Página 1 dos resultados de 46 itens digitais encontrados em 0.002 segundos

Efeito da injeção do biopolímero da cana-de-açúcar na prega vocal de coelhos: estudo comparativo com a hidroxiapatita de cálcio; Effect of sugarcane biopolymer injected in rabbit vocal fold: comparative study with calcium hydroxyapatite

Vasconcelos, Silvio José de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 10/12/2014 PT
Relevância na Pesquisa
36.77%
A insuficiência glótica é uma condição clínica caracterizada pelo fechamento inadequado das pregas vocais durante a fonação ou a deglutição. Nos casos mais leves, os pacientes são geralmente encaminhados para tratamento fonoterápico. Nos casos com sintomas mais importantes ou insucesso na fonoterapia, o tratamento cirúrgico se faz necessário. A melhor abordagem cirúrgica para a insuficiência glótica vem sendo debatida há mais de um século. As injeções laringoplásticas são procedimentos tecnicamente simples e com possibilidade de realização sob regime ambulatorial, no entanto seus resultados não são sempre previsíveis. Esses procedimentos também trazem consigo a possibilidade de rigidez da mucosa vocal por causa da reação inflamatória ao material utilizado. Apesar do crescente interesse por procedimentos ambulatoriais na laringologia e da popularização das injeções laringoplásticas, é sabido que se carece de materiais de melhor qualidade para resultados ainda mais consistentes. O surgimento do biopolímero de cana-de-açúcar (BPCA) e as pesquisas sobre seu uso em outras especialidades médicas apontaram para a possibilidade de que o referido material possa ser adequado ao uso nas injeções laringoplásticas. O presente trabalho foi desenvolvido para estudar a reação inflamatória causada pela injeção do BPCA na prega vocal de coelhos e comparar com a reação causada pela hidroxiapatita de cálcio (HCa). Para tal...

Qualidade de vida e deglutição em indivíduos com doença de Parkinson que realizam terapia vocal

Souza, Cintya Meneghel de
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: 82 f.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
46.74%
TCC(graduação) - Universidade Federal de Santa Catarina. Centro de Ciências da Saúde. Fonoaudiologia.; Introdução: A doença de Parkinson é uma doença neurodegenerativa, em que ocorre diminuição da dopamina na substância negra, ocasionando alterações motoras. Essas alterações motoras, podem consequentemente causar dificuldade de deglutição. A disfagia orofaríngea tem oferecido riscos à saúde, como desnutrição, desidratação e até mortalidade, causando impactos na qualidade de vida desses indivíduos. O Questionário de Qualidade de Vida em Deglutição (SWAL-QOL) é um instrumento que avalia a qualidade de vida em deglutição, e nos permite analisar se há diferença da percepção das dificuldades de deglutição entre o grupo que realiza e o grupo que não realiza terapia fonoaudiológica vocal. Objetivo: Analisar a percepção de portadores da Doença de Parkinson que realizam e que não realizam terapia fonoaudiológica vocal sobre as suas dificuldades de deglutição e o impacto destas na qualidade de vida. Metodologia: Este estudo foi realizado no período de abril a maio de 2015, com 21 indivíduos com Doença de Parkinson que realizam (n=12) e que não realizam (n=9) terapia vocal, classificados nos estágios de 1 a 3 da escala Hoehn & Yahr modificada. Para avaliá-los foi aplicado o Questionário Sóciodemográfico e Aspectos Clínicos...

Avaliação da qualidade vocal de pacientes tratados de tuberculose laríngea antes e após terapia fonoaudiológica

Ruas, Ana Cristina Nunes
Fonte: Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Dissertação
Relevância na Pesquisa
27.08%
A Tuberculose Laríngea (TL) é a mais freqüente doença granulomatosa de laringe, podendo invadir vias aéreas e digestivas superiores, causando lesões mucosas. O envolvimento dos tecidos da laringe podem alterar a flexibilidade da túnica mucosa das pregas vocais e conseqüentemente alterar a qualidade vocal dos pacientes. Como conseqüência, a disfonia é o principal sintoma da TL, estando presente em 96% dos casos diagnosticados. Apesar da grande incidência, poucos estudos foram realizados, principalmente no tocante ao tratamento e evolução das seqüelas pós-infecção. O objetivo deste trabalho é avaliar a incidência da disfonia pós-tratamento de tuberculose laríngea (TL) e o efeito da fonoterapia na qualidade vocal destes pacientes. Num total de 23 pacientes com diagnóstico confirmado de TB tratados no IPEC-FIOCRUZ, sete foram submetidos à terapia fonoaudiológica por até 6 meses, sendo avaliados por videolaringoscopia e análise acústica vocal computadorizada antes, durante e após o fim da terapia idade dos pacientes variou de 25 a 83 anos com média de 41,3 + 13,9 anos , sendo 5 mulheres e 18 homens. A disfonia esteve presente em 91,3% dos pacientes com TL, sendo o primeiro sintoma em 82,6% destes, só melhorando completamente após tratamento antituberculínico em 15...

Reabilitação vocal de laringectomizados com prótese traqueoesofágica

Costa,Claudiney C.; Rapoport,Abrão; Chagas,José Francisco S.; Oliveira,Iara B.; Castro,Pedro de; Magna,Luiz Alberto
Fonte: ABORL-CCF Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial Publicador: ABORL-CCF Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2001 PT
Relevância na Pesquisa
36.99%
Material: No período de 23 de fevereiro de 1999 a junho de 2000 foram estudados 23 pacientes submetidos à laringectomia total que receberam a prótese traqueoesofágica do tipo Blom-Singer Indeweling Low Presure, sendo 22 pacientes do sexo masculino, com faixa etária variando de 40 a 80 anos. O tempo de acompanhamento variou de 150 a 462 dias. Um paciente era do estádio clínico I, com comprometimento da comissura posterior; um, do estádio II, com lesão na subglote; 13, do estádio III; e sete do IV. Forma de estudo: Prospectivo clínico não randomizado. Método: A prótese foi locada concomitante à laringectomia em sete pacientes; secundariamente, com anestesia geral, em cinco; e, por endoscopia digestiva alta, sob sedação e anestesia local, em quatorze. Foram estudadas as complicações decorrentes da colocação e uso da prótese vocal, avaliação da qualidade da voz e da inteligibilidade de fala, utilizando parâmetro perceptivo-auditivo, antes e depois da fonoterapia e do tempo necessário para reabilitação vocal. Resultados: Houve três complicações pós-operatórias relacionadas com procedimento cirúrgico terapêutico, que impossibilitaram a reabilitação vocal; dos vinte possíveis de serem reabilitados com a prótese...

Pólipos de pregas vocais: aspectos clínicos e cirúrgicos

Cecatto,Suzana B.; Costa,Kátia da S.; Garcia,Roberta I. D.; Haddad,Leonardo; Angélico Júnior,Fernando V.; Rapoport,Priscila B.
Fonte: ABORL-CCF Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial Publicador: ABORL-CCF Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2002 PT
Relevância na Pesquisa
26.7%
Introdução: O pólipo de prega vocal representa uma lesão benigna comum da laringe e o seu tratamento tem diversas modalidades. O objetivo deste artigo é apresentar aspectos clínicos e cirúrgicos específicos destes pólipos. Forma de estudo: Clínico retrospectivo. Material e Método: Levantamento retrospectivo de todos os casos atendidos no ambulatório de laringe da Faculdade de Medicina do ABC durante 18 meses e análise completa de todos os dados obtidos. Discutimos ainda as possibilidades terapêuticas e os resultados relatados na literatura. Resultados: Foram atendidos 108 pacientes no período acima e o diagnóstico mais prevalente foi pólipo de prega vocal (29,62%; n = 32), sem predileção por sexo. O principal sintoma referido foi disfonia (100%) e em 56,25% o tabagismo estava presente, seguido de abuso vocal (25%). Vinte seis pacientes (81,25%) foram tratados por microcirurgia de laringe com laringoscópio de suspensão sob anestesia geral e fonoterapia pós-cirúrgica, além de higiene vocal e tratamento medicamentoso quando necessário. Em 95% destes houve melhora da qualidade vocal após 60 dias de pós-operatório. Conclusões: O tratamento cirúrgico do pólipo de prega vocal apresenta diversas modalidades, porém o sucesso terapêutico depende da habilidade técnica do cirurgião...

Granuloma de processo vocal: caracterização clínica, tratamento e evolução

Lemos,Elza Maria; Sennes,Luiz Ubirajara; Imamura,Rui; Tsuji,Domingos H.
Fonte: ABORL-CCF Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial Publicador: ABORL-CCF Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2005 PT
Relevância na Pesquisa
36.68%
O granuloma de processo vocal é uma doença cuja etiopatogenia não é bem definida. Assim, o tratamento clínico e cirúrgico não é padronizado e os resultados terapêuticos variam de acordo com o serviço. OBJETIVO: Objetivando caracterizar os pacientes com granuloma de processo vocal tratados em nosso serviço, a abordagem terapêutica utilizada e a evolução clínica. MATERIAL E MÉTODO: realizamos um estudo retrospectivo pela análise de seus prontuários. Encontramos maior incidência de granuloma de processo vocal em homens, exceto em casos associados à intubação laríngea. RESULTADO: O fator etiopatogênico associado mais freqüente foi o refluxo laringo-faríngeo (RLF), seguido de intubação laríngea e abuso vocal. O tratamento clínico com inibidor de bomba de prótons (IBP), corticosteróide tópico e fonoterapia foi suficiente para remissão da lesão em 48,6% dos casos. A cirurgia para remoção do granuloma associada ao tratamento clínico foi eficaz em cerca de 90% dos casos. Recidivas tardias (após um ano) foram observadas em cinco pacientes, sugerindo que o controle dos fatores etiopatogênicos associados deve ser mantido por tempo prolongado.

Alteração de mobilidade de prega vocal unilateral: avaliação subjetiva e objetiva da voz nos momentos pré e pós-fonoterapia

Gama,Ana Cristina Cortes; Faria,Amanda Peixoto; Bassi,Iara Barreto; Diniz,Sônia Silvia
Fonte: CEFAC Saúde e Educação Publicador: CEFAC Saúde e Educação
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2011 PT
Relevância na Pesquisa
37.04%
OBJETIVO: avaliar de forma subjetiva e objetiva a voz de pacientes com paralisia unilateral de prega vocal nos momentos pré-tratamento e pós-tratamento. MÉTODOS: trata-se de um estudo retrospectivo por meio de revisão de prontuário, que analisou as gravações de vozes de 12 indivíduos com diagnóstico otorrinolaringológico de paralisia unilateral de prega vocal. O material de voz colhido foi a emissão sustentada da vogal /a/, seguida de fala encadeada. As vozes pré e pós-terapia foram analisadas por meio da escala GRBASI, análise espectrográfica e medida do tempo máximo de fonação (TMF). Os parâmetros para análise espectrográfica foram: forma do traçado, grau de escurecimento dos harmônicos, continuidade do traçado, presença de ruídos, presença de sub-harmônicos e harmônicos definidos. A medida do TMF da vogal /a/ representou a maior de três emissões. Os dados obtidos foram submetidos a análise descritiva de tendência central e dispersão, e ao Teste Wilcoxon. RESULTADOS: na análise perceptivo-auditiva, o parâmetro que mais se modificou no momento pós- tratamento foi o de soprosidade (B) (p=0,003), seguido do grau da disfonia (G) (p=0,004) e astenia (A) (p=0,01), sendo que estes resultados foram estatisticamente significantes. Com relação ao espectrograma...

Avaliação vocal de crianças disfônicas pré e pós intervenção fonoaudiológica em grupo: estudo de caso

Ribeiro,Vanessa Veis; Leite,Ana Paula Dassie; Alencar,Bruno Leonardo Freire de; Bail,Denise Ienk; Bagarollo,Maria Fernanda
Fonte: CEFAC Saúde e Educação Publicador: CEFAC Saúde e Educação
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2013 PT
Relevância na Pesquisa
36.65%
Este estudo tem como objetivo caracterizar a dinâmica vocal de crianças disfônicas pré e pós-terapia fonoaudiológica em grupo por meio de avaliação perceptivo-auditiva e acústica da voz. Participaram seis crianças, dois meninos e quatro meninas, com idades entre sete e dez anos, com diagnóstico de disfonia funcional ou organofuncional. As crianças foram submetidas à anamnese, análise perceptivo-auditiva e acústica da voz, antes e após processo terapêutico grupal semanal, num total de doze sessões de quarenta minutos cada. Como estratégias terapêuticas foram propostas atividades de dramatizações, desenhos, brincadeiras, elaboração de painéis e realizados exercícios vocais (de forma coletiva e lúdica). Buscou-se a troca de experiências entre os membros do grupo, a construção conjunta de conhecimentos sobre a produção da voz e saúde vocal, e, a atuação direta por meio de técnicas e exercícios. Os dados foram analisados usando um nível de significância de 0,10. Quanto aos parâmetros de rugosidade e grau global da disfonia da avaliação perceptivo-auditiva, houve diferença entre as avaliações realizadas antes e depois do processo terapêutico grupal (p=0,024 e p=0,074, respectivamente). Em relação à análise acústica da voz pré e pós-terapia...

Parâmetros vocais, laríngeos e de autopercepção de professoras disfônicas: análise após tratamento fonoaudiológico

Ribeiro,Mariah Batalha; Gama,Ana Cristina Côrtes; Bassi,Iara Barreto; Teixeira,Letícia Caldas
Fonte: CEFAC Saúde e Educação Publicador: CEFAC Saúde e Educação
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2013 PT
Relevância na Pesquisa
26.97%
OBJETIVO: analisar os resultados das avaliações vocais, laríngeas e de autopercepção após tratamento fonoaudiológico em um grupo de professoras disfônicas. MÉTODO: trata-se de estudo retrospectivo com revisão de 42 prontuários de mulheres portadoras de disfonia comportamental, com coleta de dados referente à análise perceptivo-auditiva, acústica, de avaliação laríngea e de protocolo de autopercepção vocal (PPAV) nas situações pré e pós-fonoterapia. As professoras foram atendidas por estudantes do curso de Fonoaudiologia supervisionados por um único profissional. Foram utilizadas terapia direta com a realização de técnicas vocais e indireta com orientação sobre cuidados com a saúde vocal. RESULTADOS: com relação à análise perceptivo-auditiva, 73,8% das vozes foram descritas como melhores após a fonoterapia. Os parâmetros que mais se modificaram foram o grau da disfonia (G) e a rugosidade (R). No que concerne à análise acústica, os parâmetros que melhoraram significantemente após o tratamento foram o jitter, quociente de perturbação de frequência, shimmer e quociente de perturbação de amplitude. A avaliação laríngea demonstrou que 43% das pacientes apresentaram melhora no exame após o tratamento fonoaudiológico; 38% dos exames não sofreram alteração com o tratamento e 19% pioraram no momento da alta. A partir do PPAV...

Voz, deglutição e qualidade de vida de pacientes com alteração de mobilidade de prega vocal unilateral pré e pós-fonoterapia

Mangilli,Laura Davison; Amoroso,Marcia Regina Moscato; Nishimoto,Inês Nobuko; Barros,Ana Paula Brandão; Carrara-de-Angelis,Elisabete
Fonte: Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia Publicador: Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2008 PT
Relevância na Pesquisa
37.38%
OBJETIVO: Investigar as contribuições da fonoterapia na voz, na deglutição e na qualidade de vida de pacientes com alteração unilateral de mobilidade de prega vocal. MÉTODOS: Os sujeitos foram 13 pacientes, de ambos os sexos, com alteração unilateral de mobilidade de prega vocal. Foi realizado um levantamento da história clínica, dos dados de avaliação pré e pós-fonoterapia e da qualidade de vida dos mesmos a partir dos prontuários, das fitas de exame e das gravações de exames. RESULTADOS: Após a intervenção fonoaudiológica foi possível observar: nove pacientes apresentaram melhora da qualidade vocal após fonoterapia; todos os pacientes apresentaram melhora em pelo menos um parâmetro da avaliação acústica; dez pacientes apresentaram classificação dentro dos limites de normalidade em relação à escala de severidade da disfagia e nove em relação à escala de penetração/aspiração; seis pacientes referiram menor desvantagem vocal; nove pacientes referiram menor impacto da disfagia na qualidade de vida. CONCLUSÃO: Os resultados apontam melhoras na voz, na deglutição, na limitação vocal e na qualidade de vida relacionada à deglutição após fonoterapia. Pode-se dizer que a fonoterapia parece ser efetiva na melhora da voz...

Análise visual de parâmetros espectrográficos pré e pós-fonoterapia para disfonias

Côrtes,Marcela Guimarães; Gama,Ana Cristina Côrtes
Fonte: Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia Publicador: Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2010 PT
Relevância na Pesquisa
36.92%
OBJETIVO: Avaliar os efeitos da fonoterapia nos distúrbios da voz por meio de diferentes parâmetros acústicos pré e pós-fonoterapia. MÉTODOS: Trata-se de estudo experimental retrospectivo no qual se analisou as gravações de vozes de 67 indivíduos submetidos à reabilitação vocal. Os espectrogramas pré e pós-terapia fonoaudiológica foram julgados por quatro fonoaudiólogas. Os parâmetros para análise foram: forma do traçado, grau de escurecimento dos harmônicos, estabilidade do traçado dos harmônicos, presença de ruído, presença de harmônicos e de sub-harmônicos. Os dados obtidos foram submetidos a análise estatística, em que também se buscou observar a eventual diferença de padrões entre gêneros e diagnósticos. RESULTADOS: Não houve diferença estatisticamente significante entre a forma do traçado espectrográfico nas condições pré e pós-fonoterapia, porém a maioria dos pacientes (58%) obteve melhora. O grau de escurecimento manteve-se estável nas condições pré e pós-fonoterapia (p=0,000). Houve significativa melhora espectrográfica, após a fonoterapia, para os parâmetros de estabilidade do traçado (p=0,006), presença de ruído (p=0,007), harmônicos (p=0,000) e sub-harmônicos (p=0...

Avaliação da performance vocal antes e após a vibração sonorizada de língua

Azevedo,Luciana Lemos de; Passaglio,Kátia Tomagnini; Rosseti,Márcia Braz; Silva,Cristina Batista da; Oliveira,Bruna Ferreira Valenzuela de; Costa,Rejane Cardoso
Fonte: Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia Publicador: Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2010 PT
Relevância na Pesquisa
36.55%
OBJETIVO: Verificar o tempo ideal de execução da técnica de vibração sonorizada de língua necessário para interferir nas medidas de perturbação (do ciclo vibratório das pregas vocais) a curto prazo, de frequência fundamental (F0) e intensidade vocal. MÉTODOS: Foram analisadas 43 voluntárias do sexo feminino, na faixa etária de 18 a 31 anos (média de 21,2). Elas foram submetidas a uma triagem realizada por uma fonoaudióloga e por uma médica otorrinolaringologista, para eliminação de possível patologia laríngea e/ou alteração vocal. Foi realizada a gravação de um [a] prolongado, antes da realização da técnica de vibração sonorizada de língua; e depois do primeiro, terceiro e quinto minuto de realização da mesma. Após a coleta dos dados foi realizada a análise acústica, através do software Vox Metria® 1.1, na qual se analisou a F0 média e sua variabilidade, intensidade média e medidas de perturbação a curto prazo. RESULTADOS: Houve aumento na F0 a partir de três minutos da execução da técnica e na intensidade a partir de um minuto. Houve diminuição do ruído a partir de três minutos de realização da técnica. Os parâmetros de variabilidade da F0, jitter, shimmer, nível de ruído glótico e irregularidade não apresentaram diferença entre os períodos comparados. CONCLUSÃO: A técnica de vibração sonorizada de língua foi mais efetiva a partir de três minutos. Os resultados obtidos confirmaram a eficácia da técnica...

Análises perceptivo-auditiva e acústica da voz nos momentos pré e pós fonoterapia de pacientes com falsete mutacional

Gama,Ana Cristina Côrtes; Mesquita,Gabriele Magalhães; Reis,César; Bassi,Iara Barreto
Fonte: Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia Publicador: Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2012 PT
Relevância na Pesquisa
37.13%
A disfonia da muda vocal mais comum é o falsete mutacional. Foram analisadas de forma perceptivo-auditiva e acústica as vozes de quatro jovens do gênero masculino com falsete mutacional nas situações pré e pós fonoterapia para apresentar o resultado da intervenção fonoaudiológica. Para coleta dos dados foi solicitado que os pacientes falassem os dias da semana. Quatro fonoaudiólogas avaliaram auditivamente tais emissões por meio dos parâmetros perceptivo-auditivos: grau geral da disfonia, rugosidade, soprosidade, tensão, instabilidade e pitch. As emissões de cada paciente correspondentes aos momentos pré e pós fonoterapia foram apresentadas aos avaliadores aleatoriamente, e os avaliadores não tinham conhecimento prévio da condição da voz analisada (pré ou pós tratamento). A avaliação foi realizada por comparação e os avaliadores deveriam informar se a segunda emissão era melhor, pior ou sem modificação em relação à primeira. Quando houve modificação, deveriam selecionar três parâmetros perceptivo-auditivos referentes à mudança expressiva. Foi informado aos avaliadores somente a idade e o gênero dos pacientes. A frequência fundamental média, assim como a máxima e a mínima foram extraídas de cada emissão dos pacientes utilizando-se o Programa Praat (versão 5132). Foram extraídos e analisados...

Efeitos imediatos do exercício vocal sopro e som agudo

Maia,Maria Emilia Oliveira; Maia,Mariana Oliveira; Gama,Ana Cristina Côrtes; Behlau,Mara
Fonte: Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia Publicador: Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2012 PT
Relevância na Pesquisa
36.75%
OBJETIVO: Investigar os efeitos imediatos do exercício vocal sopro e som agudo. MÉTODOS: Trata-se de estudo tipo observacional comparativo. Participaram 46 mulheres com idades entre 25 a 45 anos que foram divididas em dois grupos: 23 com queixa vocal (GQ) e 23 sem queixa vocal (GSQ). Foram realizadas a avaliação perceptivo-auditiva da qualidade vocal, análise acústica, videolaringoestroboscopia e autoavaliação da voz antes e após a execução do exercício sopro e som agudo em dez repetições. A avaliação perceptivo-auditiva e das imagens da configuração laríngea foram realizadas por três fonoaudiólogas especialistas em voz, que deveriam analisar dois trechos de cada sujeito, sem a identificação do momento do registro, assinalando o melhor trecho. Os parâmetros acústicos avaliados foram frequência fundamental, jitter e shimmer na vogal sustentada e frequência fundamental na fala encadeada. Na autoavaliação vocal, todos os participantes deveriam responder à pergunta: "Como você avalia a sua voz após a realização do exercício?". RESULTADOS: Na avaliação perceptivo-auditiva, ambos os grupos apresentaram melhor qualidade vocal no pós-exercício. Quanto à avaliação acústica, após o exercício houve diminuição dos valores shimmer...

Intervenção fonoaudiológica em grupo a cantores populares: estudo prospectivo controlado

Goulart,Bárbara Niegia Garcia de; Rocha,Jaqueline Garcia da; Chiari,Brasilia Maria
Fonte: Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia Publicador: Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2012 PT
Relevância na Pesquisa
26.7%
OBJETIVO: Verificar os benefícios de um programa de aperfeiçoamento vocal em grupo a cantores populares. MÉTODOS: Trata-se de estudo de intervenção, quase experimental, realizado com 37 cantores populares de ambos os gêneros, com idades entre 18 e 40 anos e qualidade vocal adaptada. Os participantes foram divididos em dois grupos: Intervenção (GI) e Controle (GC). O GI contou com 21 indivíduos que receberam orientações sobre anátomo-fisiologia do aparelho fonador, cuidados de higiene vocal e realização de exercícios vocais, em um total de sete encontros. O GC contou 16 participantes, que mantiveram suas atividades normais durante o período de realização da pesquisa e não receberam as orientações sobre o aperfeiçoamento vocal. Nos períodos pré e pós-intervenção todos os participantes responderam a um questionário sobre hábitos e demandas relacionadas à voz e foram avaliados em relação a: ressonância, articulação, projeção, pitch, loudness, tempo máximo de fonação e relação s/z. RESULTADOS: O trabalho de aperfeiçoamento vocal mostrou-se positivo na percepção dos cantores, que referiram melhora em suas vozes. Os tempos máximos de fonação e a relação s/z não apresentaram diferença entre os grupos (p=0...

Influência da escuta contextualizada na percepção da intensidade do desvio vocal

Costa,Flávia Pereira da; Yamasaki,Rosiane; Behlau,Mara
Fonte: Academia Brasileira de Audiologia Publicador: Academia Brasileira de Audiologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2014 PT
Relevância na Pesquisa
37.24%
Objetivo : Verificar se a escuta clínica contextualizada influencia a avaliação perceptivo-auditiva da intensidade do desvio vocal. Métodos : Foram selecionados 22 registros vocais de 12 mulheres e dez homens, faixa etária de 25 a 75 anos, pré e pós fonoterapia. A amostra vocal foi analisada por duas fonoaudiólogas especialistas em voz. A avaliadora 1 era a terapeuta dos pacientes e realizou a escuta clínica contextualizada e a avaliadora 2 não conhecia nenhum dos pacientes e realizou a escuta do sinal sonoro. O material de fala foi a emissão da vogal sustentada “é” e a contagem de números de um a dez. A estratégia utilizada foi a de marcar o grau geral de desvio vocal em uma escala analógica visual de 100 mm. Resultados: Na vogal sustentada, no momento pré-fonoterapia, a avaliadora 1 produziu a média de 53,8 pontos (faixa de 17 a 100), enquanto a avaliadora 2 produziu a média de 62,8 (faixa de 32 a 100). No momento pós fonoterapia, a média da avaliadora 1 foi de 22,8 pontos (faixa de 7 a 47) e a da avaliadora 2 foi de 51,9 pontos (faixa de 28 a 92), para vogal sustentada. Para a fala encadeada, o momento pós fonoterapia foi o único que se encontrou diferença...

Efeitos da reabilitação fonoaudiológica na desvantagem vocal de cantores populares profissionais

Silva,Fernanda Ferreira da; Moreti,Felipe; Oliveira,Gisele; Behlau,Mara
Fonte: Academia Brasileira de Audiologia Publicador: Academia Brasileira de Audiologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2014 PT
Relevância na Pesquisa
37.04%
Objetivo Verificar o efeito de um programa de reabilitação de voz na desvantagem vocal autorrelatada por um questionário, em cantores populares profissionais com disfonia. Métodos Quarenta e nove cantores populares profissionais, entre 18 e 45 anos, avaliados pelo otorrinolaringologista e diagnosticados como portadores de disfonia comportamental, com ou sem lesão de massa, relacionada, em maior ou menor grau, ao comportamento vocal, foram encaminhados para fonoterapia. Os cantores foram distribuídos em dois grupos: Experimental (GE), com 29 cantores submetidos à fonoterapia imediata e Controle (GC), com 20 cantores aguardando em fila de espera do serviço para terapia fonoaudiológica, atendidos após a finalização da pesquisa. Todos os participantes responderam ao protocolo de Índice de Desvantagem para o Canto Moderno (IDCM) e autoavaliaram suas vozes falada e cantada, na primeira e na última sessão de atendimento (avaliação e reavaliação). Resultados Houve diferença entre o GE e o GC no momento pós-terapia, para todos os escores do protocolo IDCM. Não houve mudanças em relação ao número de aulas de canto...

A importância da TENS como coadjuvante na fonoterapia de portadores de nódulos vocais

Maria Alencastro de Oliveira, Sandra; Alves Motta, Mauricy (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
36.78%
O objetivo deste trabalho foi verificar a eficácia da TENS como coadjuvante no tratamento fonoterápico de pacientes portadores de nódulos vocais. Nesse sentido desenvolveu-se um estudo experimental com desenho prospectivo, o ensaio clínico, com pacientes acompanhados na clínica-escola da Fundação de Ensino Superior de Olinda, município de Olinda, estado de Pernambuco. De um total de 200 pessoas atendidas por mês, a amostra foi composta por 40 pacientes do sexo feminino, cuja faixa etária está entre 15 e 52 anos, apresentando um laudo otorrinolaringológico de nódulos vocais bilaterais. Essas pacientes foram distribuídas em dois grupos, recebendo como forma de tratamento, respectivamente, apenas a fonoterapia ou a aplicação da TENS, antes do início da terapia, nos músculos esternocleidomastoídeo e trapézio. Coletados os dados após um período de três meses de tratamento, com sessões semanais de trinta minutos de duração e adotou- -se o mesmo procedimento fonoterápico para os dois grupos. Esses dados foram analisados com técnicas de estatística descritiva e analítica, particularmente o teste t pareado, empregado para a avaliação das diferenças médias entre os grupos. De acordo com os resultados obtidos...

Resultados vocais perceptivoauditivos após Tireoplastia tipo I e fonoterapia em um caso de paralisia de prega vocal

Cielo,Carla Aparecida; Ribeiro,Vanessa Veis; Lima,Joziane Padilha de Moraes; Gonçalves,Bruna Franciele da Trindade
Fonte: CEFAC Saúde e Educação Publicador: CEFAC Saúde e Educação
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2015 PT
Relevância na Pesquisa
27.21%
Resumo:Verificar as modificações vocais perceptivoauditivas após intervenção cirúrgica e fonoterapêutica. Relato de caso de homem de 32 anos de idade, com paralisia de prega vocal direita decorrente de traumatismo cranioencefálico por arma de fogo, submetido à Tireoplastia tipo I e a seis sessões de fonoterapia. Avaliação vocal perceptivoauditiva da fala espontânea por meio da escala RASATI e dos aspectos: pitche ressonância, realizada antes e após a cirurgia e após a fonoterapia. Os áudios foram analisados por três fonoaudiólogas com experiência em voz e as análises foram consideradas em conjunto para determinar o julgamento predominante em cada parâmetro. A fonoterapia consistiu em: método de sobrearticulação, constrição labial e pontos cardeais com a língua. Após a cirurgia, houve melhora da soprosidade (de grau moderado ficou discreto), astenia (de discreto ficou normal), tensão (de moderado ficou discreto) e pitch(de discretamente grave ficou normal); piora do aspecto rouquidão (de discreto ficou moderado) e não houve modificações na instabilidade (permaneceu moderado), ressonância hipernasal (permaneceu intenso), aspereza (normal). Após a fonoterapia, houve melhora da rouquidão (de moderado ficou normal) e da instabilidade (de moderado ficou discreto). Os demais aspectos não apresentaram modificações. A Tireoplastia tipo I melhorou os aspectos vocais perceptivoauditivos de soprosidade...

Efectos en las cualidades de la voz posteriores a la intervención con fonoterapia y lipoinyección en parálisis de pliegue vocal unilateral paramediana. Comparación de dos casos.

González Barrero, Ana María; Ramírez López, Rudenilce
Fonte: Facultad de Ciencia Política y Gobierno y de Relaciones Internacionales Publicador: Facultad de Ciencia Política y Gobierno y de Relaciones Internacionales
Tipo: info:eu-repo/semantics/bachelorThesis; info:eu-repo/semantics/acceptedVersion Formato: application/pdf
SPA
Relevância na Pesquisa
36.98%
La temática del presente proyecto de investigación se centra en la descripción de los efectos en las cualidades de la voz, analizadas por el Multidimensional Voice Program (MDVP) de Kay - Elemetrics Corp. y el análisis de la estructura y dinámica de las cuerdas vocales a partir de la Videoestroboscopia Laríngea Computarizada (VELC), luego de la intervención en la Parálisis de Pliegue Vocal Unilateral en posición Paramediana (PPVUP), realizada a dos usuarios que consultaron la unidad de Laringe y Voz de la Clínica Avellaneda entre los años 2000 y 2003. En uno de los casos se utilizó la infiltración paracordal de grasa o lipoinyección y en el otro la fonoterapia o terapia vocal.