Página 1 dos resultados de 9 itens digitais encontrados em 0.026 segundos

Composição e sazonalidade de borboletas frugívoras no cerrado, com ênfase na relação fenológica entre Eunica bechina (Nymphalidae: Biblidinae) e sua planta hospedeira Caryocar brasiliense (Caryocaraceae); Composition and seasonality of fruit-feeding butterflies in the cerrado savanna, with emphasis on the phenological relationship between Eunica bechina (Nymphalidae: Biblidinae) and its host plant Caryocar brasiliense (Caryocaraceae)

Danilo Germano Muniz da Silva
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 27/05/2011 PT
Relevância na Pesquisa
25.88%
Em muitos ambientes tropicais, estações chuvosas se alternam com períodos de seca. A estação seca é um período de menor disponibilidade e qualidade nutricional de folhas, sendo, portanto, um período desfavorável para insetos herbívoros e gerando as oscilações sazonais em suas populações. O cerrado é um bioma neotropical sazonal, que inclui formações de savana (cerrado sensu stricto), e onde o clima se caracteriza por uma estação quente e chuvosa de outubro a abril e uma fria e seca de maio a setembro. A produção de folhas novas se concentra geralmente na estação chuvosa, tornando este um período favorável para muitos insetos herbívoros tais como as borboletas. Em seu estágio larval, as borboletas são herbívoros vorazes cujas populações comumente oscilam de acordo com a disponibilidade de folhas adequadas ao desenvolvimento dos imaturos. Borboletas podem ser divididas funcionalmente em duas guildas: as que se alimentam em sua forma adulta do néctar de flores, e aquelas que se alimentam dos líquidos oriundos de frutos em decomposição, seiva de árvores, carcaças de animais e excrementos. As espécies do segundo grupo são conhecidas como borboletas frugívoras. A guilda de borboletas frugívoras tem sido amplamente utilizada em estudos de ecologia de comunidades devido à facilidade de captura usando armadilhas com iscas de fruta fermentada...

Disputas territoriais entre o agroextrativismo do pequi e o agronegócio na substituição do Cerrado por monocultivos agroindustriais : estudo das microrregiões de Porto Franco-MA e Jalapão-TO; Territorial disputes between pequi agro-extractivism and the agribusiness in the substitution of the Cerrado instead of agribusiness : study of the microregions Porto Franco (MA) and Jalapão (TO)

Rodrigo Meiners Mandujano
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 16/08/2013 PT
Relevância na Pesquisa
36.11%
O Cerrado é o segundo maior bioma do Brasil, sua superfície corresponde a aproximadamente 21% do território do país. É considerado a Savana Tropical mais biodiversa do mundo e fornece grandes quantidades de água para as principais bacias hidrográficas do país. Porém, a inserção do agronegócio capitalista reflete em intenso desmatamento do bioma que, nos últimos 35 anos, perdeu quase a metade da sua superfície original. O pequizeiro é uma árvore de valor identitário do Cerrado, amplamente distribuída no bioma e faz parte da cultura regional dos povos tradicionais. Os objetivos do trabalho foram analisar os processos organizacionais, as estratégias de resistência e os modos de vida das organizações dos agroextrativistas do pequi no contexto da disputa pela terra com a expansão do agronegócio nas microrregiões de Porto Franco-MA e Jalapão-TO. Foram realizadas duas saídas a campo, em que foram coletadas informações por meio de entrevistas e diário de campo. Verificou-se que o pequi faz parte da cultura dos camponeses e indígenas, com a persistência de seu uso nos modos de vida, principalmente como complemento alimentar na dieta básica da população. O fruto é intensamente consumido na época da safra e comercializado de maneira informal pelos camponeses...

Caracterização do ataque da broca dos frutos do pequizeiro

Lopes,Paulo Sergio Nascimento; Souza,Júlio César de; Reis,Paulo Rebelles; Oliveira,Juvenal Mendes; Rocha,Isis Daniely Ferreira
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2003 PT
Relevância na Pesquisa
26.32%
O extrativismo dos frutos de pequizeiro (Caryocar brasiliense Camb.) (Caryocaraceae) é uma importante opção de renda, alimento e emprego para as populações que vivem nas regiões de Cerrado em todo Brasil. Entretanto, a oferta natural desses frutos encontra-se ameaçada por diversos fatores, entre estes, destaca-se uma séria praga, Carmenta sp. (Lepidoptera: Sesiidae), que os torna impróprios para o consumo. Diante disso, o presente estudo objetivou conhecer algumas características do inseto responsável, bem como a forma de ataque aos frutos de pequizeiro, os danos causados e sintomas característicos. Este trabalho foi realizado através da análise de frutos de pequizeiro coletados aleatoriamente, tanto na planta como no solo, na vegetação do tipo Cerrado nos municípios de Montes Claros, Norte de Minas e Itumirim, Sul de Minas, em Minas Gerais. No primeiro município foram colhidos frutos aproximadamente entre 80-120 dias após a antese (DAA), enquanto no segundo, em duas épocas, 45 e 90 DAA. Em cada município, época e local de coleta (planta ou solo) foram coletados 50 frutos para análise. As características avaliadas foram: diâmetro longitudinal e transversal, percentagem de frutos danificados, número de lagartas por fruto e número de crisálidas por fruto. Após a análise dessas características...

Caracterização física de frutos e putâmens e taxa de ataque por Carmenta sp. a pequizeiros (Caryocar brasiliense Camb.) no norte de Minas Gerais

Luz,Giovana Rodrigues da; Rodrigues,Priscyla Maria Silva; Menino,Gisele Cristina de Oliveira; Coutinho,Etiene Silva; Nunes,Yule Roberta Ferreira
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2011 PT
Relevância na Pesquisa
36.33%
O pequizeiro é uma espécie nativa do cerrado brasileiro, cujos frutos, explorados de forma extrativista, têm grande importância econômica. O extenso período de oferta dos frutos do pequi, aliado à heterogeneidade das regiões produtoras levam a crer na existência de diferenças entre as suas características físicas. Dessa forma, este trabalho objetivou comparar as características físicas de frutos de pequizeiro coletados em três municípios do norte de Minas Gerais e verificar se a taxa de ataque por Carmenta sp. está diretamente relacionada com as características biométricas. Assim, foram marcados 10 indivíduos e coletados 20 frutos de cada árvore, em Montes Claros, Mirabela e Japonvar, totalizando 200 frutos por área. Foram determinados as variáveis físicas dos frutos e dos putâmens, o número de frutilhos, de putâmens e de sementes e a porcentagem de frutos e de putâmens intactos e danificados. Os resultados indicaram que há diferenças nas características físicas entre as localidades, possuindo a região de Japonvar os putâmens mais vigorosos e com menor taxa de ataque pela broca-do-pequizeiro. Além disso, a porcentagem de ataque por Carmenta sp. relacionou-se com a espessura da casca e o comprimento dos frutos nas localidades de Japonvar e Mirabela...

PRODUÇÃO DE FRUTOS DE POPULAÇÕES NATURAIS DE PEQUIZEIRO NO ESTADO DE GOIÁS

FERREIRA,GISLENE AUXILIADORA; NAVES,RONALDO VELOSO; CHAVES,LÁZARO JOSÉ; VELOSO,VALQUÍRIA DA ROCHA; SOUZA,ELI REGINA BARBOZA DE
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2015 PT
Relevância na Pesquisa
36.34%
RESUMO O pequizeiro é uma espécie nativa do Cerrado de importância econômica e cultural para o Brasil Central. O cultivo dessa frutífera é uma forma de diminuir a pressão extrativista sobre o ambiente natural, mas ainda há necessidade de técnicas que viabilizem a implantação, condução e colheita dos frutos. O trabalho teve como objetivo caracterizar a influência de caracteres da planta, do ambiente e da entomofauna sobre a produção de pequizeiros de ocorrência natural, em cinco regiões do Estado de Goiás, em três anos. Foram caracterizadas quinze populações de pequizeiros quanto à biometria, à produção e ao ambiente de ocorrência, assim como a organismos associados às plantas. A produção do pequizeiro, em três anos, diferiu significativamente no Estado de Goiás, apresentando média de 132 frutos por planta e produção por área projetada da copa de 1,64 frutos m-2. As três populações mais produtivas apresentam como características comuns o vigor, por estarem localizadas em ambiente aberto e por apresentarem início da copa mais próxima do solo. Há um elevado grupo de organismos que interagem com o pequizeiro...

An?lise genetica de matrizes de caryocar brasiliense utilizando marcadores moleculares microssat?lite

Godinho, Thalyta Fernandes
Fonte: UFVJM Publicador: UFVJM
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
46.3%
Considerado como um ?hotspot? mundial de biodiversidade, o Cerrado apresenta alta abund?ncia de esp?cies end?micas e possui mais de 11.627 esp?cies de plantas nativas j? catalogadas. Dentre elas, o pequizeiro (Caryocar brasiliense), esp?cie que possui grande import?ncia ambiental e social neste bioma. A expans?o da fronteira agr?cola e a intensiva explora??o do Cerrado, por?m, t?m colocado em risco a preserva??o e a variabilidade gen?tica da esp?cie. Al?m disso, o extrativismo intensivo do pequizeiro pode gerar perdas de material gen?tico, j? que quase todos os frutos de qualidade, oriundos de gen?tipos superiores, s?o coletados. Dessa forma, o objetivo do presente trabalho foi analisar o banco de matrizes de pequi, utilizando marcadores moleculares microssat?lites, com fins de melhoramento e conserva??o da esp?cie. Para a extra??o do DNA gen?mico, foram utilizadas amostras foliares de 20 matrizes de Caryocar brasiliense, das quais 16 oriundas do Parque Estadual do Rio Preto (S?o Gon?alo do Rio Preto ? MG) e as demais oriundas da Fazenda Experimental da UFVJM ? Campus Moura (Curvelo ? MG). Para a amplifica??o do DNA, foram testados dez oligonucleot?deos espec?ficos para o pequi. Ap?s a amplifica??o, os fragmentos de DNA foram separados em gel desnaturante de poliacrilamida 10% e ureia 6 M em TBE 1x.A partir da leitura dos g?is gerou-se uma matriz bin?ria em que os indiv?duos foram genotipados quanto ? presen?a (1) e aus?ncia (0) de bandas. Com essa matriz...

Caracterização Molecular e Citogenética de frutos de Caryocar brasiliense (Cambess) com e sem espinho no caroço

Londe, Luciana Nogueira
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
26.12%
CAPÍTULO II: O pequi, Caryocar brasiliense, é uma das espécies de destaque no bioma do Cerrado devido a sua utilização na culinária, medicina popular, indústria e siderurgia. Apresenta índice de exploração elevado, podendo entrar na lista das espécies ameaçadas de extinção. Na região de São José do Xingu (MT) foi encontrada uma árvore produzindo pequi sem espinho no endocarpo, o que levantou a possibilidade de melhorar o pequi para consumo aproveitando a alta apreciação que já possui. Com o objetivo de analisar as diferenças genômicas entre o pequi com e o sem espinho no endocarpo, utilizou-se marcadores RADP (Random Amplified Polymorphism DNA). As bandas polimórficas geradas foram isoladas, clonadas e seqüenciadas, buscando identificar sequências responsáveis pela alteração fenotípica. Observou-se que o pequi sem espinho fica isolado geneticamente das demais populações de pequi com espinho no caroço, comprovando que essa característica está relacionada à divergência genética da espécie. Análises em BLASTn mostraram a similaridade aos genes Dof1 de Zea mays, na população com espinho e com o gene da Acetiltransferase Fosfinotricina de Z. mays, na população sem espinho. As análises em BLASTx revelaram similaridade com as proteínas responsáveis pela Deficiência em Redutase Férrica 4...

A intensificação da agricultura e o papel de árvores isoladas na conservação da fauna de formigas do cerrado fora de unidades de conservação; The intensification of agriculture and the role of isolated trees in the conservation of savanna ant assemblages outside protected areas

Frizzo, Tiago Luiz Massochini
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
26.06%
A destruição dos hábitats naturais e a intensificação da agricultura são consideradas as maiores ameaças à conservação da biodiversidade. Dada a rápida expansão das fronteiras agrícolas sobre as áreas de vegetação nativa do Cerrado, é imperativo se conhecer a capacidade de conservação da fauna original nos agroecossistemas. Neste sentido, este estudo teve por objetivo determinar quanto da biodiversidade de formigas é mantida em agroecossistemas da região do Cerrado, assim como determinar se a presença de árvores nesses agroecossistemas agrega algum valor de conservação para a mirmecofauna. As coletas foram realizadas nos municípios de Uberlândia (MG) e Campo Alegre de Goiás (GO) em dois cultivos de soja e em quatro pastagens onde houvesse a presença de árvores isoladas da espécie Caryocar brasiliensis (popularmente conhecida como Pequizeiro). Foram instaladas armadilhas do tipo pitfall na copa das árvores, na superfície do solo e no subsolo. Para verificar se as árvores aumentavam a riqueza de espécies ao nível do solo, as armadilhas foram instaladas logo abaixo da copa das árvores e a 30 metros destas e de qualquer outra árvore (considerada área sem a influência de árvores). Ao todo foram coletadas mais de 200 mil formigas distribuídas em 204 espécies. A presença de árvores isoladas aumentou significativamente a riqueza de espécies independentemente do tipo de agroecossistema. Esse aumento na riqueza foi devido principalmente ao incremento de espécies arborícolas...

Estratigrafia da faixa de dobramentos Paraguai-Araguaia no centro-norte do Brasil

HASUI, Yociteru; ABREU, Francisco de Assis Matos de; SILVA, Jos? Maur?cio Rangel da
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
56.37%
A Faixa de Dobramentos Paraguai-Araguaia, constitu?da no Ciclo Brasiliano, estende-se para o norte da Ilha do Bananal, com orienta??o sub-meridiana. Acima do paralelo 9?30'S ela se faz representar pelo Grupo Baixo Araguaia, uma faixa ofiol?tica, alguns corpos gran?ticos e pela Forma??o Rio das Barreiras. O Grupo Baixo Araguaia se constitui de tr?s forma??es, Estrondo, Couto Magalh?es e Pequizeiro, esta ?ltima de car?ter magm?tico-sedimentar associada ? faixa ofiol?tica. A faixa ofiol?tica ? associada ? Geossutura Tocantins-Araguaia, que parece se manifestar ? superf?cie atrav?s da falha de empurr?o entre o Rio Vermelho e Tucuru?, em associa??o ? qual incide f?ceis xisto verde glaucofan?tica. A evolu??o da faixa de dobramentos mostra polaridade para oeste dos v?rios fen?menos, com exce??o do magmatismo b?sico-ultrab?sico.; ABSTRACT: The Paraguai-Araguaia Fold Belt, constituted during the Brasiliano Cycle, extends to the north of Bananal Island, with submeridian trend. Between the 9? 30'S and 3?30'S parallels, the fold belt is represented by the Baixo Araguaia Group, an ophiolitc belt, some granitic bodies and by the Rio das Barreiras Formation. The Baixo Araguaia Group comprises three formations named, from the bottom to the top, Estrondo...