Página 1 dos resultados de 627 itens digitais encontrados em 0.003 segundos

A fitossociologia e a monitorização da biodiversidade às escalas regional, nacional e europeia.

Honrado, João José; Alves, P.; Aguiar, Carlos; Gonçalves, João Francisco; Alonso, Joaquim; Caldas, F. Barreto
Fonte: M.D. Espírito-Santo Publicador: M.D. Espírito-Santo
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
POR
Relevância na Pesquisa
26.86%
As alterações ambientais multi-escalares produzem modificações mais ou menos profundas nos padrões espacio-temporais de distribuição e abundância das espécies e na composição, atributos, funções e distribuição das biocenoses e dos ecossistemas. São particularmente sensíveis, nos nossos dias, as mudanças induzidas pelas alterações do clima à escala global, e pelas invasões biológicas e alterações nos padrões locais e regionais de ocupação e uso do solo. Num contexto de crescente aproximação entre as políticas sectoriais de conservação da natureza, de ordenamento do território e de desenvolvimento rural, as ferramentas de informação sobre o património natural e os promotores das suas dinâmicas revelam-se fundamentais para o correcto planeamento do território e para uma gestão ecologicamente sustentável da paisagem. O território Português possui uma excepcional diversidade de ecossistemas, que albergam uma notável quantidade de espécies de flora e fauna.

Dinâmica contemporânea dos sistemas tradicionais de uso dos recursos naturais em Trás-os-Montes: um exemplo prático da aplicação da fitossociologia

Aguiar, Carlos
Fonte: Instituto Politécnico de Bragança Publicador: Instituto Politécnico de Bragança
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
POR
Relevância na Pesquisa
26.86%
Os relatos de escassez de árvores em Trás-os-Montes remontam ao início da Idade Moderna. No final do séc. XIX, na região, chegou-se a recolher esterco de bovino para produzir calor. As causas da intensa desarborização das paisagens transmontanas, e de todo o mediterrânico, não são consensuais. Com base na bibliografia agronómica regional testaram-se duas hipóteses relacionadas entre si: 1) a agricultura foi o grande motor da desarborização na Terra Fria Transmontana e, implicitamente, das montanhas mediterrânicas; 2) a floresta desapareceu porque ocultava no lenho ou no solo algo que a agricultura sempre necessitou: nutrientes. Um estudo de caso centrado na aldeia de Zedes (Carrazeda de Ansiães), no início da década de 1920, mostrou que o nutrient mining nas áreas de monte era insuficiente para fertilizar as áreas de cultivadas com centeio e que pouco espaço poderia sobrar para a floresta. No desenvolvimento do modelo houve que segmentar a qualidade terra para precisar tipos de uso. Geralmente, para o efeito recorre-se a informação pedológica. Na apresentação argumenta-se que a informação fitossociológica é de enorme utilidade em estudos deste género sendo, provavelmente, mais objetiva do que a utilização acrítica de cartas de solos.

O novo catálogo da vegetação portuguesa (Continente, Açores e Madeira): descrição e importância para a conservação da flora e dos habitats

Costa, José C.; Neto, Carlos; Aguiar, Carlos; Capelo, J.; Espírito-Santo, M.D.; Honrado, João José; Pinto-Gomes, Carlos; Monteiro-Henriques, T.; Sequeira, Miguel; Lousã, Mário
Fonte: ALFA-Associação lusitana de Fitossociologia Publicador: ALFA-Associação lusitana de Fitossociologia
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
POR
Relevância na Pesquisa
26.86%
In this work we propose a syntaxonomic scheme, according to the Code of Phytosociological Nomenclature for the vegetation of Portugal: continental and the Azores and Madeira archipelagos. The scheme encompasses 827 associations (4 communities), 245 alliances, 116 orders, and 64 vegetation classes. The 58 suballiances, 2 suborders and 4 subclasses, are also mentioned, as auxiliary ranks. For the higher syntaxa down to suballiance level, succinct ecological, physiognomic and chorological diagnosis has been made, and the characteristic species are related. New syntaxa names and corrections are described and listed in Annex I. It is also presented a floristic catalogue sheet with the syntaxonomic optimal for each taxon (Annex III). This list contains 2930 taxa.

Florística, fitossociologia e dinâmica de duas florestas secundárias antigas com histórias de uso diferentes no nordeste do Pará-Brasil. ; Floristic, phitosociology and dinamic of two old secondary forests with different history of use in the northeastern Pará-Brazil.

Melo, Marcelo Santos
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 24/09/2004 PT
Relevância na Pesquisa
26.86%
O incremento do processo de substituição da floresta amazônica por áreas agrícolas e seu posterior abandono, têm resultado num número crescente de fragmentos de florestas secundárias. Com o objetivo de contribuir com o entendimento da dinâmica dessas áreas, analisou-se a composição florística, a fitossociologia, o ingresso, a mortalidade, o crescimento dos indivíduos arbóreos e as relações do solo com o crescimento em diâmetro, densidade e área basal total de duas florestas secundárias (Marituba e Bragança, NE, PA) com diferentes histórias de degradação e mesma idade de abandono. Foram instaladas 4 parcelas permanentes de 50x50m, subdivididas em 25 com de 10x10m, em cada área, onde amostrou-se todas as árvores com DAP >5cm. Em Marituba as medições foram em 1997, 2000 e 2002, e em Bragança, 1999, 2000, 2001 e 2002. O solo foi coletado nas profundidades de 0- 5cm, 5-15cm e 15-25cm, nas subparcelas pares das áreas. No primeiro levantamento de Marituba foram encontrados 1.257 indivíduos e 185 espécies. No último levantamento houve redução de 4,1% de indivíduos e aumento de 8,1% de espécies, com H´ = 4,42nats/indivíduo. Em Bragança, foram encontrados em 1999, 1.819 indivíduos e 136 espécies. No último levantamento...

Manguezais do sistema estuarino de Santos (SP): Estrutura e produção de Serapilheira; Mangroves of Santos Estuarine System (SP): Structure and Litter Production

Schmiegelow, João Marcos Miragaia
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 13/11/2009 PT
Relevância na Pesquisa
26.86%
Informações sobre a fitossociologia e produção de serapilheira foram obtidas em 20 transversais distribuídas ao longo dos manguezais do sistema estuarino de Santos. Em cada transversal avaliou-se a estrutura do bosque em quatro parcelas de 100 m2 e a produção mensal da serapilheira coletada em 12 cestos ao longo de um ano. Analisou-se o conjunto de dados principalmente no nível de paisagem, encontrando-se que os descritores fitossociológicos não revelaram diferenças significativas ao longo do gradiente de inundação, embora ao mesmo tempo, os bosques tenham mostrado grandes variações desses descritores. As espécies Rhizophora mangle e Avicennia schaueriana mostraram valores de importância (sensu Curtis) estatisticamente iguais e substancialmente maiores que de Laguncularia racemosa. A produção de serapilheira, ao contrário, mostrou diferença significativa conforme a distância da água. O conjunto de dados foi submetido à análise de agrupamento e de componentes principais. A análise conjunta desses resultados permitiu verificar que os bosques foram agrupados, em quatro grupos: um com características de bosque mais maduro, outro bem mais jovem e os outros dois grupos revelaram-se intermediários e menos definidos. Verificou-se que a grande diversidade estrutural observada pode ser atribuída fundamentalmente ao fato do manguezal do sistema estuarino de Santos estar implantado em um ambiente com geomorfologia complexa...

Arenização e fitossociologia da vegetação de campo no município de São Francisco de Assis, RS

Freitas, Elisete Maria de
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.28%
Com o objetivo de conhecer a composição florística, a fitossociologia e a dinâmica vegetacional em parcelas de campos limpos do sudoeste do RS, foi desenvolvido um estudo em uma área de campo nativo submetido a pastejo contínuo. A área de estudo está situada ao longo dos sedimentos de fundo de vale da encosta de um morro tabular, no município de São Francisco de Assis, RS. Nesta área foram delimitadas duas subáreas com diferentes características com relação ao processo de arenização: subárea 01, com arenização, e subárea 02, sem ocorrência do processo. Para a florística, as subáreas foram percorridas de fevereiro de 2004 a junho de 2005, quando foi coletado material em estágio reprodutivo. Foram listadas 77 espécies pertencentes a 22 famílias na subárea 01 e 86 espécies pertencentes a 24 famílias na subárea 02. Para a fitossociologia foram inventariadas 35 unidades amostrais permanentes, de 0,25 m², em cada subárea. Foi registrada a cobertura de todas as espécies vegetais vasculares, mantilho e solo exposto em setembro de 2004, janeiro e maio de 2005 nas duas subáreas. Nos três levantamentos da subárea 01, solo exposto, Paspalum stellatum H. & B. ex Fl. e P. nicorae Parodi, detiveram as maiores coberturas e...

Florística e fitossociologia de um campo manejado na Serra do Sudeste, Rio Grande do Sul

Caporal, Francisco José Machado; Boldrini, Ilsi Iob
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.12%
(Florística e fitossociologia de um campo manejado na Serra do Sudeste, Rio Grande do Sul, Brasil). Foram realizados levantamentos florísticos e fitossociológicos em uma área de campo, pastejada por ovinos e bovinos, no município de Canguçu, na Serra do Sudeste, RS. Para o presente estudo foram avaliadas 43 parcelas permanentes de 0,25m2, com base em parâmetros fitossociológicos. Foram encontradas 173 espécies, distribuídas em 115 gêneros e 34 famílias. Em número de espécies, destacaram-se as famílias Poaceae (58 spp.), Asteraceae (20 spp.), Cyperaceae (14 spp.) e Fabaceae (10 spp.). Na análise fotossociológica registraram-se 104 espécies, além de mantilho, matéria seca e solo descoberto. Paspalum notatum Flügge, Axonopus affinis Chase e Lolium multiflorum Lam. foram as espécies que apresentaram os maiores valores de freqüência absoluta e cobertura relativa. Quanto à forma de vida, predominaram as hemicriptófitas (63,46%) e as geófitas (18,27%). Quanto ao ciclo de vida, predominaram as gramíneas megatérmicas (68,42%).; (Floristic and fitossociology of a managed grassland in Serra do Sudeste, Rio Grande do Sul, Brazil). Floristic and fitossociological surveys were performed in area grazed by cows and domestic sheep...

Composição florística e fitossociologia de espécies arbóreas do Parque Fenológico da Embrapa Amazônia Ocidental

Silva,Kátia Emídio da; Matos,Francisca Dionizia de Almeida; Ferreira,Marcelo Marques
Fonte: Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia Publicador: Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2008 PT
Relevância na Pesquisa
37.12%
Este trabalho objetiva avaliar a composição florística e a fitossociologia de espécies arbóreas do parque fenológico da Embrapa Amazônia Ocidental no Distrito Agropecuário da Suframa (DAS), Manaus-AM, a fim de subsidiar seleções futuras de árvores matrizes visando estudos fenológicos e a implantação de áreas de coleta de sementes. Foram alocadas aleatoriamente 20 parcelas de 10m x 50 m ao longo de um transecto, amostrando-se todos os indivíduos com diâmetro a 1,30 m do solo, (DAP) ≥ 20,0 cm. Foram registrados 240 indivíduos, distribuídos em 100 espécies, 70 gêneros e 29 famílias. As famílias de maior importância ecológica são, em ordem decrescente, Lecythidaceae, Sapotaceae, Mimosaceae, Caesalpiniaceae, Chrysobalanaceae, Fabaceae, Humiriaceae, Moraceae, Vochysiaceae e Apocynaceae. Essas famílias contribuem com 67% da riqueza local de espécies e com 75,8% do número de indivíduos, sugerindo que a diversidade vegetal da área está concentrada em poucas famílias. A família Lecythidaceae possui os maiores valores de dap e número de indivíduos, sendo Sapotaceae a que possui a maior riqueza de espécies na área. As espécies mais importantes, segundo o Índice de Valor de Importância-IVI, são Eschweilera coriacea (DC) S.A. Mori; Qualea paraensis Ducke; Vantanea macrocarpa Ducke; Eschweilera atropetiolata< S.A. Mori; Couratari stellata A.C. Sm.; Lecythis usidata Miers; Eperua duckeana R.S. Cowan; Eschweilera amazonica R. Knuth e Chrysophyllum manaosense (Aubr.) T.D. Penn. O valor do índice de diversidade de Shannon de 2...

Análise comparativa da florística e fitossociologia da vegetação arbórea do cerrado sensu stricto na Chapada Pratinha, DF - Brasil

Felfili,Jeanini Maria; Silva Jr,Manoel Cláudio da; Rezende,Alba Valéria; Machado,José Wagner B.; Walter,Bruno M. Teles; Silva,Paulo Ernane N. da; Hay,John Duvall
Fonte: Sociedade Botânica do Brasil Publicador: Sociedade Botânica do Brasil
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/1992 PT
Relevância na Pesquisa
37.12%
Foram selecionadas seis áreas de estudo, Estação Ecológica de Aguas Emendadas-DF, Parque Nacional de Brasília-DF, APA Gama-Cabeça do Veado-DF, Silvânia-GO, Paracatu-MG e Patrocínio-MG na Chapada Pratinha (15-20º S e 46-49º W), três delas em unidades de conservação e três fora delas. Em cada área foram amostradas 10 parcelas de 1000 m² (20x50m). Todas as árvores a partir de 5 cm de diâmetro na base do tronco foram medidas e identificadas. A florística e a fitossociologia de cada área foi analisada e estas foram comparadas entre si pelos índices de similaridade de Sørense e de Morisita. No total foram encontradas 139 espécies e 42 famílias sendo que apenas 22 espécies foram comuns a todas as áreas. Leguminosae e Vochysiaceae apresentaram valores de importância elevados em todas as áreas. As densidades por ha variaram de 664 a 1396. Os índices de diversidade de Shannon variaram de 3,11 a 3.56. As similaridades foram altas pelo índices de Sorensen, de 0,5 a 0,7, porém baixas pelo de Morisita quando se comparou as áreas de Paracatu e Patrocínio com as demais áreas. Foi concluído que as diferenças florísticas e principalmente estruturais foram elevadas entre estas duas áreas que são mais distantes e se situam a menores altitudes do que aquelas situadas nas unidades de conservação existentes na chapada sendo sugerida a criação de novas unidades nestes Municípios.

Comparação da vegetação arbórea e características edáficas de um cerradão e um cerrado sensu stricto em áreas adjacentes sobre solo distrófico no leste de Mato Grosso, Brasil

Marimon Junior,Ben Hur; Haridasan,Mundayatan
Fonte: Sociedade Botânica do Brasil Publicador: Sociedade Botânica do Brasil
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2005 PT
Relevância na Pesquisa
27.12%
Em alguns casos, cerrado sensu stricto e cerradão ocorrem lado a lado e sob condições edáficas e topográficas semelhantes. Como os fatores que contribuem para a ocorrência de cerradão nessas situações ainda não estão totalmente esclarecidos, o objetivo do presente estudo foi comparar a composição florística e a fitossociologia de um cerradão e um cerrado sensu stricto no leste mato-grossense e verificar se maior fertilidade do solo estava contribuindo para a ocorrência do cerradão. Em cada comunidade foi realizado um levantamento florístico e fitossociológico em 50 parcelas de 10 m×10 m, onde foram medidas todas as árvores com diâmetro maior do que 5 cm a 30 cm do solo. Foram coletadas amostras de solos de um perfil de 2 m de profundidade em cada área e amostras superficiais (0-10 e 10-20 cm). As fitofisionomias foram distintas quanto a florística, estrutura e fitossociologia. A área basal (21,4 m² ha-1) e altura média (6,4 m) do cerradão foram maiores do que as do cerrado sensu stricto (14,9 m² ha-1 e 3,7 m). No cerradão, as três espécies mais importantes foram Hirtella glandulosa Spreg., Sclerolobium paniculatum Vog. e Xylopia aromatica (Lam.) Mart., somando 29% do Índice do Valor de Importância (IVI) total e no cerrado sensu stricto...

Fitossociologia e distribuição diamétrica em floresta de várzea do estuário do Rio Amazonas no Estado do Amapá.

QUEIROZ, J. A. L. de.
Fonte: 2004. Publicador: 2004.
Tipo: Teses/dissertações (ALICE) Formato: 101 f.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.12%
Introdução; Objetivos; Revisão da literatura; O estuário do Rio Amazonas; A várzea do estuário amazônico; A várzea estuarina do braço norte do Rio Amazonas; O açaí e os açaizais; Vegetação e uso da terra; A estrutura da floresta de várzea; Fitossociologia, amostragem e área de estudo. Material e métodos; Análise da estrutura da floresta; Resultados e discussão; Composição florística; Estrutura da floresta; Importância socio-econômica dos açaizais; Conclusões e recomendações; Referências bibliográficas; Anexos.; 2004; Tese Mestrado. Curitiba: UFPR.

Florística e fitossociologia em parcelas permanentes da Mata Atlântica do sudeste do Brasil ao longo de um gradiente altitudinal; Floristic and phytosociology in permanent plots of the Atlantic Rainforest along an altitudinal gradient in southeastern BrazilFloristic and phytosociology in permanent plots of the Atlantic Rainforest along an altitudinal gradient in southeastern Brazil

Joly, Carlos Alfredo; Assis, Marco Antonio; Bernacci, Luis Carlos; Tamashiro, Jorge Yoshio; Campos, Mariana Cruz Rodrigues de; Comes, Jose Ataliba Mantelli Aboin; Lacerda, Maryland Sanchez; Santos, Flavio Antonio Maes dos; Pedroni, Fernando; Pereira, Lari
Fonte: REVISTA BIOTA NEOTROPICA; CAMPINAS Publicador: REVISTA BIOTA NEOTROPICA; CAMPINAS
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
27.12%
Este trabalho resume os dados de florística e fitossociologia de 11, das 14 parcelas de 1 ha, alocadas ao longo do gradiente altitudinal da Serra do Mar, São Paulo, Brasil. As parcelas começam na cota 10 m (Floresta de Restinga da Praia da Fazenda, município de Ubatuba) e estão distribuídas até a cota 1100 m (Floresta Ombrófila Densa Montana da Trilha do rio Itamambuca, município de São Luis do Paraitinga) abrangendo os Núcleos Picinguaba e Santa Virgínia do Parque Estadual da Serra do Mar. Na Restinga o solo é Neossolo Quartzarênico francamente arenoso, enquanto que na encosta o solo é um Cambisolo Háplico Distrófico argilo-arenoso, sendo que todas as parcelas apresentaram solo ácido (pH 3 – 4) com alta diluição de nutrientes e alta saturação de alumínio. Na Restinga e no sopé da encosta o clima é Tropical/Subtropical Úmido (Af/Cfa), sem estação seca, com precipitação média anual superior a 2.200 mm e temperatura média anual de 22 °C. Subindo a encosta mantêm-se a média de precipitação, mas há um gradativo resfriamento, de forma que a 1.100 m o clima é Subtropical Úmido (Cfa/Cfb), sem estação seca, com temperatura média anual de 17 °C. Destaca-se ainda que, quase diariamente...

Composição florística e fitossociologia do cerrado sentido restrito no Município de Água Boa – MT

Felfili, Jeanine Maria; Silva, Paulo Ernane Nogueira da; Silva Júnior, Manoel Cláudio da; Marimon, Beatriz Schwantes; Delitti, Welington Braz Carvalho
Fonte: Sociedade Botânica do Brasil Publicador: Sociedade Botânica do Brasil
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
27.12%
3/4(Composição florística e fitossociologia do cerrado sentido restrito no município de Água Boa 3/4 MT). O estudo foi conduzido no município de Água Boa, no Vale do Araguaia, área de ecótono entre o Cerrado e Amazônia, que apresenta um complexo vegetacional com o predomínio do cerrado. O objetivo deste trabalho foi estudar a composição florística e a fitossociologia do cerrado sentido restrito na região. Foram alocadas dez parcelas de 20x50m (1000m²). Entraram na amostragem todos os indivíduos lenhosos com diâmetro no nível do solo igual ou superior a 5cm. Além da amostragem com identificação in loco das espécies, foram efetuadas incursões de coleta em áreas próximas, para ampliar o levantamento da composição florística. Foram encontradas 34 famílias botânicas, contendo 60 gêneros e 80 espécies. A família Leguminosae apresentou o maior número de espécies (10), seguida por Myrtaceae (7), Vochysiaceae (6) e Malpighiaceae (5). Outras 19 famílias foram representadas por uma única espécie. As espécies com maior Índice de Valor de Importância foram Curatella americana L., Qualea parviflora Mart., Callisthene fasciculata Mart., Mezilaurus crassiramea (Meiss) Taub. e Byrsonima crassa Nied. Treze espécies estiveram representadas por um único indivíduo. A densidade foi de 995 indivíduos/ha e a área basal de 7...

Florística, fitossociologia e a influência do gradiente de umidade do solo em campos limpos úmidos no Parque Estadual do Jalapão, Tocantins

Rezende, João Marcelo de
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
PT_BR
Relevância na Pesquisa
27.12%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Tecnologia, Departamento de Engenharia Florestal, 2007.; O presente trabalho consiste no levantamento florístico e fitossociológico de campos limpos úmidos em veredas no Parque Estadual do Jalapão (PEJ) e da influência da umidade do solo na distribuição das espécies. Esta Unidade de Conservação (UC), situada no leste do estado de Tocantins, juntamente com a Estação Ecológica Serra Geral do Tocantins (EESGTO) constituem a maior área contínua do bioma Cerrado preservado sob o regime de Proteção Integral. Ambas abrigam cerca de 870.000 hectares de fitofisionomias típicas do bioma em bom estado de conservação. Entre agosto de 2004 e agosto de 2006 foram feitas coletas trimestrais de espécies nos campos limpos úmidos na região de estudo e em agosto-setembro de 2005, foi feito levantamento fitossociológico em três campos limpos úmidos nas veredas Bebedouro, Extrema e Veados, dentro do PEJ. Em agosto de 2006, foi feita coleta de solo para determinação dos teores de umidade em cada unidade amostral e a determinação da inclinação do terreno nas três veredas. Foram identificadas 136 espécies de 63 gêneros, distribuídas em 32 famílias. As famílias com maior número de espécies foram Poaceae (29)...

Fitossociologia de um fragmento de cerrado sensu stricto na APA do Paranoá, DF, Brasil

Assunção,Sérgio Lelis; Felfili,Jeanine Maria
Fonte: Sociedade Botânica do Brasil Publicador: Sociedade Botânica do Brasil
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2004 PT
Relevância na Pesquisa
37.12%
Este estudo foi conduzido no Distrito Federal, no Centro Olímpico da Universidade de Brasília. O local é um dos poucos remanescentes de vegetação natural no perímetro urbano de Brasília. O objetivo do trabalho foi estudar a composição florística e a fitossociologia do cerrado sensu stricto, visando obter subsídios para um plano de conservação da área. Foram alocadas aleatoriamente dez parcelas de 20×50m (1.000m²). Foram incluídos na amostragem todos os troncos com diâmetro maior ou igual a 5cm, obtidos a 30cm do solo. Foram amostradas 54 espécies distribuídas em 44 gêneros e 30 famílias. A família Leguminosae apresentou o maior número de espécies (9), seguida da Malpighiaceae (4) e Vochysiaseae (4). As espécies com maior Índice do Valor de Importância foram Stryphnodendron adstringens (Mart.) Coville, Styrax ferrugineus Nees & Mart., Ouratea hexasperma (A. St.-Hill.), Caryocar brasiliense Cambess. e Kielmeyera coriacea (Spreng.) Mart. O índice de Shannon (H'= 3,41) comprovou a alta diversidade da área. A densidade foi de 882 árvores por hectare e a área basal de 9,53m²/ha.

Composição florística e fitossociologia do componente arbóreo das florestas ciliares da Bacia do Rio Tibagi: 3. Fazenda Bom Sucesso, Município de Sapopema, PR

Silva,Francisco das Chagas e; Fonseca,Ésio de Pádua; Soares-Silva,Lúcia Helena; Muller,Cláudio; Bianchini,Edmilson
Fonte: Sociedade Botânica do Brasil Publicador: Sociedade Botânica do Brasil
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/1995 PT
Relevância na Pesquisa
37.12%
Foi estudada a composição florística e fitossociologia de lha de floresta ciliar, localizada às margens do rio Tibagi, no município de Sapopema, PR. (24º 01'S e 50º 41'W) e 780m de altitude. Para tanto, foi demarcada uma parcela de 100X100m subdividida em 100 subparcelas contíguas de 10X10m, utilizando como critério de inclusão um DAP mínimo de 5cm. Foram amostrados 1560 indivíduos reunidos em 41 famílias, 82 gêneros e 125 espécies. O índice de diversidade (Shannon-Weaner) foi de H'=4,2. As espécies mais importantes no levantamento foram Anadenanthera colubrina, Casearia sylvestris, Luehea divaricata, Esenbeckia febrífuga e Parapiptadenia rigida. As famílias com maior número de indivíduos amostrados foram Fabaceae (214) e Myrtaceae (209), tendo esta apresentado o maior número de espécies (18).

Florística e fitossociologia de uma comunidade vegetal espontânea em áreas degradadas por mineração de carvão a céu aberto, Siderópolis, Santa Catarina, Brasil

Lorenzi, Guilherme de
Fonte: Universidade do Extremo Sul Catarinense Publicador: Universidade do Extremo Sul Catarinense
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso - TCC
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.12%
Trabalho de Conclusão de Curso, apresentado para obtenção do grau de Bacharel no curso de Ciências Biológicas da Universidade do Extremo Sul Catarinense, UNESC.; A indústria carbonífera há muito tempo vem praticando a extração mineral na região sul de Santa Catarina. No passado alguns dos métodos utilizados em suas atividades, acabaram gerando grandes implicações ambientais. Um dos principais efeitos causados durante a extração de carvão resulta na inversão das camadas do solo, que originou pilhas de estéreis, geralmente cônicas, formadas por siltitos, folhelhos e arenitos, chegando a atingir 20m de altura. Esta inversão criou grandes limitações, principalmente devido à compactação dos solos e ao baixo teor de nutrientes. Contudo, a busca pela recuperação destas áreas se tornou essencial, onde os levantamentos florísticos e fitossociológicos representam a peça chave na recuperação e manutenção da biodiversidade. Este estudo teve por objetivo avaliar a estrutura florística e fitossociológica de uma comunidade vegetal estabelecida sobre pilhas de estéreis, decorrentes da mineração de carvão a céu aberto. O trabalho foi realizado no Campo Vila Funil, município de Siderópolis/SC, onde se aplicou o método de parcelas para o levantamento de dados de uma comunidade vegetal espontânea sobre pilhas de estéreis...

Abstract Structure and diversity of the arboreal synusia on a hillside forest, on Serra do Itajai National Park, Santa Catarina State, Southern Brazil.; ESTRUTURA E DIVERSIDADE DO COMPONENTE ARBÓREO DE FLORESTA ATLÂNTICA NO PARQUE NACIONAL DA SERRA DO ITAJAÍ, SANTA CATARINA

Caglioni, Eder; Universidade Federal do Paraná; Curcio, Gustavo Ribas; Embrapa Florestas; Uhlmann, Alexandre; Embrapa Florestas; Bonnet, Annete; Embrapa Pesca e Aquicultura
Fonte: FUPEF DO PARANÁ Publicador: FUPEF DO PARANÁ
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf
Publicado em 01/09/2014 POR
Relevância na Pesquisa
27.12%
Este estudo objetivou caracterizar um segmento arbóreo/arbustivo de Floresta Ombrófila Densa Submontana em paisagem de encosta, a partir da margem de um ribeirão em Blumenau/SC, em solos não hidromórficos, bem como analisar sua estrutura associando-se as características geopedológicas. Realizou-se contextualização pedossequencial da encosta, ao longo da qual foram instaladas 33 parcelas de 100 m2 cada, amostrando-se todos os indivíduos com PAP ≥ 15 cm. Foram calculados parâmetros fitossociológicos e índice de diversidade, assim como elaboraram-se gráficos de altura das espécies por terço da encosta e confeccionou-se a curva de rarefação de espécies, para comparar com outros levantamentos fitossociológicos da Bacia Hidrográfica do Itajaí. Foram identificados, nos terços inferior, médio e superior da encosta, Neossolo Flúvico, Neossolo Regolítico e Cambissolo Háplico, respectivamente. Foram amostradas 114 espécies, representadas principalmente por Myrtaceae, Lauraceae e Rubiaceae. O índice de diversidade de Shannon (H’) foi elevado (4,13 nats/ind). A altura das espécies diminuiu do terço inferior para o superior da encosta. A curva de rarefação formou dois grupos de similaridade. Conclui-se que a área pesquisada possui elevada riqueza e que a heterogeneidade física da encosta influenciou a altura e a inclinação da vegetação ao longo da mesma...

Phytosociology of the Cerrado tree species in nearby sanitary landfill areas.; FITOSSOCIOLOGIA DAS ESPÉCIES ARBÓREAS NATIVAS DE CERRADO EM ÁREAS ADJACENTES A DEPÓSITOS DE RESÍDUOS DOMICILIARES

Santana, Otacílio Antunes; Imaña-Encinas, José
Fonte: FUPEF DO PARANÁ Publicador: FUPEF DO PARANÁ
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf
Publicado em 25/03/2010 POR
Relevância na Pesquisa
37.12%
The sanitary landfills are established in the adjacent areas of the native phytophysiognomies. This work aimed in adjacent areas of the sanitary landfills, and in control areas to sample and to compare the composition of Cerrado tree species. The landfill presence did not influence in the native tree species of Cerrado, and its presence influenced the spatial distribution of the species. Three standards to value importance were observed, from landfill to farther areas: i) enhance of the values; ii) reduction of the values; and iii) not significant enhance or reduction.; Os depósitos de resíduos domiciliares são construídos em áreas adjacentes a fitofisionomias nativas. Os objetivos deste trabalho foram, em áreas adjacentes a aterros e em áreas-controle, realizar e comparar o levantamento da composição das espécies arbóreas nativas de Cerrado. A presença de aterros sanitários não influenciou na diversidade arbórea nativa de Cerrado, mas na distribuição espacial das espécies. Três padrões para distribuição dos valores de importância, a partir do aterro para regiões mais distantes...

Fitossociologia de uma área de cerrado no inselberg “Morro São João”, município de Porto Nacional, Tocantins

Rolim, Pâmela Lavor; Silva, Wagner Matos; Chaves, Alba Lucilvânia Fonseca
Fonte: Journal of Biotechnology and Biodiversity Publicador: Journal of Biotechnology and Biodiversity
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 25/06/2013 POR
Relevância na Pesquisa
27.12%
O bioma Cerrado originalmente cobria cerca de dois milhões de km2 do país. A ocorrência das diferentes fitofisionomias de Cerrado é freqüentemente dependente de várias propriedades. A região de Porto Nacional está inserida neste bioma e, a área de estudo, por conseqüência, reflete o mesmo. Assim, o presente trabalho teve como objetivo caracterizar a estrutura fitossociologica do topo plano do morro “São João”. A área de estudo está localizada a 12 km da área urbana de Porto Nacional, onde foi realizado o método de quadrantes em um ponto. Os dados foram tomados em 100 pontos distantes 5 m entre si, sendo amostrados os indivíduos que apresentaram perímetro basal (PB) ≥ a 10cm . A família Velloziaceae foi a que apresentou maior numero de indivíduos, e Vochysiaceae a que apresentou maior índice de valor de importância. Como a área amostrada encontrava indícios de fogo recente, o grande número de Velloziaceae é coerente tendo em vista de tratar-se de uma espécie formadora de tapetes de monocotiledôneas; e Vochysiaceae possui grande importância por ser tolerante e acumuladora de alumínio, comum nos solos do cerrado, sendo o estado vegetacional encontrado concordante com o ambiente de altitude e exposto ao fogo...