Página 1 dos resultados de 35 itens digitais encontrados em 0.006 segundos

Tiroidites : etiopatogenia, diagnóstico e tratamento

Vieira, Bruno Lavajo
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
26.83%
A tiroidite, inflamação da glândula tiroideia, é, juntamente com o bócio, a afecção endócrina mais frequente, sendo comummente encontrada em medicina ambulatória. Associada a uma função tiroideia normal, aumentada ou diminuída (frequentemente com evolução de uma condição para outra), as circunstâncias da sua descoberta podem ser variadas e a distinção dos seus vários tipos baseia-se, essencialmente, no panorama clínico, rapidez de instalação sintomática, história familiar e presença ou ausência de sintomas prodrómicos e dor no pescoço. Vários critérios podem ser utilizados para a sua classificação, nomeadamente histológicos e clínicos (acompanhada ou não de dor tiroideia), sendo, contudo, a evolução da doença o critério classicamente utilizado. Assim, de acordo com este último, os diferentes subtipos de tiroidite podem ser agrupados em: tiroidite aguda, tiroidite subaguda ou tiroidite crónica. A primeira é uma forma dolorosa de tiroidite extremamente rara causada por uma infecção bacteriana, fúngica ou parasitária da tiróide e surgindo, sobretudo, na criança/adolescente e adulto jovem. Nas tiroidites subagudas, podemos encontrar a tiroidite subaguda granulomatosa ou de De Quervain – causa mais frequente de dor tiroideia...

Relação da Função Tiroideia com a Composição Corporal

Luís, Elsa Maria Barra Tristão
Fonte: Porto : edição de autor Publicador: Porto : edição de autor
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
47.17%
Resumo da tese: Introdução: A relação entre a obesidade e a função tiroideia, permanece ainda pouco esclarecida. Recentemente a atenção tem-se focado mais na possível relação entre as alterações da função tiroideia e a mudança do peso corporal, em particular, no potencial impacto das alterações mínimas da função tiroideia, em indivíduos eutiroideus, com os níveis séricos das hormonas tiroideias dentro dos valores do intervalo de referência. Objectivo : O presente estudo teve como objectivo analisar a relação da função tiroideia (TSH e T4 livres), dentro dos limites de normalidade, com o IMC, com o perímetro da cintura e com a %MG em doentes eutiroideus com excesso de peso e obesidade. Materiais e Métodos : Este estudo observacional e transversal envolveu quarenta indivíduos eutiroideus de ambos os sexos, com idades compreendidas entre os vinte e sessenta e cinco anos, com excesso de peso (IMC -25kg/m2) e obesos (IMC -30kg/m2) e com normal função tiroideia. A todos os participantes foi recolhido a história clínica e realizada a avaliação antropométrica: peso (kg), estatura (m) e perímetro da cintura (cm). Todos os participantes foram ainda sujeitos a uma avaliação laboratorial, onde foram recolhidos os valores séricos de TSH e T4 livre...

Clínica e cirurgia de animais de companhia: um caso de hipotiroidismo canino

Domingos, Carla Isabel Duarte
Fonte: Universidade de Évora Publicador: Universidade de Évora
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
36.74%
Os distúrbios da tiróide são cada vez mais comuns na prática da clínica veterinária, principalmente no que concerne ao hipotiroidismo canino. O hipotiroidismo é, segundo vários autores, a endocrinopatia mais comum no cão e resulta da diminuição da síntese e secreção das hormonas tiroideias o que afecta, consequentemente, o metabolismo basal originando a sua diminuição. O hipotiroidismo pode ser considerado primário, secundário ou terciário, se a disfunção estiver localizada a nível da tiróide, hipófise ou hipotálamo, respectivamente. Em cães adultos, o hipotiroidismo espontâneo é usualmente primário e consequência de patologia na tiróide, geralmente devido a tiroidite linfocitária ou atrofia idiopática. O hipotiroidismo pode originar uma grande diversidade de sinais clínicos, sendo mais comuns os provocados por diminuição do metabolismo basal e os dermatológicos. Mas para além destes, podem ser detectados sinais reprodutivos, neuromusculares, cardiovasculares e oftalmológicos. O diagnóstico de hipotiroidismo deve ser realizado atendendo a história pregressa, dados provenientes do exame físico, sintomatologia, resultados da analítica sanguínea e testes de função tiroideia. Contudo, o diagnóstico pode não ser simples...

Tiroidite auto-imune, experiência de uma consulta

Tomé, S.; Bandeira, A.; Cardoso, H.; Borges, T.
Fonte: Nascer e Crescer Publicador: Nascer e Crescer
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /03/2008 POR
Relevância na Pesquisa
26.79%
Introdução: A doença auto-imune da tiróide é a principal causa de Hipotiroidismo adquirido na criança e adolescente, a sua incidência em idade escolar é de 1.3%1. Objectivo: Caracterizar os doentes com Tiroidite Auto-Imune da consulta de Endocrinologia Pediátrica do Hospital Geral de Santo António em seguimento no ano de 2006. Metodologia: Foi efectuado um estudo retrospectivo com revisão dos processos clínicos, considerando os seguintes parâmetros: idade, sexo, forma de apresentação clínica e analítica, estádio pubertário, antecedentes pessoais e familiares de patologia auto-imune, anticorpos antitiroideus, exames imagiológicos, tratamento instituido e seguimento. Resultados: Obtivemos um total de 36 doentes, idades compreendidas entre 4.75 e 15.0 anos (média 11.4; mediana 12.2), 61% do sexo feminino e 61% púberes. A suspeita diagnóstica baseou-se em 50% dos casos na presença de bócio, em 33% na sequência do rastreio pela presença de outras doenças auto-imunes e em 17% no excesso de peso. Antecedentes familiares de patologia tiroideia presentes em 36%. Por definição, todos apresentavam anticorpos antitiroideus positivos. Na altura do diagnóstico, 39% apresentavam Hipotiroidismo compensado...

Hipotiroidismo canino

Seita, Rui Pedro de Almeida
Fonte: Universidade Técnica de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária Publicador: Universidade Técnica de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Publicado em 07/10/2009 POR
Relevância na Pesquisa
26.86%
Dissertação de Mestrado Integrado em Medicina Veterinária; O hipotiroidismo é a endocrinopatia mais frequente no cão. Esta doença resulta da diminuição da produção e secreção das hormonas tiroideias e, consequentemente, uma diminuição do metabolismo basal. O hipotiroidismo pode ser classificado em primário, secundário ou terciário, se a sua causa residir na glândula tiróide, hipófise ou hipotálamo, respectivamente. Traduz-se numa panóplia de sinais clínicos, sendo os mais frequentes associados à diminuição do metabolismo basal e os dermatológicos. Pode ainda haver sintomatologia neurológica, cardiovascular, oftalmológica ou reprodutiva. O diagnóstico de hipotiroidismo canino pode não ser simples, devido a características inerentes à doença, nomeadamente à inespecificidade dos sinais clínicos, bem como à inexistência de testes de avaliação da função tiroideia completamente eficazes. Assim, o sucesso no diagnóstico reside numa correcta avaliação da história pregressa, sintomatologia, análises sanguíneas e testes de função tiroideia. A presença de doenças de foro extra-tiroideu pode causar diminuição da concentração das hormonas da tiróide, influenciando o resultado dos testes de função da glândula. Quando tal acontece...

Estudo da prevalência de hipotiroidismo em 87 cães da raça portuguesa Rafeiro do Alentejo

Tabanez, Joana Sofia Silva
Fonte: Universidade Técnica de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária Publicador: Universidade Técnica de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 21/12/2012 POR
Relevância na Pesquisa
26.5%
Dissertação de Mestrado Integrado em Medicina Veterinária; O hipotiroidismo é uma doença endócrina bastante comum em cães. Esta caracteriza-se pela insuficiência das hormonas tiroxina e triiodotironina em circulação e é, normalmente, acompanhada por um aumento da concentração de tirotropina hipofisária. As duas principais causas de hipotiroidismo são a tiroidite linfocítica e a atrofia idiopática da tiroide. A tiroidite linfocítica é um processo autoimune que é influenciado por fatores genéticos e ambientais, que resulta na destruição da tiroide. Nos cães, a tiroidite pode manter-se subclínica durante 1 a 2 anos, em que a única alteração que se verifica é a presença de anticorpos antitiroglobulina. Uma vez que as hormonas tiroideias têm uma grande variedade de efeitos fisiológicos, esta doença origina sinais inespecíficos. As alterações mais comuns identificadas são do foro dermatológico e do foro metabólico. No entanto, podem surgir, outras alterações menos comuns. O diagnóstico de hipotiroidismo no cão é ainda complicado devido à ausência de um único teste que confirme o diagnóstico clínico. Adicionalmente, a presença de fatores como a doença sistémica não tiroideia e a administração de fármacos podem alterar os resultados dos testes de função tiroideia...

Função Tiroideia em Doentes com Trissomia 21 – Casuística de Duas Consultas num Hospital Pediátrico Central

Castro, S; Amaral, D; Pinto, M; Pina, R; Lopes, L; Fonseca, G
Fonte: Sociedade Portuguesa de Pediatria Publicador: Sociedade Portuguesa de Pediatria
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
67.17%
Em crianças e adolescentes com síndrome de trissomia 21 observa-se uma prevalência aumentada de alterações da função tiroideia. A mais frequentemente encontrada é o hipotiroidismo subclínico, seguida do hipotiroidismo clínico e, mais raramente, doença de Graves. O diagnóstico de hipotiroidismo é, por vezes, tardio pois os sintomas são confundidos com as manifestações características da trissomia 21, sendo portanto fundamental rastrear sistematicamente a função tiroideia nestas crianças. A velocidade de crescimento é um elemento clínico que pode contribuir quer para a valorização do diagnóstico quer da terapêutica apesar de esta não ser totalmente consensual. Descreve-se a casuística de um Hospital Central Pediátrico em foram seguidas quarenta e cinco crianças e adolescentes com trissomia 21, entre Janeiro de 2000 e Maio de 2008. Neste grupo de crianças, foram detectadas alterações da função tiroideia em dezanove; a alteração mais frequente foi o hipotiroidismo subclínico (treze) seguida do hipotiroidismo clínico (cinco); houve apenas um caso de hipertiroidismo. As alterações da função tiroideia aumentaram com a idade dos doentes, foram mais frequentes no sexo feminino e tiveram uma clínica inespecífica.

Função Tiroideia em Doentes com Trissomia 21 – Casuística de Duas Consultas num Hospital Pediátrico Central

Castro, S; Amaral, D; Pinto, M; Pina, R; Lopes, L; Fonseca, G
Fonte: Sociedade Portuguesa de Pediatria Publicador: Sociedade Portuguesa de Pediatria
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
67.17%
Em crianças e adolescentes com síndrome de trissomia 21 observa-se uma prevalência aumentada de alterações da função tiroideia. A mais frequentemente encontrada é o hipotiroidismo subclínico, seguida do hipotiroidismo clínico e, mais raramente, doença de Graves. O diagnóstico de hipotiroidismo é, por vezes, tardio pois os sintomas são confundidos com as manifestações características da trissomia 21, sendo portanto fundamental rastrear sistematicamente a função tiroideia nestas crianças. A velocidade de crescimento é um elemento clínico que pode contribuir quer para a valorização do diagnóstico quer da terapêutica apesar de esta não ser totalmente consensual. Descreve-se a casuística de um Hospital Central Pediátrico em foram seguidas quarenta e cinco crianças e adolescentes com trissomia 21, entre Janeiro de 2000 e Maio de 2008. Neste grupo de crianças, foram detectadas alterações da função tiroideia em dezanove; a alteração mais frequente foi o hipotiroidismo subclínico (treze) seguida do hipotiroidismo clínico (cinco); houve apenas um caso de hipertiroidismo. As alterações da função tiroideia aumentaram com a idade dos doentes, foram mais frequentes no sexo feminino e tiveram uma clínica inespecífica.

Existe relação entre o IMC e a TSH em indivíduos eutiroideus?

Costa, Ana Raquel Valente da
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2010 POR
Relevância na Pesquisa
37.15%
Introdução: A disfunção tiroideia influencia a massa corporal1, estando o hipertiroidismo associado a perda de peso e o hipotiroidismo a ganho. No entanto, no que diz respeito à associação de variações de peso a diferentes graus de função tiroideia dentro do considerado normal, pouco se sabe e a controvérsia é grande. Será que pequenas flutuações da função tiroideia, dentro do normal, poderão contribuir para alterações do peso? Objectivos: a) Averiguar a relação entre o IMC e os níveis da TSH, dentro do normal, como variáveis contínuas e por categorias. b) Comparar os IMC de diferentes tercis de TSH da amostra e as TSH entre obesos e não obesos. c) Por fim, estudar a relação entre a massa gorda e a TSH. Materiais e Métodos: Foram estudados dos cento e setenta e quatro indivíduos eutiroideus (cento e vinte mulheres e cinquenta e quatro homens), com idade média de 49,5±14,8 anos e IMC médio de 33,93±6,13 kg/m2 que tinham frequentado a Consulta de Nutrição e Actividade Física do Hospital Pêro da Covilhã, entre 2 de Janeiro de 2006 e 16 de Julho de 2009. Dados da função tiroideia normal, IMC e %MG foram recolhidos dos registos clínicos do hospital. Qualquer parâmetro da função tiroideia alterado era critério de exclusão. Procedeu-se à investigação de possíveis associações entre IMC...

A importância da tiróide nas perturbações da mente

Abreu, Glória Patrícia Pedrosa de
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /05/2011 POR
Relevância na Pesquisa
27.15%
Introdução: A tiróide é uma glândula que intervém em vários mecanismos fisiopatológicos. O défice ou o excesso das hormonas tiroideias foi relacionado com o aparecimento de várias perturbações psiquiátricas. Os indivíduos com hipertiroidismo são mais susceptíveis a desenvolver depressão, mania, psicose, ansiedade, demência, comportamento violento e, eventualmente, ideação suicida. Por outro lado, os que apresentam hipotiroidismo manifestam, frequentemente, depressão, apatia, mania, demência e ansiedade. A relação entre a tiróide e a mente é bidireccional, pois determinadas síndromes psiquiátricas também podem modificar a função tiroideia. Dada a complexidade e relevância da interacção tiróide – mente, coloca-se a questão se a disfunção tiroideia é causa, consequência ou comorbilidade das manifestações psiquiátricas e se será importante proceder à pesquisa da mesma, em determinadas situações. Objectivos: Este trabalho tem como objectivos elucidar as formas psiquiátricas que a disfunção tiroideia pode envergar; verificar se determinada patologia psiquiátrica pode alterar a função tiroideia; analisar em que medida as hormonas tiroideias podem alterar os tratamentos psiquiátricos...

Disfunção endotelial em crianças com obesidade

Pires, António Manuel Guerra Santos
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
26.7%
A obesidade caracteriza-se por um processo pró-inflamatório crónico que resulta na lesão do endotélio. O consequente desequilíbrio na produção de mediadores que normalmente regulam a homeostasia vascular, particularmente a biodisponibilidade do óxido nítrico, favorece um ambiente pró-aterosclerótico propício ao desenvolvimento da doença cardiovascular. Estudos anatomo-patológicos em crianças com excesso de peso, evidenciam lesões do endotélio que se traduzem nos precursores da lesão aterosclerótica. No entanto, as repercussões metabólicas e cardiovasculares raramente são sintomáticas em idade pediátrica, sendo detectadas apenas através de biomarcadores ou alterações morfológicas do coração e dos vasos. OBJETIVO Este projecto teve como objectivo avaliar clínica,analítica e imagiologicamente alterações precoces sugestivas de disfunção endotelial e a sua intercorrelação em crianças com obesidade, seguidas na Consulta de Risco Cardiovascular do Serviço de Cardiologia Pediátrica do Hospital Pediátrico de Coimbra, possibilitando a caracterização da nossa população obesa pediátrica, contribuindo, assim, para a prevenção da doença cardiovascular associada à obesidade. MATERIAIS E MÉTODOS Realizámos um estudo observacional e transversal...

Study of the thyroid function in patients with chronic renal insufficiency in hemodialysis.; Estudo da função tiroideia em doentes insuficientes renais crónicos em hemoliálise.

de Sousa, F. Teixeira; Mil-Homens, Maria Cabral; Aniceto, J. Piedade; das Neves, F. Coelho; dos Santos, J. Pinto; Barbas, J. Vieira
Fonte: Ordem dos Médicos Publicador: Ordem dos Médicos
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; article; article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: application/pdf
Publicado em 30/12/1988 POR
Relevância na Pesquisa
46.63%
Estudou-se a função tiroideia em 86 doentes, 49 homens e 37 mulheres, com Insuficiência Renal Crónica em hemodiálise regular. Foram determinadas as concentrações séricas predialiticas da Tiroxina livre (FT4), da Tiroxina total (T4), da Triiodotironina (T3) e da Tirotrofina (TSH). A análise das concentrações séricas das hormonas tiroideias (HT) permitiu dividir a população estudada em dois grupos: sem alterações das HT (55/64%) e com alterações das HT (31/36%). Neste grupo isolaram-se 10 doentes (32%) com FT4 diminuida — 3 doentes com TSH basal elevada (grupo A) e 7 doentes com TSH basal normal (grupos B). Todos os doentes encontravam-se em estado clinico eutiroideu. Foi comparada a prova de estimulação com TRH nestes dois grupos com um grupo de 10 doentes em hemodialise sem alterações das HT (grupo C). O aumento da respostada TSH em relação ao valor basal foi de 1, 9 a 4, 2 vezes no grupo A, 2,6 a 7,8 vezes no grupo B. 1,5 a 6,4 vezes no grupo C. Os autores concluem que a resposta hipofisária a prova da TRH nos doentes renais crónicos em hemodialise e normal ou no limite inferior ao normal, ficando por determinar a importância desta prova no diagnostico do hipotiroidismo primário associado a insuficiência renal crónica.

Secondary Hypothyroidism after Cervical Irradiation: Systematic Evaluation of Thyroid Function in Follow-up; Hipotiroidismo Secundário à Irradiação Cervical: Avaliação Sistemática da Função Tiroideia no Seguimento

Gonçalves, Sara Monteiro; Serviço de Radioterapia. Instituto Português de Oncologia de Coimbra. Coimbra. Portugal.; Ferreira, Brigida da Costa; Departamento de Física. Universidade de Aveiro. Aveiro. Portugal.; Guardado, Maria João; Serviço de Radio
Fonte: Ordem dos Médicos Publicador: Ordem dos Médicos
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: application/pdf
Publicado em 29/08/2014 POR
Relevância na Pesquisa
47.08%
Introduction: Sometimes Thyroid dysfunction is an underestimated consequence of radiation exposure. The underlying mechanism is not clearly understood, but it is likely to be multifactorial. As so, the specific risk factors associated with the development of secondary radiotherapy hypothyroidism remain undefined. The direct irradiation of the thyroid gland may result more frequently in hypothyroidism. This is an irreversible condition, requiring lifelong treatment and monitoring.Objectives: To evaluate the incidence of hypothyroidism in patients with head and neck cancer who underwent neck irradiation on an intensive or adjuvant basis and determine whether it is justifiable to integrate the monitoring of parameters for evaluation of thyroid function (TSH, free fraction T3 e free fraction T4 ) in this patient group on the Institutional follow up protocol.Material and Methods: This is an observational, retrospective descriptive study, which comprises a group of 376 patients with head and neck cancer undergoing radiotherapy, on adjuvant or intensive basis, between the years 2007 and 2012, at Portuguese Institute of Oncology of Coimbra, E.P.E. 145 patients met all the inclusion criteria. Standardized rating scales for the definition of hypothyroidism have been used - LENT-SOMA scales (Late Effects Normal Tissues Subjective Objective Management Analysis). Grade 1 or higher was considered as a complication hypothyroidism.Results: The analysis of a cohort of 145 patients was carried out. The most frequent tumor site was the larynx (26.9%). Thirty-two patients received adjuvant radiotherapy and 113 were treated with intensive schemes. The most used radiotherapy technique was intensity modulated (IMRT)...

Hipotiroxinemia em recém-nascidos pré-termo

Moreira, Amélia; Neves, Joana; Vilarinho, Laura; Osório, R. Vaz; Oliveira, Pedro; José Costeira, Maria
Fonte: Sociedade Portuguesa de Pediatria Publicador: Sociedade Portuguesa de Pediatria
Formato: application/pdf
Publicado em 07/08/2014 POR
Relevância na Pesquisa
26.5%
Introdução: A hipotiroxinemia é a disfunção tiroideia mais frequente em recém-nascidos prematuros e foi implicada em défices do neurodesenvolvimento e aumento da morbimortalidade perinatal. Pode ser definida por níveis sanguíneos de tiroxina total (T4T) dois desvios-padrão (DP) abaixo da média, ou abaixo de um limiar de 6 μg/dL, com tirotropina (TSH) normal ou baixa. Objectivos: Determinar a prevalência da hipotiroxinemia e correlacioná-la com a morbilidade neonatal durante as primeiras semanas de vida. Métodos: Estudo retrospectivo que incluiu os neonatos consecutivos com peso de nascimento ≤ 1500 g e/ou idade gestacional ≤ 30 semanas, de Janeiro de 2006 a Setembro de 2007. Foram excluídos os nados em outras instituições ou falecidos antes dos três dias de vida. Foram analisados os processos clínicos. O rastreio metabólico (incluindo TSH e T4T) foi efectuado ao 3º e ao 15º dia de vida. Resultados: Foram incluídos 38 recém-nascidos (idade gestacional: 28 ± 2,3 semanas, peso ao nascimento: 1133 ± 254 gramas). Os valores de T4T (no 3º dia) foram de 5,53 ± 3,17 μg/dL e correlacionaram-se positivamente com a idade gestacional e peso. Não se encontrou correlação com a TSH. No 3º dia de vida, 60,5% dos recém-nascidos apresentaram T4T <6 μg/dL...

Função tiroideia em doentes com trissomia 21 – casuística de duas consultas num hospital pediátrico central

Castro, Sofia Vidal; Pina; Amaral, Daniela; Pinto, Mónica; Pina, Rosa; Lopes, Lurdes; Fonseca, Guilhermina
Fonte: Sociedade Portuguesa de Pediatria Publicador: Sociedade Portuguesa de Pediatria
Formato: application/pdf
Publicado em 29/11/2012 POR
Relevância na Pesquisa
47.1%
Em crianças e adolescentes com síndrome de trissomia 21 observa-se uma prevalência aumentada de alterações da função tiroideia. A mais frequentemente encontrada é o hipotiroidismo subclínico, seguida do hipotiroidismo clínico e, mais raramente, doença de Graves. O diagnóstico de hipotiroidismo é, por vezes, tardio pois os sintomas são confundidos com as manifestações características da trissomia 21, sendo portanto fundamental rastrear sistematicamente a função tiroideia nestas crianças. A velocidade de crescimento é um elemento clínico que pode contribuir quer para a valorização do diagnóstico quer da terapêutica apesar de esta não ser totalmente consensual. Descreve-se a casuística de um Hospital Central Pediátrico em foram seguidas quarenta e cinco crianças e adolescentes com trissomia 21, entre Janeiro de 2000 e Maio de 2008. Neste grupo de crianças, foram detectadas alterações da função tiroideia em dezanove; a alteração mais frequente foi o hipotiroidismo subclínico (treze) seguida do hipotiroidismo clínico (cinco); houve apenas um caso de hipertiroidismo. As alterações da função tiroideia aumentaram com a idade dos doentes, foram mais frequentes no sexo feminino e tiveram uma clínica inespecífica.

Alterações da Função Tiroideia nos Recém-Nascidos Prematuros

Costeira, M.J.
Fonte: Sociedade Portuguesa de Pediatria Publicador: Sociedade Portuguesa de Pediatria
Formato: application/pdf
Publicado em 16/09/2014 PT
Relevância na Pesquisa
46.63%
A deficiência de hormonas tiroideias, mesmo transitória, acompanha-se de alterações do desenvolvimento psicomotor. As causas mais frequentes de hipotiroídismo transitório são: défice ou excesso de lodo na grávida c/ou no recém-nascido» administração de certos fármacos à mãe ou ao recém-nascido» existência de anticoipos anti-tíroideus e prematuridade.Nos prematuros concorrem uma série de entidades que conduzem, frequentemente» à diminuição dos níveis circulantes de tiroxina, agravando assim o prognóstico neurológico e intelectual destas crianças.A autora faz uma revisão da fisiopatologia das hormonas tiroideias antes e depois do nascimento, das alterações da função tiroideia mais frequentes nos prematuros, referindo a necessidade de monitorização dos níveis hormonais nestas crianças.

A importância da tiróide nas perturbações da mente

Abreu, Glória Patrícia Pedrosa de
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /05/2011 POR
Relevância na Pesquisa
27.15%
Introdução: A tiróide é uma glândula que intervém em vários mecanismos fisiopatológicos. O défice ou o excesso das hormonas tiroideias foi relacionado com o aparecimento de várias perturbações psiquiátricas. Os indivíduos com hipertiroidismo são mais susceptíveis a desenvolver depressão, mania, psicose, ansiedade, demência, comportamento violento e, eventualmente, ideação suicida. Por outro lado, os que apresentam hipotiroidismo manifestam, frequentemente, depressão, apatia, mania, demência e ansiedade. A relação entre a tiróide e a mente é bidireccional, pois determinadas síndromes psiquiátricas também podem modificar a função tiroideia. Dada a complexidade e relevância da interacção tiróide – mente, coloca-se a questão se a disfunção tiroideia é causa, consequência ou comorbilidade das manifestações psiquiátricas e se será importante proceder à pesquisa da mesma, em determinadas situações. Objectivos: Este trabalho tem como objectivos elucidar as formas psiquiátricas que a disfunção tiroideia pode envergar; verificar se determinada patologia psiquiátrica pode alterar a função tiroideia; analisar em que medida as hormonas tiroideias podem alterar os tratamentos psiquiátricos...

Existe relação entre o IMC e a TSH em indivíduos eutiroideus?

Costa, Ana Raquel Valente da
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2010 POR
Relevância na Pesquisa
37.15%
Introdução: A disfunção tiroideia influencia a massa corporal1, estando o hipertiroidismo associado a perda de peso e o hipotiroidismo a ganho. No entanto, no que diz respeito à associação de variações de peso a diferentes graus de função tiroideia dentro do considerado normal, pouco se sabe e a controvérsia é grande. Será que pequenas flutuações da função tiroideia, dentro do normal, poderão contribuir para alterações do peso? Objectivos: a) Averiguar a relação entre o IMC e os níveis da TSH, dentro do normal, como variáveis contínuas e por categorias. b) Comparar os IMC de diferentes tercis de TSH da amostra e as TSH entre obesos e não obesos. c) Por fim, estudar a relação entre a massa gorda e a TSH. Materiais e Métodos: Foram estudados dos cento e setenta e quatro indivíduos eutiroideus (cento e vinte mulheres e cinquenta e quatro homens), com idade média de 49,5±14,8 anos e IMC médio de 33,93±6,13 kg/m2 que tinham frequentado a Consulta de Nutrição e Actividade Física do Hospital Pêro da Covilhã, entre 2 de Janeiro de 2006 e 16 de Julho de 2009. Dados da função tiroideia normal, IMC e %MG foram recolhidos dos registos clínicos do hospital. Qualquer parâmetro da função tiroideia alterado era critério de exclusão. Procedeu-se à investigação de possíveis associações entre IMC...

Alterações imunológicas e da função tiroideia na gravidez e no período pós-parto

Barreira,Joana Filipa; Neves,Celestino; Esteves,César; Delgado,Luís; Medina,José Luís; Carvalho,Davide
Fonte: ArquiMed - Edições Científicas AEFMUP Publicador: ArquiMed - Edições Científicas AEFMUP
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2015 PT
Relevância na Pesquisa
56.79%
A gravidez está associada a um estado de tolerância transitória e seletiva para os aloantigénios paternos, através de mecanismos placentários locais e de mecanismos imunes sistémicos, influenciados por alterações hormonais. Este estado impede que haja rejeição do feto, que constitui um semienxerto, e permite a ocorrência de microquimerismo fetal. No período pós-parto, as alterações imunes não são imediatamente revertidas, mas gradualmente retornam ao seu estado basal nos 12 meses após o parto. Ocorrem também adaptações fisiológicas da tiroide à gravidez, havendo uma estimulação da glândula pela hCG (Human Chorionic Gonadotrophin) e uma correlação inversa entre esta e a TSH (Thyroid Stimulating Hormone); um aumento da T4 (Tiroxina) e da T3 (Triiodotironina) totais; um aumento do volume tiroideu, especialmente em áreas com aporte de iodo inadequado; e um estado de défice relativo de iodo, sendo recomendada a ingestão de 250 µg/dia. Estão definidos intervalos de referência para a TSH em cada trimestre de gestação. O presente artigo de revisão pretende sistematizar as alterações imunológicas e as modificações fisiológicas da função tiroideia que ocorrem durante a gravidez e o período pós-parto.

Hipotiroidismo subclínico, tiroidite autoimune e fatores de risco cardiovascular

Pereira,Teresa Alves; Neves,Celestino; Esteves,César; Carvalho,Davide; Delgado,Luís; Medina,José Luís
Fonte: ArquiMed - Edições Científicas AEFMUP Publicador: ArquiMed - Edições Científicas AEFMUP
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2015 PT
Relevância na Pesquisa
26.63%
Introdução: Tem surgido evidência de que o hipotiroidismo subclínico se associa a um aumento do risco cardiovascular. O objetivo deste estudo foi avaliar as inter-relações entre tiroidite autoimune, hipotiroidismo subclínico e fatores de risco cardiovascular. Métodos: Analisámos a função tiroideia, anticorpos anti-TPO e antitiroglobulina, níveis de colesterol total, colesterol-HDL, colesterol-LDL, triglicerídeos, apolipoproteínaB, apolipoproteínaA1, lipoproteína(a), homocisteína, PCR de alta sensibilidade, ácido fólico, vitamina B12, HOMA-IR, HOMA-β, QUICKI, HISI, WBISI, IGI em 185 doentes com tiroidite autoimune e eutiroidismo e em 69 doentes com tiroidite autoimune e hipotiroidismo subclínico. Para a análise estatística utilizámos o teste de Mann-Whitney, regressão logística e correlações de Spearman. Os resultados foram ajustados para a idade e índice de massa corporal. Considerou-se significativo um valor bilateral de p<0.05. Resultados: 94% dos indivíduos eram do sexo feminino. A mediana de idades foi significativamente superior no grupo eutiroideu. Valores de colesterol total (OR=1.01; p=0.03), PCR (OR=1.68; p=0.04) ou de anticorpos antitiroglobulina (OR=1.00; p=0.02) mais elevados associaram-me a maior probabilidade de sofrer de hipotiroidismo subclínico. No grupo total de doentes observaram-se correlações positivas entre TSH...