Página 1 dos resultados de 850 itens digitais encontrados em 0.003 segundos

A presença da fonética e da fonologia no ensino do português (ensino básico e secundário): algumas considerações preliminares

Veloso, João; Rodrigues, Alexandra Soares
Fonte: Universidade do Porto, Faculdade de Letras da Universidade do Porto Publicador: Universidade do Porto, Faculdade de Letras da Universidade do Porto
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
37.21%
Neste trabalho, pretendemos demonstrar o interesse em fomentar-se o ensino de algumas noções básicas e introdutórias de fonética e fonologia no âmbito das disciplinas de Língua Portuguesa e Português nos ensinos básico (3º ciclo) e secundário. Paralelamente, tentaremos deixar claro que tal objectivo é desde já possível no actual enquadramento curricular dessas duas disciplinas nos níveis considerados, como o demonstra a leitura dos programas e das gramáticas escolares que se lhes destinam (vd. Ponto 5 desta comunicação); partindo desses dados, defenderemos um alargamento e uma reorganização dos conteúdos de natureza fonética já contemplados pela actual situação curricular.

A criança e o ritmo em português brasileiro: análise fonética dos dados de encontro acentual; The child and the Brazilian Portuguese rithm: phonetic analisis of the stress-clash´s data

Moraes, Augusta de Magalhães Carvalho de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 06/03/2006 PT
Relevância na Pesquisa
37.21%
O objetivo deste trabalho foi o de analisar como a criança lida com o encontro acentual no português brasileiro da perspectiva fonético-acústica. Os parâmetros analisados foram o da duração e da freqüência fundamental das vogais, já que estes são os principais correlatos acústicos para determinação do acento primário em português brasileiro (cf. Moraes 1987; Massini-Cagliari 1992; Barbosa 1996). A fonologia e a fonética apresentam diferentes comportamentos no português brasileiro com relação à resolução do encontro acentual (stress-clash) na linguagem adulta. Seguindo Nespor & Vogel (1986) para o italiano e Selkirk (1984) para o inglês, Abousalh (1997) e Santos (2001) afirmam que no português brasileiro os falantes utilizam-se das estratégias da retração acentual (stress-shift) e do alongamento para desfazer o encontro acentual, e estas estratégias ocorrem dentro da frase fonológica. Por outro lado, Barbosa (2002), em um estudo com linguagem adulta, argumentou acusticamente que nem aparente, nem sistematicamente acontece retração acentual com relação ao parâmetro acústico da duração em PB. Este estudo trata de um estudo de caso no qual a criança analisada, minha filha, então com 5 anos e 7 meses...

A fonética e o ensino-aprendizagem de línguas estrangeiras: teorias e práticas; The phonetics in second language teaching : teories and activities

Hirakawa, Daniela Akie
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 06/03/2008 PT
Relevância na Pesquisa
37.45%
A fonética, estudo dos sons de uma língua, tem um papel fundamental na aprendizagem de línguas estrangeiras, principalmente na aquisição das competências orais. No entanto, a transposição didática desta disciplina não é sempre evidente para o professor de línguas estrangeiras. Por um lado, ele tem que enfrentar um assunto considerado excessivamente técnico e inacessível aos não-iniciados, e por outro, são poucas as obras escritas para este fim. Esta dissertação tem como objetivo discutir o lugar da fonética no ensino/aprendizagem de línguas estrangeiras e propor procedimentos metodológicos para o trabalho da fonética em sala de aula. Para isto apresentaremos no primeiro capítulo um percurso histórico das diferentes metodologias, mostrando como a pronúncia foi tratada em cada uma delas. Isto nos permitirá determinar, no capítulo II, os princípios a serem levados em conta na elaboração de um programa e das atividades de fonética. No último capítulo descreveremos as três experiências realizadas em duas instituições de ensino de francês língua estrangeira na Universidade de São Paulo. Graças a esta pesquisa poderemos não só avaliar a importância da fonética para o ensino/aprendizagem de línguas estrangeiras como também sugerir atividades lúdicas que ajudem o professor a motivar seus alunos no aprimoramento da pronúncia.; Phonetics is the study of speech sounds. Even though it plays an important role in the second language acquisition...

A (ludo)fonética no ensino de alemão como língua adicional para crianças : análise de dois contextos escolares

Borges, Clarissa Leonhardt
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.21%
O presente trabalho trata da fonética e de exercícios de fonética no ensino de língua alemã como língua adicional. A pesquisa, cujos resultados aqui se apresentam, se direcionou, principalmente, ao contexto de fala de hunsrückisch, originário da imigração alemã ao Brasil no século XIX e no qual, até hoje, muitos ainda falam esta variedade como língua materna, junto ao português. Para fins de comparação, foram aplicados testes também em um contexto monolíngue, no qual os alunos falam apenas o português como língua materna. Na pesquisa empírica foram observadas e analisadas não apenas as aulas, como também os materiais didáticos. Em seguida, foram executas aulas-piloto, para que a teoria pudesse ser comprovada na prática. A metodologia empregada nas aulas-piloto foi posteriormente avaliada e, de acordo com as necessidades, reformulada. O objetivo, com isso, foi produzir um material concreto, que permita avanços e que possa produzir melhores resultados no ensino de língua alemã como língua adicional.; In der vorliegenden Arbeit geht es um die Phonetik und um phonetische Übungen im Unterricht Deutsch als Fremdsprache. Die Untersuchung, deren Ergebnisse hier vorliegen, richtete sich vor allem an den hunsrückischsprachigen Kontext...

A nasalidade no português brasileiro cantado: um estudo sobre a articulação e representação fonética das vogais nasais no canto em diferentes contextos musicais

Hannuch, Sheila Minatti
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 103 f. : il.
POR
Relevância na Pesquisa
37.32%
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Pós-graduação em Música - IA; Este trabalho investiga algumas características referentes à nasalidade no canto em português brasileiro, através de um estudo sobre a articulação e representação fonética das vogais nasais neste idioma. O estudo busca auxiliar o intérprete e o professor de canto no reconhecimento e administração destas características de forma a contribuir para uma maior liberdade vocálica e definição do gesto articulatório da nasalidade no canto em português brasileiro. O trabalho consiste na organização de informações coletadas através de referências da área da voz cantada e da linguística, que evidenciam ferramentas para a reflexão sobre uma nova possibilidade de transcrição fonética das vogais nasais para o canto em português brasileiro; This research aims to investigate the nasality in brazilian portuguese as sung, through a study about the articulation and phonetic representations of nasal vowels in this language. The study aims to assist the performer and singing teacher in the recognition and management of these features in order to contribute to greater freedom and definition of the nasality articulatory gesture in Brazilian Portuguese. This work organize information collected through referrals from the area of singing voice and linguistic...

A descrição fonética na Grammatica da Lingoagem Portuguesa (1536) de Fernão de Oliveira

Cagliari, Luiz Carlos
Fonte: Universidade Estadual Paulista Publicador: Universidade Estadual Paulista
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
37.32%
A Grammatica da Lingoagem Portuguesa de Fernão de Oliveira (1507-1582?) é a primeira gramática da Língua Portuguesa, publicada em 1536. Como outras obras, dedicase à fonética, à ortografia e à formação de palavras. É uma obra de grande valor lingüístico pela competência descritiva de seu autor e pelos comentários que faz a fatos da linguagem. De todos os aspectos que impressionam o lingüista de hoje, e são muitos, a descrição fonética é a mais brilhante, a mais completa e a mais detalhada. Pelo rigor de sua descrição fonética, é possível saber com segurança muitos traços da pronúncia de sua época, quer do ponto de vista segmental quer do prosódico.

Guia para a transcrição fonética do dialeto paulista

Galastri, Eliane de Oliveira
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
POR
Relevância na Pesquisa
37.4%
Designed to allow reading, the writing system is a form of representation of speech. However, it does not represent phonetic sounds exactly. This task is realized by phonetic alphabets, with specific phonetic transcriptions. The International Phonetic Association Alphabet (IPA) is most currently used. This alphabet is based on the articulatory possibilities of man. The aim of the present work is to write a phonetic guide to transcribe the Paulista dialect. A phonetic transcription is important in the creation of dictionaries and in the production of speech technologies. It has been established rules to guide the transcriptions. These rules have been defined taking into consideration a standard variety of Paulista dialect. The phonetic rules were set up to facilitate reading in relation to the spelling of Portuguese; Criada para permitir a leitura, a escrita é uma forma de representação da fala. Porém, ela não representa, de maneira exata, os seus sons, deixando essa tarefa para os sistemas alfabéticos de transcrição fonética. O sistema mais utilizado atualmente é o da Associação Internacional de Fonética (IPA), cujos símbolos designam, cada um, um possível fonema ou alofone. Tal alfabeto é baseado nas possibilidades articulatórias do homem. O objetivo neste trabalho é formular um guia de transcrição fonética para o dialeto paulista...

Elementos de fonetica do portugues brasileiro

Luiz Carlos Cagliari
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Livre Docência Formato: application/pdf
Publicado em //1981 PT
Relevância na Pesquisa
37.45%
Apresenta-se uma descrição fonética do Português Brasileiro com enfoque especial sobre o dialeto paulista, abrangendo quer aspectos segmentais quer aspectos supraseegmentais. Há menção a fatos de outros dialetos. 0 tratamento dos dados é feito através de técnicas descritivas da fonética, baseadas no treinamento auditivo e no uso do sistema de transcrição da IPA. A descrição dos dados vem sempre precedida por uma apresentação dos conceitos teóricos mais importantes, necessários à compreensão da análise fonética feita. Começa-se com a apresentação dos processos fonéticos de produção da fala. Em seguida, analisam-se os lugares modos de articulação. É dado um tratamento especial ao estudo das vogais e ao método de descrevê-las adotado no trabalho, que é o método das vogais cardeais. Os ditongos e o processo de nasalidade também são tratados em detalhe. São abordadas algumas propriedades fonéticas em particular, como a duração, o desvozeamento, a labializaçao, a aspiração, etc. Há um estudo especial sobre a sílaba e seus problemas, incluindo-se uma análise da juntura intervocabular. Apresentam-se algumas notas sobre a assimilação e a elisão.Há algumas observações sobre noções gerais das propriedades da qualidade e da dinâmica da voz...

Videoaula: Fonética consonantal (parte 1); Videoclase: Fonética consonatales (parte 1)

Barros, Luizete Guimarães
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Vídeo
ES
Relevância na Pesquisa
37.21%
Videoaula sobre a unidade C, fonética consonantal, do livro didático Língua Espanhola V, 2010.

Videoaula: Fonética consonantal (parte 2); Videoclase: Fonética consonatales (parte 2)

Barros, Luizete Guimarães
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Vídeo
ES
Relevância na Pesquisa
37.21%
Videoaula sobre a unidade C, fonética consonantal, do livro didático Língua Espanhola V, 2010.

Videoaula: Fonética consonantal (parte 3); Videoclase: Fonética consonatales (parte 3)

Barros, Luizete Guimarães
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Vídeo
ES
Relevância na Pesquisa
37.21%
Videoaula sobre a unidade C, fonética consonantal, do livro didático Língua Espanhola V, 2010.

Contribuições para a fonética e fonologia da língua Manxineru (Aruák)

Couto, Fábio Pereira
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
37.4%
Dissertação (Mestrado)–Universidade de Brasília, Instituto de Letras, Departamento de Línguística, Português e Línguas Clássicas, Programa de Pós-Graduação em Lingüística, 2012.; Nesta dissertação apresentamos uma análise e descrição de aspectos da fonética e fonologia da língua Manxineru, variedade da língua Yine (família Aruák), falada no sudeste do Estado do Acre (Brasil), por uma população indígena de aproximadamente 1000 pessoas. Este trabalho foi pensado como uma contribuição ao conhecimento da língua Manxineru e foi desenvolvido em uma perspectiva fonética articulatória, observando detalhes da articulação dos sons no “aparelho fonador”, para o que foram fundamentais referências como Pike (1971), Ladefoged e Maddieson (1993), entre outros; e em uma perspectiva fonológica, considerando princípios de análise fonêmica, tem como orientação fundamental a distribuição dos sons em sequências sonoras mais largas, tais quais sílabas e palavras. Consideramos também o princípio de que os sons são modificáveis pelo ambiente e que esses sons são fonemicamente distintos se provado que não são simplesmente modificações causadas pelo ambiente em que ocorrem (TRUBETZKOY, [1939] 1976, PIKE...

O disfarce da voz em fonética forense

Gillier, Raissa
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
37.32%
Tese de mestrado, Linguística, Universidade de Lisboa, Faculdade de Letras, 2011; O presente trabalho tem por objectivo estudar quatro tipos de disfarce da voz, de forma a averiguar as consequências, que deles advêm, em dois parâmetros acústicos utilizados na Identificação de Falantes – F0 e formantes. Com este propósito, foram gravados oito indivíduos que leram um conjunto de frases em cinco condições de produção: voz normal, subida de F0, descida de F0, máscara à frente da boca e palhinha entre os incisivos. A análise dos dados relativos à Voz Normal serve, por um lado, para verificar a eficácia dos parâmetros na distinção de falantes e, por outro, como ponto de comparação para observar a influência dos disfarces nos vários parâmetros acústicos. Os resultados obtidos demonstram que (i) estes parâmetros (F0 e formantes) são eficientes para a discriminação de indivíduos; (ii) os disfarces não actuam de forma idêntica; (iii) nem todos os disfarces são eficazes, pois alguns não alteram as frequências dos parâmetros; (iv) a robustez de cada parâmetro está directamente relacionada com o tipo de disfarce; (v) o factor falante desempenha um papel importante na performance do disfarce; (vi) o efeito do disfarce não é homogéneo entre as várias vogais; (vii) mesmo no disfarce mais intrusivo...

Aquisição Fonética-Fonológica do Português Europeu dos 18 aos 36 meses

Charrua, Catarina Patrício
Fonte: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa ; Escola Superior de Saúde, Instituto Politécnico de Setúbal Publicador: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa ; Escola Superior de Saúde, Instituto Politécnico de Setúbal
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /09/2011 POR
Relevância na Pesquisa
37.32%
Dissertação apresentada para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Desenvolvimento e Perturbações da Linguagem na Criança, área de especialização em Terapia da Fala e Perturbações da Linguagem; Este estudo teve como objectivo descrever e quantificar a aquisição fonética-fonológica do Português-Europeu (PE) dos [1;6-3;0]. Com este estudo pretendeu-se identificar os fonemas e definir uma ordem de aquisição dos fonemas do PE e determinar os processos fonológicos mais utilizados nesta faixa etária. Método: Participaram 46 sujeitos (26 do sexo feminino e 21 do sexo masculino). Utilizaram-se dois métodos de recolha de dados: um formal e outro informal. No primeiro recorreu-se à tarefa de nomeação de imagens (NI) utilizando o Teste Fonético-Fonológico da Avaliação da Linguagem Pré-Escolar (TFF-ALPE) e no segundo utilizou-se a tarefa de fala espontânea (FE), utilizando uma actividade lúdica o “dar banho à boneca”. Foram analisadas 96 palavras lexicais obtidas através destes dois métodos. Resultados: Foneticamente, por cada 6 meses houve um aumento significativo (p<0,005) da produção de 11-12 fonemas, na NI e de 6-7 fonemas na FE em ambos os sexos. Fonologicamente na NI...

Ensino da Língua Inglesa: contribuições da fonética, fonologia e do processamento auditivo

Araújo,Letícia Maria Martins; Feniman,Mariza Ribeiro; Carvalho,Fernanda Ribeiro Pinto de; Lopes-Herrera,Simone Aparecida
Fonte: Pró-Fono Produtos Especializados para Fonoaudiologia Ltda. Publicador: Pró-Fono Produtos Especializados para Fonoaudiologia Ltda.
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2010 PT
Relevância na Pesquisa
37.32%
TEMA: inter-relação da fonética, fonologia e processamento auditivo no ensino da Língua Inglesa. OBJETIVOS: verificar se o contato prévio com o sistema fonético da Língua Inglesa favorece o aprendizado geral desta língua em falantes do Português como segunda língua (L2), e verificar o desempenho dos participantes em um teste do processamento auditivo anterior e posterior ao ensino da L2. MÉTODO: participaram oito estudantes universitários que estudaram a Língua Inglesa somente no ensino médio, divididos em dois grupos: grupo controle - submetido apenas ao curso de Inglês - e grupo experimental - submetido à aulas de fonética da língua inglesa anteriores ao curso de Inglês. Os participantes foram submetidos ao teste de processamento auditivo e a um teste oral em inglês (Oral Test) antes e após as aulas. Foram analisados os dados dos testes anteriores e posteriores às aulas. RESULTADOS: estes foram expressos estatisticamente por meio do teste t student e mostraram que não houve diferença nos testes entre os grupos. Os escores indicaram melhor atuação do grupo controle ao responder as perguntas em Inglês no Oral Test. Houve melhor execução do grupo experimental no processamento auditivo após ser submetido às aulas de fonética e ao curso de Inglês. CONCLUSÃO: o conhecimento prévio básico da língua inglesa não favoreceu o aprendizado geral (melhora na pronúncia) da segunda língua do grupo como um todo...

Contribuições da fonética no processo ensino–aprendizagem da pronúncia de línguas no canto

Rocha, Jeanne Maria Gomes da
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
37.5%
Esta dissertação centra-se nas contribuições da Fonética no processo ensino e aprendizagem da pronúncia de línguas no Canto. Para isto, investiga uma proposta de ensino elaborada com base nesta disciplina da Linguística, a Fonética, com ênfase na articulação e representação dos sons da fala – a Fonética Articulatória e o Alfabeto Fonético Internacional (AFI) em sua prática, a transcrição fonética. Fundamenta-se em literaturas sobre Fonética e Fonologia, da área de Linguística, sobre o Ensino de Línguas, da Linguística Aplicada e, sobre Dicção para Cantores, das Artes – especificamente, da subárea Música, o instrumento Canto. Com base no diagnóstico da disciplina Dicção em cursos técnicos e graduação em Canto de algumas instituições na região do Triângulo Mineiro, reflete e sugere mudanças de aspectos didáticos e pedagógicos, em função da formação de cantores professores de Canto. Pretende contribuir com reflexões teóricas, material didático e abordagens para o ensino da pronúncia das principais línguas do repertório erudito praticado no Brasil. ______________________________________________________________________________ ABSTRACT; This dissertation focuses on the contributions of Phonetics in the teaching and learning processes of languages pronunciation in Singing. For that...

Ensino da Língua Inglesa: contribuições da fonética, fonologia e do processamento auditivo; English Language Teaching: phonetics, phonology and auditory processing contributions

ARAÚJO, Letícia Maria Martins; FENIMAN, Mariza Ribeiro; CARVALHO, Fernanda Ribeiro Pinto de; LOPES-HERRERA, Simone Aparecida
Fonte: Pró-Fono Produtos Especializados para Fonoaudiologia Ltda. Publicador: Pró-Fono Produtos Especializados para Fonoaudiologia Ltda.
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
37.32%
TEMA: inter-relação da fonética, fonologia e processamento auditivo no ensino da Língua Inglesa. OBJETIVOS: verificar se o contato prévio com o sistema fonético da Língua Inglesa favorece o aprendizado geral desta língua em falantes do Português como segunda língua (L2), e verificar o desempenho dos participantes em um teste do processamento auditivo anterior e posterior ao ensino da L2. MÉTODO: participaram oito estudantes universitários que estudaram a Língua Inglesa somente no ensino médio, divididos em dois grupos: grupo controle - submetido apenas ao curso de Inglês - e grupo experimental - submetido à aulas de fonética da língua inglesa anteriores ao curso de Inglês. Os participantes foram submetidos ao teste de processamento auditivo e a um teste oral em inglês (Oral Test) antes e após as aulas. Foram analisados os dados dos testes anteriores e posteriores às aulas. RESULTADOS: estes foram expressos estatisticamente por meio do teste t student e mostraram que não houve diferença nos testes entre os grupos. Os escores indicaram melhor atuação do grupo controle ao responder as perguntas em Inglês no Oral Test. Houve melhor execução do grupo experimental no processamento auditivo após ser submetido às aulas de fonética e ao curso de Inglês. CONCLUSÃO: o conhecimento prévio básico da língua inglesa não favoreceu o aprendizado geral (melhora na pronúncia) da segunda língua do grupo como um todo...

Fonética e análise fonológica preliminar da língua Manxinéri

Silva, Edineide dos Santos
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
37.4%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Letras, Departamento de Linguística, Português e Línguas Classicas, Programa de Pós-Graduação em Linguística, 2008.; Esta pesquisa insere-se no âmbito do projeto “Banco de Dados de Línguas Indígenas do Brasil e de Áreas Adjacentes” do Laboratório de Linguas Indígenas (LALI), coordenado pelo professor Dr. Aryon Rodrigues, e tem por objetivo descrever a fonética e analisar o sistema fonológico da língua Manxinéri (família Aruák) para fins científicos e aplicados. Nos dois primeiros capítulos, descrevemos a fonética do Manxinéri, língua indígena falada pelos índios Manxinéri, que vivem na Terra Indígena Mamoadate, no estado do Acre, região Norte do Brasil. A descrição fonética foi realizada conforme os critérios articulatórios de modo, de ponto e de ação das pregas vocais para os segmentos consonânticos, e segundo a altura e a posição da língua, a protrusão labial e a posição do véu palatino para os segmentos vocálicos. Em seguida, foi estabelecido o inventário fonético dos sons consonânticos e dos vocálicos apresentados separadamente em quadros ilustrativos. No segundo capítulo, é iniciado um estudo preliminar da fonologia da língua Manxinéri...

Fonética e Fonologia na formação de professores indígenas; Fonética y Fonología en la formación de los docentes indígenas; Phonetics and Phonology in indigenous teachers training

D’Angelis, Wilmar da Rocha; UNICAMP - Campinas
Fonte: Programa de Pós-Graduação em Linguística - UFSC Publicador: Programa de Pós-Graduação em Linguística - UFSC
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; avaliado por pares; Formato: application/pdf
Publicado em 20/12/2013 POR
Relevância na Pesquisa
37.57%
http://dx.doi.org/10.5007/1984-8412.2013v10n4p324Este texto discute as consequências de práticas de ensino de Fonética e Fonologia em cursos de formação de professores indígenas. Sustenta-se que o resultado de um treinamento em Fonética, em uma turma de professores indígenas em formação, costuma ser diferente do resultado que se obtém em uma turma de falantes nativos de português, formandos em Letras. Essa avaliação não se refere ao aproveitamento acadêmico, mas às representações ou crenças que se estabelecem ou são reforçadas nos professores indígenas. Aponta-se, como causa da diferença desses resultados, a história e a situação da escrita e das ortografias das línguas indígenas minoritárias, em comparação com a da língua oficial. Apontam-se, ainda, deficiências na formação de pesquisadores em Fonologia pelas Universidades brasileiras, que resultam em limitações das consultorias nos cursos em que essa matéria é “repassada” aos indígenas. Por fim, sugerem-se linhas para o trabalho com Fonética e Fonologia na formação de professores indígenas.; Este documento analiza las consecuencias de las prácticas de enseñanza Fonética y Fonología en los cursos de formación de profesores indígenas. Se argumenta que el resultado de una formación en fonética...

Estado Actual de la Relación entre la Fonética y la Fonología y la Formación y Consolidación de Fonetistas

Chela-Flores,Godsuno
Fonte: Universidad Central de Venezuela. Facultad de Humanidades Publicador: Universidad Central de Venezuela. Facultad de Humanidades
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2008 ES
Relevância na Pesquisa
37.54%
En este trabajo se analiza la difícil relación de las dos disciplinas que se ocupan de la expresión oral: la fonética y la fonología. La primera fue considerada como el modelo de la investigación lingüística desde fines del siglo XIX gracias a la fundación de la Asociación Fonética Internacional y otros factores, hasta el surgimiento del Círculo Lingüístico de Praga en el primer tercio del siglo XX, cuando comenzó un alejamiento de las descripciones y explicaciones con base en el naturalismo, lo que conllevó la gradual exclusión de la fonética como disciplina lingüística. Esa exclusión también ocurrió entre los lingüistas norteamericanos. Sin embargo, con el adve-nimiento de la fonología generativa “clásica” en 1968, el abstraccionismo y el formalismo llegaron a su grado más alto, lo que provocó una reacción que buscó reducirlos. Desde esa reacción en los años setenta se ha efectuado un regreso a la foneticidad. Se analizan aquí las razones de los vaivenes en la relación y se explican sus causas. En el entrenamiento de fonetistas se sugieren estrategias para la enseñanza de la fonética taxonómica en contraste con la llamada fonética “científica”; se examinan aspectos controversiales de la fonética taxonómica y se proponen soluciones.