Página 1 dos resultados de 79 itens digitais encontrados em 0.047 segundos

Aspectos da fonologia do português como segunda língua por aprendizes anglófonos - uma análise via Teoria da Otimidade; Aspects of the phonology of Portuguese as a second language by Anglophone speakers an analysis within Optimality Theory framework

Guimarães, Miley Antonia Almeida
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 07/11/2012 PT
Relevância na Pesquisa
56.3%
Nesta dissertação, são analisados, via Teoria da Otimidade (MCCARTHY; PRINCE, 1995; PRINCE; SMOLENSKY, 1993), dois aspectos da fonologia do português como segunda língua por aprendizes americanos e britânicos: a ausência de assimilação regressiva de vozeamento envolvendo a fricativa alveolar final em posição de fronteira de palavra e a produção de oclusivas nasais em posição final e de fronteira de palavra. Em inglês, a fricativa alveolar /s/ em coda final diante de segmento sonoro tende a manter seu status de vozeamento subjacente (GIMSON; CRUTTENDEN, 2008; MYERS, 2010; ROCA; JOHNSON, 1999); em contrapartida, em português, a fricativa alveolar, nessa mesma posição, compartilha do traço de sonoridade do segmento à sua direita (BISOL, 2005; FERREIRA NETTO, 2001; MATTOSO CÂMARA JR., 2007 [1970]). Ademais, as oclusivas nasais [m, n] não são licenciadas em posição de coda em português, a não ser diante de segmentos que lhes sejam homorgânicos (BISOL, 2005; CAGLIARI, 2007; MATTOSO CÂMARA JR., 2007 [1970]); em inglês, no entanto, essas oclusivas nasais podem ocorrer independentemente do ponto de articulação do elemento seguinte (EWEN; HULST, 2001; GIMSON; CRUTTENDEN, 2008; ROCA; JOHNSON, 1999). Cabe, portanto...

A epêntese medial em PB e na aquisição de inglês como LE : uma análise morfofonológica

Schneider, André
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
56.16%
No presente estudo, fazemos uma análise quantitativa do fenômeno fonológico de epêntese vocálica medial, que é atestado na fala do português brasileiro (PB) (por exemplo, [i] em mag[i]ma) e do inglês aprendido por brasileiros (por exemplo, [i] em mag[i]net). As amostras de fala utilizadas para essa análise foram obtidas a partir da gravação de frases lidas por 16 porto-alegrenses falantes de inglês como língua estrangeira. Partimos do pressuposto de que a produção de epêntese na fala do inglês seja resultado da transferência linguística que ocorre do PB para a interlíngua dos aprendizes. COLLISCHONN (2002) levantou a suspeita de que o número de ocorrências de epêntese após prefixos como sub- seria maior do que o número de ocorrências de epêntese em encontros consonantais localizados no interior de vocábulos que não são prefixados. Na tentativa de averiguar essa suspeita, incluímos em nossa análise a verificação do papel do contexto morfológico na aplicação da epêntese. Partimos da hipótese de que os prefixos que podem favorecer a epêntese em PB e em inglês têm diferentes graus de transparência, sendo que os prefixos mais transparentes parecem estar mais relacionados à aplicação de epêntese...

[fi:l] ou [fi:w]? : a produção variável da lateral pós-vocálica na aprendizagem do inglês por falantes do português brasileiro

Souza, Liana Bairros de
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
56.13%
O presente trabalho analisa as taxas de transferência da regra de vocalização da lateral em posição pós-vocálica para o inglês por falantes de língua portuguesa como língua materna em diferentes estágios do processo de aprendizagem. Para tanto, fizemos duas coletas de dados em diferentes situações. A primeira coleta foi feita em Dublin, Irlanda com cinco aprendizes de inglês em níveis pré-intermediário e intermediário em situação de aquisição de segunda língua. Essa coleta foi realizada em dois momentos do aprendizado dos informantes, uma próxima à data de sua chegada na Irlanda e outra após três meses de sua estada no país. A segunda coleta foi realizada em Canoas, na região metropolitana de Porto Alegre – RS, com seis informantes detentores de diferentes certificados da Universidade de Cambridge (FCE – First Certificate in English e CPE – Certificate of Proficiency in English). Para que pudéssemos fazer essa análise, encontrando os fatores lingüísticos e extralingüísticos que estavam agindo na aplicação, ou não, da regra variável aqui testada, submetemos os dados coletados ao programa computacional GOLDVARB2001. As coletas foram analisadas separadamente e em conjunto. Os grupos de fatores testados foram: acento...

O tratamento do aspecto fonético-fonológico na aula de inglês como LE : análise de um livro didático

Bauer, Daniela de Almeida
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
56.25%
Este trabalho tem por objetivo geral discutir o tratamento dispensado pelo livro didático “American English File - Multipack 1A e 1B”, por Clive Oxenden, Christina Latham-Koenig e Paul Seligson, da Oxford University Press (2008), em relação ao componente fonético-fonológico da L2. O trabalho tem como objetivos específicos: a) identificar se, no livro escolhido, há exercícios de pronúncia em todas as unidades, bem como verificar quais tipos de atividades abordam a pronúncia; b) verificar qual nível prosódico é endereçado nos exercícios relacionados com a pronúncia, se o segmental (SE) ou o supra-segmental (SU); c) verificar se o ensino de pronúncia se dá de maneira comunicativa; d) analisar se há algum critério linguístico de escolha referente à ordem dos fonemas e/ou aspectos suprasegmentais apresentados no livro; e) averiguar se os aspectos fonético-fonológicos cobertos pela obra são relevantes para os aprendizes brasileiros de inglês. Para isso, foi feita uma análise de todos os exercícios que, de alguma forma, abordassem o componente fonético-fonológico da língua-alvo, sejam eles exercícios de speaking, listening, ou pronunciation, além de observarmos, através do livro do professor, de que maneira os autores sugerem que seja conduzido o ensino do aspecto fonéticofonológico. Os resultados obtidos demonstraram que o material em questão é bastante rico em relação ao número de atividades que contemplam a abordagem de pronúncia comunicativa em sala de aula...

Percepção de oclusivas não vozeadas sem soltura audível em codas finais do inglês (L2) por brasileiros : o papel do contexto fonético-fonológico, da instrução explícita e do nível de proficiência

Perozzo, Reiner Vinicius
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.12%
Este estudo pretendeu verificar como aprendizes de inglês (L2) do sul do Brasil percebem, em termos de ponto de articulação, consoantes plosivas surdas sem soltura audível em codas simples finais de palavras do inglês. A pesquisa contou com 17 acadêmicos do primeiro semestre do curso de graduação em Letras, matriculados na disciplina Inglês I, turmas A e B, da UFRGS. Os acadêmicos foram submetidos ao Oxford Placement Test (ALLAN, 2004), que apontou duas categorias, básico e intermediário. Para medir a acurácia quanto ao ponto de articulação das consoantes propostas, foram aplicados dois testes de percepção: (a) teste de identificação perceptual, com 81 questões e (b) teste de discriminação categórica [de acordo com o modelo ABX (LIBERMAN et al. 1957)], com 135 questões. As palavras que serviram como estímulos auditivos nos testes foram selecionadas segundo a estrutura silábica CVC e equidistribuídas de acordo com as vogais [], [] e [] (como em ―beep”, ―lit”, ―sack”). Todas as palavras foram gravadas por três falantes nativos de inglês americano, gênero masculino, provenientes do oeste americano. De modo a verificar se a instrução explícita sobre o fenômeno da não soltura de oclusivas teria papel sobre a acuidade na percepção dos pontos de articulação das consoantes...

Identificação e discriminação de oclusivas não vozeadas sem soltura de ar audível do inglês : dados de aprendizes brasileiros; Identificación y discriminación de oclusivas sordas sin soltura de aire audible del inglés : datos de estudiantes brasileños; Identification and discrimination of english unreleased voiceless stops : data from brazilian learners

Perozzo, Reiner Vinicius; Alves, Ubiratã Kickhöfel
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
56.14%
Neste estudo, investiga-se a percepção de aprendizes brasileiros, residentes em Porto Alegre (RS) e região metropolitana, acerca das diferenças de ponto de articulação entre as oclusivas não vozeadas [p], [t] e [k], sem soltura de ar audível em final de palavra, presentes em inglês (variedade americana). Trinta e dois acadêmicos do curso de Letras da UFRGS participaram da pesquisa, os quais apresentaram níveis básico e intermediário de proficiência em inglês. Para verificar a acuidade perceptual em relação ao ponto de articulação das consoantes, designaram-se duas tarefas psicolinguísticas contendo palavras de estrutura silábica CVC, equidistribuídas segundo três vogais anteriores. Os resultados sugeriram que: (a) os segmentos [p] e [k] são percebidos com mais acuidade do que o segmento [t]; (b) houve maiores índices de acuidade quando a vogal nuclear era curta e/ou frouxa; e (c) o nível de proficiência dos participantes não é determinante para a acuidade perceptual das consoantes testadas.; En este estudio se aborda la percepción de estudiantes brasileños, residentes en Porto Alegre y en la región metropolitana, acerca de las diferencias en los puntos de articulación entre las oclusivas sordas [p]...

Estratégias conscientes de ensino-aprendizagem para automatização da pronúncia do inglês

Melo, Nelson José Fontoura de
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 316 p.| ils., grafs., tabs.
POR
Relevância na Pesquisa
56.22%
Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Comunicação e Expressão, Programa de Pós-Graduação em Lingüística, Florianópolis, 2014; Neste trabalho, investigamos o papel das estratégias conscientes de ensino-aprendizagem das relações grafêmico-fonológicas e dos gestos fonoarticulatórios para automatizar a pronúncia previsível das vogais da língua inglesa (variedade norte-americana padrão), em aprendizes adolescentes e adultos, iniciantes no estudo da língua inglesa. Estes aprendizes foram selecionados como participantes da pesquisa entre candidatos ao curso de inglês oferecido para iniciantes no programa de extensão universitária do Centro Universitário do Norte - UNINORTE a comunidades economicamente carentes de Manaus. Utilizamos como suporte teórico o declínio da percepção categorial fonética inata no primeiro ano de vida, (SCLIAR-CABRAL, 2004) e o modelo de competição estendida, (MACWHINNEY, 1987), além de estudos sobre instrução explícita, processos de transferência de L1 para L2, regras fonotáticas, dentre outros. Aplicamos pré e pós-teste aos 14 participantes (7 do grupo experimental e 7 do grupo controle). O grupo experimental foi submetido a atividades de instrução explícita sobre a pronúncia na língua inglesa antes da aplicação do pós-teste. Os pré e pós-testes foram constituídos por uma única tarefa: ler em voz alta uma lista de palavras escritas...

A influência da idade na aquisição da fonologia do inglês como língua estrangeira por brasileiros

Lima Júnior, Ronaldo Mangueira
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Tese
POR
Relevância na Pesquisa
76.38%
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Instituto de Letras, Departamento de Linguística, Português e Línguas Clássicas, Programa de Pós-Graduação em Linguística, 2012.; O presente estudo buscou investigar como o fator ―idade no início da aquisição‖ influencia a aquisição da fonologia do inglês por alunos brasileiros que adquiriram essa língua estrangeira exclusivamente em salas de aula no Brasil e que estavam no último semestre de seus cursos de inglês no momento da coleta de dados. Participaram da pesquisa 10 alunos que começaram a estudar inglês antes dos 12 anos de idade, 10 que começaram entre 12 e 15, 10 que começaram após os 16, e 10 falantes nativos de inglês americano. Todos foram gravados lendo uma frase veículo com palavras que continham as vogais [??????], lendo um parágrafo, e falando espontaneamente. As vogais foram analisadas acusticamente com relação à duração e à qualidade espectral (F1 e F2), e as outras gravações foram julgadas em inteligibilidade e grau de sotaque estrangeiro por nove juízes. Ademais, todos os alunos responderam a um questionário que suscitou características extralinguísticas dos aprendizes, tal como motivação, vontade de soar como um falante nativo do inglês...

O papel da fonologia frasal na compreensão oral no ensino da língua inglesa em abordagem lexical.; The role of phrasal phonology in listening comprehension for English language teaching supported by the Lexical Approach.

Tibana, Adriana Lopes Lisboa
Fonte: Universidade Federal de Alagoas; BR; Linguística; Literatura Brasileira; Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística; UFAL Publicador: Universidade Federal de Alagoas; BR; Linguística; Literatura Brasileira; Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística; UFAL
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.34%
Assuming that post-lexical processes significantly affect the English spoken language when in connected speech, and that this is one of the main reasons why students of English as a foreign language find listening comprehension so difficult to cope with, this study aims to find out the main processes concerning phrasal phonology that render spoken language so different from the written one. Drawing on these findings, it investigates the connection between listening comprehension and the teaching of pronunciation using a top-down approach, that is to say, starting from the whole picture, and based on the organization of the language in chunks in the fluidity of speech. This is an action-research, conducted with two groups of upper-intermediate students during one semester. It is based on the assumption that by raising students‟ awareness of post-lexical processes, with the support of the Lexical Approach which encourages teaching language in chunks, teachers can enable students to be better listeners. One of the groups did pronunciation awareness raising exercises whereas the other one only followed the coursebook. Students‟ listening abilities were tested using the Cambridge FCE Listening test, at the beginning and at the end of the experiment. At the end of the semester...

A nativização de termos de informática do inglês no português brasileiro: uma análise fonológica

Cardoso, João Henrique da Costa
Fonte: Universidade Federal de Alagoas; BR; Linguística; Literatura Brasileira; Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística; UFAL Publicador: Universidade Federal de Alagoas; BR; Linguística; Literatura Brasileira; Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística; UFAL
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.33%
This work deals with the issue of nativization. That is to say we observe the interference caused by the system of sounds of Portuguese (L1) on the pronunciation, by native speakers of Portuguese, of some terms of English (L2). The words in question were drawn out of the technical lexicon of Informatics. In order to carry on the contrastive study between the two languages, we utilized the Contrastive Analysis (CA) methods and postulates. The description and specific analysis of the transfer of traits of the native system to the pronunciation of the loanwords, mostly to explain the differences between the two phonological inventories, is founded on the presuppositions and concepts of Phonology, basically of a structural point of view, but also by taking in account some findings of the Standard Generative Phonology. When we refer to phenomena related to the syllabic structure, the framework utilized is that of the Metrical Phonology. The results of the study point to the fact that the transfer of traits is due to the differences between the two systems of sounds, both in terms of inventories of phonemes and differences in their syllabic patterns. In the very conclusion of this work, we present some rules that intend formalize the main patterns of nativization from English to Portuguese.; ; Este trabalho trata da questão da interferência que o sistema fonológico de uma língua nativa causa no desempenho de termos de uma língua estrangeira que foram nativizados. Procura observar...

Uma análise contrastiva entre os padrões acentuais do inglês e do português brasileiro no processo de nativização de termos técnicos da área de informática; A contrastive analysis between the stress patterns of English and brazilian Portuguese in the process of nativization of technical terms from the computing area

Cardoso, João Henrique da Costa
Fonte: Universidade Federal de Alagoas; BR; Linguística; Literatura Brasileira; Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística; UFAL Publicador: Universidade Federal de Alagoas; BR; Linguística; Literatura Brasileira; Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística; UFAL
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.1%
This work deals with the issue of nativization. That is to say we observe the interference caused by the phonological system of Brazilian Portuguese, especially about the stress, on the pronunciation, by native speakers of Portuguese, of some terms of English. The words in question were drawn out of the technical lexicon of Informatics and six people taken part in the research, by a reading of a text with the words drawn out. The description and specific analysis of the transfer of traits of the native system to the pronunciation of the loanwords, mostly to explain the differences between the two phonological inventories, is founded on the presuppositions and concepts of the Standard Generative Phonology and Autosegmental Phonology. When we refer to phenomena related to the syllabic structure and the stress pattern, the framework utilized is that of the Metrical Phonology.; ; Este trabalho trata da questão da interferência que o sistema fonológico de uma língua nativa causa na pronúncia de termos de uma língua estrangeira que foram nativizados. Procura observar a interferência do sistema fonológico do Português Brasileiro, especificamente quanto ao padrão acentual, na pronúncia, por falantes nativos do Português, de termos do Inglês recortados do vocabulário técnico de informática. Seis informantes participaram da pesquisa...

A produção de palavras do ingles com o morfema ED por falantes brasileiros

Gomes, Maria Lúcia de Castro
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Teses e Dissertações Formato: application/pdf
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
56.01%

Aspectos da percepção da dessonorização terminal do inglês por falantes nativos de português brasileiro

Albuquerque, Jeniffer Imaregna Alcantara de
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
76.06%
Resumo: A discussão sobre a Dessonorização Terminal (DT) ganhou força com os trabalhos de Eckman (1981, 1987) e Major (1987), os quais a descreveram como sendo a perda do traço [sonoro] em algumas obstruintes em posição final. Contudo, o fenômeno ganha novos desdobramentos quando alguns estudos passam a relatar dados de neutralização incompleta (e.g. Pye, 1986 - para o russo - e Slowiaczek e Dinnsen, 1985 - para o polonês). Do mesmo modo que os trabalhos de produção, Shrager (2002), Warner, Jongman, Sereno e Kemps (2004), Broersma (2005), Kleber, John e Harrington (2010) demonstraram que os aprendizes de L2 são capazes de perceber o contraste surdo-sonoro em posição final, a partir do reconhecimento de diferentes pistas acústicas, a saber: duração de vogal; duração de vozeamento; e burst. No entanto, apesar de os estudos de produção e percepção corroborarem o fato de que a DT não pode ser tratada como um fenômeno binário, como havia sido descrito por Eckman (op. cit.) e Major (op. cit.), como incorporar o detalhe fonético fino à representação fonológica? Alguns trabalhos, Zimmer (2004), Zimmer e Alves, (2007, 2008), Oostendorp (2007) e Albuquerque (2010) ofereceram um novo tratamento para a DT, sem descartar os achados fonéticos. Oostendorp (op.cit.) propõe uma nova representação da DT a partir da Teoria da Otimalidade (OT) e...

A aquisição das seqüências finais de obstruintes do inglês (L2) por falantes do sul do Brasil: análise via teoria da otimidade

Alves, Ubiratä Kickhöfel
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Tese de Doutorado
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
66.06%
O presente trabalho tem por objetivo investigar o processo de aquisição das seqüências de obstruintes monomorfêmicas finais do inglês (L2) por falantes do Sul do Brasil. A partir da investigação empírica, propomos uma análise à luz da Teoria da Otimidade (Prince & Smolensky 1993,2004) para explicar os diferentes padrões silábicos encontrados nas tentativas de produção das codas complexas do inglês. A investigação empírica contou com 32 participantes, pertencentes a 4 diferentes níveis de proficiência. Ao descrevermos os outputs produzidos por esses informantes, tivemos a intenção de discutir quais formas diferem do falar nativo, concentrando-nos, sobretudo, nos padrões que caracterizam uma alteração da estrutura silábica da L2. A verificação dos dados apontou ser a epêntese a estratégia de reparo mais empregada para adaptar as formas da L2 a um padrão silábico mais próximo daquele da L1. Para verificarmos, à luz da OT, a trajetória desenvolvimental dos aprendizes desde o ranking da L1 até a gramática responsável pela emergência das formas-alvo, desenvolvemos nossa análise com base no Algoritmo de Aprendizagem Gradual (Boersma & Hayes, 2001).Especial atenção foi dada, ao longo da análise, à questão da formalização das restrições de marcação. Para obtermos as restrições a partir de escalas lingüísticas primitivas...

A produção das vogais frontais, arredondadas do francês (L3) por falantes nativos do português brasileiro (L1) com inglês norte-americano como L2

Pompeu, Ana Carolina Moura
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Dissertação de Mestrado
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
46.41%
No presente estudo, objetiva-se verificar a interferência de uma língua sobre a outra, no processo de aquisição de uma terceira língua, a fim de oferecer elementos para programas de aquisição de segunda e terceira língua. A teoria que fundamenta esta investigação é a Teoria da Marcação na visão de Chomsky e Halle (1968) que designa as marcas dos segmentos através de um conjunto de convenções, além da visão de Calabrese que determina as marcas através de uma escala de robustez e que propõe alguns Procedimentos de Simplificação aos quais os falantes se firmam ao deparar-se com segmentos complexos que não estão presentes no sistema de sua língua materna. Serão investigadas, portanto, a produção das vogais frontais arredondadas do francês /y/, /ø/ e /œ/, por falantes de português brasileiro (L1) que têm o inglês norte-americano como segunda língua (L2) e o francês como terceira (L3). A partir da investigação empírica são propostas duas análises: fonológica e acústica. A primeira é desenvolvida à luz da Teoria da Marcação de Calabrese (2005) a partir dos procedimentos de simplificação propostos pelo autor; a segunda tem por objetivo averiguar se a produção falha dos três segmentos do francês sofre maior influência da L1 ou da L2. A investigação empírica contou com 8 informantes...

A relação entre a percepção, a produção e a consciência fonológica na aprendizagem do inglês como língua estrangeira

Battistella, Tarsila Rubin
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Dissertação de Mestrado
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
66.18%
Este estudo possui como objetivo geral averiguar a adequação do uso das vogais do inglês americano como L2 (i ː, a ː, ɔ ː, u ː, ɜ ː, ɪ, æ, ɔ, ʊ, ɛ, ʌ, ə) por falantes nativos do português brasileiro. Para tanto se traçou cinco objetivos específicos: investigar, através de um teste de produção, se os aprendizes de inglês distinguem as vogais da L2 que não são semelhantes às da L1; averiguar, através de um teste de consciência da própria produção, se os aprendizes possuem consciência da diferença entre as vogais do inglês; pesquisar se há transferência interlingüística (do português para o inglês) do sistema da L1 do aprendiz na L2; verificar se a transferência da língua materna do aprendiz tende a diminuir nos aprendizes mais avançados no idioma; descobrir quais vogais da L2 os aprendizes adquirem mais cedo, sendo capazes de produzi-las livremente e com uma maior facilidade. A amostra foi constituída por trinta alunos falantes do português e em processo de aprendizagem do inglês, do ensino médio de uma escola privada, do interior do estado do Rio Grande do Sul. Foram avaliadas a produção, a percepção e a consciência da própria produção dos sujeitos. Os instrumentos utilizados apresentam tarefas relacionadas à produção de frases com as vogais-alvo...

Uma discussão acerca da consciência fonológica em LE: o caminho percorrido por aprendizes brasileiros de inglês na aquisição da estrutura silábica

Aquino, Carla de
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Dissertação de Mestrado
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
46.42%
A consciência fonológica, capacidade de tomar a língua como objeto de análise, tem sido amplamente estudada em língua materna - português, inclusive em suas diversas relações com escrita, leitura, memória e etc. Em língua estrangeira, poucos são os estudos realizados e instrumentos criados para a avaliação das habilidades dos aprendizes. Assim, pouco se sabe sobre a ordem de desenvolvimento da consciência fonológica em língua estrangeira e o caminho percorrido pelos aprendizes até o domínio da fonologia da L2. A presente investigação avaliou habilidades em consciência fonológica apresentadas por alunos de disciplinas de inglês do curso de graduação em letras de uma universidade em Porto Alegre. 40 sujeitos prestaram um teste de CF em língua estrangeira – inglês elaborado para tal pesquisa. Os objetivos do trabalho foram: avaliar se o aprendiz brasileiro de inglês como LE em nível intermediário possui bons níveis de CF nos níveis silábico e fonêmico, considerando processos de transferência de conhecimentos da L1 para a LE; relacionar resultados obtidos por alunos dos diferentes níveis de proficiência na LE para o estabelecimento de uma ordem desenvolvimento da CF em língua estrangeira e comparar os resultados obtidos com essa investigação ao que se sabe sobre o processo de aquisição fonológica em português como língua materna.Os resultados do teste sugerem que os alunos brasileiros apresentam altos níveis de CF na língua inglesa desde os primeiros semestres de contato com o idioma...

Aquisição de acento primário em inglês por falantes de português : uma análise de derivações com sufixos não neutros via algoritmo de aprendizagem gradual - GLA

Garcia, Guilherme Duarte
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
56.04%
Sufixos em língua inglesa são tradicionalmente divididos de acordo com a influência fonológica que exercem em derivações. Dessa forma, sufixos que não causam alteração fonológica alguma na base à qual se anexam são chamados neutros. Nestes casos, a posição acentual primária permanece inalterada: «flávor» → «flávor-less». Sufixos não neutros, por outro lado, podem afetar fonologicamente a derivação de duas maneiras: (a) altera-se a posição acentual, como em «réal» → «rèal-íze», ou (b) altera-se a qualidade de um determinado segmento, como em «wide» (/waɪd/) → «wid-th» (/wɪdθ/). Com o objetivo de examinar a aquisição de padrões acentuais em palavras sufixadas do inglês (L2) por falantes de português brasileiro (L1), o presente estudo concentra-se especificamente no grupo (a) de sufixos não neutros. Para a coleta de dados, elaborou-se um teste empírico de produção de fala em que aprendizes se deparavam com bases reais e hipotéticas e suas respectivas derivações. Os dados gerados foram comparados entre três níveis de proficiência (básico, intermediário e avançado) e analisados com base nos diferentes tipos de sufixos não neutros utilizados neste estudo. A partir dos dados encontrados...

DIFICULDADES GERAIS DE PRONÚNCIA PARA APRENDIZES BRASILEIROS DE INGLÊS COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA

Trevisol, Juliane Regina; Universidade do Estado da Bahia (UNEB)
Fonte: UFPR Publicador: UFPR
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf
Publicado em 18/08/2014 POR
Relevância na Pesquisa
56.1%
Sabe-se que aprender uma língua estrangeira (LE) não é uma tarefa simples e neutra, mas sim um tanto quanto complexa (ELLIS, 1994; GASS & SELINKER, 2001). Assim também, a aquisição do sistema sonoro de uma LE tende a ser por vezes problemática para certos aprendizes. Tendo-se isto em mente, o presente artigo teve como objetivo investigar, de modo geral, a aquisição das fricativas interdentais do Inglês por falantes de diferentes L1s. Mais especificamente, observaram-se quais seriam os substitutos mais freqüentes das fricativas interdentais para certos grupos de falantes de inglês como LE ou como segunda língua (L2).   Para isso, inicialmente fez-se uma descrição dos fonemas em destaque, seguindo com o levantamento de pesquisas empíricas que tratam da produção de tais sons por falantes brasileiros, poloneses e italianos, aprendizes do inglês.  Observou-se, considerando os estudos analisados, que os substitutos mais comumente empregados são: [t] para a fricativa interdental surda, e [d] para a fricativa interdental vozeada.  Sugere-se, como possível explicação para tais substitutos, o fato de as plosivas [t] e [d] serem menos marcadas (ECKMAN, 1977) em comparação às fricativas, diminuindo assim o grau de dificuldade em produção e colocando-as como substitutos mais comuns...

A produção das fricativas interdentais [] e [] na fala de brasileiros aprendizes do inglês: implicações ao processo de ensino-aprendizagem; The production of the interdental fricatives [] e [] by Brazilian learners of English: implications to the teaching-learning process

Dutra, Alessandra; UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ; Pedro, Clara Salles Machado Hirche; UNIVERSIDADE ESTADUAL NORTE DO PARANÁ - JACAREZINHO
Fonte: Revista Horizontes de Linguistica Aplicada Publicador: Revista Horizontes de Linguistica Aplicada
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 24/10/2012 POR
Relevância na Pesquisa
65.98%
Neste trabalho investigamos a produção das interdentais da língua inglesa, surda [P], como em with [´wIP], e sonora [D], como em that [´DEt], de acordo com o contexto: início, meio e final de palavra, a fim de compreender quais são as principais dificuldades que brasileiros aprendizes do inglês têm ao pronunciá-las e por quais fonemas eles as substituem. Em início de palavra, a fricativa interdental surda [P] representou 66, 67% das ocorrências e o fone [s] 33,33%. Não houve ocorrências de [f] e [t] nesse contexto. Em meio de palavra, houve 75% do fone [P] e 25% do [s].  Os fones [f] e [t] não foram produzidos nesse contexto. Em final de palavra, houve 66,67% de ocorrências de [P], 16,67% de [f] e 16,67 de [t]. Não houve a produção de [s] nesse contexto. A fricativa interdental sonora [D], em início de palavra, foi produzida em 13,33% das ocorrências e o fone [d] em 86,67%. Não houve ocorrência de [t] e [z] nesse contexto. Em meio de palavra, os informantes produziram o fone [t] para a fricativa interdental sonora em 100% dos casos.; This paper analyzes the variation in the production of interdental fricatives by English learners, the voiceless [P], as in with [‘wIP], and the voiced [D], as in that [´DEt]...