Página 1 dos resultados de 422 itens digitais encontrados em 0.004 segundos

Do Pórtico à Urbe: a filosofia estoica e o direito romano nas Institutiones de Gaio

Aguiar, Márlio
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: 225 f.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
45.94%
TCC(graduação) - Universidade Federal de Santa Catarina. Centro de Ciências Jurídicas. Direito.; A monografia parte da filosofia estoica antiga para, a partir dela, estabelecer possíveis referências da doutrina do Pórtico no direito romano, em especial, nas Institutiones do jurisconsulto Gaio. Por meio da pesquisa bibliográfica, da leitura de fontes e do método dedutivo de abordagem, o trabalho delineia os traços principais do estoicismo antigo e identifica as transformações dessa filosofia no mundo romano. A partir dos traços gerais do estoicismo, o trabalho segue na tentativa de demonstrar qual o papel que o direito recebe no interior de seu sistema, especialmente no estoicismo dos romanos, bem como de discutir algumas das críticas tradicionais direcionadas ao estoicismo. Por fim, a pesquisa se lança numa análise das Institutiones de Gaio, importante manual de ensino do direito romano, selecionando na fonte fragmentos, conceitos e expressões que demonstram, se não uma conexão explícita, ao menos uma compatibilidade filosófica plena com a doutrina do estoicismo.; Opus ex philosophia stoica antiqua incipit; ut relationes doctrinae Porticuus apud ius Romanum, Gaii iurisconsulti in Institutione ab ea instituat. Opus insignia praecipua Stoicorum disciplinae per modum deductiuum inuestigationem ad litteram et priscarum fontium lectionem molitur et transfigurationes in mundo Romano recognoscit. Hic opus iuris finem Romanorum Stoicorum rationis ex insignia philosophiae demonstrat tanti quanti aliquae uituperationes Porticui explicat. Denique opus sibi Gaii institutionum disquisitionem tribuit; fragmina et argumenta et uocabula excipit...

Física e filosofia antiga em Werner Heisenberg: apropriações do legado clássico por um físico do século XX

Leite, Anderson Cleiton Fernandes; Simon, Samuel
Fonte: Grupo Archai: As Origens do Pensamento Ocidental Publicador: Grupo Archai: As Origens do Pensamento Ocidental
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
55.92%
O objetivo deste artigo é analisar os usos que Werner Heisenberg fez da filosofia grega em sua obra. Pretende-se relacionar tais usos não apenas com a argumentação interna presente nos textos do físico alemão, mas também com o contexto histórico, conflitos e debates entre as diversas interpretações da teoria dos quanta durante a primeira metade do século XX. Faremos, inicialmente, uma apresentação geral da teoria quântica e da presença da filosofia na obra de Heisenberg e, em seguida, um estudo de caso da apropriação que Heisenberg fez do pensamento de Leucipo, Demócrito, Heráclito, Platão e Aristóteles. ______________________________________________________________________________________________________________ ABSTRACT; The aim of this article is to analyze the uses Werner Heisenberg made of Greek philosophy in his works, and to relate such uses not only to the internal argumentation present in the texts of the German physicist, but also to the historical context, conflicts and debates between diverse interpretations of quantum theory during the first half of the 20th century. We shall first make a general presentation of the quantum theory and the presence of philosophy in the works of Heisenberg, followed by a case study of Heisenberg’s appropriation of the thought of Leucippus...

Guia das aulas de Filosofia Antiga I e Filosofia Antiga II : Faculdade de Letras UP 1981/2010

Graça, José Augusto Caiado Ribeiro
Fonte: Porto : Universidade do Porto. Faculdade de Letras. Biblioteca Digital Publicador: Porto : Universidade do Porto. Faculdade de Letras. Biblioteca Digital
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
45.95%

Ensinar, desde sempre : notas sobre o ensino da Filosofia Antiga

Graça, José Augusto Caiado Ribeiro
Fonte: Universidade do Porto Publicador: Universidade do Porto
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
45.83%

Schola quantorum: progresso, racionalidade e inconsistência na antiga teoria atômica. Parte I: desenvolvimento histórico, 1913-1925

Bezerra,Valter Alnis
Fonte: Universidade de São Paulo, Departamento de Filosofia Publicador: Universidade de São Paulo, Departamento de Filosofia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2003 PT
Relevância na Pesquisa
45.89%
Neste artigo, o primeiro de uma série, traça-se um panorama histórico do desenvolvimento conceitual da antiga teoria atômica, no período que se estende desde o primeiro modelo de Bohr para a estrutura atômica, de 1913, até a proposta do princípio de exclusão, por Pauli, em 1925. Inicialmente apresentam-se argumentos no sentido de estabelecer a validade e a importância de se estudar um programa de pesquisa como o da antiga teoria atômica, e procura-se contextualizar aquele programa dentro do quadro da teoria quântica como um todo. Em seguida, são discutidos temas como: a estrutura dos espectros atômicos, o estatuto do princípio de correspondência, a condição geral de quantização de Sommerfeld em termos de integrais de fase, o modelo elíptico-relativístico do átomo, a teoria de Bohr-Kramers-Slater da radiação, a teoria de Kramers da dispersão, o conceito de spin, o problema da configuração eletrônica dos átomos, e a estrutura da tabela periódica, entre outros. Procura-se apresentar uma história que privilegie as inter-relações conceituais, e são feitas abundantes referências tanto às fontes primárias como à literatura secundária relevante. O panorama histórico assim elaborado servirá de base para um segundo artigo...

Schola quantorum: progresso, racionalidade e inconsistência na antiga teoria atômica Parte II: crítica à leitura lakatosiana

Bezerra,Valter Alnis
Fonte: Universidade de São Paulo, Departamento de Filosofia Publicador: Universidade de São Paulo, Departamento de Filosofia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2004 PT
Relevância na Pesquisa
45.86%
Neste artigo, baseando-me no panorama histórico já traçado no primeiro artigo desta série (Bezerra, 2003), procuro analisar criticamente a reconstrução da antiga teoria atômica feita por Imre Lakatos (1978) [1970], mostrando que ela se revela inadequada sob diversos aspectos. O presente texto principia por uma exposição do modelo de Lakatos, a chamada metodologia dos programas de pesquisa científica. Em seguida, são discutidos os principais problemas enfrentados pela reconstrução lakatosiana, que dizem respeito a aspectos como: o estatuto do princípio de correspondência; a omissão da condição de quantização de Sommerfeld; a omissão de vários desenvolvimentos importantes ocorridos no período 1921-1924; e o tratamento insatisfatório dado ao conceito de spin. A principal dificuldade enfrentada por uma reconstrução de tipo lakatosiano, porém, diz respeito à teoria de Bohr-Kramers-Slater da radiação (BKS) e à teoria de Kramers da dispersão as quais são praticamente ignoradas por Lakatos, mas analisadas em detalhe aqui. Em conseqüência de tais problemas, a própria descrição lakatosiana da "fase degenerativa" da antiga teoria atômica fica seriamente comprometida. Na conclusão do artigo, constata-se que algumas das dificuldades apontadas são de caráter historiográfico...

A filosofia da linguagem em Platão

Ribeiro, André Antônio
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Tese de Doutorado
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
45.79%
Na filosofia da Platão, as Idéias são postuladas para serem a referência extralingüística objetiva que garantiria a significabilidade da linguagem. O problema é que, tal como apresentada nos diálogos República e Fédon, a Teoria das Idéias tem graves inconsistências, sendo a não menos importante o fato de não explicar como as Idéias se relacionam com o mundo sensível, o que é o mesmo que dizer que elas são incognoscíveis. Platão, através de uma crítica à sua própria Teoria das Idéias e às concepções de linguagem defendidas pelos sofistas, reformulará, em aspectos importantes, a sua Teoria. O que queremos enfatizar neste trabalho é que, para essa reformulação, Platão utilizará a linguagem, tal como a usamos no dia-a-dia, como paradigma para resolver os problemas da Teoria das Idéias, de modo que ela possa, sem aporias, ajudar no entendimento das diferenças entre linguagem significativa e não-significativa. Ou seja: tentaremos mostrar que, se a Teoria das Idéias foi postulada para garantir a significação lingüística, a linguagem, por sua vez, servirá como modelo para ajudar a mesma Teoria a superar seus problemas.; In Plato’s philosophy, the Forms are postulated to be the objective extra-linguistical reference that assure the linguistic meaning. But theory of Forms in Republic and Phaedo has many inconsistencies. Plato...

História da Filosofia Antiga. 31/03/2009

Sidnei, Marcos
Fonte: Universidade Metodista de São Paulo Publicador: Universidade Metodista de São Paulo
Tipo: Trabalho em Andamento
OTHER
Relevância na Pesquisa
45.88%
Indicar as características da reflexão dos primeiros filósofos e o papel da sofística na constituição da ética como problema. Link teleaula: http://www.umesp.edu.br/ead/1-2009/fil/010/marcos_3103/

História da Filosofia Antiga: Sócrates e o Problema Socrático. 14/04/2009

Sidnei, Marcos
Fonte: Universidade Metodista de São Paulo Publicador: Universidade Metodista de São Paulo
Tipo: Trabalho em Andamento
OTHER
Relevância na Pesquisa
45.83%
Apresentar a figura de Sócrates como centro da tradição filosófica. Link teleaula: http://www.umesp.edu.br/ead/1-2009/fil/010/marcos_1404/

A noção de "conversão a si" : uma leitura da abordagem de Michel Foucault a respeito da relação subjetividade e verdade na filosofia antiga

Antonio Carlos Favaretto
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 30/03/2004 PT
Relevância na Pesquisa
45.83%
No curso sobre "A hermêneutica do sujeito" (1982), Foucault aborda o tema do acesso à verdade a partir das "práticas de si". Voltando-se para o pensamento antigo, Foucault procura mostrar que, contrariamente à nossa concepção moderna, o aceso ao conhecimento da verdade não é dado ao sujeito de pleno direito. O acesso à verdade implica a transformação - a "conversão do sujeito"- em seu ser mesmo de sujeito. Esta transformação ou "conversão do sujeito" para ter acesso à verdade implica um trabalho, um exercício ascético de si sobre si mesmo capaz de realizar a constituição de um "si" que faz a experiência da verdade e, ao mesmo tempo, é transfigurado por esta experiência. Partindo do Alcebíades de Platão onde a prática do "cuidado de si" emerge pela primeira vez como tema de reflexão filosófica e, a seguir, se voltando para o estoicismo dos dois primeiros séculos de nossa era quando a necessidade de "se cuidar de si mesmo" se toma um fim em si mesma marcada pela prática de uma constante "conversão a si", Foucault procura mostrar como o acesso ao conhecimento das coisas e as práticas ascéticas no pensamento antigo faziam parte das "práticas de subjetivação da verdade," isto é, da constituição de um si mesmo que se apresentam como um contraponto às nossas modernas "práticas objetivadoras da verdade sobre nós mesmos". Esta análise se inscreve no projeto genealógico de Foucault que permite pensar o presente e o que está sendo feito de nós mesmos aqui agora; In the course on "the hermeneutic ofthe subjet" (1982)...

Uma tradução comentada das categorias de Aristóletes

Coelho, Fernando
Fonte: Florianópolis, SC Publicador: Florianópolis, SC
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
45.83%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Comunicação e Expressão, Programa de Pós-graduação em Estudos da Tradução, Florianópolis, 2009; A tradução dos textos pertencentes à filosofia antiga em língua grega suscita uma problemática concernente em primeiro lugar aos fundamentos da possibilidade da sua compreensão por leitores do século XXI e, em segundo lugar, aos métodos que podem ser empregados na sua prática. Este trabalho consiste em um experimento tradutório teorizante que se fundamenta, enquanto arte da compreensão de textos, no método de F. Schleiermacher; enquanto descrição dos procedimentos lingüísticos necessários à prática tradutória, na teoria lingüística de J.C. Catford; e enquanto poética, nas reflexões de H. Meschonnic.; La traduction des textes appartenant à la philosophie ancienne en langue grecque suscite une problématique qui concerne, en premier lieu, les fondements de la possibilité de leur compréhension par des lecteurs du XXIème siècle et, en deuxième lieu, les méthodes qui peuvent être employées dans sa pratique. Ce travail consiste dans une expérimentation de traduction théorisante qui se fonde, en tant qu'art de la compréhension de textes...

Três Figuras do Discípulo na Filosofia Antiga

Wolf, Francis
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 09/12/1993 POR
Relevância na Pesquisa
75.98%
Este artigo examina três figuras típicas do discípulo na filosofia antiga: o socrático (“filho ciumento”), o epicurista (“doente curado, mas psitacista”) e o aristotélico (“hermeneuta insatisfeito”).

Contributo da adjetivação na construção da identidade macaense – estudo da obra Curiosidade de Macau Antiga de Luís Gonzaga Gomes

Lili, Han
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 24/04/2015 POR
Relevância na Pesquisa
45.81%
O presente estudo visa explorar, à luz da teoria da avaliatividade, os enunciados atitudinais de Luís Gonzaga Gomes em Curiosidade de Macau Antiga, através da análise da sua adjetivação para as diferentes comunidades chinesas, portuguesas e estrangeiras. A partir da análise das três vertentes (o afeto, o julgamento e a apreciação) da atitude do autor, constata-se que o emprego de adjetivos revela a tentativa do autor de procurar os traços identitários macaenses, contribuindo evidentemente para estabelecer algumas regras de conduta e referências para a construção da identidade macaense.  

O conceito de temporalidade e sua aplicação na historiografia antiga

Marques, Juliana Bastos
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, D. História Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, D. História
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 30/06/2008 POR
Relevância na Pesquisa
45.81%
Este artigo discute, em um primeiro momento, o conceito de temporalidade e de suas definições e aplicações, bem como algumas contradições inerentes a ele. Como objetivo principal, busca atualizar a discussão sobre como entender o uso da temporalidade dentro do contexto da historiografia antiga, fazendo uma crítica às associações da historiografia greco-romana com a idéia de ciclo e de seu contraponto na historiografia judaico-cristã com a linearidade. Por fim, sugerimos que é possível ler essas duas diferentes formas de historiografia invertendo seus conceitos comuns de temporalidade, demonstrando assim que tal paradoxo nada mais é do que reflexo dos paradoxos gerais do conceito teórico de temporalidade.; This article presents, in the first place, a debate on the concepts, definitions and applications of temporality, as well as some of its innate contradictions. The main goal here is to update the discussion about how to understand temporality within the context of Ancient historiography, reviewing the associations of Greek and Roman historiography with the idea of cycle and of its counterpoint, Jewish-Christian historiography, with linearity. Lastly, we suggest that it is possible to read these two different forms of historiography also as an inversion of their associated ideas...

Schola quantorum: progresso, racionalidade e inconsistência na antiga teoria atômica Parte II: crítica à leitura lakatosiana; Schola quantorum: progress, rationality and inconsistency in the old atomic theory. Part II: critique of Lakatos’ interpretation

Bezerra, Valter Alnis
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/06/2004 POR
Relevância na Pesquisa
45.86%
Neste artigo, baseando-me no panorama histórico já traçado no primeiro artigo desta série (Bezerra, 2003), procuro analisar criticamente a reconstrução da antiga teoria atômica feita por Imre Lakatos (1978) [1970], mostrando que ela se revela inadequada sob diversos aspectos. O presente texto principia por uma exposição do modelo de Lakatos, a chamada metodologia dos programas de pesquisa científica. Em seguida, são discutidos os principais problemas enfrentados pela reconstrução lakatosiana, que dizem respeito a aspectos como: o estatuto do princípio de correspondência; a omissão da condição de quantização de Sommerfeld; a omissão de vários desenvolvimentos importantes ocorridos no período 1921-1924; e o tratamento insatisfatório dado ao conceito de spin. A principal dificuldade enfrentada por uma reconstrução de tipo lakatosiano, porém, diz respeito à teoria de Bohr-Kramers-Slater da radiação (BKS) e à teoria de Kramers da dispersão as quais são praticamente ignoradas por Lakatos, mas analisadas em detalhe aqui. Em conseqüência de tais problemas, a própria descrição lakatosiana da "fase degenerativa" da antiga teoria atômica fica seriamente comprometida. Na conclusão do artigo, constata-se que algumas das dificuldades apontadas são de caráter historiográfico...

Schola quantorum: progresso, racionalidade e inconsistência na antiga teoria atômica. Parte I: desenvolvimento histórico, 1913-1925; Schola quantorum: progress, rationality and inconsistency in the old atomic theory. Part I: historical development, 1913-1925

Bezerra, Valter Alnis
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/12/2003 POR
Relevância na Pesquisa
45.89%
Neste artigo, o primeiro de uma série, traça-se um panorama histórico do desenvolvimento conceitual da antiga teoria atômica, no período que se estende desde o primeiro modelo de Bohr para a estrutura atômica, de 1913, até a proposta do princípio de exclusão, por Pauli, em 1925. Inicialmente apresentam-se argumentos no sentido de estabelecer a validade e a importância de se estudar um programa de pesquisa como o da antiga teoria atômica, e procura-se contextualizar aquele programa dentro do quadro da teoria quântica como um todo. Em seguida, são discutidos temas como: a estrutura dos espectros atômicos, o estatuto do princípio de correspondência, a condição geral de quantização de Sommerfeld em termos de integrais de fase, o modelo elíptico-relativístico do átomo, a teoria de Bohr-Kramers-Slater da radiação, a teoria de Kramers da dispersão, o conceito de spin, o problema da configuração eletrônica dos átomos, e a estrutura da tabela periódica, entre outros. Procura-se apresentar uma história que privilegie as inter-relações conceituais, e são feitas abundantes referências tanto às fontes primárias como à literatura secundária relevante. O panorama histórico assim elaborado servirá de base para um segundo artigo...

Em Busca de uma Fundamentação para a Tradução de Filosofia Antiga: o Aspecto Hermenêutico

Coelho, Fernando; Universidade Federal de Santa Catarina
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 26/11/2011 POR
Relevância na Pesquisa
65.95%
http://dx.doi.org/10.5007/1980-4237.2011n10p90A tradução dos textos pertencentes à filosofia antiga suscita uma problemática concernente em primeiro lugar aos fundamentos da possibilidade da sua compreensão por leitores do século XXI e, em segundo lugar, aos métodos que podem ser empregados na sua tradução desses textos. Este artigo pretende discutir o primeiro aspecto desse duplo problema, apresentando as diretrizes do método hermenêutico historicista desenvolvido por F. Schleiermacher, chegando finalmente às implicações filosóficas da compreensão do outro e da prática tradutória.

Física e Filosofia Antiga em Werner Heisenberg: apropriações do legado clássico por um físico do século XX

Leite, Anderson Cleiton Fernandes; Universidade de Brasília; Simon, Samuel; Universidade de Brasília
Fonte: Archai: Journal on the origins of Western thought; Archai: Revista de estudos sobre as origens do pensamento ocidental Publicador: Archai: Journal on the origins of Western thought; Archai: Revista de estudos sobre as origens do pensamento ocidental
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Avaliado por Pares Formato: application/pdf
Publicado em 19/06/2013 POR
Relevância na Pesquisa
55.94%
O objetivo deste artigo é analisar os usos que Werner Heisenberg fez da filosofia grega em sua obra. Pretende-se relacionar tais usos não apenas com a argumentação interna presente nos textos do físico alemão, mas também com o contexto histórico, conflitos e debates entre as diversas interpretações da teoria dos quanta durante a primeira metade do século XX. Faremos, inicialmente, uma apresentação geral da teoria quântica e da presença da filosofia na obra de Heisenberg e, em seguida, um estudo de caso da apropriação que Heisenberg fez do pensamento de Leucipo, Demócrito, Heráclito, Platão e Aristóteles.

UM CAMINHO DIDÁTICO PARA A FILOSOFIA ANTIGA NO ENSINO MÉDIO

Gonçalves Fernandes, Mayã; Universidade de Brasília
Fonte: Pólemos Publicador: Pólemos
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 05/12/2015 POR
Relevância na Pesquisa
55.92%
Este artigo tem como proposta a sugestão de um percurso didático para o docente do ensino médio na ocasião em que o assunto a ser desenvolvido em sala de aula forem temas da filosofia antiga. Neste ponto, será utilizado, como exemplo de planejamento de aula, a discussão sobre mito e filosofia. Para isso, será exposta ao professor (a) a possibilidade de fazer o próprio material auxiliar sobre o assunto, concebendo o livro didático como ferramenta essencial nesse preparo da disciplina. 

Como a recepção da filosofia interfere no seu modo de ensino? Uma discussão a partir de alguns interlocutores de Sócrates

Vicenzi, Vinicius B.; Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ
Fonte: Revista Sul-Americana de Filosofia e Educação Publicador: Revista Sul-Americana de Filosofia e Educação
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf
Publicado em 05/10/2011 POR
Relevância na Pesquisa
45.82%
Este artigo apresenta o diálogo Górgias de Platão como um cenário interessante por onde pensar a relação do ensino de filosofia com interlocutores não-filósofos, buscando pontos de encontro entre a cena antiga e a cena de hoje. Os três personagens do diálogo platônico são pensados a partir de afetos que os caracterizam na relação com o ensino socrático e a intenção é ver em que medida o ensino de filosofia se modifica de acordo com esses afetos.