Página 1 dos resultados de 416 itens digitais encontrados em 0.005 segundos

Polimorfismos nos genes NAT2, CYP2E1, GSTT1, GSTM1 e ABCB11 e hepatotoxicidade induzida pela isoniazida

Carvalho, Maria Teresa Penetra Moura de
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
ENG
Relevância na Pesquisa
27.84%
A isoniazida (INH) é essencial ao tratamento da tuberculose mas é, igualmente, um dos fármacos mais frequentemente associados a episódios de hepatotoxicidade (HT) graves, por vezes fatais. A suscetibilidade individual a este efeito secundário é um fenótipo multifatorial na dependência de fatores genéticos e não genéticos. A identificação dos fatores genéticos envolvidos pode contribuir para a individualização e otimização da terapêutica. A variabilidade individual dos níveis séricos da INH é determinada essencialmente por polimorfismos da N-acetiltransferase, codificada pelo gene NAT2. A genotipagem do NAT2 permite a identificação dos vários haplótipos, possibilitando a classificação dos indivíduos em acetiladores lentos (AL), de elevado risco para HT, acetiladores intermédios (AI) e rápidos (AR). Outras enzimas polimórficas intervenientes são o citocromo P-450 2E1 (CYP2E1), que converte a INH em metabolitos tóxicos, e as glutationas S-transferases (GST), que para além de contribuírem para o metabolismo da INH também estão envolvidas a resposta do hepatócito à agressão. Assim, a homozigotia para os alelos wild-type, de elevada atividade funcional para o gene CYP2E1 (CYP2E1 *1A/*1A), e variantes genéticas com perda de função correspondentes a delecção em homozigotia para os genes GSTT1 e GSTM1 poderão constituir genótipos de risco. Fatores genéticos que afetem os sistemas de transporte biliar...

Fatores de risco para câncer de mama e polimorfismos nos genes GSTM1, GSTT1 e GSTP1 em mulheres participantes de um programa de rastreamento mamográfico em Porto Alegre

Aguiar, Ernestina Silva de
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
27.77%
O câncer de mama (CM) é o segundo tipo de câncer mais freqüente no mundo e o mais comum entre as mulheres. É uma doença multifatorial causada pela combinação de fatores de risco genéticos e não genéticos (ambientais). Polimorfismos genéticos de baixa penetrância têm sido associados ao CM em diversas populações. No presente estudo, determinamos a freqüência alélica e genotípica dos polimorfismos nulos de GSTM1, GSTT1 e do polimorfismo Ile105Val em GSTP1, e correlacionamos estas freqüências com fatores de risco para CM. A amostra estudada foi constituída de 750 mulheres (40-69 anos) sem câncer de mama recrutadas na Coorte Núcleo Mama Porto Alegre (NMPOA). As freqüências genotípicas e alélicas encontradas não diferem de outros estudos nacionais, mas diferem significativamente de algumas descritas em outras populações, reforçando a necessidade de estudos de populações específicas. A amostra como um todo não apresentou fatores de risco reprodutivos significativos para CM. O risco vital médio de desenvolver CM de acordo com o modelo de Gail na amostra foi de 7.8% e a grande maioria das pacientes (n= 731, 97.5%), como esperado para uma amostra de mulheres submetida a rastreamento mamográfico, apresentou achados mamográficos benignos (BIRADS 1 ou 2). A distribuição das mulheres de acordo com a densidade mamográfica demonstrou que apesar de 56% já estarem na pósmenopausa...

Análise dos polimorfismos GSTM1 e GSTT1 em pacientes que desenvolveram leucemias agudas

Rohr, Paula; Delgado-Cañedo, Andrés; Paskulin, Giorgio Adriano; Schüller, Ivan; Nardi, Nance Beyer; Kvitko, Katia
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.77%
(Análise dos polimorfismos GSTM1 e GSTT1 em pacientes que desenvolveram leucemias agudas) – A leucemia é uma neoplasia que acomete a medula óssea. No caso das Leucemias Agudas (LA), as células em proliferação são imaturas ou blastos. A etiologia das LA pode ser explicada pela combinação de fatores genéticos e ambientais. Como exemplo das influências genéticas pode-se citar polimorfismos de genes de metabolização/detoxificação. Este trabalho tem por objetivo analisar os polimorfismos dos genes GSTM1 e GSTT1 em relação à suscetibilidade de desenvolvimento de LA. O DNA genômico de 87 pacientes (24 mielóides, 35 linfóides e 28 sem classificação determinada) foi analisado pela técnica de PCR multiplex. A idade dos pacientes variou entre seis meses e 80 anos, sendo 35 femininos e 52 masculinos. Foi detectado aumento significativo da freqüência do genótipo GSTT1 nulo quando comparado com uma população controle (41,37% X 23%) (P=0.005). A freqüência do genótipo nulo para GSTM1 nos pacientes não apresentou diferença significativa com relação aos controles (49,42% X 50%). Com isso, sugerimos que o gene GSTT1 parece estar envolvido na suscetibilidade para o desenvolvimento de LA.; (Polymorphism analyses of GSTM1 and GSTT1 genes in Acute Leukemia patients) – Leukemia is a neoplasic disease that affects bone-marrow cells. In case of Acute Leukemia (AL) the proliferating cells are immature or blasts. The causes of AL are likely to involve an interaction between genetic susceptibility and environment. Polymorphisms in genes coding metabolizing/ detoxification enzymes are responsible for this susceptibility. The aim of this study was to analyze polymorphisms of GSTM1 and GSTT1 genes in order to verify if they have a role in genetic susceptibility to AL. Genomic DNA from 87 patients (24 myeloblastic...

GSTM1, GSTT1, and GSTP1 polymorphisms, breast cancer risk factors and mammographic density in women submetted to breast cancer screening; Polimorfismos GSTM1, GSTT1 e GSTP1, fatores de risco para câncer de mama e densidade mamográfica em mulheres submetidas a rastreamento mamográfico

Aguiar, Ernestina Silva de; Giacomazzi, Juliana; Schmidt, Aishameriane Venes; Bock, Hugo; Pereira, Maria Luiza Saraiva; Faccini, Lavinia Schuler; Duarte Filho, Dakir Lourenço; Santos, Pollyanna Almeida Costa dos; Giugliani, Roberto; Caleffi, Maira; Camey
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
ENG
Relevância na Pesquisa
37.87%
Polimorfismos genéticos em genes relacionados com o metabolismo de xenobióticos, como os genes da superfamília das glutationa S-transferases (GSTM1, GSTT1 e GSTP1) têm sido associados com o aumento do risco para câncer de mama (CM). Considerando a alta incidência de CM na cidade de Porto Alegre, região Sul do Brasil, a proposta deste estudo foi caracterizar genótipos e frequências alélicas dos polimorfismos GSTM1, GSTT1 e GSTP1, e correlacionar esses achados moleculares com fatores de risco já estabelecidos para câncer de mama, incluindo densidade mamográfica, em uma amostra de 750 mulheres assintomáticas durante o rastreamento mamográfico. Para os testes moleculares foi utilizado multiplex da reação em cadeia de polimerase (PCR) para GSTM1 e GSTT1, e PCR quantitativo para o polimorfismo GSTP1. As frequências dos genótipos GSTM1 e GSTT1 nulos foram 45% e 21%, respectivamente. Para o polimorfismo GSTP1, as frequências genotipicas foram: 44% para o genótipo Ile/Ile, 44% para o genótipo Ile/Val e 12% para o genótipo Val/Val. A frequência do alelo lle nesta população foi 66%, semelhante a outros estudos. Houve uma associação significativa entre a combinação dos genótipos (T-/M-) nulos e densidade mamográfica nas mulheres pós-menopáusicas (p = 0...

Influencia dos polimorfismos dosalelos Mu 1 (GSTM1) e Theta 1 (GSTT1) do sistema da glutatina S-transferase na susceptibilidade ao cander de mama esporadico

Cassio Cardoso Filho
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 13/07/2007 PT
Relevância na Pesquisa
27.79%
Introdução: As deleções dos genes GSTM1 e GSTT1 têm sido associadas ao aumento do risco de várias neoplasias, porém não há consenso sobre suas influências no câncer de mama. Objetivo: Avaliar a ocorrência das deleções homozigóticas dos GSTM1 e GSTT1 em mulheres com câncer de mama esporádico (CME) ? casos - e em mulheres sem câncer ? controles - e comparar as características clínicas e biológicas dos CME entre mulheres portadoras e não-portadoras das referidas deleções. Casuística e Método: Foram avaliados 177 casos e 169 controles, com determinação das freqüências das referidas deleções pelo PCR. Estas foram correlacionadas às características clínicas e biológicas através do cálculo de odds ratio com seus respectivos intervalos de confiança de 95%. Resultados: Dos casos e controles, respectivamente, 46% e 45% não apresentaram qualquer deleção, 37% e 35% apenas do GSTM1, 11% e 10% apenas do GSTT1, 6% e 9% apresentaram ambos os genes deletados. Observou-se freqüência menor da deleção do GSTM1 em mulheres pardas (p=0,1128), OR=0,48 (0,24 ? 0,98). O risco foi menor de ocorrência de tumores grau nuclear 3 em pacientes com deleção do GSTT1 (p=0,04), OR=0,37 (0,15 - 0,90). A deleção homozigótica de pelo menos um dos genes associou-se com mulheres que não amamentaram (p=0...

Influencia dos polimorfismos C936T do gene VEGF e D104N do gene COL18A1, relacionados a angionese, e dos genes GSTM!, GSTT1 e GSTP1, relacionados com a inativação de carcinogenos, na susceptibilidade ao cancer de ovario; C936T polymorphisms in the VEGF gene and D104N polymorphism in the COL18A1 gene, related to angiogenesis, and GSTM1

Regina Aparecida Martinho Sagarra
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 30/07/2008 PT
Relevância na Pesquisa
27.82%
Já é conhecida a dependência do crescimento, invasão e a disseminação de tumores sólidos na angiogênese, incluindo o carcinoma de ovário (CO). O CO está associado à produção de proteínas estimuladoras da angiogênese, como o fator de crescimento endotelial vascular (VEGF), produto do gene VEGF, e inibidoras da angiogênese, como a endostatina, produto do gene COL18A1. O CO está também associado à exposição da mulher ao estrogênio endógeno, que é metabolizado junto a outros carcinógenos pelas enzimas da família glutationa S-transferase (GSTM1, GSTT1 e GSTP1). Os genes VEGF, COL18A1, GSTM1, GSTT1 e GSTP1 são polimórficos em humanos e foram associados à origem de diferentes cânceres. O objetivo do estudo foi analisar os papéis dos polimorfismos C936T do gene VEGF, D104N do gene COL18A1, GSTM1, GSTT1 e IleVal do gene GSTP1 na ocorrência do CO e de suas associações a aspectos clínicos das pacientes e do tumor. Foram avaliadas 137 pacientes com CO e 137 controles. A genotipagem foi realizada por meio da reação em cadeia da polimerase e digestão enzimática em amostras de sangue periférico. O significado estatístico das diferenças entre grupos foi calculado por meio do teste da probabilidade exata de Fisher ou qui-quadrado e as determinações dos riscos de ocorrência do CO foram obtidas por meio das razões de Odds (RO). Observamos que as freqüências dos genótipos variantes do gene VEGF e do gene GSTP1 foram menores em pacientes do que em controles. Indivíduos com os genótipos variantes estiveram sob menor risco de ocorrência do CO do que aqueles com os genótipos selvagens dos genes. Freqüências similares dos genótipos distintos dos genes COL18A1...

Influencia dos genes GSTM1, GSTT1 e GSTP1*B na suscetibilidade a doença pulmonar obstrutiva cronica; Influence of GSTM1, GSTT1 and GSTP1*B genes and chronic obstructive pulmonary disease susceptibility

Ricardo Beneti
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 24/04/2009 PT
Relevância na Pesquisa
27.77%
Objetivos: O desenvolvimento da DPOC e a alteração da função pulmonar ocorrem em apenas 15% dos fumantes regulares. Este fato sugere que fatores genéticos contribuem para o desenvolvimento desta doença. As Glutationa S-Transferase (GST) são uma família de enzimas que protegem contra o estresse oxidativo e sua agressão ao epitélio pulmonar. O propósito deste estudo é determinar a influência das GST no desenvolvimento da DPOC em uma população brasileira. Método: 151 pacientes com DPOC foram incluídos em dois centros de referência de Pneumologia no Brasil, Estado de São Paulo. Amostras de sangue periférico foram coletadas para realização da PCR e determinação dos genótipos da GSTP1, GSTT1 e GSTM1. 178 doadores de sangue não-tabagistas e 168 pacientes com carcinoma pulmonar, tabagistas, constituíram os grupos controle. A análise estatística incluiu a regressão logística multivariada para exclusão de fatores de confusão. Resultados: Todos os pacientes eram portadores doença moderada, grave ou muito grave, conforme as diretrizes da Iniciativa Global para a DPOC (GOLD). Não houve significância na análise da GSTP1 e GSTM1 para o risco de DPOC. No entanto, obteve-se uma alta prevalência da nulidade da GSTT1 no grupo portador de DPOC...

Influência dos polimorfismos dos genes Mu 1 (GSTM1), Theta 1 (GSTT1), XPD Asp312Asn e XPD Lys751Gln na susceptibilidade ao melanoma cutâneo; Influence of the polymorphisms of genes Mu 1 (GSTM1), Theta 1 (GSTT1), XPD Asp312Asn e XPD Lys751Gln in cutaneous melanoma susceptibility

José Augusto Rinck Júnior
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 28/01/2015 PT
Relevância na Pesquisa
27.82%
As glutationa S-transferases (GSTs) são enzimas detoxificantes. Os genes GSTM1 e GSTT1 são polimórficos e quando deletados perdem a expressão enzimática. As proteínas codificadas pelos genes XPD são responsáveis pelo reparo de lesões do DNA causadas pela luz solar. Polimorfismos nestes genes também podem codificar proteínas com funções comprometidas, em especial o Lys751Gln e o Asp312Asn do gene XPD. Ainda não é claro o papel dos polimorfismos destes genes no risco de melanoma cutâneo (MC) ou se estão associados com os aspectos clínicopatológicos. Foram incluídos 489 indivíduos (231 pacientes, 258 controles). A genotipagem foi realizada por reação em cadeia da polimerase e digestão enzimática. O risco de MC esteve aumentado em 2,00 (IC 95%: 1,05-3,81, P= 0,03) vezes em portadores do genótipo GSTT1 nulo + Asp/Asn + Asn/Asn do XPD Asp312Asn. O GSTT1 nulo elevou o risco de MC metastático em 3,75 (IC 95%: 1,48-9,44, P= 0,006) vezes e se combinado ao GSTM1 nulo em 7,33 (IC 95%: 2,09-25,68, P= 0,003) vezes. O alelo 312Asn elevou o risco de MC no tronco ou membros em 1,80 (IC 95%: 1,19-2,73, P= 0,005) vezes e do subtipo extensivo superficial ou nodular em 1,80 (IC 95%: 1,14-2,84, P= 0,01) vezes. Os genótipos Asn/Asn + Gln/Gln elevou o risco de MC de níveis I...

Ethnicity and glutathione S-transferase (GSTM1/GSTT1) polymorphisms in a Brazilian population

Gattás,G.J.F.; Kato,M.; Soares-Vieira,J.A.; Siraque,M.S.; Kohler,P.; Gomes,L.; Rego,M.A.V.; Bydlowski,S.P.
Fonte: Associação Brasileira de Divulgação Científica Publicador: Associação Brasileira de Divulgação Científica
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2004 EN
Relevância na Pesquisa
37.38%
The distribution of polymorphisms related to glutathione S-transferases (GST) has been described in different populations, mainly for white individuals. We evaluated the distribution of GST mu (GSTM1) and theta (GSTT1) genotypes in 594 individuals, by multiplex PCR-based methods, using amplification of the exon 7 of CYP1A1 gene as an internal control. In São Paulo, 233 whites, 87 mulattos, and 137 blacks, all healthy blood-donor volunteers, were tested. In Bahia, where black and mulatto populations are more numerous, 137 subjects were evaluated. The frequency of the GSTM1 null genotype was significantly higher among whites (55.4%) than among mulattos (41.4%; P = 0.03) and blacks (32.8%; P < 0.0001) from São Paulo, or Bahian subjects in general (35.7%; P = 0.0003). There was no statistically different distribution among any non-white groups. The distribution of GSTT1 null genotype among groups did not differ significantly. The agreement between self-reported and interviewer classification of skin color in the Bahian group was low. The interviewer classification indicated a gradient of distribution of the GSTM1 null genotype from whites (55.6%) to light mulattos (40.4%), dark mulattos (32.0%) and blacks (28.6%). However, any information about race or ethnicity should be considered with caution regarding the bias introduced by different data collection techniques...

Características mamográficas do câncer de mama associadas aos polimorfismos GSTM1 e GSTT1

Morais,Lívia Martins Tavares Scianni; Cardoso Filho,Cássio; Lourenço,Gustavo Jacob; Shinzato,Julia Yoriko; Zeferino,Luiz Carlos; Lima,Carmen Sílvia Passos; Gurgel,Maria Salete Costa
Fonte: Associação Médica Brasileira Publicador: Associação Médica Brasileira
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2008 PT
Relevância na Pesquisa
37.5%
INTRODUÇÃO: As enzimas do sistema da glutationa S-transferase (GST) modulam os efeitos da exposição a vários agentes citotóxicos e genotóxicos. Os genes GSTM1 e GSTT1 são polimórficos em humanos e suas deleções têm sido associadas ao aumento do risco de várias neoplasias, dentre elas o câncer de mama. OBJETIVO: Comparar a freqüência das deleções dos genes GSTM1 e GSTT1 em mulheres sadias e com câncer de mama e comparar as características mamográficas do câncer entre mulheres portadoras e não portadoras das referidas deleções. MÉTODOS: Foram determinadas as freqüências das referidas deleções por PCR em 100 pacientes portadoras de câncer de mama esporádico tratadas de setembro de 2004 a junho de 2005 e em 169 mulheres sadias doadoras de sangue no mesmo período e comparadas através do odds ratio (OR) com seus respectivos IC 95%. Foram revistos os prontuários e as mamografias das pacientes com câncer e avaliadas características mamográficas (padrão de distribuição do parênquima fibro-glandular, achados mamográficos ao diagnóstico e classificação BI-RADS), correlacionando-as às deleções gênicas através do cálculo da RP (razão de prevalência) com seus respectivos IC 95%. RESULTADOS: O GSTM1 esteve deletado em 40% dos cânceres e em 44...

No contribution of GSTM1 and GSTT1 null genotypes to the risk of neutropenia due to benzene exposure in Southeastern Brazil

Lima,Carmen Silvia Passos; Lourenço,Gustavo Jacob; Lorand-Metze,Irene; Nascimento,Helvia; Saad,Sara Teresinha Ollala; Costa,Fernando Ferreira
Fonte: Sociedade Brasileira de Genética Publicador: Sociedade Brasileira de Genética
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2009 EN
Relevância na Pesquisa
37.73%
Exposure to benzene has been associated with haematological diseases such as neutropenia (NEB) and acute myeloid leukaemia (AML). We tested whether the null genotypes of the GSTM1 and GSTT1 genes, involved in benzene inactivation, altered the risk for NEB in southeastern Brazil. Genomic DNA from 55 NEB patients and 330 controls was analysed by multiplex-polymerase chain reaction. The frequency of the GSTM1, GSTT1 and combined null genotypes was similar in patients and controls (GSTM1, 27.3% vs. 38.8%, p = 0.16; GSTT1, 25.5% vs. 19.7%, p = 0.24; GSTM1/GSTT1, 12.7% vs. 6.7%, p = 0.26; respectively). The distribution of genotype classes in NEB patients was similar to normal controls, suggesting that GSTM1 and GSTT1 null genotypes make no specific contribution to the risk of NEB. As the GSTM1 and GSTT1 null genotypes were previously associated with increased risk for AML in Brazil and elsewhere, we hypothesise that different thresholds of chemical exposure relative to distinct GSTM1 and GSTT1 genotypes may determine whether AML or NEB manifests in benzene exposed individuals from southeastern Brazil. Although indicative, our results still require support by prospective and large scale epidemiological studies, with rigorous assessment of daily chemical exposures and control of the possible contribution of other polymorphic genes involved in benzene metabolism.

Glutathione S-transferase mu 1 (GSTM1) and theta 1 (GSTT1) genetic polymorphisms and atopic asthma in children from Southeastern Brazil

Lima,Carmen Silvia Passos; Néri,Iramaia Angélica; Lourenço,Gustavo Jacob; Faria,Isabel Cristina Jacinto; Ribeiro,José Dirceu; Bertuzzo,Carmen Silvia
Fonte: Sociedade Brasileira de Genética Publicador: Sociedade Brasileira de Genética
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2010 EN
Relevância na Pesquisa
37.58%
Xenobiotics can trigger degranulation of eosinophils and mast cells. In this process, the cells release several substances leading to bronchial hyperactivity, the main feature of atopic asthma (AA). GSTM1 and GSTT1 genes encode enzymes involved in the inactivation of these compounds. Both genes are polymorphic in humans and have a null variant genotype in which both the gene and corresponding enzyme are absent. An increased risk for disease in individuals with the null GST genotypes is therefore, but this issue is controversial. The aim of this study was to investigate the influence of the GSTM1 and GSTT1 genotypes on the occurrence of AA, as well as on its clinical manifestations. Genomic DNA from 86 patients and 258 controls was analyzed by polymerase chain reaction. The frequency of the GSTM1 null genotype in patients was higher than that found in controls (60.5% versus 40.3%, p = 0.002). In individuals with the GSTM1 null genotype the risk of manifested AA was 2.3-fold higher (95%CI: 1.4-3.7) than for others. In contrast, similar frequencies of GSTT1 null and combined GSTM1 plus GSTT1 null genotypes were seen in both groups. No differences in genotype frequencies were perceived in patients stratified by age, gender, ethnic origin...

Protection against laryngeal and pharyngeal carcinoma: Heterozygous vs. homozygous deletions of GSTM1 and GSTT1

Masood,Nosheen; Kayani,Mahmood Akhtar
Fonte: Sociedade Brasileira de Genética Publicador: Sociedade Brasileira de Genética
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2013 EN
Relevância na Pesquisa
37.65%
Deletions in GSTM1 and GSTT1 genes are considered to be a risk factor for cancer development but the exact location of these deletions in the genome was unknown. Three main objectives of the current study were to: (a) identify the boundaries of these deletions in the human genome, (b) screen homozygous (-/-) and heterozygous (+/-) deleted, as well as homozygous present (+/+) individuals using PCR assays, (c) detect associations of pharyngeal (PC) and laryngeal cancer (LC) with the respective genotypes. In total, 102 PC and 92 LC patients were screened and compared with 150 controls. PCR mapping and sequencing revealed a 6 kbp deletion for GSTM1 and a 9 kbp deletion for the GSTT1 gene. The mean age of PC cases was 48.1 (±16.7) years; for LC cases it was 48.5 (±17.4) years and for controls 46 (±17.7) years. The OR (odds ratio) for the GSTM1 null genotype in PC and LC cases was 10.2 and 1.0 (95% CI 5.04-20.7 and 1.1-1.7) respectively. Similarly, for GSTT1 the OR was 4.02 with a 95% CI of 2.3-7.1 in PC cases. For LC cases the OR was 0.8 with 95% CI of 0.4-1.7. A non-significant number of LC and PC patients had heterozygous deletions of GSTM1 compared to controls (OD 0.5, 95% CI 0.2- 1.6 and OR 0.5, 95% CI 0.2- 1.5 respectively). The GSTT1 gene also showed a non-significant association in PC (OD 0.9...

GSTM1, GSTT1, and GSTP1 polymorphisms, breast cancer risk factors and mammographic density in women submitted to breast cancer screening

Aguiar,Ernestina Silva de; Giacomazzi,Juliana; Schmidt,Aishameriane Venes; Bock,Hugo; Saraiva-Pereira,Maria Luiza; Schuler-Faccini,Lavínia; Duarte Filho,Dakir; Santos,Pollyanna Almeida Costa dos; Giugliani,Roberto; Caleffi,Maira; Camey,Suzi Alves; Ashton
Fonte: Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2012 EN
Relevância na Pesquisa
37.73%
Genetic polymorphisms in genes related to the metabolism of xenobiotics, such as genes of the glutathione S-transferases (GSTM1, GSTT1, and GSTP1) superfamily have been associated with an increased risk for breast cancer (BC). Considering the high incidence of BC in the city of Porto Alegre in southern Brazil, the purpose of this study was to characterize genotypic and allelic frequencies of polymorphisms in GSTM1, GSTT1, and GSTP1, and correlate these molecular findings with established risk factors for breast cancer including mammographic density, in a sample of 750 asymptomatic women undergoing mammographic screening. Molecular tests were performed using the multiplex polymerase chain reaction (PCR) for GSTM1 and GSTT1, and quantitative PCR for GSTP1 polymorphisms. Overall, the frequencies of GSTM1 and GSTT1 null genotypes were 45% and 21%, respectively. For GSTP1 polymorphism, genotypic frequencies were 44% for the Ile/Ile genotype, 44% for the Ile/Val genotype, and 12% for Val/Val genotype, with an allelic frequency of 66% for the wild type allele in this population, similar to results of previous international publications. There was a statistically significant association between the combined GSTM1 and GSTT1 null genotypes (M-/T-) and mammographic density in post menopausal women (p = 0.031). When the GSTT1 null (T-) genotype was analyzed isolated...

GSTT1 is upregulated by oxidative stress through p38-MK2 signaling pathway in human granulosa cells: possible association with mitochondrial activity

Ito, Megumu; Imai, Misa; Muraki, Miho; Miyado, Kenji; Qin, Junwen; Kyuwa, Shigeru; Yoshikawa, Yasuhiro; Hosoi, Yoshihiko; Saito, Hidekazu; Takahashi, Yuji
Fonte: Impact Journals LLC Publicador: Impact Journals LLC
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em 28/12/2011 EN
Relevância na Pesquisa
27.84%
We previously reported that GSTT1 was upregulated in human granulosa cells during aging and that activation and localization of p38 MAPK was changed in parallel. Although oxidative stress is responsible for these changes, the age-associated expression of GSTT1 regulated by MAPKs and the role of GSTT1 in aged granulosa cells remain unclear. Therefore, we examined the relationship between the expression of GSTT1 and MAPK signaling pathways using human granulosa-like KGN cells stimulated with H2O2 in the presence or absence of various MAPK inhibitors. Interestingly, H2O2-induced GSTT1 was only inhibited by a p38 inhibitor. An inhibitor of MK2, a downstream regulator of p38, also diminished H2O2-induced GSTT1 upregulation. Notably, both p38 and MK2 were significantly inactivated in cells carrying an shRNA construct of GSTT1 (ΔGSTT1 cells), suggesting that the p38-MK2 pathway is essential for age-associated upregulation of GSTT1. The relevance of GSTT1 in mitochondrial activity was then determined. ΔGSTT1 cells displayed enhanced polarization of mitochondrial membrane potential without increasing the apoptosis, suggesting that the age-associated upregulation of GSTT1 may influence the mitochondrial activity of granulosa cells.

GSTT1 Deletion Is Related to Polycyclic Aromatic Hydrocarbons-Induced DNA Damage and Lymphoma Progression

Yang, Fan; Xiong, Jie; Jia, Xiao-E; Gu, Zhao-Hui; Shi, Jing-Yi; Zhao, Yan; Li, Jun-Min; Chen, Sai-Juan; Zhao, Wei-Li
Fonte: Public Library of Science Publicador: Public Library of Science
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em 20/02/2014 EN
Relevância na Pesquisa
27.77%
The interrelationship between genetic susceptibility and carcinogenic exposure is important in cancer development. Polymorphisms in detoxification enzymes of the glutathione-S-transferases (GST) family are associated with an increased incidence of lymphoma. Here we investigated the molecular connection of the genetic polymorphism of GSTT1 to the response of lymphocytes to polycyclic aromatic hydrocarbons (PAH). In neoplastic situation, GSTT1 deletions were more frequently observed in lymphoma patients (54.9%) than in normal controls (42.0%, P = 0.009), resulting in an increased risk for lymphoma in individuals with GSTT1-null genotype (Odds ratio = 1.698, 95% confidence interval = 1.145–2.518). GSTT1 gene and protein expression were accordingly decreased in GSTT1-deleting patients, consistent with activated profile of cell cycle regulation genes. Mimicking environmental exposure using long-term repeat culture with low-dose PAH metabolite Hydroquinone, malignant B- and T-lymphocytes presented increased DNA damage, pCHK1/MYC expression and cell proliferation, which were counteracted by ectopic expression of GSTT1. Moreover, GSTT1 expression retarded xenograft tumor formation of Hydroquinone-treated lymphoma cells in nude mice. In non-neoplastic situation...

Avaliação do polimorfismo de deleção de GSTT1 e GSTM1 na susceptibilidade ao diabetes mellitus tipo 2; Evaluation of GSTM1 and GSTT! deletion polymorphisms on type-2 diabetes mellitus susceptibility

Pinheiro, Denise da Silva
Fonte: Universidade Federal de Goiás; Brasil; UFG; Programa de Pós-graduação em Biologia (ICB); Instituto de Ciências Biológicas - ICB (RG) Publicador: Universidade Federal de Goiás; Brasil; UFG; Programa de Pós-graduação em Biologia (ICB); Instituto de Ciências Biológicas - ICB (RG)
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.88%
In the pathogenesis of type 2 diabetes mellitus (DM2), it is observed that the increased oxidative stress may contribute to decreased insulin production and destruction of pancreatic β cells. Individuals who have no activity of GSTM1 and GSTT1 isoforms may have an increased susceptibility to damage caused by reactive species to pancreatic β cells, since these cells express low levels of antioxidant enzymes. This case-control study aimed to analyze the genotypic profiles of the deletion polymorphism of GSTM1 and GSTT1 genes by molecular assays (conventional PCR and qPCR) to associate these polymorphisms with DM2 risk, considering that studies with this approach have not been conducted in Brazil. Data of clinical, laboratorial and demographic variables of 120 patients and 147 controls were obtained through interviews and information from medical charts (patients) or results of recent clinical and laboratory exams (controls). It was found that diabetic patients had a higher frequency of GSTT1-null genotype (29.2%) than non-diabetic subjects (12.2%), and those with the risk genotype have an increased predisposition to diabetes from approximately 3.2 times (p = 0.0004). However, there was no association of GSTM1-null with DM2 susceptibility. The analysis of the influence of GSTT1 deletion on clinical and biochemical changes in the case group showed that the risk genotype may contribute to the development of DM2 complications related to dyslipidemia...

Expression of glutathione S-transferase T1 GSTT1 in human brain tumours

Diedrich, A.; Bock, H.C.; König, F.; Schulz, T.G.; Ludwig, H.C.; Herken, R.; Quondamatteo, F.
Fonte: Murcia : F. Hernández Publicador: Murcia : F. Hernández
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
ENG
Relevância na Pesquisa
27.82%
Glutathione S-transferases (GSTs) play a central role in a number of metabolic processes. Glutathione S-transferase T1 (GSTT1) is a polymorphic cytosolic enzyme and a member of the theta class of GSTs. Typical substrates for GSTT1 are industrial compounds, such as dichloromethane and ethylene oxide. It has been shown that also chemotherapeutic drugs such as BCNU [i.e. 1,3-bis(2-chloroethyl)-1- nitrosourea] are efficiently inactivated by GSTT1. BCNU is a drug which is increasingly used locally in the chemotherapy of glioblastoma multiforme WHO grade IV. Therefore, if GSTT1 were expressed in neoplastic cells of brain tumours it could be a factor for chemoresistance. In order to clarify a possible role of GSTT1 in chemoresistance, as a first step, we localized this enzyme in malignant gliomas such as glioblastoma multiforme WHO grade IV and oligodendroglioma WHO grade II. Because of its polymorphism we first genotyped the samples for GSTT1 by PCR. Using in situ hybridization, we then demonstrated that GSTT1 transcripts are expressed in neoplastic cells of both tumour types. Immunohistochemistry revealed then that whereas neoplastic cells in glioblastoma multiforme WHO grade IV contain GSTT1, it was not localized in oligodendroglioma cells. Given the polymorphism of GSTT1 and its potential activity towards BCNU...

Influencia dos polimorfismos dos alelos do sistema da glutationa S-transferase Mu 1 (GSTM1) e Theta 1 (GSTT1) e do polimorfismo D104N do gene COL18A1 na susceptibilidade ao adenocarcinoma colorretal esporadico

Helvia Nascimento
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 30/07/2002 PT
Relevância na Pesquisa
27.79%
As enzimas do sistema da glutationa S-transferase (GST) mediam a exposição a agentes citotóxicos e genotóxicos e parecem compromissadas com a susceptibilidade ao câncer. Os genes GSTM1 e GSTT1 apresentam um genótipo variante, a deleção homozigótica, no qual o gene inteiro está ausente. A associação dos genótipos do GST com o risco de ocorrência do câncer colorretal (CC) não está completamente esclarecida. Por outro lado, uma maior freqüência do polimorfismo 0104N do gene CaL 18A1, um inibidor da angiogênese, foi observada em pacientes com adenocarcinoma prostático, quando comparados a indivíduos normais, sugerindo que sua presença possa influenciar o desenvolvimento de tumores sólidos dependentes da angiogênese, como o CC. Neste estudo, nós testamos se a deleção homozigótica do genes GSTM1 e GSTT1 e o polimorfismo 0104N alteram o risco de adenocarcinoma colorretal esporádico (ACE). Para cumprir tais objetivos, o ONA genômico de 102 pacientes com ACE e 300 controles foi analisado por meio da reação em cadeia da polimerase e digestão enzimática. As freqüências da deleção dos genes GSTM1 (49,9%) e GSTT1 (16,6%) em pacientes foram similares àquelas observadas em controles (44,6 e 17,3%, respectivamente). Não foram também observadas diferenças significativas entre as freqüências da deleção combinada dos genes em pacientes e controles (8...

GSTM1, GSTT1, and GSTP1 polymorphisms, breast cancer risk factors and mammographic density in women submitted to breast cancer screening

Aguiar,Ernestina Silva de; Giacomazzi,Juliana; Schmidt,Aishameriane Venes; Bock,Hugo; Saraiva-Pereira,Maria Luiza; Schuler-Faccini,Lavínia; Duarte Filho,Dakir; Santos,Pollyanna Almeida Costa dos; Giugliani,Roberto; Caleffi,Maira; Camey,Suzi Alves; Ashton
Fonte: Associação Brasileira de Pós -Graduação em Saúde Coletiva Publicador: Associação Brasileira de Pós -Graduação em Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2012 EN
Relevância na Pesquisa
37.73%
Genetic polymorphisms in genes related to the metabolism of xenobiotics, such as genes of the glutathione S-transferases (GSTM1, GSTT1, and GSTP1) superfamily have been associated with an increased risk for breast cancer (BC). Considering the high incidence of BC in the city of Porto Alegre in southern Brazil, the purpose of this study was to characterize genotypic and allelic frequencies of polymorphisms in GSTM1, GSTT1, and GSTP1, and correlate these molecular findings with established risk factors for breast cancer including mammographic density, in a sample of 750 asymptomatic women undergoing mammographic screening. Molecular tests were performed using the multiplex polymerase chain reaction (PCR) for GSTM1 and GSTT1, and quantitative PCR for GSTP1 polymorphisms. Overall, the frequencies of GSTM1 and GSTT1 null genotypes were 45% and 21%, respectively. For GSTP1 polymorphism, genotypic frequencies were 44% for the Ile/Ile genotype, 44% for the Ile/Val genotype, and 12% for Val/Val genotype, with an allelic frequency of 66% for the wild type allele in this population, similar to results of previous international publications. There was a statistically significant association between the combined GSTM1 and GSTT1 null genotypes (M-/T-) and mammographic density in post menopausal women (p = 0.031). When the GSTT1 null (T-) genotype was analyzed isolated...