Página 1 dos resultados de 725 itens digitais encontrados em 0.033 segundos

Absence of galectin-3 does not affect the development of experimental tongue carcinomas in mice

FARIA, Paulo Rogerio de; CHAMMAS, Roger; MELO, Thaissa Lopes de; HSU, Daniel K.; LIU, Fu-Tong; NONOGAKI, Suely; CARDOSO, Sergio Vitorino; LOYOLA, Adriano Mota
Fonte: ACADEMIC PRESS INC ELSEVIER SCIENCE Publicador: ACADEMIC PRESS INC ELSEVIER SCIENCE
Tipo: Artigo de Revista Científica
ENG
Relevância na Pesquisa
66.53%
Background: Galectin-3 is a lectin that presents pivotal roles in tumor biology and there are no studies evaluating their expression in dysplasias and carcinomas developed from tongue carcinogenesis models. Aims: To investigate the role of galectin-3 in the development of tongue carcinomas using a mouse model of oral carcinogenesis. Methods: Galectin-3-deficient (gal3(-/-)) and wild-type (gal3(+/+)) mice were challenged with 4-nitroquinoline-1-oxide in drinking water for 16 weeks and killed at different times. Tongues were removed and the number of dysplasias and carcinomas was counted. An immunohistochemical study for galectin-3 was performed only in the tongue from gal3(+/+) mice. Results: In both groups, a reduction of dysplasias and an increase of carcinomas from week 16 to week 32 (p > 0.05) were observed. A predominance of high cytoplasmic and nuclear galectin-3 expression was observed in carcinomas (64.7%) and dysplasias (55.5%), respectively (p > 0.05). The perilesional areas always presented a statistical cytoplasmic and nuclear galectin-3 overexpression. Conclusions: Absence of galectin-3 did not directly affect the process of carcinogenesis and a cytoplasm shift of galectin-3 seems to be associated with development of tongue carcinomas. (C) 2010 Elsevier Inc. All rights reserved.; National Council for Research and Development (CNPq); Research Supporting Foundation of Minas Gerais (FAPEMIG)

Coordinated expression of galectin-3 and galectin-3-binding sites in malignant mammary tumors: implications for tumor metastasis

OLIVEIRA, Joana Tavares de; MATOS, Augusto J. F. de; GOMES, Joana; VILANOVA, Manuel; HESPANHOL, Venceslau; MANNINEN, Aki; RUTTEMAN, Gerard; CHAMMAS, Roger; GAERTNER, Fatima; BERNARDES, Emerson Soares
Fonte: OXFORD UNIV PRESS INC Publicador: OXFORD UNIV PRESS INC
Tipo: Artigo de Revista Científica
ENG
Relevância na Pesquisa
66.63%
Galectin-3 is a glycan-binding protein that mediates cell-cell and/or cell-extracellular matrix (ECM) interactions. Although galectin-3 is implicated in the progression of various types of cancers, the mechanisms by which galectin-3 enhances metastasis remain unclear. In order to elucidate the role of galectin-3 in the complex multistage process of cancer metastasis, we examined galectin-3 and galectin-3-binding site expression in a series of 82 spontaneous canine mammary tumors (CMT) and two CMT cell lines. Benign CMT tumors exhibited strong nuclear/cytoplasmic galectin-3 immunostaining, whereas malignant CMT tumors and metastases exhibited dramatically decreased galectin-3 expression with the majority of the immunostaining confined to the cytoplasm. Interestingly, intravascular tumor cells overexpressed galectin-3 regardless of their location. CMT-U27 xenografts displayed the same pattern of galectin-3 expression found in spontaneous malignant CMT. In parallel with the downregulation of galectin-3, malignant CMT displayed an overall loss of galectin-3-binding sites in the ECM and focal expression of galectin-3-binding sites mainly detected in intravascular tumor cells and endothelium. Furthermore, loss of galectin-3-binding sites was correlated with the downregulation of GLT25D1...

Galectin-3 regulates peritoneal B1-cell differentiation into plasma cells

OLIVEIRA, Felipe L.; CHAMMAS, Roger; RICON, Lauremilia; FERMINO, Marise L.; BERNARDES, Emerson S.; HSU, Daniel K.; LIU, Fu-Tong; BOROJEVIC, Radovan; EL-CHEIKH, Marcia C.
Fonte: OXFORD UNIV PRESS INC Publicador: OXFORD UNIV PRESS INC
Tipo: Artigo de Revista Científica
ENG
Relevância na Pesquisa
66.51%
Extracellular galectin-3 participates in the control of B2 lymphocyte migration and adhesion and of their differentiation into plasma cells. Here, we analyzed the role of galectin-3 in B1-cell physiology and the balance between B1a and B1b lymphocytes in the peritoneal cavity. In galectin-3(-/-) mice, the total number of B1a lymphocytes was lower, while B1b lymphocyte number was higher as compared to wild-type mice. The differentiation of B1a cells into plasma cells was associated with their abnormal adhesion and location on the mesentery. The B220 and CD43, constitutively expressed by B1 lymphocytes, were respectively up- and downregulated in galectin-3(-/-) mice. Mononuclear cells were strongly adhered to the mesenteric membranes of both CD43(-/-) and galectin-3(-/-) mice, but in contrast to CD43(-/-) mice, the accumulation of B1 cells in peritoneal membranes in galectin-3(-/-) mice was accompanied by their functional differentiation into plasma cells. We have shown that in the absence of galectin-3, B1-cell differentiation into plasma cells is favored and the dynamic equilibrium of B1-cell populations in the peritoneum is maintained through a compensatory increase in B1b lymphocytes.; Conselho Nacional de Pesquisa (CNPq); Fundacoes de Amparo a Pesquisa do Estado de Sao Paulo (FAPESP); Associacao Paul Ehrlich de Biologia Celular Aplicada a Medicina (APABCAM)

Differential expression of galectin-3, beta-catenin, and cyclin D1 in adenoid cystic carcinoma and polymorphous low-grade adenocarcinoma of salivary glands

FERRAZZO, K. L.; NETO, M. M.; SANTOS, E. dos; PINTO, D. dos Santos; SOUSA, S. O. M. de
Fonte: WILEY-BLACKWELL PUBLISHING, INC Publicador: WILEY-BLACKWELL PUBLISHING, INC
Tipo: Artigo de Revista Científica
ENG
Relevância na Pesquisa
66.55%
Background: Galectin-3 has been implicated in tumor progression of some malignancies as thyroid, prostate, and salivary gland tumors. Recently, it has been suggested that this protein may be an important mediator of the beta-catenin/Wnt pathway. Moreover, nuclear galectin-3 expression has been implicated in cell proliferation, promoting cyclin D1 activation. Thus, the present study aimed to correlate galectin-3 expression with beta-catenin and cyclin D1 expressions in adenoid cystic carcinoma (ACC) and in polymorphous low-grade adenocarcinoma (PLGA). Methods: Fifteen formalin-fixed paraffin-embedded cases of each tumor were retrieved from the files of the Surgical Oral Pathology Service at the University of Sao Paulo and the proteins were analyzed by immunohistochemistry. Results: Adenoid cystic carcinoma showed galectin-3 immunostaining mainly in the nuclei, while PLGA revealed a positive mostly cytoplasmic reaction to galectin-3 in the largest part of tumor cells. Both tumors showed intense cytoplasmic/nuclear staining for beta-catenin in majority of cases. Cyclin D1 immunoreactivity was not detected in 14/15 PLGA and showed specific nuclear staining in 10/15 cases of ACC in more than 5% of the neoplastic cells. Cyclin D1 expression was correlated with cytoplasmic and nuclear galectin-3 expression in ACC (P < 0.05). Conclusions: These results suggest that in ACC galectin-3 may play a role in cellular proliferation through cyclin D1 activation. In addition...

A Role for galectin-3 in renal tissue damage triggered by ischemia and reperfusion injury

BERTOCCHI, Ana Paula Fernandes; CAMPANHOLE, Gabriela; WANG, Pamella Huey Mei; GONCALVES, Giselle Martins; DAMIAO, Marcio Jose; CENEDEZE, Marcos Antonio; BERALDO, Felipe Caetano; TEIXEIRA, Vicente de Paula Antunes; REIS, Marlene Antonia dos; MAZZALI, Maril
Fonte: WILEY-BLACKWELL Publicador: WILEY-BLACKWELL
Tipo: Artigo de Revista Científica
ENG
Relevância na Pesquisa
66.47%
Ischemic-reperfusion injury (IRI) triggers an inflammatory response involving neutrophils/macrophages, lymphocytes and endothelial cells. Galectin-3 is a multi-functional lectin with a broad range of action such as promotion of neutrophil adhesion, induction of oxidative stress, mastocyte migration and degranulation, and production of pro-inflammatory cytokines. The aim of this study was evaluate the role of galectin-3 in the inflammation triggered by IRI. Galectin-3 knockout (KO) and wild type (wt) mice were subjected to 45 min of renal pedicle occlusion. Blood and kidney samples were collected at 6, 24, 48 and 120 h. Blood urea was analyzed enzymatically, while MCP-1, IL-6 and IL-1 beta were studied by real-time PCR. Reactive oxygen species (ROS) was investigated by flow cytometry. Morphometric analyses were performed at 6, 24, 48 and 120 h after reperfusion. Urea peaked at 24 h, being significantly lower in knockout animals (wt = 264.4 +/- 85.21 mg/dl vs. gal-3 KO = 123.74 +/- 29.64 mg/dl, P = 0.001). Galectin-3 knockout animals presented less acute tubular necrosis and a more prominent tubular regeneration when compared with controls concurrently with lower expression of MCP-1, IL-6, IL-1 beta, less macrophage infiltration and lower ROS production at early time points. Galectin-3 seems to play a role in renal IRI involving the secretion of macrophage-related chemokine...

The involvement of the spleen during chronic phase of Schistosoma mansoni infection in galectin-3(-/-) mice

Brand, Camila; Oliveira, Felipe L.; Takiya, Christina M.; Palumbo, Antonio, Jr.; Hsu, Daniel K.; Liu, Fu-Tong; Borojevic, Radovan; Chammas, Roger; El-Cheikh, Marcia C.
Fonte: F HERNANDEZ; MURCIA Publicador: F HERNANDEZ; MURCIA
Tipo: Artigo de Revista Científica
ENG
Relevância na Pesquisa
66.53%
Schistosoma mansoni synthesizes glycoconjugates which interact with galectin-3, eliciting an intense humoral immune response. Moreover, it was demonstrated that galectin-3 regulates B cell differentiation into plasma cells. Splenomegaly is a hallmark event characterized by polyclonal B cell activation and enhancement of antibody production. Here, we investigated whether galectin-3 interferes with spleen organization and B cell compartment during chronic schistosomiasis, using wild type (WT) and galectin-3(-/-) mice. In chronically-infected galectin-3(-/-) mice the histological architecture of the spleen, including white and red pulps, was disturbed with heterogeneous lymphoid follicles, an increased number of plasma cells (CD19(-)B220(-/low)CD138(+)) and a reduced number of macrophages (CD19(-)B220(-)Mac-1(+)CD138(-)) and B lymphocytes (CD19(+)B220(+/high)CD138(-)), compared with the WT infected mice. In the absence of galectin-3 there was an increase of annexin-V+PI- cells and a major presence of apoptotic cells in spleen compared with WT infected mice. In spleen of WT infected mice galectin-3 was largely expressed in lymphoid follicles and extrafollicular sites. Thus, we propose that galectin-3 plays a role in splenic architecture...

"Expressão imunoistoquímica da proteína galectina-3 em carcinoma adenóide cístico e adenocarcinoma polimorfo de baixo grau de malignidade de glândulas salivares" ; Galectin-3 immunoprofile in adenoid cystic carcinoma and polymorphous low-grade adenocarcinoma of salivary glands

Ferrazzo, Kivia Linhares
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 04/07/2006 PT
Relevância na Pesquisa
66.53%
O carcinoma adenóide cístico e o adenocarcinoma polimorfo de baixo grau de malignidade são neoplasias malignas das glândulas salivares que apresentam semelhança nos padrões histológicos, porém com comportamento clínico, tratamento e prognóstico completamente diferentes. A galectina-3 é uma proteína multifuncional da família das lectinas que está envolvida em vários fenômenos biológicos como crescimento celular, adesão celular, diferenciação celular e apoptose. Além disso, tem sido estudada como um marcador de invasão tumoral e metástase. O objetivo deste trabalho foi estudar qualitativamente a expressão imunoistoquímica da galectina-3 em 14 casos de carcinoma adenóide cístico (2 do subtipo tubular, 4 do subtipo sólido e 8 do subtipo cribriforme) e em 12 casos de adenocarcinoma polimorfo de baixo grau de malignidade com padrões histológicos variados, incluindo os padrões lobular, tubular e cribriforme. Espécimes de glândula salivar normal foram também incluídos na amostra. Nas glândulas salivares normais houve forte marcação da galectina-3 no núcleo e no citoplasma das células luminais dos ductos. Nos carcinomas adenóides císticos houve uma maior marcação da galectina-3 no subtipo tubular...

"Predição do risco de metástase do carcinoma bem diferenciado da glândula tireóide pela quantificação digital da imunoexpressão da galectina-3 nos compartimentos do tireócito maligno" ; Prediction of metastasis risk in well-differentiated thyroid carcinoma based on digital quantification of galectin-3 immunoexpression in subcellular compartments of the malignant thyrocyte

Stabenow, Elaine
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 21/08/2006 PT
Relevância na Pesquisa
66.62%
INTRODUÇÃO: Os carcinomas papilífero e folicular são neoplasias malignas primárias da glândula tireóide. Em conjunto, recebem o nome de carcinoma bem diferenciado. Determinar o risco individual da ocorrência de metástase nesses casos auxilia na seleção da terapêutica que é atualmente baseada na classificação de acordo com fatores prognósticos, aos quais pode ser associada a pesquisa de marcadores biológicos. Dentre eles, destaca-se a galectina-3, cujas funções exercidas nos compartimentos celulares foram descritas em uma variedade de neoplasias. Entretanto, seu papel no carcinoma tireóideo permanece controverso. Com o intuito de investigar se a galectina-3 pode auxiliar na predição do risco individual da ocorrência de metástase e se está associada aos critérios de malignidade do carcinoma bem diferenciado, a presente pesquisa objetivou verificar as seguintes hipóteses: 1) se há diferença da imunoexpressão da galectina-3 nos compartimentos do tireócito maligno entre os doentes com e sem metástase e se é possível predizer o risco de metástase em função da quantificação digital desse marcador; 2) se há diferença da imunoexpressão da galectina-3 entre o tecido tireóideo maligno e o não neoplásico; conforme a presença de invasão tecidual; e conforme a sobrevivência; 3) se há indício do envolvimento da galectina-3 com apoptose...

Evidência da dualidade funcional de galectina-3 no crescimento de melanoma murino; Evidence for a dual role of galectin-3 in murine melanoma growth

Andrade, Luciana Nogueira de Sousa
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 17/04/2007 PT
Relevância na Pesquisa
66.63%
Tumores são definidos como microambientes compostos não só pelas células malignas, mas também por células endoteliais, fibroblastos e leucócitos, que promovem o crescimento tumoral e a angiogênese. Galectina-3, uma proteína que se liga a b- galactosídeos, é abundantemente expressa por monócitos/macrófagos, dentre outros leucócitos. Inúmeras evidências sugerem que galectina-3 atua como uma molécula reguladora da resposta inflamatória. Tendo em vista que o infiltrado inflamatório pode promover a progressão de tumores, o objetivo do presente trabalho foi avaliar se galectina-3, expressa tanto pela célula tumoral como pelas células estromais, modula o crescimento de melanoma. Para tal, células de melanoma murino Tm1 foram transfectadas com o gene de galectina-3. Ambos clones celulares (galectina-3 positivos e negativos) foram injetados na intrafáscia ou no subcutâneo de camundongos (fêmeas) C57BL/6 selvagens e/ou nocautes para o gene de galectina-3 para análise da implantabilidade e crescimento tumoral. Com relação à implantabilidade, não foi observado diferenças no estabelecimento de uma massa tumoral proliferativa em animais selvagens inoculados com células Tm1 transfectadas ou não com o gene de galectina-3 em animais selvagens. Em relação a taxa de crescimento dos tumores...

Mecanismos associados à perda de expressão do gene de galectina-3 em um modelo de progressão de melanoma murino; Mechanisms associated to the loss of galectin-3 gene expression in a model of murine melanoma progression

Teixeira, Veronica Rodrigues
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 11/04/2007 PT
Relevância na Pesquisa
66.58%
Galectina-3 é uma lectina animal que apresenta afinidade por b- galactosídeos e que tem sido associada à progressão tumoral e metástase. A expressão de galectina-3 encontra-se alterada durante a progressão tumoral de diferentes neoplasias. Em tumores como carcinoma de tiróide e bexiga a expressão de galectina-3 encontra-se aumentada, enquanto que em tumores como carcinoma de mama e ovário a expressão desta lectina encontra-se diminuída. Neste trabalho nós utilizamos um modelo de progressão tumoral de melanoma murino para investigar os mecanismos envolvidos na perda de expressão de galectina-3. Este modelo é composto por uma linhagem de melanócitos imortalizados (melan-a) e duas linhagens de melanoma de crescimento vertical (Tm1 e Tm5) estabelecidas após submeter a linhagem melan-a a inúmeros ciclos de de-adesão. Enquanto melan-a acumula grandes quantidades de galectina-3, as linhagens Tm1 e Tm5 deixaram de expressar o gene de galectina-3. Análise da região 5' do gene de galectina-3 demonstrou que esta região apresentava grande conteúdo de dinucleotídeos CpG e vários sítios SP1. O seqüenciamento desta região após tratamento do DNA com bissulfito de sódio mostrou que esta região estava totalmente metilada nas linhagens Tm1 e Tm5 e desmetilada na linhagem melan-a. O tratamento da linhagem Tm1 com 5-Aza-2'-deoxicitidina (5-Aza-CdR)...

A galectina-3 na fisiologia e no câncer de tiróide: identificação de SNPs no gene LGALS3 e estudo funcional de galectina-3 in vitro e in vivo; Galectin-3 in thyroid physiology and cancer: identification of SNPs in the LGALS3 gene and functional study of galectin-3 in vitro and in vivo.

Martins, Luciane
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 17/04/2008 PT
Relevância na Pesquisa
66.51%
Neste estudo, investigamos o envolvimento de galectina-3 na fisiologia e no câncer de tiróide usando vários modelos biológicos e metodologias. Observamos que o gene LGALS3 apresenta um SNP no códon 98, mas não observamos correlação entre os genótipos deste SNP e fenótipo de câncer de tiróide. Na linhagem de tiróide de rato PCCl3, mostramos que a indução da expressão do oncogene RET/PTC promove o aumento da expressão de galectina-3, no entanto, a expressão de galectina-3, por si só, não confere vantagem de proliferação à célula. Por outro lado, na linhagem de carcinoma papilífero de tiróide TPC-1, a galectina-3 contribui para a sobrevivência da célula tumoral e progressão do ciclo celular, aumentando a expressão de c-Myc, diminuindo a expressão de p21 e caspase-3, e favorecendo a ativação de importantes vias envolvidas no controle do ciclo celular. Além disto, em modelos in vivo e in vitro, a galectina-3 interferiu na função e diferenciação da célula folicular tiroidiana, exercendo um papel indireto na regulação da expressão da tireoglobulina e atividade de TTF-1.; In this study, we investigate the involvement of galectin-3 in thyroid physiology and cancer using several biological models and methodologies. We observed that LGALS3 gene presents a SNP in codon 98...

Estudo da expressão imunoistoquímica da proteína galectina-3 associada à -catenina e ciclina D1 em carcinoma adenóide cístico e adenocarcinoma polimorfo de baixo grau de malignidade de glândulas salivares; Differential expression of galectin-3, -catenin and cyclin D1 in adenoid cystic carcinoma and polymorphous low-grade adenocarcinoma of salivary glands

Ferrazzo, Kivia Linhares
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 31/10/2008 PT
Relevância na Pesquisa
66.58%
Neoplasias malignas das glândulas salivares são lesões raras e o mecanismo pelo qual esses tumores progridem ainda não está completamente esclarecido na literatura. A galectina-3 é uma proteína multifuncional expressa em uma grande quantidade de tecidos normais, mas que também tem sido associada à progressão tumoral de neoplasias malignas da tireóide, próstata e neoplasias gástricas. Estudos prévios demonstraram que a galectina-3 está também expressa em algumas neoplasias malignas das glândulas salivares como carcinoma adenóide cístico e adenocarcinoma polimorfo de baixo grau de malignidade. Recentemente foi sugerido que a superexpressão da galectina-3 controla alterações nos níveis de expressão de alguns reguladores do ciclo celular, dentre eles a ciclina D1. Além disso, outros estudos revelaram que a ciclina D1 é ativada pela -catenina de uma maneira dependente da galectina-3. O objetivo desse trabalho foi comparar a marcação imunoistoquímica nuclear e / ou citoplasmática da galectina-3 no carcinoma adenóide cístico e adenocarcinoma polimorfo de baixo grau tentando relacioná-la à marcação da -catenina e ciclina D1. Foram realizadas reações de imunoistoquímica para as três proteínas em 15 casos de carcinoma adenóide cístico e em 15 casos de adenocarcinoma polimorfo de baixo grau utilizando-se material parafinado. Para a galectina-3 os carcinomas adenóides císticos apresentaram marcação imunoistoquímica apenas nas células luminais...

Resposta celular associada à expressão de galectina-3 em linhagens de melanoma expostas a irradiação; Cellular response associated to galectin-3 expression in exposed irradiation melanoma cells

Bustos, Silvina Odete
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 10/03/2014 PT
Relevância na Pesquisa
66.52%
O câncer de pele é um dos mais frequentes entre humanos, sendo o melanoma o tipo menos comum, mas com grande importância devido à agressividade que ele apresenta. Um dos principais agentes etiológicos deste tipo de tumor é a radiação ultravioleta proveniente da luz solar. A fração de radiação ultravioleta B (UVB) gera dano no DNA e induz alterações nas células da pele após a exposição prolongada e sem proteção. A resposta à luz UVB em melanócitos e melanomas é diferente, mostrando a importância do perfil celular. O efeito genotóxico da luz UVB pode alterar a expressão de moléculas como galectina-3 e MAPKs, desencadeando respostas UVB-dependentes. Galectina-3 é uma lectina que reconhece beta-galactosídeos e está envolvida na regulação de diversos processos celulares que modificam a viabilidade celular e a proliferação. Esta molécula é ubiquamente expressa apresentando um comportamento específico dependendo da sua localização subcelular. No presente trabalho mostramos que a distribuição de galectina-3 em melanoma e melanócitos é ampla, encontrando-se tanto no núcleo como no citoplasma, podendo ser modificada após irradiação UVB ou ainda secretada para o meio extracelular. Além disso, observamos que a luz UVB ativa a via de MAPKs...

Exploração funcional do processo de glicosilação aberrante em tumores: mecanismos envolvidos na atividade pró-migratória de galectina-3; Exploiting the functional significance of aberrant glycosylation in tumors: mechanisms involved in the promigratory activity of galectin-3

Melo, Fabiana Henriques Machado de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 23/02/2006 PT
Relevância na Pesquisa
66.62%
Ao longo do processo de progressão tumoral, se observa alteração na expressão de glicoconjugados contendo oligossacarídeos N-ligados. Uma das formas mais comuns de glicosilação aberrante observada em células transformadas e em tumores humanos é representada por (poli)lactosaminas presentes em oligossacarídeos N-ligados. Estes glicanos são ligantes de galectina-3. Com o objetivo de identificar a expressão e distribuição dos ligantes de galectina-3 associados a processos fisiopatológicos, como a transformação maligna, desenvolvemos uma proteína quimérica, a galectina-3 conjugada a fosfatase alcalina (Gal-3/FA). Observamos que a Gal-3/FA possui a mesma especificidade de galectina-3 e que pode ser usada como sonda em ensaios de overlay e ensaios de imunoistoquímica. Entre os ligantes de galectina-3 identificamos a ?1 integrina, mediador de processos biológicos dependentes da interação célula-matriz como a migração celular. Linhagens de células de origem mesenquimal derivadas de tumores induzidos com metilcolantreno de animais selvagens (linhagens S11 e S12) e nulizigoto (linhagem ?12) para o gene da galectina-3 foram estabelecidas. Avaliamos a capacidade migratória dessas células e os nossos resultados mostraram que células que expressam galectina-3 são mais migratórias em superfícies de laminina-1. Este dado sugere que a galectina-3 seja um modulador positivo do processo de migração celular em superfícies de laminina-1. No entanto...

Modulação da expressão de galectina-3 frente às pressões seletivas de pH e oxigenação: um mecanismo para a heterogeneidade intratumoral?; Modulation of galectin-3 expression regarding to pH and oxygenation selective pressures: a mechanism for intratumoral heterogeneity?

Cardoso, Ana Carolina Ferreira
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 31/10/2014 PT
Relevância na Pesquisa
66.58%
A heterogeneidade intratumoral é um fenômeno extremamente importante para entender a progressão tumoral e a resposta à intervenção terapêutica. A galectina-3 pertence à família das lectinas, possuem a função de reconhecimento e ligação à ?-galactosídeos ramificados de glicolipídeos e glicoproteínas, e está envolvida em processos fisiológicos e patológicos como o câncer. Nesse trabalho, a heterogeneidade intratumoral em relação à expressão de galectina-3 foi observada em amostras de diferentes lesões melanocíticas de pacientes. Além disso, o inóculo de células de melanoma murino negativas para galectina-3 em animais gal3-/- gerou tumores constituídos por uma fração de células tumorais que passaram a expressar de novo galectina-3, sugerindo que pressões do microambiente tumoral modulam a expressão dessa lectina em melanomas. A acidose extracelular atuou como regulador negativo de galectina-3 in vitro, diminuindo a expressão dessa lectina tanto em células de melanoma murino e humano quanto em melanócito murino. Entretanto, a hipóxia, seja pela exposição aguda ou intermitente, não alterou a expressão in vitro de galectina-3 em células de melanoma humano. Por fim, tumores originados pelo inóculo de células tumorais positivas e negativas para galectina-3 (mimetizando tumores heterogêneos) obtiveram a maior taxa de crescimento tumoral comparados aos tumores constituídos por uma única população de células...

A Role for galectin-3 in renal tissue damage triggered by ischemia and reperfusion injury

BERTOCCHI, Ana Paula Fernandes; CAMPANHOLE, Gabriela; WANG, Pamella Huey Mei; GONCALVES, Giselle Martins; DAMIAO, Marcio Jose; CENEDEZE, Marcos Antonio; BERALDO, Felipe Caetano; TEIXEIRA, Vicente de Paula Antunes; REIS, Marlene Antonia dos; MAZZALI, Maril
Fonte: WILEY-BLACKWELL Publicador: WILEY-BLACKWELL
Tipo: Artigo de Revista Científica
ENG
Relevância na Pesquisa
66.47%
Ischemic-reperfusion injury (IRI) triggers an inflammatory response involving neutrophils/macrophages, lymphocytes and endothelial cells. Galectin-3 is a multi-functional lectin with a broad range of action such as promotion of neutrophil adhesion, induction of oxidative stress, mastocyte migration and degranulation, and production of pro-inflammatory cytokines. The aim of this study was evaluate the role of galectin-3 in the inflammation triggered by IRI. Galectin-3 knockout (KO) and wild type (wt) mice were subjected to 45 min of renal pedicle occlusion. Blood and kidney samples were collected at 6, 24, 48 and 120 h. Blood urea was analyzed enzymatically, while MCP-1, IL-6 and IL-1 beta were studied by real-time PCR. Reactive oxygen species (ROS) was investigated by flow cytometry. Morphometric analyses were performed at 6, 24, 48 and 120 h after reperfusion. Urea peaked at 24 h, being significantly lower in knockout animals (wt = 264.4 +/- 85.21 mg/dl vs. gal-3 KO = 123.74 +/- 29.64 mg/dl, P = 0.001). Galectin-3 knockout animals presented less acute tubular necrosis and a more prominent tubular regeneration when compared with controls concurrently with lower expression of MCP-1, IL-6, IL-1 beta, less macrophage infiltration and lower ROS production at early time points. Galectin-3 seems to play a role in renal IRI involving the secretion of macrophage-related chemokine...

Aplicação de métodos de imagem molecular no estudo dos efeitos terapêuticos da galectina-3 em glioblastoma; Application of molecular imaging methods in the study of the therapeutic effects of galectin-3 in glioblastoma

Mitsuoka, Ronny Mikyo
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 05/08/2015 PT
Relevância na Pesquisa
66.62%
O glioma de grau IV (geralmente chamado de Glioblastoma Multiforme - GBM) é o tumor mais agressivo e maligno do sistema nervoso central. A elevada mortalidade e baixa expectativa de vida proporcionado por esta doença, tem direcionado os esforços de muitos pesquisadores no desenvolvimento de novas formas de diagnóstico precoce, assim como a busca por terapias inovadoras. A galectina-3, uma proteína ligante de glicanas, é expressa diferencialmente em tecido normal vs. neoplásico e possui um papel importante na adesão, diferenciação, imunomodulação, apoptose, ciclo celular, assim como processos de transformação e progressão neoplásica. Diversos estudos têm demonstrado que a interferência nas funções exercidas pela galectina-3 pode representar uma estratégia promissora no tratamento de vários tipos de tumores, incluindo o glioblastoma. De fato, tem se verificado que a administração da forma truncada de galectina-3 em modelos experimentais murinos, possui um efeito antitumoral significativo quando administrada em conjunto com quimioterápicos. No entanto, ainda não se encontra esclarecido se a interferência com as funções da galectina-3 endógena são exercidas diretamente no microambiente tumoral ou de maneira sistêmica. Dessa forma...

Expressão de galectina-3 e beta-catenina em lesões pré-malignas e carcinomatosas de língua de camundongos; Galectin-3 and beta-catenin expression in premalignant and carcinomatous lesions in tongue of mice

SANT'ANA, Juliana Moreira de Almeida; MENDONÇA, Daniella Fernandes; CHAMMAS, Roger; NONOGAKI, Suely; CARDOSO, Sérgio Vitorino; LOYOLA, Adriano Mota; FARIA, Paulo Rogério de
Fonte: Sociedade Brasileira de Patologia ClínicaSociedade Brasileira de PatologiaSociedade Brasileira de Citopatologia Publicador: Sociedade Brasileira de Patologia ClínicaSociedade Brasileira de PatologiaSociedade Brasileira de Citopatologia
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
66.54%
INTRODUÇÃO: A galectina-3 (GAL3) apresenta importantes papéis na biologia tumoral e recentemente foi mostrada a sua participação na via de sinalização Wnt, translocando a beta-catenina para o núcleo. Expressão alterada de GAL3 e beta-catenina tem sido descrita em cânceres, mas não há estudos avaliando a expressão de ambas em displasias e carcinomas desenvolvidos em modelos de carcinogênese de língua. OBJETIVOS: Estudar a expressão de GAL3 e beta-catenina em lesões displásicas e carcinomas induzidos experimentalmente em língua de camundongos. MATERIAL E MÉTODOS: Vinte camundongos C57BL/6 machos foram desafiados com 4NQO na água de beber por 16 semanas e sacrificados na semana 16 e 32. Após o sacrifício, as línguas foram removidas, processadas, coradas por hematoxilina e eosina (HE) para detecção de displasias e carcinomas. Ensaio imuno-histoquímico foi realizado para determinar o índice de positividade para GAL3 e beta-catenina nessas lesões, bem como uma correlação entre elas em carcinomas. RESULTADOS: O número de camundongos afetados por carcinoma aumentou entre as semanas 16 e 32 (22,2% vs. 88,9%) e o de displasia diminuiu (66,7% vs. 11,1%). Um aumento de células positivas para beta-catenina não membranosa e GAL3 citoplasmática foi observado nas displasias e nos carcinomas...

Analise de possiveis mecanismos e consequencias funcionais da expressão de galectina-3 em celulas de glioma expostas a condições hipoxicas; Analysis of possible mechanisms and functional consequences of galectin-3 expression in glioma cells exposed to hypoxia

Rafael Yamashita Ikemori
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 19/05/2009 PT
Relevância na Pesquisa
66.55%
Gliomas são tumores primários do sistema nervoso central e o glioblastoma multiforme é sua forma clínica mais comum e de pior prognóstico. Na tentativa de entender sua biologia, a linhagem NG97 foi estabelecida, demonstrando características de glioblastoma com atipia nuclear e elevadas taxas de mitose. Recentemente, descobriu-se que esta é uma linhagem híbrida humano-murina derivada da fusão de células de astrocitoma humano e estroma murino que provavelmente ocorreu no processo de estabelecimento desta linhagem, a qual foi posteriormente denominada NG97ht. Esta linhagem apresenta crescimento de massas tumorais quando inoculada em camundongos imunodeficientes, demonstrando características histopatológicas de pseudopaliçada, comuns a glioblastomas. Estas são regiões hipercelulares que margeiam ambientes necróticos e postula-se que sejam células migrantes de ambientes necróticos/hipóxicos. Além disso, estas áreas têm como característica a expressão de moléculas relacionadas à adaptação a hipóxia, como o fator induzido por hipóxia (HIF), atuando na sobrevivência celular pela indução de diferentes genes. É visto que em hipóxia há aumento da produção de galectina-3, a qual está envolvida em diversos processos celulares e que é somente expressa nestas regiões de pseudopaliçada...

Imunolocalização de galectina-3 na sinfise pubica de camundongos durante a prenhez e pos-parto; Immunolocalization of galectin-3 in mouse public symphysis during pregnancy and post-partum

Maria Amalia Cavinato Nascimento
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 23/10/2009 PT
Relevância na Pesquisa
66.53%
É reconhecido que a sínfise púbica de algumas espécies de mamíferos, incluindo camundongos, passa por transformações estruturais durante a prenhez e no período pós-parto. Estas transformações incluem o surgimento de um ligamento interpúbico e o amolecimento deste tecido nos dois últimos dias antes do parto. Este ligamento permite a separação dos ossos púbicos, garantindo a passagem segura do feto pelo canal de parto. Após o parto ocorre a involução deste ligamento. Ambos os períodos de remodelação tecidual envolvem grandes modificações da matriz extracelular e de seus componentes, bem como um balanço entre proliferação e morte celular programada. A galectina-3, uma lectina animal com especificidade de ligação por ß-galactosídeos, é uma proteína amplamente distribuída entre diferentes tipos de células e tecidos, podendo ser encontrada dentro das células tanto no núcleo quanto no citoplasma, ou ainda na superfície celular ou no espaço extracelular. Através de interações específicas com diversos ligantes intra e extracelulares, a galectina-3 participa de numerosos processos fisiológicos e patológicos, como por exemplo, desenvolvimento, reações imunes, controle do ciclo celular, apoptose e metástase. Este estudo teve como objetivo localizar a expressão de galectina-3 nas populações celulares que compõem esta articulação durante o período de prenhez...