Página 1 dos resultados de 2190 itens digitais encontrados em 0.003 segundos

Prevalência e fatores de risco para fraturas vertebrais em idosos da comunidade; Prevalence and risk factors of vertebral fractures in communitydwelling elderly

Lopes, Jaqueline Barros
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 08/01/2010 PT
Relevância na Pesquisa
37.32%
Objetivo: Estimar a prevalência de fraturas vertebrais investigando os fatores de risco associados com esta última condição em idosos brasileiros da comunidade. Métodos: Este estudo de corte transversal incluiu 769 indivíduos idosos com 65 anos ou mais (462 mulheres e 307 homens) residentes em São Paulo, Brasil. Radiografias de coluna torácica e lombar foram obtidas e fraturas vertebrais foram avaliadas usando o método semiquantitativo de Genant. Densidade mineral óssea (DMO) foi mensurada por DXA e parametros bioquímicos foram também avaliados. Mulheres e homens foram analisados separadamente, e cada gênero foi dividido em 2 grupos com base na presença de fraturas vertebrais. Resultados: A prevalência de fraturas vertebrais foi de 16,7% (95% CI 13,3-20,1) nas mulheres e 21,2% (95% CI 16,6-25,7) nos homens. Análise de regressão logística usando as variáveis significantes na análise univariada no grupo feminino mostrou que a idade (OR=1,12, 95% CI 1,06-1,18; p<0,001) e o Tscore do colo femoral (OR=0,61, 95% CI 0,46-0,88; p=0,006) foram fatores de risco independentes na predição de fraturas vertebrais. No grupo masculino, a análise de regressão logística demonstrou que a condição de caidor crônico (OR=2,54 95% CI 1...

Necessidade de reabordagem cirúrgica após tratamento de fraturas mandibulares por fixação interna rígida; Necessity of surgical retreatment in mandibular fractures after treatment by rigid internal fixation

Yamamoto, Marcos Kazuo
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 10/08/2010 PT
Relevância na Pesquisa
37.27%
As fraturas de mandíbula são freqüentes e o seu tratamento é por meio de fixação interna rígida. Complicações podem ocorrer após o tratamento das fraturas mandibulares levando a necessidade de reabordagem cirúrgica, havendo poucos estudos a esse respeito na literatura. A proposta deste estudo retrospectivo foi avaliar as características, os possíveis fatores de risco e os tipos de tratamento realizado em pacientes que necessitaram de reabordagem cirúrgica de fraturas de mandíbula tratadas com fixação interna rígida (FIR). Dentre 364 pacientes tratados por fraturas de mandíbula com FIR, houve 17 pacientes (4,7%) que necessitaram de reabordagem cirúrgica, tendo sido incluídos três pacientes provenientes de outros serviços, totalizando 20 casos com necessidade de nova cirurgia. Houve predomínio do gênero masculino, com idade média de 31,4 anos, sendo freqüentes o tabagismo e o etilismo. Foram freqüentes fraturas múltiplas e cominutivas nas regiões de corpo e ângulo mandibular, dente no traço e exposição intraoral da fratura. O tempo de espera para primeira cirurgia foi alto e o acesso extraoral e o sistema de fixação menos rígido 2.0 mm foram freqüentes. As complicações mais comuns foram dor, infecção e mobilidade anormal. Nas culturas bacterianas houve predomínio do Staphylococcus aureus e a imagem mais freqüente foi de reabsorção óssea difusa...

Tipologia e origem das fraturas sub-horizontais em basaltos da Formação Serra Geral, Brasil; Typology and origin of subhorizontal fractures in basalts of Serra Geral Formation, Brzil

Curti, Daiane Katya
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 28/04/2011 PT
Relevância na Pesquisa
37.44%
Nos derrames basálticos da Formação Serra Geral são reconhecidas numerosas ocorrências de fraturas sub-horizontais de grande continuidade lateral. Tais fraturas, de até centenas de metros de extensão, foram consideradas estruturas típicas em derrames e constituem importantes descontinuidades na estabilidade de obras de engenharia e como rotas de percolação de fluídos. Descritas inicialmente no final da década de 60, as fraturas sub-horizontais em derrames basálticos foram intensamente estudadas até o início da década de 90, por ocasião da construção de grandes barragens sobre os derrames basálticos da Formação Serra Geral. No presente trabalho, a reunião das informações disponíveis sobre as fraturas sub-horizontais em basaltos permitiu estabelecer as relações entre suas formas de ocorrência e seus processos geradores, bem como a análise crítica dos modelos apresentados na literatura no que diz respeito a movimentações sobre fraturas sub-horizontais. As fraturas sub-horizontais possuem uma ampla variação de características, atribuída a diferentes processos genéticos e atuação de agentes secundários. Tais estruturas podem ocorrer como simples juntas sub-horizontais bastante contínuas, de abertura milimétrica...

Incidência de osteoporose e prevalência de fraturas referidas por idosos do Município de São Paulo. Estudo SABE: Saúde, Bem-estar e Envelhecimento, 2000 e 2006; Incidence of self-reported osteoporosis and prevalence of self-reported fractures after 60 year-old in the elderly of São Paulo. SABE Study (Health, wellbeing and aging) 2000 and 2006

Anzola Lujan, Marianella
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 22/11/2011 PT
Relevância na Pesquisa
37.32%
Introdução: A osteoporose (OP) é doença caracterizada pela fragilidade do osso e, consequentemente, pelo incremento do risco de fraturas. É considerada problema de saúde pública na maioria dos países. Evidências epidemiológicas apontam associação entre variáveis sociodemográficas, variáveis de estilo de vida (como a ingestão de alimentos e de bebidas alcoólicas e hábito de fumar), e indicadores antropométricos (como índice de massa corporal -IMC-) e risco de OP e fraturas osteoporóticas. Objetivo: Estimar a incidência de OP e a prevalência de fraturas referidas, em idosos domiciliados no Município de São Paulo e verificar associação com variáveis sociodemográficas, de estilo de vida, e IMC. Método: analisaram-se dados do Estudo SABE (Saúde, Bem-estar e Envelhecimento) 2000 - 2006, o qual é estudo epidemiológico, longitudinal, de base domiciliar, cuja amostra inicial foi composta por 2143 idosos (≥60 anos), de ambos os sexos, residentes habituais de domicílios urbanos no Município de São Paulo, e selecionados por amostragem probabilística, sendo que 829 idosos (39%) constituíram a amostra de estudo, em 2000, para análise da incidência de OP referida, em 2006, e 1072 idosos (50%) foi a amostra de estudo para análise de prevalência de fraturas após 60 anos referidas...

Características epidemiológicas das fraturas do fêmur proximal tratadas na Santa Casa de Misericórdia de Batatais - SP; Epidemiologic characteristics of proximal femur fractures treated at Santa Casa de Misericórdia de Batatais SP.

Ariyoshi, Anne France
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 01/03/2013 PT
Relevância na Pesquisa
37.3%
As fraturas do fêmur proximal são frequentes em idosos, consideradas uma devastadora consequência da osteoporose, acometem mais o sexo feminino, estão comumente associadas a traumas de pequena energia e, embora apresentem poucas complicações referentes a consolidação no caso das fraturas extracapsulares, estão relacionadas a déficits funcionais, a elevadas taxas de morbidade e mortalidade, além dos altos custos aos serviços de saúde. Representam importante problema de saúde pública mundial devido a sua alta incidência. Trata-se de um estudo retrospectivo com base em um levantamento de prontuários, objetivando caracterizar os pacientes com fraturas do fêmur proximal atendidos na Santa Casa de Misericórdia de Batatais SP. Foram analisados 258 prontuários, de 258 pacientes, correspondendo a 260 fraturas do fêmur proximal (duas fraturas bilaterais) de indivíduos atendidos na Santa Casa de Misericórdia de Batatais no período de janeiro de 2007 a dezembro de 2010 com idade média de 74,8 anos, com predomínio de fraturas na faixa etária entre 80 e 89 anos (35,8%), mulheres (64,6%) e que se declaravam brancos (73%). As fraturas trocantéricas foram as mais incidentes com 60% dos casos, o mecanismo de trauma mais comum foi a queda da própria altura com 91...

Tratamento cirúrgico intrabucal das fraturas de ângulo mandibular com uma miniplaca de titânio: estudo clínico e radiográfico

Érnica, Natasha Magro
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 142 f. : il. + 1CD-ROM
POR
Relevância na Pesquisa
37.32%
Pós-graduação em Odontologia - FOA; O objetivo deste estudo foi avaliar, clínica e radiograficamente, pacientes com fraturas de ângulo mandibular tratadas por meio de redução cirúrgica e fixação com uma miniplaca de titânio de 2,0 mm de espessura, associada a parafusos monocorticais. Foram avaliados retrospectivamente 21 pacientes, com 22 fraturas fraturas de ângulo mandibular, tratados pela equipe de Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo- Facial da Faculdade de Odontologia de Araçatuba - UNESP, na Santa Casa de Misericórdia de Araçatuba e Santa Casa de Misericórdia de Birigüi, Estado de São Paulo, no período de julho de 1999 a fevereiro de 2002. Todas as fraturas de ângulo mandibular avaliadas foram fixadas utilizando uma miniplaca de 2,0 mm de espessura, com parafusos monocorticais, disposta ao longo da linha oblíqua mandibular, sem utilização de fixação intermaxilar no pós-operatório. O tempo de proservação variou de 6 a 44 meses, com média de 15 meses e 1 dia. Foi observada, para essas fraturas, incidência de 14,3% de complicações pós-operatórias, sendo 4,8% infecção, 4,8% má-oclusão e 4,8% distúrbios sensoriais - hiperestesia no local de retenção da miniplaca. Dentre as complicações, a única que exigiu nova intervenção cirúrgica sob anestesia local foi a infecção pós-operatória. Assim...

Estudo epidemiologico das fraturas do complexo zigomatico-orbitario e arco zigomatico tratadas pela Area de Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facias da Faculdade de Odontologia de Piracicaba - Unicamp

Petrus Pereira Gomes
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 25/11/2004 PT
Relevância na Pesquisa
37.3%
O objetivo deste estudo foi revisar, por um período de 5 anos, os casos de fraturas do complexo zigomático-orbitário e do arco zigomático tratados pela Área de Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Faciais da Faculdade de Odontologia de Piracicaba " Unicamp. A distribuição da idade e gênero, tipos anatômicos das fraturas, traumas buco-maxilo-faciais e não buco-maxilo-faciais associados e a etiologia das lesões são descritas. Foram avaliados 1857 pacientes com traumatismo buco-maxilo-facial. Um total de 371 casos de fraturas do compexo zigomático-orbitário e arco zigomático foi encontrado na população estudada. Após a análise dos prontuários, observou-se que a maioria das fraturas ocorreu em indivíduos do gênero masculino (82,75%) e em brancos (56,84%). O grupo etário entre 21 e 40 anos foi o mais afetado pelas fraturas do complexo zigomático-orbitário e arco zigomático (59,84%). A maioria dos pacientes relatava uso de tabaco e álcool (45,55%) e tinham higiene bucal regular (54,45%). As etiologias incluíram as quedas (21,83%), as agressões físicas (19,41%), os acidentes ciclísticos (15,63%), acidentes motociclísticos (13,48%), acidentes automobilísticos (12,67%), acidentes esportivos (7,82%) e acidentes de trabalho (3...

Epidemiologia das fraturas mandibulares e avaliação mecânica de métodos de fixação de fraturas de ângulo em mandíbulas de poliuretano; Epidemiology of mandibular fractures and mechanical evaluation of fixation methods of angle fractures in polyuretane mandibles

Jose Luis Muñante Cárdenas
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 22/07/2014 PT
Relevância na Pesquisa
37.3%
Este estudo teve como objetivo avaliar as características epidemiológicas de casos envolvendo fraturas mandibulares e o comportamento mecânico de quatro diferentes métodos de fixação de fraturas de ângulo mandibular. Foi realizado um levantamento epidemiológico sobre os casos de fraturas de mandíbula tratados pela Área de Cirurgia Plástica do Hospital das Clínicas da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Foram analisados os prontuários de 119 pacientes tratados entre janeiro de 2006 e dezembro de 2011. As fraturas identificadas afetaram principalmente pacientes jovens do gênero masculino. Os acidentes de trânsito causaram o maior número de fraturas, sendo os acidentes de motocicleta a causa mais comum. As regiões mandibulares mais envolvidas foram a parassínfise e o ângulo. O tratamento cirúrgico foi aplicado na grande maioria dos casos. Complicações ocorreram em 36 pacientes (30,2%). As complicações no ângulo mandibular representaram 27% dos casos. A gravidade do trauma e a pouca colaboração dos pacientes foram fatores que contribuíram para o desenvolvimento de complicações pós-operatórias. Para a avaliação mecânica foram utilizadas quarenta réplicas de mandíbulas confeccionadas em poliuretano. As amostras foram divididas em quatro grupos com diferentes métodos de fixação: uma miniplaca...

Avaliação epidemiológica e radiológica das fraturas diafisárias do fêmur : estudo de 200 casos

Moraes, Frederico Barra de
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.3%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, 2007.; A grande freqüência, os mecanismos de trauma, a morbi-mortalidade e os altos gastos diretos e indiretos das fraturas diafisárias do fêmur, fazem com que essas fraturas representem um problema de saúde pública. O objetivo do trabalho é avaliar as características epidemiológicas e radiológicas dos casos de fratura diafisárias de fêmur, ocorridos de 1990 a 2005, tratados cirurgicamente no Hospital de Acidentados de Goiânia - Goiás, permitindo o planejamento de medidas preventivas e melhoria do tratamento. Foram avaliados retrospectivamente 200 prontuários e radiografias seriadas de pacientes com fraturas diafisárias do fêmur. Não foram incluídos os pacientes com menos de 10 anos de idade, pois o tratamento para esse grupo foi conservador. Foram descartados 25 prontuários por não fornecerem todos os dados necessários ao estudo. Os pacientes foram analisados quanto ao sexo, idade, lado da fratura, exposição óssea, mecanismos de trauma, classificação das fraturas, traumas associados, tempo de consolidação e tipos de fixação cirúrgica. A análise estatística foi feita pelos testes qui-quadrado, exato de Fisher e t-Student...

Tratamento conservativo e cirúrgico em 22 ruminantes com fraturas em membros

Câmara,Antônio Carlos Lopes; Calado,Eraldo Barbosa; Antunes,João Marcelo A. de Paula; Oliveira,Camila Marinho de M.; Afonso,José Augusto Bastos; Costa,Nivaldo de Azevêdo
Fonte: Colégio Brasileiro de Patologia Animal - CBPA; Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA) Publicador: Colégio Brasileiro de Patologia Animal - CBPA; Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/11/2014 PT
Relevância na Pesquisa
37.32%
O objetivo do presente trabalho foi relatar os principais locais de fraturas em membros de 22 ruminantes e determinar a eficiência dos tratamentos utilizados. Foram incluídos no estudo oito caprinos, oito ovinos e seis bovinos Em casos de fraturas distais, o tratamento conservativo com imobilização foi o método de eleição. Em casos de fraturas proximais e fraturas expostas de metatarso ou metacarpo, os ruminantes foram tratados cirurgicamente. Observou-se maior frequência de fraturas envolvendo o metacarpo ou metatarso (54,5%), seguido por fraturas de tíbia (22,7%), fêmur (9%) e casos isolados de fraturas de falange medial, úmero, rádio e ulna (4,5% cada). O índice de recuperação total alcançou 95,4%. A imobilização com gesso associada à tala de Thomas, ou apenas com talas de madeira em animais jovens, foi eficiente na redução de fraturas de metacarpo, metatarso, tíbia, úmero e rádio nos ruminantes tratados. Enquanto no caso de fratura de falange medial, a imobilização com uso apenas de gesso foi suficiente para proporcionar reparação óssea adequada. A fixação esquelética externa ou interna deve ser considerada uma opção no tratamento de fraturas metacárpicas, metatársicas, tibiais e femorais em ruminantes...

Fraturas em duas e três partes do úmero proximal tratadas com sutura não absorvível

Veado,Marco Antônio de Castro; Moura,Adher Leonardo Leite
Fonte: Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia Publicador: Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2007 PT
Relevância na Pesquisa
37.41%
OBJETIVO: Avaliar os resultados clínicos e radiográficos dos pacientes com fraturas em duas e três partes da extremidade proximal do úmero tratados por sutura não absorvível, com incorporação do manguito rotador, o que permite aumentar a estabilidade da fixação, principalmente em pacientes com pobre qualidade óssea. MÉTODOS: Dezenove pacientes foram operados, sendo 15 do sexo feminino e quatro do masculino, com média de idade de 57,4 anos (23-79 anos) e seguimento médio de 53,4 meses (sete a 144 meses). De acordo com a classificação de Neer, havia 10 fraturas em três partes (colo cirúrgico e tubérculo maior) e nove fraturas em duas partes (duas do tubérculo maior e sete do colo cirúrgico). Todos foram operados na posição " cadeira de praia" , com anestesia endotraqueal e bloqueio do plexo braquial. O acesso deltopeitoral foi utilizado para fraturas em duas partes do colo cirúrgico e fraturas em três partes. Para fraturas em duas partes do tubérculo maior, foi utilizado acesso transacromial. As fraturas foram reduzidas e fixadas com sutura não absorvível nº 5. O ângulo cervicodiafisário foi medido para avaliação da consolidação viciosa. RESULTADOS: Verificou-se consolidação óssea em 95% dos pacientes. A média da elevação anterior nos pacientes com fratura em duas partes foi de 163...

Osteossíntese provisória das fraturas expostas da diáfise da tíbia com fixador externo não transfixante

Hungria,José Octavio Soares; Mercadante,Marcelo Tomanik
Fonte: Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia Publicador: Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2008 PT
Relevância na Pesquisa
37.32%
OBJETIVO: Avaliar a eficácia do fixador externo não transfixante como tratamento provisório das fraturas expostas Gustilo e Anderson graus I e II. MÉTODOS: Em estudo prospectivo, 36 fraturas expostas da diáfise da tíbia foram tratadas seqüencialmente com fixador não transfixante seguido por haste intramedular maciça bloqueada não fresada. A média de idade foi de 28 anos e 88,9% dos pacientes eram do sexo masculino. O mecanismo de trauma foi: acidente motociclístico em 47,1%, atropelamento em 36,1%. Entre os pacientes, nove (25,0%) apresentaram lesões associadas. Segundo a classificação AO, 12 pacientes (33,3%) haviam sofrido fraturas do tipo A, 18 (50,0%) do tipo B e seis (16,6%) fraturas tipo C. Segundo a classificação de Gustilo e Anderson, 13 pacientes (36,1%) eram portadores de fraturas expostas grau I e 23 (63,9%), de fraturas grau II. O tempo médio de fixação externa foi de seis dias, variando de três a 22 dias. RESULTADOS: Entre os pacientes, 32 evoluíram satisfatoriamente. As complicações relacionadas ao fixador existiram em quatro pacientes: em três houve impossibilidade de conversão com o fixador instalado e em um ocorreu neurapraxia do fibular superficial. CONCLUSÃO: O fixador externo não transfixante é útil como fixação provisória das fraturas expostas da diáfise da tíbia quando se visa a conversão para osteossíntese intramedular.

Fraturas da extremidade distal da tíbia tratadas pela haste intramedular e placa em ponte: comparação do tempo de exposição à radiação nos dois métodos

Labronici,Pedro José; Lyra,Fábio Soares; Moreira Junior,Ildeu Leite; Hoffmann,Rolix; Franco,José Sergio; Lourenço,Paulo Roberto Barbosa de Toledo; Labronici,Gustavo José
Fonte: Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia Publicador: Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2010 PT
Relevância na Pesquisa
37.3%
OBJETIVO: Comparar o tempo de exposição à radiação nos pacientes com fratura do terço distal da tíbia tratados com haste intramedular e placa em ponte. MÉTODOS: Em 33 fraturas foram utilizadas hastes intramedulares e em 41, placas em ponte. No grupo haste, segundo a classificação AO, 14 pacientes apresentavam fraturas do tipo A, 15 do tipo B e quatro, do tipo C. Doze pacientes sofreram fraturas fechadas e 21, expostas. No grupo placa, 10 pacientes apresentavam fraturas do tipo A, 22 do tipo B e nove do tipo C. Vinte e sete pacientes sofreram fraturas fechadas e 14 expostas. RESULTADOS: Observou-se que existe diferença significativa no tempo de exposição à radiação entre pacientes tratados com haste e placa (p = 0,0001). O grupo tratado com haste apresentou tempo de exposição à radiação significativamente maior que o grupo com placa. Quando comparado o tipo de fratura (A, B e C), observou-se que não existe diferença significativa no tempo de exposição à radiação quando utilizada a técnica de haste (p = 0,19) e placa (p = 0,80). CONCLUSÃO: Fraturas do terço distal da tíbia tratadas com haste intramedular apresentam um tempo de exposição à radiação significativamente maior do que as fraturas tratadas com placa em ponte...

Prevenção de quedas e fraturas na atenção à saúde do idoso no Rio Grande do Sul, Brasil

Caberlon, Iride Cristofoli
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Dissertação de Mestrado
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
37.4%
Quedas e fraturas em pessoas idosas representam um problema de saúde pública relevante frente ao processo de longevidade da população brasileira. Estas estão associadas a elevados índices de morbimortalidade, redução da capacidade funcional, aumento da fragilização, de institucionalização do idoso e óbito precoce. A influência dos fatores ambientais no risco de quedas associa-se ao estado funcional e a mobilidade daquelas pessoas idosas com alterações de equilíbrio e marcha. Embora existam estudos científicos no Brasil que indicam que há associação das quedas e fraturas com o clima em idosos, no Rio Grande do Sul esta problemática ainda é pouco estudada. Frente a esta realidade o presente estudo teve como objetivo geral investigar quedas e fraturas em pessoas idosas (60 anos e mais), residentes em municípios da região metropolitana e da serra gaúcha do Estado do Rio Grande do Sul/Brasil. Caracterizou-se por ser um estudo transversal, retrospectivo, descritivo-analítico, quantitativo, de idosos atendidos por queda no ano de 2010. Os dados foram coletados a partir dos 6. 633 boletins de atendimentos de idosos de quatro Unidades de Urgência e Emergência (UAUEH) do SUS do RS/Brasil. A amostra final foi de 6. 556 idosos atendidos por queda...

Densidade mineral óssea nas fraturas do fêmur proximal

Bolze, Carlos Daniel de Garcia
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Dissertação de Mestrado
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
37.43%
As fraturas osteoporóticas sempre trazem morbidade aos pacientes e, no fêmur proximal, também, mortalidade. Estudos internacionais têm procurado analisar as relações entre a densidade mineral óssea e as fraturas do quadril, entretanto, o cenário brasileiro e latino-americano, ainda, carece de mais dados. Este estudo visa descrever a qualidade óssea de pacientes que sofreram fraturas do fêmur proximal, tratados em um hospital do sul do Brasil e fazer uma análise comparativa de acordo com o sexo, o IMC e os diferentes tipos de fraturas.Pacientes e Métodos: Em um estudo transversal foram analisados 118 pacientes sendo 56, com fraturas do Colo do Fêmur e 62, com fraturas Trocantéricas em . Destes, 16 foram do sexo masculino e 102 do sexo feminino. As fraturas do colo do fêmur foram classificadas de acordo com a classificação de Garden e, posteriormente divididas em Estáveis (Garden I e II) e Instáveis (Garden III e IV). As fraturas trocantéricas foram classificadas de acordo com a classificação AO-OTA e divididas em Estáveis (31A1 até 31A2. 1) e Instáveis (31A2. 2 até 31A3. 3).Resultados: As fraturas classificadas como Estáveis apresentaram valores T-Score menores do que as Instáveis em todos os sítios de medição do fêmur proximal. Foi detectada significância estatística na diferença entre as medidas obtidas na região trocantérica e coluna vertebral (p=0...

Estudo comparativo das técnicas de fixação óssea em fraturas de côndilo mandibular através de análise por elementos finitos

Conci, Ricardo Augusto
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Dissertação de Mestrado
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
37.32%
As fraturas de côndilo mandibular representam um tema de grande importância dentro da Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial, pela grande incidência dentre as fraturas faciais, além das inúmeras discussões no que diz respeito às formas de tratamento, acessos cirúrgicos e o tipo de material que vai ser utilizado para fixação das fraturas. O tratamento divide-se em cirúrgico e não-cirúrgico, e depende de algumas situações e indicações. Quando o tratamento cirúrgico é a escolha, deve-se buscar uma adequada redução das fraturas, além de eficiente fixação interna para se obter um bom resultado final. Inúmeras configurações de placas, isoladas ou não, com formatos e tamanhos variados, são utilizadas para a resolução cirúrgica das fraturas condilares. Almejando aprimorar as vantagens e minimizar as desvantagens das técnicas de fixação, foi desenvolvido o parafuso Neck Screw, visando a estabilidade necessária para a correta fixação através de um sistema de compressão dinâmica, aumentando o contato entre os cotos fraturados, além de servir como aliado no momento da redução das fraturas. O presente trabalho tem como objetivo avaliar a fixação e a estabilidade das fraturas de côndilo mandibular e comparar três técnicas de fixação...

Avaliação mecânica in vitro utilizando miniplacas quadradas e retangulares do sistema 2.0 mm em fraturas da região anterior de mandíbula

Oliveira, Kerlison Paulino de
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva; Saúde Pública Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva; Saúde Pública
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.32%
The aim of this study was to comparatively evaluate the mechanical strength of squared and rectangular 2.0 mm system miniplates comparing them to the standard configuration with 2 straight miniplates in stabilizing fractures in the anterior mandible. Ninety synthetic polyurethane mandible replicas were used in mechanical test. The samples were divided into six groups of three different methods for fixation. Groups 1, 2 and 3 showed complete fractures in symphysis, characterized by a linear separation between the medial incisor, and groups 4, 5 and 6 showed complete fractures in parasymphysis with oblique design. Groups 1 and 4 were represented by the standard technique with two straight miniplates parallel to each other. Groups 2 and 5 were stabilized by squared miniplates and groups 3 and 6 were fixed by rectangular design. Each group was subjected to a mechanical test at a displacement speed of 10 mm/min on a universal testing machine, receiving linear vertical load on the region of the left first molar. The values of the maximum load and when displacements reached 5 mm were obtained and statistically analyzed by calculating the confidence interval of 95%. Fixation systems using squared (G2) and rectangular (G3) miniplates obtained similar results. No statistically significant differences with respect to the maximum load and the load at 5 mm displacement were found when compared to standard method in symphyseal fractures (G1). In parasymphysis the fixation method using squared miniplates (G5) obtained results without significant differences regarding the maximum load and the load at 5 mm when compared to the standard configuration (G4). The fixation method using rectangular miniplates (G6) showed inferior results which were statistically significant when compared to the standard configuration (G4) for parasymphysis fractures. The mechanical behavior of the fixation methods was similar...

Aspectos epidemiológicos e clínicos dos pacientes com fraturas por causas externas atendidos no Hospital de Clínicas de Uberlândia em 2003

Ferreira, Diego Lelis
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
37.3%
Introdução: dentre as lesões físicas causadas pelos acidentes e violências, as fraturas ocupam lugar de destaque por serem lesões comuns que requerem longos períodos de reabilitação para que as vítimas retornem às suas atividade habituais exigindo um atendimento hospitalar especializado. Objetivo: conhecer aspectos epidemiológicos e clínicos de pacientes com fraturas motivadas por causas externas em Uberlândia, MG. Material e método: foi realizado um estudo de série de casos com coleta de dados dos prontuários médicos de 1600 pacientes com fraturas por causas externas (acidentes e violências), atendidos no Hospital de Clínicas de Uberlândia de janeiro a dezembro de 2003. Resultados: a maioria das vítimas (1146; 71,6%) foi atendida no período das 09:00 às 21:00 horas com certa homogeneidade na distribuição quanto aos dias da semana e meses do ano, e predominaram as do sexo masculino (1090; 68,1%); 781 (48,8%) pacientes eram da faixa etária de 20 a 49 anos. Do total, 1475 (92,2%) pacientes foram vítimas de acidentes sendo mais comuns as quedas (721; 48,9%), especialmente as de mesmo nível (484; 67,1%), e os acidentes de trânsito (553; 37,5%), principalmente com motocicleta (279; 50,5%). Nos casos de violências (125; 7...

Diagnóstico de fraturas vertebrais: oportunidades perdidas

Borges,João Lindolfo Cunha; Maia,Julianne Lira; Silva,Renata Faria; Lewiecki,Edward Michael
Fonte: Sociedade Brasileira de Reumatologia Publicador: Sociedade Brasileira de Reumatologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2015 PT
Relevância na Pesquisa
37.32%
RESUMOAs fraturas vertebrais são o tipo mais comum de fratura osteoporótica. As mulheres na pós-menopausa têm um risco aumentado de fraturas vertebrais osteoporóticas em comparação com as mulheres em idade fértil. As fraturas vertebrais estão associadas a um aumento na morbidade e mortalidade e à elevação do risco de fratura vertebral subsequente, independentemente da densidade mineral óssea. Apesar da ocorrência comum e das graves consequências das fraturas vertebrais, elas muitas vezes passam despercebidas ou são erroneamente diagnosticadas pelos radiologistas. Além disso, as fraturas vertebrais podem ser descritas com uma terminologia variável, que pode confundir em vez de esclarecer o médico solicitante. Foi feito um levantamento dos laudos das radiografias de coluna vertebral de um grupo de mulheres na pós-menopausa selecionadas para participar de um estudo de osteoporose no Centro de Pesquisa Clínica do Brasil. A análise descritiva avaliou a variabilidade dos laudos em sete pacientes. Quatro radiologistas gerais independentes emitiram laudos de avaliação das fraturas vertebrais por meio de uma análise cega. O objetivo deste estudo foi avaliar a consistência desses laudos. A análise descobriu uma acentuada variabilidade no diagnóstico das fraturas vertebrais e na terminologia usada para descrevê-las. Na prática clínica da comunidade...

Posição no veículo, uso de cinto de segurança e suas conseqüências nas fraturas de face em ocupantes de carros; Seating position, seat belt wearing, and the consequences in facial fractures in car occupants

Fonseca, Alexandre Siqueira Franco; Goldenberg, Dov; Alonso, Nivaldo; Bastos, Endrigo; Stocchero, Guilherme; Ferreira, Marcus Castro
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/2007 ENG
Relevância na Pesquisa
37.41%
INTRODUÇÃO: Os traumatismos devidos a acidentes de trânsito estão entre as principais etiologias na ocorrência de fraturas de face em todo o mundo. No entanto os mecanismos de trauma são diferentes, conforme o local onde o estudo foi realizado, devido a condições de desenvolvimento, legislação e cultura 1, 2, 3, 4. Com o objetivo de se conhecer a epidemiologia e os mecanismos envolvidos na ocorrência de fraturas de face em ocupantes de automóveis na região metropolitana de São Paulo, foi realizado um estudo retrospectivo entre Fevereiro de 2001 e Julho de 2006. MÉTODO: Foram coletados dados de 297 pacientes admitidos com fraturas de face na sala de emergência do HC-FMUSP. Destes, 151 indivíduos estiveram envolvidos em acidentes de trânsito sendo que 56 (37,08%) estavam dentro de automóveis. Estes últimos foram agrupados baseados na posição em que estavam sentados no veículo no momento do acidente e no uso de cintos de segurança. Dados referentes ao número e localização dos traços de fratura foram obtidos nos diferentes grupos e um Índice Fraturas/Paciente (IF/P) foi idealizado para comparar e avaliar o impacto nesses grupos, e para posteriormente serem analisados e discutidos. RESULTADO: Ocorreram 323 traços de fraturas nos 56 pacientes ocupantes de carros. Aplicando-se o IF/P obtivemos maiores valores no grupo de passageiros do banco traseiro sem cinto de segurança (7...