Página 1 dos resultados de 2035 itens digitais encontrados em 0.004 segundos

Composição florística e estrutura do componente arbustivo-arbóreo do Parque Natural Municipal da Cratera de Colônia, São Paulo, SP; Floristic composition and structure of the shrub-arboreal component of the Parque Natural Municipal da Cratera de Colônia, São Paulo, SP.

Marçon, Sergio Luis
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 29/05/2009 PT
Relevância na Pesquisa
37.1%
A conservação da biodiversidade tem sido tema de debates na maioria das reuniões sobre meio ambiente no mundo. Áreas florestais próximas aos centros urbanos têm merecido menor atenção de iniciativas conservacionistas, pois se acredita que estejam em estado irremediável de degradação. Entretanto, se bem estudadas, poderão ser úteis ao apontar modelos para a regeneração, conservação e manejo de sua diversidade. Com características ímpares de solo e vegetação, a Cratera de Colônia constitui uma dessas importantes áreas para investigações científicas. O Parque Natural Municipal da Cratera de Colônia foi criado em 2007 com a expectativa de conservar o local, um fragmento de mata numa matriz predominantemente agrícola e urbana, sob intensa ação antrópica. Neste contexto, os objetivos deste trabalho são: (1) caracterizar a composição florística e a estrutura do componente arbustivo-arbóreo do Parque Natural Municipal da Cratera de Colônia; (2) comparar as parcelas alocadas em locais com diferentes graus de degradação em cada fitofisionomia (Mata de Encosta, Mata de Turfeira e Mata de Brejo) quanto à estrutura e diversidade florística; (3) fornecer dados para auxiliar a elaboração do Plano de Manejo do Parque...

Análise florística em floresta estacional semidecidual na encosta leste da Serra do Cipó, MG; Floristic analysis in semi-deciduous forest on the eastern slope of the Serra do Cipo, MG

Santos, Matheus Fortes
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 22/10/2009 PT
Relevância na Pesquisa
37.1%
Estudos integrando dados de levantamentos florísticos tem trazido grande contribuição ao conhecimento de padrões fitogeográficos brasileiros. Porém, há uma lacuna destes estudos em áreas de Mata Atlântica na Serra do Espinhaço, já que poucos levantamentos florísticos e fitossociológicos tem sido feitos em suas florestas. Entre estas áreas estão os remanescentes florestais do leste da Serra do Cipó (porção Meridional do Espinhaço), região bastante conhecida floristicamente, mas cujos trabalhos focaram áreas localizadas no oeste da Serra. Este trabalho objetivou realizar o levantamento florístico e fitossociológico de uma área florestal na encosta leste da Serra do Cipó, analisar suas relações fitogeográficas com outras áreas de Mata Atlântica e possíveis causas destas relações, analisar os padrões da vegetação arbórea na Serra do Cipó e da Serra do Espinhaço como um todo, além de fornecer dados para o plano de manejo do Parque Nacional da Serra do Cipó. A área de estudo (Itambé do Mato Dentro - MG) está localizada na Serra da Cabeça de Boi, que ocupa parte da porção leste da Serra do Cipó. Na Serra do Cipó, nas porções elevadas sobre rochas quartzíticas, predominam os Campos Rupestres...

Caracterização florística e estrutural do componente arbóreo de três fragmentos de Floresta Estacional Semidecidual da região leste do vale do Paraíba - SP; Floristic and Structural characterization of the composition of arboreal species from three seasonal semi-deciduous forest fragments in the eastern Vale do Paraíba, São Paulo State

Freitas, Herbert Serafim de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 12/04/2010 PT
Relevância na Pesquisa
37.1%
A bacia do rio Paraíba do Sul (sudeste do Brasil) está inserida no domínio da Floresta Atlântica, em altitudes que vão do nível do mar até 2797 metros. Há grande complexidade topográfica e climática, que resulta na presença de inúmeras fitofisionomias, como os Campos de altitude, Cerrado, Floresta Estacional Semidecidual e Florestas Ombrófilas Densa e Mista. Apesar da grande complexidade florestal, esta bacia ainda não foi objeto de estudos fitogeográficos. Análises das relações de similaridade florística entre comunidades arbóreas conduz em geral ao estabelecimento de padõres condicionados por fatores diversos que determinam a ocorrência das espécies. As florestas estacionais semideciduais da bacia do rio Paraíba do Sul mostram-se bastante fragmentadas e têm sido pouco estudadas do ponto de vista florístico e fitossociológico. O presente estudo objetivou conhecer e comparar a composição florística, a estrutura e os aspectos ecológicos do componente arbóreo de três fragmentos. Além disso, foram utilizadas análises de agrupamento e correspondência para estabelecer comparações florísticas com outras 31 áreas de Floresta Atlântica, 17 delas pertencentes à bacia do rio Paraíba do Sul (bacia do RPS). O fragmento maior (300 ha) situa-se no município de Areias e os dois menores (14 ha cada) em São José do Barreiro (22°41'S; 44°3'W)...

Floristic composition, environmental variation and species distribution patterns in burned grassland in Southern Brazil; Composição florística, variação ambiental e distribução das espécies em um campo queimado no sul do Brasil

Overbeck, Gerhard Ernst; Muller, Sandra Cristina; Pillar, Valerio de Patta; Pfadenhauer, Jorg Sepp
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
ENG
Relevância na Pesquisa
37.1%
Em um campo regularmente queimado no Morro Santana, Porto Alegre, RS, Brasil, foram investigadas diferenças na composição florística e suas relações com as propriedades do solo, a distância da borda florestal e a exposição do relevo. Em 48 parcelas de 0,75 m2, foram amostradas 201 espécies identificadas, de um total estimado para o local de aproximadamente 450 a 500 espécies. maioria das espécies apresentou baixas freqüências e uma distribuição aglomerada na área de estudo. análise multivariada dos dados indicou que as parcelas adjacentes à borda florestal claramente diferem florística e estruturalmente das parcelas do campo. As parcelas com exposição norte diferiram das do topo do morro, tanto pela composição florística quanto pelas variáveis do solo, principalmente em relação à menor profundidade do solo no norte Nenhuma relação forte foi detectada entre as propriedades do solo e a variação na composição da comunidade em escala mais fina. área estudada, assim como a vegetação campestre no sul do Brasil em geral, apresenta-se muito rica em espécies, se comparada a outras formações de campo ou savana no mundo. Apesar disso, a alta biodiversidade e o valor de conservação da vegetação campestre não têm sido reconhecidos. Na ausência do pastejo...

Floristica e estrutura de um fragmento de floresta estacional semidecidua montana no municipio de Itatiba, SP

Roberta Macedo Cerqueira
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 25/02/2005 PT
Relevância na Pesquisa
37.1%
Foi realizado um levantamento florístico e fitossociológico em um fragmento de floresta estacional semidecídua montana no município de Itatiba, SP. Para o levantamento florístico foram coletados todos os hábitos em diferentes ambientes do fragmento. Para o levantamento fitossociológico foi adotado o método de ponto quadrante e todos os indivíduos com DAP > 5 em foram amostrados . Os transectos foram distribuídos paralelamento no sentido norte-sul do fragmento, desde a borda até a parte interna do fragmento. Foram amostrados no levantamento florístico 247 espécies. A família de maior riqueza florística foi Leguminosae, seguida por Myrtaceae, Rubiaceae, Asteraceae e Lauraceae. As árvores foram o hábito de maior riqueza (147), seguidas pelos arbustos (42), epífitas (22), lianas (16), ervas (15), parasitas (3) e hemiepífitas (2). O fragmento de Itatiba obteve maior similaridade florística com os fragmentos localizados dentro da província geomorfológica do Planalto Atlântico e com os fragmentos de floresta estacional semidecídua montana localizadas na porção sul do estado de Minas Gerais. No levantamento fitossociológico foram amostrados 397 pontos e 1588 indivíduos. A família de maior riqueza foi Leguminosae...

Variação da composição floristica e da diversidade alfa das florestas atlanticas no estado de São Paulo

Rosemary de Jesus de Oliveira
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 30/10/2006 PT
Relevância na Pesquisa
37.1%
Uma importante questão na ecologia de florestas tropicais é a previsibilidade da composição florística e da diversidade de espécies. O presente estudo abordou esta questão,considerando as florestas atlânticas no estado de São Paulo, para as quais existe um volume considerável de informações sobre a distribuição e abundância dos táxons arbóreos. O estudo considerou a hipótese de que existe influência de fatores ambientais na organização dessas florestas e que espécies respondem diferentemente a esses fatores. Para investigar essa hipótese, a tese foi estruturada em três capítulos, que investigaram a ocorrência de padrões florísticos e de diversidade e exploraram a relação entre estes e variáveis geográficas e climáticas no estado. O primeiro capítulo comparou as florestas considerando a abundância relativa das espécies, com o objetivo de fornecer um quadro atual sobre as variações existentes e de obter classes ecologicamente significativas, caracterizadas por espécies indicadoras. O segundo capítulo investigou o padrão de variação florística, considerando o nível de família, com o objetivo de analisar a resposta dos principais táxons a gradientes geográficos e climáticos, assim como tornar os resultados comparáveis àqueles já discutidos para outras florestas tropicais. O terceiro capítulo analisou a variação da riqueza dessas florestas...

Floristica e fitossociologia de especies arboreas ao longo de um gradiente altitudinal no extremo sul da Mantiqueira (Serra do Lopo) - MG/SP; Floristic and phytosociological struture of the forest vegetation along na altidunal gradient in the Mantiqueira Range (Serra do Lopo) - MG/SP

Leila Fumiyo Yamamoto
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 31/08/2009 PT
Relevância na Pesquisa
37.1%
Foi realizado um levantamento florístico e fitossociológico de espécies arbóreas, ao longo de um gradiente altitudinal nas duas faces da Serra do Lopo, localizada no extremo sul da Serra da Mantiqueira, entre os estados de Minas Gerais e São Paulo. Este trabalho teve como objetivo, conhecer a composição florística e caracterizar a estrutura das espécies arbóreas da floresta em estudo; verificar se há diferenças na composição e na estrutura fitossociológica entre a face sudeste e a face noroeste, e ao longo do gradiente altitudinal; saber com qual formação florestal a face sudeste e a face noroeste apresentam maior similaridade florística. As coletas foram feitas entre maio de 2002 e junho de 2006. No levantamento florístico foram feitas coletas de todos os indivíduos lenhosos com mais de 3 m de altura com flores e/ou frutos. Para o estudo fitossociológico foram incluídos os indivíduos arbóreos com DAP≥5 cm. Também foram incluídos, na amostragem fitossociológica os samambaiaçus e os indivíduos mortos com DAP≥5 e os bambus. Foram instaladas cinco parcelas de 10 X 10 m (distando 50 m de uma de outra) nas seguintes cotas de altitudes: 1650 m, 1550 m, 1450 m, 1350 m, 1250 m e 1150 m em ambas as faces...

Florística e estrutura da vegetação arbustivo-arbórea em uma área de cerrado rupestre no Parque Estadual da Serra de Caldas Novas, Goiás; Floristic and structure of woody vegetation of a “cerrado rupestre” area in Serra de Caldas Novas State Park, Goiás

Lima, Thaís Almeida; Pinto, José Roberto Rodrigues; Oliveira, Eddie Lenza; Pinto, Alexandre de Siqueira
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
37.1%
O cerrado sentido restrito é a fitofisionomia predominante do bioma Cerrado, ocupando grandes extensões do Planalto Central brasileiro. Quando essa vegetação se desenvolve sobre Neossolos Litólicos recebe a denominação de cerrado rupestre. O conhecimento sobre as comunidades arbustivo-arbóreas deste subtipo fitofisionômico do Cerrado é muito limitado. O objetivo deste estudo foi analisar a composição florística e a estrutura da vegetação arbustivo-arbórea em uma área de cerrado rupestre localizada no Parque Estadual da Serra de Caldas Novas (PESCAN), Goiás, Brasil e comparar suas características florísticas e estruturais com aquelas de outras áreas de cerrado sentido restrito localizadas no Brasil Central. Foram amostrados todos os indivíduos com diâmetro a 30 cm do solo > 5 cm, presentes em 10 parcelas aleatórias de 20 × 50 m. A riqueza florística registrada foi de 66 espécies, distribuídas em 53 gêneros e 31 famílias botânicas. A vegetação estudada tem características florísticas e estruturais semelhantes àquelas registradas em outras áreas de cerrado sentido restrito sobre solos profundos, porém, com a presença de algumas espécies típicas de cerrado rupestre, como Schwartzia adamantium (Cambess.) Gir.-Cañas e Wunderlichia mirabilis Riedel ex Baker e algumas raras para o bioma...

Diversidade florística dos bosques de Quercus faginea subsp. broteroi (cercais) do Centro Oeste de Portugal

Espírito Santo, M.D.; Rego, Francisco; Lousã, Mário; Bingre, Pedro; Lopes, Carmo; Maia, José; Ribeiro, Silvia; Alves, João; Capelo, Jorge
Fonte: SPCF Publicador: SPCF
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em /05/2005 POR
Relevância na Pesquisa
37.17%
Congresso Florestal Nacional: a floresta e as gentes - Actas das Comunicações; Com o intuito de tipificar a diversidade floristica das formações florestais dominadas por carvalho-cerquinho, foram analisados 77 inventários efectuados em cercais de Arisaro vulgare-Quercetum broteroi e em louriçais de Vinco difformis-Lauretum nobilis, no Centro Oeste de Portugal, procurando-se estabelecer a relação entre estes bosques e o seu grau de conservação e diversidade. Os dados obtidos foram analisados através de uma análise canónica de correspondências (CCA) tendo sido efectuados os cálculos relativos à diversidade florística (recorrendo ao índice de Shannon) e à diversidade em espécies com interesse para conservação. Na análise canónica de correspondências (CCA) foram admitidas 4 variáveis no teste de permutação de Monte Carlo, com probabilidade de erro inferior a 1 %: altitude, densidade de copado, grau de artificialização e índice de Shannon. Os louriçais (de Vinco difformis-Lauretum nobilis e endémicos do Subsector Oeste-Estremenho) aparecem associados a situações de menor altitude, maior densidade de copado e com menor grau de artificialização do que os cercais de Arisaro vulgare-Quercetum broteroi. Dos cercais foi possível distinguir um grupo de inventários enriquecidos com Quercus robur e com o híbrido deste com o Quercus faginea subsp. broteroi...

Mudanças ocorridas na composição florística em decorrência da exploração florestal em uma área de floresta de Terra firme na região de Paragominas, PA

Francez,Luciana Maria de Barros; Carvalho,João Olegário Pereira de; Jardim,Fernando Cristóvam da Silva
Fonte: Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia Publicador: Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2007 PT
Relevância na Pesquisa
37.1%
O objetivo da presente pesquisa foi avaliar as mudanças ocorridas na composição florística, considerando duas intensidades de colheita de madeira, em 108 ha de floresta, na Fazenda Rio Capim, pertencente à Cikel Brasil Verde Madeiras Ltda., município de Paragominas, Estado do Pará. Os dados foram coletados, em duas ocasiões (2003, antes da exploração e em 2004, após a exploração) em 36 parcelas permanentes quadradas de 0,25 ha, estabelecidas aleatoriamente na área, sendo doze para estudar a floresta não-explorada, doze para a explorada com colheita apenas do fuste comercial das árvores e doze para a explorada com colheita do fuste e dos resíduos lenhosos. Todos os indivíduos com DAP > 10 cm foram registrados. Antes da exploração, ocorreram 4469 árvores nas 36 parcelas amostradas (nove hectares), distribuídos em 46 famílias, 138 gêneros e 228 espécies. Após a exploração, foram registrados 4330 indivíduos, porém duas espécies desapareceram (Licaria sp. e Nectandra sp.). A composição florística, nas duas intensidades de colheita, sofreu alterações significantes devido à exploração de impacto reduzido a que foi submetida. Entretanto, não houve alterações significantes entre as duas áreas, demonstrando que...

Efeito de incêndios florestais na estrutura e composição florística de uma área de cerrado sensu stricto na fazenda Água Limpa-DF

Fiedler,Nilton Cesar; Azevedo,Isaac Nuno Carvalho de; Rezende,Alba Valéria; Medeiros,Marcelo Brilhante de; Venturoili,Fábio
Fonte: Sociedade de Investigações Florestais Publicador: Sociedade de Investigações Florestais
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2004 PT
Relevância na Pesquisa
37.17%
O objetivo desta pesquisa foi avaliar o efeito do fogo na estrutura e composição florística de uma área de 10 ha de cerrado sensu stricto, localizada na fazenda Água Limpa da Universidade de Brasília. Foram realizados dois inventários, sendo o primeiro em 1999, logo após a área ter sido totalmente queimada, devido a um incêndio criminoso, e o segundo em novembro de 2002. Quatro parcelas de 0,1 ha (20 x 50 m) foram tomadas, aleatoriamente, na área queimada. Todos os indivíduos lenhosos arbóreos vivos, com Db (diâmetro tomado a 0,30 m do solo) igual ou superior a 3 cm, foram identificados botanicamente, e seus diâmetros e alturas foram registrados. Valores de densidade, dominância, freqüência e índice de valor de cobertura foram obtidos para os dois levantamentos. A avaliação da similaridade florística entre os dois inventários foi realizada para dados qualitativos (presença e ausência de espécies), a partir do índice de Sfrensen. Os resultados mostraram que houve pouca mudança na composição florística da comunidade durante o período estudado. Entre os dois inventários houve um aumento de aproximadamente 125% na densidade por hectare. A similaridade entre os dois levantamentos foi alta (índice de Sfrensen igual a 0...

Composição florística da vegetação arbórea de um trecho de floresta de galeria do Parque Estadual do Rola-Moça na Região Metropolitana de Belo Horizonte, MG, Brasil

Meyer,Sylvia Therese; Silva,Alexandre Francisco da; Marco Júnior,Paulo de; Meira Neto,João Augusto Alves
Fonte: Sociedade Botânica do Brasil Publicador: Sociedade Botânica do Brasil
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2004 PT
Relevância na Pesquisa
37.17%
O estudo foi desenvolvido em um trecho de floresta de galeria na Área de Proteção Especial do Barreiro integrante do Parque Estadual do Rola-Moça, Região Metropolitana de Belo Horizonte (MG). O objetivo foi determinar a composição desse trecho de floresta, importante como subsídio à projetos de recuperação e enriquecimento dessa tipologia. A composição florística foi determinada a partir de uma amostragem fitossociológica na qual foi utilizado o método de parcelas sendo demarcadas 36 parcelas de 10×10m, além de coletas complementares realizadas fora da amostragem. Foram relacionados todos os indivíduos arbóreos com circunferência de tronco a 1,30m do solo igual ou superior a 15cm. Encontrou-se 97 espécies, distribuídas por 79 gêneros de 43 famílias. A composição florística quando comparada com outras florestas de galeria no Sudeste e Centro-Oeste apresentou baixa similaridade, sendo a maior semelhança verificada com as florestas do sul de Minas. A riqueza florística apresentou diferenças significativas quando relacionada à distância do córrego, sendo as parcelas situadas aos 28, 64 e 82m as responsáveis pelos maiores valores de riqueza.

Composição e riqueza florística do componente arbóreo da Floresta Atlântica submontana na região de Imbaú, Município de Silva Jardim, RJ

Carvalho,Fabrício Alvim; Nascimento,Marcelo Trindade; Braga,João Marcelo Alvarenga
Fonte: Sociedade Botânica do Brasil Publicador: Sociedade Botânica do Brasil
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2006 PT
Relevância na Pesquisa
37.17%
O presente trabalho teve por objetivo avaliar a composição florística arbórea de um trecho de Floresta Atlântica submontana na região de Imbaú, Silva Jardim, RJ. Esta região formava um contínuo florestal que foi fragmentado há mais de 50 anos por práticas agropecuárias. Cinco fragmentos foram selecionados e em cada um deles foram alocadas quatro parcelas de 100×5 m. Todas as árvores vivas com DAP > 5 cm foram amostradas e identificadas. No hectare amostrado foram encontradas 161 espécies distribuídas por 39 famílias. A similaridade florística entre os fragmentos foi alta, com índice de Morisita variando de 0,36 a 0,79. As famílias Leguminosae, Lauraceae e Rubiaceae apresentaram a maior riqueza de espécies. A comparação florística com uma floresta madura da região indicou forte decréscimo na riqueza de espécies que, juntamente com a elevada densidade de espécies secundárias iniciais, indicam que estas matas se encontram em estádio sucessional secundário. Analisando a similaridade florística entre a região de Imbaú e outras 17 florestas do Rio de Janeiro, observou-se maior similaridade com as florestas submontanas mais próximas geograficamente. Devido ao avançado processo de fragmentação e à importância ecológica destes fragmentos para a manutenção da flora e fauna...

Diversidade florística e funcional em formações florestais ribeirinhas no Triangulo Mineiro, MG, Brasil; Floristic and functional diversity in riparian forests in Triangulo Mineiro, MG, Brazil

Borges, Mariana Prado
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
37.22%
A classificação das florestas ribeirinhas por mata ciliar, mata de galeria inundável e não-inundável remete a diferenças ambientais que refletem na diversidade florística desses ecossistemas e, provavelmente, influenciam na diversidade funcional. Esses ambientes, de extrema importância ecológica, vêm sofrendo com a degradação devido às atividades antrópicas e, por isso, programas de manejo e restauração pautados nos aspectos ecológicos das comunidades, dentre eles a diversidade funcional, são importantes para a conservação desses ecossistemas. Os objetivos desse trabalho foram: [1] conhecer a composição florística e a estrutura da mata de galeria inundável do córrego do Glória (Uberlândia-MG) e sua similaridade florística com florestas inundáveis do Bioma Cerrado; [2] utilizar atributos reprodutivos de três tipos de formações florestais ribeirinhas para compará-las quanto à diversidade funcional. Foram utilizados os dados florísticos referentes a três áreas: mata ciliar do rio Araguari, mata de galeria não-inundável do ribeirão do Panga e mata de galeria inundável do córrego do Glória, localizadas em Uberlândia, MG. Para o levantamento no córrego do Gloria, foi utilizando o método de ponto quadrante...

Composição florística do estrato arbóreo de floresta Atlântica Interiorana em Araponga - Minas Gerais

Soares,Michellia Pereira; Saporetti Junior,Amilcar Walter; Meira Neto,João Augusto Alves; Silva,Alexandre Francisco da; Souza,Agostinho Lopes de
Fonte: Sociedade de Investigações Florestais Publicador: Sociedade de Investigações Florestais
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2006 PT
Relevância na Pesquisa
37.22%
Os objetivos deste trabalho foram determinar a composição florística de um fragmento de Floresta e analisar a sua similaridade com outras áreas de Floresta Estacional Semidecidual e Floresta Ombrófila Densa, com o intuito de classificar a tipologia florestal da área de estudo. O levantamento foi realizado em uma trilha interpretativa na Pousada Serra D'Água (20º41'24"S e 42º29'47"W, 1.100 m de altitude), região de entorno do Parque Estadual da Serra do Brigadeiro (PESB), Município de Araponga, MG. A listagem florística foi obtida a partir do levantamento fitossociológico, no qual foram demarcados 150 pontos quadrantes. Foram relacionadas 147 espécies, 98 gêneros e 50 famílias. As famílias com maior número de espécies foram: Melastomataceae (14), Leguminosae (11), Myrtaceae (10), Rubiaceae (8), Annonaceae (7), Flacourtiaceae (7), Lauraceae (7) e Meliaceae (6). Os resultados da análise de agrupamento revelaram que os aspectos de proximidade geográfica e altitude são os principais responsáveis pela similaridade florística de muitas áreas. A vegetação da área de estudo pode ser classificada como Floresta Estacional Semidecidual Montana, pelo fato de a sua composição florística mostrar alta similaridade com outras áreas dessa mesma tipologia.

Composição florística e estrutura comunitária da floresta de galeria do córrego da Paciência, Cuiabá, (MT)

Oliveira-Filho,Ary Teixeira de
Fonte: Sociedade Botânica do Brasil Publicador: Sociedade Botânica do Brasil
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/07/1989 PT
Relevância na Pesquisa
37.17%
A floresta de galeria de um dos braços do córrego da Paciência, no sopé da chapada dos Guimarães, Mato Grosso (15º 21'S. 55º 49' W), foi inventariada por meio de 67 parcelas de 30m² (0,201 ha), sendo amosdos os indivíduos com circunferência ao nível do solo > 9cm em três setores da floresta; Nascentes, Vereda e Cachoeira. Foram calculados os parâmetros fitossociológicos das espécies e das famílias botânicas para toda a área amostral e para cada um dos três setores da floresta. Foram obtidas medidas de dissimilaridade florística e estrutural entre os três setores amostrais e medidas de dissimilaridade florística entre a floresta do presente estudo e cinco outras florestas riparias do Distrito Federal e dos estados de São Paulo e Mato Grosso. As seis florestas apresentaram entre si índices muito altos de dissimilaridade florística, embora algumas delas apresentassem espécies em comum entre as mais abundantes. Os três setores amostrais mostraram igualmente uma considerável dessemelhança florística e estrutural entre si. O clima, os solos e a geomcrfologia das bacias hidrográficas são evocados como responsáveis pelas diferenças interregionais entre as florestas riparias. Já as dessemelhanças intrarregionais podem ser atribuídas à fertilidade dos solos e...

Composição florística do componente arbóreo de um trecho de Floresta Atlântica na Área de Proteção Ambiental da Serra da Capoeira Grande, Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Peixoto,Gustavo Luna; Martins,Sebastião Venâncio; Silva,Alexandre Francisco da; Silva,Elias
Fonte: Sociedade Botânica do Brasil Publicador: Sociedade Botânica do Brasil
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2004 PT
Relevância na Pesquisa
37.17%
A Área de Proteção Ambiental (APA) da Serra da Capoeira Grande (22º59'03"S e 43º38'59"W) tem área total de 80ha e é um dos últimos remanescentes florestais com pau-brasil (Caesalpinia echinata Lam.) no município do Rio de Janeiro. Além disso, ocorrem na área outras três espécies ameaçadas de extinção: Cariniana ianeirensis R. Knuth, Acosmium lentiscifolium Spreng. e Machaerium incorruptible (Vell.) Fr. All. ex Benth. O levantamento fitossociológico foi realizado por meio do método dos quadrantes, tendo sido alocados 200 pontos e tendo-se como critério de inclusão 15cm de circunferência do tronco a 1,30m de altura do solo. A composição florística é o resultado desta amostragem acrescida de coletas feitas durante caminhadas no fragmento, totalizando 29 famílias, 58 gêneros e 69 espécies. As famílias que apresentaram maior número de espécies foram: Leguminosae (13), Myrtaceae (6), Euphorbiaceae (5), Bignoniaceae, Bombacaceae, Celastraceae, Flacourtiaceae, Moraceae, Rubiaceae e Solanaceae (3). Analisando a similaridade florística entre a APA da Serra da Capoeira Grande e outras 18 áreas florestais do Rio de Janeiro, observou-se maior identidade florística entre a área estudada e florestas de baixada localizadas próximas ao mar. Todas as florestas reuniram-se com um baixo nível de similaridade...

Florística do estrato herbáceo-subarbustivo de um campo limpo úmido em Brasília, Brasil

Munhoz,Cássia Beatriz Rodrigues; Felfili,Jeanine Maria
Fonte: Instituto Virtual da Biodiversidade | BIOTA - FAPESP Publicador: Instituto Virtual da Biodiversidade | BIOTA - FAPESP
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2007 PT
Relevância na Pesquisa
37.17%
A riqueza florística do estrato herbáceo-arbustivo de campo limpo úmido, uma vegetação campestre do bioma Cerrado, é pouco conhecida, embora as ervas e subarbustos sejam o maior componente na vegetação de Cerrado. O presente trabalho teve por objetivo caracterizar a riqueza florística da camada herbáceo-subarbustiva de um campo limpo úmido, com aproximadamente 16 ha, localizado na Fazenda Água Limpa (FAL), Brasília, DF (15° 56' a 15° 59' S e 47° 55' a 47° 58' W), além de comparar a sua flora herbáceo-arbustiva com a de outras áreas do bioma Cerrado no Brasil central e sudeste. Material botânico fértil foi coletado quinzenalmente, de setembro de 1999 a fevereiro de 2001, ao longo de trilhas distribuídas de modo a percorrer a maior extensão da área possível. Foram registradas 197 espécies, distribuídas em 105 gêneros e 41 famílias, tendo sido provavelmente descoberta uma nova espécie de Syngonanthus (Eriocaulaceae). As oito famílias com o maior número de espécie foram Poaceae (39 espécies); Cyperaceae (24); Asteraceae (21); Polygalaceae (15); Eriocaulaceae (12); Xyridaceae e Melastomataceae (8) e Fabaceae (7). A similaridade florística, medida com índice de Sørensen, entre o campo limpo úmido estudado e as outras 12 áreas de Cerrado foram baixas variando de 3...

Relationships between tree floristic and soil characteristics in an Atlantic Forest patch, Tamandaré, Pernambuco, Brazil; RELAÇÕES ENTRE A FLORÍSTICA ARBÓREA E CARACTERÍSTICAS DO SOLO EM UM FRAGMENTO DE FLORESTA ATLÂNTICA, TAMANDARÉ – PE

Teixeira, Lucineide de Jesus; Feliciano, Ana Lícia Patriota; Galindo, Izabel Cristina de Luna; Martins, Carolina Malala; Alencar, Antonia Lidiane de
Fonte: FUPEF DO PARANÁ Publicador: FUPEF DO PARANÁ
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf
Publicado em 01/10/2010 POR
Relevância na Pesquisa
37.17%
This study aimed to relate the tree components flora with the physical and chemical characteristics of soil over a topographic gradient, in a patch of dense rain forest in the Saltinho Biological Reserve, Pernambuco State. The floristic survey was carried out in 42 plots distributed in a gradient of three topographic positions, for those individual living trees with DBH ≥ 15 cm. The vegetation floristic similarity was analyzed by using the Euclidean distance and the soil by means of physical and chemical variables. The relationship between the chemical variables of soil and vegetation was done by canonical correlation. The slope and the top were the positions with higher floristic similarity. Species occurred with preferential development in the flatland, because of the soil fertility and on the top, due to the organic carbon grade and in the both positions, because of the moisture.; O presente trabalho objetivou relacionar, ao longo de um gradiente topográfico, a florística do componente arbóreo com as características físicas e químicas do solo em um fragmento de Floresta Ombrófila Densa, na Reserva Biológica de Saltinho, Pernambuco. O levantamento florístico foi realizado em 42 parcelas, distribuídas em um gradiente de três posições topográficas considerando os indivíduos arbóreos vivos...

Estructura y composición florística de tres robledales en la región norte de la cordillera central de Colombia

León,Juan D; Vélez,Gladys; Yepes,Adriana P
Fonte: Revista de Biología Tropical Publicador: Revista de Biología Tropical
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2009 ES
Relevância na Pesquisa
37.17%
La alta diversidad florística que albergan los ecosistemas andinos está siendo amenazada por fuertes presiones de origen antrópico. Uno de estos ecosistemas son los robledales, bosques dominados por la especie Quercus humboldtii, que se encuentra seriamente amenazada en Colombia porque su madera es valiosa comercial y dendroenergéticamente. En este estudio, se caracterizó la composición florística y la estructura de tres robledales de los Andes colombianos, con el fin de determinar su similaridad. En cada sitio, se estableció una parcela permanente (5 000 m²) donde se muestrearon todos los árboles con D ≥ 10 cm. En los tres sitios, la especie dominante fue Q. humboldtii, pero la similitud florística entre ellos no fue alta. La estructura por clases de tamaño para los tres sitios fue en forma de J invertida, aunque varió la abundancia de individuos por clase diamétrica. Los resultados indican que los robledales estudiados difieren en su composición florística y estructura a pesar de presentar características biofísicas similares. Las diferencias encontradas se deben posiblemente, a los diferentes factores que interactúan en cada sitio como la historia de uso, intensidad y duración de las perturbaciones antrópicas pasadas...