Página 1 dos resultados de 113 itens digitais encontrados em 0.004 segundos

Flexibilidade e crise do emprego industrial - sindicatos, regiões e novas ações empresariais; Flexibility and the industrial employment crisis - unions, regions and new business actions

RAMALHO, José Ricardo
Fonte: Programa de Pós-Graduação em Sociologia - UFRGS Publicador: Programa de Pós-Graduação em Sociologia - UFRGS
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
36.43%
Flexibilidade é uma palavra chave que sintetiza as mudanças decorrentes da reestruturação pelas quais passou a indústria nas últimas décadas. A redução do emprego industrial e suas consequências sociais e econômicas, são o foco da crítica social dirigida aos projetos baseados no padrão flexível, exigindo cada vez mais das empresas a elaboração de argumentos e ações para justificar e legitimar essa nova faceta do processo produtivo. O projeto AutoVision da montadora multinacional de veículos Volkswagen, aplicado em duas regiões - Wolfsburg, na Alemanha e ABC paulista, no Brasil, chama a atenção pelas características de uma intervenção social que veio acompanhada de um discurso mais elaborado de justificação. A hipótese a ser testada é a de que as iniciativas mais recentes das empresas globalizadas com base na flexibilidade, apontam para um protagonismo político na formulação de propostas com o objetivo de minorar os efeitos da redução do emprego na indústria e para a construção de uma retórica que naturaliza o emprego flexível. Teoricamente, esse caso permite também discutir os diferentes arranjos sociais com base na flexibilidade, que são criados regionalmente pelas empresas multinacionais e os modos como estas justificam suas ações¹.; Flexibility is a key word that summarizes the changes that resulted from the restructuring of the industry in the recent decades. The decrease in industrial employment...

Processo de trabalho, divisão sexual do trabalho e práticas sociais das operárias na indústria eletroeletrônica no contexto da flexibilidade produtiva; Labour process, sexual division of labour and social practises of female industrial workers in eletricial & eletronic industry on manufacturing flexibility context

Lapa, Thaís de Souza
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 19/12/2014 PT
Relevância na Pesquisa
56.67%
nas empresas, que ocorrem no Brasil sob a égide da reestruturação produtiva capitalista desde 1980 e com maior ênfase em 1990, são observados neste estudo à luz da problemática da divisão sexual do trabalho, tomando como campo de análise o segmento de eletroeletrônicos, o qual possui a mais elevada proporção de mulheres da indústria metalúrgica. A pesquisa parte da problemática da visibilização de trabalhadoras como objeto de conhecimento nas análises sobre a classe trabalhadora, procurando oferecer contribuição à sociologia do trabalho a partir de reflexão empírica-teórica gendrada sobre o trabalho, sustentando assim a necessidade do reconhecimento da composição sexuada da classe e reivindicando a indissociabilidade das dimensões classe e gênero. Com base em estudo setorial focado em duas indústrias eletroeletrônicas transnacionais no ramo de telecomunicações e informática, cujas plantas analisadas localizam-se em municípios do interior de São Paulo, foram identificadas e analisadas características do processo de trabalho em diversos setores produtivos das empresas. Essas empresas fabricam no Brasil - uma desde a década de 1990 e outra desde 2000 - telefones celulares, tablets, monitores, notebooks...

Sistemática para avaliação e melhoria da flexibilidade de layout em ambientes dinâmicos; A method to measure and improve layout flexibility in dynamic environments

Neumann, Carla Simone Ruppenthal; Fogliatto, Flavio Sanson
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
36.43%
Ambientes dinâmicos apresentam um alto grau de incerteza a respeito das necessidades futuras da produção. Tradicionalmente, para que um layout possa ser avaliado e melhorado, devem-se enfocar fatores de proximidade e de adjacência, já que os mesmos aumentam a eficiência da movimentação de materiais, reduzindo assim os custos operacionais. Adicionalmente, se sugere acrescentar robustez, flexibilidade, suficiência e utilização do espaço a esses fatores, o que reforça a idéia que parte da flexibilidade de layout (FL) é devida à associação com outros tipos de flexibilidade de manufatura (FM). Neste artigo se propõe uma sistemática de avaliação e melhoria da FL em ambientes dinâmicos. Mais explicitamente, mensuram-se os habilitadores de um layout, que é capaz de reagir às incertezas externas e internas que surgem ao mudar as necessidades da produção. A sistemática é desenvolvida em nove etapas, as quais partem de matrizes que ponderam o impacto de fatores de proximidade de departamentos, de utilização de área produtiva e de associação com outros tipos de FM na avaliação da FL. Também se apresenta uma proposta de análise reversa do Desdobramento da Função Qualidade (QFD). As proposições apresentadas são ilustradas em um caso prático de uma empresa do setor metal-mecânico.; Dynamic environments are usually characterized by high uncertainty with respect to future production needs. In traditional layout evaluation...

A polivalência da mão-de-obra direta como instrumento para o nivelamento da produção com a demanda na indústria frigorífica

Marroni, Carlos Henrique
Fonte: Florianópolis, SC Publicador: Florianópolis, SC
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 102 f.| il., tabs., grafs., plantas
POR
Relevância na Pesquisa
26.41%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Tecnológico. Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção.; O ambiente competitivo e globalizado em que as empresas estão engendradas, exige que estas busquem, rapidamente se adequarem de forma a não serem alijadas do mercado, a polivalência, ferramenta do sistema de produção JIT/TQC, é empregada com muito sucesso nas indústrias automobilísticas, possibilitando entre os resultados a flexibilidade produtiva, uma melhor performance do processo produtivo e o nivelamento da produção com a demanda. Destarte este trabalho visou estudar a viabilidade da implantação do nivelamento da produção à demanda com uso de operadores polivalentes na indústria frigorífica, haja visto a conjuntura econômica em que este setor está inserido, ou seja, a falta de recursos financeiros exige uma racional alocação destes, assim é preciso reduzir o ônus do processo produtivo que são os estoques, diante da retração do mercado interno, com o agravamento da crise Argentina, o mercado externo tornou-se uma opção, contudo este possui uma grande sazonalidade e falta de flexibilidade produtiva e o nivelamento da produção com à demanda irá impossibilitar a competitividade nesta atividade.

Reestruturação produtiva, neoliberalismo e flexibilização dos direitos trabalhistas no Brasil dos anos 90

Busnello, Ronaldo
Fonte: Florianópolis, SC Publicador: Florianópolis, SC
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
26.61%
Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Jurídicas. Programa de Pós-Graduação em Direito.; A partir do final do século XX a economia mundial vem passando por profundas mudanças estruturais. A emergência da Terceira Revolução Industrial e as políticas econômicas de corte neoliberal ampliaram o processo de reestruturação produtiva voltada para a obtenção de maior flexibilidade do uso do capital e do trabalho, tendo por meta a máxima redução dos custos, da ociosidade dos fatores produtivos e dos riscos ampliados da instabilidade dos mercados. No Brasil o processo de reestruturação produtiva teve origem sobretudo nas reformas implantadas ao longo da década de 90, que possibilitaram as condições fundadas em uma política econômica de inserção subordinada à globalização e que marcou a introdução de um projeto neoliberal no país. A maior exposição da economia brasileira à concorrência internacional induziu à reestruturação produtiva das empresas nacionais, até então voltadas especialmente para o mercado local. Como parte da nova política econômica foi proposta a mudança do sistema nacional de regulação das relações de trabalho, com o objetivo de permitir maior liberdade e autonomia aos empresários no estabelecimento das condições de trabalho. As idéias que impulsionaram o processo de flexibilização do direito do trabalho são as mesmas que embalaram os sonhos das teses neoliberais no estrangeiro. A síntese da proposição é a de que o Direito do Trabalho brasileiro é rígido...

Terceirização: uma análise critica de suas causas e dos seus efeitos para o mundo do trabalho no contexto da reestruturação produtiva dos anos 90

Matos, Fabiano Moreira de
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: 61 f.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
36.44%
TCC (graduação) - Universidade Federal de Santa Catarina. Centro Sócio-Econômico. Economia.; Neste trabalho analisa-se o fenômeno da terceirização, dentro do contexto de um processo de reestruturação produtiva, com inicio na crise do modelo de produção fordista até a implantação do modelo de produção toyotista, o que levou a um novo padrão de acumulação, chamado de acumulação flexível. Esta reestruturação causou profundas alterações na realidade produtiva e na forma de estruturação do proletariado. A classe trabalhadora passou por um processo de complexificação (desproletarização, subproletarização, heterogeneização e fragmentação). A partir da década de 1990, a terceirização é umas das principais características do processo de reestruturação produtiva. Assiste-se em todos os setores de atividade econômica a adoção de tal prática. 0 dinamismo da reestruturação produtiva, tem como conseqüência as transformações organizacionais, acompanhado pelas inovações tecnológicas, especialmente em tecnologias de informação e comunicação, desempenhando um papel no conjunto de modificações que revolucionaram o mundo do trabalho nos últimos vinte anos. Ao mesmo tempo em que estas novas tecnologias permitem maior flexibilidade na produção...

As transformações no mundo do trabalho no limiar do século XXI nos países do G7

Rothstein, André Felipe
Fonte: Florianópolis Publicador: Florianópolis
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: 77 f.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
26.41%
TCC (graduação) - Universidade Federal de Santa Catarina. Centro Sócio-Econômico. Economia.; O trabalho se transforma e é modificado pelas relações sociais. Desde as sociedades pré-capitalistas o trabalho era pauta de reflexões, no entanto passa a ganhar notoriedade com a lógica de acumulação capitalista. Neste regime societal, as relações do trabalho passam a ser transformadas significativamente, sob diversas formas, de acordo com as fases da evolução capitalista. A herança das Revoluções Industriais imprimiu novos modos de inserir a força de trabalho no processo produtivo, sendo o fator mais flexível e moldável. A despeito disto, o trabalhador viu sua importância sobre o processo produtivo esvair-se em favor do capital. Somente nos anos de grande expansão do capitalismo (meados do século XX), aliado aos objetivos do Estado, que a classe trabalhadora obteve ganhos sociais e a regulação necessária em detrimento do poder discricionário das empresas. Contudo, passados os anos dourados, a reorganização produtiva implementada em fins do século XX implica em ajustes nas relações de trabalho. Frente a um panorama de evolução do desemprego, perda do foco do Estado sobre as causas trabalhistas...

As transformações do mundo do trabalho e o papel da formação profissional

Liberal, Márcia Mello Costa De
Fonte: Instituto Superior de Economia e Gestão Publicador: Instituto Superior de Economia e Gestão
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em //2000 POR
Relevância na Pesquisa
26.41%
Doutoramento em Sociologia Económica e das Organizações; O escopo desta tese é contribuir para a análise do desafio da formação profissional do trabalhador brasileiro nesta viragem de século. A partir deste estudo, nossa meta é também apontar implicações das tendências da restruturação produtiva para as empresas, os trabalhadores e, por extensão, para a sociedade, em matéria de formação para o trabalho. Assume-se, como ponto de partida, a premissa de que trabalho e formação profissional são relevantes como objecto de investigação sociológica, à medida que reflectem o processo de passagem de uma sociedade rígida para uma sociedade da flexibilidade. Nesse processo, ambos se tornam fenómenos multidimensionais e desafiam a sociologia a ampliar seu foco empírico e conceptual clássico. Nessa perspectiva, no decorrer desta tese, torna-se evidente a necessidade de se buscar, na teoria e na prática, novas dimensões da formação profissional, na expectativa de contribuir para uma revisão conceptual na abordagem do fenómeno. Procura-se ampliar também o enfoque da mudança tecnológica, menos como troca de máquinas, equipamentos, sistemas, e mais como restruturação dos modelos de organização e de gestão produtiva. A pesquisa tenta examinar essas questões...

Gênero, flexibilidade e precarização: o trabalho a domicílio na indústria de confecções

Neves,Magda de Almeida; Pedrosa,Célia Maria
Fonte: Departamento de Sociologia da Universidade de Brasília Publicador: Departamento de Sociologia da Universidade de Brasília
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2007 PT
Relevância na Pesquisa
36.21%
O rápido processo de mudanças na economia global, nos últimos anos, e a reestruturação produtiva reconfiguraram as relações de gênero no trabalho. A entrada cada vez maior do contingente feminino no mercado de trabalho, além de dar visibilidade às relações que se engendram na esfera privada, apresenta um conjunto de novas experiências vivenciadas pelas mulheres no local de trabalho e no contexto mais amplo da própria sociedade. Nestes últimos anos, a dinâmica flexível do processo produtivo acarretou o crescimento significativo do trabalho informal, num processo caracterizado pela sua heterogeneidade e, também, pela forma sistêmica de interação entre o setor formal e o informal. O objetivo do presente artigo é analisar o trabalho a domicílio realizado por mulheres para a indústria de confecção numa cidade de porte médio em Minas Gerais. O enfraquecimento da regulação do trabalho e dos direitos sociais possibilita a multiplicação de atividades precarizadas, gerando flexibilização do contrato de trabalho, das condições de trabalho, da jornada de trabalho e uma extensão/interação entre espaço privado/doméstico e espaço econômico/produtivo.

O trabalho visto de baixo

Mello e Silva,Leonardo; Nozaki,William Vella; Puzone,Vladimir Ferrari
Fonte: Departamento de Sociologia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo Publicador: Departamento de Sociologia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/11/2005 PT
Relevância na Pesquisa
36.22%
O texto detém-se sobre um tipo particular de organização do trabalho, chamado de células de produção, aplicado em fábricas do ramo de confecção em São Paulo, focando a experiência das operárias que trabalham sob esse formato. Vários aspectos são ressaltados a partir dele, tais como o sistema de remuneração, a regulação do/pelo grupo, o treinamento e as exigências de qualificação, a flexibilidade produtiva e o significado, para o grupo operário, do deslocamento geográfico de unidades de produção. Tais aspectos aparecem como contraponto à experiência coletiva que conformou uma identidade de classe, hoje em processo de aparente decomposição. Uma das razões para isso seria o sucesso de iniciativas privativas e confinadas ao espaço da empresa, das quais as células de produção são um exemplo. A descrição pormenorizada de casos concretos pretende contribuir com alguns elementos para uma apreciação compreensiva do fenômeno e suas implicações teóricas para o debate sobre as classes sociais.

Mudança organizacional e trabalho direto em função de flexibilidade e perfomance da produção industrial

Salerno,Mário Sergio
Fonte: Associação Brasileira de Engenharia de Produção Publicador: Associação Brasileira de Engenharia de Produção
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/1994 PT
Relevância na Pesquisa
36.41%
Dentre os inúmeros aspectos, análises e formas de abordagem que o processo de reestruturação produtiva comporta, as questões organizacionais e de caracterização da atividade de trabalho merecerão nossa atenção neste texto. As questões organizacionais ganharam notoriedade, tanto pelo fracasso de inúmeras tentativas de automação quanto pelos sistemas tipo just in time ou grupos semi-autônomos, ainda que seja muito mais ampla; as questões relativas à atividade de trabalho na empresa "reestruturada"não mereceram tanto destaque nas discussões teóricas, metodológicas ou práticas, sendo restritas a grupos pequenos de analistas, pesquisadores e agentes diretos (gerência, trabalhadores e sindicatos) mas são fundamentais tanto para um aprofundamento da discussão de qualificação e formação profissional, quanto para instrumentalizar o incremento do desempenho dos sistemas de produção. Teremos então duas unidades de análise: a empresa, e a atividade de trabalho em si. Abordemos, inicialmente, os parâmetros que conformam as trajetórias organizacionais das empresas, passando para a discussão das alternativas organizacionais e tecnológicas que as viabilizam, desembocando na discussão do trabalho.

Sistemática para avaliação e melhoria da flexibilidade de layout em ambientes dinâmicos

Neumann,Carla Simone Ruppenthal; Fogliatto,Flávio Sanson
Fonte: Universidade Federal de São Carlos Publicador: Universidade Federal de São Carlos
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2013 PT
Relevância na Pesquisa
36.43%
Ambientes dinâmicos apresentam um alto grau de incerteza a respeito das necessidades futuras da produção. Tradicionalmente, para que um layout possa ser avaliado e melhorado, devem-se enfocar fatores de proximidade e de adjacência, já que os mesmos aumentam a eficiência da movimentação de materiais, reduzindo assim os custos operacionais. Adicionalmente, se sugere acrescentar robustez, flexibilidade, suficiência e utilização do espaço a esses fatores, o que reforça a idéia que parte da flexibilidade de layout (FL) é devida à associação com outros tipos de flexibilidade de manufatura (FM). Neste artigo se propõe uma sistemática de avaliação e melhoria da FL em ambientes dinâmicos. Mais explicitamente, mensuram-se os habilitadores de um layout, que é capaz de reagir às incertezas externas e internas que surgem ao mudar as necessidades da produção. A sistemática é desenvolvida em nove etapas, as quais partem de matrizes que ponderam o impacto de fatores de proximidade de departamentos, de utilização de área produtiva e de associação com outros tipos de FM na avaliação da FL. Também se apresenta uma proposta de análise reversa do Desdobramento da Função Qualidade (QFD). As proposições apresentadas são ilustradas em um caso prático de uma empresa do setor metal-mecânico.

Flexibilidade e crise do emprego industrial - sindicatos, regiões e novas ações empresariais

Ramalho,José Ricardo
Fonte: Programa de Pós-Graduação em Sociologia - UFRGS Publicador: Programa de Pós-Graduação em Sociologia - UFRGS
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2010 PT
Relevância na Pesquisa
36.43%
Flexibilidade é uma palavra chave que sintetiza as mudanças decorrentes da reestruturação pelas quais passou a indústria nas últimas décadas. A redução do emprego industrial e suas consequências sociais e econômicas, são o foco da crítica social dirigida aos projetos baseados no padrão flexível, exigindo cada vez mais das empresas a elaboração de argumentos e ações para justificar e legitimar essa nova faceta do processo produtivo. O projeto AutoVision da montadora multinacional de veículos Volkswagen, aplicado em duas regiões - Wolfsburg, na Alemanha e ABC paulista, no Brasil, chama a atenção pelas características de uma intervenção social que veio acompanhada de um discurso mais elaborado de justificação. A hipótese a ser testada é a de que as iniciativas mais recentes das empresas globalizadas com base na flexibilidade, apontam para um protagonismo político na formulação de propostas com o objetivo de minorar os efeitos da redução do emprego na indústria e para a construção de uma retórica que naturaliza o emprego flexível. Teoricamente, esse caso permite também discutir os diferentes arranjos sociais com base na flexibilidade, que são criados regionalmente pelas empresas multinacionais e os modos como estas justificam suas ações¹.

Trajetórias de vida e de trabalho flexíveis: o processo de trabalho pós-Braverman

Rodrigues,Maria Beatriz
Fonte: Fundação Getulio Vargas, Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas Publicador: Fundação Getulio Vargas, Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2014 PT
Relevância na Pesquisa
26.65%
O artigo analisa características do processo de trabalho, após 40 anos da publicação do livro "Trabalho e capitalismo monopolista: a degradação do trabalho no século XX", de Harry Braverman. O foco recai na flexibilidade, característica cada vez mais requerida dos trabalhadores, no mercado de trabalho globalizado e movido à velocidade eletrônica. Generalizar a flexibilidade restringe entendimento de seus diferentes usos nos processos e relações de trabalho. Assim, são examinadas duas formas de utilização da flexibilidade: (1) no chão de fábrica, com a introdução de multifuncionalidade, trabalho em equipe, solicitação por maior qualificação e garantia de qualidade; (2) por meio de contratos atípicos de trabalho. As duas formas são exemplificadas por duas pesquisas, realizadas em momentos históricos e contextos específicos. A primeira, por uma pesquisa em indústrias do Rio Grande do Sul, durante a reestruturação produtiva dos anos 1990. A segunda, pela introdução de formas atípicas de contratação na Itália, a partir dos anos 2000. Esta última, baseia-se em depoimentos de trabalhadores italianos a uma enquete nacional sobre a flexibilização de contratos de trabalho...

A educação profissional e a reestruturação produtiva no Mundo do Trabalho: os impactos na formação da força de trabalho do SENAC (Sistema Nacional de Aprendizagem Comercial) da cidade de Montes Claros/ MG

Rego, Thaís Cristina Figueiredo
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
36.41%
Esta pesquisa está inserida na Linha de Políticas e Gestão em Educação articulada ao Grupo de Estudo Trabalho, Educação e Formação Humana do Programa de Pós-Graduação em Educação da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Uberlândia e teve como objetivo discutir o processo de reestruturação produtiva, com foco na formação profissional, do SENAC (Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial) Montes Claros/MG a partir dos documentos que regulamentam a educação profissional no Brasil. A reestruturação produtiva, que deu origem ao regime de acumulação flexível, originou-se com a intenção de fortalecer o capital após a crise do taylorismo/fordismo em meados dos anos 1970. Esse paradigma de acumulação promoveu mudanças significativas no mundo produtivo, tais como, precarização e terceirização do trabalho; e ainda provocou a necessidade de um trabalhador com formação mais ampla, fundamentada no que foi denominado de pedagogia de competências, ou seja, capacidade de responder às inúmeras contingências trazidas pela aceleração tecnológica com autonomia, liderança e criatividade. Enquanto no modelo de qualificação - própria do taylorismo/fordismo - as instituições de ensino tinham como função especializar o trabalhador em uma determinada fase da produção...

Reestrutura????o produtiva, forma????o e identidade: o projeto escola de f??brica e a constru????o identit??ria de jovens trabalhadores; Productive restructuring, professional education and identity: the factory school project and the identity construction of young workers

DUARTE, B??rbara Regina Gon??alves Vaz
Fonte: Universidade Federal de Pelotas; Educa????o; Programa de P??s-Gradua????o em Educa????o; UFPel; BR Publicador: Universidade Federal de Pelotas; Educa????o; Programa de P??s-Gradua????o em Educa????o; UFPel; BR
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
26.38%
The transformations occurred in the world of labor, mainly in face of the industrial-technological revolution, have impressed deep changes in the organization of the productive process in the context of globalization and, in consequence, great changes in the preparation for the labor market, demanding the qualification of workers and the capacitation of workforce. This results in the flexibility and instability of formal jobs. The threat of unemployment in a deregulated and unstable market bestows on companies the power of negotiation (and/or imposition) as to labor forms and conditions. It can be observed a trend for the growth of challenges testing the ability of professionals of selling their knowledge, since this new market design demands them quality, flexibility and greater productivity in order to keep employability. This research has studied the concepts of flexibility, employability, identity and professional education, that permeate the educational public policies through programs aimed at social inclusion. For such, it has investigated the Factory School Project (Projeto Escola de F??brica) in its conceptions and curricular practices, by means of a study case carried out at CEFET-RS, in two courses of professional qualification at basic level...

Reestruturação organizacional : uma avaliação a partir da estrutura do emprego do setor automotivo paulista-1898-1994

Eliane Navarro Rosandiski
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 19/12/1996 PT
Relevância na Pesquisa
26.51%
A difusão das novas tecnologias de base microeletrônica inaugurou uma nova fase concorrencial em que elementos novos, tais como conhecimentos tácitos e a capacitação tecnológica ganharam maior importância estratégica e o padrão de utilização da força de trabalho passou a ser definido mais ao nível de cada empresa. As chamadas "novas formas de gerenciamento da mão-de-obra" seriam a síntese de estratégias que procuram combinar novas tecnologias com formas polivalentes de uso do trabalho como forma de obtenção de flexibilidade produtiva e organizacional para atuarem num determinado ambiente concorrencial. Contudo, o processo de construção de vantagens competitivas está limitado por diferenças territoriais, regionais e setoriais. Fatores de competitividade, tais como atuação da política econômica e padrões institucionais de uso do trabalho exercem influência sobre as formas como a empresa combina os recursos disponíveis, incluindo mão-de-obra, para obter o melhor resultado no ambiente concorrencial. Partindo da hipótese que, no período recente, o ambiente concorrencial das empresas automotivas brasileiras está demandando novos padrões de qualidade, produtividade e flexibilidade, devido à sua dinâmica mais internacionalizada...

Em tempos globais, um "novo" local: a Ford na Bahia

Franco,Angela
Fonte: Universidade Federal da Bahia - Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas - Centro de Recursos Humanos Publicador: Universidade Federal da Bahia - Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas - Centro de Recursos Humanos
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2009 PT
Relevância na Pesquisa
26.41%
O artigo analisa a dinâmica da Região Metropolitana de Salvador (RMS) a partir da implantação da Ford, discutindo a perspectiva do 'lugar' (a periferia metropolitana), dentro de uma relação assimétrica com os negócios globais na era da flexibilidade. O texto caracteriza o complexo Ford de Camaçari a partir da reestruturação produtiva e das mudanças na organização e funcionamento dos territórios e, na segunda parte, seus impactos sobre a periferia metropolitana de Salvador. Na conclusão demonstra que as mesmas circunstâncias que permitiram a vinda da montadora para Camaçari constrangem as ambições originais de melhor equacionamento entre crescimento econômico e progresso social: a flexibilidade dos novos arranjos, que tornam os espaços periféricos estratégicos, compromete o "enraizamento" do investimento; a "produção enxuta", exígua de emprego e diligente na sua precarização, inibe os benefícios sociais.

O trabalho visto de baixo; Work viewed from below

Mello e Silva, Leonardo; Nozaki, William Vella; Puzone, Vladimir Ferrari
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/11/2005 POR
Relevância na Pesquisa
36.22%
O texto detém-se sobre um tipo particular de organização do trabalho, chamado de células de produção, aplicado em fábricas do ramo de confecção em São Paulo, focando a experiência das operárias que trabalham sob esse formato. Vários aspectos são ressaltados a partir dele, tais como o sistema de remuneração, a regulação do/pelo grupo, o treinamento e as exigências de qualificação, a flexibilidade produtiva e o significado, para o grupo operário, do deslocamento geográfico de unidades de produção. Tais aspectos aparecem como contraponto à experiência coletiva que conformou uma identidade de classe, hoje em processo de aparente decomposição. Uma das razões para isso seria o sucesso de iniciativas privativas e confinadas ao espaço da empresa, das quais as células de produção são um exemplo. A descrição pormenorizada de casos concretos pretende contribuir com alguns elementos para uma apreciação compreensiva do fenômeno e suas implicações teóricas para o debate sobre as classes sociais.; This paper approaches a particular type of work organization called production cells. That model is analized in its application through plants in the garment industry, in the state of São Paulo, Brazil. It focused on the working women experience under that work model...

CADEIA AUTOMOTIVA: FLEXIBILIDADE, PRECARIZAÇÃO E RELAÇÕES DE GÊNERO

Magda de Almeida Neves; FaE/UFMG
Fonte: Trabalho & Educação Publicador: Trabalho & Educação
Formato: application/pdf
Publicado em 23/07/2013 PT
Relevância na Pesquisa
36.21%
O objelivo do artigo ê analisar a reestruturação da cadeia produtiva da indústria automotiva Fiat, localizada em Betim, Minas Gerais, a partir da nova estratégia empreendida pela montadora denominada de "mineirização de seus fornecedores". Além de focalizar esta nova dinâmica espacial da empresa, especial ênfase é dada às relações de gênero, acentuando-se as distintas experiências vivenciadas por homens e mulheres na inserção no processo produtivo, nas condições de trabalho e nas exigências diferenciadas de qualificação.