na maioria cosmopolita, acometem um grande número de mamíferos. Os cães e gatos são os principais reservatórios e fontes de infecções de Microsporum canis aos humanos e a outros animais domésticos. Dados epidemiológicos sobre as infecções fúngicas são importantes para diagnóstico, tratamento e prevenção. Os objetivos do trabalho foram analisar a frequência, os fatores de risco e a tendência secular da dermatofitose em cães e gatos no período de 1979 a 2009 em Porto Alegre, RS, Brasil. Foi realizado um estudo epidemiológico observacional retrospectivo, com os dados de 6695 amostras de animais com suspeita clínica de dermatofitose (5584 (83,4%) cães e 1111 (16,6%) gatos). A frequência encontrada foi de 16,6%, sendo o fungo Microsporum canis o mais isolado em cães (78,4%) e gatos (97%). Observou-se uma maior frequência de amostras positivas provenientes de gatos. A frequência também foi maior em cães e gatos com raça definida. Nos cães foi observada maior chance de dermatofitose em animais com idade entre 1 e 24 meses e com pelagem média a longa. Já nos gatos a chance foi maior em animais jovens, onde a probabilidade de isolamento diminui aproximadamente 2...

Detecção microbiológica e molecular da bacteremia por Bartonella spp. em gatos; Molecular and microbiological detection of Bartonella spp. bacteremia in cats

Marina Rovani Drummond
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 20/08/2012 PT
Relevância na Pesquisa
37.37%
Atualmente o genero Bartonella compreende pelo menos 31 especies e subespecies, sendo 15 delas conhecidamente patogenicas ao homem. Tres especies de Bartonella estao associadas ao maior numero de manifestacoes clinicas em seres humanos. Sao elas: Bartonella bacilliformis, Bartonella quintana e Bartonella henselae. A B. henselae e a bacteria mais associada a doencas humanas e sua transmissao e muitas vezes relacionada ao trauma cutaneo causado pelo arranhao de gatos infectados. Em recente estudo, documentou-se que mais de dois por cento dos doadores de sangue da regiao de Campinas testados estavam bacteremicos por Bartonella spp. e o contato com animais foi um fator de risco para a aquisicao da infeccao. Com o objetivo de avaliar a prevalencia de bacteremia por Bartonella spp. e isolar uma cepa regional de B. henselae, e foram analisadas 112 amostras de sangue de gatos, sendo que destes, 84 (75%) eram nao domiciliados. A partir do sangue total coletado durante o procedimento cirurgico para castracao, foi realizada extracao de DNA, seguida de PCR nested que amplifica a regiao FtsZ e e especifica para B. henselae. Este sangue tambem foi inoculado em meio liquido BAPGM (Bartonella Alpha-Proteobacteria Growth liquid Medium). Apos dez dias de incubacao...

Neoplasias oculares em cães e gatos : estudo retrospetivo 2001-2012

Silva, Beatriz Rosa Fernandes Duarte da
Fonte: Universidade Técnica de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária Publicador: Universidade Técnica de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 03/05/2013 POR
Relevância na Pesquisa
37.42%
Dissertação de Mestrado Integrado em Medicina Veterinária; Apresenta-se um estudo sobre os casos de neoplasias oculares, em cães e gatos, analisados pelo Laboratório de Anatomia Patológica da Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade Técnica de Lisboa (FMV-UTL), entre 2001 e 2012. Este estudo pretende contribuir para o conhecimento da prevalência das neoplasias oculares em cães e gatos na região de Lisboa, auxiliando no diagnóstico e na terapêutica de futuros casos de neoplasias oculares. A população total estudada foi de 173 cães e de 59 gatos. Foram analisadas 192 neoplasias oculares caninas e 65 felinas, sendo a neoplasia ocular a unidade estatística. Analisou-se estatisticamente parâmetros como: raça, sexo, idade, estrutura ocular afetada, diagnóstico anatomopatológico e terapêutica instituída. O estudo estatístico foi efetuado nos programas R-Statistics® e Microsoft Office Excel 2007®. Os cães de raça indeterminada (25,8%) e os gatos da raça Europeu Comum (76,9%) foram os mais afetados. No caso das raças caninas puras, as mais afetadas foram a Retriever do Labrador (15,2%), a Caniche (12,6%) e a Cocker Spaniel (6,4%). No caso dos gatos, as raças Persa (7,7%) e Siamesa (6,2%) foram as raças puras representadas. A idade média dos animais afetados foi de 10...

Avaliação do desempenho das tiras Aution 10PA® na deteção de proteína e rácio UPC alterado na urina de cães e gatos

Matias, Marta Alexandra Nazário
Fonte: Universidade de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária Publicador: Universidade de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 01/12/2014 POR
Relevância na Pesquisa
37.37%
Dissertação de Mestrado Integrado em Medicina Veterinária; As tiras de reagentes colorimétricos que medem, de forma semi-quantitativa, os parâmetros bioquímicos da urina são utilizadas com grande frequência em Medicina Veterinária. Recente-mente, foram desenvolvidas tiras que medem a creatinina urinária, permitindo, desta forma, calcular o rácio proteína/creatinina urinário (rácio UPC). Este tem vantagem sobre a medição da proteína, porque não é influenciado pela concentração urinária. Além disso, vários estudos mostraram a correlação entre o rácio UPC e a proteína excretada em 24 horas (gold standard). Como esta não pode ser medida na prática clínica de animais de companhia, a medição do rácio UPC tornou-se o método mais utilizado para detetar e quantificar proteinúria. Geralmente, os médicos veterinários enviam as amostras para o laboratório, o que pode ser demorado, por isso iriam ter benefícios se o rácio UPC pudesse ser medido imediatamente. Neste trabalho, as tiras Aution 10PA®, desenvolvidas para a medicina humana, foram avaliadas e comparadas com os métodos de referência para a deteção de proteinúria, de rácio UPC alte-rado, de hematúria e de piúria. O objetivo foi determinar o desempenho destas tiras e a sua utilidade para o diagnóstico de proteinúria em cães (n = 17) e gatos (n = 17). As tiras foram muito sensíveis na deteção de proteinúria em cães e gatos...

Avaliação da relação proteína-creatinina urinária em gatos com doença renal crônica

Castro,Maria Cristina N.; Marcello,Gracy C.G.; Alencar,Nayro X.; Ferreira,Ana Maria R.
Fonte: Colégio Brasileiro de Patologia Animal - CBPA; Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA) Publicador: Colégio Brasileiro de Patologia Animal - CBPA; Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2009 PT
Relevância na Pesquisa
37.37%
Doença renal crônica (DRC) é a forma mais comum de doença renal em gatos. Vários fatores têm sido citados como importantes na progressão da doença, dentre eles a proteinúria. A relação proteína-creatinina (RPC) urinária em uma única amostra de urina apresenta boa correlação com a perda de proteína urinária em 24 horas. O objetivo dessa investigação foi determinar a RPC urinária em gatos com DRC adquirida naturalmente. A determinação da RPC foi realizada em nove gatos saudáveis (Grupo I) e em trinta gatos com DRC (Grupo II). Os gatos do Grupo I apresentaram RPC de 0,16±0,10 e os gatos do Grupo II apresentaram RPC de 0,53± 0,59. No Grupo II encontrou-se correlação positiva e significante da RPC com o nível de creatinina sérica. Os resultados deste estudo demonstram que a RPC urinária em gatos com DRC é bastante variável e que, à semelhança do que já havia sido previamente descrito, aproximadamente um terço dos gatos com DRC são considerados proteinúricos segundo critérios estabelecidos pela literatura (RPC urinária >0,4).

Avaliação da função diastólica por meio de Doppler tecidual pulsado e colorido em gatos da raça Maine Coon geneticamente testados para a mutação no gene MyBPC-A31P

Pellegrino,Arine; Daniel,Alexandre G.T.; Pereira,Guilherme G.; Lima Júnior,Francisco F.; Itikawa,Paula H.; Larsson,Maria Helena M.A.
Fonte: Colégio Brasileiro de Patologia Animal - CBPA; Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA) Publicador: Colégio Brasileiro de Patologia Animal - CBPA; Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2014 PT
Relevância na Pesquisa
37.4%
A cardiomiopatia hipertrófica (CMH) é a principal cardiopatia dos felinos e é caracterizada por hipertrofia miocárdica concêntrica, sem dilatação ventricular. Disfunções miocárdicas ocorrem em gatos com CMH, mas pouco se conhece a respeito destas alterações nos estágios iniciais da afecção. Em gatos da raça Maine Coon, a mutação no gene MyBPC-A31P está relacionada com a CMH de origem familial, porém, a correlação exata entre o genótipo e o fenótipo ainda é inconclusiva. A ecocardiografia tecidual é uma modalidade não invasiva que permite avaliação da função miocárdica e é mais sensível que a ecocardiografia convencional. Para avaliar as funções sistólica e diastólica, antes ou após a ocorrência de hipertrofia ventricular, gatos da raça Maine Coon (n=57), geneticamente testados para a mutação, foram avaliados por meio de ecocardiografias convencional e tecidual (nas modalidades Doppler tecidual pulsado e Doppler tecidual colorido). Posteriormente, foram fenotipicamente classificados em: normais (n=45), suspeitos (n=7) e acometidos pela CMH (n=5); e genotipicamente classificados em: negativos (n=28), heterozigotos (n=26) e homozigotos para a mutação (n=3). Valores de velocidades miocárdicas (Doppler tecidual pulsado e colorido) medidos na região basal e média do septo interventricular (SIV)...

Perfil hematológico e bioquímico sérico de gatos domésticos (Felis catus - Linnaeus, 1758), da raça Persa e mestiços

Costa, Álisson Souza
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
37.37%
O aumento do número de gatos domésticos (Felis catus) vivendo em estreita relação com o homem na condição de animal de companhia, gera, paralelamente, uma crescente demanda por novos conhecimentos sobre a espécie, em especial, sobre os parâmetros hematológicos e bioquímicos séricos, ferramentas importantes na avaliação e acompanhamento do estado de saúde e da adaptação ao estilo de vida a eles imposto. Neste contexto, o objetivo deste estudo foi determinar as variações fisiológicas, influência dos fatores raciais e do sexo nos parâmetros hematológicos e bioquímicos séricos de gatos domésticos adultos da raça Persa e mestiços. Foram analisados os parâmetros hematológicos e 24 constituintes bioquímicos séricos de 106 gatos domésticos adultos, com idade acima de 24 meses, machos e fêmeas, sendo 51 da raça Persa e 55 mestiços. Dos parâmetros hematológicos analisados observou-se que os valores médios dos neutrófilos em bastonetes dos gatos mestiços e de eosinófilos tanto dos da raça Persa como dos mestiços foram superiores aos valores de referência para a espécie. No perfil bioquímico sérico observou-se para a atividade da alanina aminotransferase (ALT) nos gatos da raça Persa e na concentração de uréia nos Persa e mestiços...

Diagnóstico molecular da infecção por hemoplasmas em gatos domésticos naturalmente infectados da cidade de Belém, Pará

Aragão-de-Sousa,Sinerey K.S.; Sampaio-Junior,Francisco D.; Sousa,Luciane O.; Santos,Rafaelle C.; Gonçalves,Evonnildo C.; Scofield,Alessandra; Góes-Cavalcante,Gustavo
Fonte: Colégio Brasileiro de Patologia Animal - CBPA; Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA) Publicador: Colégio Brasileiro de Patologia Animal - CBPA; Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2013 PT
Relevância na Pesquisa
37.37%
Mycoplasma haemofelis, 'Candidatus Mycoplasma haemominutum' e 'Candidatus Mycoplasma turicensis' são os agentes causadores da micoplasmose felina, que podem causar anemia aguda ou crônica. O objetivo deste trabalho foi determinar a ocorrência de hemoplasmas em gatos domésticos de Belém, Pará. Para isso, 201 gatos foram divididos em três grupos: Grupo A foi composto por 101 gatos de rua capturados pelo Centro de Controle de Zoonoses, o grupo B foi composto por 62 gatos domiciliados e saudáveis e o grupo C foi composto por 38 gatos domiciliados que apresentavam alguma afecção clínica. Foram coletadas amostras de sangue para a realização de Reação em Cadeia pela Polimerase (PCR) para detectar o DNA destes agentes, os quais foram sequenciados e alinhados. A análise estatística foi realizada para detectar a associação entre a infecção, o sexo dos animais e os grupos experimentais. O DNA de pelo menos uma das espécies de hemoplasmas pesquisados foi detectado em 19,9% (40/201) das amostras, sendo o DNA de 'Candidatus M. haemominutum' encontrado em 7,96% (16/201) das amostras, M. haemofelis em 1,49% (3/201) das amostras, enquanto que o DNA de 'Candidatus M. turicensis' foi detectado em 12,93% (26/201) das amostras. O DNA destes três agentes foi detectado em gatos dos grupos A e C...

Diagn?stico molecular da infec??o por hemoplasmas em gatos dom?sticos naturalmente infectados da cidade de Bel?m, Par?

SOUSA, Sinerey Karla Salim Arag?o de; SAMPAIO JUNIOR, Francisco Dantas; SOUSA, Luciane Oeiras; SANTOS, Rafaelle Cunha; GON?ALVES, Evonnildo Costa; SCOFIELD, Alessandra; CAVALCANTE, Gustavo G?es
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
37.37%
Mycoplasma haemofelis, 'Candidatus Mycoplasma haemominutum' e 'Candidatus Mycoplasma turicensis' s?o os agentes causadores da micoplasmose felina, que podem causar anemia aguda ou cr?nica. O objetivo deste trabalho foi determinar a ocorr?ncia de hemoplasmas em gatos dom?sticos de Bel?m, Par?. Para isso, 201 gatos foram divididos em tr?s grupos: Grupo A foi composto por 101 gatos de rua capturados pelo Centro de Controle de Zoonoses, o grupo B foi composto por 62 gatos domiciliados e saud?veis e o grupo C foi composto por 38 gatos domiciliados que apresentavam alguma afec??o cl?nica. Foram coletadas amostras de sangue para a realiza??o de Rea??o em Cadeia pela Polimerase (PCR) para detectar o DNA destes agentes, os quais foram sequenciados e alinhados. A an?lise estat?stica foi realizada para detectar a associa??o entre a infec??o, o sexo dos animais e os grupos experimentais. O DNA de pelo menos uma das esp?cies de hemoplasmas pesquisados foi detectado em 19,9% (40/201) das amostras, sendo o DNA de 'Candidatus M. haemominutum' encontrado em 7,96% (16/201) das amostras, M. haemofelis em 1,49% (3/201) das amostras, enquanto que o DNA de 'Candidatus M. turicensis' foi detectado em 12,93% (26/201) das amostras. O DNA destes tr?s agentes foi detectado em gatos dos grupos A e C...

Prevalence of intestinal parasites in dogs and cats under veterinary care in Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brazil; Prevalência de parasitas intestinais em cães e gatos sob cuidado veterinário em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil

Lorenzini, Gustavo; Tasca, Tiana; De Carli, Geraldo Attilio
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/2007 ENG
Relevância na Pesquisa
37.35%
O parasitismo gastrintestinal é uma das principais causas de doenças em animais domésticos. Para o estudo da prevalência de enteroparasitos foram utilizadas amostras fecais de animais de diferentes áreas da cidade de Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil, as quais foram enviadas ao Laborvet (Laboratório Veterinário Ltda), durante o período de janeiro de 2002 a dezembro de 2004. O objetivo deste estudo foi determinar a prevalência de parasitos gastrintestinais em cães e gatos, submetidos aos cuidados de médicos veterinários. Em 1761 amostras examinadas, 1473 (83,6%) eram de cães e 288 (16,4%) de gatos. Resultados positivos, nos quais foram encontrados pelo menos um parasito, foram de 26,6% (392) para amostras de cães e 20,5% (59) para as de gatos. Em ambos hospedeiros, Ancylostoma spp., Toxocara spp., Isospora spp. e Giardia spp. foram os parasitos mais encontrados. Animais de 0 a 6 meses obtiveram uma alta infecção por parasitos intestinais com 39,5% para cães e 29,5% para gatos. Isospora spp. e Toxocara spp. foram os parasitos mais diagnosticados. O verão foi a estação que apresentou a maior prevalência de parasitos com 30% para cães e 27,6% para gatos. Quando comparou-se o monoparasitismo com o poliparasitismo...

Estudo comparativo da intoxicação experimental por amitraz entre cães e gatos; Comparative study of experimental amitraz intoxication between dogs and cats

Andrade, Silvia Franco; Laposy, Cecília Braga; Rodrigues, Luciana Teramossi; Marcicano, Jacqueline; Andrade Jr, Carlos Vianna de; Appel, Thiago Luiz
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/2008 POR
Relevância na Pesquisa
37.4%
O objetivo do presente trabalho foi estudar as características em comum e as diferenças observadas na intoxicação induzida por 1 mg/kg de amitraz, IV, em cães e gatos. Os principais sinais clínicos observados em comum foram sedação, hipotermia, bradicardia, bradiarritmias, hipotensão, bradipnéia, midríase e hiperglicemia transitória, porém a intensidade destes sinais foi diferente entre as espécies. A hipotermia foi mais acentuada em gatos. Os cães foram mais sensíveis às alterações cardiorespiratórias apresentando diminuição mais significativa na freqüência cardíaca e respiratória, além de ocorrência de maior número de bradiarritmias. Os gatos apresentaram midríase mais prolongada do que os cães. Observou-se hiperglicemia e hipoinsulinemia transitórias e diminuição transitória dos níveis plasmáticos de cortisol em ambas espécies, porém os gatos apresentaram um pico de hiperglicemia maior e mais precoce do que os cães, e com relação aos níveis plasmáticos de cortisol, os cães apresentaram uma diminuição mais acentuada do que os gatos. O tempo médio de retorno da sedação foi mais prolongado em gatos. Estes resultados mostraram que a intoxicação por amitraz entre cães e gatos é muito similar...

Experiments on intramuscular inoculation and feeding domestic cats (Felis catus) with brains of mice previously infected by rabies viruses; Ensaios sobre inoculação intramuscular e alimentação de gatos domésticos (Felis catus) com cérebros de camundongos préviamente inoculados com vírus da raiva

Shirakawa, Renata Kashiwakura; Cortez, Adriana; Richtzenhain, Leonardo José; Itoou, Takuya; Sakai, Takeo; Ito, Fumio Honma
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/2007 ENG
Relevância na Pesquisa
37.35%
Dezenove gatos, divididos em quatro grupos, foram alimentados com cérebros de camundongos infectados com vírus de raiva. Cada um dos quatro gatos (grupo I) receberam quatro cérebros infectados com vírus fixo PV; nove gatos (grupo II) ingeriram 4-5 cérebros infectados com uma amostra de campo T-9/95, isolada do morcego Desmodus rotundus; dois gatos (grupo III) ingeriram 10 cérebros infectados com T-9/95 e quatro gatos (grupo IV) ingeriram 32-37 cérebros infectados com vírus PV. Um macho adulto, inoculado no músculo masséter, com uma suspensão cerebral a 20% da amostra T-9/95, desenvolveu raiva após período de incubação de seis dias, seguidos por oito dias de evolução clínica, morrendo em seguida. Este gato foi denominado de "padrão positivo". Após observação por um período de 20-230 dias, todos os gatos que receberam cérebros foram submetidos à eutanásia, utilizando Acepran®, Zoletil® e T-61®. À necropsia, foram colhidas amostras do cérebro, coração, pulmão, rim, glândula salivar submaxilar e medula cervical e submetidas à prova de imunofluorescência direta (IFD), inoculação em camundongos (IC), e reação em cadeia pela polimerase-transcriptase reversa (RT-PCR). No "padrão positivo", cérebro...