Página 1 dos resultados de 2058 itens digitais encontrados em 0.037 segundos

A construção da metalingüística (fragmentos de uma ciência da linguagem na obra de Bakhtin e seu círculo).

Souza, Geraldo Tadeu
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 14/06/2002 PT
Relevância na Pesquisa
96.12%
O estudo teórico da obra de Bakhtin e seu Círculo demanda um aprofundamento em vários contextos: um estudo historiográfico da obra em relação ao contexto russo de sua produção; um estudo comparativo das traduções em que a obra, escrita originariamente em russo, circula e é interpretada no Ocidente; e a busca de uma, entre múltiplas entradas na obra, que nos permita avançar nos seus estudos da linguagem. Neste trabalho, recuperamos fragmentos da construção de uma ciência da linguagem - a Metalingüística -, comparando duas obras de 1929 - Marxismo e Filosofia da Linguagem (Volochinov) e Problemas da obra de Dostoiévski (Bakhtin) - com a segunda edição do livro de Bakhtin sobre Dostoiévski - Problemas da poética de Dostoiévski (1963), onde Bakhtin menciona pela primeira vez, publicamente, essa nova ciência. Essa comparação revelou que já nos livros de 1929, o objeto da Metalingüística - as relações dialógicas e a palavra bivocal - estavam propostos; e que há uma transição de uma Filosofia marxista da linguagem e uma Sociologia da palavra, nos primeiros, para a Metalingüística. Na primeira parte da tese, levantamos alguns aspectos gerais da obra tais como: 1) as relações das fontes primárias com o contexto histórico russo; e 2) alguns problemas de tradução de categorias relacionados com o nosso tema. A segunda parte...

A filosofia da linguagem de V. Voloshinov e o conceito de ideologia

Narzetti, Claudiana
Fonte: Universidade Estadual Paulista Publicador: Universidade Estadual Paulista
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
96.02%
Este trabalho trata da concepção de ideologia que atravessa e constitui a filosofia da linguagem de V. Voloshinov, um dos membros do Círculo de Bakhtin. Ele tem por objetivo lançar novas luzes sobre alguns pontos complexos e delicados da concepção global de ideologia sustentada por Voloshinov, acerca dos quais os estudiosos do grupo russo ainda não chegaram a uma definição ou a um consenso. A exposição se organiza em torno de três pontos: 1) a ideologia enquanto elemento estrutural da sociedade; 2) a ideologia enquanto campo dos signos; 3) a ideologia enquanto representações do real. A reflexão centra-se nas formulações nas quais Voloshinov avança com base naquilo que suas fontes teóricas já haviam proposto, principalmente no que tange à articulação da ideologia com a linguagem. Espera-se que o trabalho possa chamar a atenção para a importância de uma recuperação desse conceito e de sua articulação com outros formulados ao longo da trajetória teórica do Círculo de Bakhtin, como o de diálogo, com vistas a um enriquecimento cada vez maior dos trabalhos de análise do discurso de orientação bakhtiniana.

A filosofia da linguagem, as tecnologias educacionais e a educação matematica : Piaget, Vigotsky e Wittgenstein como paradgmas epistemologicos referenciais

Luiz Maggi
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 24/02/2006 PT
Relevância na Pesquisa
86.08%
Esta pesquisa tem como objetivo compreender o funcionamento da linguagem e o seu papel estruturante na formulação de falas, textos e discursos acerca do processo de utilização da tecnologia pela Educação, tomando o contexto amplo formado pela sociedade e pela sua evolução histórica e econômica, a partir de referenciais da filosofia da linguagem. Para tal realizou-se uma análise crítica acerca dos fundamentos filosóficos e epistemológicos das concepções de homem, sociedade e mundo de um conjunto de textos, relatórios de pesquisas e outros materiais, procurando revelar a forma como os discursos se estruturam em textos especializados; se tais textos levam em consideração as relações sociais existentes, a evolução histórica de seu objeto de pesquisa e o fato de que esses fatores são determinantes para o modo como se dá a apropriação do conhecimento. Partiu-se do principio de que a formação da moderna sociedade capitalista, que trata as relações sociais como mercadoria, permitindo o acesso a essas somente para aqueles indivíduos que podem adquiri-las mediante transferência de capital, também se manifesta na esfera educacional, onde o uso da tecnologia, embora visto como uma necessidade da atualidade, segue o mesmo padrão estrutural. Com base nesse princípio geral buscou-se mostrar que as pesquisas relacionadas ao uso do computador e da tecnologia...

Margens das filosofias da linguagem

Cabrera, Julio
Fonte: Editora Universidade de Brasília Publicador: Editora Universidade de Brasília
Tipo: Livro
POR
Relevância na Pesquisa
86%
Um livro, muitos livros; O presente é, pois, muitos livros. É, pelo menos, os seguintes livros: a) um livro de introdução à filosofia da linguagem, no sentido plural antes apontado, que poderá, até mesmo, ser utilizado em cursos dessa disciplina (sendo ele mesmo um livro surgido fundamentalmente de cursos, ou seja, de uma experiência docente, e não de investigação pura); b) um livro de metafilosofia que expõe e exemplifica uma maneira de fazer filosofia, seguindo uma visão bas­tante pessoal (pluralista e negativa) do mundo; c) adicionalmente, o leitor pode­rá também considerá-lo como (mais!) um livro sobre Wittgenstein (lendo seqüencialmente os itens 1.5, II.3, III.2.3 e III.3.3), na medida em que este singular filósofo foi sucessivamente submetido às mais diversas interpretações (analítica, hermenêutico-transcendental, marxiana), com o que se transformou numa espécie de amostra viva do confronto das múltiplas perspectivas a respeito da linguagem. Wittgenstein é mostrado, neste livro, como a personificação (involuntária?) do pluralismo de perspectivas.

O conceito de «energueia» : na filosofia da linguagem de Eugenio Coseriu

Cristea, Simion Doru, 1965-
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
96.27%
Tese de doutoramento, Filosofia (Filosofia da Linguagem), Universidade de Lisboa, Faculdade de Letras, 2011; A questão da linguagem é fulcral para a auto-compreensão do humano e para a determinação do carácter fundamental do ser. Ao contrário da visão materialista e positivista que enforma a inteligibilidade do mundo contemporâneo e tende a relegar a linguagem para um plano subsidiário do mundo no qual se inscreve a nossa experiência, a linguagem é constituinte do próprio mundo. A justificação do título desta tese de doutoramento: O conceito de «energueia» na filosofia da linguagem de Eugenio Coseriu incorpora várias valências deste conceito na obra de Coseriu: 1) É um dos conceitos-chave da sua obra, desempenhando nela uma função estruturante e inteligibilizadora. 2) O seu conteúdo elucida e determina o carácter próprio do ser humano, que se forma na e pela actividade da fala. 3) A linguagem é entendida como um contínuo processo semântico criativo. 4) Abre caminho para todos os outros conceitos e termos filosóficos, técnicos e científicos. 5) Coseriu interpreta e cria teorias com base neste conceito. Estabelece uma conexão entre os conceitos constitutivos de fala, norma, língua, pensamento com os conceitos interpretativos de sistema (estrutura)...

A filosofia da linguagem de V. Voloshinov e o conceito de ideologia

Narzetti,Claudiana
Fonte: Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho Publicador: Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2013 PT
Relevância na Pesquisa
96.02%
Este trabalho trata da concepção de ideologia que atravessa e constitui a filosofia da linguagem de V. Voloshinov, um dos membros do Círculo de Bakhtin. Ele tem por objetivo lançar novas luzes sobre alguns pontos complexos e delicados da concepção global de ideologia sustentada por Voloshinov, acerca dos quais os estudiosos do grupo russo ainda não chegaram a uma definição ou a um consenso. A exposição se organiza em torno de três pontos: 1) a ideologia enquanto elemento estrutural da sociedade; 2) a ideologia enquanto campo dos signos; 3) a ideologia enquanto representações do real. A reflexão centra-se nas formulações nas quais Voloshinov avança com base naquilo que suas fontes teóricas já haviam proposto, principalmente no que tange à articulação da ideologia com a linguagem. Espera-se que o trabalho possa chamar a atenção para a importância de uma recuperação desse conceito e de sua articulação com outros formulados ao longo da trajetória teórica do Círculo de Bakhtin, como o de diálogo, com vistas a um enriquecimento cada vez maior dos trabalhos de análise do discurso de orientação bakhtiniana.

Análise da linguagem: a condição de possibilidade dos enunciados filosóficos

Costa, Joice Beatriz da
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Tese de Doutorado
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
86.21%
Esta tese tem por objetivo a reflexão e a explicitação sobre o modo como lidamos com os enunciados no mundo empírico, a partir da proposta não-objetificante expressa na concepção da filosofia analítica da linguagem, de Ernst Tugendhat. No primeiro capítulo, procuramos demonstrar o lugar no qual se situa a questão da linguagem na filosofia contemporânea e, explicitar como ela pode ser tomada neste paradigma, não apenas como instrumento das análises filosóficas, mas como posição filosófica. Este capítulo procura colocar as questões que envolvem a linguagem na perspectiva filosófica. No segundo capítulo, nossa preocupação foi a de explicitar os conceitos com os quais a linguagem enquanto posição filosófica lida e seus pressupostos teóricos. Estes conceitos são o sentido, o significado, a referência, o mundo e, também, a concepção da formação de conceitos, de John McDowell, como modo de contraste com a concepção da semântica formal de Ernst Tugendhat. No terceiro capítulo, analisamos a filosofia analítica da linguagem de Tugendhat que, em primeiro lugar, pretende encontrar o próprio conceito de filosofia com o qual opera, conjuntamente com os demais conceitos filosóficos e, em segundo lugar, colocar a partir deste conceito a sua questão fundamental: “o que significa compreender uma sentença?”. Para isto ele analisa a questão do método da filosofia...

A filosofia da linguagem em Platão

Ribeiro, André Antônio
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Tese de Doutorado
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
86.11%
Na filosofia da Platão, as Idéias são postuladas para serem a referência extralingüística objetiva que garantiria a significabilidade da linguagem. O problema é que, tal como apresentada nos diálogos República e Fédon, a Teoria das Idéias tem graves inconsistências, sendo a não menos importante o fato de não explicar como as Idéias se relacionam com o mundo sensível, o que é o mesmo que dizer que elas são incognoscíveis. Platão, através de uma crítica à sua própria Teoria das Idéias e às concepções de linguagem defendidas pelos sofistas, reformulará, em aspectos importantes, a sua Teoria. O que queremos enfatizar neste trabalho é que, para essa reformulação, Platão utilizará a linguagem, tal como a usamos no dia-a-dia, como paradigma para resolver os problemas da Teoria das Idéias, de modo que ela possa, sem aporias, ajudar no entendimento das diferenças entre linguagem significativa e não-significativa. Ou seja: tentaremos mostrar que, se a Teoria das Idéias foi postulada para garantir a significação lingüística, a linguagem, por sua vez, servirá como modelo para ajudar a mesma Teoria a superar seus problemas.; In Plato’s philosophy, the Forms are postulated to be the objective extra-linguistical reference that assure the linguistic meaning. But theory of Forms in Republic and Phaedo has many inconsistencies. Plato...

Linguagem, cognição e mundo: o livro do desassossego e a construção discursiva da realidade; Linguagem, cognição e mundo: o livro do desassossego e a construção discursiva da realidade

Ferreira, Tânia Brisanti
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Estudos da Linguagem; Linguística Aplicada; Literatura Comparada Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Estudos da Linguagem; Linguística Aplicada; Literatura Comparada
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
86.05%
This study analyzes the processes of meaning construction in the Livro do Desassossego, by semi-heteronym Bernardo Soares - Fernando Pessoa. We use theoretical grounds from an interface between Cognitive Linguistics and Textual Linguistics to observe how certain linguistic mechanisms build a reality that tells us of a time, a being and his conceptions of language and writing. We focus on description and explanation of procedures of categorization and referentiation accomplished, for example, through metaphor and metonymy. For the construction of the intended theoretical interface, we use analytical categories proposed and developed by the Socio-cognitive Approach of Language, Conceptual Metaphor Theory and Mental Space Theory. Armed with this theoretical background, we observed the dynamics of language in relation to its social, cultural and historical features, as well as the cognitive aspects that underlie it. We seek, therefore, encourage discussions about the functioning of language considering primarily the creative processes that allow us to organize and shape our experiences. We also try to provide an approximation of Linguistics, Literature and Philosophy, with a view to relations between language structure, cognitive activity and socio-cultural organization. From the results obtained...

Filosofia da linguagem filosofia da História: origem do conceito de História de Walter Benjamin; Philosophy of Language - Philosophy of History: Origins of the concept of History Walter Benjamin

FREIRE JÚNIOR, Josias José
Fonte: Universidade Federal de Goiás; BR; UFG; Mestrado em História; Ciências Humanas Publicador: Universidade Federal de Goiás; BR; UFG; Mestrado em História; Ciências Humanas
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
106.22%
This work, named "Philosophy of Language - Philosophy of History presents some ideas about the concept of history of the German philosopher Walter Benjamin (1892-1940). It aims to establish a dialogue between conceptual nuances of the philosophy of language, theory of experience, philosophy of artworks and epistemology of Walter Benjamin to present the structure and the deployment of its design, its concept of history from his philosophy language. Such intent may be submitted by the assertion that in the origin - a category of Benjamin‟s philosophy - the concept of history Walter Benjamin is established within his philosophy of language. Thus this work opens with a commentary and analysis of two remarkable writings of German philosopher, where it states his philosophy of language. The reflection proposed in this work also involves examining a series of tests that appears in the theory of experience and by reflection on the essays of Walter Benjamin where the relationship between his philosophy of language and philosophy of artworks that illuminates. Finally unfolds analysis and commentary of the text's fundamental theory of knowledge and the concept of history, where the connections - the structure and deployment of the philosopher's concept of history appear more clearly within and in his philosophy of language. Back to the writings of Walter Benjamin from the landscape theory of history must mean the effort by to update his philosophy...

Em favor do comum : estudo sobre a formação da 'filosofia da linguagem comum'

Rocha, Ronai Pires da
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
96.06%
Este trabalho aborda o surgimento do movimento filosófico conhecido como “filosofia da linguagem comum”. O objetivo é oferecer uma nova perspectiva sobre as origens e a formação desse movimento, a partir das críticas de Wittgenstein a alguns divulgadores da ciência no Livro Azul. Apresento a seguir, as principais polêmicas ocorridas entre os que simpatizavam com as ideias de Wittgenstein, nos anos quarenta, e alguns críticos que denunciavam as aparentes fragilidades conceituais dos filósofos que defendiam usos comuns da língua. Nessas polêmicas um dos pontos mais complexos diz respeito às possíveis relações entre uma atitude de consideração à língua natural, a linguagem comum, e uma “defesa do senso comum”. O tema é examinado na convergência de ideias entre Wittgenstein, Norman Malcolm e G. E. Moore. Finalmente, apresentado a polêmica entre Benson Mates e Stanley Cavell sobre o status dos enunciados filosóficos feitos a partir de um apelo à linguagem comum; os dois filósofos preservam na polêmica que mantiveram alguns vestígios da querela iniciada no Livro Azul e com isso fecham um ciclo de discussões.; This study addresses the emergence of the philosophical movement known as "ordinary language philosophy". The aim here is to offer a new perspective on the origins and formation of the movement...

Filosofia da linguagem e organização do conhecimento nos anos 1930: a pragmática em Wittgenstein e em Ranganathan.

Saldanha, Gustavo
Fonte: ISKO Publicador: ISKO
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
POR
Relevância na Pesquisa
96.18%
Reconhecida a relevância dos estudos filosóficos para a organização do conhecimento, propomos um estudo histórico-epistemológico focado na década de 1930. A principal questão abordada se refere ao desenvolvimento de um pensamento orientado para a pragmática da linguagem no cenário filosófico no período. Este pensamento toma a linguagem ordinária como elemento fundador do sentido. A ideia de uso é reconhecida como estrutural e apenas através dela se pode conceber a significação. Em focos distintos, o filósofo austríaco Ludwig Wittgenstein e o filósofo indiano Shiyali Ramamrita Ranganathan discutem o desenvolvimento epistemológico segundo os pressupostos de uma pragmática da linguagem. O pensamento dos autores aborda a produção de sentido a partir do uso. A pragmática ranganthaniana possibilita o afastamento da noção ocidental-moderna de “conhecimento”. A partir da filosofia da linguagem presente no filósofo indiano podemos pensar em “saberes”, tomando a prática de organização no âmbito informacional como responsável por uma noção plural de epistemologia. Este posicionamento aproxima Ranganathan do pensamento wittgensteiniano. O objetivo central deste trabalho é propor análise do diálogo entre as visões de Ranganathan e Wittgenstein no âmbito da construção das possibilidades do conhecer a partir do uso da linguagem no âmbito dos anos 1930. Como objetivos específicos...

Uma filosofia da Ciência da Informação: organização dos saberes, linguagem e transgramáticas

Saldanha, Gustavo Silva
Fonte: Universidade Federal do Rio de Janeiro / Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia; BR; Ciência da Informação; Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação; UFRJ/ECO - IBICT Publicador: Universidade Federal do Rio de Janeiro / Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia; BR; Ciência da Informação; Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação; UFRJ/ECO - IBICT
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
86.1%
This research, contextualized in contemporary discussions of epistemology of Information Science, conducts a philosophical study of the field, understood in its historical development as the Organization of Knowledge, from a conceptual reflection marked by elements from the theoretical and methodological rhetoric and philology. As a method, we adopted the "Presentation Overview" model of philosophical exercise taken from philosophy of language, more specifically, the second phase of the Ludwig Wittgenstein`s thought. Taking language as a common element, analysis of these domains of knowledge, the study intended to demonstrate that the Organization of Knowledge, both for its historical characterization remote, as its scientific construction in the modern world from the nineteenth century, and also by their contemporary trends can be recognized as a science of language, and the notion of "grammar" as a structural concept. From this understanding, we can see that the Organization of Knowledge as a field of study that involves, in time, the speeches called "neo documentation", "information science", "documentation", "library", "bibliology" and acts in their daily scientific production with the development of micro-meta-discursive micro-grammar...

A percepção como uma relação: Uma análise do conceito comum de percepção

Smith, Plínio Junqueira; UNIFESP
Fonte: SFL – Seminário Filosofia da Linguagem Publicador: SFL – Seminário Filosofia da Linguagem
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 12/09/2015 POR
Relevância na Pesquisa
85.97%
O artigo pretende analisar o conceito comum de percepção. A concepção comum seria uma concepção relacional da percepção. A percepção seria, não somente um estado mental, mas um padrão de eventos, no qual estariam envolvidos os seguintes elementos: uma causa ou ocasião; uma sensação ou experiência; efeitos, manifestações ou reações. Em seguida, analisam-se esses elementos, dando destaque para a percepção como uma atividade cognitiva, para o papel da linguagem na experiência perceptiva e para o papel causal do objeto. AbstractThe aim of this paper is to describe the common concept of perception. According to the common view, perception is intrinsically relational. Perception is not merely a mental state, but it is composed of a pattern of events, involving: causes and occasions; sensations and experiences; effects, manifestations and reactions. All these elements are analysed, and special attention is given to the notion of cognitive activity, to the role played by language in relation to perceptual experience, and to the causal role played by objects. 

A linguística de Rousseau: a estrutura aberta e a potência criadora da linguagem

Falabretti, Ericson; Pontifícia Universidade Católica do Paraná
Fonte: SFL – Seminário Filosofia da Linguagem Publicador: SFL – Seminário Filosofia da Linguagem
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 01/08/2013 POR
Relevância na Pesquisa
86.14%
O exame da linguagem ocupa lugar central no conjunto do pensamento rousseauniano, ao mesmo tempo em que apresenta uma nova teoria sobre a linguística. A novidade da linguística rousseauniana, objeto de análise deste trabalho, está na consideração da não presença, da estrutura aberta e da potência criadora da linguagem. A não presença, a consideração que a linguagem não nasceu na natureza e, ao mesmo tempo, não é instituição social, revela a solução inédita de Rousseau para o problema da origem da linguagem. Já as noções de estrutura aberta e potência criadora remontam à função central da linguagem na explicação da historiografia e da antropologia rousseauniana. No Ensaio sobre a Origem das Línguas e no segundo Discurso, Rousseau revisita a discussão antropológica e a perspectiva anti-histórica do homem e, ainda, reassume o problema do tempo – da saída do estado de natureza, do devir e da aparência – como história das línguas. O trabalho também discute essa dupla tese, a centralidade e a novidade do estudo rousseauniano da linguagem, retomando as interpretações de Derrida e de Bento Prado Jr. O conceito derridariano de suplementariedade e a concepção nuclear de retórica – enunciada por Derrida e aprofundada por Bento Prado Jr – radicalizam o sentido das noções de potência criadora e estrutura aberta da linguagem e...

COMO OS DOMÍNIOS DA FILOSOFIA DA LINGUAGEM E DA SEMÂNTICA CONTRIBUIRAM PARA DELIMITAR O OBJETO DA ANÁLISE DO DISCURSO

Zandwais, Ana; UFRGS
Fonte: UFPR Publicador: UFPR
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf
Publicado em 20/06/2013 POR
Relevância na Pesquisa
95.98%
Este estudo, desenvolvido na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, tem como propósito investigar como os domínios da Semântica e da Filosofia da Linguagem determinaram a constituição da Análise do Discurso na França durante os anos 1960-1980 como uma nova disciplina. Ao analisarmos o modo como Michel Pêcheux constituiu esta disciplina nós discutimos como os outros campos de conhecimento estão implicados nesta construção epistemológica.

Programa de uma filosofia da linguagem racionalista: à guisa de uma (re)atualização do Crátilo de Platão

Muniz Garcia, André Luis; Universidade de Brasília, UnB
Fonte: Revista de Filosofia Moderna e Contemporânea Publicador: Revista de Filosofia Moderna e Contemporânea
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Avaliado por Pares Formato: application/pdf
Publicado em 27/05/2013 POR
Relevância na Pesquisa
86.05%
O presente artigo tem como objetivo apresentar e discutir algumas das teses centrais de Platão no diálogo Crátilo concernentes à teoria da verdadeira nomeação. Mais precisamente, pretende-se discutir a contra-perspectiva de Sócrates à perspectiva de Hermógenes, no mencionado diálogo, acerca do estatuto do “nome” na verdadeira significação das coisas. Dessa contra-perspectiva surge a proposta segundo a qual uma teoria da verdadeira significação das coisas não pode ser fundada por uma “linguagem natural”, mas unicamente por uma “linguagem” purificada de qualquer conteúdo sensível.

Digital preservation, information retrieval and language; Preservación digital, recuperación de la información y lenguaje; Preservação digital, recuperação da informação e linguagem

Bode, Ernesto Carlos; Universidade de Brasília - UnB; de Sousa, Renato Tarciso Barbosa; Universidade de Brasília - UnB
Fonte: Revista Ibero-Americana de Ciência da Informação Publicador: Revista Ibero-Americana de Ciência da Informação
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; revisão de literatura; ; Formato: application/pdf
Publicado em 15/07/2015 POR
Relevância na Pesquisa
86.04%
The article refers to the first results of a research on consequences of operating problems in information retrieval systems in the long term in relation to the use of language in these systems. Part it is assumed that such problems can negatively affect the preservation of digital documents stored for long periods. The results presented here refer to a study of the language concept from three areas with different points of view: philosophy of language, semiotics and linguistics. With specific from each of these areas observations considered relevant for the proper functioning of IR systems in the long run are presented. At the end of the future developments of studies from the current point of the research are also presented.; El artículo se refiere a los primeros resultados de una investigación sobre consecuencias de problemas de funcionamiento en sistemas de recuperación de información a largo plazo, en relación al uso del lenguaje en esos sistemas. Se parte del principio de que tales problemas pueden afectar negativamente la preservación de documentos digitales almacenados por largos periodos de tiempo. Los resultados ahora presentados se refieren a un estudio del concepto de lenguaje a partir de tres áreas, con diferentes puntos de vista: filosofía del lenguaje...

Tradições epistemológicas nos estudos de organização dos saberes: uma leitura histórico-epistêmica a partir da filosofia da linguagem | Epistemological traditions in studies of knowledge organization: a historical-epistemic reading based on the philosophy

Saldanha, Gustavo Silva; UNIRIO
Fonte: Ibict Publicador: Ibict
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 29/09/2010 POR
Relevância na Pesquisa
96.1%
Resumo Analisa o campo da organização dos saberes a partir da filosofia da linguagem. Problematiza a virada lingüística e sua importância no campo informacional. Critica a terminologia adotada para classificar o campo que atua com preservação, representação e transmissão de conceitos e artefatos que possibilitam a construção coletiva do conhecimento. Categoriza a tradição representacionista e a tradição pragmática. Descreve as tradições epistemológicas do campo informacional fundadas em uma filosofia da linguagem através das manifestações institucionais que atravessaram o século XX.Palavras-chave epistemologia da ciência da informação; filosofia da linguagem; tradição epistemológica; tradição pragmática; tradição representacionistaAbstract The article examines the field of organization of knowledge building on the philosophy of language. Questions the linguistic turn and its importance in the informational field. Criticizes the terminology used to classify the field that works with preservation...

OCKHAM E A FILOSOFIA DA MENTE: aproximações ao externalismo na filosofia contemporânea [doi:10.7443/problemata.v2i1.10447]

Ferreira, Anderson D'Arc
Fonte: Universidade Federal da Paraíba -UFPB Publicador: Universidade Federal da Paraíba -UFPB
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 26/06/2011 POR
Relevância na Pesquisa
86%
No presente estudo pretendemos demonstrar alguns aspectos de meus estudos mais recentes de meu doutoramento. Nosso intuito é o de esboçar brevemente o sistema ockhamiano e, se possível, estabelecer possíveis aproximações desse autor medieval com o sistema do externalismo na Filosofia da Mente contemporânea. Essa linha de investigação onde se pretende desenvolver aproximações entre as temáticas medievas, especificamente de Guilherme de Ockham, e temáticas específicas das filosofias contemporâneas tem suas inspirações em estudos de Claude Panaccio e Alessandro Ghisalberthi. Nesse ínterim pretendemos demonstrar que as teorizações do “Príncipe dos Nominalistas” prefiguram uma estrutura muito semelhante às desenvolvidas na atual estrutura da linguagem mental. O objetivo de nosso estudo é refletir acerca da possibilidade de existência, ou não, de uma Filosofia da Mente no medievo, especificamente em Guilherme de Ockham. Não focalizaremos o surgimento dessa problemática na Idade Média, mas deteremos nossas investigações no sistema lógico desenvolvido pelo Venerabilis Inceptor.